Guardar Este Culto

Meditação do dia: 27/11/2022

“E acontecerá que, quando o Senhor te houver introduzido na terra dos cananeus, e dos heteus, e dos amorreus, e dos heveus, e dos jebuseus, a qual jurou a teus pais que te daria, terra que mana leite e mel, guardarás este culto neste mês.” (Ex 13.5)

Guardar Este Culto – Como temos visto e pensado nessas meditações, a libertação dos israelitas do cativeiro egípcio, foi um acontecimento com muita importância não só para eles, mas também para a história da obra da redenção da humanidade. Os muitos aspectos que essa obra exige, foram mostrados ali, por pequenas peças simbólicas, que podemos apreciar com muita reverencia e gratidão, porque agora, na Nova Aliança, todos esses aspectos já foram devidamente cumpridos na pessoa e obra de Jesus Cristo; que entrou em cena aqui na terra, apresentado por João Batista como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo: “No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1.29). Ali no Antigo Egito, quando Deus confirmou que “a hora é agora,” foi instituída a festa da Páscoa, onde o cordeiro ou cabrito seria imolado, seu sangue aplicado nos umbrais das portas das casas e sua carne seria comida assada no fogo, sem quebrar ossos, acompanhada com ervas amargas e pães ázimos. O ritual da Páscoa, iniciava-se no dia dez do mês ao separar o cordeiro ou cabrito, para ser imolado no entardecer do décimo quarto dia, quando seria comido numa ceia em família à noite. A festa dos pães sem fermento  durava uma semana, quando não só não comeriam nada fermentado como também não poderiam ter esse ingrediente da culinária guardado em casa. Era um tempo de verdadeira purificação e consagração, onde se observaria isso como culto, que deveria ser lembrado todos os anos, naquele mesmo mês. Ao guardar esse culto, o propósito era fazer uma transição natural e muito bem feita de uma geração para outra, pois os filhos cresceriam vendo aquilo e participando dos processos, ano após ano, sendo inseridos nas atividades, de maneira que quando  formassem suas próprias famílias, eles já tinham o conhecimento e o treinamento que os habilitavam a praticarem e ensinarem as novas gerações. Como temos aspectos culturais que valorizam muito pouco as práticas geracionais, precisamos olhar para as páginas das Escrituras Sagradas e extrairmos as lições de fé e obediência para onde esses rituais apontam. Como pastor de igreja local, observo que a nossa cultura prefere a transferência de responsabilidades das práticas de fé, para ministros profissionais e obreiros das congregações para cuidarem de seus filhos e treiná-los nas coisas de Deus e da fé. Com isso fica prejudicado a espiritualidade dos ensinos bíblicos, porque sabemos que conseguimos ensinar muito mais com os nossos exemplos do que com as nossas palavras. Professores de EBD e líderes de ministérios, por mais que se esforcem, não poderão superar a influencia dos pais na vida dos filhos. Quando se trata de importância, as crianças sabem que tudo que é importante, os pais fazem e se não fazem é porque não tem peso na vida da família. Ir ao templo para congregar – ler a Bíblia em casa – orar em família – evangelizar – ofertar – fazer missões e beneficências, são alguns exemplos que sem querer os pais discipulam seus filhos por não fazerem ou não valorizarem. Saiba que ainda está em tempo de reverter algumas dessas práticas, se não estiverem alinhadas com os ensinamentos bíblicos.

Senhor, agradecemos o privilégio de servir e transmitir os teus ensinos para as novas gerações, para que temam ao Senhor e vivam as tuas promessas e sejam fiéis e produtivos em todas as suas gerações. A ordem é para não deixarmos esquecer os grandes feitos da redenção, que alcançamos pela fé em Cristo. É importante crermos para nossa salvação, mas também para preservação das práticas por todas as gerações, conforme prescreve a tua Palavra. Agradecemos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Terra Que Mana Leite e Mel

Meditação do dia: 26/11/2022

“E acontecerá que, quando o Senhor te houver introduzido na terra dos cananeus, e dos heteus, e dos amorreus, e dos heveus, e dos jebuseus, a qual jurou a teus pais que te daria, terra que mana leite e mel, guardarás este culto neste mês.” (Ex 13.5)

Terra Que Mana Leite e Mel – É uma promessa muito abrangente e fala do potencial de muita prosperidade para aqueles israelitas. Mas não podemos ser ingênuos ao ponto de pensar que as bênçãos de Deus prometidas a nós, vem líquidas, gratuitas e sem necessitar de esforços e trabalho. Assim como a promessa diz sobre uma terra que mana leite e mel, resumo um outro lado, não como crítica, mas como advertência contra a preguiça e indolência: “O leite ainda precisa ser tirado e o mel ainda precisa ser colhido!” na minha infância vivi em fazendas e meu pai era retireiro (pessoa que cuida do gado e faz ordenha); então eu sei que tirar leite é um trabalho sério, árduo e que demanda habilidade e riscos. Quando nascem os bezerros, as suas mães ficam com ciúmes e qualquer um que tentar se aproximar é uma vítima em potencial e às vezes elas atacam. Hoje, os processos de ordenha em grande parte é mecanizada e os processos são mais simples e tecnológicos. Meu pai levantava ainda escuro, para buscar as vacas nos pastos e se molhava no orvalho da madrugada fria, quando o sol saia, já tinha que estar terminado aquele trabalho, para começar outras atividades. Mel é uma delícia e tirar mel das colmeias é um trabalho delicado e perigoso. Já fiz isso com meu pai e meus irmãos e algumas espécies de abelhas atacam quem se aproxima de suas colmeias e as suas ferroadas são muito doloridas e se a pessoa for alérgica, pode sofrer complicações graves com risco de morte. Quando se ouve a promessa de ganhar uma terra que mana leite e mel, a primeira idéia é só de fartura e gostosuras; mas quando se entra de fato na promessa, tem muito trabalho a ser feito para transformar todo aquele potencial em riqueza e abundancia. “Porque o Senhor teu Deus te põe numa boa terra, terra de ribeiros de águas, de fontes, e de mananciais, que saem dos vales e das montanhas; Terra de trigo e cevada, e de vides e figueiras, e romeiras; terra de oliveiras, de azeite e mel. Terra em que comerás o pão sem escassez, e nada te faltará nela; terra cujas pedras são ferro, e de cujos montes tu cavarás o cobre. Quando, pois, tiveres comido, e fores farto, louvarás ao Senhor teu Deus pela boa terra que te deu” (Dt 8.7-10). Estou escrevendo hoje para os caçadores de bênçãos perdidas, mas querem moleza, sombra e água fresca, vivendo às expensas do trabalho dos outros, sem se esforçarem, querendo apenas desfrutar de conquistas não suas e ter vida abundante se valendo de meios não bíblicos. Não é assim que Deus trabalha na construção de seu Reino. Em todas as etapas e com todas as pessoas, o princípio da fidelidade, diligencia, boa mordomia administrativa e muito esforço, transformando suor em riquezas e farturas nas mesas e em suas casas. Nossas bênçãos devem ser frutos de nossa vida de trabalho. Nada mudou nos princípios de Deus de lá para cá. Não se engane e nem se iluda! “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé” (Gl 6.7-10).

Senhor Deus, agradecemos e louvamos o teu santo nome por todas as provisões que tens dispensado para conosco, os teus filhos. Reconhecemos as promessas de bênçãos e fartura para nós, nossas famílias e nossa nação através da diligencia e trabalho honesto, confiante na misericórdia e bondade do Senhor. Reconhecemos que só o Senhor pode prosperar os teus filhos e produzir verdadeira riqueza através do trabalho e das boas práticas que a tua palavra ensina. Te agradecemos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Terra Prometida

 Meditação do dia: 25/11/2022

“E acontecerá que, quando o Senhor te houver introduzido na terra dos cananeus, e dos heteus, e dos amorreus, e dos heveus, e dos jebuseus, a qual jurou a teus pais que te daria, terra que mana leite e mel, guardarás este culto neste mês.” (Ex 13.5)

A Terra Prometida – A “Terra Prometida” tem esse nome porque foi prometida por Deus à Abraão e a seus descendentes depois dele, por meio de uma aliança eterna. Como eles só iriam entrar na posse definitiva dela, muitos anos à frente, quando viessem a ser uma nação, até que isso se concretizasse, era então referida, como a “Terra Prometida.” Quero hoje meditar e pensar junto com todos vocês, especialmente os três leitores mais assíduos desses textos, sobre entrar numa promessa, tomar posse, se apropriar e ou acolher aquilo que Deus tem para nós. Evidentemente todos nós estamos familiarizados com o conceito humano de querer as coisas muito rapidamente e de preferencia já pronto, sem ter que trabalhar com esforço e diligencia por aquilo. Sabemos que com Deus isso não funciona! Deus trabalha muito e ama o trabalho e através dele, os dons e os talentos com que as pessoas são presenteadas, podem ser desenvolvidos e colocados em prática. A razão principal de se trabalhar, não é necessariamente para levantar sustento e manutenção, embora isso seja uma parte muito importante. O trabalho é um meio de realização pessoal, desenvolvimento de habilidades e produção de riquezas com propósito de glorificar a Deus, cuidar de si e da família e ajudar o próximo. Quando alguém atinge um potencial de remuneração e acúmulo de riqueza que seja suficiente para viver confortavelmente a sua vida, ela não deve parar de trabalhar, alegando que “não precisa mais,” ao contrário, agora ela pode se dedicar aquilo que é produtivo e prazeroso, sem a carga de ter que produzir para se manter. Alguém que está em dificuldades financeiras e de trabalho e está orando a Deus para que as portas se abram e ela possa sair dessa condição difícil, deve se apropriar da bênção de Deus e trabalhar muito, trabalhar bem e ser econômico e generoso, fiel e diligente na mordomia, investindo sabiamente os seus recursos para que isso aconteça como um processo de semeadura, porque no devido tempo ele começará a colher de acordo com o que semeou mesmo nos tempos difíceis. “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna (Gl 6.7,8). Se você está buscando superar os tempos difíceis e prosperar com a bênção do Senhor, saiba que isso é promessa bíblica, segura e firme, mas a bênção de Deus não combina com preguiça, indolência, negligencia, desperdício, avareza e má administração. Não adianta reivindicar, declarar, tomar posse, decretar e etc e não ter um caráter transformado, ser operoso, esforçado, generoso e ter a Deus como a sua verdadeira riqueza. A razão dos israelitas herdarem uma terra como promessa, era para serem uma bênção para todas as nações e famílias da terra. Deus tem propósitos para tudo que passa pela nossa vida, e ele não cai em armadilhas de negociatas com quem não tem verdadeiro compromisso com o seu Reino. Pode acreditar, eu falo sério!

Senhor, obrigado por prometer e cumprir cada uma das tuas palavras e no devido tempo. Mas também obrigado por permanecer fiel a tua Palavra, porque ela expressa a tua vontade e revela o teu caráter. Cada um de nós que somos alcançados pela salvação em Cristo Jesus o fomos para ser transformados à semelhança de Cristo e sermos mordomos fieis no cuidado com todos os bens, talentos, dons e riquezas que estão disponíveis a nós como pessoas, famílias, igrejas e até nações. Pedimos, prospera as obras das nossas mãos e acrescenta à nossa fé, para servirmos com integridade para tua glória; em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Mês do Começo

Meditação do dia: 24/11/2022

“Hoje, no mês de Abibe, vós saís.” (Ex 13.4)

O Mês do Começo – Não consigo precisar onde e quando, mas me recordo muito bem de participar em celebrações de culto ao Senhor, onde o pessoal cantava um cântico que enfatizava a lembrança do dia em que se tinha convertido ao Senhor Jesus. A letra era repetida, alterando a cada vez o dia da semana, da seguinte forma: “foi numa segunda feira que ele me salvou, eu sei que ele me salvou…” depois: “Foi numa terça feira…” e a medida que cantavam as pessoas que se lembravam do dia da semana em que haviam se convertido, eles ficavam de pé; quando terminavam os dias da semana, eles finalizavam cantando: “foi em qualquer dia que ele me salvou…” então todos que não se lembravam do dia se levantavam e toda a congregação estava de pé em grande alegria. Eu sei, por exemplo que foi numa quarta feira que entreguei minha vida de maneira pública, ao Senhor Jesus. Essas datas são marcantes e referenciais na experiencia da pessoa. O que podemos chamar de “memorial,” porque sempre poderão comemorar, celebrar e quanto perguntado, elas sabem o dia exato. Na experiencias dos israelitas lá no Egito, depois de muita contenda com Faraó, eles finalmente foram libertados e poderiam então sair em definitivo e começarem uma nova vida. Deus havia lhes dado a data de início do calendário deles como nação, e no décimo quarto dia, seria a celebração da Páscoa e consequentemente o dia da libertação e saída do cativeiro. “Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano. Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família (Ex 12.1,2). Provavelmente os israelitas utilizavam o calendário egípcio, como referência, e poderiam estar também contando os tempos por meio dos anos de residência ali n o Egito, mas a partir de agora, eles passariam a contar sua história com um calendário próprio, marcado o seu início no mês da libertação de seu cativeiro. Agora, que eles iriam de fato iniciarem a sua história como nação, esse seria o seu primeiro mês do ano. Vamos pensar nisso e fazer um paralelo com a nossa experiencia de salvação e libertação que Deus fez em nós através de Jesus Cristo e sua obra de redenção. É usual entre os cristãos afirmarem como ensinou o apóstolo são Paulo, sobre ser uma nova criatura no momento em que Cristo se tornou o senhor das nossas vidas. “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Co 5.17). Queremos assumir que a nossa verdadeira vida se inicia com o encontro com a salvação em Cristo Jesus. Vamos deixar para trás tudo o que aconteceu até então deve ficar como uma página virada de nossas vidas. O Egito ficaria no passado dos israelitas com tudo o que ali ocorrera, agora é uma nova história. Também precisamos pensar construtivamente nessa nova experiencia, porque até então o controle de nossas vidas estava alheio a nós mesmos, pois o pecado é quem controlava e ditava as regras; o equivalente para os israelitas em que o Faraó e o Egito controlavam suas vidas e dizia o que fazer e o que não fazer. Desde a libertação, eles estavam livres para serem um povo, e como tal teriam que assumir as responsabilidades que esse privilégio dava. Deveriam reconhecer a Deus como o Senhor absoluto de suas vidas e que ele teria a primazia de sua atenção e a fé e a obediência lhes daria a segurança e as garantias que precisavam. Mas eles teriam que assumir o papel de liderar e não ser comandado. O novo convertido ao Evangelho de Cristo deve ser instruído em desenvolver sua fé e comunhão com Deus, agora liberto do poder do pecado e sob o senhorio de Cristo, crescer em graça e conhecimento espirituais. Cada cristão precisa trabalhar o seu crescimento e cada igreja local precisa prover os recursos e os meios para um bom discipulado. Agora começa a verdadeira vida!

Senhor Deus, nosso Pai, amamos ao Senhor e somos gratos pela nossa salvação e com ela, a oportunidade de vivermos uma nova vida, com novos alvos, novos objetivos e cheios de significados. Queremos crescer e servir com qualidade, por gratidão e amor ao Senhor. Agradecemos, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Um Dia a Ser Lembrado

Meditação do dia: 23/11/2022

“E Moisés disse ao povo: Lembrai-vos deste mesmo dia, em que saístes do Egito, da casa da servidão; pois com mão forte o Senhor vos tirou daqui; portanto não comereis pão levedado.” (Ex 13.1,2)

Um Dia a Ser Lembrado – Todos os povos e nações tem seus dias de comemoração onde celebram algum feito de sua história em que reconhecem ser digno de lembrança, por isso se torna uma data comemorativa, geralmente com feriado e algumas comemorações. São legados de uma geração para as outras; as vezes, aquilo foi conquistado com muita luta e resiliência e alguns até com mortes de muitas pessoas em defesa daquilo que foi conquistado. É importante conhecer e então, reconhecer aqueles fatos, para que as celebrações tenham sentido para as novas gerações. Certamente os brasileiros que viviam próximo de mil e oitocentos, ansiavam por um pais com mais liberdade e autonomia, e lutaram pela independência até que ela aconteceu em sete de Setembro de mil oitocentos e vinte e dois. Ainda celebramos o dia do descobrimento, o dia da proclamação da república e assim, cada povo tem suas marcas a serem lembradas. Foi assim que Moisés instruiu os israelitas a que marcassem aquela data como sendo o dia da libertação da escravidão no Egito, quando saíram sob as bênçãos das poderosas mãos de Deus operando em favor deles. Individualmente também as pessoas têm datas muito especiais para comemorarem e darem graças ao Senhor Deus. Pessoalmente me faz muito bem lembrar que o dia da minha conversão à Cristo se deu um dia antes do meu aniversário, assim, antes de celebrar o meu nascimento eu posso celebrar o meu novo nascimento; no dia de completar meus dezessete anos, já estava iniciando uma nova jornada de fé que tem durado todos esses anos e sou muito grato ao Senhor. Qual dia na sua vida é uma data para nunca ser esquecida? Em nossa caminhada de fé, vivemos em expectativas de novas coisas boas acontecerem à qualquer momento, pois o melhor de nossa história ainda está por acontecer. Nossa próxima grande data, será o dia da volta do Senhor Jesus, quando se encerrará uma etapa e iniciará uma nova, em relação a grande obra da redenção. Depois dessa data, ainda tem a segunda volta de Cristo para estabelecer o milenio e o seu governo de justiça e paz aqui na terra. Ainda haverá o dia do juízo final quando se encerra outra etapa e começará, ou reiniciará a eternidade, conforme planejado originalmente, mas foi interrompido pelo pecado. Dessa forma, nossa vida no presente, é uma preparação para essas novas etapas que sucederão as atuais das quais participamos como parte da nossa jornada. Não deixe o pecado nublar sua visão e assim se perder na agenda dos grandes acontecimentos que Deus tem preparado para nós.

Senhor, obrigado por planejar grandes coisas e executá-las com precisão e ainda mais pelo privilégio de participar juntamente contigo em muitas tarefas do Reino dos céus. Nossos corações estarão sempre alertas e atentos ao que nos aguarda daqui para frente. Agradecemos, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Os Primogênitos São Santificados

Meditação do dia: 22/11/2022

“Então falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Santifica-me todo o primogênito, o que abrir toda a madre entre os filhos de Israel, de homens e de animais; porque meu é.” (Ex 13.1,2)

Os Primogênitos São Santificados – Estamos prosseguindo em nossa meditação sobre o êxodo dos hebreus, sob a liderança de Moisés e ao mesmo tempo estamos procurando nos alimentar com a verdade da Palavra de Deus, nos instruindo em nossa vida de fé e consagração ao serviço do Senhor. Todas as lições que pudermos  captar da experiencia do povo de Deus, será de muita valia para a nossa vivencia nos dias atuais. Vimos que no dia da partida dos hebreus, houve a celebração da páscoa em sua primeira vez, e essa festa marcava o marco  divisor entre a vida de servidão e a nova vida de liberdade e caminhada rumo ao seu próprio território; também estava sendo celebrada com a aspersão do sangue do cordeiro nos umbrais das portas das casas das famílias que celebravam. Esse sangue na porta guardaria a vida do filho primogênito daquela família de ser morto pelo destruidor que passaria à meia noite por todo o Egito. Assim, nas casas dos israelitas não houve vítimas, porque a fé e a obediência foram exercitadas. No Egito, onde as pessoas não acolheram a oferta de Deus, sofreram severamente com a perda de um filho por família. A medida seguinte do Senhor aos seus servos israelitas, foi informa-los, que a salvação da morte daqueles filhos primogênitos, fazia com que todos eles à partir de agora em diante pertencessem ao Senhor Deus, como uma propriedade particular. Assim eles seriam separados, santificados para Deus. Aquilo que Deus salva, pertence a Ele! Porque ele salva, comprando cada pessoa com o preço de uma vida. Simbolicamente um cordeiro foi sacrificado em função de libertação do filho daquela família. Um dia, no futuro deles e no nosso passado, agora com cerca de dois mil anos, um outro cordeiro foi sacrificado, lá na cruz, para libertar cada pessoa que queira pertencer à família de Deus. Somos instruídos doutrinariamente que somos salvos pela graça através da fé em Jesus e isso é a base segura da nossa salvação. “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie (Ef 2.8,9). Todos, através da fé em Cristo Jesus podem pertencer a Deus, de forma definitiva e com a maior segurança, de que todas as promessas serão cumpridas em nossas vidas.

Senhor, agradecemos a oferta de amor que Jesus ofereceu por cada um de nós, e somos muito gratos por nos acolher em tua família. O sangue de Jesus foi derramado em nosso lugar, para nos resgatar para Deus. Agora não pertencemos a nós mesmos, mas somos propriedade exclusiva de Deus. Louvamos e adoramos por isso e muito mais que temos recebido em nossas vidas, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Naquele Mesmo Dia

Meditação do dia: 20/11/2022

“E aconteceu naquele mesmo dia que o Senhor tirou os filhos de Israel da terra do Egito, segundo os seus exércitos.” (Ex 12.51)

Naquele Mesmo Dia – Os propósitos divinos se cumprem porque por detrás deles está alguém com poder suficiente para fazer com que todas as engrenagens funcionem à contento. Nada está fora do alcance do poder de Deus e ele não só prediz os acontecimentos, como os fazem acontecer na ordem e no tempo devido. Somente a eternidade, em corpos glorificados e a redenção tendo efetivado em nós todo o seu trabalho, para podermos ter uma real e maior compreensão dos acontecimentos. É complicado, sendo limitado, lidar com fatos e eventos que transcendem os nossos limites e potencialidades; graças a Deus que a eternidade foi colocada dentro de cada um de todos nós, e assim, pela fé e esperança, aguardamos o desenvolver da história. Os israelitas viveram seus últimos dias no Egito, com a expectativa de verem a promessa da libertação se cumprindo em seus dias. Para muitos deles, o simples fato de saírem do cativeiro, da dominação perversa, já seria em si mesma uma grande bênção. Ao saírem, poderiam expressarem a fé e o culto ao Deus único e verdadeiro, que seus antepassados serviram e receberam promessas, das quais eles, como herdeiros estavam agora prestes a ver se materializar. Faraó foi resistente e implacável, mas inda assim eles ficaram convictos cada vez mais, á medida que os sinais se multiplicavam e os poderes do rei iam sendo minados e enfraquecidos. Agora, a data foi marcada, aquele seria o primeiro dia do primeiro mês do ano do seu calendário, no dia catorze, eles celebrariam a páscoa e nessa mesma noite eles sairiam e saíram. Israel saiu do Egito como Deus disse, como eles esperavam, conforme Moisés e Arão lhes instruíram e não conforme o Faraó permitiu. Poucos homens entraram no Egito e uma multidão saiu. Quando olhamos para as nossas vidas, a nossa relação de fé com Cristo e suas mensagens que denominamos de “mensagens de fim dos tempos” ou apocalípticas; estamos olhando para as promessas do mesmo Deus de Abraão, Isaque e Israel. Estamos olhando para Jesus e sua Palavra, suas promessas e as suas revelações para a igreja e aguardamos que elas se cumpram no devido tempo. Os sinais e evidencias estão se mostrando muito firmes e no momento certo, com toda certeza o Filho do Homem se apresentará glorioso nas nuvens e sua igreja será levada da terra. Uma mensagem importante é que independente do que pregamos ou ensinamos sobre escatologia, fim dos tempos, volta de Cristo, milênio e etc… o que será, será por causa da fidelidade de Deus. Acertaremos em muitas coisas e erraremos em tantas outras, o que não pode acontecer é não participarmos do que Deus tem preparado para nós.

Senhor, obrigado por sua graça e bondade. Estamos aguardando os tempos se cumprirem e trabalhando para que mais vidas sejam alcançadas e transformadas pelo poder de tua Palavra e participem da eternidade do lado bom e planejado por ti. Nos fortalecemos em ti e na força do teu poder, e perseveraremos na fé dia após dia, até a tua volta. Oramos agradecidos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Fizeram Como Ordenado

Meditação do dia: 19/11/2022

“E todos os filhos de Israel o fizeram; como o Senhor ordenara a Moisés e a Arão, assim fizeram.” (Ex 12.50)

Fizeram Como Ordenado “Gostei de ver! É assim que se faz! Estão de parabéns e continuem assim!” Sem querer correr o risco de ser herético ao acrescentar algo às Escrituras, mas essas palavras iniciais, bem que poderiam ser atribuídas no texto bíblico em menção honrosa aos israelitas. Para nós, que estudamos as Escrituras com propósitos de aprender, edificar e crescermos na comunhão com Deus, é muito gratificante ver quando as pessoas fazem as coisas exatamente como lhes fora ordenado por Deus, quer diretamente, ou por meio de mensageiros e servos, que lhe representem. Era uma cerimonia solene, importante, cheia de significados e não observância de alguma parte ou instrução, poderia acarretar até mesmo a morte de alguma pessoa; mas deu tudo certo, porque todos, em todos os níveis de conhecimento, experiencias, capacidades ou a falta delas, se esforçaram e agiram com determinação e obediência. A motivação foi grande, tanto de celebrar, como de obedecer as instruções e ver o agir do Senhor, ainda no meio da noite, fazendo com que todos os lares israelitas estivessem seguros, em paz e comunhão com Deus, mas também entre as famílias, reunidas para uma refeição especial, a primeira de muitas de sua história, que seria perpetuadas para sempre. Historicamente era uma data super especial; espiritualmente era o grande dia da libertação do povo, com a consequente jornada sendo iniciada ainda de noite, com escuro, sem perda de tempo. Estamos falando de fazer a obra de Deus; qualquer que seja ela, no entendimento de cada um dos filhos de Deus, é necessário fazer plenamente e com toda obediência aos detalhes que podem não ser claros para a mente e a vontade humana, mas podem ser límpidos e cristalinos para a fé, no coração de cada um. A nossa confiança no caráter de Deus, não deixa dúvidas de que Ele merece nossa cooperação. Deus se basta a si mesmo; mas ainda assim, escolhe contar conosco em parcerias muito importantes para a consecução de sua vontade. O privilégio é nosso! Isso deve ser acolhido com alegria e reverencia, porque é graça imerecida e agradar a Deus é muito bom! “Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração” (Sl 40.8).

Senhor Jesus, embora essas palavras do Salmo digam respeito profeticamente ao Senhor, elas também fazem a alegria dos nossos corações, quando conseguimos agradar ao Pai em tudo, porque Ele merece, é digno e podemos trabalhar para lhe ser agradável. Graças te rendemos e bendizemos o teu nome, por tua obra perfeita e completa lá na cruz e através da graça do Pai e da ação poderosa do Espírito Santo, os pecadores se convertem a ti e o Evangelho cumpre o seu papel. Te agradecemos, te coração, amém.

Pr Jason

Naturais e Estrangeiros

Meditação do dia: 18/11/2022

“Uma mesma lei haja para o natural e para o estrangeiro que peregrinar entre vós.” (Ex 12.49)

Naturais e Estrangeiros – Determinados textos da Bíblia nos remete de imediato a outros e à verdades que passam quase que desapercebidos em nossas rotinas de leitura e estudos, mas quando paramos para apreciar as pequenas porções, nos deparamos com essas partes deveras interessantes e edificantes. Nada na Bíblia e por acaso ou acidente de percurso. Quase sempre olhamos para as coisas com um olhar micro, reducionista, mais focado no agora, no perto e que nos diz respeito ou temos interesse no momento. Deus, é claro não tem esse problema, e contempla tudo por todos os ângulos simultaneamente, de modo que nada lhe escapa ou deixa de ser cuidado. Deus ama todas as pessoas, porque todas elas foram criadas por ele e são sustentadas por sua graça e poder; ele tem propósitos para com cada uma individualmente, seu foco de amor é personalizado, e ninguém está fora do seu campo de visão e ação. Somos nós, humanos, que setorizamos as coisas e tentamos enquadrar até mesmo a Deus em nossas caixinhas ou quadrados. Colocamos rótulos e marcas em quem entendemos pertencer a Deus e esses são privilegiados; temos os que são próximos de Deus e da verdade, eles “podem” ser abençoados, mas não tanto quanto… tem os que dizemos que Deus tolera e os que ele suporta e aqueles que à nosso ver, estão totalmente fora do esquema. Isso não tem muito de verdade, é mais uma visão distorcida da verdade e de como Deus lida com povos e nações. Deus ama e quer o bem de todos e o pecado é um mal generalizado que não faz bem a ninguém e a nenhum povo, tribo ou nação. “Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gl 3.26-28). Cristo é um fator nivelador, que recebe a todos os homens na condição de pecadores perdidos e se apresenta como substituto para suas condenações e oferece a sua justiça, para que todos possam ser aceitos diante de Deus Pai, em igualdade de condições. Aos Colossenses, Paulo repete essas citações, e enriquece o nosso conhecimento. “Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo, e em todos” (Cl 3.11). Ao celebrar a Páscoa lá no velho Egito e posteriormente, as pessoas fora do círculo hebraico, foram contemplados, porque o amor e a graça salvadora está disponível a todos e em qualquer tempo e lugar. Deus não leva em conta o passado e aceita o arrependimento e a conversão de todos em todo lugar. “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos” (At 17.30,31). Todos podem celebrar a festa do Senhor!!

Obrigado, Pai amado, por nos aceitar em Cristo, que ao se oferecer lá na cruz removeu as barreiras que nos separava de ti pelos nossos pecados e também nos separava uns dos outros; agora podemos amar e ser amados, porque a graça do Senhor nos acolheu e podemos recomeçar com uma nova vida, totalmente transformada. Amém!!

Pr Jason

Lidando Com Exceções

Meditação do dia: 16/11/2022

“Porém se algum estrangeiro se hospedar contigo e quiser celebrar a páscoa ao Senhor, seja-lhe circuncidado todo o homem, e então chegará a celebrá-la, e será como o natural da terra; mas nenhum incircunciso comerá dela.” (Ex 12.48)

Lidando com as exceções – Toda regra tem suas exceções, afirma a sabedoria popular, na verdade é o dilema dos paradoxos da filosofia; querendo dizer que tudo que ocorre, não ocorre sempre. Quando lidamos com verdades espirituais cujas origens vem de palavras divinas e nesse caso, sendo ele, eterno, imutável e conhecedor de todas as coisas, incluindo todas as possibilidades, ainda assim encontramos a sua permissão para ajudar os homens em suas ambiguidades, limitações e fraquezas. Assim, o benefício é favorável ao ser humano. Aqui estamos tratando da celebração da Páscoa e era a primeira vez que essa celebração ocorria e suas prescrições estavam sendo ditas agora e já antecipando os casos de exceções que poderiam ocorrer já nessa vez ou nas próximas vezes. Entre os israelitas que estavam se aprontando para partir em direção à Canaã, e já haviam recebido as instruções da celebração da páscoa, bem que poderia acontecer de algum estrangeiro, que sendo amigo da família, estava também com intenção de viajar junto com eles, e também queria estar sob a proteção oferecida por Deus às famílias israelitas através da aspersão do sangue do cordeiro pascoal, aplicado nos umbrais das portas. Sendo essa pessoa estrangeira, ela desejava participar e poderia, desde que assumisse a responsabilidade de cumprir as determinações dadas por Deus; no caso, teriam que se circuncidar, alcançando assim um status semelhante ao dos hebreus naturais. A circuncisão era um pacto celebrado entre Deus e Abraão e seus descendentes por todas as gerações. Essa pessoa estaria então assimilando a aliança de Deus com seu povo. Simbolicamente, a circuncisão para os hebreus, era uma afirmação de fé e obediência à Palavra e ao pacto dele com esse povo. Fisicamente, uma pequena cirurgia marcava o cumprimento do ritual, mas a validade mesmo estava na atitude de fé, que só pode ser visto e medito pela atitude dos corações. “Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus (Rm 2.28,29). Escrevendo aos filipenses, o apóstolo Paulo foi ainda mais incisivo sobre o mesmo tema: “Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne.” (Fp 3.3). Ninguém então estão desconvidado ou impedido de celebrar sua fé diante de Deus. Estando ela interessada em participar, ela é acolhida e estimulada a servir a Deus igualmente a todos os demais, mas deve submeter-se à verdade de Deus. Não se pode servir a Deus nos próprios termos, cada um fazer a sua regra e desconsiderar a sabedoria e a revelação do Senhor. Sempre foi assim e sempre será assim.

Obrigado Pai, por nos convidar a participar da tua mesa e das tuas provisões abençoadoras. Nossas vidas são redimidas com base no sacrifício que o Senhor Jesus fez lá na cruz. Somos nós, os pecadores que estávamos perdidos e fomos encontrados por ti e assim, podemos nos submeter às tuas regras, leis e estatutos, porque o Senhor é justo em tudo que faz e igualmente santo. Oramos agradecidos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason