Raquel Era Estéril

Meditação do dia: 21/02/2020

 “Vendo, pois, o Senhor que Lia era desprezada, abriu a sua madre; porém Raquel era estéril.(Gn 29.31)

Raquel Era Estéril – Com o passar do tempo, as coisas mudam, os valores mudam e aquilo que era apreciado passa a ser depreciado; aquilo que era rejeitado passa a ser acolhido e valorizado. A vida da sociedade vive de ciclos, e em cada etapa algo aparece e depois desaparece e como disse Salomão, O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós (Ec 1.9,10). Incluo aqui, a fertilidade humana – ter muitos filhos até a pouco tempo era sinal de bênção, saúde, era privilégio, causava inveja em quem não podia ter ou tinha poucos. Estamos vivendo dias em que isso não é mais desejado, ao contrário, é recusado, ter filhos já é considerado um estorvo para a carreira profissional, realização pessoal, fora o custo financeiro. Até casais cristãos, e solteiros cristãos estão cultivando essas idéias e dizem estarem preocupados em construir um mundo melhor – mais vai deixar esse mundo melhor para quem? Para que? Isso contraria os propósitos divinos para a vida de todos. Não estou fazendo apologia a encher a casa de crianças e agir sem responsabilidades. A vida no sentido biológico, procura realizar sua maior vocação, que é a reprodução de sua espécie, para assim continuar existindo. Mas hoje vamos falar de situações que Raquel teve que enfrentar na sua vida e que os filhos de Deus e seus ministérios passam por experiências semelhantes e precisamos saber como agir, com base na experiência de quem foi vencedor. Raquel descobriu que era estéril e isso para aquela época era algo muito triste para uma mulher e sua família. Gerar filhos fazia parte das bênçãos de pessoais e familiares. Ela se casara com um homem diferente dos demais, pois ele existia para cumprir uma chamada divina, de gerar filhos que se tornariam uma grande nação. Ele tinha uma aliança pessoal com Deus, assim como seu pai antes dele e o avó, também. Não se tratava de uma convicção fanática ou idéia obsessiva de alguém com mania de grandeza e poder. A tia dela, Rebeca, fora buscada para fazer parte dessa aliança e também lutara contra a esterilidade e por fim, em resposta de orações, veio a ter dois filhos, e um era exatamente o marido de Raquel. A expectativa dela era de ter filhos com o homem que ela amava, pois isso contribuiria para a promessa de Deus da qual ela agora também fazia parte. Não gerar filhos abriria uma porta favorável a possibilidade de uma outra esposa consorte, que na verdade já estava de posse desse direito, sua irmã mais velha, que também estava lutando sua própria batalha para ter filhos e legitimar seus direitos como esposa. É bom entendermos, que se por um lado elas tinham obstáculos de ordem física e biológica, para gerar filhos, Jacó tinha fé e a promessa de Deus, de que ele voltaria para Canaã com muitos filhos. Aqui está a vida real querendo contradizer as promessas de Deus. As dificuldades para se realizar coisas boas sempre existiram e sempre existirão. Não era só esterilidade física e biológica tentando atrapalhar a vida de Jacó e sua família. Por trás dessa cortina de “coisas naturais” estava os planos de alguém querendo frustrar os planos de Deus para a vinda do Messias, o Cristo. Se aquela era a linhagem da promessa, seria dali que surgiria aquele que esmagaria a cabeça da serpente. A aparente naturalidade de coisas, pode estar ocultando uma ação orquestrada do mal. Mas se o maligno tinha sua mão peluda naquilo, também havia a poderosa mão de Deus. Quem criou o homem e a mulher e os abençoou e deu-lhes o mandado cultural de crescer e se multiplicar, tem os meios de contornar problemas no percurso. Deus sempre tem a última palavra para nossas vidas! Não importam as decisões e declarações certeiras da ordem natural, pois um mover sobrenatural é capaz de reverter tudo. Os planos de Deus a existência de Israel como nação escolhida, passava pelo ventre estéril de Raquel, pois ela seria a mãe de José, que garantiria a sobrevivência de todos anos mais tarde no Egito. Eu não sei nada do futuro e não posso ver nada lá na frente, nem eu e nem você; mas sabemos que Deus está no controle da nossa história e de toda a história. Assim, dá até para ser fatalista e dizer: “O que tem de ser, será!” Faz com que a mulher estéril habite em casa, e seja alegre mãe de filhos. Louvai ao Senhor (Sl 113.9). Ele pode!

Senhor, nada e ninguém pode impedir o teu agir e o teu maravilhoso plano se concretizar. Dentro da tua perfeita vontade, todas as coisas são possíveis e mesmo com as nossas limitações, fazemos parte de algo muito maior do que nós mesmos e muito mais importante do que aparentemente compreendemos. Nossas fraquezas e limitações não são empecilhos diante de ti. Nos consagramos a permanecer disponíveis para sermos tudo aquilo para o qual fomos criados e assim teus propósitos se hão de cumprir em nós e através de nós; pois através da igreja a tua multiforme graça se revelará trazendo salvação e glória. Oramos em fé em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Raquel X Lia

Meditação do dia: 20/02/2020

 E possuiu também a Raquel, e amou também a Raquel mais do que a Lia e serviu com ele ainda outros sete anos. (Gn 29.30)

Raquel X Lia – Por que sempre alguém tem que ser contra alguma coisa? Uma boa pergunta, para ser respondida com precisão, necessita de enveredar por muitas informações e pesquisas, desde as ciências do comportamento humano, até as intrincadas teias da teologia. Para dizer que não falei das flores, tudo começou lá no Jardim do Éden, não com Eva e sua irmã, pois ela não tinha irmã; mas com o pecado que corrompeu as emoções e deteriorou as relações entre as pessoas. A desconfiança faz com que todos se tornem suspeitos e possíveis concorrentes ou mesmo rivais, quando não, inimigos. Já que nesta vida nada se cria, mas tudo se copia, Raquel por algum tempo da sua vida espelhava-se na mãe como figura feminina modelo, e na irmã mais velha, pois como todas as outras pessoas, “quando eu crescer, quero ser igual a você!” Como não temos elementos descritivos de traços das personalidades de Lia e Raquel, nem mesmo fragmentos, como temos de Labão, o pai delas; dele podemos deduzir com certeza, que era ambicioso, avarento, trapaceiro de mão cheia e tirar vantagens em benefício próprio era com ele mesmo. Mas das filhas, temos poucos diálogos e poucas informações, mas ainda assim podemos ler nas entrelinhas; se a cultura ou costume local não permitia que uma filha se casasse antes da mais velha, então podemos pensar que a Raquelzinha, encontrar um amor e ter uma proposta de casamento muito boa, não deve ter caído bem para Lia. Mesmo que durante sete anos do trabalho de Jacó em pagamento do dote, fosse muito tempo, não foi o suficiente para Lia arranjar um pretendente e se casar, liberando assim a irmã mais nova. Aqui pode estar um gatilho para o acirramento dos ânimos entre elas. Digamos, que um delas tivesse gênio forte e fosse pirracenta, ou provocativa? “Alguém vai ficar pra titia!!!” Se a outra replicasse: “sabia que se eu não casar, você também não! E saiba que eu não estou com pressa!” Não importa, a vida não é como a gente gostaria que fosse, ou como planejamos que seja; a vida é como ela é, e ponto. Resumindo: As duas se casaram. E embora marido e “mulheres,” com permissão cultural para bigamia; no fundo o clima era que Jacó se casara com a cunhada e depois com a noiva amada. Raquel perdeu a irmã e ganhou uma rival pela disputa da afeição do marido e agora as duas lançava mãos de todas as armas que podiam para ficar com a fatia maior do bolo, quer dizer, do marido. O marido amava as duas, mais Raquel era mais amada e essa diferenciação fez crescer o sisma entre elas. Vamos ficar com o mais simples, olhando a vida e a caminhada de fé, com as variações que não estava nos planos de ninguém, mas surgiram e agora é isso que temos e é com isso que temos que lidar. Como lidar com as surpresas que aparecem e mudam os planos? Pais que precisam cuidar dos filhos sozinho, por razões circunstanciais fora de seu controle – mães que precisam se desdobrar para exercer os dois papeis de pai e mãe e manter a unidade da família – filhos que precisam assumir um papel de liderança ou arrimo familiar e tem que abrir mão dos sonhos e carreira por um dilema que caiu em sus mãos – crianças que precisam amadurecer cedo demais pelo peso das responsabilidades que se lhe apresentaram. Não vamos alistar aqui situações mais dolorosas que envolva pecados e destruições marcantes. Muitos de nós, ou entre nós, lidam com isso todos os dias. A nossa fé precisa ser forte o bastante e o suficiente para nos suportar e manter focados nos propósitos maiores e eternos de Deus. Sabendo que Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar (1 Co 10.13).

Obrigado, Senhor, por sermos mais do que vencedores em Cristo Jesus. Podemos vencer e prevalecer pela fé no Deus que supre tudo em todos  e é justo em todos os seus caminhos e santo em todas as suas obras. Nada está fora do seu olhar e do poder de suas mãos, operando Ele, quem impedirá? Somos teus filhos e somos preciosos diante de ti e ninguém pode tirar essas bênçãos de nossas vidas, porque foram nos dadas pela sua generosidade. Somos amados, aceitos e acolhidos na casa do Pai, na sala do trono e encontramos perdão e graça e ajuda no tempo oportuno. Somos fortalecidos no Senhor e na força do seu poder para andarmos de vitória em vitória, todos os dias, até a consumação dos séculos, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Raquel Ganhou Mas Não Levou

Meditação do dia: 19/02/2020

 E disse Labão: Não se faz assim no nosso lugar, que a menor se dê antes da primogênita. (Gn 29.26)

Raquel Ganhou Mas Não Levou – Não adianta indignação e nem pedidos de explicação; essa história tem lá seus mistérios e seus segredos, que nossa razoabilidade não alcança. Mas hoje quero escrever sobre algo que não está escrito, não há qualquer menção e não deixa de estar ali, bem diante de nossos olhos. Raquel, sim, quero escrever sobre Raquel, a filha menor de Labão, a moça por quem Jacó se apaixonou e serviu por sete anos para ter o direito de se casar com ela. O casamento aconteceu, mas não aconteceu; houve uma festa com convidados e tudo mais, mas o que de fato aconteceu ninguém sabe, ninguém diz e também ninguém pergunta. Há um intervalo de tempo, da tarde até a manhã do dia seguinte, que é nublado, um nevoeiro de mistério e que nesse tempo aconteceu de tudo, inclusive nada. O dia do casamento é considerado o dia dos noivos, mais forte ainda para a noiva; ali está resumido todos os sonhos, todas as lutas e toda uma história que os levaram até aquele dia onde nada deveria dar errado e não deveria haver qualquer tipo de decepção. Mas eu lhes faço uma pergunta: Onde estava e onde esteve Raquel nesse tempo todo? Se eu for lançar mão da minha criatividade imaginativa, posso não acertar nada, mas não posso deixar de tentar. O noivo foi se arrumar, a noiva também, a cultura pedia certos mistérios de véus e grinaldas e aquelas histórias de “dá azar ver a noiva antes do casamento.” Jacó seguiu esse protocolo; Raquel também. Mas a noiva que apareceu não foi Raquel e a substituta estava tão bem no papel que nada foi descoberto da traição que estava armada. Será que Raquel não sabia desse aspecto da cultura local? Ela e Jacó nunca falaram sobre isso? Ela e ninguém avisou Jacó, que tinha um costume local a ser seguido naquele tipo de casamento? Ela fora sequestrada, chantageada para não dizer nada? Onde a esconderam? Dá para imaginar como Raquel ficou emocionalmente, na noite de seu próprio casamento, se ver obrigada a ver sua irmã tomando o seu lugar? Ela poderia pensar: “Já que tudo estava dando errado, quem sabe Jacó descubra que não sou eu!!” Deve ter sido uma longa noite de choro e indignação! Quem de nós consegue se identificar com Raquel se imaginando no lugar dela, o que faria eu? O que faria você? Será que isso tem à ver com a convivência da Igreja de Cristo com a Igreja falsa, apóstata no meio dos verdadeiros cristãos? Esse maldito joio não pode ser arrancado e temos que conviver com ele, e eles provocam, pirraçam, atrapalham e se impõem como sendo parte do todo. Confesso que tenho que exercitar a minha fé e disciplina para não viajar longe demais na busca por essas respostas. Temos que olhar o projeto como um todo e não nos fixarmos em um detalhe, que aparentemente, com um olhar totalmente ocidental e quatro mil anos de diferença, não tem o mesmo peso. Nossos irmãos e irmãs da igreja perseguida em muitos lugares do mundo, sabem muito mais sobre injustiças, torturas e dores do que nós. Aprender com situações que foge ao controle, e manter o foco na missão e crer ainda que não possa explicar. Raquel se sentiria traída por todos, pai, irmã, noivo, servas e convidados. Mas o interessante é que ela não viu ali o fim de sua vida; nem que sua vida fora arruinada! Raquel, só você sabe como foi!

Senhor, somos gratos pela sabedoria como o Senhor dirige todas as coisas e faz com elas cumpram propósitos nobre e elevados. Hoje nosso olhar e imperfeito e nossas emoções torcem os fatos para alinhar com aquilo que gostamos, apreciamos e entendemos. Nossa cultura é um valor, e nela vivemos e nela fomos salvos e chamados para servir; excetuando os pecados e males, todos os povos tem seus aspectos culturais que os identificam e um dia estaremos todos diante do trono, povos de todas as raças, línguas, tribos e nações, adorando aquele que se assenta no trono e ao Cordeiro. Até esse dia, permita a gente discernir o que de fato importa e faz diferença para o bem de todo o plano de redenção em Cristo Jesus, em nome dele oramos e adoramos, amém.

Pr Jason

Raquel Era Amada

Meditação do dia: 18/02/2020

 E Jacó amava a Raquel, e disse: Sete anos te servirei por Raquel, tua filha menor.(Gn 29.18)

Raquel Era Amada – A química entre Jacó e Raquel foi instantânea! Se alguém quer algum crédito para a teoria de amor à primeira vista, aqui está uma e muito forte! Os adeptos da “alma gêmea” também encontra aqui um sólido alicerce para construir seu castelo de sonhos e quem sabe esperar pela sua metade da laranja, ou a tampa da sua panela. Mas que o amor faz muito bem a qualquer pessoa e contribui para sua alto estima e dá esperança de ser feliz para sempre, embora na prática o amor romântico tem sempre umas pitadas de dor e separações doloridas. Mas ninguém nega que o amor e a paixão tem produzido muitas obras e peças artísticas maravilhosas. Mesmo para nós do ocidente liberal e subversivo, onde não se aceita nem pensar em casamento de cartas marcadas e escolhas às cegas feitas pelos pais e os famosos arranjos que causam arrepios, ainda assim não podemos negar todas essas coisas aconteceram e ainda acontecem até mesmo nos dias modernos. Pessoas que vão morar no exterior, por razões de imigração se valem de convenientes casamentos para permanecerem ou ganharem vantagens de cidadania. Isso nos tira o direito de pensar que os povos do oriente antigo e atual também foram e são muito radicais com os jovens e seus sonhos. Mas olhe exemplos como o mais famoso conto romântico, “Mil e uma noites,” é muito oriental; o belíssimo monumento indiano do Taj Mahal, é um palácio edificado em memória de um grande amor. Temos na Bíblia peças lindas sobre a descrição do amor, como até um livro inteiro sobre um romance muito intenso e que é uma alegoria sobre o amor de Deus pelo seu povo ou da união de Cristo e a igreja, sua noiva. O registro do Livro de I dos Reis sobre a grandiosidade do Rei Salomão descreve que suas habilidades como poeta, dizendo: E disse três mil provérbios, e foram os seus cânticos mil e cinco (I Rs 4.32). Como compositor ele escreveu mil e cinco canções, mas uma dessas obras ficou imortalizado como “O Cântico dos Cânticos de Salomão.” Isso não chega a ser uma novidade, pois a Bíblia inteira é a narrativa da maior história de amor de todo o universo; Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo 3.16). Podemos ver em Raquel, um tipo da igreja como noiva de Cristo, que é encontrada e reconhecida e por quem o amor do amado é desmedido e exige dele um grande sacrifício que ele o faz sem achar pesado ou demais, tal era o valor que ele lhe atribuía. Esse lado do valor que Jacó demonstrou por Raquel e propôs um dote em forma de trabalho ao pai dela, que mesmo sendo um homem materialista e avarento, não fez nem contraproposta, indicando que era acima do esperado. Essa figura se repete em muitas outras alegorias nas páginas sagradas. O preço que foi pedido por nós é imenso e o amor de Deus aceitou pagar e pagou um alto preço. O pecado se encarregou de cegar os olhos humanos que desmerecem a si mesmos e atribuem pouco valor a si mesmos e usam isso como motivos das desmerecer o amor de Deus. Somos preciosos e embora a depravação causada pelo pecado, arruinou a criação toda, mas o Criador continua olhando para nós e vendo o que não vemos e disposto a pagar o que não acreditamos valer. Mas agora que somos novas criaturas, temos a mente de Cristo e as coisas velhas já passaram e tudo se fez novo, então podemos acolher o amor e a aceitação de Cristo para conosco e experimentar os benefícios do seu sacrifício na cruz. Raquel podia se ver pelos olhos e gestos de Jacó que a via como ninguém mais, independente das evidencias contrárias ditas pelo pai, pela irmã e pela cultura vigente. Nós podemos nos ver pelo olhar de Cristo, da mesma forma que o Pai nos vê pelo filtro do Calvário, independente do que as pessoas dizem de nós, do que a sociedade diga, do que nossas raízes digam ou até nós mesmos. O que vale mesmo é crer que “…Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu (Ct 6.3).

Senhor, graças ao teu infinito amor estamos salvos e com todos os benefícios que a obra de Cristo no Calvário nos garante. Não há de nossa parte, nenhum merecimento, mas cremos e abraçamos a graça de Deus que nos deu vida em Cristo Jesus. As nossas palavras não expressam com precisão o quanto é grande o teu amor e nem o entendemos no todo, mas aceitamos pela fé, que somos amados, aceitos, acolhidos no Pai. Agradecemos o apoio, conforto e consolo que o Espírito Santo nos dá e assim nos mantem ligados no amor do Pai e do Filho e desfrutamos dessa perfeita comunhão. Obrigado, por tão grande amor. No nome poderoso de Jesus, amém!

Pr Jason

A Formosa Raquel

Meditação do dia: 17/02/2020

 Lia tinha olhos tenros, mas Raquel era de formoso semblante e formosa à vista. (Gn 29.17)

A Formosa Raquel – O conceito de beleza é algo tremendamente subjetivo. O que é para um, necessariamente não o é para outro. Já o antigos diziam que “Quem ama o feio, bonito lhe parece!” Como pertenço ao grupo dos feios, fico bem a vontade para falar de algo que conheço bem, não é nada bonito ser feio; mas isso também passa, pois os anos se encarregam de corrigir algumas distorções e a gente melhora bem. Já li, que o conceito de beleza física, do rosto por exemplo, na verdade é uma espécie de padrão adotado pelo cérebro, que funcionando rapidamente como um computador poderoso, calcula traços e simetrias, como esses utilizados por câmeras para reconhecimento facial. Assim, cada cabeça tem seu próprio padrão, e assim que os olhos vêm um rosto com aquele padrão ele o reconhece como bonito, mesmo que isso divirja da opinião de outros. Mas como isso não é uma página de dicas de beleza, aqui se trabalha sério e valoriza mais o conteúdo do que o vaso, a meditação cristã visa reflexão sobre os propósitos de Deus para nossas vidas e as qualidades e dons que foram distribuídos generosamente para cumprir funções específicas e especiais. As Escrituras contém registros interessantes sobre muitos aspectos da vida humana e os padrões que se celebram e normalmente eles são citado nos registros sagrados, quando cumprem um papel dentro da narrativa que ligará isso a outras informações que a tornam relevante. Por exemplo: Até me lembro, Sara é a única mulher na Bíblia que sua idade é mencionada. Mesmo com tanta importância e badalação, só temos registro de um Davi em toda a Bíblia. A beleza humana, no contexto da redenção, é bem mais do que herança genética e combinação de traços familiares de pais e mães. Por vezes vemos isso sendo utilizado como um dom, para um propósito específico, como no caso da rainha Ester. Uma pessoa com uma coragem, caráter e capacidade de lutar por uma causa tão importante como evitar a aniquilação de um povo todo, só foi possível porque ela tinha beleza e graça o suficiente para ganhar o concurso de miss e cair nas graças do rei. Ela não se achava melhor e nem mais bonita ou importante do que outras moças e mesmo chegando ao palácio ela não tirou vantagens disso e nem o poder da beleza lhe subiu à cabeça. Ela sabia que estava ali, por uma propósito divino e sua beleza física e boas maneiras, graciosidade eram acessórios que lhe davam acesso ao coração do rei, que só depois ele e as demais pessoas reconheceram que ela era mais do que um rostinho bonito. Raquel, acredito vai pelo mesmo caminho, ela trabalhava duro na lida pastoril e aquilo não a diminuía e nem a colocava em situação de desprezo, mas foi ali, no trabalho, cheirando ovelhas e bodes, que ela encontrou alguém que tinha olhos apurados para ver a beleza da pastora e além dela. Não é por acaso que o amor de Jacó e Raquel é um dos contos de amor mais emblemáticos e ficou na história. Certo poeta disse que o amor é sempre eterno, ingênuo e pueril; por mais que chegue até sete anos, como o de Jacó e Raquel, nunca chega a ser adulto. Poetas, são poetas e eles tem licença para dizer coisas que só valem na poesia. Mas, o outro lado da moeda, não é a feiura, mas a ausência de reconhecer o valor pessoal e o seu lugar na vida e sua importância naquilo que deve colaborar. A distorção de valores, leva a pessoa a focar naquilo que ela não tem, e cobiçar a porção alheia, ao invés de valorizar o poder e a importância dos atributos que tem e como eles a tornam importante, amada, aceita e especial. Tudo foi distribuído corretamente e a cada um as ferramentas que lhe possibilitam o sucesso na sua jornada. Sabendo que somos feitos artesanalmente por Deus e com características tão específicas que não se repete em nenhuma outra pessoa no mundo, isso sim, é que deve ser celebrado. Imagine-se uma peça da maior e mais fantástica coleção, onde nenhuma peça se repete e todas igualmente preciosas, valiosas, amadas e caras, a tal ponto do dono sacrificar qualquer outro bem maior que tenha, para salvar uma dessas peças! Eu sou extremamente valioso, por causa daquele que me criou; por causa daquele que me ama e por causa daquilo que foi pago por mim. Sou único, sem igual e tem um plano feito sob medida só para mim. Sou ou não sou especial? Como você se vê? Quando a mim, está escrito que ao terminar, Deus disse que ficou muito bom! Ele entende de beleza, então, concordo com ele. Só e tudo isso.

Pai, obrigado por em fazer como sou, me dar o que tenho e permitir que eu desenvolva todo um potencial que há dentro de mim, colocado ali desde a eternidade. Sou criado a tua imagem e semelhança e tenho propósitos, não sou obra do acaso e nem um acidente de percurso, erro de planejamento ou qualquer outra coisa, senão obra das tuas mãos. Sou amado, sou aceito, sou útil e abençoado e estou vivendo no tempo e no lugar destinado a mim. Sou uma bênção e posso abençoar tantos quantos estão ao meu alcance. Obrigado pela redenção em Cristo Jesus, que agregou mais valor ainda a minha vida. Sou para o louvor da tua glória e assim o será para todo o sempre. Amém.

Pr Jason

As Duas Filhas de Labão

Meditação do dia: 16/02/2020

 E Labão tinha duas filhas; o nome da mais velha era Lia, e o nome da menor Raquel. (Gn 29.16)

As Duas Filhas de Labão – Estamos falando de pessoas, famílias e de suas histórias. Elas tomam determinada importância, porque suas vidas cruzaram a linha do plano de redenção, que passava pela família de Jacó. Veja bem que os propósitos divinos para uma pessoa são de abençoá-la, e dar-lhe dignidade e honra, mesmo que ela não saiba disso e nem esteja trabalhando para isso. Tudo passa a ter sentido quando ela fica disponível para servir aos propósitos eternos e assim, se alinha com a perfeita vontade de Deus. As chances de Raquel, fora da convivência com Jacó, seria completamente anônima, para nós e fora do circulo de influencia messiânica, tal qual aconteceu com seus irmãos, pois sabemos que elas tinham irmãos, anos mais tarde na narrativa, é registrado que eles juntamente como pai estavam ressentidos com o crescimento dos bens de Jacó em detrimento dos deles. Labão entra na contagem por seu irmão de Rebeca e estar lá quando Eliézer apareceu. Agora ele aparece, por seu o hospedeiro de Jacó e por acaso pai de duas filhas, Raquel e Lia. A bênção vai chegar às nossas vidas, não necessariamente pela nobreza do nosso nascimento, ou mesmo por estarmos numa linhagem, cujo peso do nome faça sentido. O amor de Deus para com as pessoas independe de suas linhagens, pois Deus não faz acepção de pessoas. E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas; Mas que lhe é agradável aquele que, em qualquer nação, o teme e faz o que é justo (At 10.34,35). Por outro lado, sabemos que o cuidado de Deus em providencias todas as coisas para que seus planos não sejam frustrados, é tão grande que Ele trabalha em várias frentes ao mesmo tempo, enquanto nós temos um olhar linear da história e dos fatos. Só sabemos o que está diante de nós e aquilo que nos é informado simultaneamente. Nossas escolhas e ações estão margeadas pelas possibilidades limitadas do nosso conhecimento e dos planos que podemos arquitetar dentro desses limites; exceto isso é lidar com o imprevisível, imponderável e fora do nosso radar e assim as chances de dar certo, existem, mas estão fora de controle. Jacó saiu de casa para fugir de uma confusão, faria sentido trabalhar para que a aliança de Abraão e Isaque fosse mantida em mente e assim Isaque e Rebeca os abençoaram para ao chegar na casa do tio, se estabelecesse e constituísse família e assim os propósitos se manteriam e ao retornar para casa, tudo voltaria ao plano original. Mas eles, os pais, e o próprio Jacó, não tinham conhecimento prévio da existência de duas moças tais que atendessem o chamado divino do filho. Há aqui, a vontade muito específica de Deus para Jacó, dentro da aliança; e há também a margem de escolhas que ele poderia fazer livremente que não comprometeria nada e contribuiria positivamente para o sucesso do mesmo. Ele poderia ter se casado só Raquel como desejava e a vida seguiria seu curso; eles iriam batalhar contra a infertilidade dela, o que não era nenhuma novidade naquela linhagem, uma vez que Sara e Rebeca, traziam essa carga genética e a possibilidade dela aparecer em Raquel ou Lia, era grande e normal. A questão da fé é que Deus pode contornar os obstáculos que a vida apresenta, para que a totalidade e o cerne do que de fato importa não seja alterado. Labão tinha duas filhas, Jacó conheceu a mais nova primeiro e quando conheceu a segunda, já tinha uma preferencia definida. Mas ambas seriam instrumentos para os propósitos da aliança.

Senhor, obrigado pela clareza dos teus planos e propósitos, nos quais nossas vidas são colocadas à disposição. Somos teus filhos, comprados pelo precioso sangue de Jesus, que se ofereceu em sacrifício definitivo, único e perfeito para todo sempre. Não há salvação fora de Jesus e não reconhecemos outro Deus além de Ti. Nossas vidas tem sentido e propósito justamente por causa da obra de Cristo e do teu amor para conosco. Nossa gratidão e nosso reconhecimento pela tua infinita graça. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Raquel: “Vou Contar Para o Meu Pai”

Meditação do dia: 15/02/2020

 “E Jacó anunciou a Raquel que era irmão de seu pai, e que era filho de Rebeca; então ela correu, e o anunciou a seu pai. (Gn 29.12)

Raquel: “Vou Contar Para Meu Pai!”  – Gosto muito de um versículo de Salmos, que fala da alegria de se viver, e especialmente viver sabiamente aquilo que Deus fez para nós e por nós; isso é sabedoria e fé” Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele. (Sl 118.24). Sabemos que o Senhor é bom e sempre nos presenteia com alguma surpresa maravilhosa que muda a nossa vida. A caminhada de fé é uma jornada excitante e estimulante, porque com Deus não há rotina e mesmice, que torna enfadonha a experiência. Muitas das nossas orações e das nossas expectativas irão acontecer assim que dobrarmos a próxima esquina, ou no próximo por do sol e quem sabe no amanhecer após uma noite difícil. Raquel cuidava dos rebanhos e por mais que isso fosse agradável e proveitoso, não era isso que ela sonhava para sua vida; o corpo e a atenção estava ali na lida pastoril, mas o sonho, a imaginação e a fantasia estava bem longe. No coração daquela jovenzinha, ela queria o melhor e bem mais do que tinha em mãos e aquilo ainda não era seu, era do pai, da família. Olhando ao seu redor, o cenário que via todos os dias era o mesmo e o mesmo á séculos, tudo rodava do mesmo jeito, com os mesmos finais; mas isso não era para ela, não era o que imaginava e orava por mudanças tão radicais, que nem ela mesma sabia como isso poderia acontecer. Os colegas pastores ou eram velhos, cansados, conformados com aquela vida; ou eram jovens que ainda não tinham um ofício e um futuro seguro a oferecer melhorias. Casar e constituir família ali, seria seguir as tradições e a enfadonha rotina. Príncipes encantados ou parentes ricos vindo de longe para buscar uma moça bonita, não era normal e ela certamente já ouvira que “um raio não cai duas vezes no mesmo lugar!” Então, outro primo vindo de Canaã, para buscar outra moça, na mesma família e serem felizes para sempre, esquece! Você já ouviu isso também? Não é para você; não é para nossa família; não é para nossa igreja; vá cuidar da vida, esquece, ponha a cabeça no lugar e mantenha os pés no chão! Aquele dia, nasceu para Raquel como todos os outros; o sol saiu do oriente, aqueceu, a rotina de trabalho, da casa e tudo mais era exatamente o mesmo, e até teve que ir mais longe com o rebanho e por isso seria a última a chegar no poço para matar a sede do rebanho e poderia até atrapalhar o expediente dos demais pastores, o que poderia lhe valer uma bronca e importunação. Ao chegar ao poço, há um forasteiro conversando com alguns pastores e ele fica todo empolgado com a chegada dela e faz mais esforços do que os demais para remover a pedra e dedica especial atenção ao rebanho dela! “O que há com esse gringo!?” Pergunta ela para ela mesma. Então ele se aproxima e a cumprimenta mais calorosamente do que o normal para alguém que nunca se viu! Mas, aí vem a surpresa, reservada por Deus, caindo de bandeja nas mãos dela. Ele se apresenta como sendo um primo, vindo de Canaã, filho da tia sortuda que fora embora para casar com um jovem herdeiro de fortuna e fé. A reação é a de toda boa moça de família: “Vou correr e contar tudinho pro meu pai!” O que Deus tem reservado para você nesse dia que ele fez para você e eu nos regozijar nele? O dia ainda não acabou, então não desista e não desanima; se acabar esse, após cada noite, sempre tem um novo alvorecer, e com ele as misericórdias de Deus se renovam e as promessas se avizinham de se realizar! O seu dia vai chegar!

Senhor, obrigado por esse dia e pela renovação das tuas misericórdias e bondades para comigo e para conosco. Hoje é aquele dia, que o Senhor determinou para algo especial acontecer. Não vamos tirar os nossos olhos de ti, pois assim como os olhos do servo estão fitos nas mãos do seu senhor e os olhos das servas, nas mãos de sua senhora, assim, ó Deus, levantamos os nossos olhos e sabemos que o nosso socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra. Nesse dia, coisas boas e grandes irão acontecer! O Espírito de Deus está aqui, operando em nossos corações! Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Raquel, a Pastora

Meditação do dia: 14/02/2020

 “Estando ele ainda falando com eles, veio Raquel com as ovelhas de seu pai; porque ela era pastora. (Gn 29.9)

Raquel, a Pastora – Iniciamos uma nova etapa nas meditações, voltando um pouco nos capítulos de Gênesis, para encontrarmos com Raquel, uma pastora de ovelhas que entrou para a história e também para a nossa história, como uma pessoa muito querida e estimada, embora pouco se diz sobre ela. Sabemos que essa jovem era filha de um homem muito ambicioso e materialista, embora seguindo as tradições de seu tempo, se mostrava hospitaleiro e gentil com as visitas, mas ele era dado a ser um espertalhão e tirar proveito de tudo que lhe fosse possível. Raquel crescera ouvindo a história de uma tia, que tivera uma das mais lindas histórias de amor que se podia contar em todo o Oriente; Rebeca, irmã de seu pai, fora uma moça muito linda e prendada, que um dia encontrou sua oportunidade na beira de um poço, à tardezinha. Um mordomo de um tio importante da distante terra de Canaã, foi até Harã à procura de uma moça para se casar com o herdeiro de Abraão. Será que a história se repete? Será que frequentar aquele poço ou um outro lhe traria a mesma sorte? Talvez por ser a mais nova das duas irmãs, ficou encarregada de cuidar das ovelhas da família, e assim se tornou uma pastora de ovelhas e aprendeu a dureza do ofício, que muitas jovens como ela tinham que encarar para ajudar no sustento da família. Toda profissão e ofício tem os seus momentos difíceis e suas oportunidades boas. As vezes os colegas de trabalho não são boas pessoas e leais, compartilhando ajuda e proteção e o trabalho se torna perigoso e arriscado. Encontramos registros assim nos textos da Bíblia; como por exemplo, quando Moisés fugiu do Egito para Midiã, encontrou uma situação dessas: E o sacerdote de Midiã tinha sete filhas, as quais vieram tirar água, e encheram os bebedouros, para dar de beber ao rebanho de seu pai. Então vieram os pastores, e expulsaram-nas dali; Moisés, porém, levantou-se e defendeu-as, e deu de beber ao rebanho (Ex 2.16,17).  Esse favor de Moisés àquelas moças, lhe valeu uma hospedagem e uma esposa e uma família. Tudo indica que os pastores de Harã, contemporâneos de Raquel era mais amigáveis e solidários entre si, pois eles sempre esperavam a reunião de todos para facilitar o trabalho de todos. Minha primeira boa impressão de Raquel, vem do fato dela ser uma pessoa batalhadora, disposta e corajosa. Poderia ser uma sonhadora, romântica, mas era virtuosa. Pessoas visionárias e com atitudes vencedoras sempre existiram e sempre se destacaram entre as pessoas dos seus tempos. Há um tipo de pessoa que espera que a vida lhe favoreça e há outro tipo de gente que batalha para alcançar o favor da vida, transformando as situações ao seu redor com muito trabalho, esforço e fé. Não são de ficar com a boca aberta olhando para o céu e esperando ver se cai alguma coisa, elas vão à luta. Acredito que precisamos estar no lugar onde alguém enviado por Deus precisa nos ver para nos abençoar para alcançarmos as respostas das nossas orações e alcançarmos os resultados dos nossos sonhos e projetos. Não esperar o acaso, a sorte ou qualquer outra coisa, mas trabalhar para alcançar o que deseja. Rebeca, a tia de Raquel encontrou seu sonho e seu lugar na história estando em serviço, buscando água no poço, serviço que poderia ser feito por uma serviçal da família. Raquel, encontrou seu bilhete para a felicidade, estando trabalhando, cuidando do rebanho da família e na hora certa estava na beira do poço para ser vista e encontrada por Jacó, o filho da tia famosa. Rute, anos mais tarde; Ester, e tantas outras. Nenhuma delas estava buscando poder e glória e mesmo num contexto de recalque e menosprezo feminino, elas se destacaram e o fizeram com dignidade e fé. Moça bonita também trabalha, também se arrisca em perigos da vida, mas acima de tudo elas fazem a diferença por aquilo que são. Deus sempre honra pessoas com iniciativas e coragem de inovar e criar soluções, contornar aspectos negativos de suas culturas e de seus tempos. Falo isso de Raquel e outras mulheres dos tempos bíblicos, mas também de muitas de nossas amadas irmãs de fé, missionárias, líderes de ministérios e que fazem brilhantes e relevantes serviços e ministérios no Reino de Deus; na CBN mesmo, temos muitas e preciosas dessas, a todas elas, nossa gratidão e respeito, acompanhado das nossas orações. A cada uma das muitas “Raqueis” que acompanham essas meditações, obrigado pelo ministério de vocês! Pela existência de vocês em nossas igrejas, nossas famílias e nossas vidas.

Senhor, louvamos o teu nome pela vida de mulheres maravilhosas, guerreiras batalhadoras pela causa da verdade e da justiça em nossa nação e no teu Reino. Grande parte do impulso criativo e do avanço da obra de Deus nas igrejas se deve à vida e à determinação dessas corajosas irmãs em Cristo Jesus. Abençoamos a cada uma delas, em nome de todas que fazem a diferença no dia a dia. Obrigado pela dedicação, pela excelência dos trabalhos e pela competencia ministerial. Que o amor do Pai, a graça infinita de Jesus e o poder transformador do Espírito Santo as assista e as façam frutificar mais e mais, para glória e honra do teu santo nome, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Embalsamaram a Israel

Meditação do dia: 13/02/2020

 E José ordenou aos seus servos, os médicos, que embalsamassem a seu pai; e os médicos embalsamaram a Israel. (Gn 50.2)

Embalsamaram a Israel – Os antigos egípcios desenvolveram um grande conhecimento científico, arquitetônico, na medicina, na escrita, literatura, agricultura e isso foi tão significativo que ainda hoje, com toda a tecnologia e os avanços que nossas ciências encontraram, ainda temos muitas perguntas sobre como eles conseguiam fazer aquelas coisas todas naquela época. O certo é que faziam, e faziam bem feito, que continuam surpreendendo. Precisamos adentrar nesses temas, ainda que de forma muito superficial, mas não leviano, e com boas intenções na mente e no coração para assim tirarmos lições proveitosas. As Escrituras Sagradas Judaico-cristãs, se referem a muitos assuntos de cunho científicos, filosóficos, matemáticos, arquitetônicos, da medicina e outras áreas do conhecimento humano; mas não como uma enciclopédia, ou um tratado visando respostas intelectuais. As Escrituras, tal qual a conhecemos, amamos e apreciamos, não nos foram dadas para tais finalidades pois o foco central de sua atenção é o propósito eterno de Deus para a redenção da humanidade, com a centralidade em Jesus Cristo, como Redentor. Até o advento da Igreja, após a morte, ressurreição e ascensão de Cristo, as pessoas olhavam pela fé para um Messias que viria conforme as profecias antigas; e depois, olhamos para trás, pela fé, no Cristo que já veio e se entregou por nós. Nada na Bíblia contradiz a ciência e nem se discute essa possibilidade, e os leitores e estudiosos piedosos das Escrituras se valem com muito bom proveito de todos os avanços e descobertas das ciências, que só comprovam o que as Escrituras registram e a nossa fé já aceitava antes de tais comprovações cientificas. A fé, tem suas próprias razões e lógicas. É assim que assimilamos novos conhecimentos e iluminações da sociedade. Deus levou Israel como uma tribo, um grupo de setenta pessoas aproximadamente para o Egito; sendo que José já estava lá, como um batedor, que fora na frente para preparar para a chegada dos demais. Por meio de todos aqueles caminhos pelos quais José passou, ele chegou ao palácio do governo, do maior império do mundo naquele tempo, alcançando o favor do faraó e digamos, não foi de graça, ele tinha uma colaboração muito efetiva para dar e que eles precisavam e foi reconhecido como a única pessoa em condições de fazer aquilo que precisava fazer. E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este em quem haja o espírito de Deus?
Depois disse Faraó a José: Pois que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão entendido e sábio como tu
(Gn 41.38,39). Foi assim que todo o conhecimento e todas as ciências dos egípcios ficaram disponíveis para os israelitas e durante todo o período em que eles foram bem quistos, eles aproveitaram, aprenderam e desfrutaram. O próprio Israel quando chegou de Canaã, foi muito bem recebido e admirado pelo próprio faraó, que lhe teve consideração por seu o pai de José e um líder tribal de respeito. Quando então veio a falecer, recebeu todas as atenções de uma persona com status de chefe de estado para lhe preparar os serviços póstumos mais prestigiados da época. As promessas de Deus à Abraão e Isaque e até ao próprio Israel se cumpriram, ao receber um tratamento póstumo de tamanho prestígio como um grande líder de nação. A fé cristã atribui grande importância à pessoa humana e sua dignidade merece todo respeito. Porém entendemos que a morte separa a pessoa de seu corpo, que será consumido, desfeito na sepultura, mas que a pessoa receberá outro corpo glorioso, perfeito e imortal, na ressureição dos justos; ou ficará sepultado até o julgamento do juízo final, para aqueles que não andaram em fé e negligenciaram o relacionamento com Deus e as verdades espirituais. O que se faz com um corpo após a morte, exceto violações e desrespeito à pessoa, para nós não tem tanto peso, pois a pessoa verdadeira não é o corpo, mas o espírito e esse sim, tem contas à serem prestadas.

Senhor, obrigado pelo dom da vida e pelo que podemos fazer de produtivo e construtivo em vida e assim influenciar para o bem e para a eternidade. Somos criados à tua imagem e semelhança e sendo assim, a espiritualidade é importante, porque nem só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que procede de Deus. Fomos criados para tua glória e louvor e isso nos dá dignidade e valor e para isso vivemos e existimos. Graças, Senhor, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Encolheu os Pés e Expirou

Meditação do dia: 12/02/2020

 Acabando, pois, Jacó de dar instruções a seus filhos, encolheu os pés na cama, e expirou, e foi congregado ao seu povo. (Gn 49.33)

Encolheu os Pés e Expirou – Esse texto, é um clássico dos meus favoritos e ansiava por chegar nele, mas não tinha pressa, pois até chegar aqui havia muito o que aprender e assim podia degustar devagarinho, como uma sobremesa deliciosa que nem queremos que acabe. Dizemos que tem histórias e tem “histórias,” assim também digo que há registro de falecimentos e há o registro do falecimento de Israel. Encontramos alguns registros que ficam fora da curva dos demais, como esse de Jacó, o de Arão, de Moisés, Elias, e a história e tradição cristã se encarregou de registrar alguns dignos dessas mesmas notas para alguns do Novo Testamento. Aprecio muito esse registro, porque ele me leva a reflexão sobre a pessoa madura na fé e que alcançou uma espiritualidade tão equilibrada e sadia, que ela se porta de forma tão natural diante de momentos críticos, que não tem como não chamar nossa atenção. Dizem os filósofos de plantão que as duas únicas coisas das quais não temos como escapa é a morte e os tributos do governo. Enquanto a morte parece um terror e um encontro indesejado para a maioria das pessoas, mesmo algumas que se encontra em nosso meio cristão e estão de posse de vasto conhecimento teológico e bíblico sobre o que ela é e o quem segue depois. O que dá a entender é que a maioria encara isso como meros exercícios de teoria, pois na prática ela só pode ser experimentada uma única vez e quem vai, não volta para contar. Sempre dizemos que a morte é o ponto final, o desembarque de uma jornada que todos passarão por essa estação e que embora seja certa, sua hora é sempre incerta; nada justifica o que vemos diariamente, quando pessoas passam meses ou anos numa UTI hospitalar em coma e depois volta e vive por muito tempo; enquanto outros simplesmente anoitece e não amanhece, simples assim! Israel parece que sabia a hora exata, de forma que podia cronometrar tudo até chegar a hora de simplesmente parar de respirar, como se apenas saísse de cena ou dissesse, agora vou dormir e não acordo mais nesta vida. Ele reunião a família, fez a cerimonia de bênção individualmente para cada um dos filhos, que de agora em diante seriam os patriarcas da nação, não prolongou o discurso e também não diminuiu o ritmo para caber tudo naquele pouco espaço de tempo de que dispunha, tudo estava sob controle. Quando acabou, imagino que estava sentado no leito, ele simplesmente recolheu os pés e se ajeitou, como para dormir e partiu. Serenamente, com dignidade e honra de quem andou com Deus, lutou e prevaleceu e não tinha mais nada para fazer aqui e sabia que era a hora e o momento de descansar e estar com o Senhor, e deixar o palco para que outros atores entrassem em cena. É coisa linda, a pessoa saber o seu lugar, saber a sua hora, saber a sua vez e ser um cavalheiro em todas as oportunidades. A observação tem me levado a perceber, como disse o profeta Malaquias, a diferença entre quem serve e quem não serve a Deus. Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve (Ml 3.18).  Nas cerimonias e rituais fúnebres, podemos observar o semblante, a feição da pessoa, e parece que fica a última impressão da vida dela, o registro de sua última fotografia; do cristão piedoso e maduro na fé, parece alguém que só está dormindo e que foi muito feliz para a cama. Quando não é alguém da fé e sem intimidade com Deus, é diferente, a impressão que nos deixa é de alguém que partiu contra sua vontade ou que resistiu o quanto pode e perdeu. Eu me apego ao conselho de Paulo: Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele” (I Ts 4.14). Eu creio assim, e a minha esperança está em Deus que é fiel para me trazer de volta a vida, para a continuidade dos seus propósitos eternos.

Senhor Deus e Pai, autor da vida e Senhor de vivos e mortos, porque para contigo vivem todos. Nossa esperança é Jesus que morreu e ressuscitou; ele experimentou a morte por causa dos nossos pecados e tornou-se o autor da nossa salvação. Vivemos para ti e em todas as situações, iremos glorificar o teu santo nome. Nossas vidas está em tuas mãos e é um excelente lugar para ela estar guardada. Queremos dar um bom testemunho de que andamos e servimos a um Senhor maravilhosa, que nos guia e nos acompanha em todo tempo. Permita que tenhamos a maturidade e a espiritualidade no ponto ideal quando chegar a nossa hora e a nossa vez. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason