A Esperiencia de Cada UM

Meditação do dia 30/06/2016

Sl 28.7 O Senhor é a minha força e o meu escudo; nele confiou o meu coração, e fui socorrido; pelo que o meu coração salta de prazer, e com o meu cântico o louvarei.

A experiencia de cada um – É fato consolidado que Deus criou cada um de nós num padrão absolutamente personalizado, não existindo nenhuma única repetição; cada um tem suas próprias características, gostos, preferencias nas mais diversas áreas, desde cores, paladares, aromas até opiniões e pontos de vistas sobre assuntos subjetivos. Interessante é o cuidado de Deus em satisfazer a todos deixando disponível toda uma gama de possibilidades de cada um se encontrar e se realizar. Então surge as perguntas fictícias sobre o céu e a eternidade, quando todos os salvos estiverem reunidos na futura morada eterna. Não faltam especulações baratas e simplistas, mas até divertidas, como uma que vaticina que cada um perceberá as coisas do seu jeito pessoal, sendo assim estando num mesmo ambiente vou sentir o meu aroma preferido, enquanto você sentirá do seu gosto e assim sucessivamente; valendo o mesmo para paladar e outras preferencias. Num encontro de igrejas vindas de diversos estados, na abertura da preleção, brinquei com os goianos que estavam ali, que não nos surpreenderia se a Nova Jerusalém se situasse no planalto central brasileiro e se a árvore da vida fosse um pequizeiro… a galera foi ao delírio! Diversão à parte, estou preparando o terreno para falar sobre a experiencia de Deus, a minha e a sua. Ele, era um rei, militar e bom de combate homem-a-homem e numa época em que se lutava com uma espada numa mão, o escudo na outra e precisava de outras peças de armadura para se proteger o restante do corpo; então quando Davi se ajoelha diante do Senhor em oração, louvor e adoração e diz: “o Senhor é a minha força e o meu escudo…” ele está falando de algo muito particular, muito pessoal, da sua experiencia de vida. Ele sabia o que significava um escudo numa situação de combate. Eu, eu não sei, nunca lutei, nunca briguei valendo a vida, minha ou de outros. Qual a minha experiencia de vida, que me levaria dizer a Deus com grantidão: “O Senhor é isso…?” Davi dizia que o seu coração confiou em Deus e foi socorrido, por isso seu coração acelerava de prazer – Dá pra imaginar, um adolescente, com a cara cheia de espinhas, penugem antes da barba e bigode, com um estilingue e cinco pedras na mão no embornal, se esquivando diante de um predador filisteu de mais de três metros de altura, armado até os dentes? No coração, provavelmente ele orava balbuciando: “Senhor, me ajuda, deixa eu acertar uma bem acertada…..Uauuuuu….acertei ele, vai cair, vai cair….. Haja coração!!! Qual é a minha, a sua experiencia de se ver e maus lençóis e concluir: “agora. Senhor, é agora ou nunca, eu não tenho saída, ou o senhor em livra, me salva, ou já era…” Para logo em seguida, poder levantar os braços, cerrar os punhos e vibrar, vibrar muuuiiiito!!! Davi diz: “Com meu cântico o louvarei.” Ele era músico, instrumentista, cantor, compositor, poeta… compor e cantar algo lindo para Deus estava na veia, no sangue mesmo. Eu, sou desafinado, mais desafinado do que batida de porteira, verdadeira taquara rachada; mas qual outro modo eu posso louvar e demonstrar ao Senhor a minha gratidão e a minha apreciação pelos seus feitos? Você, qual é a sua experiencia nisso? Os Salmos são para serem cantados, lidos, declamados, pois são inspirados e edificantes, mas qual é a “versão jasoniana?” Qual a sua versão, seu jeito de celebrar a sua experiencia com o Deus da sua salvação? Pense nisso!

 

Pai amado, posso dizer que o Senhor é grande em força e tremendo em poder; sua graça é infinita e disponível a mim e a tudo que me cerca. Sou feliz por tudo que tens dispensado a meu favor. Bendito seja o sacrifício do meu Salvador, o Cordeiro de Deus, o Leão de Judá, a Raiz de Davi! Quão magnifico é o teu nome! Digo és de ser adorado em todo tempo e lugar e receber a minha gratidão e o meu louvor. O Senhor tem sido um lugar forte de refúgio para mim, uma espécie de âncora para a minha alma, quando as dificuldades querem me arrastar para a dúvida e a desconfiança. O Senhor é justo em todos os seus caminhos e santo em todas as suas obras. Jesus vive! Jesus reina! E para sempre, assim será! Amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Um Pedido Muito Especial

Meditação do dia 29/06/2016

Sl 27.4 Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo.

Um pedido muito especial – Temos visto nesses dias de meditação em salmos, o quanto o rei Davi deseja ter comunhão com Deus. Ele levava adoração muito à sério, e não só isso, mas ele buscava isso. Mesmo sendo um homem muito ocupado com suas obrigações reais, de governo e por muitos anos ainda participava de campanhas militares para consolidar o território do país; mas mesmo assim, ele não descuidava do culto na sua vida, e com razão, porque onde não há culto na vida, também não há vida nos cultos. Reunir um grande número de pessoas num auditório em determinado dia e hora semanalmente, com alguns instrumentos musicais e bons instrumentistas, agregando boas e belas vozes para entoar cânticos, não torna isso um culto vivo e agradável a Deus, se essas mesmas pessoas não são adoradoras de Deus em outros dias e em outras circunstancias de suas vidas. Reunião é uma coisa, culto, é outra bem diferente! Davi, disse que em algum momento de sua vida, ele fizera uma oração ao Deus pedindo-lhe o privilégio e a oportunidade de gastar o máximo de tempo que lhe fosse possível na presença de Deus em adoração, contemplação e aprendizado. Ele não esperou que as coisas simplesmente viessem a acontecer e o tempo e as circunstancias lhe viessem a favorecer – ele correu atrás, ele buscava isso, certamente tinha que manter isso como prioridade na sua agenda. Falo por mim e por colegas de ministério que conheço, que se não houver uma prática de disciplina vigorosa, não se consegue cultivar um tempo devocional de qualidade. Muitos cristãos, inclusive, tem problemas de dor na consciência, por desejar, querer e não conseguir nem mesmo ter um tempo de oração suficientemente equilibrado. Isso é algo que exige investimento de prioridades e importância. Há tantas coisas urgentes e de emergência para se fazer que acaba dominando a agenda da pessoa e sobra apenas correria e cansaço improdutivo. Recomendo, que estude seus horários, suas agendas diárias e semanais, para fazer uma reengenharia das prioridades à partir daquilo que a própria Palavra de Deus diz ser importante. Quando buscamos o reino de Deus em primeiro lugar e a sua justiça, o próprio Deus se encarrega de acrescentar as demais coisas (Mt 6.33). Cultive sua apreciação pelo Senhor seu Deus, e o faça de forma devocional, apaixonada, fervorosa e constante. Deus é luz e quanto mais nos aproximamos dele, mais iluminados ficamos, mais revelações obteremos e maiores as chances de crescimento em santidade e maturidade. Nossa produtividade deve ser fruto da nossa intimidade e comunhão e não o contrário. Tenha fé para mudar e mude pela fé!

 

Pai, certamente o Senhor tem prazer em que os teus filhos se aproximem de ti com ternura, fervor e temor. Somos gratos pela possibilidade de experimentarmos a tua bondade em Cristo Jesus através da oração e comunhão diária. A tua mesa é farta e cheia de provisões abundantes para todos que se aproximam, o Espírito Santo tem prazer em guiar-nos ao pleno conhecimento daquilo que tens reservado para os que te amam e se propõem a andar no espírito e viver pela graça. Obrigado, pelo prazer que sentimos e desfrutamos ao te contemplar face a face pela fé e pela meditação piedosa na tua bendita palavra. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Bem na Cara

Meditação do dia 28/06/2016

Sl 26.3 Pois a tua benignidade está diante dos meus olhos, e tenho andado na tua verdade.

Bem na cara – Há uma expressão muito usada no Brasil, afirmando que “cego é quem não quer ver!” Pensando assim, como alguém pode dizer que não consegue ver nada no universo que indique a existência ou a participação de um Deus criador? Por outro lado, para nós, que não só admitimos como amamos admitir a idéia e adoramos a Deus como criador e sustentador de todas as coisas, é mais fácil ver a Deus, do que não ver. Tal qual um admirador de obras de arte, para diante de uma obra e observa os mínimos detalhes que revelam traços do autor, que ele já sabe quem é e nem existe constatação em contrário, mas para essa pessoa, isso é revelador, é precioso e admirável e ele não se apressa na sua contemplação. Para o cristão, Deus se revela nos mínimos detalhes da vida e do dia a dia e que a contemplação devocional disso é uma santa obrigação que o seu coração se recusa a ter pressa de afastar dessa presença. A bondade de Deus é tamanha, que a percebemos em tudo o que somos e temos e a proximidade na comunhão torna isso algo tão real e prazeroso. A fé nos permite ir muito além do físico, material e temporal que nos rodeia; vivemos alimentados por visões de realidades que só mesmo o coração piedoso pode compreender. Aceitamos viver com uma dupla cidadania, terrena e celestial e com mais expectativas naquela que não se pode ver nem tocar no momento. Vivemos como passageiros numa estação, aguardando um embarque para uma viagem indescritível, que os demais nem percebem nem mesmo a estação, quando mais o meio de transporte e o destino. Como apreciadores da boa mesa, já sabemos que ao chegar lá, há nada mais nada menos do que um banquete literalmente “divino e celestial, coisa de outro mundo” nos aguardando. No dia a dia, como não nos extasiarmos com os cuidados do Senhor para com os seus filhos! Quão comum é sermos agraciados por algo que gostamos e mesmo antes de orarmos sobre aquilo, já se materializa diante de nós! Quem tem filhos pequenos, há um sem número de vezes que podemos testemunhar a benignidade do Senhor para com eles e provavelmente mais conosco mesmo. Quantos livramentos de perigos, de riscos, sem nem mesmo mencionarmos coisas das quais nem tomamos conhecimento, por alguém lá em cima cuida de nós. Desejo muito nesse dia, estimular a alegria e a gratidão de cada um que esteja lendo essas linhas, a parar um segundinho e comprovar quantas dádivas, quantas bênçãos, e sermos gratos com palavras e atitudes. Verdadeiramente, a bondade de Deus está sempre bem diante de nossos olhos, bem ali, na cara! Louvado seja o Senhor. Vou trocar a oração voluntária que escrevo todos os dias, pelos versos de um hino cristão muito conhecido. “Conta as Bênçãos.”

 

 

Se da vida as vagas procelosas são,                  Tens acaso mágoas, triste é teu lidar?
Se com desalento julgas tudo vão                      É a cruz pesada que tens de levar ?
Conta as muitas bênçãos, dize-as duma vez,      Conta as muitas bênçãos, não duvidarás,
Hás de ver surpreso quanto Deus já fez.                       E em canção alegre os dias passarás.

 

Conta as bênçãos, conta quantas são.
Recebidas da divina mão.
Uma a uma, dize-as de uma vez,
Hás de ver surpreso quanto Deus já fez.

 
Quando vires outros com seu ouro e bens,         Seja teu conflito fraco ou forte cá,
Lembra que tesouros prometidos tens                Não te desanimes, Deus por cima está
Nunca os bens da terra poderão comprar,          Seu divino auxílio, minorando o mal,
A mansão celeste em que tu vais morar.                       Te dará consolo e paz celestial.

A Intimidade e a Aliança

Meditação do dia 27/06/2016

Sl 25.14 A intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança.

A intimidade e a aliança – O rei Salomão, disse que não sábio dizer que os tempos passados foram melhores do que os atuais; não acredito que ele tinha problemas com saudosismo, mas entendo que seja sabedoria mesmo. O tempo ideal para se viver é hoje, pois é o único espaço de tempo que existe para nós – ontem já passou e não volta mais, e o amanhã ainda não existe e não temos garantias que ele chegará para nós; então tudo que temos é hoje, agora, já; então é sábio viver e aproveitar o que pode ser feito e experimentado nele. Falo disso, por ver o quanto a vida moderna e suas conveniências tirou de nós experiências de conhecer na prática o significado real de viver em alianças, fazer alianças, como tinham os povos antigos. Tudo o que sabemos disso é por estudos da história e do valor que aquilo tinha. Palavras como “honra – respeito – tradição – pacto – aliança” tem pouco ou nenhum valor especialmente na cultura ocidental. Mas pela Bíblia sabemos que existem caminhos antigos, veredas eternas, determinadas por Deus para o bem das civilizações que são verdadeiros marcos que delimitam territórios e propriedades e que não devem jamais serem removidos, pois as consequências são graves. O nosso Deus é o criador e o sustentador de todas as coisas e estamos aqui colocados por ele dentro de um plano e propósitos perfeitos, para conhecermos não só o nosso espaço, ambiente e obrigações, como conhece-lo e servi-lo, num relacionamento de amizade e proximidade. Deus tem coisas boas e grandes para nos contar e com isso abençoar nossa existência e dar sentido ao que somos e ao que temos que fazer.  Porém, certamente ele não vai espalhar isso para pessoas indiferentes a ele ou até opositores dele; mesmo entre os que se achegam, nem todos querem realmente conhecer a Deus, estão mais interessados em alguma vantagem que possam obter dessa aproximação. Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que me buscais, não porque vistes sinais, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; pois neste, Deus, o Pai, imprimiu o seu selo. ” (Jo 6.2,27) Mesmo celebrando a Ceia do Senhor mensalmente, a maioria dos participantes ainda não entendem “a nova aliança” celebrada por Cristo e em memorial relembrado nessa celebração. Mesmo vivendo a vigência de uma grande aliança, abrangente, beneficiadora, a maioria vive à margem dos seus direitos obtidos pela obra da graça. Por que? Uma das razões, certamente é que a intimidade do Senhor é para os que o temem… e a esses ele revela, dá a conhecer segredos, que não segredos para quem é próximo dele e das verdades espirituais. Um versículo como esse, não para ser decorado ou impresso num cartão lindo e enfeitar algo, mas é como uma placa apontando que em certa direção tem um tesouro, uma preciosidade e para chegar a tal, precisa-se sair da zona de conforto e cavar um pouco mais. Tesouros não se acham à flor do solo ou na sombra ou onde qualquer um os ache. Tem que amar e querer muito aquilo; tem que arriscar, tem trocar algo por algo mais precioso. Quanto e como é sua vida de oração? Como é seu estudo da Palavra de Deus? O que você subtrai de cada reunião de celebração? Pode ser melhorado? Tem espaço para investimento mais produtivo? Pense nisso!

 

Pai, graças de dou por aceitar a amizade e a companhia de filhos e filhas que aceitam a obra da graça e pela fé se aproximam de ti com atitude de humildade e submissão, com esperança de conhecer a ti e a vontade generosa demonstrada a nós em Jesus Cristo. Há riquezas e glórias infindáveis em tua gloriosa presença e disponível para quem se aproxima; permita que hoje seja uma oportunidade de crescimento e mudança de rumo para mim e para tantos quantos amam a tua glória. Obrigado, por nos receber na sala do trono e encontrarmos bondade em ocasião oportuna e sermos favorecidos graciosamente. Em nome de Jesus oramos com gratidão. Amém.

 

Pr Jason

Abençoados pelo Reconhecimento

Meditação do dia 26/06/2016

Sl 24.3 Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo?

Abençoados pelo reconhecimento – A vida cristã plena, ou como disse Jesus, “a vida abundante” é um ideal a ser perseguido e alcançado, seguindo as indicações do mapa do tesouro que Deus nos deu, isto é, a sua Palavra. Os salmos eram cantados pelo povo de Deus, que cantavam o que criam e adoravam ao Deus criador e provedor de todas as suas necessidades. Eles o reverenciavam como um Deus santo e que demandava santidade de conduta na vida dos seus adoradores. Aqui no Salmo vinte e quatro, se canta o reconhecimento e se pratica o reconhecimento de que Deus é o dono e Senhor da terra e TUDO que nela existe. Quem reconhece isso, se torna um mordomo responsável e um adorador reverente. O salmista pergunta quem de todos esses habitantes da terra, “vai subir” para um nível maior de comunhão com Deus; isso é uma escolha de cada um, já que podemos continuar onde estamos, junto com todos os demais. Aqui, em baixo, no plano, não é preciso muito esforço ou dedicação, pois é o nível normal, natural, é o nível que permite acomodar. Subir significa sair, andar, esforçar, dedicar atenção e ficar acima da média – isso não é mais o normal, é desafiador, mas dará uma visão mais panorâmica, mais global, quem subir, terá uma visão melhor das coisas. Ele continua perguntando sobre quem vai estar “no seu santo lugar.” Depois de subir, sair do trivial, pode se ver um padrão de santidade de Deus, não santidade dos homens, da igreja, não é canonicidade, mas um estado de espírito alcançado pela comunhão com o santo Deus. O adorador nesse nível não faz as regras, não dita a conduta e não se torna grande; ao contrário, ele se submete ao padrão de Deus, ele se curva humilde e reverentemente e quanto mais sobe, menor fica, menos importante se torna, ele vai absorvendo vida e santidade daquele que é verdadeiramente santo. Isso resulta em ações santas (limpo de mãos), com motivações puras (pureza de coração), vida genuína, autêntica (não escravo da vaidade), uma pessoa confiável (não engana). Este tipo de pessoa que vive a presença de Deus, experimenta santidade como estilo de vida é o que recebe “a bênção do Senhor” (não as bênçãos) a dele é específica, não é a mesma da maioria, dos normais, do trivial. Essas pessoas formam a geração dos buscam “a face de Deus,” o que é bem diferente daqueles que buscam as bênçãos de Deus. Isso exige reconhecimento da importância de subir e viver no lugar santo.

Graças Pai, por tudo o que a tua presença significa para os teus filhos. Somos privilegiados de poder subir a níveis mais altos e encontrar o Senhor, na beleza da sua santidade e podermos ver as coisas e a vida também do teu ponto de vista. Obrigado Espírito Santo, por guiar os filhos do Senhor, aos caminhos que levam a santidade e a comunhão com a trindade santa. Ao Senhor Jesus, toda honra e glória por tornar tudo isso possível, ao entregar-se por amor a esses homens fracos e falhos, mas amados por Deus e aceitos na família, adotados para uma herança incontestável que só a eternidade revelará suas riquezas. Obrigado, de coração, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Vale da Sombra da Morte

Meditação do dia 25/06/2016

Sl 23.4 Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.

O vale da sombra da morte – Pelo título, está mais para filme de terror, parecendo tão sombrio e cavernoso. Vindo de um salmo tão lindo e tão amado por todos os leitores da Bíblia, incluindo mesmo os que não tem muitas afinidades com a Palavra de Deus. Um poema que expressa tamanha comunhão e confiança em Deus, traz também uma citação arrepiante, até de apenas citar. Mas sabemos que a vida é mesmo cheia de antíteses, os opostos estão aí sempre encarando e desafiando a gente. A preciosidade da vida é valorizada diante da frieza da morte. Gostamos tanto da luz, até exatamente pelo medo e insegurança que as trevas nos impõe. A pureza é tão desejada porque a imundícia repulsa e enoja. Amizade é tão celebrada, devido a todos os riscos e perigos da inimizade. Tem muita até disposta a querer o céu, não por amar a Deus, mas por medo e achando que vai fugir do horror do inferno. Então é justo, num salmo que valoriza a suficiência de quem tem fé e confiança num pastor tão competente, porque a ausência de um pastor na alma, pode ser desastroso, pois “Se o Senhor é meu pastor e NADA me faltará;” o contrário disso não é nada bom, a começar por faltar o próprio pastor então certamente vai faltar TUDO. Algum tempo atrás, estava meditando e em oração ao mesmo tempo debruçado sobre este texto e buscando uma palavra que abençoasse o meu coração, quando de repente me vi interiormente envolvido pela expressão “vale da sombra da morte” e como já sabia intelectualmente que se trata de uma figura que fala de uma situação difícil, uma ocasião de provas e lutas que passamos e que é muito difícil, mas contando com a graça de Deus, a gente saí do outro lado e a vida continua. Mas o meu espírito absorveu algo novo, da intimidade com o Senhor e numa profunda conversa eu entendi que é bem mais do isso que sabemos maquinalmente. Ninguém intencionalmente vai a esse vale; ninguém em sã consciência entra nesse vale, é uma idéia suicida, é uma viagem sem volta; é tão sinistro, macabro, maligno, tétrico, que não dá nem mesmo para descrever. Aquelas idéias que vemos em filmes de terror, horror, perto da realidade do vale da sombra da morte, é para os fracos, como dizem a galera moderna. Ninguém então entra nesse vale por acidente ou por ser desavisado, ingenuidade, ou descuido e acaba caindo em dificuldades. Só entra nesse vale, quem não tem outra escolha, outra opção e faz isso porque é o único meio que ela tem de por exemplo resgatar alguém que ama e que o inferno e a morte a está devorando e por amor a essa alma, a pessoa arrisca-se a entrar no vale da sombra da morte. Vi, poucos dias uma reportagem de uma mãe desesperada com o filho viciado em drogas e que ficou refém de traficantes numa quebrada que nem a polícia entrava; Ela entrou lá, na boca, desafiou a gangue entrou na casa pegou filho e saiu abraçado com ele e o levou de volta e o desespero dela era tal, que ninguém, nem a turma armada até os dentes e nem o chefe da gangue ousou reagir, vendo a valentia dela. Nem os parentes e nem as autoridades acreditaram que qualquer dos dois sairiam vivos de lá. Essa mãe entrou e saiu do vale da sombra da morte. O salmista disse, que tendo o Senhor como seu pastor, “ainda que andasse” por esse vale, a presença divina lhe daria coragem para tal. Ele não escolheria andar por esse vale, mas se preciso fosse, ainda que ele andasse, Deus estaria com ele. Algumas pessoas vão entender perfeitamente bem o que estou dizendo, por experiências vividas ou testemunhadas.

 

Obrigado Senhor, por fazer isso e muito mais por cada um de nós, seus filhos. Quando Jesus enfrentou a cruz, não foi uma escolha fácil e nem preferível, mas era a única que daria resultados, era a única resposta de amor aos pecadores reféns retidos por seus pecados, vendidos às garras do inferno e da morte, mas ele desceu lá por mim e por todos nós. Não foi sem sentido que o meu Senhor agonizava a ponto de soar sangue naquele jardim antes de ser preso e não menos quando ele bradou na cruz “…Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste!” Mas ele venceu e agora podemos vencer também e sermos até mais do que vencedores. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

O Brado da Cruz

Meditação do dia 24/06/2016

Sl 22.1 Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido?

O brado da cruz – Dificilmente uma mente humana natural consegue discernir todo o mistério da cruz de Cristo. A um contexto longo e bem trabalhado, como um caminho ou riacho sinuoso percorrendo vales entre montanhas, planícies, ora íngreme, ora suave, tal qual a história humana cheia de contrastes e contradições. Da promessa inicial feita a Adão e Eva no Éden (Gn 3.15) até chegar as vias de fato sob as mãos das autoridade romanas nos arredores de Jerusalém, muita coisa aconteceu e em tudo a mão poderosa de Deus estava ali, cuidando para que nada escapasse ao necessário para a redenção da raça humana. Ao longo dessa caminhada, homens inspirados pelo Espírito de Deus e adoradores fervorosos do Deus criador, a quem conhecemos por santos profetas, sacerdotes, líderes levantados e sustentados para momentos tão cruciais dessa tremenda jornada, tantos deles tiveram revelações, vaticinações cada vez mais progressivas, tornando mais específicas as marcas ao longo do caminho, que permitiam que a esperança humana na fidelidade de Deus, não se desvanecesse. Desde promessas como a Abraão, de uma multidão de nações e reis descendentes seus, passando por Israel o pai dos doze patriarcas que nomearam as tribos da nação e dali já se sabia, de tal “Leão de Judá;” Moisés, o grande legislador encontrara com Jeová face a face e entre eles não havia tantas formalidades, que afirmou que Deus haveria de levantar um profeta tal qual ele; chegando ao rei Davi, que recebeu trono com promessa de tê-lo eternamente diante de Deus. Sentimos tão confortados lendo as palavras de Isaías, que fala de um menino que nos nasceu, cujo nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz; deixando bem claro que ele nasceria de uma virgem e que seria conhecido como Emanuel, ou seja, Deus conosco. Nas suas inspiradas palavras ela fala do poder e autoridade desse rei e dos bons resultados de paz e prosperidades eternas que seu reino traria; descreveu-o também como um homem de dores, castigado pelas nossas iniquidades e transgressões, mas por cujas pisaduras seríamos sarados; Como é delicioso ler o convite para todos sedentos virem e comprarem sem dinheiro e sem preço e se saciar sem gastar naquilo que não é pão e o esforço do nosso trabalho naquilo que não satisfaz; ou saber que o Espírito do Senhor estava sobre ele, ungindo-o para pregar as boas novas aos quebrantados e curá-los, libertar os cativos e por em liberdade os algemados disponibilizando o ano aceitável do Senhor a todos os homens e anos mais tardes, como um “deja vu” o filho do carpinteiro, em Nazaré, lendo no rolo do profeta Isaías esse mesmo trecho e dizendo ao final da leitura: “hoje se cumpriu essa escritura!” Nossos corações vibram quando três jovens corajosos não negam a fé no seu Deus e são lançados numa fornalha incandescente e lá aparece com eles um quarto homem e ninguém se queima para espanto do tirano pagão. O que falar de Miquéias que ousou dizendo que a pequena Belém traria aquele que reinaria e cujas origens são desde os tempos da eternidade. Pessoas importantes vieram do oriente seguindo um estrela de um novo rei e que parou sobre um estábulo e alguém ali ganhou presentes reais, poucos dias depois ao ser levado ao templo para ser apresentado, já tinha piedosos de Deus ao pé das escadarias esperando o casal e desejando pegar nos braços aquele pequenino… tudo foi acontecendo como seguindo um script bem traçado e dirigido, até chegara na cruz, onde um brado forte foi ouvido; esta, é a mensagem da cruz …

 

Pai, obrigado pela obra da cruz, ali está tudo o que precisamos e mais do que merecemos. Reconheço todo o esforço e dedicação de alguém que me amou tanto, de tal maneira que se entregou para que eu pudesse viver. Então viverei, para tua glória e para testemunhar a tua graça! Bendito seja o Deus da minha salvação. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Que Rei Sou Eu?

Meditação do dia 23/06/2016

Sl 21.1 O rei se alegra em tua força, SENHOR; e na tua salvação grandemente se regozija.

Que rei sou eu? – Um dos apelos da ala dos monarquistas no Brasil, por ocasião do plebiscito sobre o sistema de governo após a redemocratização, em 23 de Abril de 1993, era o apego que todo brasileiro tem por monarquia, mesmo de modo informal. Eles apregoavam que temos o rei do futebol, o rei da música popular, o rei do brega, a rainha dos baixinhos, o rei do baião, o rei do cangaço, rei do gado, rei da soja e sem contar nos inúmeros comércios e instituições com nomes reais… então, por que não, um rei de fato e de direito no governo do país? Política à parte, aceitamos a idéia poética de que em sua casa, cada homem é rei em seu próprio castelo e gostamos tanto disso, que insistimos com nossos bebês e crianças, que eles são “nossos príncipes e princesas.” Então, ainda que só de faz-de-contas, todos já fomos rei por um dia. Mas mesmo assim, esse rei tem responsabilidades e precisa de muita ajuda para fazer o melhor ao seu alcance. Davi, não brincava, nem sonhava em ser rei, ele o era de fato e de direito e muito mais, por ter recebido das mãos de Deus esse encargo. Mesmo já velho e experiente, vencedor e consolidado em força e domínio, o coração e a fé dele permanecia como no início de tudo; Deus precisava estar na frente e no comando das ações, a alegria dele como rei, vinha da força de Deus, obtida em comunhão e amizade cultivada e mantida na vida diária. Além dos compromissos reais de estado, diariamente ele tinha e fazia questão de manter as prioridades na sua vida devocional. Com certeza, Davi entendia que o tempo investido na presença de Deus, era tempo ganho diante das atividades de governo. As audiências com outros reis e chefes de governo, não tinham precedência sobre sua audiência pessoal e particular com o Grande Rei. O tempo passado em devocional, oração, leitura da Palavra, intercessão, louvor e adoração, não é de forma algum “tempo gasto,” mas sim, tempo investido, sábia e produtivamente investido. Fala-se que alguém perguntou à Lutero sobre sua carga diária de oração, ao que ele respondeu: “Normalmente é de três horas, exceto os dias mais atribulados que precisam de mais orações!” Os dias corridos e atribulados da vida moderna e pós-moderna, conspira com demandas sociais, trabalhistas e ocupações tantas que alguns admitem sinceramente, “não ter tempo para se dedicar a oração.” Compreendemos, mas não podemos concordar aceitar, pode ser algo comum em nossos dias, mas não é algo normal na vida cristã. Precisamos ser criativos e diligentes e prudentes nas formas de melhor gerenciar o uso do tempo. Muitas prioridades podem ser movidas dos seus lugares e assim fazer uma reengenharia de atividades, que possibilitem cultivar o que realmente faz sentido e deve estar no centro de nossas ocupações. Para se alegrar na salvação de Deus, você precisa ser salvo, não me refiro à salvação redentora em Cristo, mas falo de livramento, ajuda, socorro em situações difíceis. Mesmo sendo cristãos, pastores, obreiros, entramos por caminhos, que se Deus não nos salvar, vamos acabar no ativismo improdutivo, vida opaca, insossa, sem motivação alguma e por fim, sem sentido. Claro, o resultado será frustração e desânimo. Você não concorda comigo, que uma pessoa nessas condições precisa e muito ser salva por Deus? Caso, ela aceite, com certeza se alegrará na salvação de Deus. Gente, não é da vontade de Deus, que as pessoas vá se acabando até morrer! Ele deseja é que vivamos, com abundancia, prazer, propósito e sentido até o momento de morrer. O negócio é “morrer de tanto viver!”

 

Senhor Jesus, autor da vida, graças te dou por ser pessoalmente, o Caminho, a Verdade e a Vida. Vida, é com o Senhor mesmo, no Senhor encontramos vida e sentido para vive-la, com graça, fé e frutos. Meu pedido hoje é pelos amigos e irmãos, que estão envolvidos em demasia com atividades e correrias e nem mesmo estão tendo tempo para desfrutar da tua companhia na jornada. Somos gratos por conhecer ao Senhor e poder desfrutar de uma amizade e comunhão maravilhosa, o que torna a vida cheia de significado, mas se deixarmos de olhar para ti e nos concentrarmos unicamente em nossos problemas e dificuldades, vamos erroneamente perceber que a vida é só cansaço e enfado, o que não é verdade. Salva-nos, de nós mesmos, por amor do teu nome. Amém!

 

Pr Jason

Socorro Verdadeiro

Meditação do dia 22/06/2016

Sl 20.7 Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor nosso Deus.

Socorro verdadeiro – Fé e confiança são palavras que podem ser sinônimas e usadas de forma intercambiável sem muitos problemas. Mas me parece que a vida moderna nos proveu de muitos meios com a pretensa idéia de nos dar segurança, que acabou compartimentando a vida em pequenos quadrados de segurança, que a fé em Deus, fé espiritual eu precisa ser exercitada diariamente, ficou relegada apenas para as questões internas da igreja e da vida religiosa, nem mesmo vida espiritual. Para as questões de saúde, temos(?) o SUS – ou planos de saúde; para segurança pública temos a policia e segurança privada, cercas elétricas e câmeras… para crianças peraltas temos o conselho tutelar, estatudo do menor; para demandas judiciais, temos advogados de montão, fórum, pequenas causas, juizados especiais…para viagens, temos boas rodovias (pedagiadas) carros modernos, seguros, velozes, aviões com tarifas promocionais, para férias, voce pode parcelar em… para comunicação, tá na palma da mão, em tempo real, falando e vendo ao vivo, para informação, entretenimento, compras, alimentação, na verdade, todos pensaram em tudo para você, até se não tiver dinheiro, temos o novo cartão plus…Ah! ia me esquecendo, e o país? Ora, temos as Forças Armadas, bem equipadas com aviões, submarinos, porta-aviões, radares, inteligência…Sobrou o que para a gente se preocupar? Bom, na prática não é bem assim. Davi, que escreveu este Salmo, era Rei, um militar experiente em batalhas e extratégias, um herói de guerra, o mais famoso do país, respeitadíssimo; tinha um exército numeroso e muito bem preparado, sem falar que entre seu soldados havia 37 homens valentes, que eram foras de série. O que tudo isso significava para um homem como Davi? Muito, sim, significava muito e era sua obrigação estar preparado para proteger seu povo, sua terra e os planos de Deus em termos de herança prometida aos patriarcas e assim preservar a linhagem de onde viria o Messias, que conhecemos como Cristo, nosso Senhor Jesus Cristo, que por sinal, era conhecido como “filho de Davi, ou o Leão de Judá!” Mas Davi não atribuía ou confiava que suas vitórias ou sucesso dependia disso e por causa disso. Ele vira mais de uma vez, reis, com exércitos bem maiores e bem mais equipados, com cavalaria de dar gosto e impor medo e pavor nos adversários, mas mesmo assim caírem diante dele e de seus homens…Porque o Senhor lutava por ele e por Israel… “Então Davi pôs guarnições entre os sírios de Damasco, e os sírios lhe ficaram sujeitos, pagando-lhe tributos; e o Senhor dava vitória a Davi, por onde quer que ia” (I Cr 18.6). A confiança Davi nunca esteve no seu exército, nos seus soldados ou cavalos, mas no Senhor seu Deus. Todo esse aparato é recurso humano, falível e que por um detalhe mínimo, pode fracassar. Em que realmente estamos confiando hoje? Sus, polícia, justiça, dinheiro, prestígio, isso, aquilo são arrumações carnais, temporárias, falíveis. É claro que precisamos se previdentes, responsáveis e atentos, mas não são essas coisas que devem constituir a nossa tranquilidade e segurança. O Senhor Jesus disse acertadamente: “porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui.” (Lc 12.15).

 

Obrigado Senhor, que os guarda e nos protege todos os dias e com o teu imenso amor, nos atrai a ti para uma vida de fé e segurança verdadeiros. Que não te conhece, se agarra no que pode e no que possui; mas Tu és a nossa herança e a nossa fortaleza para os tempos de angústia. Permita, que o nosso coração esteja descansando sempre no Senhor dos Exércitos, o Todo-Poderoso, que não perde uma única batalha. Pai, santo, socorre os teus filhos que hoje estão em situação de risco por causa da fé em ti e da fidelidade ao teu evangelho. Oramos pela igreja perseguida em países fechados e hostis a ti e ao teu povo. Oramos para que sejam valentes do Senhor mesmo em meio as grandes provas, para que sejam fiéis até à morte, mas não neguem o teu santo filho. Obrigado, Espírito Santo, por sustentar o coração dos filhos de Deus nesse tempo e nesses lugares perigosos. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

As Revelações de Deus

Meditação do dia 21/06/2016

Sl 19.14 Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!

As revelações de Deus – Esse salmo é para mim um cartão postal, que retrata com muita perfeição a beleza da Palavra de Deus. Sei que estou utilizando uma linguagem que hoje não significa tanto, quanto já foi para outras gerações. Com as modernas tecnologias de imagem e até imagem em movimento, a nova geração, não sabe o que era um cartão postal. O Salmo 19 mostra em três etapas o que de melhor temos à disposição para conhecer a Deus, começando para revelação de Deus através da criação. Observando a descrição feita sobre os céus, o sol, e toda a criação, revelando a grandeza do Deus criador, dá uma sensação de prazer e de contentamento com as coisas de Deus, porque tudo funciona direitinho e mostra o seu cuidado e beleza em tudo. Depois ele parte para falar sobre a Palavra propriamente dita; ali em poucos versos ele revela seis diferentes títulos aplicáveis às Sagradas Escrituras, e a cada título há um resultado prático da aplicação e vivencia da vontade de Deus. As Palavras de Deus tem propósitos muito específicos a serem atingidos no coração e na vida dos adoradores e praticantes devocionais de suas palavras. Ao final, ele apresenta o que de bom vem a acontecer na vida de quem observa essas revelações divinas e as leva em consideração. Não basta saber o poder delas, mas experimentar sua sabedoria e poder, para que as questões da vida que angustiam e desafiam-nos diariamente, tenham respostas e soluções, de uma fonte tão eterna e poderosa, que não há como dar errado se experimentarmos seus conselhos. A preciosidade das Escrituras, dificilmente encontram paralelos em comparatividade com fontes conhecida e disponíveis aos homens. São altamente desejáveis, mais que ouro refinado e de alta qualidade; são mais apetecíveis do que o mais fino mel ao paladar do apreciador. Ao conhecer a criação de Deus e assim conhecer o Deus criador por suas obras e isso levar a pessoa a amar e acolher a Palavra revelada, que expressa a vontade e os desígnios divinos para nossas vidas; temos a opção de praticar e sermos admoestados por ela. Isso produz uma vida coesa com a vontade de Deus e que trás contentamento e alegria para a pessoa. Daí, a oração final do salmista, que deve ser a minha e a sua todos os dias: Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu! Isso muda o nosso dia para melhor!

 

Obrigado, Pai, pelo privilégio de meditar em tuas Palavras que são puras e verdadeiras, e expressam toda a tua santidade e justiça. Desejamos alinhar nossos corações à tua vontade e o meio adequado para isso é a meditação em tuas palavras todos os dias. Obrigado por se revelar a nós, através da criação e também da Palavra Escrita e encarnada em Cristo Jesus. Obrigado, pelo trabalho do Espírito Santo em renovar a cada dia a sua ação em nossas vidas, para que experimentemos vida nova e abundante no Senhor. Oramos por vida e saúde física os enfermos e doentes e pedimos por conforto e consolo aos desalentados e desanimados com as lutas e provações. Que nesses dias sejamos pacientes nas tribulações e perseverantes nas orações ao Deus que pode todas as coisas. Obrigado pelas portas que se abrem e pelas que se fecham e assim somos protegidos de errar e adiar ainda mais a bênção que está determinada para chegar. Em Nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason