Inovando para Melhor

Meditação do dia 29/02/2016

2 Cr 17.9 “E ensinaram em Judá, levando consigo o livro da lei do Senhor; e foram a todas as cidades de Judá, ensinando entre o povo.”

Inovando para melhor – Pessoas tem perfis diferentes uns dos outros e isso é bom, revela a multiforme sabedoria de Deus como criador. Há pessoas com perfil inovador, e é claro, eles adoram novidades, gostam de experimentar novas coisas, novos métodos, estão sempre em movimento. Há pessoas com perfil conservador, e estes não gostam muito de mudanças; se está funcionando bem, para que mexer? Procuram sossego e gostam de rotina. Há pessoas com perfil adaptável, esses estão entre os dois grupos anteriores; eles não são muito inovadores, mas também não resistem tanto às mudanças e se tem de acontecer eles procuram se adaptar o melhor e o mais rápido possível. Ainda há as pessoas com um tipo de perfil que chamaríamos de “arrastados.” Esses não seguem corrente alguma e resistem a tudo e precisam serem carregados pela massa maior. Bom, agora dá para você tentar se encaixar num desses quadros e assim entender melhor como e porque você reage à mudanças. Não há nada de errado com a característica do seu perfil, e se você é cristão e já nasceu de novo, então está melhor ainda, pois “Se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas velhas já passaram e eis que tudo se fez novo” (2 Co 5.17). A nova vida em Cristo, nos permite um tipo novo de inteligência e uma sabedoria do alto que permite um estilo de vida de poder, amor e moderação, que antes era impossível. Tendo a mente de Cristo, a pessoa pode receber instruções no seu espírito, que lhe permite tomar decisões que foge do seu padrão natural. É isso que torna a vida cristã surpreendente a cada dia. O rei Josafá, assim que foi coroado, apresentou-se à nação como um homem com um perfil inteiramente diferente de todos os reis anteriores e para melhor. Era dinâmico, inovador, comprometido com o povo e com Deus e não apenas queria levar o povo a adoração no templo como era de costume; ele inovou, montando equipes de sacerdotes e mestres para saírem de cidade em cidade, levando o manuscrito original para ler e ensinar as pessoas. A Palavra de Deus indo até onde as pessoas estão. A Grande Comissão de Jesus aos discípulos é o retrato disso: “Ide por todo o mundo…” O resultado a inovação de Josafá, foi um reavivamento espiritual no país inteiro e até os países vizinhos inibiram suas intenções bélicas. A proclamação da Palavra de Deus produz paz, começando no interior da cada pessoa e depois vai se espalhando gradativamente. Como é o seu relacionamento com a Bíblia? Qual o seu sistema de leitura bíblica? É conservadora, sempre do mesmo jeito sem nunca chegar a lugar nenhum? Que tal inovar, e se desafiar a ler toda ela em um ano, por exemplo? Ou apenas se disciplinar mais nessa prática. Inovar para melhor, é bom!

Obrigado Senhor por nos dar uma mente criativa e um coração disposto a aprender a andar por novos caminhos, porque ganhamos o direito de ter uma nova vida, com novos alvos, propósitos e a tua presença nos assistindo sempre. Obrigado pelo ministério da tua Palavra que alimenta o meu espírito e me faz deleitar em teus caminhos de retidão e justiça. Para sempre, a tua Palavra permanece no céu. Que assim seja também na minha vida. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Coração Perfeito

Meditação do dia 28/02/2016

2 Cr 16.9 “Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é perfeito para com ele.”

Coração perfeito – Ao olhar para a história do rei Asa, aprendemos muito, pois ele foi um tipo de pessoa, que não diríamos que era o melhor modelo, daqueles raríssimos que aparecem no planeta. Ele era “normal” – com bom potencial e na média, acertou mais do que errou. Talvez seja um tipo de pessoa com a qual nos identificamos melhor, porque somos também “normais;” Acertamos, erramos, temos atitudes muito nobres, pisamos na bola, temos nossas próprias crises e superamos muitos obstáculos. NO começo de seu reinado, ele fez reformas muito boas e que restauraram a fé e a prática dos mandamentos, trouxe a nação de volta para Deus e prosperou muito.  Desvinculou-se da herança negativa do pai e do avô e trilhou caminhos novos. Foi agredido militarmente por um exército africano muito maior e mais bem preparado do que o dele e pela sua confiança em Deus, levou todos à oração e a busca da bênção do Senhor e obteve uma grande vitória e libertação. Algum tempo depois, sofreu ameaças do rei de Israel (a outra metade que se havia separado); embora fosse um adversário muito inferior ao que ele vencera com a ajuda de Deus, desta vez ele não buscou a Deus por orientação e ajuda, mas agiu com independencia, tomando uma atitude lógica e humana em termos de conflitos de interesses de estado. Ele procurou a nação vizinha e propôs um acordo bilateral que trouxesse prejuízos para a parte que lhe agredia. Foi nessa situação que Deus se revela a ele novamente, afirmando-lhe que os olhos de Deus procuram na terra as pessoas de coração íntegro para Deus, e a esses Ele se revela forte! Já me vi em situações onde dependi inteiramente de Deus e fui abençoado e também já me vi em situações onde deveria ter exercitado a fé e fui pelo caminho da razão e de fazer do meu jeito. Os resultados normalmente não são iguais. Eu “careca de saber” que é função do senhor suprir para os seus servos e é obrigação do servo confiar na capacidade do senhor suprir suas necessidades. Saber é uma coisa, agir baseado nisso é outra bem diferente! Estou sendo desafiado esses dias pela vida de Elias, que foi enviado por Deus para o deserto, onde seria sustentado por corvos, que lhe trariam diariamente pão e carne e beberia de uma torrente de águas. Depois de algum tempo a fonte secou, mas Elias não se moveu até que Deus lhe desse novas orientações para que fosse para Serepta, em Sidon, onde uma viúva cuidaria dele. Ao ver a torrente secando, será que ele não se incomodou e não se viu pressionado a ter que tomar alguma atitude? Não é isso que pessoas inteligentes e sensatas fazem? É! Pessoas normais agem, pois são responsáveis por suas vidas e suas responsabilidades. Elias não era “normal ou comum” – Era alguém com um missão de Deus com ordens específicas e ele obedeceu e foi honrado. Quando me torno grande, forte, sábio, começo a ficar independente e isso me tira o privilegio de Deus cuidar de mim.

Grande é o Senhor e digno de ser louvado! Graças, Senhor, por tua bondade e pelo agir de tua mão para me guiar em todo o tempo. Eu quero depender de ti, sempre, a independência me afasta dos teus cuidados e isso não é bom! Perdoa-me e toma-me em tuas mãos e guia-me mansamente por águas tranquilas. Tua sabedoria é infinita e melhor do que a minha capacidade de decidir. Seja forte na minha vida e seja o meu provedor diariamente. Quero e vou descansar em ti! Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deus Está Contigo

Meditação do dia 27/02/2016

2 Cr 15.1,2 “Então veio o Espírito de Deus sobre Azarias, filho de Odede. E saiu ao encontro de Asa, e disse-lhe: Ouvi-me, Asa, e todo o Judá e Benjamim: O Senhor está convosco, enquanto vós estais com ele, e, se o buscardes, o achareis; porém, se o deixardes, vos deixará.”

Deus está contigo – É uma mensagem por demais promissora! “Deus está contigo!” Qualquer um que esteja em início de carreira, ou no começo de um novo projeto ou substituindo outro líder onde as expectativas não eram muito alvissareiras e de repente chega o homem de Deus e te fala essas palavras, é muito bom, muito bom mesmo! O caminho da bênção é o mesmo da obediência à Palavra de Deus. Quando Israel seguia a nuvem da presença de Deus, havia colheita de Maná. Se recusassem a segui a nuvem não haveria provisão. Esses princípios são imutáveis e são parte das veredas antigas de Deus, são caminhos que nunca se deve modificar ou criar variações humanas das verdades divinas. Ser servo de Deus implica automaticamente numa condição de submissão e obediência. Servo e obediência estão intimamente ligados, como trabalhador e trabalho. Fé e obediência são versões da luz e da verdade, tanto quanto o oposto delas, dúvida e desobediência são das trevas e do mal. Andar na aliança com Deus é um movimento da fé e da obediência que propositadamente escolhemos e nossas escolhas tem consequências, como Deus mesmo mostrou em Dt 30.19,20: “Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando ao Senhor teu Deus, dando ouvidos à sua voz, e achegando-te a ele; pois ele é a tua vida, e o prolongamento dos teus dias; para que fiques na terra que o Senhor jurou a teus pais, a Abraão, a Isaque, e a Jacó, que lhes havia de dar.” Deus propõe e ainda nos dá a dica da melhor escolha, mas essa, quem faz somos nós, quem colhe os frutos das escolhas somos nós e nossas gerações e quem está ao nosso redor. É ação de reciprocidade, o que o profeta Odede falou ao rei Asa, “…Deus está contigo enquanto estiverdes com ele… quem busca, encontra…quem deixa de buscar…” Em certas situações você e eu estamos no lugar do rei Asa e em outras  estamos no lugar do profeta Odede e ainda há ocasiões em que estamos apenas no meio da multidão e dependendo das atitudes deles, seremos abençoados ou cairemos em dificuldades. Mas ainda assim, somos adoradores responsáveis pelas nossas próprias escolhas e servir a Deus com fé e fidelidade não depende do rei ou do profeta, mas de mim mesmo! Eu tenho uma aliança com Deus, tenho compromisso com o meu modo e estilo de servi-lo e o que os outros fazem apenas compõe a cena da qual participo, pois na verdade, eu sou o ator principal no roteiro da minha própria vida. Que O Senhor esteja contigo hoje!

Emanuel! Deus conosco, este é um dos teus nomes, Senhor, e que nos dá prazer e alegria em te chamar assim. É parte integral do teu caráter e dos teus propósitos para conosco. Obrigado por estar sempre presente não só na minha história, mas em toda a minha vida e fazê-la valer a pena. Graças, Senhor, pela liberdade que permite que me aproxime do teu trono de bondade e justiça. Eu clamo por misericórdia, pois sou pequeno e fraco diante da tua grandeza em força e poder e é de ti que vem a minha força e até mesmo a minha vida. Obrigado por ser o meu Deus e estar comigo nesse dia. Em nome daquele que era, que é e que há de vir! Amém!

Pr Jason

Oração, Fé e Atitude

Meditação do dia 26/02/2016

2 Cr 14.11 “E Asa clamou ao Senhor seu Deus, e disse: Senhor, nada para ti é ajudar, quer o poderoso quer o de nenhuma força; ajuda-nos, pois, Senhor nosso Deus, porque em ti confiamos, e no teu nome viemos contra esta multidão. Senhor, tu és nosso Deus, não prevaleça contra ti o homem.”

Oração, Fé e Atitude – Incentivar pessoas cristãs a orar não é estranho e também não é difícil ter a atenção deles, pois todos consideram a vida de oração uma prática saudável e natural na vida. Mas encontrar pessoas com hábitos de oração já é uma outra coisa! É quase unânime a resposta de que oramos um pouco menos do que gostaríamos e da consciência que temos da importância dela; ou seja, temos mais teoria do que prática, muita folha e poucos frutos. A fé, também não é muito diferente entre teoria e prática. Então alguma coisa precisa aparecer no nosso cenário, que possa mudar o peso nessa balança, e a isso chamarei de “atitude.” Quando pensamos em atitude pensamos em ação, movimento, prática com energia. Ao pedir a alguém que tenha ou tome uma atitude, se espera que ela reaja, se movimente e mude o curso da situação. O rei Asa, foi uma pessoa de atitude! Se pai e seu avô, que reinaram antes dele, não serviram a Deus, foram idólatras, aderiram a praticas erradas e conduziram a nação para longe dos caminhos da fé e da obediencia. Descuidaram do culto e das boas práticas. Seguir o curso das coisas seria natural para um jovem, que vira isso durante toda a sua vida e o errado fez parte de seu treinamento. Mas Asa tomou atitudes que interromperam o fluxo natural do pecado e das coisas erradas. Chamou o povo para o arrependimento, a oração e rompeu de vez com o paganismo e a idolatria e buscou a Deus em tempo de paz e exortou o povo a construir e valorizar as situações favoráveis que estavam vivendo como resultado do estilo de vida. Quando veio a guerra, e ela vem, pois o adversário não descansa e não cessa em seus planos de roubar, matar e destruir. O cristão amadurecido sabe que os tempos de paz, não são tempos para piqueniques e recreações descuidadas, mas tempo de repor as energias, tratar as feridas, consertar as redes e as cercas, fechar as brechas e restaurar os escombros e cuidar das provisões e ficar de prontidão. Silencio demais em tempos de batalhas, é perigoso! Depois de algum tempo de paz, o reino de Asa foi atacado por um inimigo que veio de longe, muito numeroso e bem preparado e disposto a destruir sem piedade. Isso era um fato! Asa sabia de suas reais condições, estava ciente de suas limitações e do que isso faria de estrago na moral de suas tropas; mas ele não foi para a mesa de planejamento primeiro, foi para a oração e oração sincera, simples, curta e objetiva. Ele derramou sua alma diante de Deus, mas sem lamúrias e sem se sentir inferiorizado, mas colocou fatos contra fatos, dizendo a Deus onde estava sua confiança, pois para Deus agir, não depende de número, de circunstancia favorável ou de acordos e concessões ao inimigo. Existe a lógica, existe a responsabilidade pessoal, existe a nossa parte, eu sei de tudo isso e voce também; mas ainda temos um Deus que se importa e age por nós; alguém facilmente pode dizer: “Guerra é coisa para exército, planejamento, estratégia e preparo – não tem nada a ver com oração, fé e devoção…” Todos os dias aparecem situações que tem suas maneiras naturais, legais, morais e de responsabilidade nossa para resolver. Mas isso também deve ser levado a Deus em oração. No Senhor está a nossa confiança! Asa tomou atitude de fazer diferente do que seu pai e seu avô fizeram, e obteve resultado diferente e melhor do eles obtiveram. Hoje é dia, é tempo de tomar atitude, alguma atitude para mudar as coisas. Qual é o seu desafio de hoje? Qual atitude você já sabe que precisa tomar? Levante-se, e comece a agir!

Senhor, quão grande és tu! Quão poderosos são os princípios da tua Palavra, para ensinar, corrigir, repreender e ensinar em justiça. Hoje é dia de tomar decisão de mudar de atitude e mudar as coisas que não estão indo na direção certa. Fomos chamados com certeza para uma vida de pureza, santidade, justiça, vitória e crescimento! Fortaleça o fraco e levanta o abatido, que se experimente o descanso do Senhor aqueles que estão cansados e sobrecarregados; socorre senhor, os teus filhos que precisam mudar de atitude para experimentarem refrigério e renovação. Que o teu Espírito Santo guie a mim e aos teus filhos em novos caminhos, os teus caminhos, onde haverá provisão e bênção, disciplina e recompensa para que apareça a tua glória, em nome de Jesus, amém!

Pr Jason

Confiança em Tempo de Dificuldade

Meditação do dia 25/02/2016

2 Cr 13.18 “E foram humilhados os filhos de Israel naquele tempo; e os filhos de Judá prevaleceram, porque confiaram no Senhor Deus de seus pais.”

Confiança em tempo de dificuldade – Fé não é um artigo de barganha com Deus! A confiança se baseia no conhecimento do caráter de Deus, como sendo perfeito, bom e reto em todas as suas decisões. A proposta de confiar inteiramente no Senhor não pode ser a última alternativa, depois que já se esgotaram todas e quaisquer possibilidades de livramento. Servimos a Deus e confiamos nele, por Ele é Deus em cima nos céus, embaixo na terra, em todo tempo e circunstancia. Preciso saber para mim mesmo que, independente dos resultados, nada vai alterar a pessoa de Deus e nem mesmo o seu caráter. O apóstolo São Paulo disse à Timóteo que “Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo” (2 Tm 2.13). Mesmo quando tudo parece adverso e terrível, ainda assim devemos manter a nossa fé firme, porque as circunstancias mudam, a índole das pessoas mudam, mas Deus é imutável, Ele permanece firme como uma rocha. Pela experiência que a vida e a história cristã nos proporciona, até hoje Deus não perdeu nenhuma batalha e nenhuma causa e temos motivos de sobra para acreditar que a sua e a minha causa, não serão as primeiras. Quando nosso pai da fé, Abraão se viu em dificuldades com as promessas a ele feitas por Deus e a condição física e humana ao seu redor tornavam as coisas improváveis, ao invés de se afundar em tristeza e desconfiança, ou mesmo em crise de fé, ele reagiu de forma exemplar, e é o que devo fazer e também o sugiro e exorto a cada um fazer também. “(Como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí) perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como se já fossem. O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E não enfraquecendo na fé, não atentou para o seu próprio corpo já amortecido, pois era já de quase cem anos, nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara. E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus, E estando certíssimo de que o que ele tinha prometido também era poderoso para o fazer” (Rm 4.17-21). Recomendo que leia novamente os versículos acima, prestando atenção nas frases que sublinhei, pense bem sobre o que cada uma delas diz! Nas dificuldades não é hora de amolecer, ao contrário é tempo de endurecer, fortalecer, firmar-se mais ainda. O texto de hoje, aponta como um exército prevaleceu sobre um inimigo com o dobro de soldados e estrategicamente melhor posicionado; A confiança certa em Deus fez a diferença. Estamos cientes das nossas batalhas, da ferocidade dos nossos adversários espirituais, mas também estamos certos de quem está conosco!

Senhor Deus dos exércitos, socorro bem presente na hora da angústia! Levanta sobre nós o teu rosto e prevalece por nós em nossas lutas no dia de hoje. A minha fé está em ti e nas fiéis promessas da tua Palavra; Adestra ó Senhor as minhas mãos para a batalha de hoje e revela a tua presença, para dela batam em retirada as forças do mau e a tua paz continue a guiar o meu coração e a minha mente. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Dois Tipos de Servidão

Meditação do dia 24/02/2016

2 Cr 12.8 “Porém serão seus servos; para que conheçam a diferença da minha servidão e da servidão dos reinos da terra.”

Dois tipos de servidão – Uma das inacreditáveis características dos cristãos atuais é a incapacidade de acreditarem no juízo divino. A ideologia liberal e pagã que invadiu as instituições teológicas, seminários e centros de formações dos atuais ministros, produziu um rebanho que no dizer do profeta Oséias, mais parece um bolo que não foi virado, ficando assado de uma lado e cru do outro (Os 7.8). São estimulados a exercitarem a fé para tudo que lhes é vantajoso, lucrativo e prazeroso ao mesmo tempo que duvidam e rechaçam veementemente a pureza da Palavra bem pregada e exposta com exatidão; são alérgicos à disciplina e correções e abominam que se fale contra pecados, hábitos nocivos e regeneração. Parece que vale tudo para se conseguir o que se deseja, isso vai desde manipulação, até torcer a verdade e fantasias megalomaníacas; o marketing é mais aceitável e praticado do que a oração e busca por sabedoria e discernimento. Um povo assim, não tem como saber a diferença entre uma crise e um juízo divino! Os frequentadores de templos acreditam que isso serve de vacina contra todos os males espirituais e maléficos de procedência direta do Diabo. Todos estão “debaixo de cobertura espiritual” e assim sendo já estão garantidos por promessas como “Mau nenhum de atingirá e praga alguma chegará a tua tenda…” por mais assustador que pareça, estão crendo e vivendo como se Deus cuidasse só dos “dele” e também o diabo só perturba os dele. No tempo do rei Roboão, eles abandonaram a Deus e seus princípios e achavam que estavam protegidos, afinal existia o templo de Jerusalém, majestoso, abençoado e Deus mesmo havia prometido estar ali e cuidar do povo. A religião tomou o lugar do culto; a arrogância religiosa substituiu a fé e a piedade. O temor a Deus foi substituído pelo cumprimento de regras e regulamentos. Mas o juízo de Deus veio e com o propósito de leva-los a uma experiência tão real que os capacitaria a saber diferenciar o que é ser servo de Deus e o que é ser servo de um rei humano, ditador, opressor e impiedoso. Leia o contexto é veja, que Deus começou na política de governo, tirando-lhes a soberania da nação, em seguida, desmontando o aparato religioso deles com o saque dos tesouros do templo deles. Voltaram a servir ao rei do Egito, justamente de onde eles foram libertados com mão poderosa e braço forte, com sinais e maravilhas; Você acredita mesmo que tudo que está acontecendo conosco a nível de Brasil, com pragas, doenças infecciosas, calamidades da natureza, violência degenerada ceifando e destruindo o futuro de famílias inteiras; incapacidade administrativa em todos os níveis de governo, destruição de valores morais, familiares e a educação indo para índices priores do que antes….. tudo é normal? É contingencia de fatores da época? Tudo vai passar e sairemos disso melhor do que entramos? Você realmente acredita nisso? Que Bíblia você anda lendo? Que tipo de sermões você anda ouvindo? Que tipo de pregadores mais te agrada? Você está mesmo esperando o arrebatamento da igreja? Seu nome está no Livro da Vida?

Santo e justo Senhor do céus e da terra e de tudo o que neles há! A tua Palavra diz claramente que o Senhor é santo em todas as suas obras e justo em todos os seus caminhos; eu creio nisso, meu Pai; eu creio! Sei que o Senhor não pactua com o pecado e o erro e muito menos fecha os olhos para a injustiça e a opressão, nem tampouco se rende a religiosidade aparente. O teu povo, o nosso povo está sendo destruído porque lhe falta conhecimento e eles não querem conhecer a verdade de verdade; querem ser iludidos e lisonjeados que não lhes incomodem com arrependimento e confissão de pecados, quebrantamento e conversão de corações e almas; eles não querem deixar as trevas e se contentam em ficar na sombra, na penumbra entre a luz e as trevas, a santidade de fato e a imoralidade velada e escondida! O teu juízo sobre nós é justo, Senhor! Estenda a tua misericórdia sobre os remanescentes que clamam por ti… em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Fiéis por Tres Anos

Meditação do dia 23/02/2016

2 Cr 11.17 “Assim fortaleceram o reino de Judá e corroboraram a Roboão, filho de Salomão, por três anos; porque três anos andaram no caminho de Davi e Salomão.”

Fiéis por três anos – Esse camarada, viveu ao todo cinquenta e sete anos dos quais dezesseis como rei de Israel (I Rs 14.21). Assumiu o trono com quarenta e um. Até então vivera na sombra do pai, o rei Salomão. Com um reinado de dezesseis anos, sendo que apenas três, destes ele e o povo andou nos caminhos de Davi e Salomão; ou seja, andou no caminho certo. Não é muito pouco para uma vida? Não enfrentou guerras, quer para conquistar ou defender territórios; não enfrentou calamidades da natureza; assumira o governo num tempo de paz e prosperidade, mas mesmo assim, andou nos bons caminhos apenas por três anos. O que está dentro do coração do homem, mais cedo ou mais tarde vai ser revelado. Há um pensamento afirmando que “é possível enganar muita gente por muito tempo, mas não enganar todas as pessoas o tempo todo.” Jesus mesmo afirmou que daquilo que o coração está cheio, disso fala a boca (Mt 12.34). O mesmo se dá com a atitude, por mais que se tente camuflar e agir diferente do natural do seu interior, uma hora a represa estoura e tudo vai água à baixo. O problema não foi só de Roboão, o rei de Israel. Estamos dentro de um contexto onde nossas vidas com tudo que ela tem e significa, está à vista de todos e o que fazemos influencia e se revela. Ao pensar em utilizar a vida de forma útil e abençoadora como um dom de Deus e um ministério para influenciar e abençoar os povos, com a expansão do reino de Cristo com a mensagem do Evangelho, precisamos de um plano de fidelidade mais longo do meros três anos… Estou me referindo ao fato de perseverarmos em consagração, santidade, compromisso, vigilância, bom testemunho, serviço, devoção e tudo mais, por toda a nossa vida, todos os nossos dias e não apenas enquanto estamos no cargo ou em evidencia. Não podemos estar disponíveis apenas se for em posição de destaque; se formos elogiados, reconhecidos e premiados. É triste ver um filho de Deus, admitir que já foi mais comprometido, já serviu mais e melhor; já foi mais avivado… mas agora….! O próprio chamado de Cristo para a nossa vida, tem um tom de “perseverar até o fim….” “…quem vencer…” “…ao vencedor…” Como estamos? Continuamos fiéis ou já estamos devagar ou até paramos?

Senhor, hoje é um dia especial, o dia que o Senhor fez para que eu me alegrasse nele. Obrigado pelo presente de estar vivo, saudável e disponível para servir e glorificar o teu nome. Obrigado por permitir minha participação na tarefa de construir um reino, que será eterno, perfeito e com espaço para muitas vidas te conhecerem e experimentarem a tua boa vontade. Consagro ao Senhor o meu coração e a minha vida para ser fiel e firme nos teus propósitos. Sustenta-me a cada dia e guia o meu coração na tua paz perfeita. Satisfaça-me com a tua presença viva e alimenta a minha alma com graça divina. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Sensatez insensata

Meditação do dia 22/02/2016

2 Cr 10.5 “E ele lhes disse: Daqui a três dias voltai a mim. Então o povo se foi.”

Sensatez insensata – Aprendemos muito com erros cometidos; poderíamos apenas aprender com os erros que outros cometem perto da gente, mas parece que gostamos de fazer os nossos próprios erros e sofrermos consequências que plantamos com as nossos próprias mãos. O pior erro que uma pessoa comete é aquele do qual ele nada aprende. Esse jovem, prestes a ser coroado rei de Israel, era filho do homem mais sábio que o mundo já vira até então, e não teria outro semelhante a ele dali pra frente. Só isso já deveria ser um bom motivo para ele ser sábio e sensato, afinal, seu deve ter lhe dado instruções para quando assumisse o trono. Só por observação, já teria aprendido muito e com certeza ele tinha o direito de tomar algumas decisões diferente das que seu tomara ou tomaria se estivesse naquela situação. A reunião solene para a coroação e posse, por alguma razão não fora marcada para o palácio real em Jerusalém, mas numa cidade chamada Siquem, e ali estava reunido multidões de pessoas com liderança, posições de governo e elementos chaves da administração real, também representantes de classes que além de prestigiar a cerimonia, também queriam apresentar reivindicações ao rei. A primeira atitude de Roboão, o novo rei, foi muito sensata e equilibrada. As pessoas solicitaram a ele, que concedesse alívio tributário e de serviços obrigatórios, que vinha consumindo todo o poder e condições deles; afinal para mante toda a glória e a pompa da administração do rei Salomão, fora necessário o sacrifício da população por quarenta anos. O jovem rei, agiu com muita habilidade, pois era um assunto de estado e do qual ele não tinha nenhum conhecimento, pois como príncipe, ele vivia no palácio, com todas as mordomias e regalias e nunca precisara pensar em quanto custa qualquer coisa. Ele pediu três dias para consultar o ministério da fazenda, o ministério do planejamento e o banco central. Após ter em mãos os relatórios e estar ciente dos verdadeiros fatos ele se viu numa condição de ter que tomar uma decisão importante com consequências boas ou ruins e então convocou dois conselhos de estado; um formado por anciãos experientes e sábios, com conhecimento e como respeito do rei Salmão, que acabara de falecer. O outro conselho, formado no momento, por jovens colegas de estudos e amigos de festas e baladas da vida, que na verdade eram os “puxa-sacos” do príncipe, com a intenção de ganharem prestígio e acesso fácil quando ele se sentasse no trono. Os dois conselhos deram pareceres bem opostos e com propósitos bem distintos. Os anciãos optaram pelo caminho de servir o povo e abençoá-los, e assim manter a unidade do país e o carinho e admiração dos súditos. O conselho dos jovens, veio na contramão do sistema, incentivando o rei a inflar o seu ego e megalomania e se declarar abertamente um opressor e tirano sem misericórdia, se colocando acima e muito acima do fora seu pai. Ele pediu três dias, tempo suficiente para se informar, orar, consultar e tomar a decisão que marcaria o seu governo. Em três dias, dá para se fazer muita coisa e até mesmo, mudar o destino de uma nação inteira. Tres dias! Por que ele não continuou sensato? Porque depois de três dias de oportunidades de fazer o bem e o certo, ele deixou o seu coração ser enganado, dando a si mesmo o que ele não era e não podia ser. Ele não era Salomão, era filho de Salomão! Ele não era sábio e sim filho de um homem sábio! Ele não soube ser grato por ser que era e ter o que tinha e ser abençoado com a oportunidade de suceder alguém tão bem sucedido e servir ao povo de uma grande nação. Ele quis ser o cara! Entrou para a história pelo modo negativo! Já começou destruindo o que outros trabalharam duro para edificar! Quem sou eu de fato? Quem é você de fato? Merecemos o temos e onde estamos? Não será que estamos muito além das nossas possibilidades, por obra e graça misericordiosa de Deus e bondade de pessoas queridas que nos amam e nos sustentam, mesmo sabendo o que realmente somos? Sensatez é bom!

Pai celestial, estamos vivendo por graça e bondade tua, não merecemos nada além do que já somos agraciados por tua generosidade. Por mim mesmo eu clamo por tua ajuda, para manter o meu coração sensível e a minha inteligência disponível e acessível ao teu Espírito, para que a sensatez me permita o equilíbrio nas decisões. Abençoa os meus amados, para que em suas lides diárias, vejam a tua graça e bondade e juntos sirvamos ao teu povo, como servindo a ti. Dê-nos Senhor, corações humildes e quebrantados, todos os dias. Em nome de Jesus. Amém.

Pr Jason

Siga também através do blog: https://wordpress.com/post/meditacaododia.net

O que os Reis da Terra Procuram?

Meditação do dia 21/02/2016

2 Cr 9.23 “E todos os reis da terra buscavam a presença de Salomão, para ouvirem a sabedoria que Deus tinha posto no seu coração.”

O que os reis da terra procuram? – Uma palavra muito simples que todo o cristão tem como importante é “Testemunho.” Dar um bom testemunho, servir de modelo, dar bom exemplo, servir de parâmetro. O Senhor Jesus utilizou a expressão “sal da terra e luz do mundo” para definir com mais precisão o papel dos seus seguidores, aqui nesta vida. A necessidade é muito grande, é uma espécie de fome ou sede; o mundo todo está ávido por coisas boas, bons referenciais, e em muitos casos eles ficam à espreita, prontos para abocanhar uma novidade que venha a valer a pena. Foi assim também no tempo de Salomão; Os gregos já tivera o seu auge, outros povos se apresentavam com novidades, e desejo humano de progredir, desenvolver sempre o impulsionou para frente, para grandes desafios e nem sempre tiveram sucesso, mas abriram caminhos. Salomão aparecera como uma novidade temporã, de um pequeno reino, em termos de nações e era um reino ainda novo, ele era apenas o terceiro rei no trono de Israel e o segundo da mesma dinastia. Mas a notícia que se espalhava como fogo na campina, era de que um jovem rei, recebera um dom especial direta de Deus e que se tornara uma fonte de sabedoria em todos os campos do conhecimento humano e também de verdades espirituais, uma vez tudo isso começara numa experiência pessoal dele no momento de adoração ao seu Deus. Aquele pequeno reino, incrustrado entre montes e desertos, se tornara a capital das peregrinações reais do mundo de então. Hoje, nos vemos diversos centros de peregrinações ao redor do mundo, mas em praticamente em sua totalidade, o público de peregrinos, são devotos ou místicos em busca da “pedra filosofal” – quase sempre de plebeus. Meca na Arábia Saudita para os islâmicos; Tibé, Nepal para os místicos do budismo e filosofia oriental; Jerusalém para “cristãos” – Dubai e Miami para os “adoradores de shoppings, compras e regalias” – Santiago de Compostela na Espanha, para místicos em geral. Mas as grandes e muitas caravanas que se aportavam em Jerusalém nos tempos de Salomão, eram de reis, chefes de estado, soberanos, ditadores, imperadores e afins… eles iam lá para ouvirem a sabedoria do rei Salomão, que Deus lhe dera, e como ele estava colocando isso em prática em sua própria casa, em seu próprio reino, em benefício do seu próprio povo. Trazendo isso para os dias atuais, a minha pergunta é sobre o que estou fazendo, ou estamos fazendo com os dons e talentos que Deus nos deu, pois não nascemos com “a bola toda” e as coisas só começaram a fazer sentido após Cristo ter entrado na nossa vida e mudado o curso dela. O que as pessoas tem visto na minha vida, como consequência das dádivas de Deus? Como pastor da Monte das Oliveiras, o que as pessoas tem visto nela e se beneficiado como resultado do dom que Deus deu ao pastor Jason? Voce também que está recebendo essa meditação, foi também contemplado com um presente, um carisma divino, e o que “os reis da terra tem visto?” Estamos fazendo a diferença? Como vamos potencializar isso? Voce pode me ajudar, me retornando, e compartilhando sobre seu dom, como tem utilizado e como podemos crescer juntos nisso. Lembre-se: É dando que se recebe!

Senhor, graças te dou, por ser teu filho, comprado pelo precioso sangue de Jesus e fui agraciado com um dom de ensinar verdades espirituais através da exposição de tua Palavra. Reconheço que é um dom e a tua graça e bondade é que faz isso acontecer, pois naturalmente sou limitado e falho, mas fui presenteado por ti, e acredito que há um propósito nisso tudo e posso abençoar pessoas, igrejas e o reino do Senhor, ao permitir que pessoas sejam alcançados por esse dom. Oro a ti por estas pessoas que ficaram pensativas hoje, sobre o dom que elas receberam e como estão desenvolvendo e utilizando de forma construtiva. Ilumine-as em seus corações e mentes, que recebam novas revelações e novas percepções de agora em diante, para ainda realizem muito com o que tem em mãos. Em nome de Jesus, amém!

Pr Jason

Cada Coisa no seu Lugar

Meditação do dia 19/02/2016

2 Cr 8.12 “Então Salomão ofereceu holocaustos ao Senhor, sobre o altar do Senhor, que tinha edificado diante do pórtico.”

Cada coisa no seu lugar – A vida profissional ou as profissões e ofícios em si, oferecem muitas lições que podem ser adaptadas nas aplicações para vida espiritual e o relacionamento com Deus. Exemplo disso, é uma oficina mecânica, que sua aparência imediata já diz muito sobre os profissionais que trabalham ali e daí, já se tira uma conclusão de como tratarão o seu carro. Se ela se apresenta limpa, organizada, sem objetos, peças e ferramentas espalhadas, mas cada coisa no seu devido lugar; as chaves alinhadas por dimensões etc. sabe-se que são cuidadosos e atenciosos. Se for o contrário, a menos que seja sua única alternativa, saia dela o quanto antes. Costumo dizer aos membros da igreja que trabalho, que o estado em que se apresenta as suas bíblias, também revela a vida da pessoa. Bíblias limpas, com marcadores bem colocados, textos marcados com delicadeza e organização, sem orelhas nas pontas das páginas é bom sinal. Já Bíblias sujas, rasgadas, cheias de objetos e todo tipo de papelada dentro e nem se falando de objetos totalmente estranhos a devoção e leitura, xiiiii!!!! Assim também esses conceitos de organização e cuidado, aparecem na vida espiritual e nas ações de culto dessa pessoa. Há tempo para tudo e lugar para tudo! Com isso a pessoa consegue trabalhar, estudar, ter atividades sociais e de lazer, cultivar hábitos esportivos e outros mais, sem nenhum prejuízo para a vida espiritual e o exercício de seu ministério e trabalho na igreja. Você já encontrou ou conhece pessoas, que fazem muitas coisas e parece que nada lhes limitam? E também conhece pessoas que não produzem quase nada, se enrolam com qualquer coisa e estão sempre atrasadas, sem tempo e a vida toda bagunçada? Então você já entendeu o que estou falando! Salomão era rei, tinha muitas obrigações, foi uma pessoa estudiosa e observadora, que fazia muitas experiências, escreveu, e ainda cultuava a Deus e seguia aqueles rituais exigidos pela sua fé conforme as instruções de Moisés nos textos sagrados. Ele construiu o templo, arrumou lugares para tudo e cada atividade era praticada no devido lugar. Ele oferecia holocaustos ao Senhor sobre o altar do Senhor que tinha edificada para aquilo. Estou referenciando sobre pessoas que se dizem adoradoras, ministros, obreiros, com chamados específicos e especiais, mas que fazem coisas nos lugares errados, da forma errada, em lugares onde Deus não quer, não aceita…. Não se serve a Deus nos nossos próprios termos; não se faz do jeito que se entende, com qualidade duvidosa e consagração supérflua! Misericórdia! Deus é Espirito e importa que os que o adorem, o façam em espírito e em verdade! Não é verdade que Deus aceita tudo, de qualquer maneira, com se Ele não tivesse senso crítico e muito menos bom gosto! O que encontramos na Palavra é que em situações nas quais pessoas bem intencionadas mas desavisadas se aproximaram de Deus, ele os advertiu de imediato: “Tire os sapados dos teus pés, pois o lugar que pisas, é santo!”

Senhor, obrigado pelo exemplo de organização e bom uso de todos os recursos disponíveis. O Senhor é sempre fiel, pontual, exato, correto, santo e justo em todos os teus caminhos e está sempre perto daqueles que te invocam em verdade. Sou um adorador e desejo muito aprender e crescer diante de ti! Ensina-me, ó Espírito Santo, e me capacita para que eu seja tudo que desejas, em nome de Jesus, amém!

Pr Jason