Saúde dos Pais

Meditação do dia: 20/07/2021

“E aconteceu, depois destas coisas, que alguém disse a José: Eis que teu pai está enfermo. Então tomou consigo os seus dois filhos, Manassés e Efraim.” (Gn 48.1)

A Saúde dos Pais – Algumas preocupações familiares que são rotineiras, como os cuidados com os pais, as vezes ganham novos contornos e chegam notícias que nos deixam inquietos ou simplesmente precisamos agir imediatamente. Por mais que a razão nos diga que um dia nossos pais partirão, nunca estamos prontos totalmente, mas não é só essa a visão a ser levada em consideração. Embora nos nossos dias, há uma maior facilidade de cuidados médicos e a ciência avançou bastante na área da geriatria, prolongando a vida dos nossos velhos e com muita boa qualidade, ainda assim, nem todos tem acesso às melhores práticas, ou determinados casos, foge aos cuidados humanos. Estamos lidando desde os últimos meses do ano de 2019 com uma pandemia, que até então era restrita à Ásia e mais especificamente à China, e ainda mais restrito a uma província longínqua. Mas eis que ainda no primeiro bimestre de 2020, os brasileiros passaram a lidar com uma situação inédita e inaudita, migrou mui rapidamente de país para país e de continente para continente, com perdão do trocadilho infame, veio de uma forma incontinenti. Então, de lá para cá mais de meio milhão de pessoas já se foram e pais idosos e não idosos, pessoas com comorbidades ou não, mães e filhos, autoridades e plebeus indistintamente tem corrido os mesmos riscos. José foi comunicado que estado de saúde de seu pai não estava bem e ele agiu rápido para saber do que se tratava e também já estar agindo com providencias que lhe estavam ao alcance. Também tenho pais idosos e sou juntamente com minha família muito agradecidos a Deus pela longevidade deles e pelas muitas bênçãos que isso significa para nós. Tê-los entre nós é uma alegria, uma honra e uma responsabilidade que procuramos levar com muita satisfação e honrá-los por tudo que nos proporcionaram, para que hoje chegássemos a ser o somos. É uma oportunidade de também expressar em palavras escritas, documentando aqui a minha gratidão às minhas irmãs, irmão e sobrinhos e cunhados, amigos e conhecidos, todos que de muitas formas tem nos ajudado muito nesse processo de bênçãos.  “Ouça, meu filho, a instrução de seu pai e não despreze o ensino de sua mãe. Eles serão um enfeite para a sua cabeça, um adorno para o seu pescoço” (Pv 1.8,9). Independente da sua teologia ou filosofia de vida, te desafio a viver de modo que honre os seus pais e ainda que eles não estejam mais aqui na terra com vocês, isso não altera o princípio da prática da honra, respeito e obediência a eles. Se você ainda os tem, morando perto ou longe, não negligencie ajuda e muito menos a sua presença. Permita que eles se alegrem com o seu sucesso e da vida e família que você formou. “A coroa dos velhos são os filhos dos filhos; e a glória dos filhos são seus pais” (Pv 17.6). Experimente essa alegria, e um dia chegará a sua vez! Se já chegou, desfrute das duas!

Senhor, obrigado pelo privilégio de ser abençoado com uma família que valoriza a tua Palavra e os teus princípios de sabedoria. Somos agradecidos por todos que de uma forma ou de outra são instrumentos para abençoarem e facilitarem ao máximo a alegria e a satisfação de nossos anciãos que cumpriram uma jornada difícil e de muitas lutas para proporcionarem aos seus filhos uma maior comodidade e prosperarem, não passando pelas mesmas dificuldades que eles passaram. Muitos dos frutos e bênçãos que colhemos hoje, foram semeados, plantados e cuidados por eles. Muito obrigado por todos os pais e avós que são fontes de bênçãos e inspiração para as novas gerações, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Vontade dos Pais

Meditação do dia: 19/07/2021

“Mas que eu jaza com os meus pais; por isso me levarás do Egito e me enterrarás na sepultura deles. E ele disse: Farei conforme a tua palavra.” (Gn 47.30)

A Vontade dos Pais – Quantas pessoas estão presentes numa reunião familiar com dois pais, dois filhos e um neto? Pense bem nisso. Querendo pegar uma carona na abordagem do encontro entre Israel e José, numa conversa de pai e filho, duas pessoas de honra e que entendem muito bem o princípio da autoridade e especialmente o valor da honra para com os pais, estamos diante de uma expressão muito bonita que José deu como resposta ao pedido de seu pai. “Farei conforme a tua palavra.” Honrar a palavra empenhada é questão básica entre pessoas de respeito e honra. Entre pais e filhos, quando um precisa ou exige o empenho da honra do outro. Não vou alimentar mágoa ou demonstrar chateação com o quadro que vigora no presente momento da história. Estou aprendendo a viver feliz e satisfeito com o que tenho e o que Deus me dá oportunidade de experimentar. O sábio Salomão já ensina que não é sábio dizer que antigamente era melhor que hoje. O nosso tempo presente é muito especial, porque é o tempo que o Senhor nos deu a oportunidade de viver, crescer e servir a ele, servindo ao próximo e à causa do Reino. Os males e dificuldades atuais estão contemplados na sua graciosa bênção de suprir em Cristo tudo o que necessitamos e precisaremos para vencer na nossa vez. Acredito que não nasci antes da hora, nem depois do tempo, estou no tempo certo, no lugar certo! Nasci na família certa, no povo certo e aquilo que não estava bom, Deus transformou para sua glória. Tive a oportunidade de conhecer ao Evangelho e a graça de Deus, aos dezessete anos de idade, e nessa semana serão completados quarenta cinco anos de caminhada com Deus. Que maravilha! Quantas bênçãos! Quantas oportunidades! Louvado seja Deus! Aprendi no berço familiar o valor da honra da palavra empenhada, meus pais sempre foram pessoas de honra e respeito e passaram isso como valor para seus filhos e temos passado esse legado para as próximas gerações. No tempo desse diálogo, José estava com aproximadamente cinquenta e seis anos de idade dos quais trinta e nove foram vividos no Egito, ele curiosamente viveu duas etapas de dezessete anos em companhia do pai e da família, separadas pelos anos de escravidão e depois servindo ao império até a chegado do pai e seus irmãos. Em todo esse tempo a memória e o respeito aos valores de casa e a fé nas promessas de Deus aprendidas ficaram indelevelmente gravadas e devidamente utilizadas para lhe trazer conforto e confiança nas provações. Uma vida plena, precisa ser vivida em obediência e fé nos valores que são ensinados e dentro do possível vivenciar os rituais de passagens de cada etapa da vida, para que nada fique incompleto ou deixando aquele sentimento de algo não foi feito ou pelo menos como era esperado. Ser criança quando criança, experimentar a adolescência e a juventude, aprender a vencer os embates próprios de cada etapa e fechar aquele ciclo de forma a iniciar um novo sem pendencias. Enquanto solteiros, viver isso com plenitude e responsabilidade, gozar dos privilégios e liberdades apropriadas e quando chegar o momento de iniciar a própria família, estar pronto, consciente, e habilitado de forma que os pais se sintam felizes em abençoarem a união e a pessoa com quem unirá, onde nenhuma das famílias perderá um filho, mas ganhará um outro que lhes acrescentará muito e proporcionará bênçãos e alegrias. Juntos, formando uma nova célula, eles se prepararão para reiniciar os ciclos da vida, acrescentando sua própria pitada de tempero e contribuirão com os propósitos eternos, enquanto se realizam na vida pessoal. Todo pai e todo mãe, certamente ficarão muito felizes e honrados ao terem uma conversa de adultos com os filhos e ouvirem ao final eles lhes dizerem: “Farei conforme a tua palavra.” Sou pai e já sou avô, mas ainda tenho orgulho e alegria de ser filho. Antes de sermos pais, todos somos filhos e se por alguma circunstancias alguém não chegar à paternidade/maternidade, continuará sendo filho, isso é uma honra para quem sabe o que isso.

Queremos orar a ti, ó Pai eterno, agradecidos pelos ciclos da vida que tua graça nos permitiu experimentar. Somos gratos pela vida de nossos pais e também de nossos filhos e aos filhos de nossos filhos e é tão bom saber que as tuas promessas vão muito além do que nossos olhos conseguem ver no presente. A descendência dos justos será poderosa na terra. O mundo e a vida tal qual a conhecemos será radicalmente modificada pelo poder do Evangelho de Cristo que transformou e transformará muitas vidas, muitas gerações e o teu favou estará trazendo cura e saúde para as nações; nossos descendentes serão conhecidos como restauradores de ruínas, edificarão sobre fundamentos bons. Que a bênção do Senhor permaneça sobre a vida dos justos que não desistem, não cedem e não abrem mão de aplicar a verdade e vive-la de geração em geração. Oramos em fé, no nome poderoso de Jesus, amém.

Pr Jason

Macpela é o Lugar

Meditação do dia: 18/07/2021

“Mas que eu jaza com os meus pais; por isso me levarás do Egito e me enterrarás na sepultura deles. E ele disse: Farei conforme a tua palavra.” (Gn 47.30)

Macpela é o Lugar – Há tantas opções boas e apropriadas para dar como título dessa meditação, que poderá ser que a escolha definitiva nem seja a melhor, mais poética ou mesmo significativa. Mas fica o meu convite e desafio a você leitor a pensar em como você faria ao escrever esse texto, estando em meu lugar. É o tipo de dúvida boa, quando se tem muitas opções e cada uma delas tem um sentido todo apropriado para uma vertente do texto e o escritor só poderá escrever uma no dia de hoje, se ficar indeciso demais, acaba não escrevendo nem uma e o prejuízo se torna maior. Macpela, como sabemos é o nome de uma caverna em uma propriedade comprada por Abraão junto aos heteus moradores locais, para servir de sepultura para Sara. Ele também foi sepultado lá por Isaque e Ismael e o próprio Isaque e Rebeca também o foram e ali Jacó sepultara Lia, e era uma propriedade de muito valor para aquele povo e ainda o é até hoje como lugar sagrado para os Israelitas, um ponto turístico muito visitado, nas proximidades da cidade de Hebrom. Mas ao refletir sobre o assunto do lugar final, ou definitivo de uma pessoa, de uma forma ou de outra, isso irá revelar a crença dessa pessoa, os seus valores e ideais. Como costuma dizer: “as nossas escolhas revelam o nosso caráter!” José, foi instado sob juramento por seu pai para que fosse sepultado lá em Canaã, em Macpela, junto aos ancestrais e onde estava sua esposa. O interessante nisso tudo, que me chama a atenção hoje, é pelo fato de Jacó ter vivido muitos anos na expectativa de morrer em Canaã e sem ver ou saber oficialmente sobre o que de fato acontecera com José. Mas houve a reviravolta no caso e ele ainda pode conviver com o filho por dezessete anos sob a companhia e a segurança oferecida pelo filho, que era uma pessoa privilegiada e uma autoridade muito respeitada por todos, incluindo o próprio Faraó. Jacó, ou Israsel, poderia se o desejasse, ser sepultado ali mesmo no Egito, e com pompas e cerimonial digna de chefes de estado. Poderia ser construído uma sepultura imponente e suntuosa que não seria problema nem econômico e muito menos político para José e os egípcios. Provavelmente o Faraó se sentisse muito à vontade para favorecer e oferecer seus respeitos ao pai de José. Mas Jacó viveu esses últimos dezessete anos, olhando e acolhendo uma promessa divina, lhe dada pessoalmente quando já estava à caminho do Egito. “E descerei contigo ao Egito, e certamente te farei tornar a subir, e José porá a sua mão sobre os teus olhos” (Gn 46.4). “…descerei contigo e te farei tornar a subir…” Por isso uma das outras minhas sugestões de título seria “Descendo e Subindo,” e a Palavra dizia que ele morreria no Egito sob os cuidados de José. Uma caverna em Canaã, junto com os demais patriarcas lhe era preferível e desejável do que qualquer outra possibilidade no Egito, ainda que mais honrosa, rica e chamativa. O Egito era de Faraó e dos egípcios, como o é até hoje, e Jacó era apenas um distinto cidadão estrangeiro, ocasionalmente influente e pai de um benfeitor admirado e respeitado por ali. Mas ele tinha a promessa de seria o pai de uma grande nação e que eles tornariam para Canaã, sua terra por direito de herança perpétua. Ele então abria mão de um momento de respeito e glória terrena, para ser sepultado na sua herança, onde pela fé ele avistava toda a grandeza da extensão da promessa divina desde antes dele, à Abraão e Isaque. O que você vê no seu futuro, que é eterno, seu por promessa e que não vale a pena trocar por nada, ainda que glamoroso, mas desse mundo passageiro e fugaz? O que está à nossa frente? Que tipo de eternidade você sabe que te espera? O que você está construindo e acumulando revela seu verdadeiro tesouro. “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também” (Jo 14.1-3).

Senhor, nossa fé aponta que há uma eternidade toda à nossa frente nos aguardando! Meu Senhor é uma pessoa de Palavra em todos os sentidos e nos prometeu estar preparando lugares para aqueles que nele cressem. Eu creio, nós cremos e temos vivido nessa fé e esperança de que existe algo melhor nos aguardando. Somos gratos pela oportunidade de viver e servir aqui, como campo de provas e experiencias para o crescimento e maturidade da tua imagem restaurada em nós. Maranata! Louvado seja o Senhor, autor e consumador da minha fé e da minha esperança. Oro feliz e agradecido pelo que me espera e pelo que ainda posso fazer para honrar a confiança e o investimento feito na minha vida. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Quando Chega o Tempo

Meditação do dia: 17/07/2021

“Chegando-se, pois, o tempo da morte de Israel, chamou a José, seu filho, e disse-lhe: Se agora tenho achado graça em teus olhos, rogo-te que ponhas a tua mão debaixo da minha coxa, e usa comigo de beneficência e verdade; rogo-te que não me enterres no Egito,” (Gn 47.29)

Quando Chega o Tempo – O tempo! Ah! O tempo! Tão difícil de descrever, mas tão intenso na sua realidade. Não vivemos sem ele, não o retemos, não o economizamos, não gastamos demais e não acumulamos. Ele é por demais equânime para todos! Exatamente igual para todos! Alguns o classificam como um bolo, dividido em 24 fatias iguais pata todos e sem exceção, como aproveitamos é escolha individual, mas elas se consomem igualmente. Alguém já ponderou que pudéssemos imaginar o dia como um depósito em dinheiro que é feito todos os dias às 00:00 horas. Usando bem ou não, usando ou não usando, o saldo é zerado é novo deposito é feito. A percepção que temos do tempo nós dá percepções diferentes. Por um milésimo de segundo, um atleta olímpico perde ou ganha a medalha ou a classificação em uma prova. Por um minuto de atraso no embarque no aeroporto, se perde uma viagem, mas também se ganha a vida porque o avião sofreu uma queda. Para quem está apaixonado e pode passar uma hora com a pessoa amada, é muito pouco tempo! Aqueles momentos na emergência de um hospital parecem intermináveis. Veja que a mesma coisa pode significar diferentes condições e as mais variadas expectativas. Jacó estava certo de que seu momento final estava às portas e algumas coisas deveriam serem acertadas e compromissos deveriam ser combinados para que tudo estivesse certo para ele e isso seria uma forma honrosa de viver e morrer na fé em Deus e experimentar a força da aliança de bênçãos que ele experimentara em toda a sua vida. Ele estava no Egito, morreria ali, sob os cuidados de José, como Deus lhe certificará quando fora convidado para descer ao encontro de seu filho. Estava no Egito, mas não deveria ficar ali; ele era herdeiro da Terra Prometida e queria ser agregado aos seus ancestrais Abraão e Isaque, para confirmar a posse daquilo que lhe pertencera pela fé, mas na prática, só os seus descendentes no futuro, estariam de fato e de direito na posse da terra. Mas quero, pensar com vocês, sobre a última vontade de alguém de grande categoria e estatura espiritual, como fora Israel. São poucas pessoas que atingem um nível de maturidade e comunhão com Deus e suas promessas, vivendo-as de forma tão intensa, que podem ser avisados sobre novos passos ou etapas, incluindo o momento de partir. Nem todos estão prontos para receberem tais informações. Os fatores emocionais e psicológicos de cada indivíduo se processam de formas tão distintas que não se pode antever o que farão com informações mais sensíveis. O salmista disse: “O segredo do Senhor é com aqueles que o temem; e ele lhes mostrará a sua aliança” (Sl 25.14). José, ficou encarregado de cumprir a última vontade do patriarca, por ser a pessoa com autoridade e condições de cuidar de tais preparativos utilizando os recursos que a medicina egípcia dispunha naquele tempo. Também ele detinha autoridade para pleitear junto ao Faraó as permissões para um cortejo e sepultamento em condições especiais que seriam necessários. Os muitos pequenos detalhes de nossas vidas estão presentes na agenda de Deus, que cuida de nós do princípio ao fim e contempla as necessidades que justificam o investimento espiritual da importância que só ele sabe e vê. Somos servos de Deus, mas também filhos amados e por quem Deus fez um alto investimento; custamos um alto preço e foi pago lá na cruz. Por isso é tão importante ver, viver e reconhecer a vida pelo mesmo ponto de vista de Deus. Somos quem Deus diz que somos; temos o que Deus diz que temos e é isso que nos dá dignidade e valor, quer na vida, quer na morte, somos do Senhor.

Obrigado Pai, por fazer prevalecer a tua vontade sobre nossas vidas e se cumprirem os teus planos, que são infinitamente maiores e melhores do que os nossos. Rendemos graças por vidas que investiram tudo em servir ao Senhor e deixarem marcas que podem guiar os próximos peregrinos nessa caminhada. Agradecemos por tudo, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Por Estatuto

Meditação do dia: 16/07/2021

“José, pois, estabeleceu isto por estatuto, até ao dia de hoje, sobre a terra do Egito, que Faraó tirasse o quinto; só a terra dos sacerdotes não ficou sendo de Faraó.” (Gn 47.26)

Por Estatuto – A Palavra estatuto, vem a significar: Regulamento ou conjunto de regras de organização e funcionamento de uma coletividade; lei ou conjunto de leis que disciplinam as relações jurídicas que possam incidir sobre as pessoas ou coisas.” José regulamentou o sistema tributário sobre a produção no país de forma que aquilo se firmou como algo permanente. Por muitos anos aqueles princípios continuaram em vigência. O registro dessa palavra nas Escrituras Sagradas é vastamente utilizada, especialmente no Velho Testamento. Não é necessariamente um sinônimo alternativo para “Mandamentos” ou as “Leis“ entregues pelo Senhor Deus ao seu povo Israel. Uma boa porção da utilização pode ser mais bem compreendida como “testemunhos” de Deus. Vou citar algumas poucas referencias, apenas para validar aqui, mas devocionalmente vocês podem examinar mais acuradamente vossas Bíblias e extrair bons estudos ou meditações particulares sobre esse tema. Uma citação inicial é de Ex 21.1 Estes são os estatutos que lhes proporás. Se trata da regulamentação de aquisição de servos de origem hebraica e as condições de libertação. Outra passagem é Lv 26.46, “Estes são os estatutos, e os juízos, e as leis que deu o Senhor entre si e os filhos de Israel, no monte Sinai, pela mão de Moisés.” Aqui há uma série de assuntos tratados e que fazia parte da vida civil, da produção de trabalho, obediência e adoração a Deus, que todos deveriam observar para o bem estar geral e a bênção sobre eles. Uma outra, é Dt 6.2, “Para que temas ao Senhor teu Deus, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos, que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida, e que teus dias sejam prolongados. Essa referencia é bastante abrangente e diretamente relacionada a vida pessoal no contexto de pertencer ao povo escolhido e serem responsáveis pela perpetuidade da transmissão dos termos da aliança em todos os seus pormenores, incluindo a bênção da longevidade e prosperidade. As aplicações do termo estatuto é maravilhoso porque demonstra o cuidado de Deus em deixar claro e regulamentado os termos de relacionamentos entre ele e o seu povo, que na Nova Aliança, somos nós, com uma ênfase muito mais dinâmica e espiritual, porque agora temos o novo nascimento, a presença real do Espírito Santo habitando em cada um dos filhos de Deus, que juntos formam um grande Corpo místico, que chamado de igreja, ou Corpo de Cristo, através do qual ele alcança seus propósitos em abençoar todos os povos e todas as famílias da terra, como prometido à Abraão e aos patriarcas. Agora, se você deseja de fato estudar de forma devocional, em termos mais concisos, te recomendo dois textos, que amo muito e sempre aprendo ao passar por ali, e onde a Palavra de Deus se retrará utilizando todas as possibilidades dessa semântica, as vezes intercambiando e outras fazendo novas aplicações. Me refiro ao Salmos 19, onde na totalidade é abordado a plenitude da revelação de Deus, tanto a natural, como a especial e os seus resultados na vida de quem a pratica. Uma pérola preciosa. Outra, que não poderia ficar de fora, é o Salmo 119, com seus 176 versos, e em praticamente todos, a Palavra de Deus é mencionada com um de todos essas possibilidades vistas anteriormente. Ali, o bom mesmo é sentar-se e deleitar, não engolindo inteiro sem mastigar, mas saborear, degustar prazerosamente cada verdade e cada possibilidade de aplicação. Isso não é mente poética, é Bíblia pura conforme o Salmo 1.2 “Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.”

Senhor, muito obrigado pela revelação da tua vontade, expressa em tua Palavra, que chegou a nós em forma escrita e mais ainda, em forma de carne e osso, quando o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e verdade. Somos privilegiados de conhecer e ter entendimento espiritual, movidos pelo teu Espírito Santo que a vivifica em nossos corações. Que hoje seja uma nova oportunidade de construção de intimidade contigo e nossas vidas serem abençoadas pela influencia vivificadora dessa Palavra, tua Palavra. Em nome de Jesus, agradecemos, amém.

Pr Jason

O Quinto

Meditação do dia: 15/07/2021

“Há de ser, porém, que das colheitas dareis o quinto a Faraó, e as quatro partes serão vossas, para semente do campo, e para o vosso mantimento, e dos que estão nas vossas casas, e para que comam vossos filhos.” (Gn 47.24)

O Quinto – Aqui no Brasil, há uma expressão utilizada como xingamento ou rogação de praga, onde se diz: “O quinto dos infernos.” A expressão até ganhou a conotação de ser um lugar para onde se vai ou se manda alguém ou alguma coisa indesejado; quando na verdade a expressão, segundo alguns historiadores surgiu na época do Brasil colonial, quando estava sob o domínio do império português, e nos tempos de Tiradentes, houve aquela insurreição contra o aumento dos impostos, mais precisamente a taxação sob a extração do ouro, e a taxa subiria para vinte por cento, ou seja, um quinto, daí a expressão, “ quinto dos infernos!” Isso aludia a pobreza e peso sob o qual a população já vivia e subindo mais ainda a taxa, a condição ficaria ainda mais difícil. Eles eram felizes e não sabiam!!!! Hoje temos impostos que atingem mais de 50% do preço do produto, o quinto seria o belo desconto. Mas a bem da verdade, não somos daqueles que rogam pragas, não xingamos e nem amaldiçoamos ninguém. Valorizamos a nossa vocação como filhos de Deus, que sabem utilizar o poder das palavras que são poderosas sementes, que produzem aquilo que profetizamos. Temos orado pelo nosso país e continuaremos na intercessão, crendo que o poder da verdade e da justiça prevalecerá sobre o erro, o engano e a corrupção. Somos semeadores de amor e fé, e sendo filhos do Reino, estamos conscientes que um dia, muito em breve, aquele que há de vir, virá e governará na plenitude do seu poder com justiça e santidade, para todo o sempre. O que hoje é igreja verdadeira, estará participando da administração sob a autoridade de Cristo e para isso estamos exercitando a nossa mordomia, fazendo o certo e suportando as intempéries dessa vida, em nome de algo maior e melhor. José, um administrador por excelência, lidando com o que tinha em mãos, impôs um sistema tributário à população egípcia que perdurou por muito tempo, baseado na cobrança de um quinto da produção, sendo que tanto as pessoas, como os produtos e insumos todos pertenciam e eram fornecidos pelo estado (Faraó). Essa alíquota permitiria que todo o pais se reestruturasse e voltasse a produzir alimentos em suas terras férteis no delta do Nilo principalmente. A Palavra de Deus nos recomenda fazermos a nossa parte na construção de uma sociedade melhor e mais próxima de conseguir suprir as necessidades. “Por esta razão também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo sempre a isto mesmo. Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra (Rm 13.6,7). Apenas para efeito de confirmação de princípio, gostaria de incentivar os irmãos à fidelidade à sua fé e a uma boa consciência diante de Deus e dos homens, não se valendo de pressupostos de que o estado gasta mal e não devolve em benefícios sociais pelos tributos recebidos e com isso fugir da responsabilidade de ser correto. O fato de alguém não ser um bom exemplo de administração e honestidade, não nos libera para entrar nas mesmas práticas. Nossa razão de servir e fazer as coisas certas está em um nível mais elevado. Também vivemos pela fé e é Deus quem cuida nós e é responsável por nos prosperar, não o estado, ou os políticos. “E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens, Sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis. Mas quem fizer agravo receberá o agravo que fizer; pois não há acepção de pessoas” (Cl 3.23-25).


 Senhor, nos consagramos a ti e confiamos que és Senhor de tudo e de todos e podes todas as coisas. Nossa vida está em tuas mãos, sob o teu governo e nisso descansamos e confiamos que estaremos bem, devido a tua fidelidade. Pedimos graça e força para persistirmos em fazer o certo e aquilo que esperas de nós, hoje e todos os dias, até que chegue o momento de reinarmos com Cristo no seu Reino e glória. Em nome de Jesus, oramos em fé, amém.

Pr Jason

A Importancia da Semente

Meditação do dia: 14/07/2021

“Então disse José ao povo: Eis que hoje tenho comprado a vós e a vossa terra para Faraó; eis aí tendes semente para vós, para que semeeis a terra.” (Gn 47.23)

A Importancia da Semente – A vida espiritual se assemelha em muitos aspectos com a vida natural que está espalhada por todos os lados que olhamos. Os céus repletos de estrelas e corpos celestes que cumprem propósitos que a maioria de nós não temos a mínima idéia; os campos, matas e florestas com seus universos particulares de vidas minúsculas e gigantescas convivendo e suportando umas às outros. Os Mares, os rios e seus encantos e mistérios cumprem todos um grande papel de dar a esse globo as mais perfeitas condições para a existência humana, que não pode existir sozinho, mas coexistir com tudo que o cerco e lhe serve de apoio. A perfeição da criação de Deus ultrapassa nossa capacidade de compreensão transcende à própria existência, que ainda extamos arranhando nas periferias de tudo que ainda está por se conhecer, descobrir, adaptar e desenvolver. O cristão bíblico, não tem como cultivar uma enorme gratidão a Deus e cultuá-lo por sua generosidade e graciosidade na distribuição da vida como um dom maravilhoso. Acreditamos na criação à partir de um Deus Todo-Poderoso, que ama e fez tudo de modo tão perfeito e belo, quanto útil e nele colocou o homem, para cultivar e desenvolver todo o seu potencial de forma a expressar a grandeza da glória de Deus, o seu Senhor e Criador. Das tantas maravilhas acessíveis a nós, das quais podemos falar e escrever de forma inesgotável, eu destaco hoje a minha grande admiração pela semente. As sementes são universais, são poderosos, quem sabe, de tudo que temos em termos biológicos nessa criação nada tem mais poder e potencial do que as sementes, não importa que tipo de sementes, elas são todas incríveis! São tão simples que podem ser cultivadas sem que se domine seus mistérios e capacidades. “dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra. E dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente brotasse e crescesse, não sabendo ele como. Porque a terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga” (Mc 4.26-28). Foram palavras do Senhor Jesus! Ele entende mais do que ninguém sobre criação, sementes e potenciais. Ao meditar num tema  tal qual esse, somos levados a imaginar o grande poder de Deus embutido em cada uma das milhares existentes por aí. Lá no Egito, nos dias de José, ele comprou tudo que havia para que pertencesse ao o Faraó, incluindo as pessoas e deu a elas alimento e SEMENTES. Esse é o melhor e mais assertivo meio de propagar e difundir a criação de algo novo e dar continuidade. Aquelas pessoas receberam o potencial de recomeçarem suas vidas, eles teriam que semear e desenvolver todo o ciclo de vida e repetir isso por quantas vezes tato quanto possível. Esse princípio também aparece na vida espiritual, individua e coletivo para os filhos de Deus. Muitas das nossas necessidades são supridas por Deus através de sementes que nos são dadas. Voce já imaginou que muitas sementes servem também como alimento e fazem parte da dieta humana? A pessoa precisa ter maturidade para saber diferenciar a semente da porção alimentar, senão ele come as sementes que foram dadas para multiplicar e o futuro é lastimável e de penúria, porque não utilizou corretamente o que lhe foi confiado. “E digo isto: Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância, em abundância ceifará. Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça” (2 Co 9.6,10). Lidar com sementes exige ciência e aprendizado, que quanto mais esmero, mais produtividade. O texto de Isaías 28 nos versos finais tem lições muito interessantes sobre esse ensinamento; destaco aqui apenas uns poucos versos: “Porventura lavra todo o dia o lavrador, para semear? Ou abre e desterroa todo o dia a sua terra? Não é antes assim: quando já tem nivelado a sua superfície, então espalha nela ervilhaca, e semeia cominho; ou lança nela do melhor trigo, ou cevada escolhida, ou centeio, cada qual no seu lugar? O seu Deus o ensina, e o instrui acerca do que há de fazer” (Is 28.24-26). O que recebemos como sementes de Deus para servir?

Senhor, obrigado pelas lições e pelas preciosas sementes que me foram confiadas. Espero exercitar a sabedoria necessária para dar continuidade daquilo que está sob meus cuidados. Agradeço a oportunidade de semear também nos coração dos meus amigos e irmãos uma preciosa semente, poderosa e cheia da graça de produzir vida e edificação. Obrigado, por tudo, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Egito é do Faraó

Meditação do dia: 13/07/2021

“Assim José comprou toda a terra do Egito para Faraó, porque os egípcios venderam cada um o seu campo, porquanto a fome prevaleceu sobre eles; e a terra ficou sendo de Faraó.” (Gn 47.19)

O Egito é do Faraó – O sábio Salomão escreveu que tudo tem o seu tempo determinado e cumpre propósitos. Não temos nenhuma dúvida sobre isso. Examinando as Escrituras Sagradas, percebemos isso de forma muito nítida e a o testemunho da história está aí para confirmar aquilo que acreditamos e percebemos. Havia um grande propósito na vida de Jacó e sua grande família com doze filhos, que se rivalizavam entre si e cultivavam animosidade entre eles querendo o poder de influência no clã ou pelo menos tentando evitar que um deles chegasse nesse ponto. Essa rivalidade levou José para o Egito como escravo e a sua vida de fé o conduziu do calabouço até o palácio, emergindo da condição de servo para ser o homem mais poderoso do Egito, excetuando o próprio Faraó, no trono. Isso tudo cumpria uma finalidade e encaminhava o grande projeto de Deus para consolidar a promessa de dar a seu amigo Abraão uma nação abençoadora de nações. O custo dessa operação foi de fato muito elevado e demandou operações muito precisas da parte de Deus, através da instrumentalidade humana de muitas pessoas e seus cargos e funções para tudo estar lugar certo, na hora certa e atender as pessoas certas. Precisamos ver a grandiosidade dos feitos de José e de sua administração, para podermos compreender outras facetas da obra de Deus ao nosso redor ainda nos dias de hoje e tudo aquilo que alimentamos como promessas firmes para um futuro de bênçãos e sob um governo justo de Deus sobre essa mesma terra e reconstruindo tudo de bom e de belo que ele planejou, mas o pecado interferiu e provocou estragos. Vou deslocar um texto para facilitar a compreensão de algumas coisas. “Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar? Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?” (Lc 14.28,31). O contexto imediato versa sobre discipulado e Jesus fala dos custos e dos cálculos antes de efetivamente tomar uma decisão. Para isso ele cita um construtor prudente e um rei sensato para ilustrar o princípio da administração de recursos necessários para uma operação. A conclusão é que quando Deus planejou essa operação de levar Israel para o Egito para transformá-lo em uma nação, ele planejou tudo e todos os gastos e custos. Não temos como saber todos os fatos e dados dos bastidores, mas vemos ele agindo para conduzir José ao lugar certo na hora certa e fazer planos de contingencia de calamidade extrema, provendo alimentos e provisões suficientes para passar pelos sete anos difíceis. A bênção da produtividade veio suficiente e a operosidade de José e seus comandados foram diligentes, previdentes e organizados de forma que estocaram suficiente para toda a população e ainda para abastecimentos de regiões vizinhas. Imaginemos que um pais inteiro com população grande, passar por sete anos de total improdutividade agrícola, que era sua principal vocação, exige um volume de estoque regulador muito grande. José fez isso e ficou em condições de trocar provisões por todo o patrimônio de todos os egípcios, excetuando os sacerdotes, que tinham cotas do rei. Faraó até então era rei e senhor de todos no seu império, mas não era proprietário de tudo, até que José comprou para ele todas as terras e todas as pessoas para o Faraó. Não podemos avaliar o peso disso, à luz do conhecimento e dos sistemas de vida que conhecemos hoje e como agimos para minimizar as catástrofes e dificuldades entre as nações. Mas percebemos a importância de homens de Deus, com um coração voltado para o bem e comprometidos com um ministério que abençoa pessoas, como foi José. Eu e você mui provavelmente não estamos com responsabilidades de uma nação inteira sobre os ombros, mas alguma esfera de influencia pesa sobre nossos ombros. Uma congregação local, uma obra social ou mesmo um departamento ou ministério de ajuda humanitária e beneficência, e ainda assim, precisamos ser fiéis e comprometidos. Jesus ao ascender aos céus nos deu uma grande comissão e espera que façamos nossa parte na missão para que ele possa voltar e dar os próximos passos no seu plano eterno. Não somos responsáveis pelo mundo todo, ou nossa nação toda, quem sabe, nem mesmo nossa cidade inteira, mas uma parcela nos cabe e essa é a nossa missão.

Senhor, obrigado por nos amar de tal maneira que deste o teu único filho para morrer por nós lá na cruz. Agora estamos comprometidos com o teu reino e essa é a tua vontade para as nossas vidas e aqui está a nossa missão, que é também a nossa razão de ser e servir a ti em resposta ao teu grande amor e investimento em nossas vidas. Te amamos e queremos ser fiéis e obedientes naquilo que nos diz respeito. Pedimos sabedoria e forças para fazermos aquilo que esperas de cada um de nós. oramos em nome de Jesus. Amém.

Pr Jason

Vidas Humanas à Venda

Meditação do dia: 12/07/2021

“Por que morreremos diante dos teus olhos, tanto nós como a nossa terra? Compra-nos a nós e a nossa terra por pão, e nós e a nossa terra seremos servos de Faraó; e dá-nos semente, para que vivamos, e não morramos, e a terra não se desole.” (Gn 47.19)

Vidas Humanas à Venda – Ao compartilhar meditações que escrevo como um exercício de aprimoramento pessoal e espiritual, sou desafiado diariamente a produzir um texto sobre um tema que tenha utilidade e possa promover a edificação espiritual e intelectual dos irmãos e amigos que me prestigiam, lendo diariamente e ou com certa assiduidade que muito me honra. Em muitos desses textos, deixo transparecer minhas impressões e marcas pessoais das experiencias com Deus e sua Palavra. Ao longo dos dias, vamos aprendendo a aprender e à medida que crescemos, levamos junto conosco a bênção dessa comunhão e amizade no  gosto pela literatura, ainda que não sei se esses textos seriam dignos de entrar para essa categoria. Vi nesse versículo, que também utilizamos ontem, uma citação que me remeteu a uma das grandes experiencias da minha vida em termos de ter os olhos abertos para perceber num texto uma verdade tão grande, que mesmo estando ali à milhares de anos e eu a ter lido diversas vezes, nunca tinha me atentado para o profundo significado daquelas palavras. Aqui, em Gênesis, nessa experiencia de José recebendo pessoas e mais pessoas, famintas, necessitadas e carentes, sendo que muitas delas, em tempo bem recente, digamos, menos de cinco anos, eram pessoas livres, prósperas, com patrimônio pessoal e familiar, talvez herança de família que vinha passando à gerações e agora estavam implorando para serem compradas, porque não lhes restavam mais nada e elas se ofereciam para que caso José, representando Faraó e o governo tivessem interesse em não deixar a vida e a espécie humana se extinguir do reino, que estava fadado ao desalento e aniquilamento pela fome e a morte. Todos, uma dia foram súditos do reino e do rei, agora pediam para serem servos, propriedade do rei e do estado em troca de sobreviverem. Isso me remeteu a um quadro mental do futuro, que agora não está mais distante, quem sabe, como o fora para aqueles antigos egípcios. Lendo o Livro de Apocalipse certa vez, não muitos anos atrás, me deparei com a expressão que parecia saltar das páginas e confesso que fiquei assustado, a ponto da respiração ficar ofegante e o coração acelerar as batidas, sob o efeito daquele texto, que transcrevo a seguir: “E canela, e perfume, e mirra, e incenso, e vinho, e azeite, e flor de farinha, e trigo, e gado, e ovelhas; e cavalos, e carros, e CORPOS E ALMAS DE HOMENS (Ap 18.13). Na cidade do pecado e comércio mundial (à meu ver, ainda será construída no Oriente), entre mercadorias, bens e serviços disponibilizados comercialmente, estão também CORPOS E ALMAS de pessoas. Até certo ponto, acostumamos ouvir falar de prostituição, onde a pessoa “vende o seu corpo, uns por prazer e outros por sobrevivência e alguns por exploração e escravidão dissimulada, que governos e sistemas de justiça tem lutado para acabar ou minimizar, mas prevalece a lei da demanda e oferta. Mas “ALMAS” demandam mais esforço de nossa parte para digerir, pois o intelecto, volição e emoção, se tornam um tipo de bem e capital altamente cobiçado, por aqueles que são miseravelmente pobres que a única coisa que lhes restaram é o dinheiro. Não há compaixão, simpatia ou empatia com nada e ninguém, apenas o desenfreado apetite por satisfação à qualquer custo, pois para eles preço não é problema, tudo é negociável e tudo e todos são compráveis. Que sorte tiveram aqueles antigos egípcios, pois aquele governo de Faraó, naquela pessoa e aquele governador José, tinha caráter, ética e princípios, onde eles puderam alimentar um sonho. Nos nossos dias e no futuro próximo, só o sangue do Cordeiro, para nos proteger e nos guardar. Ainda bem que já fomos comprados por um alto preço!

Senhor, obrigado, porque a visão de futuro que nos ofereces é infinitamente melhor e mais convidativa do que aquela previsão de futuro que o mundo tenta descrever para todos. Nós cremos, aceitamos o teu justo governo e a tua  soberania para com as nossas vidas, mas também acreditamos que as profecias sobre o reino do Messias, cobrirá toda a terra e será de justiça e paz sendo implantado num tempo de muitas dificuldades e provações quais nunca foram vistas na terra. Nos abrigamos sob tuas asas, oh poderoso Deus, através de Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pr Jason

Será Esse o Nosso Fim?

Meditação do dia: 11/07/2021

“Por que morreremos diante dos teus olhos, tanto nós como a nossa terra? Compra-nos a nós e a nossa terra por pão, e nós e a nossa terra seremos servos de Faraó; e dá-nos semente, para que vivamos, e não morramos, e a terra não se desole.” (Gn 47.19)

Será Esse o Nosso Fim? – Pergunta difícil de se responder e tão difícil quanto deveria ser a condição que levou aquele povo a esse limite. Olhar esse texto bíblico, e pensar nele, olhando para frente, como se diante de nós estivesse uma multidão de famintos, esfarrapados e desiludidos, numa cena de cortar o coração de tanta dó, é o que imagino, pois a cena era real diante de José, um homem de bom coração, boas intenções e fiel a Deus, que se esforçara ao máximo para salvar o maior número de vidas que pudesse. Como um coração temente, piedoso reage ao apelo de vidas fragilizadas e em condições miséria se oferecendo por um pouco de comida, tão desesperados que abriram mão de suas próprias vidas e autonomias, para tão somente sobreviverem. Jose não era pessoa de tirar proveito da miséria de ninguém, muito menos tirar vantagens ou explorar a condição frágil delas. O seu “ministério” o conduziu a administrar uma situação que humanamente saiu do controle dos caminhos normais da vida. Servir a Deus, é  servir às pessoas e pessoas produzem situações e circunstancias. Ninguém tem controle absoluto de tudo que ocorre ao seu redor e isso torna a vida um grande e belo desafio. Jesus disse a Nicodemos que os ventos estão circulando, mas não podem serem vistos e certamente não se pode controla-los, mas podemos nos beneficiar deles, aprendendo a lidar conforme suas próprias leis e forças. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito (Jo 3.8). A turma da vela diz que “ventos contrários também levam o barco para frente, é só saber manejar as velas!” Acreditamos que estamos aqui nessa vida e nessa época e lugar para cumprir um propósito todo especial, isso é verdade e a busca por fazer o melhor nessa tarefa, deve nos levar a aprender com aqueles que passaram por aqui antes de nós e foram bem sucedidos na sua missão e souberam administrar as suas próprias oportunidades. Quero pensar, com vocês e juntos nos encaixar nessa tarefa. Só houve um José lá no Egito e no seu tempo; mas ao seu lado havia muitas outras pessoas que estavam também empenhados como coadjuvantes naquela tarefa e sem elas, muitas coisas não teriam chegado ao desfecho que conhecemos. Estou consciente da minha insignificância mas não posso me omitir porque não serei o personagem principal do enredo. Talvez você também não será o astro da companhia, mas somos chamados e capacitados para fazer algo, fazer uma parte da tarefa e essa talvez seja a nossa porção inteira e caso ela não se complete, será notado que faltou uma pequena coisa ali ou acolá e aquilo teria feito o todo ser perfeito. A pergunta então é: Qual é o meu papel e o meu lugar nessa trama toda? Poderíamos até mesmo estar do lado dos necessitados, mas não estamos; fomos colocados do lado que oferece soluções e respostas! É privilégio e responsabilidade.

Deus, obrigado, por nos permitir fazer parte de algo grande, maior que nós mesmos e somos parte da solução e das respostas ao clamor das multidões que se encontram como ovelhas sem pastor, à deriva e em busca de algo que talvez nem eles mesmos saibam o que é porque se desorientaram e se perderam no caminho. Te agradecemos porque sabemos o caminho, Jesus é o caminho! O nosso caminho, verdade e vida. Pedimos orientação para continuarmos focados na missão e em agradar aquele que sabe todas as coisas e tem um plano perfeito. Oramos em fé, no nome de Jesus, amém.

Pr Jason