Tres dias

Meditação do dia: 09/01/2021

E pô-los juntos, em prisão, três dias.(Gn 42.17)

Três Dias Três dias de férias num paraíso tropical é muito pouco tempo. Três dias soterrado numa caverna é muito tempo. Três dias numa festa muito animada e em boas companhias, certamente passa muito rápido. Três dias numa emergência de hospital é muito tempo. Três dias para algumas pessoas na fila para entrar num show de música, parece insignificantes; mas três dias a espera de transplante de órgãos para sobreviver, é um tempo interminável. O que você faz em três dias? Jesus morreu e foi sepultado e no terceiro dia já estava vivo e assim estará para sempre. A Bíblia nos que ele levou cativo o cativeiro e distribuiu dons aos homens. Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens. (Ef 4.8). O profeta Jonas, o primeiro homem a viajar de “submarino” por três dias, teve tempo para refletir, orar e se converter de seus caminhos de desobediência e assumir a sua missão de pregar a vontade de Deus para a população da cidade de Nínive. Preparou, pois, o Senhor um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites nas entranhas do peixe. E orou Jonas ao SENHOR, seu Deus, das entranhas do peixe. E disse: Na minha angústia clamei ao Senhor, e ele me respondeu; do ventre do inferno gritei, e tu ouviste a minha voz (Jn 1.17; 2.1,2). Até mesmo a teologia da oração de Jonas melhorou em meio a esta experiencia. Os três dias para os dez irmãos de José seriam um proveitoso tempo de retiro espiritual e aprofundamento da comunhão entre eles e seus ideais. Com a vida corrida e cheia de ocupações, eles provavelmente nunca tiveram tempo para sentarem-se frente a frente ou lado a lado e conversarem sobre “as coisas” que fizeram e depois da mentira deslavada para o pai e sustentada por anos, eles não tocavam no assunto, que parecia aquele incômodo elefante na sala de estar. Costumamos dizer que as pessoas, tem no seu interior alguns quartos secretos onde elas escondem e guardam suas preciosidades íntimas. Ali estão reservados ou escondidos, as boas lembranças, as grandes amizades, os amores frustrados, as oportunidades perdidas, as vinganças ainda não executadas, as revanches, as retaliações, os grandes medos e em alguns casos, os grandes “fantasmas” que as assombram pela vida à fora. Há pontos intocáveis e trancados à sete chaves, sem permissão para ninguém, ninguém mesmo, as vezes nem elas mesmas se aventuram se esgueirar e rever o que há naqueles lugares sombrios e escuros de suas próprias vidas. Ali também se formam as grandes fortalezas espirituais, onde vidas rendidas a senhorio de Cristo, guardam aquelas áreas para si e não permitem a entrada da luz da verdade e da vida, até que sejam confrontados de fatos e de verdade para que permitam a Deus exercer o seu domínio pleno e produza santificação, libertação e vitória completa sobre as forças do mal. Os irmãos de José estavam agora em compasso espera, até que um deles se prontificasse a ir de volta para casa e trazer o irmão mais novo, ou o governador escolher soltar um de sua escolha e enviar nessa missão de comprovação se havia verdade neles. Três dias, pode ser um final de semana, um feriado prolongado e esse tempo pode ser pouco demais para desfrutar de coisas boas e bênçãos dos céus; mas também podem ser intermináveis dias de angústias e lágrimas, a espera de um milagre. Para quem está num momento difícil, sugiro paciência e perseverança sob o domínio do Espírito Santo; para ter paz interior e calma por dentro também, até o momento crucial passar. Para quem sabe que está sob uma disciplina divina, que Deus de fato está tratando com você, a minha sugestão é que se renda o quanto antes e entregue o seu caminho ao Senhor, confia nele e o mais ele fará. Não sei se te serve de consolo, mas até ontem, ninguém, ninguém mesmo desafio, resistiu ou se opôs a Deus e prevaleceu. Se  você pretende ser o herói da resistência, seja esperto é desista! Não há sabedoria, nem inteligência, nem conselho contra o Senhor (Pv 21.30).

Pai Celestial, graças sejam dadas a ti e ao Senhor seja toda a honra, a glória e o poder para sempre e sempre. Reconhecemos a tua soberania e o divino poder de governar todas as coisas pela Palavra da tua graça. Quando refletimos sobre nossas vidas íntimas e o nosso relacionamento contigo, entendemos que não há planos perfeitos como os teus e não há vontade mais maravilhosa e justa do que a tua para com cada um dos teus filhos. Nos entregamos a ti e ao teu santo amor para tornar nossas vidas úteis e abençoadoras. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Em Prisão

Meditação do dia: 08/01/2021

E pô-los juntos, em prisão, três dias.(Gn 42.17)

Em Prisão Em todos os sentidos da palavra “prisão” ela não é alentadora, não é construtiva e nos remete a um estado ou condição em que ninguém deveria passar ou permanecer. Por essência, o ser humana ama a liberdade e a tem em grande estima; exatamente por isso, o contrário é tão destrutivo. Cercear o direito de ir e vir, de expressar-se bem como realizar atividades que revelem o potencial da pessoa, tudo isso e muito mais pode estar contido no conceito de prisão. De Gênesis à Apocalipse esse conceito e essa verdade aparecem. As mentes criativas da literatura e das artes sempre ilustraram e representaram essa condição humana. A prisão produziu romances, e ficções para todos os gostos e públicos. Crescemos ouvindo a história de Rapunzel, que é história de prisão; ao pensar rapidamente, elas se multiplicam no imaginário humano: Branca de Neve – a Bela e a Fera. Nomes como Alcatraz e auschwitz nos remetem aos piores pesadelos impostos à humanidade. Filmes e séries foram criados para representar a criatividade de se produzir prisões invioláveis e impossíveis de acontecerem fugas. No Brasil a frase “de Segurança Máxima” significa a concentração dos maiores perigos e inimigos da sociedade concentrados e os resultados não tem melhorado a expectativa de dias melhores ou ressocialização de pessoas que incorreram em delitos contra a coletividade. Parece que prisão é tão antiga quanto a sociedade humana e com exceção de indivíduos, parece que não se encontrou um ambiente adequado em todas as culturas e ambientes onde se pratica ou outros sistemas que o substituem. José, nosso amado irmão de fé e de caminhada espiritual, passou considerável tempo de sua vida nessa condição de vida limitada de sua liberdade. À começar pela rebelião dos irmãos que desencadeou seu drama, dos dezessete anos até aos trinta, ele viveu e serviu em condições de escravidão e em prisão literalmente falando. Não posso afirmar que foi por isso, que ele resolveu fazer seus irmãos experimentarem do próprio veneno, mantendo-os presos juntos por três dias. Mas não podemos também descartar o papel educativo que ele queria produzir na vida deles no caminho de conhecer suas reais atitudes, antes de abrir-lhes a porta para a bênção e a segurança de todos eles. Jesus, esteve preso antes receber a sentença pelos nossos pecados, experimentando todos os dissabores que o homem pecador padece nesse mundo, para ser efetivamente um redentor compassivo e identificado com os perdidos e condenados. Ele advertiu seus seguidores das muitas possibilidades de serem também presos e condenados por amor ao testemunho de sua fé; o que a história da igreja confirma, pois em todos os tempos de sua existência, mártires tem sido produzidos em toda parte. Se serve de prêmio de consolação, o maior patrocinador desse sistema também receberá a sua parcela. E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo. E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre (Ap 20.1-3,10). Se não há bem que sempre dure, mas também é certo que não há mal nunca se acabe. Uma preciosa lição e aplicação para nossas vidas, é o quanto devemos valorizar a obra de Cristo em nosso favor e o propósito dela. Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão(Gl 5.1).

Obrigado Senhor, por sua infinita graça e misericórdia demonstrada por nós, os pecadores através da vida e da obra de teu amado filho Jesus Cristo, nosso salvador. Reconhecemos a grandeza da oferta e do poder libertador que ela tem. Recebemos essa graça incondicional e apropriamos de todos os seus benefícios, ainda que não mereçamos, mas a graça faz a bênção chegar até nós. Obrigado pela grande verdade ensinada por Jesus, que devemos conhecer a verdade, porque ela nos libertará, e tem de fato feito isso a todos os que invocam o nome poderoso de Jesus. É em nome dele que nos aproximamos de ti e agradecidos apresentamos nossa gratidão e louvor. Hoje e sempre! Amém.

Pr Jason

Juntos

Meditação do dia: 07/01/2021

E pô-los juntos, em prisão, três dias.(Gn 42.17)

Juntos Parece maldade, mas não é, segundo os filósofos de plantão, “é impossível fazer omelete sem quebrar os ovos!” Depois de acompanharmos toda a saga de José, desde que saiu de casa para ir ver os irmãos e trazer de volta notícias a seu pai, até agora, vinte e tantos anos depois, sem que essa notícia tenha sido entregue, passamos a gostar muito de José e torcer por ele, e aguardamos com muita expectativa o dia “D” quando ele pudesse estar frente à frente, cara à cara com seus irmãos e como dizem os sertanejos, seria a hora da onça beber água. Pois é, esse dia chegou e José não perdeu tempo, reconheceu de cara a seus irmãos e não deu bandeira, isto é, não deixou que eles percebessem quem ele era e assim ele poderia aproveitar a vantagem. O bom disso tudo, é que José tinha um coração verdadeiramente consagrado e generoso e suas motivações eram puras e sinceras. Ele não tinha desejo de vingança e nem retaliação, se valendo do poder e autoridade que agora dispunha. Depois da primeira pressão por informações ele soube o básico, que na verdade ele já sabia; que eram cananeus, doze irmãos, filhos de dum mesmo pai, o mais novo estava em casa e um já não existia. Nada demais se esse inexiste não fosse o próprio José! Como ele sabia que ele era ele e que não estava morto, nem desaparecido, apenas para eles que desapareceram com ele. Como será ouvir sobre si mesmo que não existe mais? Você já era! Faz muitos anos que se foi! O pai até chorou muito e ficou inconsolável, mas passou! Seu irmão acabou acostumando sem você! Hoje, acho que nem faz falta mais! É ruim hein?!! José levou-os a uma situação delicada, sem saída, mas ele tinha tudo sob controle (?). Sob acusação de espionagem internacional, eles teriam que provar o contrário, trazendo o irmão mais novo, Benjamim, lá de Canaã para averiguação. Eles que já não confiavam em ninguém, especialmente neles mesmos e sabiam que não eram confiáveis; também sabiam que o pai não abriria mão do filho mais novo, para ir com eles e eles não poderiam confiar no governador do Egito, que parecia estar de marcação com eles e poderia complicar ainda mais se retivesse Benjamim no Egito por alguma nova razão. Mas antes deles decidirem quem iria buscar o irmão e quem ficaria detido, José adicionou um novo ingrediente ao drama deles, mas profundamente eficaz para suas pretensões, que foi detê-los todos juntos por três dias. Devem ter sido as priores setenta e duas horas da vida daqueles homens. A pressão psicológica de estar detido numa prisão real, sob alegações falsas (para eles) e juntos como irmãos, aquilo iria mexer com o emocional e o racional deles. Sob pressão em circunstancias  nunca antes experimentadas, sem condições de recorrer ou esperar ajuda externa, como do pai, que era uma pessoa influente, eles iriam reagir de muitas formas diferentes, pelo medo, angústia, culpa, remorso, solidão, embora estivessem juntos. Ali, seria a hora que separaria os homens dos meninos! Os elos mais fracos da corrente iriam se revelar e acusações sobre os mentores das maldades, mentiras e enganos e que agora todos estavam pagando e a fé servia para mostrar-lhes que eles nunca foram piedosos e nem compassivos, incapazes de protegerem até os mais chegados. Juntos, mas não muito! O pecado sabe, todo pecador sabe, que um dia o seu pecado o alcança e ninguém escapa de si mesmo.

Senhor, agradecemos a obra redentora de Cristo na Cruz para todos que reconhecem seus pecados, fracassos e incapacidade de salvarem a si mesmos e por isso precisam de um Salvador. Confessamos nossos pecados e fraquezas e pedimos ajuda, pedimos salvação em nome de Jesus. Não somos tão bons quanto queremos nos convencer e nem tão santos e piedosos como apregoamos. Nosso coração conhece a própria intimidade e muito mais do que o nosso coração, o teu Espírito nos sonda e nos examina, no todo. Aceitamos a tua oferta de paz e perdão em Cristo Jesus, e o convidamos a entrar em nossas vidas e mudar os rumos da nossa história. É nossa oração em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Que A Verdade Esteja Com Você

Meditação do dia: 06/01/2021

Enviai um dentre vós, que traga vosso irmão, mas vós ficareis presos, e vossas palavras sejam provadas, se há verdade convosco; e se não, pela vida de Faraó, vós sois espias.(Gn 42.16)

Que a Verdade Esteja Com Você Num dos episódios mais difíceis que já passei em minha vida, onde minha idoneidade e integridade estava em jogo e eu não tinha nenhum meio ou recurso de provar o contrário do que as circunstancias apontavam para mim, eu precisava me apegar a alguma coisa consistente o suficiente para servir de “tábua de salvação.” Fiz todas as etapas de prestação de contas necessárias, sendo honesto e transparente com todas as pessoas em posição de autoridade sobre mim e que precisavam receber satisfação adequada. Numa das últimas entrevistas com um líder direto, fui recebido em seu gabinete pastoral e sem rodeios expus os fatos tais quais eles eram e concluí afirmando era a verdade, mas eu não tinha como provar minha inocência senão pela minha palavra e convicção de fé. Aquele interlocutor era um homem maduro e de grandes experiencias na vida e no ministério cristão; ele então me surpreendeu com uma atitude e uma palavra que abençoaram a minha vida e tirou todo aquele peso e fardo que estava sobre mim. Ele me contou uma experiencia semelhante a minha, na qual ele estivera envolvido e como a verdade o livrou e ele citou um versículo bíblico que até então era um ilustre desconhecido para mim, embora já tivesse lido muitas e muitas vezes. Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade (2 Co 13.8). Aquilo foi uma palavra RHEMA que extirpou a tristeza, o medo e a culpa de não ter um sequer contra-argumento que me protegesse. Não é preciso prolongar, mas Deus derrubou todos os argumentos sem que eu tivesse que proferir uma só palavra em minha defesa. Desde então esse texto se tornou um lema para mim. Ele se soma a todos os demais que já sabemos como: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo 8.32). Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria (Sl 51.6). Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade (Jo 4.23,24). Para não estender muito, vou citar apenas mais uma das pérolas bíblicas sobre a verdade; Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; (Ef 6.14). Esse cinto que o soldado cristão usa para cingir os seus lombos, não é a Palavra de Deus, mas aqui se refere a AUTENTICIDADE de vida. Quando José prensou seus irmãos contra a parede, ele queria extrair deles a verdade verdadeira, não a verdade lógica, racional, fruto de argumentos que justificam os meios e os fins pretendidos. Ele queria saber se havia verdade neles. José sabia do histórico familiar e que a tendência natural de filhos imitarem as características biológicas e morais dos pais é grande, e a linhagem deles era de trapaceiros de carteirinha tanto do lado paterno como materno. José era consciente da transformação que Deus o Altíssimo havia operado em seu pai naquele encontro em Peniel. Mas ele também sabia que a experiencia do pai, não passava automaticamente para os filhos e ele era testemunha e vítima da condição corrupta de seus irmãos. Pessoas imaturas ou de caráter débil, também falam a verdade, quando isso é conveniente, fácil ou lucrativo. Esse tipo de verdade não importava para José, porque ele agora era muito consciente dos propósitos de Deus com eles através das alianças e que não se constrói nada grande e duradouro sobre fundamentos da mentira, engano e da conveniência. Sei que muitas vezes nessas meditações eu escrevo e cito ministérios e trabalhos espirituais, como se elas fossem endereçadas na maior parte a pastores e obreiros; mas não é o caso. Me refiro a ministério o estilo de vida de todos nós os filhos de Deus, os adoradores e cidadãos do Reino dos Céus. Nossa vida é nosso ministério! Ocupamos funções diferentes nos trabalhos eclesiásticos e denominacionais, mas diante de Deus somos todos filhos, servos e sacerdotes. Apropriando dos escritos de João, não há nada melhor do que poder dizer: Porque muito me alegrei quando os irmãos vieram, e testificaram da tua verdade, como tu andas na verdade. Não tenho maior gozo do que este, o de ouvir que os meus filhos andam na verdade (3 Jo 3,4).

Pai amado, obrigado pela tua Palavra que é a verdade e ela nos santifica, nos liberta, nos dá segurança e nos protege do mal. Graças podemos dar porque Jesus Cristo é a verdade encarnada, o Verbo que se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e verdade. Apresentamos a nossa gratidão por sermos chamados para servir e fazer parte de algo muito maior do nós e muito mais firme do que nossas humanas pretensões. Obrigado pela graça de sermos vencedores, mais que vencedores e herdarmos um reino que não se abala e não se dilui ou pode ser destruído ou arruinado. A ti seja a honra e a glória, para sempre e sempre. Amém.

Pr Jason

Estareis Presos

Meditação do dia: 04/01/2021

Enviai um dentre vós, que traga vosso irmão, mas vós ficareis presos, e vossas palavras sejam provadas, se há verdade convosco; e se não, pela vida de Faraó, vós sois espias.(Gn 42.16)

Estareis Presos Estamos acompanhando o encontro de José e seus irmãos. Estamos meditando sobre as lições de vida que podemos abstrair das cenas que eles nos apresentam. Em certa vez, eles apropriaram de uma autoridade ilegítima e prenderam José, o julgaram, sentenciaram e executaram a pena sem chance de apelação ou defesa. A arbitrariedade deles fora cruel, porque José nem mesmo sabia de nada do que estava acontecendo e eles improvisaram e se valeram de serem em maior número e estarem longe da autoridade do pai. Sabemos que eles passaram mais de vinte anos afirmando uma mentira para seu pai e para si mesmos, sobre o que acontecera com José. Rubem era o único que tinha um resquício de versão diferente, mas que se perdera para proteger a todos eles, já que ele não conseguira proteger o irmão. Estamos falando aqui, sobre influencia entre os membros da família e o papel de cada um de todos nós. Quantas ações e atitudes perversas e maldosas ainda existem encobertas, para proteger o erro ou a maldade de alguns. Agora, estamos vendo os dez filhos de Jacó, exatamente os mesmos dez titulares daquela ocasião, presentes diante de José, que fazia um teatro, assumindo o papel de que não reconhecia os irmãos e ainda tinha razões para acusa-los de espionagem e autoridade para detê-los ou aplicar-lhes os rigores da lei, de forma que eles se viam de mãos atadas e um não poderia ajudar o outro. Lá em Canaã foram todos contra um e agora é um contra todos e com uma larga vantagem. Estar presos, ficarem detidos ali, era algo que incomodava muito e justamente num momento inapropriado. Eles vieram para comprar mantimentos para suprir a fome de suas famílias e não poderiam demorar a voltar, pois era uma emergência que significava vida ou morte para muitas pessoas. Voltar apenas um deles era difícil, devido aos perigos da estrada, numa jornada de muitos dias e ele ainda não poderia levar suprimentos suficientes para todos. A possibilidade de Jacó liberar Benjamim para essa viagem de averiguação era muito improvável. José imobilizou a todos eles e mexeu com o que havia de mais profundo nos seus corações. Qual seria o resultado dessa pressão? O que isso revelaria sobre a responsabilidade deles com o pai e com o irmão mais novo? Como eles lidavam com a ausência do próprio José? Ensino na igreja que há três obras que devem acontecer na vida de todo cristão, para que ele atinja a verdadeira maturidade: A Primeira é a obra que Deus por nós, que é a SALVAÇÃO; A segunda, é a obra que Deus faz em nós, que a SANTIFICAÇÃO; e a terceira, que é a obra que Deus faz através de nós, que O SERVIÇO. Antes da pessoa se tornar um instrumento de bênçãos e ser altamente produtivo, o caráter dela precisa ser transformado e sua vida precisa ser consumida numa entrega total a Deus, para assim poder servir com integridade de vida. O que somos é muito mais importante do que aquilo que podemos fazer. O pregador da cruz precisa ser um crucificado! “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. (Gl 2.20). Aqueles homens filhos de Jacó, eram a linhagem da promessa, eram herdeiros de um legado muito elevado, mas não poderiam cumprirem seus destinos e propósitos de qualquer maneira, de forma carnal, com corrupção, enganos e maldades. Eles seriam as pedras fundamentais de uma nação, não qualquer nação, mas A NAÇÃO, representaria o mais precioso dos processos dos propósitos divinos. Projetos especiais, são executados por pessoas especiais e essas são forjadas e dobradas em suas vontades para se renderem completamente a Deus. Você tem promessas de Deus? Promessas grandes? Então se cuide e se prepare, quanto maior a influência, maior a responsabilidade.

Deus de amor e graça infinita, somos teus filhos e servos por escolha tua e consagração nossa. Entendemos que a tua vontade é boa, agradável e perfeita para nós. Confiamos na tua sabedoria em fazer escolhas e que os teus caminhos são elevados e os teus pensamentos são insondáveis à nós em nossa condição natural, mas obrigado por nos dar o Espírito Santo para habitar em nós e nos fortalecer e aprimorar a comunhão e o aprendizado. Somos teus, somente teus, totalmente teus. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Mensageiro

Meditação do dia: 03/01/2021

Enviai um dentre vós, que traga vosso irmão, mas vós ficareis presos, e vossas palavras sejam provadas, se há verdade convosco; e se não, pela vida de Faraó, vós sois espias.(Gn 42.16)

O Mensageiro Quão formosos são, sobre os montes, os pés do que anuncia as boas novas, que faz ouvir a paz, do que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, do que diz a Sião: O teu Deus reina! (Is 52.7). José pediu ou ordenou que seus irmãos enviassem um emissário à terra de Canaã, na casa de seu pai e trouxessem a Benjamim. Vamos pensar nas duas pontas dessa situação: Como seria para Jacó, receber apenas um dos seus dez filhos de volta do Egito, com uma mensagem de que os demais ficaram detidos no Egito sob acusação de espionagem, feita diretamente pelo próprio governador, preposto de Faraó? Ela já não havia enviado Benjamim com os outros filhos exatamente para se prevenir de algum incidente, justamente com Benjamim. Os dez filhos na ocasião entenderam a preocupação do pai e eles concordaram prontamente, por razões que Jacó não precisava saber, mas eles também queriam preservar o irmão mais novo. Na outra ponta, a ordem do governador caiu como uma bomba nos seus corações, porque tudo o que eles mais temiam aconteceu. Ainda que eles trouxessem a Benjamim para averiguação, o governador iria fazer perguntas ao caçula, que só sabia a versão oficial dada por eles sobre o desaparecimento do outro irmão. Jacó e Benjamim, sabiam exatamente a mesma coisa. O governador estava escavando muito próximo de uma zona muito propícia a desmoronamentos e quedas de barreiras. Quem dentre eles seria o candidato adequado para servir de mensageiro? Ruben? Era o mais velho e se opusera a qualquer maldade contra José e trabalhou por evitar o mal e devolver o garoto para o pai, mas fora traído pelos irmãos que o venderam sem ele estar por perto ou saber. Ele ficara de mãos atadas e estando sozinho contra nove, cedeu à chantagem deles e pactuou com a versão mentirosa levada ao pai. Judá foi o autor da idéia de vende-lo aos mercadores que se dirigiam ao Egito. Os outros oito concordaram. Quem agora seria o mensageiro? Literalmente, a mensagem era simples! Complicado era a operacionalização dela, pois algum tipo de verdade teria que aparecer, mesmo que eram passados mais de vinte anos, algumas coisas ainda eram interiormente muito recentes dentro deles e o nível de sensibilidade era grande. Minha observação, nessa situação é que enterrar defunto vivo, sem uma legítima cerimonia fúnebre, não é uma boa idéia! Eles mataram José apenas emocionalmente dentro deles, mas não tinha como sepultá-lo, e os fatos levados para o pai careciam de maior substancia. Ausência de evidencia, não é evidencia de ausência. Para efeito de aplicação espiritual, coloque o fator “José” como sendo um pecado praticado e os poucos cumplices ou testemunhas tem todos o mesmo interesse que isso nunca seja desenterrado ou procurado. O tempo passado, mas a verdade é a verdade e as areias do encobertamento sempre podem ser removidas pelos ventos da eventualidade. Sem corpo, sem cova, sem cripta não há muito o que esconder e há pouco o que se procurar e a procura é insólita, pois estar a procura de morto que nunca morreu, dificulta as buscas. A melhor idéia é andar na luz, sempre! Fazer o certo sempre! Até quando se erra ou peca, a próxima ação deve ser certa, boa e redentora. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado (1 Jo 1.7).

Senhor, graças te rendemos pelo teu infinito amor redentor. Jesus é nosso Salvador exatamente porque pecados e precisamos de ajuda divina, redentora e misericordiosa. Clamamos por tua graça, e invocamos o nome que está acima de todo nome e que pode nos valer hoje e eternamente. Precisamos ser lavados e purificados no Sangue da Aliança entre Deus e a humanidade, lá na cruz tudo se tornou possível e agora somos alvo desse amor e desse sacrifício tão grande. Recebe-nos e conceda a tua graça, infinita graça, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Tempo de Provação

Meditação do dia: 02/01/2021

Nisto sereis provados: pela vida de Faraó, daqui não saireis, sem que primeiro venha o vosso irmão mais novo.(Gn 42.15)

Tempo de Provação Sob a acusação de espionagem e agora sob juramento pela vida de Faraó, José invocou sobre eles argumentos muito fortes contra os quais eles não poderiam mentir e não poderiam deixar de comprovar a honestidade que disseram ter. Os irmãos de José, foram surpreendidos por situações totalmente fora de suas capacidades de controle. Na verdade, caíram numa armadilha sem qualquer chance de devesa. Para nós que estamos como expectadores das cenas, sabemos das intenções e motivações de José, que eram para o bem deles todos. Assim como a anos atrás os dez juntos combinaram fazerem o mal a José e fizeram e só não o levaram ao extremo pela intervenção de Ruben, o mais velho dos irmãos. Agora, com certas semelhanças, ali estavam os onze filhos de Jacó reunidos, frente a frente. Da última vez, os dez estavam trabalhando no cuidado com os rebanhos e José foi enviado pelo pai para saber e lhe levar notícias dos filhos e de como estavam os rebanhos. Agora, Jacó envia os dez filhos sem saber ao encontro de José, para obterem provisões de alimentos. Uma diferença considerável está no fato de que José não tinha atitude de hostilidade para com os irmãos, como ele recebera deles no passado. José agora queria provar as palavras deles sobre retidão e honestidade que eles mesmos afirmaram. Ele percebeu que havia alguma inconsistência no relato deles, sobre o desaparecimento de um dos irmãos. Como era a informação que eles deram ao pai sobre o desaparecimento de José? Seria necessário uma pressão maior sobre eles, para os forçar a dizerem a verdade verdadeira. Tiago e Paulo defendem no Novo Testamento que as provações trabalham a favor do servo de Deus para lhe aperfeiçoar o caráter e desenvolver virtudes que tornaram sua vida e ministério mais produtivos. Em João capitulo quinze, Jesus faz uso do ensino comparativo sobre o cultivo de uma videira, para ilustrar a sua vida em nossa vida e a capacidade do Pai em proporcionar um verdadeiro exercício da disciplina para aproveitamento e produtividade. Os tempos de provações são de fato tempos difíceis, mas são também etapas de grande crescimento e aprendizagem. Sempre saímos melhores e mais fortes depois de uma temporada de provas e disciplinas. A turma náutica diz que “mar calmo nunca produz bons marinheiros.” Outras lições também podem ser extraídas desse encontro de irmãos, que podem nos servir muito bem. Eles produziram sofrimento e dor em muitas pessoas sem pensarem nas consequências; foram egoístas e oportunistas, pensando apenas em si e num futuro que eles não conheciam e não queriam e com suas próprias mãos trabalharam para criarem o seu próprio futuro sem os incômodos de seus maus costumes. Nunca levaram em conta o coração do pai, do irmão mais novo e do próprio José, que colocaram numa condição onde ele não teria condições de se defender ou se livrar. Fizeram de forma impensada e irresponsável para só então fazerem os cálculos, mas para como esconder definitivamente o que eles mesmos definiram como o fim da existência de José. Eles passaram a acreditar na própria mentira criada. Pedro fala sobre um tipo de sofrimento que convém ao cristão: “Não sofra, porém, nenhum de vós, como assassino ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se intromete em negócio de outrem; mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso, antes glorifique a Deus com esse nome” (I Pe 4.15,16). Que a razão das provações e sofrimentos não sejam colheitas do mal que foi semeado no passado. Os irmãos de José falavam de uma retidão e honestidade que eram falsas e José queria ver o verdadeiro arrependimento na vida deles, por isso os submeteu a duras provas. Nossa justiça hoje é Cristo, pela fé! Mas em termos de atitudes e testemunhos é nossa responsabilidade dar bons exemplos e sermos excelentes.

Senhor Deus e Pai, a Ti pertence toda a honra e a glória em todos os tempos; sabemos que provas os corações dos filhos dos homens e que amas a justiça e a verdade no íntimo. Queremos ser bênçãos e construirmos em nossas próprias vidas os verdadeiros valores do Reino dos Céus. Agradecemos a obra da graça divina em Cristo Jesus, que se tornou a nossa justificação e a nossa redenção. Pela graça somos salvos e por esta mesma graça, podemos entrar na presença de Deus, na sala do trono para encontrar sabedoria e discernimento que nos permitem crescer e florescer para o louvor de tua graça, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Nossa Identificação

Meditação do dia: 1º/01/2021

E eles disseram: Nós, teus servos, somos doze irmãos, filhos de um homem na terra de Canaã; e eis que o mais novo está com nosso pai hoje; mas um já não existe.(Gn 42.13)

Nossa Identificação Dizem os sábios que um povo que não tem história, não tem raiz ou um passado, também não tem futuro. Desde que sou criança e isso já se vai a mais de meio século, ouvia dizer que o Brasil era o país do futuro; essa semana ouvindo um comentarista de telejornal, se referindo a isso, ele fez uma nova afirmação interessante, que o Brasil é o mais antigo país do futuro do mundo! Não parece algo muito animador para uma primeira mensagem do ano, mas ainda bem que a nossa esperança está firmada em algo bem mais firme e bem fundamentada do que a política ou a economia nacional. Seguindo as nossas meditações, estamos ainda no antigo Egito, em meio a uma crise de escassez de alimentos muito grande, mas José fez o dever de casa como Deus revelara a Faraó e os dois, José e Faraó fizeram uma dobradinha muito competente e de eficácia nota dez. Acumularam alimentos suficientes para abastecerem toda a população pelos sete anos improdutivos que viriam e ainda com sobra para suprir a demanda de povos vizinhos; dentre eles, os povos de Canaã, onde viviam o pai de José e seus irmãos, que agora já eram uma tribo e à caminho das promessas de se tornaram uma nação. Olhando a história desse povo, sabemos que eles valorizavam e ainda hoje valorizam muito a sua história e principalmente a suas raízes, que os identificavam com a vocação divina para serem o que foram, o que são e o que ainda está por vir, pelos tempos e a eternidade. O bom de tudo isso, é que nós entramos na história deles e agora como igreja, ficamos muitos mais próximos, juntos e misturados, porque é assim as coisas na Nova Aliança. “Nessa nova vida, não importa se você é judeu ou gentio, se é circuncidado ou incircuncidado, se é inculto ou incivilizado, se é escravo ou livre. Cristo é tudo que importa, e ele vive em todos” (Cl 3.11 NVT). Os irmãos de José admitiram que eram doze irmãos, as doze tribos de Israel, admitiram a filiação patriarcal de um homem herdeiro das promessas e das alianças feitas com Deus através de Abraão, Isaque e reiteradas com Jacó. Também citaram a terra de Canaã como sendo a terra natal de suas origens. Circunstancialmente naquele momento um deles estava com o pai, em casa, e um não existia, o que para eles já era uma questão resolvida. Para José era uma questão ainda por resolver. Para as alianças e promessas que eram de geração em geração, isso precisava ser resolvido porque os planos eram para doze tribos, não onze e não treze, mas doze, porque isso tem à ver com o tempo e a eternidade, onde os fundamentos da fé e até da capital eterna, a Nova Jerusalém, tem muros e portas com os nomes das doze tribos e os fundamentos dos doze apóstolos de Cristo. Estamos vendo os planos de Deus sendo interceptados, ao menos na tentativa, para não se estabelecerem e Deus contornando as ações dos homens e do inimigo e mantendo a integridade de sua Palavra, como prometida a Abraão. O que está acontecendo hoje, comigo, contigo,  com outros irmãos em todos os cantos do Brasil e no mundo todo, está sob a ótica divina, do nosso Deus, Todo-Poderoso, o Altíssimo, o Possuidor dos Céus e da Terra. Podemos ser, e somos apenas fagulhas, centelhas bem pequenas num enorme quebra-cabeças universal e atemporal, mas somos importantes, somos amados e estamos dentro de uma aliança de bênçãos. Nada é por acaso, e nada acontece sem que Deus permita ou cuide para que assim seja. Ande em fé, ande em esperança. Servimos a um propósito maior do que nós e do que a nosso própria história. Servimos a Deus! Feliz e bem-vindo 2021 para todos nós.

Senhor meu Deus e Pai, estou agradecido por iniciar um novo ano onde as tuas promessas estão mais firmes em minha vida e na vida dos meus irmãos em Cristo. Ainda que os tempos prenunciem dias maus e difíceis, nossa fé e esperança estão no Senhor, que o controle e o governo de nossas vidas e ações. Consagro a ti a minha vida, os meus bens, talentos, habilidades, capacidades e potenciais, porque tudo e todos eles vieram de ti, a quem dou a honra e a glória para sempre, amém. Que esse ano seja repleto da tua perfeita vontade acontecendo em cada um de todos nós, segundo a tua vontade. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Cuidado Com O Que Se Fala

Meditação do dia: 31/12/2020

E eles disseram: Nós, teus servos, somos doze irmãos, filhos de um homem na terra de Canaã; e eis que o mais novo está com nosso pai hoje; mas um já não existe.(Gn 42.13)

Cuidado Com O Que Se Fala Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado (Mt 12.37). Essa citação de Jesus é um marco muito importante dos seus ensinamentos aos discípulos e que por extensão se aplica a nós nos dias atuais e porque não para sempre e sempre, porque é Palavra de Deus. No contexto, Jesus joga duro com aquelas pessoas afirmando que a pessoa expressa em palavras aquilo que enche o seu coração. Uma pessoa má de coração não tem como expressar coisas boas e construtivas. A figura utilizada por Jesus foi a de uma árvore frutífera, cujos frutos expressão a veracidade da árvore. Encontramos situações diversas na Bíblia onde esse princípio se presente e não deixa dúvida alguma, ele funciona. No pré-êxodo, entre a nona e a décima praga no Egito, diante da insistência de Moisés, Faraó lhe disse, que eles nunca mais se veriam face a face e Moisés confirmou: “E disse-lhe Faraó: Vai-te de mim, guarda-te que não mais vejas o meu rosto; porque no dia em que vires o meu rosto, morrerás. E disse Moisés: Bem disseste; eu nunca mais verei o teu rosto (Ex 10.28,29). Só que quem morreu foi Faraó e não Moisés. Outro  episódio triste do poder das palavras faladas aconteceu com Jacó, o Pai de José, quando seu sogro vasculhava seu acampamento em busca de ídolos que Raquel, a mãe de José havia furtado antes de saírem de volta para Canaã. “Com quem achares os teus deuses, esse não viva; reconhece diante de nossos irmãos o que é teu do que está comigo, e toma-o para ti. Pois Jacó não sabia que Raquel os tinha furtado” (Gn 31.32). Raquel faleceu poucos dias depois ainda na viagem, por ocasião do nascimento de Benjamim. Um homem amalequita tentou se apropriar do fato da morte do rei Saul, para ganhar créditos com Davi, mas Davi o condenou por suas próprias palavras. “Pois Davi lhe dissera: O teu sangue seja sobre a tua cabeça, porque a tua própria boca testificou contra ti, dizendo: Eu matei o ungido do Senhor” (2 Sm 1.16). O próprio rei Davi foi pego nas suas próprias palavras, quando pecou e foi confrontado pelo profeta que lhe foi falar em nome do Senhor. “Então disse Natã a Davi: Tu és este homem. Assim diz o Senhor Deus de Israel: Eu te ungi rei sobre Israel, e eu te livrei das mãos de Saul” (2 Sm 12.7). Só para citar no Novo Testamento, Pedro ao negar Jesus e ouvir o galo cantar, como o Mestre havia lhe predito. Há três coisas que nunca voltam: A palavra falada, a flecha lançada e a oportunidade perdida. Pode ser apenas uma expressão poética, mas tem lá o seu fundo de verdade. José começou a pressionar seus irmãos para obter informações relevantes sobre a verdadeira mudança esperada na vida deles, e logo de saída, sob a acusação de espionagem, um porta voz deles, provavelmente Judá, numa frase só, falou pouco e disse tudo. Somos teus servos – somos doze filhos de um homem – na terra de Canaã – o mais nova ficara com o pai em casa – e um já não existia! Bingo!!! Falaram tudo o que José esperava, mas faltava as motivações e razões que ele ainda precisa apurar. Não se vocês são curiosos como eu, mas deve ter sido muito interessante José ouvir sobre si mesmo como alguém que não existia, pelo menos no conceito da realidade dos seus irmãos. Como será descobrir que não existimos? Ou não existimos mais para alguém?

Senhor meu Deus, desejo agradecer por estar vivendo nesse época da história e pelo privilégio de fazer parte da vida de muitas pessoas e ser importante para algumas delas. Quero estender a minha gratidão pela vida das muitas pessoas que são importantes para mim e as quais tem feito muito diferença no que hoje sou e faço. Obrigado porque com a amizade e comunhão com esses amigos e irmãos de caminhada, estamos terminando um ano de muitos desafios em muitos aspectos e que exigiu crescimento, desenvolvimento e criatividade. Expresso, Senhor a minha admiração e gratidão ao Senhor por tudo que passei e passamos juntos. A minha lição de resumo do ano posso expressar nas palavras do Salmo que afirma: “Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre. Assim como estão os montes à roda de Jerusalém, assim o Senhor está em volta do seu povo desde agora e para sempre” (Sl 125.1,2). Em nome de Jesus, amém.

Feliz 2021 a todos que me honraram acompanhando essas meditações.

Pr Jason

O Que Somos e o Que Não Somos

Meditação do dia: 30/12/2020

E eles lhe disseram: Não, senhor meu; mas teus servos vieram comprar mantimento.
Todos nós somos filhos de um mesmo homem; somos homens de retidão; os teus servos não são espias.
(Gn 42.10,11)

O Que Somos e o Que Não Somos Para o cristão, o que ele é supera em muito o que ele faz. Diante de Deus, o que somos é superior ao que podemos fazer. Estamos falando de identidade pessoal e espiritual dos filhos de Deus. Nunca devemos desprezar a verdade da integralidade da pessoa humana. Somos um espírito que possui uma alma e habita num corpo. Espírito é a parte essencial da pessoa, o verdadeiro ser, também chamado na Bíblia de homem interior. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus (Rm 7.22). A alma é imaterial tal qual o espírito, um princípio animado, que anima o corpo, é nossa parte racional, emocional e volitiva. Na Carta aos Coríntios, Paulo fala de um homem natural, racional, que não absorve verdades espirituais até acontecer o novo nascimento acontecer-lhe. Certamente ali está a operação da alma. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. (1 Co 2.14,15). O corpo humano é a parte material que abriga o homem interior, animado pela alma que lhe confere individualidade e faculdades operacionais, O corpo foi criado do pó da terra por Deus quando criou o homem e ele volta para a terra quando acontece a morte física. Paulo faz uma comparação ilustrativa muito interessante e rica em significado quando disse: Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus.(2 Co 5.1). na nova aliança isso ficou muito mais evidente e claro nos ensinos apostólicos. Todo ser humano, quando pressionado ele tende a reagir rapidamente em resposta aquilo que sua essência percebe como uma ameaça ou violação de seu espaço. Racionalmente projetamos soluções rápidas e saídas de emergências, para alívio e trazer tranquilidade e conforto emocional. Já vimos isso acontecer com José, nas muitas  adversidades que lhe ocorreram desde que percebeu um ambiente hostil dentro de sua casa, e chegou ao clímax com um atentando lastimável contra sua vida. No Egito as coisas também não lhe foram facilitadas desde sua chegada. Ele se adaptou e superou com fé e boas atitudes, até chegar ao posto máximo possível na terra das pirâmides. Agora seus irmãos aparecem para comprar alimentos e acontece o encontro e o a certo de contas iniciado já no processo de reconhecimento. Ao serem tratados como espiões estrangeiros eles foram colocados numa condição muito difícil, porque é uma acusação grave e com risco de pena de morte e poucas chances de defesa legítima. É aqui, que eles fazem as afirmações que José queria saber: Todos nós somos filhos de um mesmo homem; somos homens de retidão; os teus servos não são espias. Afirmaram a sua filiação e declararam que eram homens de retidão. Isso tem à ver com caráter. José tinha certeza dos ensinamentos paternos para todos eles, sobre integridade, retidão, honestidade e boas relações com as pessoas. Mas também José tinha dúvidas sobre essa retidão de seus irmãos. Eles tinham deixado ela de lado quando lhe atacaram, ou adquiriram depois? Como filhos de Deus, representantes do Reino dos Céus, justiça e retidão são fatores de grande peso na conduta nossa em tudo que fazemos, pois expressa as qualidades do que somos.

Senhor, obrigado por ser um Deus justo e reto em todos os teus caminhos e através do sacrifício de Cristo, trazer a redenção até nossas vidas, produzindo nossa justificação e acesso ao trono da graça, para orar e adorar em espírito e em verdade. Estamos aqui nesse mundo para cumprir uma missão de comunicar o teu amor e os teus planos de salvação à todo aquele que crer em tuas Palavras proclamadas no Evangelho eterno. Obrigado pela bênção de sermos teus filhos, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason