Uma em Mil

Meditação do dia 30/04/2016

Jó 9.3 “Se quiser contender com ele, nem a uma de mil coisas lhe poderá responder.

Uma em mil“Ao finito não cabe definir o infinito” – Jó ao fazer uma declaração como esta, com certeza não estava falando de precisão matemática, julgando que as chances humanas contra Deus num questionamento seria menos de uma em mil. Mas com certeza era apenas uma citação de como a grandeza de Deus e a limitação humana não se compara. Há tantas evidencias para quem acredita no Deus criador, que a sua grandeza é insondável, que nossos números não devem nem mesmo serem levados em conta. Qualquer pessoa com o computador em casa, pode pesquisar, por exemplo, o conhecimento humano na área espacial, sobre dimensões de planetas, sistemas estelares etc. A terra é apenas um pontinho quase invisível, microscópico na nossa via láctea e a por sua vez, a Via Láctea é também micro em relação ao cosmos percebido pelos estudos  astronômicos. E Deus fez tudo isso, nomeou tudo isso, cuida de tudo isso, governa tudo isso, sem grandes problemas administrativos ou estafa. Conhecendo Deus assim, por sua grandiosidade e eternidade, será que nossos problemas realmente são um desafio para Ele? A resposta de oração está demorando, porque ele está estudando quais seriam as melhores chances de resolver o eu problema sem causar outros maiores ainda? Na verdade, não precisamos ter uma grande fé em Deus; apenas uma fé num grande Deus já resolve. Quando Jesus falou de fé, ele disse que para nós, uma fé como um grão de mostarda, já seria suficiente. Ao profeta Isaías, o Senhor deu uma revelação muito grande: Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos (Is 55.9). Não nos preocupemos com o percentual que podemos conseguir favoravelmente com embate contra Deus. Ele não está contra nós, não age com competitividade e nem tampouco com joguinhos de quem vencer leva tudo. Deus nos ama, fez tudo por nós e fará infinitamente mais do que pedimos ou pensamos, em Cristo. Creia, não desista e não entre pelo caminho de ganhar pontos ou ir por méritos, aí perdemos tudo e perderemos sempre. Viva e experimente a graça!

 

Pai, obrigado por ser tão grandioso e tão simples no trato conosco como teus filhos. Obrigado por Jesus Cristo ser o nosso mediador perfeito e completo. Livra-nos do orgulho e da arrogância do pecado e acolhe-nos em teus braços de amor. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

A Resposta é Não!

Meditação do dia 29/04/2016

Jó 8.3 “Porventura perverteria Deus o direito? E perverteria o Todo Poderoso a justiça?

A resposta é não – Entendemos as perguntas do senhor Bildade, amigo de Jó, como perguntas retóricas – aquelas que se faz já sabendo a resposta, e servem até como afirmação do assunto. É claro que por motivo algum e por pessoa alguma Deus jamais perverteria o direito ou a justiça. Isso para ele não tem a ver com ganhar ou perder algo, mas com caráter, com honrar sua palavra e seus compromissos. A perfeição divina nem se quer cogita a possibilidade de fazer algo errado. Tiago, em sua carta afirma que Deus não tenta ninguém e não é tentado também (Tg 1.13). Nós humanos, somos tentados e corremos riscos de errar; pode ser até uma única vez; pode ser por engano, ou por informações incompletas ou por ignorância e pode ser intencional, pode ser por pressão ou chantagem, como também pode ser por caráter mesmo. Mas a Deus, nenhuma dessas possibilidades o atingem. É também bastante comum, as pessoas buscarem explicações para tudo e se não encontrarem uma que justifique, ou que se encaixe para seu ponto de vista, então se começa a “chutar possibilidades e causas prováveis.” Nessa perspectiva, alguém tem que ser culpado ou responsável e nem Deus é poupado. Posso afirmar com segurança que Deus não falha com ninguém e não comete injustiça. Podemos não entender ou saber a verdade toda sobre algo ou a situação na qual estamos sofrendo, mas o fato de não sabermos, não pode servir para acusar a Deus de não ser fiel para com a pessoa ou não se importar com o sofrimento. Também podemos ver que o fato de alguém expressar um “avançado” pretenso conhecimento de Deus e de sua Palavra, não significa que todo o seu discurso realmente expressa a verdade completa. Posso concordar com essas frases do senhor Bildade, mas não dá para concordar com sua conduta e sua teologia meia boca. Sem conhecer a verdade toda pela qual Jó estava passando ele se pôs “do lado de Deus” contra um homem que segundo suas observações estava escondendo algo e seus filhos também não haviam morrido de graça. Mesmo sendo ele um senhor experiente na vida, e disposto a trazer alento a alguém em dificuldade, não servia nem como companhia e muito menos como conselheiro e confessor. Se não sabemos tudo, então não podemos radicalizar e enquadrar todos pelas nossas medidas.

 

Obrigado, Senhor, por tua misericórdia e bondade, mostradas a nós todos os dias. Por causa destas tuas misericórdias, é que não somos consumidos. Reconhecemos nossa limitação em conhecimento de coisas que podem estar fora do nosso alcance, mas sabemos que sabes tudo e podes agir com justiça e verdade. Quero Senhor, nesse dia, orar pelos que se encontram em situações difíceis e fora da verdadeira justiça dos homens. Intercedemos pelas causas de pessoas que injustamente estão sofrendo e no fundo de seus corações eles sabem, que só o Senhor pode socorrê-los; então pedimos que entres com tuas providencias para que o mal não prevaleça e o justo não seja enquadrado com o mau. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

O Que é o Homem?

Meditação do dia 28/04/2016

Jó 7.17,18 “Que é o homem, para que tanto o engrandeças, e ponhas nele o teu coração, E cada manhã o visites, e cada momento o proves?

O que é o homem? Essa pergunta já foi feita em todos os aspectos possíveis. As respostas que se conseguem para ela, variam muito, porque as variantes e os pontos de vistas também são muitos. Se tentarmos uma abordagem física-material, e desmontarmos uma pessoa e reduzi-la aos materiais básicos de sua composição, veremos que o valor é muito pouco. Sãos poucos quilos de gordura, outras frações de metais, como ferro, zinco, etc e minerais e sais então são baixíssimas quantidades que valem pouco. Também estamos falando aqui, não da pessoa, mas apenas do seu corpo físico. O ser verdadeiro, é um espírito, que possui uma alma e habita num corpo. Quem realmente tem valor e utilidade é a pessoa, que nesse caso é imaterial; é ela que pensa, sente, escolhe e vive. Se observarmos do lado social, somos indivíduos que desempenhamos um papel social e embora alguns sejam de muita importância e valia pela sua contribuição, todos são falíveis e mortais e assim, mais cedo ou mais tarde, deixará o seu lugar para outro. Talvez daí venha a máxima de que ninguém é insubstituível. Mas há também a possibilidade de vermos o que é o homem, do ponto de vista daquele que o criou, e aqui está a chave para a verdadeira avaliação do que somos e do valemos. No Salmo 8, há uma reflexão muito valiosa da criação de Deus e isso inclui o homem. Lá diz: Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites? Pois pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste (Sl 8.4,5). Foi feita a mesma pergunta que Jó, e acrescentada uma observação importante sobre sua criação; ele foi criado um pouco menor que os anjos, mas coroado de glória e de honra. Coroado de gloria! O que é isso? Por definição, “Glória” é aquele sentimento de dignidade. Sentimento de grande valor de ser alguém; aquele sentimento de aceitabilidade, de legitimidade. Por dentro, lá no íntimo, toda pessoa, sabe o que ela é de fato e de verdade, sabe que sua origem muito a dignifica. O trabalho do pecado de destruir a imagem de Deus na pessoa é que a deixa vazia e confusa, autodepreciativa. Mas de fato, você e eu somos extremamente valiosos por pelo menos três motivos: Por causa daquele que nos criou; por causa daquele que nos ama e por causa do valor que foi pago por nós. Isso deve responder bem e dar espaço para redirecionar a vida. Você é especial, do começo ao fim!

 

Obrigado Senhor, por me dar dignidade e valor, desde a criação, antes mesmo que eu fizesse qualquer coisa boa para merecer, ou qualquer coisa ruim para desvalorizar-me. Entendo que o meu valor é determinado pela minha origem, eu fui criado por ti, sou obra de tuas mãos e criado para um propósito. Me amar tanto, até chegar a dar teu filho para morrer em meu lugar, confirma que tenho valor e dignidade. A vida de Cristo dada na cruz como preço de redenção, me torna valioso e precioso aos teus olhos. Obrigado pela redenção em Cristo Jesus! Graças de te dou, por viver e existir dentro de um plano e um propósito tão especiais, feitos sob medida para mim. Graças Pai, pois a cada um de teus filhos, isso se repete e todos somos amados, aceitos, e bem-vindos à família de Deus. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Orações Insensatas

Meditação do dia 27/04/2016

Jó 6.8 “Quem dera que se cumprisse o meu desejo, e que Deus me desse o que espero!

Orações insensatas – Entre as muitas coisas que fazemos, das quais não há motivos para orgulho está algumas orações completamente insensatas e egoístas. Para nosso alívio, Deus é infinitamente sábio e comprometido com seus projetos e não embarca na nossa canoa furada. Que o ser humano é falho, não há nenhuma novidade nisso; que somos facilmente enganados por nossas emoções ou por conhecimento parcial de fatos em que baseamos certas decisões e então descobrimos que não foi um boa coisa que fizemos. Algumas decisões que tomamos podem ser irreversíveis e aí o prejuízo é irreparável, com danos permanentes. Em outras situações, os danos são temporários e apenas atrasam ou demandam mais recursos que o previsto originalmente, ou substituições não previstas. Buscar a maturidade e a comunhão de idéias com Deus, é o alvo a ser perseguido e aprender a orar com quem melhor entende disso, o Espírito Santo, que tem a mais estreita comunhão com o Pai e o Senhor Jesus. A questão, não é orar muito, ou por longos períodos de tempo, mas orar de maneira eficiente e em concordância com a Palavra e a vontade de Deus. O nosso amigo Jó, era uma pessoa piedosa, íntegra, reta, temente a Deus, pois foi o próprio Senhor nosso Deus que disse isso a respeito dele. Contudo, Jó, ainda era humano e como tal, reage sob pressão de forma humana; e temos que concordar, que ele foi muito positivo, muito espiritual e equilibrado, levando em consideração o contexto em que tudo estava acontecendo. Mas o nosso texto de hoje, mostra que ele sentiu e sentiu muito o peso da angústia e do sofrimento físico e emocional, pois os acontecimentos vieram de uma só vez, sem tempo de intervalo, que lhe permitisse assimilar um golpe após outro. Quando ele falou que seria bom receber o que queria, ele estava se referindo à morte, como seria bom se Deus o recolhesse e assim ficaria livre daquele sofrimento e tormento. Creio que pessoas em estado de enfermidades, com dores constantes e sem alívio, sem condições de repouso físico por não poder sentar, deitar, ficar de pé, dormir, encostar, etc. fica emocionalmente instável e irritadiço…. e quando tem ainda visitas que fazem perguntas e ficam sugerindo coisas… a “tolerância zero” é quase aceita como normal. Será que mesmo num estado assim, a pessoa realmente sabe o que é melhor para ela? Ela tem o direito de exigir e aceitar a eutanásia? A morte vai mesmo solucionar “todos” os problemas? Como eu sei que nada sei, então já sei que não sei que o sei realmente é o que sei…bom, deixa prá lá, tá ficando confuso demais… mas Deus sabe, e o plano dele ainda prevalece sobre os meus e sobre os seus e isso é o que conta!

 

Senhor Jesus, um dos teus títulos é: Pai da eternidade; isso significa que o Senhor conhece e sabe tudo de eternidade e do que acontece nela, além daquilo que já sabemos ou imaginamos que sabemos. Sei que o teu caráter é santo e perfeito, e que cuida de cada um de teus filhos, dando-lhes o melhor, o teu melhor. Graças de dou por escrever a minha história e mesmos nos trechos mais difíceis, nunca me deixastes só e desamparado. Mesmo quando penso que fiquei só, a tua Palavra diz que em qualquer lugar e situação a tua mão me guiará. Me mantenha com ânimo forte e visão focada em ti. Admito que o teu tempo e a tua maneira é a melhor, sempre! No teu precioso nome, eu oro agradecido.

 

Pr Jason

Correção é Coisa Boa

Meditação do dia 26/04/2016

Jó 5.17 “Eis que bem-aventurado é o homem a quem Deus repreende; não desprezes, pois, a correção do Todo-Poderoso.

 Correção é coisa boa – De pronto, associamos correção e disciplina á vida das crianças e de alunos. Claro que essas categorias de pessoas realmente estão numa fase de suas vidas e do processo de formação que exige correção e disciplina, mas todos nós precisamos de correção e isso se aplica em qualquer área da vida. Pensando em termos espirituais, precisamos mais ainda, pois isso visa a qualidade e a durabilidade da vida, que cremos ter em Cristo Jesus. Todo cristão acredita na vida eterna, como uma possibilidade real, alcançada pela graça de Deus através da fé em Jesus e no seu sacrifício lá na cruz. Devemos viver e agir em conformidade com aquilo que acreditamos, senão nossa fé e nossa vida deixa de ter sentido e propósito. Portanto, se viveremos eternamente, e em breve, sairemos dessa plano físico e terreno, para posse de um novo corpo e uma nova etapa, com a ressurreição corporal, ou a transformação do corpo físico por um espiritual, perfeito e adequado as condições de onde iremos, e para o tipo de vida e trabalho que ali realizaremos, então é justo, lógico e natural aprendermos tudo o que nos for possível, nos disciplinarmos para compreender e adaptar-nos a esses eventos iminentes que aguardamos. O que esse amigo de Jó disse a ele, dentro de um contexto de exortação, confere com o pleno ensino bíblico, de que ser disciplinado ou corrigido por Deus, deve ser encarado e recebido com muita alegria, porque se o próprio Senhor nosso Deus, está empenhado e dando atenção a minha pessoa e minha vida, visando o meu bem e o meu aperfeiçoamento, eu também devo se ver como um privilegiado e alinhar-me com essa vontade divina. Como pais, ou mesmo como pessoas, temos visto o resultado desastroso de pessoas que não acatam correções, orientações e disciplinas, quer dos pais, quer de instrutores e autoridades. O rei Salomão disse que A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe (Pv 29.15). Se falta de disciplina prejudica uma criança em seu desenvolvimento, imagina se isso também não é prejudicial à vida de adulto, ou a vida de um filho de Deus e adorador? Precisamos de humildade, para admitir que precisamos ser corrigidos e disciplinados. É mais fácil acusar os outros de ser radicais, estar nos perseguindo, não respeitar “nossos direitos,” e quererem se intrometer em nossa vida particular…. reconheçamos, somos difíceis e não gostamos que apontem nossos erros e defeitos… Mas se alguém está em Cristo é nova criatura, e as coisas velhas já passaram e tudo se fez novo. Mudanças de atitudes, de posturas, fazem parte agora da nova vida.

 

Senhor, graças por tua bondade e cuidado que manténs para conosco; e sendo o nosso Senhor e Salvador, tens o pleno direito de nos corrigir e nos disciplinar para aproveitamento nosso. Rebelião, resistência e dureza de coração já fizeram parte de nossa vida no passado, quando ainda éramos dominados pelo poder do pecado. Agora, somos novas criaturas e o Senhor tem planos grandes e firmes para nossa agora e na eternidade. Corrija-nos, discipline-nos, com a tua mão forte, firme, mas amorosa. Em nome de Jesus, amém!

 

Pr Jason

Plantando e Colhendo

Meditação do dia 25/04/2016

Jó 4.25 “Segundo eu tenho visto, os que lavram iniqüidade, e semeiam mal, segam o mesmo.

Plantando e colhendo – O que chamamos de Lei da semeadura, ou seja, aquilo que plantamos, aquilo mesmo colhemos, foi citado aqui por Elifaz, um dos amigos que vieram consolar a Jó. Ele diz uma verdade dentro de um contexto onde necessariamente não é verdade. Estava lidando com uma situação, como se todos fossem absolutamente iguais. Na sua concepção, a lei é universal e portanto serve e se encaixa bem em qualquer situação e para qualquer pessoa. Sendo assim, Jó, embora fora uma pessoa íntegra aos olhos de todos, na verdade, em algum ponto de sua jornada, havia pisado na bola e não estava levando isso em consideração. Se ele estava colhendo uma sagra ruim, fora porque havia semeado coisas ruins em algum lugar de sua vida. Nos relacionamentos de treinamento para liderança de células, usamos citar e pedir que lembrem sempre nas reuniões, que “evitem apresentar soluções simplistas para situações complexas.” Como brasileiros, temos uma tendência cultual de berço, de apresentar respostas e soluções para quaisquer tipos de males e problemas. Se quer entender melhor o que estou dizendo, faça sua própria experiência e diga numa roda de pessoa que está com um problema ou dor… onze em cada dez presentes ali, irão apresentar uma proposta, uma solução ou uma receita, ou fazer uma indicação. Isso tá no sangue da gente. Vendo alguém sofrendo imediatamente a nossa cabeça já começa rodar rápido procurando explicações e possíveis causas e soluções. Foi o que Elifaz disse a Jó. Agora, como novas criaturas, e cheias do amor de Deus e com um propósito de nos importarmos com as pessoas, precisamos abrir mão dos nossos conceitos e quem sabe, até dos preconceitos e buscar em oração e piedade, o discernimento do Espírito Santo, para aconselhar, orientar ou até mesmo ficar calado e só apoiar em oração.

 

Pai, eu sei que não sei muita coisa, e que minha capacidade de discernir pode facilmente ser corrompida pelas minhas emoções e conhecimento humano limitado. Mas pela graça do Senhor, podemos ser instrumentos de bênção e apoio aos que sofrem em situações que podem estar fora de suas capacidades de controlar ou resolver. Permita, que nossas palavras sejam abençoadoras e tragam alívio e paz a esses corações. Mediante o teu Espírito Santo, que é o nosso Consolador, podemos ser consolados e consolar os que sofrem, para edificação do corpo de Cristo e manifestar o teu amor aos que sofrem. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

As Confissões de Jó

Meditação do dia 24/04/2016

Jó 3.25 Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu.”

As confissões de Jó – Sou admirador da pessoa de Jó; como também acredito muitos dos cristãos também o são. Sua vida e sua história nos serve de exemplo e estimula a confiança em Deus e a seguirmos numa vida de retidão e integridade. Aprendemos que as lutas vem e vão, que nem sempre entenderemos tudo, mas é suficiente saber que temos e servimos a um Deus de amor, graça e bondade que cuida de nós em todo o tempo. Deus é bom, o tempo todo, sempre. Nesse capítulo, onde Jó começa a derramar o seu coração e a sua alma em palavras, que percebemos vem de um coração muito aflito e dolorido, e ainda tentando entender a situação que lhe sobreveio e entendemos, ser realmente muito difícil, o que ele estava passando. A série de maldições, até diríamos, as pragas que ele roga, ou naquela ânsia e dor ele deseja que houvesse acontecido; mesmo não sendo o que chamaríamos em literatura de “licença poética,” onde infere de assuntos até mesmo desconhecidos, mas aqui ele está realmente expressando um desejo. Do outro modo de ver isso, sabemos que literal ou figuradamente, não temos como mexer nos dias e tempos; não é porque agora me encontro desiludido com a vida  ou com pessoas, que digo, com todas as letras e sinceridade do coração, que não gostaria de ter nascido, ter vivido, ter feito isso ou aquilo, que de repente, “zas..”  acaba tudo, apaga tudo e eu vou para o meu merecido descanso eterno. A vida não é bem assim. Alguns, que até nos serve para dar boas risadas, dizem que foi por causa dessa maldição que Jó rogou sobre o seu dia de nascimento e a praga pegou, que não temos o dia trinta de fevereiro, que era o dia do nascimento de Jó; desde então ele desapareceu do calendário. Be, essa asneira não é minha, só estou passando o conceito. Mas algo que me chama muito a atenção, é o fato de Jó fazer uma afirmação, que talvez estivesse tão profunda no seu coração, bem no seu íntimo, que nem mesmo ele tinha isso como fato, mas agora em momento de profunda sinceridade e talvez até exagerada, ele expressa e que tem peso na vida e no mundo espiritual. Ele afirma: “…aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu…” Quem lida com guerra espiritual e processos de libertação, conhece bem o princípio da legalidade; ou  seja, é necessário haver uma brecha, uma abertura, uma porta aberta, uma autoridade, ainda que mínima dada ao inimigo para que ele opere em uma situação. Jó afirma, que mesmo contanto com todas as bênçãos, prosperidade, segurança e o favor de Deus sobre sua vida e sobre os seus, no fundo, bem lá no fundo, ele alimentava um medinho de que “um dia a casa ia cair.” É do coração que procedem todas as saídas da vida, e parece que havia uma pequena fenda na vida interior do nosso irmão. Todos, precisamos da graça de Deus, para permanecermos firmes e fortes, sabendo que estamos de pé hoje, e estaremos amanhã, será por causa da misericórdia divina e não por nossa capacidade e firmeza. Todos os dias precisamos reafirmar a nossa dependencia  da graça do Pai. Todos os dias!

 

Senhor, só por hoje, obrigado por estar firme contigo. Graças de damos pela vida e pelas lições que aprendemos diariamente e assim podemos ajudar e abençoar uns aos outros. Sei que o Senhor é fiel e justo para nos guardar e conservar em tua presença. Graças, pela vida de Jó e pelas lições que podemos aprender com ele, certamente ele te conhecia e mesmo em meio as provas e lutas ele via a tua mão protetora e sabia que o seu redentor estaria sempre por perto. Sustenta, senhor por misericórdia, aqueles dos nossos que estão desanimados ou desiludidos, mas que podem ser renovados e restaurados para a comunhão dos santos. Em nome de Jesus. Amém.

 

Pr Jason

A Mulher de Jó

Meditação do dia 23/04/2016

Jó 2.9 Então, sua mulher lhe disse: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre.”

A mulher de Jó – Quero refletir hoje sobre o papel dessa mulher e do que podemos aprender com a experiência dela. Quero pensar que a história linda e que até mesmo Deus fez questão de deixar registrado para nós, foi de seu servo Jó, não de sua esposa. Por outro lado, não quero colocar sobre ela um peso e julgamento que seja injusto, pois julgá-la num único episódio em que temos registrado, pode ser temerário. Sabemos que ela dera a Jó sete filhos e três filhas e que eram unidos, amigos, celebravam juntos e que Jó cuidava espiritualmente bem de sua casa como sacerdote. Então, com certeza ela era uma boa pessoa, que também entrou numa situação muito difícil sem ter qualquer noção do por quê daquilo tudo. Por outro lado, estamos vendo tudo acontecer de um ponto de vista ocidental, de muitos séculos de diferença, onde os conceitos e costumes são bem diferentes daquela época. A esposa de Jó, teve uma reação, digamos intempestiva, diante de tantas calamidades sucessivas e convenhamos, foi muita coisa mesmo. Certo dia, acordaram como em tantos outros, como fazendeiros prósperos, família ajustada e feliz, cidadãos respeitos na comunidade, funcionários e servos cumprindo suas tarefas, dia de aniversário do filho primogénitos e a festa hoje era na casa dele, tudo perfeito, tudo normal. No final do dia, não tinham mais nenhum animal em toda a fazendo, foram roubados, destruídos por calamidades, morreram todos os dez filhos num desastre estúpido e sem explicações lógicas, na casa em que celebravam, todos os servos e empregados, mortos, com exceção de uns quatro ou cinco. Estavam falidos, quebrados, sem mão de obra e sem como até socorrerem-se a si mesmos. Logo em seguida, questão de poucos dias, quem sabe, até mesmo no dia seguinte, Jó aparece doente, cheio de tumores infecciosos e infeccionados, fedidos e que tomam o corpo todo, da planta dos pés até o alto da cabeça, o homem era uma chaga só. Me diga, isso não é desesperador? Uma esposa, uma distinta senhora piedosa, rica e bem cuidada, vendo tudo isso acontecer em espaço de horas, uma má notícia atrás da outra e agora, o marido, que era o seu porto seguro e ponto de equilíbrio em situações de crise, estava nesse estado, como ela deveria reagir? Claro, todo diria: “com fé, com paciência e desesperar não ajudaria em nada!” Não acha que é cômodo demais, para nós? Posso afirmar com certeza, que esposas que passam ou passaram por situações de grande dificuldade, como acidentes com esposo e filhos, ou doenças graves e faltando recursos tendo que deixar o trabalho para cuidar, ou tendo que ir trabalhar para sustentar e ajudar, vão entender melhor a situação da esposa de Jó. Temos visto, tantos casos, de mulheres que entram em pânico e desespero por uma causa justa, quando sua unha se quebra, ou o penteado não ficou bom; as jovens cristãos adolescentes, entram em crise e depressão pois o aparecimento de uma espinha e desastroso para a imagem e auto afirmação. Irmãos que estão em crise de fé e comunhão, porque não visto ou cumprimentado na rua por outro membro da igreja. Outros depois de dois anos de grandes serviços prestados na igreja, não foi elogiado pelo pastor e nem reconhecido pelos irmãos, afinal, elegeram outro para aquela função. Queridos, o nosso sofrimento hoje em dia é terrível, desanimador. Se Jó visse a nossa situação ele e pararia de choromingar e se levantaria e viria nos consolar e confortar. É muito provável que a esposa dele, deixaria seus supérfluos problemas e choraria com a gente! Concordo, que ela poderia ter sido mais companheira com Jó, pois embora a tragédia atingira a todos, para ele sobrara uma porção a mais. Será também que o grito de raiva e desespero dela não era um misto de piedade e egoísmo? Não era fácil ver seu marido daquele jeito, sofrendo sem ajuda, sem alívio e ela não tinha antibióticos, morfina, pomadas ou mesmo médico e hospital que a socorresse. A morte aliviaria o sofrimento físico dele e daria a ela uma dor profunda, mas apenas sua; sofrer ao ver alguém querido sofrendo e sem poder ajudar é realmente muito dolorido. Por outro lado, a morte de Jó, seria o alívio dela. Podemos pensar, dizer e falar o que vier na cabeça, mas ninguém quer estar na pele dela.

 

Graças, senhor, pela vida de qualidade que temos e pela saúde física e emocional, que podemos desfrutar ao lado dos nossos familiares. Sou agradecido pelo privilégio de conhecer a história de Jó e dos seus sofrimentos, onde ele aprendeu e confirmou sua fé e também foi honrado por ti. Obrigado pela obra de amor restaurador que aconteceu com eles, pois ainda vieram a ser novamente uma família feliz e completa, pois vieram a ter outros filhos e filhas. Obrigado pela restituição, que faz parte do amor redentor, que em Cristo está disponível a todos nós ainda hoje. Oro a ti, em interseção amorosa pelos que estão em estado de sofrimento e enfermidades. Os abençoamos com bênção de vida e saúde, e que os seus corações estejam confirmados com a tua graça. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Temor e Integridade

Meditação do dia 22/04/2016

Jó 1.1 Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; Homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal.”

Temor e Integridade – Iniciamos hoje a escrever meditações baseadas no livro de Jó, o que é um grande privilégio, pois a pessoa e a vida de Jó é paradigma de paciência, integridade e temor a Deus. Mesmo nos círculos menos bíblicos, ele ainda é referencia e conhecido e citado por muita gente, que sequer conhece a verdadeira história bíblica. Pessoas boas e fiéis, piedosos, são comparados com Jó e os apressadinhos e impacientes, argumentam que “não tenho a paciência de Jó!” Por informações históricas, sabemos que em termos de data cronológica, Jó é contemporâneo de Abraão. Isso também nos remete a outros fato muito legal, pois temos uma tendência de aceitar que a fé, tal qual a conhecemos, segue uma linha de piedade pelas genealogias bíblicas conhecidas, saindo de Adão, passando por Noé e filtrando no seu filho Sem e chegando em Abraão, quase como se ele fosse um ateu ou idólatra perdido em Ur dos caldeus, até ser resgatado por Jeová e construindo à partir daí, a trajetória que conhecemos. Jó não é nem mesmo citado em qualquer outra parte, até aparecer aqui no seu livro e umas poucas depois em citações proféticas como Ezequiel 14.14 e no Novo Testamento posteriormente. O caráter de Jó é muito bem firmado em verdades e princípios, que servem de modelo para o homem moderno e o cristão centrado em Deus. Integridade é um artigo preciosíssimo nos nossos dias, não porque os anos e séculos corroem o caráter de civilizações, mas porque a humanidade vai se afastando das raízes boas de suas origens e traçando novos caminhos com valores mais efêmeros em tentativas de simplificar a vida, quando na verdade o que realmente querem é melhores resultados com menores esforços. Procuram um mundo melhor populado por civilizações fúteis, tão volúveis e transitórios quanto a durabilidade de suas obras. Ninguém quer nada permanente, durável, prefere-se o solúvel, biodegradável, o instantâneo, o desidratado e o reciclável. Jó valorizava uma conduta irrepreensível e uma vida útil com base na sua fé e no temor a Deus, com o compromisso de desviar-se do mal. As tentações para forçar as pessoas a saírem de linha e enveredarem por caminhos de corrupção e violência, não é novidade moderna, inventada nos guetos de grandes metrópoles; Jó revela no seu livro, que no seu dia a dia, havia conhecimento de ladrões, assaltantes, adúlteros, saqueadores, exploradores de outros seres humanos, políticos corruptos sentados nas portas das cidades para decisões; fala de juízes e julgamentos injustos e desigualdade social onde a balança pesava sempre para o lado dos mais bem dotados de bens e influencias. Ler esse livro, com olhar de quem vê pela ótica do reino de Deus, é como ler o jornal edição dessa manhã ou mesmo as versões em mídias. Nesse sentido, dá até para aceitar a versão feminina: “Os homens são todos iguais.” Mudam os séculos, os lugares geográficos, o nível de educação e tecnologia, mas por dentro, todos tem um coração e ele ainda continua controlando as saídas da vida. Ter bom caráter nas relações familiares, sociais e ter fé e compromisso com Deus, não é coisa antiga e antiquada, como não é coisa nova; são fatos da vida, para isso fomos criados e para isso estamos sendo preservados pelo criador. Quando só havia quatro pessoas na face de toda a terra, Deus disse para um deles tomar cuidado porque o pecado estava batendo à porta do seu coração e competia a ele tomar as devidas providencias. Então pecado e problemas sociais não são resultados das grandes aglomerações da sociedade. O homem sempre precisou de um salvador, e não de benfeitores e o “X” da questão sempre esteve por dentro e não externo a cada um de todos nós. Caráter e temor a Deus, pode levar-nos de volta a um bom lugar e uma boa condição, porque nos reaproxima de nossa origem, Deus e de sua idéia de vida.

 

Quão grande é o meu Deus! Louvado e para sempre seja engrandecido o teu santo nome. Pai, obrigado pelo privilégio de ter o dia de hoje para viver em tua presença e buscar conhecer a ti e a tua vontade. Graças te rendo, pela possibilidade de meditar na história da vida de um homem que andou com o Senhor, em tempos tão desafiadores quanto nos meus dias atuais; Ele prevaleceu e foi edificado ao confiar em ti e na tua capacidade de cuidar dele e dos seus, mesmo quando tudo parecia contrário e sem perspectivas boas. Mesmo sem ver ou saber ele lutava com inimigos poderosos e invisíveis, que se valiam de argumentos mentais, emocionais e espirituais, para levar sua fé ao naufrágio; mas não conseguiram, porque ele estava firmado numa rocha firme. Senhor, que hoje seja um dia de vitória e de regozijo para muitos que se encontram atribulados e atacados de todos os lados e vão encontrar no Senhor a saída segura. Sustenta os homens de bem e de retidão de coração, que desviam do mal por amor ao teu nome. Em nome de Jesus, oramos agradecidos. Amém.

 

Pr Jason

 

Os: Correção – A referencia bíblica da meditação de ontem é Et 10.3 e não 10.28 – me perdoem a displicência.

Mordecai, o Grande

Meditação do dia 21/04/2016

Et 10.28 Pois o judeu Mordecai foi o segundo depois do rei Assuero, e grande para com os judeus, e estimado pela multidão de seus irmãos, tendo procurado o bem-estar do seu povo e trabalhado pela prosperidade de todo o povo da sua raça.”

Mordecai, o Grande – Pessoas polivalentes, talentosas em diversas áreas é raridade, mas existem muitas por aí. Algumas até com capacidades e habilidades que nem ela mesma sabe que é capaz de produzir tão bem, mas de repente aparecem oportunidades ou mesmo uma crise se instala e acaba por forçar o surgimento dessas preciosidades. Entre o povo de Deus, isso não era nenhuma novidade, e homens comuns já haviam brilhado em grandes administrações mundo à fora. Começando por José, o filho de Jacó, que foi sequestrado pelos próprios irmãos e vendido como escravo para o Egito, e lá se saiu muito bem, começando por administrar bem a casa do capitão da guarda pessoal de faraó e depois como auxiliar na prisão e dali para primeiro ministro do maior império do mundo na época. Foi um exemplo de gestor, salvando o Egito, e sua própria linhagem, até quando saíram de lá para ocuparem a sua terra prometida. Outro jovem, com a idade próxima da mesma de José, foi Daniel, que fora levado cativo quando da queda do reino de Israel, conhecido como reino de Judá, ele foi para a corte babilônica e se destacou nos estudos e logo assumiu cargos de alta relevância na administração imperial e a sua relevância é tamanha, que serviu em quatro dinastias diferentes, mantendo-se em alta. Normalmente quando uma dinastia cai, os seus ministros e servidores diretos, ou eram demitidos ou eliminados com a dinastia vencida, mas Daniel era “duro na queda,” e ainda era funcionário de alto escalão, quando apareceu em cena os acontecimentos narrados no livro de Ester, que se sucederam na cidade de Susã, capital do reino de Elão, e residência de inverno dos reis persas, à uns 320 km de Babilônia, a capital do império. Juntando-se a José e Daniel, aparece aqui Mordecai, que de anônimo até então e um ilustre desconhecido, chegou a primeiro ministro, trabalhando ao lado o próprio imperador como segundo em comando e com referencias de excelente administrador, e cuidando bem dos interesses do reino de Deus, pois a sobrevivência dos judeus com expectativas de repatriação, era fundamental para os propósitos eternos de Deus, em relação as profecias messiânicas. Há defensores do fato de que a presença da rainha Ester na corte foi decisiva para a nomeação de restauradores como Neemias e Esdras, que alcançaram favores especiais da parte da corte para suas missões. Um homem com o coração rendido à Deus, no lugar certo, com certeza é um instrumento para transformações importantes. Acredite, o tamanho da cidade, ou comunidade onde você vive, trabalha, não será jamais impedimento para Deus fazer grandes coisas através da sua vida, da sua família ou da sua igreja. Se no seu coração Deus colocou projetos grandes, e ao medir os recursos e as logísticas, parece que não batem, não se preocupe, comece a fazer a obra onde e como está. Os meios, as pessoas, os recursos e os suprimentos necessários, virão no devido tempo e o Deus provedor tem como fazer isso, permita ser surpreendido pelo seu Deus. Ninguém entende melhor de estratégias e tempo certo de se estar, para que as coisas aconteçam; o nosso Deus já demonstrou isso diversas vezes, ao longo da história e fará outras tantas, para que seus planos se cumpram. Acredite, Deus é infinitamente sábio para frustrar seus próprios planos, tudo à seu tempo.

 

Obrigado Senhor, por levantar pessoas com as habilidades e capacidades certas para as horas certas, para a tua perfeita vontade aconteça. Jesus nasceu no lugar certo, no dia certo, com todos os pormenores que lhe daria o direito e a autoridade para ser o redentor da humanidade. Ele fez em três anos e meio aqui na terra, tudo o que era necessário e no momento exato, estava ele na cruz, par dizer: “está consumado!” Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que te amam e são chamados pelo seu propósito; é assim, Pai, que me alento a cada dia, sabendo que a minha vida, está nas mãos mais seguras e competentes que poderiam existir. Obrigado, pelas muitas pessoas, que tens levantado para me abençoarem e me ajudarem a cumprir o meu papel no teu projeto. Obrigado também, pela oportunidade de cooperar no corpo de Cristo, para outros completem suas carreiras. Louvado seja o Deus provedor! Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason