Uma Casa e Cabanas

Meditação do dia: 23/10/2019

  Jacó, porém, partiu para Sucote e edificou para si uma casa; e fez cabanas para o seu gado; por isso chamou aquele lugar Sucote. (Gn 33.17)

 Uma Casa e Cabanas – Pastores orientais normalmente são nômades, pela natureza do seu trabalho e pela condição de pastagens e águas para manterem os seus rebanhos. Além do trabalho pastoril, os patriarcas também tinham a missão de peregrinarem na Terra de Canaã, para conhecer e tomarem posse, ainda que apenas posicionalmente, até chegar o tempo previsto por Deus, quando como nação eles de fato e de direito se instalassem ali. Mas agora, vimos Jacó adentrando nessa terra e edificando uma casa para sua moradia e também cabanas para o seu gado; algo está nos indicando que ele está pretendendo fixar residência, ou ao menos manter uma sede fixa e apenas o gado e os pastores se moverem conforme a necessidade. Por duas gerações , esses hebreus viveram em tendas e mudando de lugar para lugar como vemos na história e Abraão e Isaque. Jacó foi peregrino por muitos anos em Padã-Harã na Mesopotamia e agora estava de volta às suas origens e começa a modificar o status de sua família, que agora já era numerosa e poderia ser contada como uma tribo. Construir casa de moradia indica a intenção de se estabelecer e permanecer sedentário. Jacó estaria pensando em ter mais tempo para cultivar a fé em sua família e preparar os seus filhos para herdarem e continuarem o legado recebidos das gerações anteriores e com o compromisso de perpetuarem essa fé e conhecimento de servirem a um Deus único, sem representação material ou física, e inculcar nos rapazes a obediência a uma aliança espiritual que faria deles uma grande nação, para cumprir um propósito eterno. Ao olhar para Jacó e ver nele a necessidade de desenvolver o chamado divino, me sinto também chamado a olhar ao meu redor, mesmo já estando milhares de anos depois, com a principal promessa da redenção já sendo um marco no passado, pois o povo de Deus no Velho Testamento, olhavam pela fé, para frente, para um Messias que haveria de vir e ensinar-lhes o caminho de Deus para a salvação. Nós, hoje, olhamos para trás, pela fé, para um Cristo que já veio, se encarnou e habitou entre nós cheio de graça e de verdade, sacrificou-se na cruz do Calvário, revelando-se como sendo o Caminho, a Verdade e a Vida. Pela fé agora, aguardamos sua segunda volta, para arrebatar a sua igreja, composta de salvos e remidos, que puseram nele a sua fé e andam nessas mesmas pisadas de Abraão, Isaque e Jacó, tendo a revelação completa de Deus, pela Palavra Escrita e pela revelação Especial através de Jesus Cristo. Ainda há trabalho a ser feito, ainda a vidas a serem alcançadas e o conhecimento de Deus está profetizado que encherá toda a terra como as águas cobrem o mar. Esta tarefa é da igreja, então é minha, é sua é nossa. Não tem a ver com religião ou denominação, mas com o senhorio de Deus em nossas vidas. Como Jacó, chega a hora de parar de mudar de um lugar para outro, de uma situação para outra e ter mas tempo para Deus e para a causa de Deus. As cabanas para o gado, os mantem protegidos e guardados, isso indica mais tempo para as pessoas se envolverem em atividades espirituais que são o foco da aliança de bênção prometida a todas as famílias da terra. Chegar em Canaã é chegar nas promessas de Deus e nelas se chega para propósitos maiores. Quais são os propósitos divinos para sua vida e de sua família?

Pai, obrigado pelo tempo de peregrinação e pelo momento de chegada a algum lugar onde precisaremos aprender algo novo ou começar a fazer algo que faça sentido para a missão de vida que nos confiaste. Queremos aprender sobre o momento de parar e se estabelecer para construir sobre novas revelações. Os teus planos são grandes e perfeitos e se conectam com a eternidade. Nada é sem sentido ou sem propósito em seguida. Obrigado por nos chamar para sermos partes de algo grande e importante, como o teu reino. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

No Passo do Gado e dos Meninos

Meditação do dia: 22/10/2019

  Ora passe o meu senhor adiante de seu servo; e eu irei como guia pouco a pouco, conforme ao passo do gado que vai adiante de mim, e conforme ao passo dos meninos, até que chegue a meu senhor em Seir. (Gn 33.14)

 No Passo do Gado e dos Meninos – Esse texto que reproduz a fala de Jacó a seu irmão Esaú, de forma muito educada e nobre ele dispensa a atenção e o cuidado oferecido para ajudar na condução de sua caravana até chegarem na casa de seu pai Isaque. Mas não é a finesse de Jacó que atrai tanto a minha atenção; mas a postura diante de uma situação imposta, mas que dependia de discernimento espiritual para lidar de forma eficiente. Jacó não aceitou andar nos passos de Esaú, mas escolheu andar nos passos do gado e nos passos dos meninos, o que de fato isso nos proporciona em termos de aplicação prática na vida espiritual? Estamos diante de duas propostas de como andar: Uma, seria andar nos passos de Esaú e a outra seria andar nos passos do rebanho e das crianças. Definindo em termos de preto e branco, estamos lidando com o andar do mundo, do homem carnal, violento, briguento e em companhia de mercenários que fariam o papel de boiadeiros, como condutores de rebanho. Eles fariam um tipo de trabalho que não estão adaptados, não é da natureza deles, pois são guerreiros, apressados, estressados e lhes apresentando uma situação difícil eles simplesmente estariam dispostos a abandonar, ou matar os animais, pois não tinham tempo à perder. No outro lado estava o andar do gado e Jacó já havia avisado que era gado de leite, mães e filhotes, que eram tenros, e andavam devagar, exigiam cuidado e atenção, se precisasse, paravam e se acampavam para não estressar os animais, pois os filhotes precisavam de mamar e estarem saudáveis e dispostos. Um pastor saberia os momentos adequados para andar e parar, encontrar os locais certos para descanso e receber os cuidados necessários. O seu gado era uma bênção de Deus em recompensa de seu trabalho e sua fidelidade andando em aliança. Seus filhos ainda eram jovens e alguns eram crianças e mesmo que montados em cavalos ou camelos, não poderiam ser exigidos em demasia. Havia mulheres e Raquel estava gestante. A grande lição é que em algumas situações, o mundo nos oferece ajuda e simpatiza com nossa causa e se oferece para andar conosco e nos apoiar. Mas precisamos separar as coisas; nem sempre poderemos andar ou aceitar ajuda do mundo, porque de uma forma ou de outra, eles irão cobrar sua ajuda ou exigirá que adotemos suas práticas, pois para eles, fazer do nosso jeito é bom e fazer do jeito deles não tem problemas. Mas sabemos que não é bem assim. O certo em alguma situação ou circunstancia poderá se tornar errado ou inadequado; mas o errado em nenhuma situação ou circunstancia se tornará certo. Como filhos de Deus fomos chamados para andar na luz e fazer o que é certo porque é o certo a se fazer. Tudo bem que Esaú não foi violento, não brigou, pelo contrário, foi amável, perdoou e aceitou a reconciliação com Jacó e pelas atuais situações estava tão gentil que se ofereceu para servir de ajuda e assim Jacó estaria até mais protegido. Jacó não embarcou nessa. Esaú é sempre Esaú e ele escolhia andar nos passos do gado, pois como pastor ele sabia que isso seria saudável para todos. Ele escolhia andar nos passos dos meninos, pois eram simples, humildes e andar em família seria muito mais precioso. Sei que há cristãos e igrejas que aceitam todo tipo de ajuda e alguns até pedem ajuda e de qualquer fonte que vier eles atribuem como bênção de Deus. Sou reservado quanto a pedir e a receber ajuda; no exercício da mordomia, sirvo a um Senhor rico, dono de tudo e responsável por suas ordens e assim sei que a obra de Deus feita da maneira de Deus, sempre poderá contar com os recursos de Deus. Sendo ele que chama, envia, capacita, então ele é fiel para cuidar e suprir. Prefiro contar a Ele as minhas necessidades, sinto mais base bíblica nisso do em outras formas. O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus (Fp 4.19).

Bendito seja o nosso Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, que segundo as suas muitas misericórdias, tem nos abençoado com toda sorte de bênçãos e nos guardado em todo tempo, suprindo generosamente mais do pedimos ou pensamos. Obrigado, Pai, por cuidar de nós de forma tão amorosa e fazer com que sintamos amparados e protegidos em todas as nossas jornadas. Queremos continuar andando contigo e andando no Espírito, andando em fé e rejeitando o modo de andar do mundo. Obrigado por tudo, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Com Que Lidamos

Meditação do dia: 21/10/2019

  Porém ele lhe disse: Meu senhor sabe que estes filhos são tenros, e que tenho comigo ovelhas e vacas de leite; se as afadigarem somente um dia, todo o rebanho morrerá. (Gn 33.13)

 Com Que Lidamos – Entre a partida e a chegada existe todo o trajeto. Se preferir, entre o começo e o fim, existe o meio e isso precisa ser levado em conta no momento em que se assume uma responsabilidade. Quando alguém delega uma tarefa ou missão, é importe para quem a recebe, saber qual é a expectativa final esperada, por parte de quem a delegou; caso contrário, corre-se o risco de surpresas desagradáveis para ambos os lados. Isso me faz lembrar a história do comerciante que contratou um letrista para escrever na fachada do imóvel o nome do empreendimento, que seria um açougue; após as medidas e cálculos iniciais o letrista ficou na dúvida se a palavra “açougue” se escrevera com “S, SS, Ç,” na dúvida, ele escreveu “Quitanda!” (claro que de estado para estado no Brasil isso tem variações múltiplas). Jacó disse para seu irmão Esaú, que ambos sabiam da fragilidade do que compunha a caravana, pois havia, crianças pequenas, jovens e adolescentes; havia vacas e ovelhas leiteiras, animais jovens e tenros, que não podiam ser forçados a uma jornada mais apressada. O alvo de Jacó era chegar e não “chegar rápido.” Temos visto estatísticas de acidentes rodoviários, que grande parte deles acontecem a pouca distancia do destino final dos condutores. O que ressalta o fato de que o cansaço e a fadiga não estava mais sendo levado em conta porque já se encontravam perto do destino e violaram as medidas de segurança e prevenção de acidentes. Se isso vale para o transito e vale para a condução de caravanas com animais, então isso pode ser muito bem aplicado em muitas outras áreas da vida, incluindo a vida de fé e a caminhada espiritual. Deus nos deu uma vida para viver; nela devemos desenvolver nosso potencial criativo e laborioso para o nosso sustento e para o progresso comunitário e humano ao nosso redor. Não somos ilhas e não estamos limitados em termos de influencia, pois damos e recebemos isso o tempo todo. Os cristãos tem consciência de uma chamada vocacional para serem sal e luz num mundo controverso e adverso; isso é nossa missão de vida; estamos aqui para influenciar e transformar positivamente através de nossa vida e nossas capacidades dadas por Deus. Saber o que está sob minha responsabilidade me ajuda a desenvolver e trabalhar com tudo isso. Esaú veio com quatrocentos homens montados, guerreiros ou soldados mercenários e queriam que Jacó andassem com eles. Você sabe ou conhece o seu público? Há identificação entre você e eles? Uma corrente tem a sua força medida pelo elo mais fraco, o que esse elo suportar, a corrente toda suporta. Isso deve ser aplicado para a família, a células, a classe de EBD, a congregação e o ministério todo. As pessoas são o bem mais precioso que Deus confiou a nós pastores e obreiros e eles precisam ser cuidados e entregues “são e salvos” ao Senhor da Seara. A pressa em atingir resultados pode liquidar com todo o investimento que o Senhor fez. Precisamos ser responsáveis e agir como quem de fato sabe cuidar.

Pai, oramos por sensibilidade espiritual para com as pessoas que estão sob nossos cuidados. Cada pessoa é única e especial para ti e por elas Jesus se sacrificou para salvar e libertar. Pastores e obreiros foram chamados por ti para cuidarem do rebanho, e não só pregar, mas apascentar e oferecer cura e ajuda ampla para todas as suas necessidades. Pedimos sabedoria e graça, para sermos de fato, agentes de transformação e bênçãos para todas as pessoas ao nosso alcance. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Esaú Quer Andar Com Jacó

Meditação do dia: 20/10/2019

  E disse: Caminhemos, e andemos, e eu partirei adiante de ti. (Gn 33.12)

 Esaú Quer Andar Com Jacó – Uma coisa muito importante na vida é alcançar a maturidade e saber tomar decisões e ser responsável por tais decisões. Na vida cristã, todos começamos como bebês, somos infantis, inocentes e ingênuos e isso é aceitável até certo ponto. As etapas de crescimento vão se sucedendo e em cada uma delas, um nível de responsabilidade e exigido. Na caminhada de fé o alvo não é a independência, mas interdependência, que é o nível cristão de relacionamentos; todos damos e recebemos influencias; nos polimos uns aos outros e dependemos reciprocamente para que todos amadureçam e frutifiquem. Saber dizer NÃO é uma das etapas importantes, caso contrário, nos encontraremos em situações nas quais seremos reféns de outras pessoas e suas crenças, que podem contrariar frontalmente o que temos estabelecido para nós mesmos. Outro detalhe importante é aprender a diferenciar os diversos relacionamentos e níveis de importância e autoridade que as demais pessoas exercem sobre nós e também até onde vai nosso círculo de influencia e autoridade. Há pessoas que adoram mandar, e há pessoas que procuram serem mandadas, pois são inseguras em si mesmas para tomar decisões, quando esses dois tipos se encontram e ainda estão imaturas é desastre pré-anunciado. Saber a diferença entre amizade e comunhão e um ponto importantíssimo na experencia cristã; as duas coisas não são iguais e não possuem a mesma intensidade e propósitos. Amizade é nível de alma, de emoções  e está sob a influencia de simpatia e convergências comuns. Amizade pode crescer, se fortalecer e criar outros vínculos de grande significado na vida. É também um dos principais fatores para a prática do Evangelismo cristão. Ganhar um amigo para Cristo é muito mais fácil do que um desconhecido. Comunhão é a nível de Espírito, é afinidade espiritual por terem um mesmo Senhor, uma mesma fé, um mesmo propósito; na comunhão “Nós” é importante, “EU” é segundo plano. Podemos ter amizades com todas as pessoas, independente de quaisquer diferenças, incluindo fé; mas não podemos ter comunhão com quem não “COMUNGA” conosco. Esaú era irmão de Jacó, eram fazendeiros, se reconciliaram das brigas e trapaças do passado e agora estava tudo bem em termos de amizade e parentesco. Para Esaú, não haveria problema nenhum andar e caminhar junto com Jacó e ele propôs isso, mas será que Jacó aceitaria isso? Isso faz a gente lembrar o profeta Amós: Andarão dois juntosse não estiverem de acordo?”  (Am 3.3).

Senhor, queremos crescer e adquirir maturidade para discernir as companhias e as propostas que devemos escolher e aceitar para caminhar juntos. Nosso ideal é agradar a ti em tudo e em todo tempo; estamos comprometidos com a comunhão no poder do Espírito Santo e não podemos ceder às facilidades que aparecem mas que no fundo querem nos levar para longe de ti e dos teus caminhos. Guia-nos Senhor, hoje e sempre em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Abençoados Para Abençoar

Meditação do dia: 19/10/2019

  Toma, peço-te, a minha bênção, que te foi trazida; porque Deus graciosamente ma tem dado; e porque tenho de tudo. E instou com ele, até que a tomou. (Gn 33.11)

 Abençoados para Abençoar – Gosto de aprender com pessoas que aprenderam e souberam fazer uso daquilo que Deus compartilhou com eles. Jacó, é um bom exemplo de como alguém pode se converter e transformar sua vida em modelo para muitos; alguém que descobriu a vocação e abraçou o chamado divino, fazendo daquilo a sua bandeira de vida. Na área financeira e material ele também é um excelente modelo. Ainda que se possa contestar, mas os siros são bons negociadores e Jacó tem essa origem no sangue e ainda que no começo de sua vida ele negociava de tudo e qualquer coisa que lhe rendesse algum lucro, sendo bom de lábia, e o seu nome não escondia isso. Mas tudo isso, ficou no passado quando ele encontrou a Deus naquela primeira noite de sua jornada fora de casa. Dali em diante ele trabalhou duro e com muita honestidade, mesmo quando o sogro e tio lhe tentava passar a perna ele continuava decidido a ser o homem segundo o coração de Deus e apelava para o temor de Isaque. Alcançou um patrimônio considerável em termos materiais e gente de serviço, mas o coração dele nunca esteve naquilo. Ainda que  tivesse seus temores e receios, ainda assim, priorizava o patrimônio imaterial, invisível e guardado no coração. Ele valorizou a bênção de ter uma aliança com Deus e isso fez e faz toda a diferença. A quantidade de cabeças de reses que ele separou para dar de presente para Esaú e muito mais do que muitos sitiantes nossos tem hoje em dia. Esaú não queria receber, porque entendia que não necessitava, ainda que fosse um instrumento de aplacar sua sede de vingança e ou mesmo um presente de cordialidade fraterna; ele era fazendeiro também e tinha bastante. Jacó teve como base de seus argumentos, que aquilo era uma dádiva divina, que assim Esaú estaria recebendo sem precisar, por que já tinha bastante, ele também não precisava, porque a generosidade do Senhor Deus lhe concedera muito mais do merecia. Ao ler o texto de hoje, me veio logo em mente uma citação do novo testamento, onde Paulo está ensinando sobre generosidade em doar e como o processo é similar a semear e colher. E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra (2 Co 9.8). As pequenas palavras de Paulo, me fazem viajar buscando maior compreensão, mas só de lê-las já me abençoam: “Deus é poderoso para fazer… toda graça, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra!” cada parte dessa dá um estudo, dá uma meditação, dá uma série de ensinos sobre o que é que cremos sobre a utilidade dos bens e bênçãos que aparecem em nossas vidas. Muitas pessoas, são bons cristãos, fiéis nas práticas, dizimistas, ofertam para projetos relevantes, mas não possuem um conhecimento mais profundo sobre o porque Deus os abençoa com certos bens e patrimônios ou capacidade de aquisição. Muitos desses são consumidores vorazes, torram tudo que vem à mão e acham que é para isso que Deus os abençoam. Nunca oram ou buscam discernimento sobre como poderiam serem muito mais produtivos e efetivos com os dons e dádivas que Deus lhes confiam, alguns chegam ao ponto de perder tudo e não se recuperam mais. Você já perguntou por que você ganha X – Por que bons negócios e boas oportunidades lhe aparecem sem esforços? Que tal começar a orar e buscar esse tipo de discernimento? Quem sabe, você é um canal de financiamento de projetos que ardem do seu coração, mas você pessoalmente não pode ir! Talvez você possa mudar a vida de alguém, de uma família? Ore… “Senhor, porque sou tão abençoado e tenho sempre muito mais do que preciso ….?

Senhor, tudo é teu, eu sou teu, nós somos teus e para tua glória. Se algo está disponível a nós, é porque certamente tens planos maiores e melhores do que nós para esses recursos. Dá nos sabedoria e desprendimento para sermos agentes da benção e da generosidade do Senhor. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Tempo de Presentear

Meditação do dia: 18/10/2019

  “Então disse Jacó: Não, se agora tenho achado graça em teus olhos, peço-te que tomes o meu presente da minha mão; porquanto tenho visto o teu rosto, como se tivesse visto o rosto de Deus, e tomaste contentamento em mim. (Gn 33.10)

 Tempo de Presentear – Quando minhas filhas eram pequenas e eu viajava para algum lugar, elas ficavam na expectativa da minha chegada, claro, mais pelo que eu traria para elas do que propriamente porque eu chegaria. Nada que a infância não faça valer as trocas de valores e valia também o suspense ao vê-las rodeando curiosas e falando sem falar, como quem dizia: “E aí, trouxe algo ou não? Vai entregar ou deixar a gente esperando?” À medida que foram crescendo, o encanto foi se esvaindo até que não havia nada que fosse muito significativo para elas. Mas mesmo assim, agora adultas, ficam esperando alguma lembrancinha da viagem. Ganhar presentes é muito gostoso e nem sempre o valor monetário é o que mais interessa, e sim, de quem veio e a razão porque fomos lembrados. Jacó havia partido de casa e deixado o relacionamento com o irmão um tanto quanto abalado, na verdade, quebrado, até com sinais de desejo de vingança por parte de Esaú. Para evitar uma tragédia maior, os pais optaram por enviar Jacó para a Mesopotamia, em Harã, terra natal da mãe deles, para que ele ficasse por algum tempo e trabalhasse com o tio Labão. Pela reação de Esaú ao saber da proximidade da chegada do irmão Jacó, percebemos que ele havia guardado aquela mágoa e a raiva, para algum dia de fato executar seus planos maus. Se ele não tivesse tais intenções, o mais natural seria que ele esperasse o irmão chegar em casa de seus pais e no momento certo ele agiria. Mas ele antecipou a chegada do irmão e foi-lhe ao encontro, levando consigo quatrocentos homens bem armados e isso não era um gesto amistoso. Os mensageiros, ou os batedores que precediam Jacó, enviaram-lhe a mensagem de que Esaú vinha e seu aspecto era belicoso sim. E os mensageiros voltaram a Jacó, dizendo: Fomos a teu irmão Esaú; e também ele vem para encontrar-te, e quatrocentos homens com ele (Gn 32.6). Jacó estava ciente do que havia feito no passado e estava disposto a corrigir e reatar o relacionamento, mas ele não sabia qual seria a verdadeira reação do seu irmão. O texto em si, literalmente não diz que Esaú queria briga, mas também não omite essa idéia, pois a reação dos mensageiros e a de Jacó revelam que sim, ele estava bravo e com instinto de guerra. Sendo assim, humanamente o patriarca lançou mão de um plano de contenção para ver se podia aplacar a fúria dele até poderem se ver e falarem cara a cara. O sábio rei Salomão, entendia que presentes aplacam sentimentos ruins e podem funcionar para baixar as animosidades. O presente dado em segredo aplaca a ira, e a dádiva no regaço põe fim à maior indignação (Pv 21.14). Você já experimentou isso em sua vida? Sugiro até como uma dinâmica: se tem alguém com alguma animosidade contra você, ou as relações estão estremecidas, difíceis, ou você novo no pedaço e não sabe como cair na graça de alguém; que tal um presentinho, algo que pacifica, pode ser até mesmo um bombom, ou alguma coisa, que expresse seu desejo de boas amizades. Não faça no sentido de suborno, comprar a pessoa ou adocica-la para ganhar alguma coisa, aí é negativo. Parece que as pessoas com algo mastigável nas mãos se desarmam e ficam mais propensas a boas relações. Essa semana mesmo, vi uma reportagem de uma juíza no interior de Goiás, que fez um experimento como sua tese de graduação, utilizando na Junta de Conciliações, duas salas, uma provida com água e outra com suco de uva, ambas geladas, para as partes em litígio tomarem durante a audiência de conciliação. Os resultados positivos da sala com suco de uva foi esmagadora sobre a sala com água. Dê presentes, aprecie, deixe as pessoas saberem que elas são importantes e tem valor para você e seu interesse é genuíno, nelas.

Pai, obrigado por nos permitir ter celebrações onde elementos com sabor e aroma expressem valores da nossa fé e do teu amor por nós como pecadores. Sentar-se à mesa farta, ou partir o pão ou fazer uma refeição juntos nos aproxima e rompe barreiras. Quando celebramos a Ceia do Senhor, relembramos o teu sacrifício e revigoramos a nossa fé nas tuas promessas e tudo está representado num pão partido e num cálice que abençoa-nos de forma sensorial, afetiva, espiritual e nos conecta com o sagrado. Jesus foi o maior e o melhor presente que poderíamos receber de ti, e fostes generoso ao dá-lo a nós no Calvário. Em nome dele oramos agradecidos, sempre. Amém.

Pr Jason

Todos se Inclinaram

Meditação do dia: 17/10/2019

  “Então chegaram as servas; elas e os seus filhos, e inclinaram-se. E chegou também Lia com seus filhos, e inclinaram-se; e depois chegou José e Raquel e inclinaram-se. (Gn 33.5)

 Todos se Inclinaram – Alguém mais tarimbado e de maior categoria que eu já disse que todos gostam de ser CHAMADOS de servos, só não gostam de ser TRATADOS como servos. Elogios e afagos no nego fazem um bem tão mal que se soubéssemos melhor, evitaríamos à todo custo. Mas isso pouco tem à ver com auto estima individual, porque alguns a tem em tão bom nível que nada os abala, enquanto outros são tão carentes que até o silencio os perturbam. Olhando a cena, como expectador, é algo muito bonito, vendo Jacó colocar a família em ordem e em fila, com instruções para agirem com humildade e reconhecer o irmão como alguém digo de honra e respeito. Entendemos que os orientais já tem um pouco disso no sangue, e honrar os visitantes e mais velhos ou em posição de autoridade é bem mais natural para eles do que para os ocidentais. Parece que do lado de cá, nas terras do sol poente, prevalece aquela idéia dos povos de fala hispânica: Hay gobierno em estas tierras? E a resposta é mais afiada ainda: Se há, vamos derrubá-lo. Se não há vamos eleger um. Mas para que? Para derruba-lo! Mesmo os cristãos que tem no seu Mestre o máximo de bons exemplos de simplicidade e humildade, ainda resistem bravamente. Qualquer coisa que dê uma impressão de submissão, serviço sem algum prestígio, desperta um nojo, um asco de dar arrepios. Entendo que dessa idéia carnal, muito humana de sobreviver à morte do ego e a submissão a Deus e aos seu sistema de governo baseado no amor e serviço e não na força e poder, que faz proliferar e florescer tantas correntes no evangeliquês favorecendo a prosperidade à qualquer custo ou sem custo, a merecer a bênção e até até prensar Deus contra a parece para que cumpra suas promessas, que ele é “obrigado” a honrar. Mesmo ele sendo Senhor, se torna refém dessa ideologia (não posso dizer Teologia). Assim, um cristão, abençoado, herdeiro das promessas, andando na Palavra, JAMAIS poderá se curvar diante de um ÌMPIO como Esaú e qualquer coisa que ele representa. Inflam o ego e ordena que se pise na cabeça do bicho, pois a bênção é só dos vencedores. Eu já sei que vou ter alguns problemas lá no céu, em ter que dar explicações de algumas coisas que prego e acredito, ou pelo menos falo, mas acho que essa fila lá na porta do escritório de chefe vai ser grande também. Muita gente boa contraria propositalmente o que o Mestre ensinou; como orar em secreto no quarto, de portas fechadas; dar com uma mão e a outra não saber; não tocar trombeta sobre as próprias boas obras; dar e ser-lhe-á dado; melhor dar do que receber; dar e emprestar a quem pedir em necessidade; andar a segunda milha; dar a capa, quando querem tirar proveito; perdoar; servir; assistir aos necessitados…. A família de Jacó se inclinando diante de Esaú, não os diminuíram e nem perderam pontos! Esaú não tirou proveito deles e nem os humilharam. Ele agiu melhor do que a encomenda, pois esperavam violência e sangue derramado e o que aconteceu foi abraços e beijos e admiração e proposta de ajuda até chegarem. Deus está no controle da escrita da nossa história! Um pouco de humildade não faz mal a ninguém. Inclinar desse jeito só faz mal para a coluna espiritual do ego ensimesmado. Nas árvores frutíferas os galhos que mais produzem são os que mais se curvam e na terra que recebe primeiro as águas da chuva são as mais baixas. Já me disseram que em Deus, o caminho para cima é descendo e faz sentido porque é morrendo que se vive para sempre!

Pai, graças te rendemos pela vida de serviço e humildade, de esvaziamento de si mesmo e de sua glória que Jesus fez para nos alcançar e nos salvar em nosso mundinho perfeitamente imperfeito. Me curvo diante de tua sabedoria e capacidade de reverter a nossa vida para servir e abençoar, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Que Deus Tem Dado

Meditação do dia: 16/10/2019

  “Depois levantou os seus olhos, e viu as mulheres, e os meninos, e disse: Quem são estes contigo? E ele disse: Os filhos que Deus graciosamente tem dado a teu servo. (Gn 33.5)

 O Que Deus Tem Dado – Na minha cabeça, eu gostaria de escrever hoje nessa meditação sobre os recursos que Deus tem providenciado para nós, e espero que a idéia seja também uma fonte de inspiração para vocês, que tem cada um seu próprio tipo de necessidade e tem buscado a suficiência em Deus. Reconhecemos que o Senhor trabalha com princípios ou sementes e ainda se preferir podemos pensar em “potenciais.” Temos uma enorme insatisfação interior e um imediatismo famigerado que avassala muitos dos nossos projetos, porque a ansiedade por resultados rápidos, faz com que não se desfrute do aprendizado que todo o processo de semear, cultivar, colher e preparar é capaz de agregar ao nosso crescimento pessoal e ministerial. Até cunhamos expressões como: “é prá ontem – Fui – já era tempo – antes tarde do que nunca…” e tantas outras. Deus não tem pressa e o tempo não o afeta e nem a seus planos, somos nós os afetados e limitados pelo CRHONOS. A eternidade já revelava a necessidade de um redentor, da linhagem adâmica, quando nem ainda adão existia no plano físico. Primeiro veio a criação do mundo, o ambiente apropriado à vida humana com recursos e meios e então no sexto dia foi feito o homem, depois a mulher e assim veio a família e depois…. 4004 depois veio a plenitude dos tempos… Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos (Gl 4.4,5). Do ponto de partida até o final da etapa no Calvário, houve todo esse trajeto e Deus curtiu tudo pela janela, desfrutando de tempos e pessoas maravilhosas e tempos e pessoas difíceis, generosidade, mesquinhez, opressão, liberdade, fé, incredulidade, destruição e reconstrução e senta que tem histórias…. Teve época que o exército de Deus era de uma pessoa só, como Noé, Abraão e teve épocas em que Elias achava que era de um homem só e Deus diz que mais sete mil! Teve situações que tinha homens fortões como Sansão, valentes como Davi, sábios como Salomão, inteligentes como Daniel e teve mas também teve Acã, Geazi, Jonas, Judas. Teve época em que não tinha homens, então foi Miriã, Ana, Ester, Jael, Débora, Rute. Deus nunca desistiu nem desanimou. Abraão tinha a promessa de ser pai de multidões como as estrelas do céu e a areia da praia e … Isaque veio quase na prorrogação, nos acréscimos! Isaque teve dois e um deles não estava nem aí… Jacó estava agradecido por que já tinha onze e outro estava à caminho e até ontem à noite havia a possibilidade de Esaú não deixar nenhum para semente. Agora o próprio Esaú estava todo entusiasmando de ter doze sobrinhos para serem paparicados. A moral da história, ou o resumo da ópera do que estou falando aqui, é que você e eu, nós, vós e eles, temos o necessário e o suficiente para fazer aquilo que Deus planejou para nós como nossa missão de vida e de ministério. Você e eu, não temos nem mais e nem menos do que precisamos; podemos florescer onde estamos plantados e não ficar cobiçando a grama mais verde do vizinho. A Lagoinha precisa e tem recursos para fazer a obra de Lagoinha, em BH e à partir de lá. A Monte das Oliveiras tem os recursos para fazer a obra de Monte das Oliveiras em Guararapes e à partir daqui. Voce e sua comunidade tem os recursos para fazer o tem que fazer aí e à partir daí. Costumo dizer que cada igreja tem o pastor que merece e cada pastor tem a igreja que merece! Quem não é fiel no pouco, não será no muito. Quem não utiliza todo o seu potencial onde está, porque o faria em outro, à menos que esteja no lugar errado ou no tempo errado, aí também já é outa história. Eu sei é que Deus é fiel! Justo, Santo, Bom e Misericordioso, em todo tempo!

Senhor, obrigado, por ter o que tenho, estar onde estou e ter os companheiros e recursos que são necessários e suficientes para cada etapa. Quando precisar de mais, o Senhor providenciará generosamente. Quando precisarmos de um milagre, o Senhor fará milagres acontecerem. Quando precisarmos sempre podemos apresentar nossas necessidades e nossas orações sempre serão atendidas. Não te falta recursos e nem meios para a consecução da obra planejada desde a eternidade. Nunca faltou e não faltará a menos que haja infidelidade ou má gestão, que são sinais de desobediência aos teus princípios mais elementares. Obrigado, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Partiu Para o Abraço

Meditação do dia: 15/10/2019

 “Então Esaú correu-lhe ao encontro, e abraçou-o, e lançou-se sobre o seu pescoço, e beijou-o; e choraram. (Gn 33.4)

 Partiu Para o Abraço – Irmãos separados e em inimizades por muitos anos, tem uma oportunidade de encontro e as lembranças do passado podem produzir situações inusitadas. No caso específico entre Jacó e Esaú, a razão da animosidade fora a atitude de Jacó, aliado com a mãe, para trapacear e apossar da benção paternal, em detrimento de Esaú ser até então considerado o filho primogênito. Nós que estamos de fora, torcemos por Jacó e já temos um juízo formado, ao considerarmos que Esaú nunca foi lá muito chegado em verdades espirituais e nem se apegava às tradições e alianças entre Deus e sua família. Mesmo convivendo por um certo tempo com o vovô Abraão, um piedoso ancião e o herói de seu pai Isaque, ele estava mais interessado em coisas do cotidiano, como caçar, e constituir sua família, mesmo que não tivesse qualquer ligação com estabelecido na aliança com Deus. Assim, Esaú, depois de ver seus direitos voarem pelos ares, ele então reagiu como se fosse um grande interessado. Era tão interessado em verdades espirituais e piedade que jurou de morte o seu irmão. Temendo algo mais grave, os pais optaram por enviar Jacó para o Oriente, em Harã, para trabalhar e construir sua vida lá até tempos mais oportunos. Deduzimos que em todo esse tempo, Jacó estava lidando com suas fraquezas e procurando aperfeiçoar seu caráter, para transmitir aos seus filhos o conhecimento de Deus, e as suas alianças. Embora fossem de uma mesma raiz genealógica, Abraão e sua linhagem se aproximaram muito mais de Deus e estreitara o relacionamento; não era a mesma coisa que ele percebia nos parentes da Mesopotamia. Seus filhos nascendo e crescendo naquele ambiente precisariam de referencias mais fortes e impactantes para que pudessem seguir com a vocação de serem uma tribo e uma nação. Durante todo o percurso da viagem de regresso, Jacó estava sendo testado e provado de muitas maneiras. Mas ele estava consciente que o mais alto grau de animosidade a ser enfrentado, seria de fato, Esaú, seu irmão. Recorro aqui, a uma verdade dita por Salomão que ilustra a importância de se fazer o certo em todo tempo e levar a experiência de andar com Deus como um verdadeiro projeto de vida. Sendo os caminhos do homem agradáveis ao Senhor, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele (Pv 16.7). Nem eu, e muito menos Jacó, esperava Esaú com quatrocentos homens armados, só para testemunhar um encontro de irmãos saudosos. Jacó tinha plena consciência das intenções do irmão e Esaú de fato tinha planos ruins, mas alguma coisa mudou o curso da história enquanto ela ainda estava acontecendo. Sabemos que havia um forte movimento de oração da parte de Isaque para que os corações dos filhos estivessem amolecidos; Rebeca deve ter devotado toda a sua vida  e suas orações durante o exílio de Jacó, para o coração de Esaú se convertesse e perdoasse e ao mesmo tempo buscasse uma saída pacífica. Tudo isso aconteceu dentro de um abraço fraterno banhado de lágrimas e comoção. Vai entender! Na verdade, só precisamos agradecer e confiar na capacidade de Deus reverter causas tidas como impossíveis.

Pai, obrigado pela reconciliação entre irmãos que estiveram por muito tempo em estado de animosidade. Oramos hoje, por relacionamentos partidos dentro das famílias, onde alguém falhou e os demais se entrincheiraram lado contra lado e a comunhão foi perdida. Buscamos perdão e reconciliação e a alegria de viver em paz e abençoados pela obra que Cristo fez na cruz. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Jacó Foi na Frente

Meditação do dia: 14/10/2019

  “E ele mesmo passou adiante deles e inclinou-se à terra sete vezes, até que chegou a seu irmão. (Gn 33.3)

 Jacó Foi na Frente – Atitudes revelam muito do caráter e das intenções das pessoas. Nossas escolhas revelam isso de forma muito acertada. Jacó era um pastor de ovelhas e como tal, já tinha incrustado em si mesmo os hábitos próprios de quem cuida e protege, isso é como uma segunda pele. Na iminência da chegada de Esaú, seu irmão, que tinha intenções de vingança de algo acontecido à muitos anos atrás, uma coisa de irmãos, entre eles dois, mas agora ele vinha com uma idéia de destruir Jacó e tudo que lhe pertencesse. Jacó, estava agarrado apenas na sua fé, e sua fé era de fato tudo o que ele tinha. Deus lhe falara para voltar para a casa de seu pai em Canaã e ali ele seria muito abençoado e começaria a possuir a terra como herança. Foram tantas as lutas, as adversidades e todas elas terminaram bem, por interferência divina; foi assim, com o sogro Labão, e agora com Esaú, mas a fé anunciava uma vitória, mas como seria essa vitória, ainda era um mistério. Jacó distribuiu os filhos entre as mães, sendo as duas servas, depois Lia e por último Raquel e José, que era pequeno e Raquel esperava para breve o nascimento de um segundo filho, que veio a ser Benjamin. Depois de organizados, Jacó passou a frente e foi o primeiro a encontrar-se com Esaú. Ele se prostrou em terra, sete vezes até chegar diante da pessoa de Esaú, que saíra de casa com uma intenção, mas foi trabalhado por Deus durante a sua caminhada. Provérbios de Salomão afirma algo muito bom sobre situações assim: Do homem são as preparações do coração, mas do SENHOR a resposta da língua. Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o Senhor pesa o espírito (Pv 16.1,2). Os dois lados fazem suas preparações dentro de seus corações, mas Deus é Senhor de ambos e tem os meios e as ferramentas para mexer e mudar as coisas. Esaú estava certo de que se vingaria e Jacó estava certo de que alcançaria o favor do irmão por obra e graça de Deus; Deus operou e o que parecia impossível aconteceu. Esaú alcançou compreensão e se revelou obediente a uma instrução espiritual. Podemos meditar e crer que as verdades da Palavra de Deus são fontes confiáveis para produzir esperança e paz, como diz outro texto de provérbios: O coração do rei é como um ribeiro de águas caudalosas nas mãos do SENHOR; este o inclina para onde deseja (Pv 21.1). Rei aqui, pode ser entendido como a pessoa em autoridade, aquele que tem o poder de fazer ou não e está no caminho do servo de Deus. Oramos e colocamos o rei nas mãos de Deus e ficamos aguardando o mover do Senhor. Quantos exemplos temos na Bíblia e na história, de como Deus reverteu situações adversas. A obra de Deus, feita da maneira de Deus, sempre contará com o sustento de Deus. Fé e obediência andam juntas!

Senhor, graças te rendemos por ser o Deus Todo Poderoso, o Senhor de tudo e de todos. Nossa fé nos assegura o teu favor, mesmo que não merecemos, mas a graça nos permite apropriar das bênçãos e das vitórias. Andar em obediência  sempre nos levará a vencer os obstáculos e quem se opuser às tuas ordens. Obrigado, pela proteção e ajuda nos momentos difíceis. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason