Assim Fez Noé

Meditação do dia 31/12/2017

Gn 6.22 – Assim fez Noé; conforme a tudo o que Deus lhe mandou, assim o fez.

Assim fez Noé – Amados, que alegria estar nesta manhã do último dia do ano de 2017 para escrever essa meditação. Estou feliz pela bênção de ter vivido mais um ano na presença do Senhor meu Deus. Feliz por poder completar a tarefa que me propus  fazer em primeiro de Janeiro e consegui escrever as 364 e agora com a graça do Senhor posso fechar essa tarefa. É muito gratificante começar e concluir um projeto! Amanhã será um outro dia e um outro ano e portanto já será um outro projeto a ser iniciado e seguir firme, perseverando até o limite estabelecido ou permitido pela bênção do Senhor. Também estou feliz por ter muitas pessoas amigas que leem essas meditações constantemente e algumas que até colecionam e compartilham em seus círculos de relacionamentos; a todos o meu muito obrigado e que a bênção do Pai permaneça sobre suas vidas. Os propósitos a que me dedico ao escrever diariamente é primeiramente honrar ao Senhor com um talento, na expectativa de desenvolvê-lo e melhorá-lo a cada dia ao mesmo tempo que compartilho e edifico a vida de outros companheiros de caminhada da fé. Esses escritos não visam ser a sua meditação e nem substituir o seu hábito devocional, mas apoiá-lo e dar um assunto a pensar e discutir e quem sabe após uma reflexão guiada pelo Espírito Santo, poder decidir por algo que abençoe ou algo que corrija ou aprimore sua vida de intimidade com Deus. Estou estimulando vocês a pensarem e crescerem, e não pensar por vocês e só comerem comida já mastigada. Não acredito em coincidências, embora elas possam acontecer, mas que bom que o texto de hoje, sobre a experiência de Noé, é justamente um que diz sobre conclusões de projetos; obrigado Espírito Santo por encaixar direitinho as peças, para justamente hoje estarmos aqui, refletindo no último dia do ano sobre isso. Começar projetos, todo mundo começa! Hoje mesmo à noite vamos voltar a ver e ouvir as mesmas ladainhas de todos os anos: Ser mais paciente, ficar com a família, estudar mais, ser mais econômico, eficiente; fazer regime (esse é o campeão), ler a Bíblia toda, orar mais, pecar menos…. e a  lista vai do Oiapoque até o Chuí, isso só no Brasil! Muitas dessas, duram até o dia 5 de Janeiro, outras até o carnaval, outras até a Páscoa e assim vão diluindo e alguns poucos heróis da resistência, chegarão ao final e com conclusão definitiva. Deus chamou Noé e deu-lhe uma missão e ele se pôs a trabalhar e levou uma centena de anos de sua vida nesse projeto. Há pessoas que afirmam não lerem a Bíblia toda porque é um livro muito volumoso, é desanimador. Outros dizem que não oram muito porque os joelhos doem, o sono vem, etc. Para alguns tudo é muito tempo, muito demorado, mas eles esquecem que esse mesmo espaço de tempo passa e eles o desperdiçam completamente. Vejam um dito do Senhor Jesus: Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá. E, se vier na segunda vigília, e se vier na terceira vigília, e os achar assim, bem-aventurados são os tais servos (Lc 12.37,38). Precisamos viver como se hoje fosse não apenas o último dia de 2017, mas também de nossas vidas aqui na terra; ao mesmo tempo precisamos ser operosos, diligentes esforçando-nos como se nunca fôssemos morrer ou sair daqui. Voce vai deixar projetos pendentes e inacabados desse ano? Vamos nos desafiar a começar e terminar o que começarmos quando isso estiver sob nossas possibilidades? Um grande abraço e espero vê-los no próximo ano, ainda mais firmes e constantes e sempre abundantes na obra do Senhor!

Obrigado Pai, Senhor Jesus, querido Espírito Santo! Por vossa fidelidade e misericórdia pudemos chegar até aqui e por essa mesma graça, podemos ter planos de seguir firmes contigo até a linha de chegada. Abençoe os meus irmãos que me acompanham e leem o que escrevo, permita que eu continue sendo bênçãos na vida deles para nos estimularmos à perseverança e constância na fé. Obrigado por 2017 e tudo que ele nos proporcionou, sabendo que estarás conosco, então que venha 2018 com muita graça e favor, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Quem Deve Entrar na Arca?

Meditação do dia 30/12/2017

Gn 6.18 – Mas contigo estabelecerei a minha aliança; e entrarás na arca, tu e os teus filhos, tua mulher e as mulheres de teus filhos contigo.

Quem deve entrar na arca? – Não há como pensar em Noé e na sua história, sem que se leve em conta a idéia da salvação. Primordialmente a missão de Noé era construir uma arca onde pessoas seriam salvas da destruição. O trabalho todo da vida inteira de Noé foi criar condições para a salvação de vidas. Esse era o propósito divino e esse era o objetivo último do trabalho de Noé. Quando pregamos o Evangelho e desafiamos as pessoas a receberem a oferta de amor e salvação oferecida por Deus em Cristo, fazemos um apelo para que creiam e se entreguem a Cristo, depositem sua confiança no sacrifício de Jesus lá na cruz, pois “todo aquele que nele crer, será salvo” (Jo 3.16). Conforme até mesmo as regras da língua portuguesa, o que vale também para a teologia soteriológica: quem é salvo, é salvo de alguma coisa e também é salvo para alguma coisa. Ninguém é salvo de nada para nada. Na experiência do patriarca Noé, eles seriam, e foram salvos de um mundo em corrupção degenerada e que ofendia a santidade de Deus e seus propósitos; e seriam posteriormente as sementes de um novo mundo, para reconstruir à partir de uma linhagem temente a Deus e que já haviam experimentado uma vida ruim e opressora e agora poderiam começar algo melhor, como desejavam, quando estavam na velha vida antediluviana. Deus planejava recomeçar com Noé e sua família e porventura alguém mais que tivesse acreditado. Acredite, Deus ainda planeja recomeçar e criar um mundo ideal, uma sociedade construtiva e saudável. Nos projetos anteriores, ele fez alianças com homens bons e  suas famílias, mas com o decorrer das gerações as coisas mudaram, porque os homens se afastavam da linha original idealizada por Deus e percorrida pelos ancestrais. Agora, na Nova Aliança, a última, celebrada entre Deus e os homens, ele fez alterações que lhe dão uma consistência e uma durabilidade eterna, porque agora o fiador dela é Jesus, e ele é eterno, fez um sacrifício com valor e durabilidade eterna, para dar aos homens uma salvação eterna. Essa aliança agora, não tem como ser quebrada e invalidada. Deus fez a aliança com Noé, mas não só com ele, pois era casado e tinha filhos, já casados; assim a justiça e a obediência de Noé abrangeu a todos os seus. Mesmo que eles não entendessem tudo, ou não estavam cientes de todos os benefícios, eles foram contemplados pela misericórdia divina, que lhes deu mais do que salvação. Uma intrigante citação paulina mexe com as pessoas até hoje: E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa (At 16.31). O problema atual é que transformaram a mensagem do evangelho em religião e rituais e ficam admirados de que os resultados não sejam os mesmos mostrados nas Escrituras. Ao invés de promoverem o relacionamento correto com Deus, eles buscam uma vida religiosa, com leis, mandamentos, regras e obrigações. Uns se escandalizam, outros se fartam de tirar proveito da ignorância alheia. A nossa arca agora, é Jesus e ele espera que você embarque com toda a sua família. Eles precisam ouvir o evangelho e ver o que o poder de Deus é capaz de fazer na vida de quem nele crer.

Querido Espirito Santo, que pode convencer o homem pecador de sua real condição e guia-lo a toda verdade oferecida em Jesus, permita que a mensagem poderosa do verdadeiro Evangelho de Cristo, chegue aos corações de cada família e de cada amago, que anda vazio e sem esperança. Revela o verdadeiro propósito da vida e da morte de nosso Senhor Jesus Cristo. Obrigado, por tão grande salvação, tão acessível a qualquer pecador. Salva-nos, Senhor e ilumina os nossos corações com a verdade de Deus, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Uma Aliança

Meditação do dia 29/12/2017

Gn 6.18 – Mas contigo estabelecerei a minha aliança; e entrarás na arca, tu e os teus filhos, tua mulher e as mulheres de teus filhos contigo.

Uma Aliança – Um exercício impossível ao homem é a conciliação entre justiça e misericórdia. Ao tentar tal prática, fazemos bem e não a outra, quando não, nenhuma das duas são exercidas em plenitude. Deus consegue fazer isso sem nenhum problema ou dificuldade. Também essa graça só pode ser observada pela fé e por uma vida de profunda comunhão e intimidade com o Senhor. Sempre quando a justiça e o juízo divino é exercido, vem precedido de uma oferta de misericórdia e bondade. A idéia de que Deus, tal qual apresentado na Bíblia é vingativo, violento, punitivo e sem muita demonstração de afeto e perdão, é sem dúvida uma tremenda distorção da verdade. Mas como sabemos, Ele não se deu ao trabalho de justificar-se ou dar satisfação à plebe ignorante. O homem tem um senso de ver as coisas sempre por um único ângulo e pelo qual ele julga ser o certo. Tudo o que não conhecemos, é subvalorizado e tudo o que sabemos é superestimado. Porque não vemos algo, não significa que ela não exista, daí o famoso pensamento: “A ausência de evidencia não é evidencia de ausência!” O aviso da iminente ação de juízo destruidor sobre toda a raça humana através das águas do dilúvio, foi precedido de uma chamada ao arrependimento e conversão, disponível a todos através da vida e trabalho de Noé, que ao construir a Arca, explicava sua razão e sua finalidade bem como o convite para que acreditassem nas duas coisas previstas: A veracidade do juízo e oportunidade de salvação. Assim, a arca demonstrava o que chamamos de “os dois lados da moeda,” pois ao mesmo tempo que ela salvava os que criam e aceitavam a provisão divina, ela também condenava à destruição os que não creram e não se deram por avisado. Porque nunca havia chovido na terra, até aquela época, não evidenciava que jamais choveria água dos céus. Hoje, a igreja está anunciando a volta de Cristo à terra para arrebatar a igreja e apela para que creiam na promessa de salvação e graça divina. Jesus antecipou em seus ensinamentos que nos dias antecedentes a essa sua volta, a sociedade humana, estaria vivendo as mesmas situações do povo da época de Noé; tal qual eles não creram e se perderam, também muitos mesmo vendo as evidencias bíblicas, proféticas e históricas, preferem não dar atenção e se ocuparem de afazeres baseados em suas próprias escalas de valores, e também serão apanhados de surpresas e perecerão. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem (Mt 24.37). A iniciativa de salvação, de uma aliança eterna com a humanidade foi de Deus. Não se muda essa regra, antes do exercício da justiça punitiva, vem sempre a oferta de amor e graça, onde os recursos da imensa bondade divina fica disponibilizada e acessível ao pecador. Hoje, vemos humanistas ateus e crentes, argumentando contra Deus. Um dia, todos vão comparecer diante do grande juiz no trono branco e cada um comparecerá individual e pessoalmente para responder e ninguém terá argumentos ou tentativas de argumentação contra Deus. Ele não terá problemas para mostrar as evidencias a seu favor; Acredite!

Pai, Senhor e Deus! Justo és em todos os teus caminhos e santo em todas as tuas obras. Para sempre e eternamente o Senhor faz juízo e justiça ao mesmo tempo que mostra bondade, misericórdia e compaixão ao perdido pecador. Jesus é a maior evidencia do teu amor, da tua bondade, mas também da tua justiça e do teu juízo. Ele é a nossa salvação! É no nome santo e precioso dele que oramos, amém.

Pr Jason

Construindo do Jeito de Deus

Meditação do dia 28/12/2017

Gn 6.15 – E desta maneira a farás: De trezentos côvados o comprimento da arca, e de cinqüenta côvados a sua largura, e de trinta côvados a sua altura.

Construindo do Jeito de Deus – Uma construção com propósito de uso coletivo na Bíblia começou com Noé e sua família. Juntos realizaram um ousado projeto de construção, grandioso e inusitado em todas as formas. Deus forneceu-lhe os detalhes do empreendimento e o benefício que isso traria a Noé e sua família, embora o desejo fosse que tivesse uma abrangência maior de aceitação, com mais pessoas a serem salvas. O Senhor Deus pretendia salvar o máximo de vidas possíveis, preservando assim a raça e a civilização humana sobre a terra. Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra. Faze para ti uma arca da madeira de gofer; farás compartimentos na arca e a betumarás por dentro e por fora com betume. E desta maneira a farás: De trezentos côvados o comprimento da arca, e de cinqüenta côvados a sua largura, e de trinta côvados a sua altura. Farás na arca uma janela, e de um côvado a acabarás em cima; e a porta da arca porás ao seu lado; far-lhe-ás andares, baixo, segundo e terceiro. Porque eis que eu trago um dilúvio de águas sobre a terra, para desfazer toda a carne em que há espírito de vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra expirará (Gn 6.13-17). Temos que reconhecer que esse projeto era bem maior que a capacidade e as possibilidades humanas de Noé e sua família. Os elementos-chave aqui foram a fé e a obediencia de Noé. Esses elemento postos em ação juntos, são capazes de produzir resultados espetaculares e surpreendentes. Como Noé, o resultado foi a produção de uma obra de engenharia náutica, digna das melhores escolas navais modernas, que já atestaram a incrível capacidade de flutuação e navegabilidade. Não é de se desprezar, que depois de tantos anos de história, tanto a arca quanto Noé, ficaram indelevelmente registrados na história dos grandes feitos humanos. O sucesso desse projeto se deve ao fato de que Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor… Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus (Gn 6.8,9). O relacionamento do homem com Deus tem como base a graça e o serviço que o homem pode prestar ao Senhor, tem que ser resultado dessa graça e da comunhão alcançada numa vida de andar com Deus. O que somos é mais importante para Deus do que o nosso serviço. O relacionamento com Deus é superior ao serviço para Deus. Muitas coisas podem ser feitas para Deus até mesmo por pessoas sem compromisso com Ele; mas, quando se trata do povo de Deus, de seus filhos, a perspectivas tem que ser diferente. O fazer tem que ser fruto do ser. A conclusão desse projeto é significativa, para estudo e meditação nossa, nos dias de hoje. Estamos constantemente envolvidos em construir alguma coisa para Deus, e muitos dos projetos, nascem divinamente inspirados, mas a conclusão deles, deixa a desejar, quando não são desastrosos e sofríveis. Noé, digamos assim, foi o precursor em projetos de construção para Deus, e fez um único projeto, e foi bem sucedido. A construção consumiu a “vida toda” dele. Foi o projeto para uma vida. Mas ele começou e terminou. Isso conta muito! Quantos tem suas vidas marcadas por uma infinidade de projetos inacabados, o que  lhes causam frustração e aquele sentimento de incompetência, por jamais conseguir concluir “um só projeto.” Onde é que erramos? A resposta é simples: Gostamos de fazer “do nosso jeito.” Diferentemente disso, lemos que… Assim fez Noé; conforme a tudo o que Deus lhe mandou, assim o fez (Gn 6.22). O modelo aqui apresentado, é idealizado por Deus, passado para a pessoa que Ele chama para executar, e em todas as instancias da execução, tudo é feito conforme o que Deus mandou. Nesse tipo de projeto, não faltam motivação, recursos, quer humanos, quer materiais, sentido de proposito e de destino. Quando Deus encomenda um projeto, ele supre tudo e no tempo certo. O sucesso é garantido, a satisfação visível e alegria do dever cumprido são altamente compensadoras. É projeto de Deus. Tem início e fim! O elemento humano é parceiro de Deus na obra. Tudo termina bem!

Obrigado Senhor, pela parceria conosco para realizar a tua vontade. Somos instrumentos disponíveis a ti e ao teu querer. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Obs: (Hoje eu plagiei a mim mesmo. Esse texto é o primeiro capítulo do livro Liderar & Construir, publicado em 2008)

Habilidades

Meditação do dia 27/12/2017

Gn 6.14 – Faze para ti uma arca da madeira de gofer; farás compartimentos na arca e a betumarás por dentro e por fora com betume.

Habilidades – Quando ainda jovem, aprendi algumas coisas, e até fiz alguns cursos em áreas que na época qualificavam jovens para o mercado de trabalho. Quando fui para o Seminário, onde estudei por quatro anos, em sistema de internato, percebi que algumas daquelas coisas que aprendera, me era útil em várias áreas. Depois fui direto para o ministério de tempo integral e nele estou até hoje e pude confirmar que o que aprendemos não ocupa espaço, enriquece, abençoa e serve para muita coisa na vida toda. Assim sendo, toda aquela gama de conhecimento e experiências acumuladas ao longo da vida tem propósitos que servem muito bem na vida ministerial. Também é uma rica fonte de ilustração e experiências a serem compartilhadas até mesmo via sermões e estudos. Até podemos dizer que um bom sermão, para ser preparado é preciso muito tempo de estudo e preparo, a vida toda! Os pregadores de missões ou naquelas conferencias sobre missões onde se fazem apelos para se conhecerem novos vocacionados, eles sempre afirmam que a experiencia bíblica demonstra que todas as pessoas chamadas por Deus, normalmente estavam ocupadas; dificilmente se vê um chamado para alguém ocioso. Pessoas ocupadas tem mais tempo para se dedicar a Deus e ao seu serviço. Estamos vivendo um outro lado do movimento vocacional, pois a até certo tempo, os vocacionados para o ministério, abandonavam suas atividades, profissões e funções para se prepararem e servirem integralmente no ministério. As coisas foram ganhando novos contornos e formatações, de modo que primeiro se preparava e adquiria uma formação acadêmica e então entrava para o ministério, em grande maioria de tempo parcial e agora estamos vendo uma corrida das pessoas largarem o ministério para voltarem aos bancos acadêmicos e os antigos seminários lotados, é coisa da história, ficou no passado e também a qualidade e a excelência. Deus ordenou a Noé que fizesse uma arca. O que Noé entendia de construção naval? E daí? O projeto era de Deus e ele forneceu os meios, e os fins. Provavelmente para encarar o desafio, Noé teve que habilitar-se para realizar sua missão. Sabendo que Deus não nos dá ordens absurdas e nem impossíveis de serem cumpridas, ele sempre proverá o necessário para que a tarefa delegada seja completada. Cada época e cada geração tem seus próprios desafios e assim é conosco hoje também. Estamos vivendo um tempo privilegiado de inovações, rapidez, diversidade de opções e liberdade de fazer escolhas. Mas também isso trás a responsabilidade de comunicarmos com esta geração e seus conflitos e problemas. Quando olhamos para a mordomia cristã, entendemos que tudo pertence a Deus e nos foi confiado para cumprir um propósito todo especial; assim cada recurso, cada possibilidade ao nosso alcance tem um propósito e precisamos utilizar nossas habilidades para construir a nossa arca. A finalidade última de todo ministério é a reconciliação da criatura com o criador e não podemos falhar, pois essa é a nossa vez e fomos colocados nesse tempo e nesse contexto, para ser efetivos nele. Quais as suas habilidades? Já orou sobre isso e se desafiou a servir a Deus com seus dons e talentos profissionais? Vidas precisam ser alcançadas onde estamos e é por isso que estamos ali e aqui. Vamos orar uma canção, ou fazer dela a nossa oração desse dia? Tudo Entregarei

Tudo, ó Cristo, a ti entrego; Tudo, sim, por ti darei! Resoluto, mas submisso,

Sempre, sempre, seguirei!

 

Tudo entregarei! Tudo entregarei! Sim, por ti, Jesus bendito, Tudo deixarei!

 

Tudo, ó Cristo, a ti entrego, Corpo e alma, eis aqui! Este mundo mau renego,

Ó Jesus, me aceita a mim!

 

Tudo, ó Cristo, a ti entrego, Quero ser somente teu! Tão submisso à tua vontade

Como os anjos lá no céu!

 

Tudo, ó Cristo, a ti entrego; Oh, eu sinto teu amor Transformar a minha vida

E meu coração, Senhor!

 

Tudo, ó Cristo, a ti entrego; Oh, que gozo, meu Senhor! Paz perfeita, paz completa!

Glória, glória ao Salvador!

 

Pr Jason

Privilégios Que Doem

Meditação do dia 26/12/2017

Gn 6.13 – Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra.

Privilégios que doem – Alguns textos da Bíblia são desafiadores na sua compreensão e por causa das consequências implícitas que trazem. Sabemos que todo privilégio trás consigo algumas responsabilidades, tal qual as responsabilidades também trazem privilégios. Sou pastor de igreja local e como tal, prego e ensino a Palavra de Deus e no exercício dessas funções, buscamos em oração e meditação, percepções daquilo que seja a vontade de Deus e na verdade, buscamos uma sintonia com o Espírito Santo para que sejamos de fato, portadores da mensagem de Deus. Queremos transmitir para o povo, verdadeiramente o que Deus deseja e quer para eles naquela situação. Assim, receber uma revelação divina, em qualquer das formas, que permita desenvolver uma pregação, um ensino de uma verdade, e as vezes até a criação de um trabalho de longa duração, é certamente uma alegria para o coração e alma. Mas por vezes, o conteúdo do que nos é revelado, dói muito e profundamente, porque se por um lado temos a alegria de receber uma visitação divina, clara e precisa, por outro lado, a aplicação dessa verdade revelada, pode significar um peso grande e ou uma sentença sobre a vida e o ministério de alguém que amamos e precisamos ser fiéis ao receber, ao interpretar e ao entregar o que nos foi revelado. Encontramos casos semelhantes e ilustrativos nas Escrituras, como descrito por Jeremias. Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome sou chamado, ó Senhor Deus dos Exércitos (Jr 15.16). Saborear e degustar a Palavra de Deus é maravilhoso demais e investir tempo com ela e receber a revelação da verdade no nosso interior é uma experiência que somente quem já passou por isso sabe do que estou falando. Mas tem preço também: E fui ao anjo, dizendo-lhe: Dá-me o livrinho. E ele disse-me: Toma-o, e come-o, e ele fará amargo o teu ventre, mas na tua boca será doce como mel. E tomei o livrinho da mão do anjo, e comi-o; e na minha boca era doce como mel; e, havendo-o comido, o meu ventre ficou amargo (Ap 10.9.10). Comer o livrinho é equivalente a receber uma Palavra de Deus, uma revelação; é uma maravilha, uma doçura, é um privilégio único para qualquer pessoa. Após isso, vem a digestão da Palavra e utilização do que foi conhecido. Então é aí que aparece o amargo do processo. A responsabilidade com a mensagem pelo seu cumprimento, pelos seus resultados e consequências, isso pesa no coração de qualquer pessoa responsável e disponível a Deus, porque também, a execução de tudo isso, também é dolorido para Deus que não deseja de forma alguma o mal, o aniquilamento e a destruição de ninguém. O amor sacrificial de Deus, proveu em Cristo recursos para salvação de todos, mas a dureza dos corações e o entenebrecimento dos corações pelo pecado, leva ao exercício do justo juízo de Deus. O próprio Senhor Jesus, chorou ao profetizar sobre Jerusalém: E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos. Porque dias virão sobre ti, em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te estreitarão de todos os lados;
E te derrubarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, pois que não conheceste o tempo da tua visitação
(Lc 19.41-44). Noé ouviu Deus falando com ele e isso é maravilhoso, pois o mundo ao redor dele estava terrivelmente corrompido; mas a mensagem era de esperança para ele e de juízo destruidor para toda uma sociedade. Pode imaginar o impacto disso no coração dele? Como você sentiria se a mesma coisa acontecesse contigo em relação à sua cidade, por exemplo? A igreja tem um papel de intercessora e também de protetora para com as vidas que estão ao seu redor. O nosso privilégio de sermos despenseiros dos mistérios de Deus, como diz Paulo, também produz temor e muita responsabilidade, porque afinal somos os atalaias, que primeiro ficam sabendo e precisamos comunicar, quer eles acreditem, quer não.

Senhor Deus das grandes revelações, Senhor de todas as coisas e provedor da vida. Em sua infinita graça e misericórdia salva os homens pela mensagem do Evangelho de Cristo. Somos os portadores da mensagem que trás esperança, mas também pode sentença de juízo. Precisamos ser fiéis e obedientes ao que está sobre nossa responsabilidade. Abençoe a tua igreja nesses dias difíceis e proféticos dos tempos do fim. Agradeço ao Espírito Santo por nos guiar a toda verdade e nos manter em segurança de ainda somos sal da terra e luz do mundo. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Noé Andava com Deus

Meditação do dia 25/12/2017

Gn 6.9 – “Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus.”

Noé andava com Deus – Hoje é natal! Então feliz natal a todos e que juntamente com sua famílias, cercados de amigos e irmãos desfrutem da mais ricas bênçãos de Deus para suas vidas aqui. Quando desejamos isso, o fazemos na certeza de que a maior e mais preciosa dádiva que Deus poderia nos dar, vocês já tem em seus corações e vidas, que Jesus, o autor da vida, o Príncipe da paz. Andar com Deus é o mais sublime e nobre de todos os desafios que se pode propor a um ser humano. Também é uma escolha que se faz, pois andar ao lado de outra pessoa faz com que essa experiência seja prazerosa ou um suplício. É sempre muito bom andar com quem a gente gosta, com quem a gente se sente à vontade e com quem se tem ou se cria afinidade. Exige-se uma sintonia e harmonia no compasso do andar, ainda mais quando é uma jornada diária, estável e permanente. Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo? (Am 3.3). Você e eu não podemos permitir que entre em nossos pensamentos e corações a idéia religiosa de que servir a Deus e andar com ele é uma fardo, uma obrigação e que não temos escolhas e somos obrigados a obedecer e seguir cegamente suas leis e mandamentos se não vamos perecer no mármore do inferno. Isso não tem nada próximo do que é a vida cristã. Em andar com Deus não existe praticamente nada de religião e religioso. Deus procura por relacionamentos! A fé cristã do começo ao final na eternidade, é uma história de relacionamento entre um Deus santo e o homem pecador. Jesus não veio nascer em Belém, para fundar uma ou mais uma religião, ou reformar o judaísmo ou melhorar isso ou aquilo. Ele veio em resposta ao amor de Deus! Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo 3.16). É uma vocação o andar com Deus e ao nos conformarmos a isso, nos tornamos dignos de seguir nesse propósito. Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados (Ef 4.1). Noé fez isso com muita perfeição e dedicação, quando nem havia tantas referencias e modelos a seguir. Ele escolheu andar com Deus e dia a dia fez as escolhas que o mantinham nessa comunhão. É assim, precisa ser assim!

Pai, obrigado pelo seu filho amado que possibilitou muito o nosso andar contigo. Agora em novidade de vida. Que a data de hoje, seja abençoadora para muitos fazerem as escolhas certas do dia de hoje. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Vida Entre os Contemporâneos

Meditação do dia 24/12/2017

Gn 6.9 – “Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus.”

A Vida Entre os Contemporâneos – Olhando a vida desse modo, todos viveram, vivem e viverão do mesmo modo: Entre os seus contemporâneos, sem exceção! O que difere é a quantidade de tempo e o tipo de vivencia que produz mais ou menos influencia e transformação. Aceitamos que há pessoas que parecem ter nascido fora do seu tempo; isso quase sempre está associado à pessoas criativas, inventivas, inovadoras e de visão ampla muito além dos horizontes dos seus dias e de seus contemporâneos. Da Vinci desenhou e projetou inventos e experimentos que só mais de 400 anos é que alguém comprovou na prática a viabilidade daquilo. Nicolaus Otto, que inventou o motor a combustão em 1876 e até hoje, ninguém conseguiu outra forma de funcionamento, o princípio é único. Em várias áreas da vida humana, há esses excepcionais que se destacam. Enquanto algumas pessoas tem um ciclo de vida e influencia muito restrito e nem faz questão de usufruir do que há à sua volta, assim, sua vida útil é muito breve e do mesmo modo que apareceu também desaparece sem deixar marcas ou saudades. Outros, vão criando uma trilha desde muito cedo e por onde passa, fica marcas e todos percebem que é alguém de potencial e que não aceita passar pela vida em branco ou se acomodar com as coisas do jeito que são e sair deixando-as do mesmo modo. Para muitos, há uma causa na qual a vida deve ser investida e até afirmam que quem não tem uma causa pela qual valha a pena morrer, não vale a pena viver. São os grandes ideais, que movem o mundo para frente. Aquela constante inquietação interior que permite a descoberta de novos limites e a quebra constante de paradigmas. Sem esses malucos, o mundo andaria bem mais devagar e as mudanças seriam mais uma casualidade. Estou pensando em Noé e sua vida de fé, que lhe proporcionou mudar o mundo do seu tempo e também do nosso. Depois dele, literalmente, o mundo nunca mais foi o mesmo. Deus deu a ele uma visão e ele abraçou e trabalhou incansavelmente até a conclusão. Não havia provavelmente indústria madeireira; siderurgia, talvez ele nunca vira uma embarcação, e muito menos de grande porte. Ele nunca vira chuva, nem ele e nem ninguém entre seus contemporâneos. Acredito que ele teve que ser criativo, desenvolver ferramentas, habilidades manuais, gerencias, lidar com conflitos e descrenças, oposição interna e externa e até consigo mesmo, pois todos nós, temos nossos conflitos interiores, nossas dúvidas e inseguranças, mesmo tendo um mapa nas mãos, sempre perguntamos se estamos na roda certa. Quando Noé foi chamado, não veio junto uma caixa de ferramentas e um manual de “faça você mesmo sua arca;” não creio que aparecerem árvores marcadas com “X” e nem ao menos muitos ajudantes e colaboradores. Isso é uma crítica aos vocacionados meus contemporâneos, que querem uma revelação de que “o Senhor está comigo,” unanimidade na assembleia e nada de oposição (mesmo que esteja fazendo lambança). Querem um esboço de sermão já prontinho e garantia de unção e poder, mesmo não orando e se preparando na média do necessário. Não se vão concordar comido, mas para mim, não faz muito diferença, mas que é fato, isso é, estamos vivendo dias como os de Noé. A diferença era que ele era um só e nós somos muitos, um remanescente de fé. Mas o quadro não difere muito e os cuidados precisam ser os mesmos se quisermos colher resultados parecidos. Jesus concorda com isso: E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem.
Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem
(Mt 24.37-39).

Obrigado Jesus, pelo aviso e pela ajuda para manter os olhos em ti e nas tuas promessas. O mundo repete os padrões dos dias de Noé, e muitos da linhagem dos justos estão se alinhando com os que não acreditam e contemporizam tudo. Somos da fé, da bênção e somos teus. Obrigado, amém.

Pr Jason

Noé Era Homem Íntegro

Meditação do dia 23/12/2017

Gn 6.9 – “Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus.”

Noé era homem íntegro – “totalmente probo, irrepreensível na sua conduta; honesto, incorruptível.Não tem como pensar em Noé e não pensar em integridade, para que são a mesma coisa, e isso é maravilhoso. Mesmo quando o mundo todo estava desabando e afundando em ruinas e pecados, havia um homem íntegro entre eles. Isso desmancha a idéia de que somos o produto do meio em que vivemos. Noé insistia em ser “do contra” então! Aceitamos que hoje não está fácil também levar uma vida de fé e santidade, mas o fato do mundo ser mal e de estarmos nos fins dos tempos e tudo mais, não muda o fato de que estamos aqui precisamente para ser sal e luz. É esperado por Deus que sejamos diferentes e nos destacarmos entre os demais. É uma escolha, o que seremos, como seremos e que mensagem queremos passar para as pessoas ao nosso redor e que legado deixaremos para quem ficar depois de nossa partida. Hoje é ante véspera de natal, e o que vemos em todos os cantos e em todas as mídias é o chamado “espírito do natal” – onde todos são mais solícitos, generosos e atenciosos; muitos até fazem caridade e outros desejam a todos tudo de bom e prosperidade, com muita paz e harmonia… Se eu não me cuidar, a minha glicemia vai lá no teto de tanta melação e doçura! E o resto do ano? O ano que vem? A integridade na vida é uma companhia permanente e ativa em estar nos relembrando a todo instante o jeito certo de proceder. Não fazemos o certo e o bem, porque estamos em determinada faixa do calendário e a sociedade convencionou que agora é o tempo da paz e amor e depois voltamos à luta. Somos mais que isso, queremos mais que isso e estamos aqui para bem mais do que isso. Ser íntegro é uma virtude, uma qualidade de pessoa e na pessoa; mas ela não está ali porque é conveniente, lucrativa ou porque dá status; Somos íntegros porque o somos como característica de quem tem objetivo na vida de ser e fazer mais do que o convencional e o esperado. Espiritualmente, estamos às portas de um novo tempo de dilúvio, onde poucos serão salvos, como foi nos dias de Noé. Aguardamos a volta do Senhor Jesus para qualquer instante e ele mesmo disse que deveríamos perseverar e ser precavidos, porque sua volta pegaria muita gente despreparada e com a atenção voltada unicamente para as atividades e coisas próprias desta vida e destes dias. Nosso compromisso é com ele, certamente.

Senhor, obrigado por afirmar que voltará para salvar os teus e garantir-lhes o cumprimento de todas as tuas promessas. Viver com integridade é um estilo de vida de quem anda contigo. Em meio as imensas trevas dos nossos dias, permanecemos firmes, olhando para ti, de onde vem o nosso socorro e a nossa esperança. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Noé Era Homem Justo

Meditação do dia 22/12/2017

Gn 6.9 – “Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus.”

Noé era homem justo – É sempre muito gratificante ver uma pessoa sendo elogiada por uma virtude cultivada em sua vida de forma a se tornar uma marca, uma característica dela. No linguajar cristão evangélico, justo é utilizado como sinônimo de pertencente a Deus, salvo, sem levar em consideração o cunho ético e moral; assim o mundo é composto de dois tipos de pessoas, os justos e os injustos, os que pertencem a Deus e os que não pertencem. Também, contrariando a doutrina da mordomia Cristã, se faz separação entre a vida pessoal e a vida espiritual (na verdade, religiosa), com isso pessoas dentro da igreja são justas enquanto dentro das quatro paredes do templo e nas suas funções eclesiásticas, mas em detrimento de um estilo bem diferente quando se trata de sua relações sociais fora do âmbito de igreja. Ministros piedosos e quebrantados e justos nos púlpitos mas ímpios e injustos no proceder assim que tira o paletó, até mesmo dentro de casa com os familiares. Temos que concordar com Tiago, que isso não é bom: Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa? Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos? Assim tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce (Tg 3.11,12). A vida de Noé era justa diante de Deus, mas também aos olhos dos seus contemporâneos e temos que levar em consideração que o povo da sua época, não era nada fácil, tanto é que foram destruídos pelas águas do dilúvio. Uma definição bastante simples e até simplória de justo, é reconhecer o que realmente se é ou tem, dando assim a cada um o que lhe é de direito. Essa virtude precisa ser trabalhada na vida, de forma que se incorpore na personalidade de tal forma que se funda e uma e outra coisa se tornam iguais. Tem muito a ver com escolhas, pois a cada momento nos deparamos com oportunidades de escolhermos como fazer, como participar e como nos portar e a nossa fé precisa ser levada em conta nessas horas. Um justo dificilmente será favorecido onde a demanda por injustiça e perversidade é privilegiada; sendo assim, os cristãos devem estar prontos para as oposições e rejeições que constantemente nos assediam. Quando um injusto tem que decidir entre um justo e um injusto, ele sempre vai preferir o parceiro de atitudes, pois escolher um justo, é certificar a si mesmo de estar errado e ninguém, com um vida egoísta, que atestar isso. Salomão fez uma recomendação interessante para orientar os justos: Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo?(Ec 7.16). Uma das minhas máximas preferidas é: “Tudo o que é demais, passa!” A tentativa de ser correto e perfeito, pode ser exagerado e ir para um outro extremo, tão perigoso e destrutivo quanto o de ser injusto. Pelo fato de só Deus ser perfeito em tudo, precisamos andar o mais próximo dele quanto nos for possível, para que nossas virtudes se mantenham verdadeiramente virtuosas e construtivas.

Pai, olhamos para ti, para andarmos de forma digna da nossa vocação como teus filhos e espelharmos o teu caráter e assim abençoar as pessoas ao nosso redor. Obrigado pela justiça de Cristo implantada em nós pela redenção. Em nome dele oramos, amém.

Pr Jason