Orações Flechas

Meditação do dia 31/03/2016

Ne 2.4,5 E o rei me disse: Que me pedes agora? Então orei ao Deus dos céus, E disse ao rei: Se é do agrado do rei, e se o teu servo é aceito em tua presença, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a reedifique.”

Orações flechas – Mais importante do que o tanto que se ora, é a quantidade de orações respondidas. Uma vida de oração constante, regular e fruto de genuína comunhão com Deus é garantia de ser atendido quando surge uma emergência. Ao ler Neemias, percebemos que era um homem de oração e de coração quebrantado e consagrado a Deus e às coisas de Deus. Ele já vinha com um peso de oração, desde que recebera relatório da parte de pessoas que vieram da terra santa. Estava em oração e jejum, buscando a Deus sobre como se envolver na restauração da nação. O que aconteceu com Neemias aqui, acontece com mais frequência do que imaginamos, com o povo de Deus por todo lado. Jesus já dissera que a “seara era grande e os ceifeiros poucos,” então sempre que alguém está com o coração aberto e buscando orientação para se envolver, certamente terá sua oportunidade. Mas também é preciso estar pronto para agir porque Deus pode surpreender abrindo portas que pareciam muito difíceis. Era regra básica do serviço de Neemias estar sempre com boa aparência e aspecto alegre na presença do rei, mas naquele dia, a dor do seu coração e a preocupação em saber e não poder interferir estava lhe consumindo por dentro a tal ponto que não deu para disfarçar. Por ser uma pessoa de confiança e muito próximo ao rei, ele foi denunciado por sua feição e o rei foi direto ao ponto: “isso é tristeza do coração” (v.2). Neemias tremeu na base, porque não tinha como prever qual seria a reação real, isso poderia até mesmo custar sua cabeça. Mas como ele já havia falado com Deus sobre o rei e sobre sua necessidade, ficou evidente agora dava para falar com o rei sobre seu problema. Neemias foi surpreendido pela pergunta do rei: “Que me pedes agora?” – Queridos, não tempo de Neemias fazer uma vigília ou uma campanha de oração e jejum para saber o que pedir, já que o rei deixou aberto; era agora ou nunca! Foi então que Neemias lançou mão do que chamo de “orações flechas” – Você manda uma oração curta, objetiva, direta no alvo, um tiro único! É sempre muito eficiente; lembra de Pedro, quase se afogando quando tentou andar sobre as águas no Mar da Galiléia? Tenho boas lembranças de uso desse sistema e conheço muitas pessoas que também podem testemunhar. Qual é sua experiência nesse campo?

 

Senhor, tu és fiel e bondoso e socorre os que aflitos, libertas os cativos e até faz o que alguém considera impossível. Em nome de Jesus, Amém!

 

Pr Jason

Anúncios

O Copeiro do Rei

Meditação do dia 30/03/2016

Ne 1.11 “…Então era eu copeiro do rei.”

O copeiro do rei – “Um grande violinista chamado PAGANINI. As notas mágicas que saiam de seu violino tinham um som diferente, por isso ninguém queria perder a oportunidade de ver seu espetáculo. Numa certa noite, Paganini coloca seu violino no ombro e o que se assiste a seguir é indescritível. De repente, um som estranho interrompe o devaneio da platéia. Uma das cordas do violino de Paganini arrebenta. O maestro parou. A orquestra parou. O público parou. Mas Paganini não parou. Olhando para sua partitura, ele continua a tirar sons deliciosos de um violino com problemas. O maestro e a orquestra, empolgados, voltam a tocar. Mal o público se acalmou, outro som perturbador derruba a atenção dos assistentes. Outra corda do violino de Paganini se rompe. O maestro parou de novo. A orquestra parou de novo Paganini não parou. Como se nada tivesse acontecido, ele esqueceu as dificuldades e avançou, tirando sons do impossível. O maestro e a orquestra, impressionados voltam a tocar. Mas o público não poderia imaginar o que iria acontecer a seguir. Todas as pessoas, pasmas, gritaram OOHHH! Uma terceira corda do violino de Paganini se quebra. O maestro pára. A orquestra pára. A respiração do público pára. Mas Paganini não pára. Como se fosse um contorcionista musical, ele tira todos os sons da única corda que sobrara daquele violino destruído. Nenhuma nota foi esquecida. O maestro empolgado se anima. A orquestra se motiva. O público parte do silêncio para a euforia, da inércia para o delírio. Uma corda só e Paganini!” Para qualquer artista, a quebra de uma corda compromete o seu trabalho, mas para quem não é “qualquer um” a quebra de três cordas o leva ao ápice da performance e lhe permite demonstrar o verdadeiro talento. Estou pensando, em como uma pessoa comum, limitada, nas mãos de Deus, pode se tornar num poderoso instrumento e que os talentos ou falta deles não limita a atuação de Deus. Neemias, era um copeiro, quem quiser baixar mais o nível, pode chama-lo de “garçom,” cuja função principal era servir de provador ou oficial das comidas e bebidas servidas ao rei. Os reis sempre temeram serem envenenados, acidental ou propositadamente, por isso tinham uma pessoa de sua estrita confiança e lealdade comprovada, que “beliscava” tudo antes do rei para certificar que não havia risco. A necessidade do povo de Deus naquela época era de um governador, com experiência em administração, construção e restauração, sem falar em conhecimentos bélicos e estrategista militar e perito em segurança e habilidade diplomática para lidar com povos briguentos e hostis. O que um copeiro poderia fazer? Estamos em pleno século XXI e as três maiores correntes religiosas do planeta, tem sua origem em um único homem; Um filósofo? Um sacerdote? Um religioso místico? Não! A resposta é: Um fazendeiro, do ramo da pecuária – Abraão. O maior rei da história de Israel, foi um adolescente pastor de ovelhas. Daniel, um dos profetas mais piedosos e responsável em oração pela restauração da nação, feita por Esdras e Neemias, era funcionário público, ministro de estado. Os apóstolos que propagaram o Evangelho pelo mundo inteiro, na maioria eram pescadores, coletores de impostos. Até mesmo Jesus, que é “o Cara,” era um carpinteiro. Se Deus estiver no comando e a pessoa completamente rendida, qualquer um serve, até mesmo eu e você. Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós (2 Co 4.7).

Eis me aqui, Senhor! Toma-me em tuas mãos e opera através de mim, conforme o teu propósito. Não mais especial que qualquer outro dos teus filhos só pelo fato de ser pastor de igreja. Abençoa, Senhor nesse dia, a cada dos teus filhos, que como Neemias, trabalham em algo, mas isso não os tornam insignificantes e nem indignos do teu amor ou do mover do teu Espírito Santo. O Senhor é a suficiência de cada um de todos nós. Levanta homens, mulheres e crianças no poder da tua graça, para restauração não só a nossa nação, mas tudo quanto tens planejado. Nos consagramos a ti e depois ao teu serviço. Pela tua misericórdia, usa até mesmo os pastores e missionários para estabeleceram um testemunho do teu amor e do teu poder. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Alguém Tem Que Fazer Alguma Coisa

Meditação do dia 29/03/2016

Ed 10.4 Levanta-te, pois, porque te pertence este negócio, e nós seremos contigo; esforça-te, e age.”

 Alguém tem que fazer alguma coisa – Ouvi uma anedota “gospel” de uma mãe tentando acordar o filho para ir par a Escola Dominical, mas ele estava muito sonolento, preguiçoso e resistente, até que finalmente ele resmungou: Me dá três razões porque eu devo me levantar e ir para a EBD. A mãe foi taxativa e categórica: Nós somos cristãos, hoje é domingo e você é o pastor da igreja! Líderes tem que assumir responsabilidades difíceis e especialmente quando ninguém mais quer estar naquela posição. Quando tudo está indo bem e normalidade, não falta apoio e tapinha nas costas dizendo que estou contigo e conte comigo. Quando tudo dá errado, aparecem dedos de todas as direções dizendo: “O que você vai fazer?” Mas agora, falando como um pastor de igreja local e que já atuou em outras instancias de lideranças na denominação e ainda exerço algumas funções além da igreja local, posso afirmar, que também recebemos de Deus uma graça especial para lidarmos com isso. Quando Deus nos separa visando um serviço em especial, contamos com a bênção e o cuidado de nunca estarmos sozinhos. Não existe um lugar para o qual somos enviados onde a sua graça não possa nos alcançar. Fazer a obra de Deus da maneira de Deus, sempre poderemos contar com o suprimento de Deus. Esdras ficou atordoado com a gravidade da situação; não acho que alguém ficar prostrado, sentado no chão duro poeirento um dia inteiro chorando e lamentado, tendo rasgado a sua roupa como sinal de tristeza e desespero, seja normal, ou ele estava só um pouco sentimental. Esdras não era um maníaco depressivo e nem tampouco vivia querendo atenção para si. Aquilo ali era tristeza mesmo, desespero de causa em alto nível; angústia interior que não se descreve com palavras. Em meio a essa crise, chega alguém sensato, firme e consciente da realidade e que entende a situação geral e a questão íntima do líder e olha bem nos olhos dele e diz isso mesmo: Levanta-te, pois, porque te pertence este negócio, e nós seremos contigo; esforça-te, e age.” Nós temos um problema grave, mas você é o nosso líder, então levanta que o problema é seu e a solução passa pelas suas decisões; tem gente aqui contigo, pode contar com a gente, mas levanta daí! Uma doença moderna que viralizou geral é a depressão. Quando ela chega, a pessoa não quer fazer mais nada, além de se isolar, ficar no escuro, deitado e sem comer, tomar banho, sair, ver gente e depois começa a chorar e querer morrer. Existe ajuda profissional de qualidade que ajuda muito, com médicos, psicólogos, psiquiatras, terapeutas e medicações e isso não pode ser desprezado. Mas a pessoa também precisa de alguém que lhe resista e seja firme para que não afunde tanto, à ponto de ficar irremediável. Mas também, se for um cristão, você tem a presença do Espírito Santo habitando em você, que é um poder e oferece uma ajuda inestimável, que não se pode desprezar. Famílias que estão em situação de risco com alguma coisa sinistra acontecendo e em muitos casos, todos fazem questão de “não querer ver e admitir o problema.” Gente, alguém tem que fazer alguma coisa! Alguém tem que dar um basta nesse rio de lama destruidor. Pai, mãe, pastor, líder, levanta-te, porque te pertence esse negócio, e nós seremos com voces; mas esforcem-se e ajam! Façam alguma coisa! Agora! Quanto mais demorar em decidir, maior se torna o problema e o estrago. Se você está nessa posição, então é sua responsabilidade, enfrente! Deus vai te ajudar, mas precisa se mexer.

 

Pai, é tão difícil se mexer quando está tudo tão confuso e transtornado; mas alguém tem agir e se o Senhor nos confiou essa posição, então também vai nos dar graça e sabedoria para tomar as medidas necessárias, mesmo que sejam duras e difíceis, mas serão eficientes. Oro, Senhor por pais e mães que estão vivendo em agruras com situações internas que estão minando as suas forças. Eles podem prevalecer sobre o mal, sobre as drogas, sobre a violência, sobre a rebeldia e a ingratidão. Não sobrevirá tentação maior que a nossa capacidade de resistência e meios de livramento. Concede a cobertura da autoridade espiritual e as garantias da redenção pelo sangue de Jesus. Líderes que estão vivendo momentos angustiosos por defender a verdade e a justiça, conceda-lhes o alívio e a tua presença confortadora. Lembra-te, Senhor das tuas muitas misericórdias e estenda-as sobre os teus filhos. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Arrependimento por Identificação

Meditação do dia 28/03/2016

Ed 9.6 E disse: Meu Deus! Estou confuso e envergonhado, para levantar a ti a minha face, meu Deus; porque as nossas iniqüidades se multiplicaram sobre a nossa cabeça, e a nossa culpa tem crescido até aos céu.”

 Arrependimento por identificação – Oramos por uma cidade, um estado, uma nação da mesma forma que oramos por uma pessoa. Intercedemos pela nossa pátria como intercedemos por uma pessoa em necessidade. Há instruções na Bíblia sobre orar pela nossa nação, pela nossa cidade e pelas nossas autoridades, isso, tanto no Velho Testamento quanto no Novo. Um elemento muito importante na prática da oração, é a reconciliação com Deus, ou seja, tratar do pecado que estamos conscientes e até mesmo pedir ajuda do Espírito Santo para sondar nossa mente, emoções e todo o nosso íntimo e nos guiar a uma condição  de consciência e também nos levar ao arrependimento e confissão, para sermos perdoados e purificados com base no sacrifício de Cristo na cruz. Quando vamos interceder pela nossa cidade, estado ou nação, isso tem que ser levado em consideração. O intercessor, aquele que se coloca na brecha, precisa se importar à ponto de identificar com a situação toda. Como cristão, sou comprado e estou coberto pela redenção que há em Cristo e também tenho acesso à sala do trono, que é onde entramos para orar em favor do nosso povo e da nossa nação. Pessoalmente, não pratico e não me envolvo com muitos dos pecados grosseiros que é praticado por esse Brasil à fora; desde idolatria, feitiçaria, injustiça social, escravidão, mortes e chacinas e etc. Mas como sou brasileiro, eu faço parte do quadro nacional e sou igualmente responsável e se desejo a ação de Deus para mudar a presente situação, é preciso identificar-me com os pecados da minha nação e confessá-los e assumi-los como se eu mesmo os houvera cometidos. Vemos isso com Daniel, orando e confessando a Deus os pecados dos israelitas, causa do cativeiro e lá estava ele em terras estranhas, como parte de uma nação sob juízo divino. Ele se arrependia e se assumia como pecador de todos as práticas que ele descrevia. Aqui vemos também Esdras em desespero, atônito, prostrado no chão por quase um dia inteiro, quando se tornou consciente de um relatório triste e vergonhoso da conduta daqueles mesmos israelitas que acabaram de voltar do cativeiro e agora já envolvidos nas mesmas práticas que os levaram para o exílio. Esdras se pôs de joelhos e de mãos levantadas e muita vergonha diante de Deus. E uma das razões para tanto, é que ele era sacerdote, vindo para ensinar ao povo a Lei de Deus e restaurar o culto e a nação. Ele sabia de seu potencial, de sua honestidade e dedicação no seu trabalho, mas o relatório que lhe veio à mão, mostrava resultados exatamente oposto a tudo isso. Era desesperador. Eu sei, porque passei por isso no ministério. É frustrante, a gente se sente muito incompetente. Mas, a prostração e a frustração deve levar a pessoa e a igreja para uma postura diferente, realista, mas consciente que em Deus há misericórdia e graça. Você tem se incomodado com sua cidade, bairro, com o Brasil? Para sua intercessão ser eficiente, você precisa se identificar com essas praticas pecaminosas e nocivas que tanto ofendem a Deus e pelo seu acesso ao sangue de Jesus, pedir e recebeu perdão e purificação, para carregar esse fardo e assim a obra redentora de Cristo chegar a esses pecadores.

 

Senhor Deus de santidade e justiça, estou também, como Esdras, enojado com a condição do meu povo, onde o Senhor me colocou para pastorear e apresentar o teu amor e grande sacrifício de Jesus, disponível a todos. É muito triste ver toda sorte de pecados sendo praticados e até comemorados como coisa boa. Se eu que vejo pouco já me entristeço, o que dizer de ti, que tudo vês e tudo sabes? Assim, só resta concordar com tua santidade e justiça e aceitar que o juízo que sobrevém a nós, de fato merecemos. Pai, me apresento como brasileiro, e me penitencio por toda sorte de injustiça, corrupção e depravação que temos praticado diariamente em todos os cantos da nossa terra. Peço misericórdia em favor de tantos desamparados, desassistidos e abandonados em sofrimento, enquanto nossos príncipes se banqueteiam regaladamente com os recursos de amenizar a dor e o sofrimentos de tantos carentes nas ruas, hospitais, desempregados e sem esperança. Perdoa, Pai, e restaura a nossa sorte. Levanta mais intercessores para estar na brecha, orando, sustentando e não assistindo a queda e fazendo mais politicagem e zombaria. Em nome de Jesus, socorre-nos. Amém!

 

Pr Jason

 

Ter Vergonha

Meditação do dia 27/03/2016

Ed 8.22 Porque tive vergonha de pedir ao rei exército e cavaleiros para nos defenderem do inimigo pelo caminho; porquanto tínhamos falado ao rei, dizendo: A mão do nosso Deus é sobre todos os que o buscam, para o bem deles; mas o seu poder e a sua ira contra todos os que o deixam.”

 Ter Vergonha – Para andar mais rápido, fui a Wikipédia buscar uma definição de vergonha e encontrei isso: “Vergonha é uma condição psicológica e uma forma de controle religioso, político, judicial e social, consistindo de ideias, estados emocionais, estados fisiológicos e um conjunto de comportamentos, induzidos pelo conhecimento ou consciência de desonra, desgraça ou condenação. O terapeuta John Bradshaw conceitua a vergonha como a “emoção que nos deixa saber que somos finitos”.” Confesso que não fiquei com vergonha de buscar uma definição, seria vergonhoso discorrer sobre o assunto sem uma melhor noção real do tema. Aqui temos uma oportunidade muito especial acontecida ao sacerdote Esdras, que se viu numa situação delicada e perigosa e constrangido em voltar ao rei pedindo um favor que lhe fora oferecido e que Esdras recusara, com o intuito de dar um testemunho da sua fé e confiança no poder do seu Deus. O rei lhe enviara para a Palestina com uma grande comitiva de pessoas que desejavam regressar e recomeçar suas vidas e trabalhar pela restauração da nação. Havia entre eles muitos sacerdotes e servidores das diversas tarefas do culto no templo que eles estavam restaurando. Com eles também havia vasos e utensílios preciosos, tanto de valor material, quanto de valor espiritual e cerimonial, além de bens e riquezas pessoais, para investimento no recomeço de suas vidas. Tudo isso, claro, significava risco à segurança da caravana, porque salteadores e ladrões violentos era o que não faltava por aqueles caminhos. O rei havia oferecido escolta militar, um contingente suficiente para proteger a todos e Esdras estava como um funcionário real a serviço, então era natural a oferta do rei. Mas Esdras havia dito ao rei que a causa de Deus, tinha a proteção de Deus e eles estariam protegidos pela fé; eles não iriam correr nenhum risco, estando sob as bênçãos do seu Deus. Lembra, que
Esdras tinha preparado o seu coração para buscar a Deus e conhecer sua lei e aplica-la em sua vida. Ele não tinha dúvidas, mas com ele havia pessoas, famílias, crianças, animais e bens preciosos. Onde há um grupo de pessoas trabalhando num projeto, é esperado que apareçam idéias e argumentações que despertam curiosidades e até mesmo preocupações. Alguém pode ter chegado para Esdras e perguntado se tudo estava bem, tudo pronto para iniciar viagem? Já checaram as condições de equipamentos, quem responde por que? Foi quando alguém perguntou: E a segurança? Cadê a equipe de escolta e segurança armada? Foi então que Esdras apresentou a real situação e a escolha de voltarmos atrás e pedir ajuda ao rei e comprometer o testemunho. Imagina se o rei não estivesse de bom humor e resolvesse questionar: “Voce não disse que o seu Deus era grande e capaz de proteger de qualquer coisa e agora tá pedindo soldados? Cadê sua fé?” A outra saída é orarmos e jejuarmos e pedir misericórdia e proteção a Deus, sabendo que Ele é capaz sim, de cuidar de nós e assim levar o rei a conhecer de fato, o nosso Deus. Foi o que fizeram e foi o que Deus fez! O povo de Deus deve confiar em Deus antes de pedir ajuda aos homens. Pregar que servimos a um Deus grande, rico, abençoador, generoso, todo Poderoso e depois sair com o pires na mão pedindo ajuda e confiando em favores humanos, políticos e etc. para fazer coisas que Deus mesmo nos ordenou – isso sim, é constrangedor, é vergonhoso. Afinal, que tipo de Senhor é o que servimos? Eu tenho vergonha, sim, como Esdras e disso não me envergonho!

 

Pai, tu és um Senhor justo, misericordioso e bom. O Senhor é mais que suficiente para nós, os teus filhos. Sei que não ordenas nada impossível de ser executado e nem tampouco, nos ordenas fazer coisas nas quais não possas suprir os custos. O Senhor é fiel em tudo. Posso confiar na tua sabedoria e na capacidade de prover. Obrigado pelas situações que me permite dar testemunho da tua grandeza e poder. A tua obra, feita à tua maneira, sempre terá a sua bênção e garantia. Obrigado por saber que em Cristo, todas as nossas necessidades são supridas ricamente e generosamente. É no nome mais poderoso e mais precioso, mais sublime até mesmo que o próprio céu, que oramos com gratidão. Amém!

 

Pr Jason

Um Coração Preparado

Meditação do dia 26/03/2016

Ed 7.10 Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar a lei do Senhor e para cumpri-la e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus juízos.”

 Um coração preparado – Este é um daqueles textos da Bíblia que me fascinam. Sem falar que um dos personagens bíblicos que muito me inspiram e me serve de modelo, é este sacerdote chamado Esdras. Quando a própria Bíblia registra algo como: “era escriba hábil na lei de Moisés” (Ed 7.6), já é motivo suficiente para saber que o homem era bom mesmo naquilo que se propunha fazer. Gosto muito de uma chave de sabedoria que afirma, que devemos estar preparados para o lugar para onde vamos, e não onde estamos. Muitas pessoas falham, fracassam e perdem a oportunidade do sucesso, exatamente porque se preparam apenas para manter o que já está conquistado e controlado, vivendo como se não houvesse maiores oportunidades ou se não pudessem aperfeiçoar ainda mais algo que já é bom. Esdras era sacerdote e ensinava o povo que estava exilado na Babilonia; provavelmente era uma sinagoga de menor importância, com pessoas acomodadas à condição em que viviam e muitos já tinham se adaptado a vida de exilado e nem mesmo tinham pretensões de voltar para sua pátria. Mas Esdras preparava o seu coração para algo maior e mais importante. Estando pronto, quando a porta se abre, é só entrar! Foi assim que ele foi convocado a voltar e recebeu autoridade da parte do rei para implantar um trabalho de grande dimensão e responsabilidade. Me permita uma autocrítica e a meus parceiros de ministério pastoral, que quase sempre que ouvimos um colega ministrar a nós, ficamos muito mais entusiasmado com a possibilidade de reproduzir aquele sermão, estudo ou meditação, do que propriamente em abrir o coração e beber, saborear e nutrir nosso espírito. Mas pastores e líderes também precisam se alimentar, precisam buscar conhecimento e fortalecimento para si mesmo e não apenas para desempenhar um trabalho pastoral junto ao rebanho. Veja que Esdras: 1. Tinha preparado o seu coração – A idéia é de cultivo, não se inicia uma plantação visando colheita, sem primeiro preparar o solo, tirando as pedras, os entulhos, as ervas daninhas e outras plantas que farão sombra e ou concorrerão com a que será semeada. 2. …para buscar a Lei do Senhor – Esdras não apenas um leitor ou estudioso da lei, consumidor; ele queria receber conhecimento, ter experiências que fizesse sentido na sua pessoal. 3. Para cumprir – para ele não servia aquele máxima de “faça o que digo, mas não faça o que eu faço.” A lei do Senhor era para todos e isso incluía ele mesmo. 4. Para ensinar em Israel – Ensinar é diferente de passar informações, repetir discursos ou dar lições e correções. 5. Estatutos e juízos – Trata-se e normas e regulamentações, e prescrições aplicáveis com consequências de favor ou punição pela atitude de fazer ou não e até pela motivação de como se faz. Há práticas na Palavra de Deus, que o modo ou atitude de como se faz é tão importante quanto a própria prática.

 

Senhor, eu quero ter um coração íntegro e consagrado a ti, a exemplo de Esdras; O ensino e a prática da tua Palavra hoje é tão importante e necessária, quanto o era naqueles dias. O Senhor continua o mesmo, e para sempre o será, pois é assim que a tua Palavra declara. Permito ao teu santo Espírito que penetre fundo no meu coração para me auxiliar no cultivo de um coração puro e sensível a ti. Meu desejo é frutificar e abençoar muitas vidas, onde e quando o Senhor desejar e me ordenar. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Vestindo a Camisa

Meditação do dia 25/03/2016

Ed 6.12 O Deus, pois, que fez habitar ali o seu nome derrube a todos os reis e povos que estenderem a sua mão para mudar o decreto e para destruir esta casa de Deus, que está em Jerusalém. Eu, Dario, baixei o decreto; com diligência se faça.”

Vestindo a Camisa – O rei Dario, do reino da Pérsia (atual Irã) que na época tinha domínio de vastas proporções, incluindo a Palestina, fora consultado por seus agentes palestinos sobre o andamento das obras de reedificação da Cidade de Jerusalém e especialmente dos templo, pelos judeus que voltaram do exílio sob ordens do rei Ciro. Esses agentes eram opositores dos judeus e procuram um meio legal de barrar o progresso dos esforços daquelas pessoas. Uma pesquisa foi feita nos arquivos reais e encontraram uma ordem muito explícita de Ciro, liberando o povo para voltarem e reconstruírem a cidade e o templo e restaurarem o culto, contando até com a devolução dos vãos e utensílios levados pelo rei Nabucodonosor. Diante desse documento o rei Dario, vestiu a camisa do povo de Deus e de sua causa. Ele baixou um novo decreto, não só autorizando a continuidade da obra, como também ajuda estatal para cobrir as despesas e que os seus agentes na região suprissem toda a demanda de elementos para o culto no templo. Tudo que os sacerdotes precisassem. Ele queria o favor do Deus dos hebreus sobre ele e seus filhos e seu reino. Foi uma virada de mesa inesperada, onde os perseguidores foram forçados à cooperaram com a causa que queriam destruir. Mas o que muito me impressiona, foi a invocação especial, uma espécie de declaração profética que Dario fez sobre a vida e o destino de todo homem, rei ou povo que intentasse contra a ordem dele autorizando a reconstrução e a restauração do culto a Deus. Ele conjurou, que Deus derrubasse todo adversário que se opusesse contra o templo de Jerusalém. Reconheço a importância daquele santuário para o povo israelita e sua fé em Deus; como reconheço o simbolismo que isso tem para o cristianismo, uma vez que a fé cristã é herdeira da fé judaica e Jesus é o pleno cumprimento de todas as profecias, de todos os rituais e símbolos daquele culto que era praticado no Velho Testamento. Aquilo tudo era a Antiga Aliança entre Deus e o seu povo; a Igreja é o resultado da Nova Aliança entre Deus e a humanidade. Não temos agora mais um templo físico em determinado lugar, pois cada filho de Deus é templo ou morada de Deus em Espírito. Não há mais necessidade dos sacrifícios ritualísticos, pois na cruz do Calvário, Jesus, o sacrifício definitivo se ofereceu a Deus por nós, tanto como Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, como sendo o Sumo Sacerdote da nossa confissão, com valor e ministério eterno. A repetição sacrificial foi substituída por um memorial “Fazei isso em memória de mim,” até que ele volte. Espiritualmente o decreto e a conjuração de Dario está valendo ainda: “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo” (I Co 3.16,17).

 

Pai, obrigado por me aceitar em tua família e tornar-me um filho por  adoção, em Cristo Jesus. Graças de dou, por ter sido aceito, perdoado e liberto para uma vida de louvor e glória ao teu nome. Consagro-me integralmente para ser santo de espírito, alma e corpo, para experimentar a tua boa, agradável e perfeita vontade. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Nossa Identidade

Meditação do dia 24/03/2016

Ed 5.11 E esta foi a resposta que nos deram: Nós somos servos do Deus dos céus e da terra, e reedificamos a casa que há muitos anos foi edificada; porque um grande rei de Israel a edificou e a terminou.”

Nossa Identidade – Numa aula de início de ano letivo de um seminário, iniciei com um questionário simples com perguntas pessoais, cuja intenção era descobrir como cada aluno era consciente de sua identidade pessoal, sua vocação e suas habilidades pessoais em vista do ministério que pretendiam, como alunos de teologia. Por mais incrível que possa parecer, a pergunta que segurou mais gente, foi a primeira: “Quem sou eu?” Alguns chegaram a admitir que não entendiam a pergunta ou estavam em dúvida em face da vasta possibilidade de respostas. Se uma pessoa tem dificuldade sobre a sua identidade, podemos imaginar quantas outras áreas da vida em que ela não se sai bem. A identidade é algo que deve ser afirmada e confirmada desde cedo, quando digo cego, digo, antes mesmo de nascer, feito pelos pais e familiares e reafirmada positivamente na primeira infância e seguir até ultrapassar os mares tempestuosos da adolescência. Saber sua identidade é importante não só para a pessoa como indivíduo, mas em todas as esferas dos relacionamentos humanos. Sou membro de uma Igreja Batista, essa congregação tem uma identidade firme e definida, sabemos quem somos, sabemos de onde viemos e sabemos nossa rota em relação ao futuro. Sabemos o que se encaixa em nosso perfil e o que não; isso quer dizer que temos uma identidade ministerial própria. Amamos e apreciamos as coisas boas, maravilhosas e úteis que outras igrejas co-irmãs tem, mas sabemos que não precisamos copiá-las, não somos como esponjas, que embebem e se encharcam com qualquer produto que tenha contato. Nossa identidade nos preserva, nos identifica e nos diferencia conforme a multiforme graça de Deus. Uma denominação também precisa ter sua identidade. Uma nação também, e quando alguns desses aspectos não existem ou não são valorizados, isso aparece na qualidade de vida e de relacionamentos. Quando as pessoas locais que estavam interessadas em atrapalhar o trabalho dos reconstrutores do povo de Deus, chegaram e começaram a fazer perguntas, para que apresentassem um relatório para o imperador visando paralisar as obras, eles receberam mais do que esperavam, porque as pessoas ali, tinham identidade e estavam conscientes disso. 1. Sabiam quem eram: “Nós somos servos do Deus dos céus e da terra.” 2. Sabiam o que estavam fazendo: “reedificamos a casa que há muitos anos foi edificada.” 3. Conheciam sua história e suas raízes: “um grande rei de Israel a edificou e a terminou.” Nada de meio termo, nada de meio confuso, indefinido, mal começado e mal acabado. Isso norteia a vida, pois até mesmo se errar ou se perder, tem como voltar a um ponto e recomeçar. É tão comum ver pessoas que de um momento para outro “se vê sem chão!” Acaba tudo e não tem alternativas. Você já percebeu, que como nação, somos uma grande colcha de retalhos, um caldeirão de culturas regionalizadas e que não há muito de “nacional e brasileiro?” Vemos em eventos culturais que as nações tem uma veste típica, uma música típica, uma comida típica…. Qual é a veste típica do brasileiro? Qual nossa comida típica? Qual nossa música típica? É tudo regionalizado. Não estou dizendo que somos descaracterizados, impessoais e sem expressões de valores e culturas, como diríamos: “Temos o nosso jeitinho, até de não ter o que todos tem!” Já pensou em você em meio a tudo isso e a tudo o que isso produz? Mais do nunca, sua identidade é muito importante. Só para não esquecer: “Quem é você mesmo?”

 

Senhor, obrigado por ser o meu Deus, o Deus da minha salvação, o meu socorro bem presente nos momentos difíceis. Graças te dou, por saberes quem sou e em tempo algum sou confundido por ti, com qualquer um dos outros teus filhos. Sou amado, como pessoa, e aceito como uma obra das tuas mãos e sei que tudo que fazes é muito bom, perfeito e eterno. Obrigado por me permitir fazer parte de um reino que jamais passará e aquele que se assenta no trono, permanece para sempre e tem todo o poder e nada foge ao seu amor e bondade. Obrigado por viver nesse tempo, nesse lugar e fazendo o que faço, para construir algo muito maior, infinitamente maior do que eu. Graças, pelos irmãos e amigos de caminhada que torna a jornada muito mais suave e boa de se seguir. Em Nome de Jesus, amém!

 

Pr Jason

O Povo da Terra

Meditação do dia 23/03/2016

Ed 4.4 Todavia o povo da terra debilitava as mãos do povo de Judá, e inquietava-os no edificar.”

O povo da terra – Ao estudar os livros de Esdras e Neemias, foram escritos nos dias do retorno dos hebreus à Palestina, e por pessoas que foram autoridades e líderes entres eles, podemos aprender muito sobre administração, gestão e outras áreas importantes para a vida da igreja e nossas vidas pessoais. Esdras era um Sacerdote e Escrita profundo conhecedor das Leis de Deus. Neemias veio à pedido pessoal, nomeado pelo ri como Governador. No contexto do capítulo de hoje, percebemos uma guerra fria à princípio, mas acirrada depois e dois povos distintos lutando por objetivos diferentes; o povo de Deus, trabalhando para reconstruir suas vidas e para isso, precisavam reconstruir suas casas, seus edifícios, seu sistema de  administração e sua vida como nação novamente. Do outro lado, o povo da terra, ociosos, oportunistas e aproveitadores de ocasião, tentando se passar por amigos e interessados em ajudar, quando na verdade, queriam mesmo era entrar para sabotar de dentro para fora. Esse dualismo clássico só pode ser percebido por quem tem maturidade e discernimento espiritual. As manifestações das pessoas revelam o caráter e suas intenções, sempre veladas e disfarçadas para atrair a atenção e conseguir acesso à vida e intimidade alheias. Sempre que as pessoas de Deus iniciam um projeto, aparecem os “povos da terra,” com ofertas de amizade e cooperação e necessariamente não são boas ofertas, apenas atraentes e vantajosas. Esse povo da terra, estava ali, muito antes dos hebreus terem ido para o cativeiro à setenta anos, pois a parte deles em Israel, foram dispersos bem antes. Eles nunca se preocuparam com melhorar nada, não investiram nem mesmo em restaurar algumas casas e construções para uso próprio; nunca se envolveram com o culto a Deus, pois serviam a toda a vastidão de cultos idólatras existentes na Palestina devastada. Qualquer “deus” para eles era digno de culto e serviço. Não tinham uma identidade definida de fé e muito menos compromisso com a verdade das Escrituras. Mas agora, viam uma oportunidade de lucrar ou se misturar para ver o que poderiam ganhar. Amizade e boas relações devem ser cultivadas e mantidas sempre com todos, isso básico na nossa fé, pois o nosso Deus não faz acepção de pessoas. Mas daí, para misturar nossas práticas de fé num sincretismo religioso, onde se alega, pegar o melhor de cada uma e fazer um grande apanhado, na verdade, um grande caldeirão místico, é outra coisa, e não devemos embarcar nisso, nunca. Quando se mistura diferentes potenciais e nivela pela média, a tendência natural é que os melhores saem perdendo, ou se nivela por baixo; e quem não tem nada a oferecer, só tem a ganhar. O povo de Deus, recusou e pagou o preço, pois passaram a ser pressionados, incomodados, ameaçados até chegarem as acusações falsas e caluniosas diante do rei e veio a interdição real das obras de restauração. Quem está interessado em ajudar e construir, se for lhe negado a participação, ele respeita e aguarda o tempo e a oportunidade. Quando se vê passando da oferta amistosa e facilitadora, para oposição sistemática e ideais de destruição, já se sabe que as intenções iniciais eram falsas. Outra coisa: Certas obras, serviços e tarefas dadas por Deus, ou de obrigações de nossa fé, são de nossas responsabilidades, não de outras pessoas, ainda que amigas e boas pessoas. Exemplo: A ordem de anunciar o Evengelho – Foi dada por Cristo, aos “seus discípulos” e ele prometeu estar com eles e suprir-lhes o necessário para cumprir essa tarefa. Não é função do estado, de entidades e fundações etc. É da Igreja. A mistura do povo de Deus com o povo da terra, é legal, construtiva e abençoadora, quando o alvo é o testemunho do amor de Deus e o exercício do ministério de ser sal e luz, influenciar! juntos e misturados, só para viver o amor de Deus!

Obrigado Pai amado, pelas amizades e relacionamentos saudáveis que podemos cultivar e produzir testemunho de vida e da graça do Senhor. Graças Senhor, pela tua capacidade de suprir e bancar o desenvolvimento da tua obra na face da terra. O Senhor prometeu uma igreja forte e ativa, capaz de resistir e nem mesmo as portas do inferno poderiam detê-la; e assim ela tem sido e permanecido até hoje. O que o Senhor chama e considera tua igreja, é a noiva, os remidos, lavados no Sangue e santificados na Palavra da verdade. Conceda ousadia aos teus servos que estão batalhando em campos difíceis e sob forte oposição do mal. Renova o ânimo e as forças dos teus servos que estão sendo fiéis mesmo diante da face da morte e não têm negado o teu nome e o teu testemunho. Oramos pela igreja perseguida, mas vitoriosa, batalhadora e sobrevivente por amor da tua causa. Em nome de Jesus, amém!

 

Pr Jason

Começando Pelo Altar

Meditação do dia 22/03/2016

Ed 3.3 E firmaram o altar sobre as suas bases, porque o terror estava sobre eles, por causa dos povos das terras; e ofereceram sobre ele holocaustos ao Senhor, holocaustos pela manhã e à tarde.”

Começando pelo altar – Escombros e mais escombros, entulhos, ruínas, cacos, pedaços, mato alto e meias paredes, montes de pedras e coisas queimadas e abandonadas, isso tudo era a primeira visão de quem chegou em Jerusalém e isso também servia para o que fora o Grande Templo de Salomão, com suas múltiplas câmaras e anexos para os serviços e rituais. Uns poucos que tiveram o privilégio de ver aquilo tudo funcionando e cheio de vida e de gente, e agora via aquela cena, era desolador. De vez em quando vemos cenas na TV e na mídia em geral de cenas de guerra, onde pessoas desoladas chorando onde antes fora sua casa, sua escola e agora tudo arrasado pelo efeito da destruição. Era isso que aqueles exilados em regresso encontraram e ainda o perigo de tribos saqueadoras que tinham naqueles cenários os seus lugares de atuação e agora com a chegada de pessoas em caravanas, com bens e valores, a situação era ameaçadora e de muita insegurança. Uma pergunta vem à mente de qualquer um nessa situação: “Por onde começar?” Quem conhece o Pastor Jason, já sabe a resposta que ele daria: “Pelo começo!” Como definir o começo onde o caos está estabelecido? Por prioridades baseadas em valores! O peregrinos ali, sabiam disso e tomaram a decisão correta – Começaram por restaurar o altar do Senhor! A vida daquela nação e daquelas pessoas era o culto a Deus, eles eram um povo e uma nação teocrática. O culto a Deus era simbolizado pelo Altar, onde as oferendas eram dedicadas e oferecidas a Deus. O altar era o lugar o perdão, da reconciliação, da restauração. Eles foram para o cativeiro e tudo aquilo fora transformado em montes de entulhos incendiados e saqueados, justamente pelo menosprezo e abandono do culto e da fé. Se voltaram para restaurar e reconstruir, o melhor lugar e na verdade o único lugar certo para começar a trabalhar era o altar. Levantaram o altar e estabeleceram o ritual de culto e devoção da maneira que nunca deveria ter deixado de ser. Deus e sua palavra precisa ser levado à sério; o culto a Deus também; o relacionamento espiritual também. Uma das leis eternas que eles violaram dizia o seguinte sobre o altar e o culto: “O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará” (Lv 6.13). Quando o culto, a fé e a  devoção é relegada a segundo plano na vida, logo a vida toda se torna um caos e uma ruína total e tudo começa a desmoronar. Quando se quer voltar e reconciliar e restaurar novamente, deve começar pelo altar. O centro da sua vida de adoração. Reconheça os pecados, as falhas, as negligencias, o abandono do certo, as práticas erradas substituindo deveres sagrados, peça perdão e purificação baseado no sacrifício de Jesus na cruz, pois ali, o sacrifício é definitivo, seu valor e contínuo e a aceitação diante de Deus é garantida. Dependa da graça de Deus! Esqueça seus esforços, esqueça seus méritos, seus anos de bons serviços prestados, seu tempo de fidelidade e também esqueça o tempo de cativeiro e distanciamento. A restauração começa hoje, a partir de hoje, a vida recomeça hoje. O que foi, já foi! Isso só pode acontecer pela fé, pela graça e com humildade.

 

Senhor Deus das grandes transformações, a minha oração a ti, de gratidão pela reconciliação que há em Cristo Jesus, oferecida gratuitamente. Apresento diante do teu altar, na sala do trono, a minha intercessão pelos que estão buscando restauração e vida novamente com o Senhor; Por meus irmãos que se tornaram presas do inimigo e do pecado e perderam a comunhão e graça, mas hoje estão peregrinando de volta à casa do Pai. Conceda-lhes sabedoria para restaurarem seus altares e só depois começaram a remover as pedras e os entulhos espirituais que se acumularam no tempo de exílio e abandono. Estenda, pai, as tuas misericórdias sobre nós, e sobre o povo do Senhor. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason