Quatro Verdades

Meditação do dia 29/11/2016

Pv 30.18,19 “Estas três coisas me maravilham; e quatro há que não conheço: O caminho da águia no ar; o caminho da cobra na penha; o caminho do navio no meio do mar; e o caminho do homem com uma virgem.

 Quatro Verdades – O Ensino por comparação e ilustração é uma forma muito difundida nas Escrituras Sagradas. Jesus também fez uso abundante das figuras e histórias ilustrativas para fixar verdades importantes na mente e no coração das pessoas que o ouviam. Esse texto tem muitas aplicações possíveis e já o tenho utilizado em cerimónias de casamentos, sempre com muito boa aceitação. Então, devocionalmente também pode ser utilizado para nos edificar em forma de comparação. As três coisas que maravilhavam o sábio observador, são de fato interessantes, pois deve ser muito gracioso passar horas observando uma águia voando nos céus. Ela voa alto, muito alto, ela é veloz, imponente, destemida, sem dizer que ela não fica fazendo tudo aquilo sem uma razão ou propósito. Daquelas alturas ela desfruta de melhor clima, tem uma visão muito melhor e mais completa do mundo e do seu habitat e possibilita avistar suas presas, afinal ela se alimenta da caça. O profeta Isaías citou a vida com Deus como o voo da águia. Só de ficar contemplando-a já é uma fonte de meditação e reflexão para a vida. O caminho da cobra na penha, ensina sobre uma vida sem deixar marcas que denunciem a presença ou passagem por ali. Não sou nem um pouco fã de cobras, mas aprecio a observação do escritor. Deixar um bom testemunho por onde passamos é muito bom; por outro lado, marcas negativas devem ser evitadas, porque elas contrariam o nosso propósito de vida e ministério. Pessoalmente, cada pessoa deve ao olhar para trás, no sentido de avaliação e observação, é bom perceber que não tem do que se envergonhar ou se esconder, pois foi autêntico e construtivo. O caminho do navio no meio do mar também é sugestivo, porque as marcas feitas desaparecem quase que imediatamente e pela frente nem sempre há referencias firmes a seguir. Nos tempo em que o texto foi escrito, nem a bússola havia sido inventada, então os meios de orientação eram mais por observação e conhecimento, do que por instrumentos; As fontes de orientação eram o sol, a lua e as estrelas, para nós, ilustra a necessidade de depender dos céus para se guiar e chegar ao porto desejado. Se os instrumentos mecânicos humanos falharem, sempre haverá o céu para guiar os navios em suas rotas. Quando todos os recursos conhecidos e confiáveis se mostram inúteis, Deus ainda estará sentado no seu trono para nos guiar em segurança, a apenas uma oração de distancia. A quarta maravilha que ele não conhecia é o caminho de um homem com uma mulher; É realmente misterioso como nossos caminhos se cruzam com o de outra pessoa, com origens tão diferentes e cursos tão ímpares e dali em diante não dá mais para seguir sozinhos. Aquela pessoa, ao entrar em nossa vida, também abre um leque enorme de outras possibilidades e relacionamentos que influenciam para sempre a nossa vida. Por mais que se digam coisas sobre o casamento e por mais que o tentem desvalorizar e desmerece-lo, sabemos a preciosidade que ele é, afinal, a idéia original foi de Deus e ele é mestre em boas idéias. Encontrar a cara-metade foi mesmo uma grande sacada de Deus e eu sou muito grato por ter recebido esse presente de Deus e viver essa inexplicável experiência de viver a dois e em seguida vieram as filhas, bênçãos sobre bênçãos com a promessa de perpetuar, de geração em geração… amém.

Obrigado Senhor, por essas lições e pela vida em família! Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

O Fim da Linha

Meditação do dia 28/11/2016

Pv 29.1 “O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz será quebrantado de repetente sem que haja cura.

 O fim da linha – Os pescadores costumam dar linha ao peixe fisgado, permitindo-lhe correr o bastante para se cansar, facilitando a sua captura definitiva. Dentro da água, ele oferece maior resistência e sem habilidade, é fácil arrebentar a linha e ele ir embora. Do ponto de vista do pescador, dar linha não significa concordar que o peixe possa fazer o que quiser e ir onde quiser, pelo tempo que quiser sem colher as consequências. Da mesma forma é o processo de disciplina de Deus com os homens. Mesmo sabendo que o Senhor é Onisciente, Onipotente e Onipresente, sem citar todos os demais poderes disponíveis a Deus, é comum os homens agirem como se tivessem condições de esconderem-se ou fazer alguma manobra evasiva e despistar Deus. Noutras tantas, o pecador (e me refiro a pecadores de dentro da igreja), leva uma vida afundado em erros e pecados intencionais, escondido através da autoridade de um cargo ou função eclesiástica ou mesmo secular e por achar que como “ninguém” sabe ou viu, ou se sabe, não tem coragem de abrir a boca e denunciar, e até mesmo Deus tem continuado a abençoá-lo e cuidar dele, então isso prova que “não tem importância, não vai dar em nada!” Para os que estão nessa condição e com esses argumentos, desejo lembra-los daquilo que Paulo disse aos gálatas: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.” (Gl 6.7,8). Pelo fato de não ter caído um raio na sua cabeça, nem uma árvore em cima do seu carro ou outra tragédia, não significa que Deus não vai exercer o direito de disciplina. O fato de estar consciente do erro e saber no seu interior que isso não tem aprovação divina, ainda que a tenha da sociedade, deve ser levado em conta a misericórdia divina e a oportunidade de arrependimento e mudança de postura, antes de ser desmascarado e envergonhado em público. Todo cristão sabe as palavras de Jesus que afirmou que não há nada oculto que haja de ser revelado e escondido que não venha a ser mostrado; o que foi feito bem as escondidas, será proclamado dos telhados (Lc 12.1-3). Endurecer o pescoço contra as rédeas da direção divina leva a pessoa a ficar na condição de levar “um tranco” tão forte e repentino, que ficará imobilizado e pode até quebrar o pescoço sem chance de reparar com gesso ou colete cervical moral e espiritual. Deus corrige quem ele ama, não temos dúvida disso e ele sabe o que é melhor para o plano todo. Enquanto a pessoa pensa em salvar apenas a sua reputação, o Senhor pensar em recuperar uma vida, uma alma e uma oportunidade de abençoar milhares de outras. Não espere Deus dar o tranco final, te levando ao fim da linha!

Obrigado Senhor, por exercer o teu sagrado direito de nos disciplinar para uma vida mais produtiva e eficiente. Graças pela tua visão do todo e não aceitar as desculpas humanas para encobertar seus atos ruins. Todos os nossos pecados já foram perdoados em Cristo Jesus e todos os recursos necessários para andarmos em vitória se acham disponíveis pela tua graça. Obrigado, Espírito Santo, por nos convencer e nos ajudar não ficar do lado do pecado e do erro; em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Lidando Com o Pecado do Jeito Certo

Meditação do dia 27/11/2016

Pv 28.23 “O que encobre as transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.

 Lidando com o pecado do jeito certo – Uma boa figura para ilustrar o efeito do pecado na vida de uma pessoa redimida, talvez seja aquele boneco de piche ou breu, substancia resinosa, grudenta, pegajosa e de cor preta; um desses foi personagem história da velha senhora que tinha um bananal e o macaco Simão lhe roubava todas as bananas maduras e com um boneco desses ela deu um jeito no macaco levado. É uma ilusão pensar ou aceitar que alguém vai se envolver com o mal, o erro, o pecado, sem se contaminar ou sem ficar preso nele.  Há uma maneira bíblica e cristã de se lidar com o erro e o pecado; foi para isso que Jesus veio, viveu, morreu e ressuscitou; para nos livrar do pecado e suas consequências. A obra da redenção em Cristo Jesus é a única solução existente para se derrotar o pecado e se livrar de suas marcas, e tudo isso se alcança pela fé, tanto nas verdades doutrinárias da Palavra de Deus, quanto na eficácia da obra redentora da cruz de Cristo. Sabemos que todo pecado precisa ser confessado acompanhado do arrependimento e da conversão, a legítima mudança de mente e de direção de vida. Não se admite ficar “com vergonha” de Deus, pelo repetitivo numero de caídas e pedidos de socorro, e tentar resolver por conta própria. Já estamos carecas de saber que só Cristo salva; só em seu nome há redenção; que se confessarmos os nossos pecados ele é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda injustiça. Varrer o pecado para debaixo do tapete não funciona! Fingir que isso agora não é mais pecado, também não muda os fatos. Apresentar desculpas esfarrapadas para se justificar não é o jeito cristão de tratar com o pecado. Adotar novas nomenclaturas para o que a Bíblia chama de pecado, não funciona. Podemos mudar a coleira quantas vezes quisermos, mas o cachorro ainda continua sendo o mesmo. O verso da meditação de hoje fala em linguagem muito simples e clara qual é a verdade dos fatos: Quem encobre seus erros e pecados, JAMAIS prosperará… isso é muito triste! Esforçar-se muito, trabalhar duro, buscar com intensidade e até sacrifício e nada dar certo, nunca prosperar e nada que faz, já que tudo que constrói está fundamentado em “areia.” Ao contrário disso, quem confessa e deixa, ALCANÇA MISERICÓRDIA… Não merecemos nada, não fazemos por merecer e nossos créditos não contam diante de Deus, dependemos mesmo é das misericórdias do Senhor, elas não tem fim, se renovam a cada manhã. Façamos do jeito certo, do jeito errado já fazíamos antes de Cristo ser Senhor das nossas vidas; agora tudo se fez novo! Viva a redenção que há em Cristo, não crie obras mortas, paliativos humanos, alívio temporário, quando Deus nos oferece soluções definitivas!

Senhor tenha misericórdia de mim e ajuda-me a andar na luz todos os dias e não cair na mentira de resolver do meu jeito. Lava-me no sangue de Jesus e mantem-se debaixo de sua graça. Eu creio que a tua obra é completa e suficiente para prover todos os recursos para a minha salvação e manter-me à salvo do pecado e do mal. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Cuidados Pastorais

Meditação do dia 26/11/2016

Pv 27.23 “Procura conhecer o estado das tuas ovelhas e cuida dos teus rebanhos,

 Cuidados pastorais – Este texto foi imprimido como uma marca no meu coração no ano de 1983; na ocasião, estava fazendo o terceiro ano do seminário, e fazia o estágio, ou ano prático, na pequena cidade paranaense de Xambrê. Estava lidando o melhor que podia e tentando imprimir um ritmo de trabalho que produzisse resultados numa congregação com onze membros e algumas crianças. Certo dia após o devocional, saí para postar cartas no correio e de lá fazer uma visita no hospital a uma pessoa internada e fazer outras atividades. Ao atravessar a avenida principal, recebi uma palavra no meu coração, diretamente do Espírito Santo e não me ficou nenhuma dúvida sobre o que é que Deus estava falando e me orientando. Deus na sua infinita bondade e misericórdia juntou umas verdades que eu ouvira com dois versículos e mudou minha história de uma vez só. A mensagem toda foi a seguinte: “Barulho não é poder, sonoridade não é espiritualidade. Procura conhecer o estado das tuas ovelhas e cuida dos teus rebanhos!” Aquilo impactou meu coração e só postei as cartas e fiz a visita hospitalar e voltei para casa e me pus a orar e seguir as orientações de como proceder. Parei com o ativismo e me pus a trabalhar para conhecer melhor as pessoas e suas condições espirituais e tratar aquelas feridas e ajudar. Creio que aprendi mais e ganhei muito mais do que ofereci. Havia assumido aquele trabalho em maio e nessa altura estávamos no segundo semestre do ano sem muitos bons resultados e meu tempo ali era até dez de dezembro, um sábado e no domingo ficou marcado um batismo e a igreja fico com vinte e dois membros e ainda novos pessoas. Recentemente visitei uma igreja em Umuarama e encontrei daquelas pessoas e até um rapaz que não reconheci e ele era uma daquelas crianças. Foi ali que entendi a vocação ministerial pastoral e foi ali que as bases de tudo o que veio a acontecer na minha vida e no meu ministério começaram. Ser pastor não é uma profissão, não é uma ocupação por falta de outra ou de opção. Não é por esse ou aquele motivo, privilégio… é uma vocação espiritual, pessoal e íntima e há uma diferença quem é vocacionado e entende isso e quem se vocaciona ou entra numa oportunidade que aparece. Saber pregar bem, dar um bom estudo bíblico e fazer aconselhamento e até administrar pessoas não são necessariamente razões para alguém se tornar pastor. Deus é quem chama e capacita e cumpre ao chamado e vocacionado saber para que foi chamado e onde e como o Senhor da Seara o quer. Sou grato as pessoas das igrejas nas quais servi como pastor auxiliar, até quando me tornei pastor titular da Monte das Oliveiras aqui em Guararapes. Também sou muito agradecido aos irmãos daqui que me acolheram sabendo que era inexperiente e seria o primeiro ministério solo e mesmo assim me abraçaram e apoiaram até hoje; Obrigado por tudo e por serem instrumentos para me abençoarem e ser o que consegui ser hoje. Mas ainda pretendo progredir e ser fiel àquele que me chamou.

Pai, obrigado por aquela mensagem trazido ao meu coração pelo Espírito Santo que abençoou a minha vida e daquelas pessoas e com isso me habilitaste para abençoar muitas outras. Obrigado por me permitir entender que a razão de ser pastor é para cuidar do rebanho e conhecer o estado de cada uma e servi-las em amor. Obrigado Espírito Santo por não desistir de mim, mesmo quando não fui obediente ou entendi de pronto as tuas revelações. A ti, Senhor Jesus, pelo exemplo como o bom pastor, que me serve de modelo e alvo a ser imitado. Em teu nome, agradeço, de coração! Amém.

Pr Jason

Maldição Sem Causa

Meditação do dia 25/11/2016

Pv 26.21 “Como pássaro que foge, como a andorinha no seu voo, assim, a maldição sem causa não se cumpre.

 Maldição sem causa – Como em outros assuntos que tivemos oportunidade de meditar, queremos sempre aprender devocionalmente, sem tomar necessariamente partido de uma corrente de pensamento, mas ao mesmo tempo nos cuidando para não ferir a legítima interpretação textual e incorrer em heresia ou torcer a verdade para confirmar uma idéia humana. Bênção e maldição tem esse perfil, de várias correntes e defensores de todos os seguimentos. Aqui, queremos a bênção como consequência de uma vida de comunhão e intimidade com o Senhor, baseado em seguir os preceitos bíblicos, pois sabemos que a Palavra de Deus é um agente poderoso de libertação e cura, desde que praticada, ela não é varinha mágica e nem tem esse propósito. Também queremos nos afastar de todo e qualquer potencial foco de maldição; reconhecemos a importância do novo nascimento e o poder da obra de Cristo realizada na cruz para nossa redenção. Como nos nossos dias acontecem frequentes “ondas e modas” nos meios evangélicos e sem falar no misticismo e sincretismo religioso e espiritual que faz parte da cultura e do gosto do povo brasileiro, não faltam demandas e com isso surge a oportunidade para os aventureiros e mascastes da fé, para tirarem todo o proveito possível e na falta de conhecimento da palavra de Deus, pessoas simples são enganadas e caem nesses golpes disponíveis em centenas de igrejas e programas de mídias. O cristianismo reconhece Deus como a fonte de todo o poder e autoridade, Senhor e governador de todos os mundos e ele o faz em amor e justiça, respeitando o princípio de autoridade que ele mesmo estabeleceu. Deus não erra, não se engana, não mente, não prejudica, não tenta e não faz ninguém tropeçar. Deus é santo em todas as suas obras e justo em tudo o que faz. Também sabemos que o mal personificado em uma pessoa, Satanás, é o príncipe desde mundo, o pai da mentira, enganador e astucioso, é inimigo declarado de Deus e de tudo o que Deus ama, seu caráter é diametralmente oposto ao de Deus em tudo. Ele conhece as leis da natureza, os princípios espirituais estabelecidos por Deus e o princípio de autoridade. É um imitador contumaz, recria todas as instituições de Deus, fazendo sombra e confundindo as mentes entenebrecidas pelo pecado. Tudo o que Deus oferece, ele tem uma réplica caricata e mal feita, com finalidade de enganar e confundir e vale a pena o seu investimento, pois o fim é levar vidas à perdição eterna, e para isso vale tudo no reino dele. “E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz” (2 Co 11.14). Mas vamos nos ater ao texto do dia, onde o significado comum é que necessita-se de uma base legal, uma porta aberta da parte da pessoa, para que uma invasão do mal possa entrar na vida de uma pessoa cristã. O pecado ou a violação de princípios estabelecidos por Deus, dá direito, e o mal entra e faz o seu trabalho. Satanás precisa em certo sentido de uma autorização para proceder uma investida, uma vez que Deus mantém uma bênção de proteção a todas as criaturas e a redenção reforça ainda mais isso na vida dos redimidos por Cristo. Assim, quando violamos essa proteção, surge a brecha, que o leão que está em derredor bramando esperava e aí ele dá o bote. Malaquias 3 por exemplo evidencia que violar o princípio da mordomia de dizimar, onde se reconhece Deus como senhor de todas as coisas e nosso provedor, abre a porta para o devorador, que não pode ser retirado com oração e jejum, nem campanha de sete dias e nem pelo corredor dos poderosos… quando o princípio for restabelecido e a prática retomada, Deus mesmo se encarrega de detê-lo. Não havendo causa, pode ficar na bênção, para quem vive e descansa à sombra do Onipotente, debaixo de suas asas protetoras, não existe inveja, olho gordo, mandinga, trabalho feito, corpo fechado, vento virado, espinhela caída, aura contaminada, bruxa solta, azar, carma ou qualquer outra coisa do gênero. O sangue de Jesus tem poder e o seu nome está acima de todo nome!

Senhor, a tua proteção está garantida pela obediência aos teus mandamentos e princípios estabelecidos desde a eternidade. Ao andarmos em sintonia com a tua vontade, nos protegemos das astutas ciladas do mal e nos mantemos cobertos pela proteção que na redenção em Cristo Jesus. Como teus filhos, somos lavados no sangue do Cordeiro de Deus e a presença do Espírito Santo em nós, é garantida de que somos propriedade exclusiva do Senhor. Obrigado por tudo isso e muito mais que nem sei, mas está garantido na minha salvação. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Dia de Gratidão

Meditação do dia 24/11/2016

Pv 25.21,22 “Se o que te aborrece tiver fome, dá-lhe pão para comer; se tiver sede, dá-lhe água para beber, porque assim amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça, e o Senhor te retribuirá.

 Dia de Gratidão – Oficialmente hoje é o Dia Nacional de Ação de Graças, isso é constitucional no Brasil. Um  dia dedicado a demonstrar gratidão a Deus pela sua generosidade e cuidados demonstrados para com todos, provendo o necessário e o suficiente. Com alguns veem o copo sempre meio vazio, vão dizer que não temos motivos para agradecer, pois o país está em crise e sérias dificuldades, com muitas pessoas passando muitas necessidades. Parte disso é verdade! Por outro lado, há os que olham e para eles o copo está sempre meio cheio e por isso temos muitos motivos de gratidão de louvor por aquilo que temos em nossas mesas e nossas casas. Mas independente de nem mesmo vermos um copo, como cristãos estamos aqui nesse mundo e especialmente nesse momento da história, para cumprirmos uma missão e o nosso papel é muito importante; pois somos e precisamos fazer prevalecer a nossa condição de Sal da terra e Luz do mundo. Não devemos ficar discutindo filosofias de copos cheios ou vazios, mas suprir e prover aquilo que está dentro das nossas possibilidades, e quando a necessidade for maior que a nossa capacidade, partimos para a oração e a dependência daquele que é o dono de todas as coisas e não há ninguém mais interessado em cuidar e suprir do que o Senhor nosso Deus. A globalização aproximou muitas culturas e práticas, antes restritas a certos lugares ou povos e agora como estamos vivendo “um grande caldeirão” tudo se torna de todos, mas infelizmente não se distribuiu apenas coisas boas e construtivas, também vieram práticas alheias à fé cristã e algumas profundamente místicas e até malignas, e as vezes vendidas como inocentes e apenas culturais, e sem discernimento bíblico, pode se embarcar em canoas furadas. Ao ver crescer no Brasil a celebração do Halloween, o dia  das bruxas, devido aos muitos contatos com a cultura americana e com núcleos de escolas de idiomas espalhados em cada cidade e bairros Brasil afora, procurei um contraponto, pois lá mesmo nos States, o Dia Nacional de Ação de Graças é muito mais forte e importante, até mesmo do que o Natal, mas aqui teima em não emplacar – mas eu sou teimoso, preferiria perseverante, e a uns bons anos venho trabalhando por cultivar a data de hoje, em Guararapes, embora não tenha tanta adesão, mas já está sendo muito bom. Na igreja, já é celebrado todos os anos; na Escola de Ensino Fundamental Monte das Oliveiras, também está oficialmente no calendário e a garotada hoje tem o jantar de Ação de Graças, e na Fundação Mirim, que tem participação da membros da igreja na administração, também já é prática consolidada. Graças a Deus, a bruxa não voa nem perto de nossas instituições por aqui e a vassoura só é utilizado na limpeza mesmo. Se é para sermos conhecidos, que o sejamos por boas práticas e que se firmem valores que a nossa fé aprova e acima de tudo, que glorifica a Deus.

Senhor, apresentamos nossa gratidão por todas as provisões da nossa mesa, e cremos que os teus filhos na nossa nação, tem sido abençoados e cuidados por ti, mesmo nos momentos difíceis que o país atravessa; mas aquele que sustentou o seu povo no deserto até chegarem em Canaã, sem nada faltar, é o mesmo que nos fortalece e está colocado como Senhor de nossas vidas. Abençoamos o nosso pão e as nossas provisões de alimento, vestes, teto e demais cuidados que a tua promessa alcança. Aqueles que buscam em primeiro lugar o teu reino e a tua justiça, sempre serão satisfeitos com a abundancia do teu favor, e por isso, reconhecemos e te louvamos, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Ser Fraco é Fraqueza

Meditação do dia 23/11/2016

Pv 24.10 “Se te mostras fraco no dia da angústia, a tua força é pequena..

 Ser fraco é fraqueza – Algumas palavras de sabedoria se tornam marcantes em nossa vida, devido exatamente à capacidade de produzir reflexão construtiva. Há outro texto, com expressão semelhante em Jeremias, que me levam a fazer conexão entre eles, pois a mensagem deles trabalham com a pessoa, num momento delicado, quando naturalmente se está vulnerável e humanamente seria aceitável alguma debilidade ou sinal de fraqueza. Mas como Deus lida sempre com o excelente e a idéia de derrota não consta na sua lista, assim os seus adoradores sempre serão estimulados a darem de si o melhor, mesmo em momentos muito difíceis. Pelo que me consta, angústia não é algo desejável de se ter e muito menos é fácil lidar com ela durante sua existência. Qualquer que seja o fator que provoque a angústia, se trata de anormalidade no andamento da vida; quer por um erro cometido, quer erros de outros ou sem participação culposa de quem quer que seja. A angústia pode aparecer por fenômenos naturais, ou alheios à vontade humana, como por uma doença, uma crise ou uma perda considerável. Também pode ser que o estilo de vida ou a situação do momento coloca a pessoa em situação angustiante, ou quem sabe fatores como ansiedade ou reação ao estresse ocasional. Há gente que se angústia pela espera até de alguma coisa boa; outros em vésperas de momentos críticos como viagem, provas escolares, entrevistas de empregos, concorrência ou disputas importantes. A verdade é que a sabedoria de Provérbios, diz que se num momento tal que exigirá muito de si, ao invés de superar-se, a pessoa entrar em choque e ficar apavorado, a tal ponto angustiado que lhe iniba o bom desempenho, então é realmente de pouca força. Sabemos pela experiência da vida, que devemos nos prevenir em tempos de calmaria e paz, provendo-se de forças e acumulando preparo e condicionamento para que nos momentos difíceis, não falte o necessário para se vencer. É exatamente o mesmo princípio da boa administração de estoques e provisões, como faz a formiga no verão, para suportar o rigor do inverno. Conhecemos a fábula da formiga e da cigarra, enquanto uma providenciava alimento e abrigo no tempo oportuno, a outra se punha a cantar; quando o tempo ficou adverso, só uma sobreviveu. Cristãos acumulam energias espirituais na oração, adoração, comunhão, leitura e estudos da Palavra de Deus, em tempos calmos e quando vem os períodos difíceis e que as pressões são fortes e de todos os lados, ele não sente tanto o impacto, ou pelo menos está alicerçado para enfrentar as tempestades da vida. No relato dos construtores sábio e tolo que edificou cada qual uma casa e ambas receberam impactos iguais da tempestade, vento, correntes de águas, apenas uma desabou com grande ruína; mas lembrando que ambas receberam o mesmo grau de adversidade; então as provações virão iguais para que se prepara e para quem não se prepara, o certo é que um já está condicionado a cair. O outro texto que citei inicialmente é Jr 12.5 “Se te fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com os cavalos? Se tão-somente numa terra de paz estás confiado, como farás na enchente do Jordão?” A moral deste texto é que se não consigo prevalecer em igualdade de condições com os atuais competidores, que chances terei com outros em condições infinitamente superiores a minha? Se a minha fé não me sustenta bem em situações tão favoráveis como temos no Brasil, com plena liberdade e até apoio oficial, o que será quando aquelas situações apocalíptica descrita nas paginas da Bíblia começarem a acontecer literalmente? Se as pessoas se afastam da fé e da comunhão, só porque alguém não lhe cumprimentou, ou coisa insignificante das relações humanas, como será diante do anticristo? Diante de perseguições valendo vida ou morte em nome da fé? Se não se confessa a fé em Cristo publicamente para não perder a aprovação social, e quando isso valer salvar a pele? Como você reage diante das angústias?

Senhor Deus, está escrito que não permites que sejamos tentados além de nossas forças, mas que juntamente com a tentação, há uma provisão de livramento vindo de ti. Graças de damos, pela forma exemplar como nosso Senhor Jesus Cristo lidou com as provações, tentações e momentos difíceis sem deixar a serenidade e a confiança no socorro divino. Não gostamos de angústias e provações, mas elas são instrumentos de crescimento e aprovação, quando reagimos positivamente em obediência aos teus ensinos e acolhemos as instruções de como prevalecer em fé. Obrigado, pelo socorro e ajuda nos momentos difíceis e pela companhia de amigos e irmãos que nos ajudam e incentivam a continuar firmes, sabendo que a vitória já está garantida em Cristo Jesus. Por hoje, Senhor, socorra os que estão em situação de fraqueza e quase desistindo; que recebam no coração uma injeção de ânimo do teu Santo Espírito e a intercessão dos santos do Senhor. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Inveja no Coração

Meditação do dia 22/11/2016

Pv 23.17 “Não tenha o teu coração inveja dos pecadores; antes, no temor do Senhor perseverarás todo dia.

 Inveja no coração – Todo mundo sabe que inveja é uma coisa muito feia e uma prática repugnante na vida de quem a cultiva. A tradição religiosa até a categorizou como um dos famosos sete pecados capitais. Nas escrituras é abominada e em todas as suas manifestações e o povo de Deus e incentivado e exortado a evitar aceitar isso como normal no seu meio. Não tenho dúvidas de que qualquer pessoa em seu perfeito juízo concorda que isso não deve acontecer entre pessoas inteligentes e racionais e especialmente na igreja, pois temos a bênção do Senhor que deve ser o suficiente para não nos arrastarmos para essa lama. Contudo, não posso deixar de mencionar aqui, o fato de que os valores bíblicos e cristãos hoje não são mais o padrão de conduta e adotado mesmo pelos chamados “cristãos.” O chamado liberalismo doutrinário, aliado ao humanismo no centro e uma boa dose de egoísmo com cobertura de “direitos e garantias individuais…” torna tudo um coquetel bem misturado de padrões mundanos, com idéias de cristãos de meia tijela e assim ficamos como Israel no tempo em que ainda não havia rei e cada um fazia o que bem entendia. (Jz 21.15). Devido a deficiência de intimidade com Deus e vida devocional, a pessoa sofre efeitos semelhantes a de uma inanição alimentar, uma carência que exige ser suprida. A alma humana quando insatisfeita, ela deixa a pessoa inquieta e ansiosa em busca de algo que a satisfaça, sendo comum vermos pessoas com vontade de alguma coisa que nem ele mesmo sabe o que é. Sem os valores corretos enraizados na vida e uma carência anônima e oculta, a pessoa começa a prestar atenção ao seu redor e à medida que o nível espiritual desce, o nível materialista sobe, então facilmente o coração dessa pessoa começa prestar atenção “nas coisas e nos bens” do seu próximo. Logo segue as comparações que a mente faz automaticamente, sobre horas trabalhadas entre “eu e ele” – Quanto tenho e quanto ele tem, como prospero e como ele prospera, as diferenças de marcas de carro, roupa, móveis, lazer, ambientes frequentados… e à medida que o pescoço vai ficando cada vez mais esticado para ver a vida do vizinho, a insatisfação vai tomando conta de tudo e logo, logo as evidencias começam a aparecer e tomar forma. O Salmo 73 foi escrito por alguém que relata ali esse tipo de experiência pela qual passou e quase o levou à ruína e olha que era um ministro altamente qualificado e comprometido com a vida e o ministério divino. Foi a volta ao cultivo de intimidade com Deus através da vida devocional de meditação e contemplação que salvou Asafe, segundo ele mesmo. Os pecadores, ou as pessoas sem compromisso com a fé e com Deus, suas vidas são pautadas pela satisfação pessoal e em seu maior volume sobre bens materiais, poder e influencia; eles lutam por isso, eles se matam por isso e quando morrem não levam nada disso e não tem nada reservado de verdadeira riqueza armazenada na eternidade. O temor do Senhor nos conduz a uma escala de valores diferentes e o que mais prezamos não está aqui e nem é fisicamente palpável e mensurável. Quando uma pessoa depende de coisas, posses e bens para se sentir realizada ou segura, ela é realmente muito pobre! A recomendação sábia de Provérbios é perseverarmos todo dia no temor do Senhor, e já estamos de posse da promessa que tudo o que precisarmos, o Senhor suprirá, segundo a sua riqueza em glória, por Cristo Jesus. (Fp 4.19).

Obrigado Senhor meu Deus e Pai, pois tenho sido abençoado com abundancia e fartura além das minhas necessidades, não por merecimento ou esforço, mas a graça do Senhor tem sido mais do que suficiente. Obrigado pelas provisões de alimento, vestes, teto e cuidados com a saúde e o bem estar de minha família e pessoalmente. Obrigado pelo seu imenso amor e cuidado. Te peço que me ajudes a manter o meu coração focado na tua pessoa e na alegria de servir com a minha vida e com os dons e habilidades que dispusestes para a igreja. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Bom Nome

Meditação do dia 21/11/2016

Pv 22.1 “Mais vale o bom nome do que as muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a prata e o ouro.

 O bom nome – Este capítulo de provérbios é um clássico para mim e faz parte daqueles seletos trechos bíblicos que significam muito para o meu crescimento espiritual e tem sido um divisor de águas e até mesmo uma bússola na minha jornada. Aprendi que devocionalmente posso escolher um capítulo do livro de Provérbios que será o meu guia e norteará decisões importantes. Isso se baseia no fato de que todos nós nascemos numa data entre o dia primeiro e trinta e um de algum mês do ano; Provérbios tem exatamente trinta e um capítulos, então há um capítulo para cada pessoa; o dia do seu aniversário corresponde ao capítulo de Provérbios, que se torna o seu capítulo pessoal, e nele você descobrirá  um ou mais versículos que nortearão um filosofia de vida com Deus e será adotado como lema para a vida toda. Como sou nascido em dia 22, fui premiado com esse capítulo que realmente tem significado para mim e entre os seus vinte e nove versículos, dois particularmente são muito especiais e os levo em grande consideração e assim, já havia bastante tempo que esperava o dia de escrever a meditação do dia desse capítulo, e hoje é esse dia. Por alguma razão que não tenho precisar quando e porque, mas foi na minha adolescência, eu tomei uma decisão de cultivar muitas amizades e fazer disso a minha maior riqueza e patrimônio. Não foi uma decisão de garoto empolgado com alguma amizade nova, mas foi algo do coração e apliquei-me a isso todos esses anos da minha vida. Sou uma pessoa de muitos amigos e realmente são a minha maior riqueza; meus amigos são amigos para sempre e dependendo de mim, não há distancia, tempo, idade ou outros fatores que limitem-me fazer e cultivar as que já tenho; perder uma amizade é muito triste para mim e algumas delas são tão fortes e próximas que ganham merecidamente status de irmãos, cunhados e cunhadas daqueles que dão prazer e alegria estar juntos ou mesmo só se falar mesmo à distancia. Mas também ao fazer esse escolha, eu também segui uma norma de família, herança do meu pai e da minha mãe, que sempre deram muito valor a se ter um bom nome, então quando esse texto entrou em minha vida, foi como uma luva, encaixou perfeitamente. Entre ter muitas poses e um bom nome, eu escolhi e mantenho a escolha pelo bom nome. O nome reflete o caráter, a personalidade e os atributos da pessoa; se torna um marca patenteada e com o passar do tempo passa a ser paradigma. Há certas marcas e nomes de empresas e produtos, que quando citados, impõe respeito e revelam até mesmo o perfil de quem tem acesso a isso, eleva a um outro nível. Para nós cristãos, quando se fala no nome de Jesus, é simplesmente o que há de melhor, de maior, de mais poderoso em qualquer tempo, lugar e ninguém está nesse nível, nem no céu, nem na eternidade toda, para nós, ELE é o CARA! Até Deus, o Pai, O Todo Poderoso, concorda que esse nome tem poder! Qualquer que for o critério para que um nome se torne poderoso e respeitado, Jesus supera isso sem qualquer questionamento! Quando alguém cita o meu nome para alguém o que isso representa? Que imagem passa? Não se trata de desejar ser reconhecido, paparicado ou elogiado, longe disso, mas a idéia é que produza alegria, seriedade e seja sinônimo de coisas boas. Isso honra a Deus e glorifica a Cristo que morreu por mim e é o meu Senhor. Mas independente de alguém ter nascido no dia vinte e dois, ter um bom nome é um patrimônio considerável e vale cultivar.

Pai, obrigado por ter nos dado um nome que é referencia em caráter e bondade e que jamais pode ser suplantado. Os homens herdam dos pais nomes poderosos, ou fazem o seu próprio nome, ou ganham, mas Jesus tem esse nome por todos esses motivos e sua vida e sua obra confirmam o poder de seu nome. Como teus filhos, oramos por graça e sabedoria para honrarmos a ti com um caráter transformado por Cristo através do Evangelho e assim comunicar o amor e a graça do Senhor pelo nosso bom testemunho. Santificar o nome é uma de nossas missões na vida. Obrigado pela proteção que temos por causa do nome de Jesus. Em nome dele oramos agradecidos. Amém.

Pr Jason

O Coração do Rei

Meditação do dia 20/11/2016

Pv 21.27 “Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do Senhor; este, segundo o seu querer, o inclina.

 O Coração do Rei – Este versículo faz parte importante e integrante da minha vida, desde os tempos de seminário, nos bons tempos de Betania e quem o plantou no meu coração foi a Dra. Yeda Harder, nos ensinando com sua vida além das suas matérias curriculares. Estávamos falando sobre situações difíceis e até humanamente impossíveis que se opunham aos propósitos de Deus em nossas vidas. Foi quando ela sacou esse texto e que para mim até ali, não tinha nada a ver com oração ou com buscar a vontade de Deus. Na verdade o que ela estava revelando a nós, era o princípio da autoridade, que é bíblico e que devemos respeitar, para não incorrer em rebeldia, o que nos colocaria em conflito direto com a verdade de Deus. Rebelar para forçar uma situação a se resolver não é cristão, não é bíblico; Jesus ensinou exatamente o contrário: “Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; E, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa; E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas. Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes” (Mt 5.38-42). O rei, no caso aqui do texto é uma pessoa em posição de autoridade que se opõe a algo que desejamos, queremos ou precisamos realizar e ela tem legitimidade para interpor-se e barrar e na verdade, ela não vai permitir mesmo. O cristão, ao invés de rebelar, ou declarar guerra, ou amealhar forças e lutar, ele lança mãos de armas espirituais legítimas, como ensinou o apóstolo São Paulo: “Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne.
Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo; E estando prontos para vingar toda a desobediência, quando for cumprida a vossa obediência.”
(2 Co 10.3-6). O segredo é ir para a oração e manter a obediência à autoridade “do rei” mas colocando o coração dele nas mãos de Deus. O Senhor pode e tem como cuidar dele e do seu coração obstinado. Como as águas do ribeiro seguem o seu fluxo natural, assim Deus faz com que o coração do rei, que se opõe à sua vontade, se encaminhe para a obediência naturalmente. Percebe-se que a nossa vida e os nossos desejos ou objetivos estão plenamente alinhados com a vontade de Deus, caso contrário, não haverá intervenção divina favorável. Segundo Jó, os planos de Deus não podem ser frustrados, ninguém frustra Deus (Jó 42.2). Esse texto tem sido uma riqueza para minha vida e tenho desfrutado dela inúmeras vezes; até comigo mesmo, quando percebo que estou muito resistente a alguma coisa, eu oro colocando o meu coração nas mãos de Deus para que possa incliná-lo segundo a sua vontade e como é bom quando saímos de uma condição de oposição a Deus para uma condição de aliado e servo disponível.

Pai, graças damos por ter revelado tua vontade a nós através de Jesus Cristo que trouxe uma tão grande salvação. Também amamos obedecer a tua vontade que é boa agradável e perfeita; assim quando nossa atitude estiver confusa e contrária à tua, temos o recurso de colocar diante de ti nossos pensamentos, sentimentos e atitudes, para sermos aliados e participantes dos teus planos e jamais opositores a ti. Cura-nos também da atitude de rebeldia e coração endurecido, obstinação de vontade, pois isso não te agrada e corrompe a nossa fé. Podemos confiar que tens o melhor para nós todos os dias e em todas as situações, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason