Raiz de Jessé

Meditação do dia 31/12/2016

Is 11.1 “Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo.                        

Raiz de Jessé – Desejo agradecer de coração ao Senhor o privilégio de poder hoje, no último dia do ano de 2016, conseguir cumprir um ideal de escrever uma meditação a cada dia, baseado num capítulo da Bíblia e em sequencia, e a graça do Senhor nos acompanhou e em algumas delas, pessoas foram abençoadas e incentivadas a continuar firme sem desanimar. Graças ao Deus de amor e também obrigado a vocês que me acompanharam, valorizando o estudo devocional das Sagradas Escrituras; Que o favor do nosso Senhor, os acompanhe bem de perto em 2017. Obrigado, de coração! Hoje, temos um texto muito inspirativo, pois não só é profético escatológico, como revela algumas das características mais aprazíveis de Cristo e seu reino. O convido a ler o texto inteiro, pois assim você tirará melhor proveito. Cansados como estamos de guerras, lutas, destruição, insegurança entre as nações e dentro delas mesmas, o caos está a menos de um passo de se instalar entre a raça humana, parece mais uma questão de oportunidade, do que de tempo. Nada disso é estranho para os cristãos que estão de olho nas profecias bíblicas, pois sempre antes da bonança vem a tempestade; antes de Cristo instalar o seu reino de paz e justiça, o anticristo tentará instalar o seu, de caos e destruição. Para nós, o que verdadeiramente interessa, é o fim da história, e nesse texto de Isaías, ele descreve até como se em tom poético, um futuro que praticamente é uma utopia vendo com olhos humanos. Jesus, aqui qualificado como renovo e raiz de Jessé. Quem não almeja ver um líder, um Senhor no verdadeiro sentido da palavra, como descrito nos primeiros cinco versículos? Por mais que eu me ponha a procurar os significados, ainda sei que a prática superará em muito, e na verdade só alguém como Cristo, pode preencher tais qualificações do verso dois: “E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor.” Como disse o apóstolo Paulo, “nem olhos viram e nem ouvidos ouviram e jamais penetrou em coração humano…” como será viver num mundo onde as coisas funcional e onde a verdade é mesmo a verdade e a justiça é realmente justiça. Não quero prolongar, mas tem duas verdades interessantes ainda no texto que desejo comentar, porque elas me enchem o coração e cria expectativas de esperança que alimentam a minha fé no meu coração. Uma é descrita no verso nove, “…a terra se encherá do conhecimento do Senhor como as águas cobrem o mar.” Isso me fascina, porque hoje e desde muito tempo, em toda a terra, Deus é amado, odiado, esquecido, lembrado, deixado de lado, adorado, negado, mistificado e etc. Mas como dizem os poetas, “as nuvens podem cobrir o sol, mas não apaga-lo.” Por isso, o nosso Senhor é intitulado de “o primeiro e o último…” Outra verdade é descrita no verso dez: “Naquele dia, recorrerá as nações à raiz de Jessé que está posta por estandarte dos povos; a glória lhe será a morada.” Não só vão crer, como vão recorrer e Jesus como a bandeira desses povos e não está se falando de pessoas declarando Jesus como Senhor, mas de nações, povos… Vale à pena estar lá não só vendo, mas participando! Maranata!

Senhor Jesus, seja bem vindo, em todos os sentidos dessa expressão! Para nós, tu és tudo isso descrito nas profecias e não temos dúvidas sobre o teu senhorio, tua majestade, autoridade, glória e poder! Ao Rei dos reis nos prostramos e adoramos, como o Deus verdadeiro, salvador e Senhor. Hoje e para sempre! Obrigado pelo ano de vitórias e perseverança que nos deste, e o desafio de vencermos novamente em 2017, queremos e andaremos debaixo da tua graça e misericórdia. Em teu nome agradecemos, amém.

Pr Jason

Anúncios

Legisladores

Meditação do dia 30/12/2016

Is 10.1 “Ai dos que decretam leis injustas, dos que escrevem leis de opressão.

Legisladores – Todos nós podemos ver as coisas como elas se parecem, como elas são ou como acreditamos pelo contexto das promessas de Deus. Uns chamam isso de ser pessimistas, otimistas, realistas, visionários, simplórios etc. Pensando com cabeça de brasileiro e sentimento de patriotismo, talvez um bom título para essa meditação seria: “Congresso Nacional” – e aí expressar toda a emoção que a população trabalhadora e honesta vê e percebe do trabalho dos nossos 513 príncipes que respondem pela legislação e  tudo mais… Mas tem verdades da nossa fé, que permite ver além do físico e material e nos leva a não acreditarmos em tudo que vemos, ao mesmo tempo que acreditamos em muita coisa que não vemos. Me refiro à pessoa de Deus, a quem pertence a minha vida e a quem sirvo, comprometido em obedecer e fazer o que são normas do Reino de Deus. Por exemplo: “(Como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí) perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como se já fossem. O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência” (Rm 4.17,18). Abraão é o pai da fé, exatamente por confiar em Deus contra tudo o que se poderia chamar de bom senso, de lógico ou natural; ele cultivou esperança contra a própria esperança, vendo o que ninguém mais via e vivendo aquilo como absolutamente real, e foi recompensado e ainda hoje, todas aquelas promessas que ele alimentou no seu coração, ainda são reais e o serão para todo sempre. Eu acredito no poder da oração e intercessão por uma nação tanto quanto por uma pessoa física. Acredito no poder transformador de Deus e sei que  ele está no controle de todas as coisas, ainda que os meus olhos físicos, o meu bolso e minha declaração de renda anual digam coisas ao contrário. Existem pessoas, grupos de pessoas e igrejas inteiras que levam muito à sério o ministério de oração e intercessão pela nação; Pessoas que tem ministérios verdadeiros e levantados pelo Senhor da Seara, para sustentar a nação e as autoridades legitimamente constituídas, para elas sejam o realmente devem ser – ministros, servidores para trazer a verdade, a justiça e o amor de Deus a todos e especialmente aos que tem menor condição de se expressar e se defender. Eu acredito nos dons redentivos que Deus distribui a todos os povos e esses dons se expressam pelas características e qualidades culturais e naturais daquela gente, no caso do Brasil e dos brasileiros, a alegria, a musicalidade, a adaptabilidade, a hospitalidade, a boa aceitação em praticamente qualquer nação, nosso território imenso, diversificado, altamente produtivos em tudo e qualquer coisa que se pense, as belezas naturais e um sem número de coisas que só o Brasil e os brasileiros tem e podem – porque Deus nos daria tais coisas se não houvesse um propósito maior? Então, eu acredito num Brasil diferente desse da vitrine, oro por ele e trabalho, com minha vida, meu ministério e levo a igreja local acreditar nisso e trabalhar por isso. Você vem comigo?

Senhor, feliz a nação cujo Deus é o Senhor! Nós cremos nas promessas que temos de ti para nossa nação, como também aceitamos as nossas responsabilidades pelos atos da nação e do nosso povo. Nos arrependemos de todas as práticas que contrariam a tua vontade expressa e que são pecados que atraem a justiça e o teu juízo. Pedimos perdão, por elegermos pessoas que não tem compromisso com a verdade, com a justiça e aos princípios que levantam um povo e uma nação. Reconhecemos as práticas nacionais de idolatria, feitiçaria, injustiça social e opressão dos mais fracos, para beneficiar poucas pessoas a bastadas. Como igreja, clamamos por misericórdia e graça para resistirmos segurando e mantendo a verdade em todo tempo. Pedimos a cobertura do Sangue de Jesus e os efeitos da redenção sobre a nossa nação, certos de que a verdade sempre prevalecerá. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Um Menino, Um Filho

Meditação do dia 29/12/2016

Is 9.6 “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.                        

Um Menino, Um Filho – Acompanhar o cumprimento das profecias é muito gostoso e ver as riquezas de detalhes que o Pai fez questão de fazer cumprir nos mínimos pormenores, para nos dar toda a segurança de que verdadeiramente o Messias viria e teria todas as credencias para cumprir sua missão. Gosto de pensar nesse menino, nascendo entre nós humanos, pelos mesmos caminhos em que todos os humanos nascem e assim se tornam cidadãos com direitos e responsabilidades. Tento imaginar os riscos de uma concepção numa época como aquela que consideramos de precárias condições sanitárias e de alto número de mortalidade infantil; Ou seja, Jesus correu os mesmos riscos que todos os mortais correm ao virem a um mundo que não é bem um paraíso, mas esse era exatamente o mundo que Deus amou de tal maneira, que deu o seu filho único … Jesus não caiu de paraquedas aqui na terra e se descobriu com superpoderes e assim captou a visão de se tornar um salvador. Jesus veio a este mundo consciente de sua identidade e destino e se preparou para ser o legítimo representante de todos os homens que viviam alienados da graça divina. Um filho foi nos dado, ele já veio com autoridade e governo sobre seus ombros; durante todo o seu ministério terrestre, narrado nos Evangelhos, é nítido a consciência dele sobre seu papel e sua autoridade para cumprir cabalmente a sua missão. Mesmo, lá de Belém, crescido em Nazaré, vivendo entre pessoas humildes, cercado de pessoas necessitadas, carentes, doentes, atormentadas e ao mesmo tempo vigiado pelo poder reinante, invejado por falsos líderes e suas religiões opressoras, odiado pelos poderosos e até ter se tornado inimigo do império, Cristo sempre agiu pública e particularmente como alguém que dialogava com autoridade indiscutível e em nenhuma vez foi suplantado por alguém na demanda. Os testemunhos a seu respeito é que falava e ensinava com autoridade, que até as forças da natureza e as forças malignas se submetiam a ele. Seus discípulos, que foram criados num universo farisaico de fé hipócrita e cheias de regras, fervorosos defensores dos costumes e tradições, em muito pouco tempo, tiveram a plena certeza que Jesus era de fato e de direito, o Messias profetizado nas Sagradas Escrituras proféticas e que ele realmente era Deus, o Deus encarnado que habitou entre nós. O que dizer sobre seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da paz. A quem caberia tais títulos? Sobre quem poderia repousar tal autoridade e poder? Esse é o nome sobre todos os nomes! Esse nome tem poder! Esse nome me pertence! Glória e honra a esse nome! Amém.

Senhor, santificado seja o teu santo nome, que merece toda a nossa adoração e nossa veneração, porque só tu és Deus em cima nos céus, em baixo na terra e em qualquer outra dimensão e lugar, para sempre, tu és rei. Obrigado por ter deixado a tua glória e se tornado um de nós, para que hoje, possamos ser um com o Senhor! Obrigado, ainda eu não entenda tudo, mas eu creio e isso me basta! Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Lei no Coração

Meditação do dia 28/12/2016

Is 8.16 “Resguarda o testemunho, sela a lei no coração dos meus discípulos.                        

A Lei no Coração – Uma das facetas interessantes na diferença entre a Antiga Aliança e a Nova, é justamente a questão da Lei de Deus no coração dos homens. Nas primeira, a Lei veio gravada em pedra, que foi quebrada antes mesmo de Moisés despedaçar as tábuas ao pé do Monte Sinal. Na Nova Aliança, Deus resolveu gravar sua palavra e sua vontade no coração dos seus filhos. Agora não é apenas conhecimento intelectual, na base da memória e do saber humano, em estudar, memorizar e armazenar conhecimento, de verdades que nem chegam a estimular o coração. Jesus se tornou fiador de uma superior aliança, onde individualmente cada pessoa tem a sua própria experiência no seu íntimo. O discipulado ficou mais aproximado no conhecimento e nas experiência que podem ser vistas, mas ao mesmo tempo podem ser compartilhada pelo mesmo Espírito que habita em todos. Pessoalmente, podemos desenvolver um relacionamento com Deus e ir galgando degraus mais e mais altos, mas sempre conectados aos outros discípulos, pois a caminhada cristã não pode nunca ser um caminhar solitário. A vida em comunidade é exigência da comunhão. Sigo em direção a Deus, ao mesmo tempo que sigo em companhia com irmãos na fé, onde influenciamos e somos influenciados, damos e recebemos e os atritos do caminho são instrumentos de moldar e modelar nossas vidas para sermos mais úteis e mais parecidos com o Pai. É isso para hoje!

Graças te rendemos, Senhor, por colocar em nossos corações os princípios da tua vontade, que é boa, agradável e perfeita para cada de todos nós. Reconhecemos a necessidade de recebermos ajuda do Espírito Santo para nos capacitar a te conhecer mais e assim seguirmos lada a lado com outros que também seguem na mesma direção. Obrigado pela comunhão na alegria e também nos momentos difíceis e assim aprendemos e crescemos juntos. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Sinal de Deus

Meditação do dia 27/12/2016

Is 7.14 “Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel.

O Sinal de Deus – Estamos diante de um dos maiores mistérios da revelação de Deus, na nossa fé – o mistério da encarnação de Jesus Cristo. À medida que os tempos foram se passando, os sinais e as evidencias da chegada do Messias, ficavam a cada vez mais claras e precisas, desde a primeira promessa em Gn 3.15. Há tantas implicações que envolve esse cumprimento profético, que livros e mais, teses e estudos das mais diversas áreas e certamente não cobriram tudo ainda e somente a eternidade, nos dará pleno saber dessa questão. Sendo assim, não vamos nos aventurar aqui por estudos profundos teológicos e nem científicos, mas como é nosso propósito original, ficar com a parte gostosa, que é a meditação devocional da Palavra de Deus. Tem paradigmas aos mentes para serem quebrados e reestabelecidas novas marcas, nessa ação de Deus. As implicações sociais, culturais, em termos de família, padrão de comportamento sexual, espiritualidade e todas questões profundamente enraizadas na vida judaica em função da esperança messiânica alimentada por eles. Mas também tem os meios que Deus utiliza para alcançar seus objetivos sem comprometer sua perfeição e ao mesmo tempo o seu legítimo de direito de mudar as regras naturais estabelecidas. Não é todo dia que se vê uma virgem conceber e dar a luz… as implicações disso eram difíceis de serem tratadas na sociedade da época, que até mesmo pelas leis de Deus tinham normas de conduta, que caso fossem violadas, poderia chegar até a pena capital para os envolvidos. Mas havia algo esperado que o Senhor queria que o povo percebesse sua mão agindo, tal é que essa concepção virginal, seria vista como um sinal milagroso, confirmando algo que só Deus poderia fazer; a sociedade humana da época ainda estavam longe de pensar em reprodução humana assistida ou em laboratório e então a única forma conhecida e possível de concepção seria pelas vias normais, mas Deus levou Isaías a profetizar algo novo, e não duvido muito que pessoas de boa fé, se arrepiaram e até mesmo questionaram a confiabilidade da mensagem do profeta. Embora para alguns inovadores, milagre é milagre e quanto mais sensacional, melhor! Para muitos, as regras foram feitas para serem seguidas e Deus tem coisas mais sérias e importantes para fazer, do que ficar criando novidades estranhas. Mas a grande notícia é que Deus estava acrescentando algo novo provavelmente para a compreensão daquelas pessoas, que era o fato do filho dessa virgem, ser Deus – Emanuel – Deus conosco! Na cabeça de um hebreu piedoso, a sua teologia concebia um Deus único, Jeová; o conceito de Trindade não estava claro e ainda hoje não é bem digerido por essa comunidade. O conceito pagão de deuses se materializarem e aparecerem aos homens, para ajudar ou para dificultar-lhes a vida, era crido e aceito naturalmente; mas os hebreus acreditavam na visitação divina, normalmente através de representantes, como seres angelicais que vinham em missões de ajuda ou de enviados para castigo e punição, que poderia ser por demônios ou espíritos etc. Agora, o próprio Jeová, se fazendo carne e habitando entre os homens, para ser visto e tocado… era outra história. Para nós hoje, 2016 anos depois, que já nascemos sabendo e sendo ensinados, ilustrando isso todos os anos no natal, com festas, celebrações e representando a história com teatro, danças, presépios, comidas, presentes e etc e bem mais plausível, que para um ancião hebreu ensinado na exatidão da Lei de Moisés e com o peso da tradição rabínica. Mas a moral da história é que Deus tinha razão, falou o que falou e cumpriu como prometido e profetizado. Deus continua tendo razão e as demais promessas a seu tempo hão de cumprir-se também. O mistério de Deus faz parte do Deus de mistério, entendeu?

Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado, por todos os seus grandes feitos! Podemos saber muito, mas só o Senhor conhece tudo e por isso tem planos e propósitos perfeitos para todos nós. Graças, Senhor, pela obra da encarnação de Cristo, para a redenção ficasse disponível a todos nós. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Que os Meus Olhos Vêm?

Meditação do dia 26/12/2016

Is 6.3 “E clamavam uns para os ouros, dizendo: Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.                        

O que os meus olhos vêm? – Este é um daqueles textos bíblicos por demais conhecidos nos meios cristãos e provavelmente todo pregador ou aprendiz de pregador já utilizou esse texto como base para preleção. Os apelos missionários e vocacionais então são os que mais se agarram à vocação de Isaías, para levantar novos trabalhadores para a grande seara. Quem pretende falar sobre santidade, tanto a divina, quanto a humana, tem aqui um arsenal à sua disposição; quem deseja falar sobre o mudo angelical, ou das hierarquias organizacionais celestes, também faz uso de Isaías 6; enfim, são escrituras muito reveladora. No devocional de hoje, vou ficar com uma parte mais simples, mas que demanda fé, o grande ingrediente da vida com Deus. Toda a nossa vida espiritual e todo o nosso relacionamento com Deus se baseia e se firma na fé em Deus, em sua palavra, em suas promessas, em seu caráter; na exatidão de suas verdades, na imutabilidade de seus conselhos, na eternidade de sua pessoa…tudo é pela fé e sem fé é impossível agradar a Deus, conforme o escritor aos Hebreus, e nós queremos muito agradar ao Senhor! Muito bem, ao descrever a visão que se lhe acontecia diante de si, no interior do templo, o profeta viu e disse em palavras simples que os seres celestiais declaravam em contínua adoração a santidade de Deus e ele viu ou se viu envolto em glória que enchia toda a terra. Não estamos falando de uma névoa, uma neblina ou uma fumaça ou coisas assim… era a presença sensível da glória de Deus, de tal forma densa, que o jovem e iniciante profeta, percebeu e experimentou. Imaginem, toda a terra estar cheia da glória divina!? Posso dizer que Deus não fica glorioso, Ele É Glorioso por natureza. Nós humanos é que temos mais dificuldade de lidar com isso, porque ao mesmo tempo que somos um espírito, vivemos num corpo físico material, que limita bastante todo o potencial das dimensões do espírito e da alma, que não são limitados pela matéria, tempo, espaço etc. Mesmo buscando e experimentando uma dose forte de experiência espiritual, a parte física não permanece com a carga total por muito tempo e o brilho vai se esvaindo e a glória vai se arrefecendo até ficar só a lembrança daquilo que foi tão intenso e sobrenatural. Estou falando por experiência própria, pelo inexplicáveis momentos e situações da manifestação da glória de Deus que afetou-me muito e sei bem o que é um entusiasmo fervoroso e o que é uma presença viva e real de algo que não se explica com palavras, apenas se vive e desfruta. Contudo, utilizando a experiência paulina nesses assuntos, pois aos Coríntios ele afirma que coisas espirituais só se compara com coisas espirituais: “As quais também falamos, não com palavras que a sabedoria humana ensina, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.” (I Co 2.13). Damos muito mais atenção as coisas materiais, políticas, comportamentais e tragédias, do que as verdades da fé e o espírito, por isso também estamos muito mais conscientes dessas realidades, do que das outras. Usamos a nossa fé, para medir e avaliar muita coisa, até mesmo no plano físico, material e do mundo dos negócios. Exemplo: Um irmão, abençoado, quer estabelecer um novo negócio ou ramo de negócio e então ele ora a Deus sobre isso, observa um certo lugar, região, cidade ou mesmo um ponto e consegue ver ali, o que ninguém tá vendo; ele investe e dá certo, prospera. Uma igreja quer estabelecer um novo ponto de pregação ou congregação ou até plantar uma nova igreja, eles seguem os mesmos passos, oram, andam por ali e o coração sente paz aqui e não ali, e quando agem, a bênção de Deus vem, como era esperado. Se você se perguntar hoje: Qual a realidade do Brasil nesse final de ano? A qualquer um a quem for feito essa pergunta, tem um repertório de desgraças, maledicência, alguém a quem culpar e alguma coisa pouca e pequena de afirmações positivas para dizer. Mas isso é a verdade verdadeira? Você conseguiu ver Deus agindo o ano todo para abençoar, proteger e guardar e abrir portas sobrenaturais por todo lado? No balanço geral o saldo é positivo! Deus continuou tão fiel quanto foi nos anos de abundancia e fartura e política favorável. A minha pergunta final é: Com quais olhos, você está olhando a realidade ao seu redor? Deus ainda está no controle ou salve-se quem puder?

Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos! Digno de toda honra, glória e louvor! Por mais que experimentemos, a glória do Senhor continua sendo maravilhosa e envolve a fé e o coração daqueles que confiam em ti e podem ver pela fé e tocar o que os demais nem imaginam. Graças, pai, porque a tua verdade é a verdade que nos alimenta, preserva e abençoa. Abra os nossos olhos para vermos além do físico e material e assim podermos contemplar com os olhos da fé, como o fez Noé, Abraão, Jacó, Moisés, Elias, Davi, Jesus, Paulo e todos os teus santos no decorrer da história. Obrigado pelas provisões e pelas verdades do coração, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Falta de Entendimento é Destruidor

Meditação do dia 25/12/2016

Is 5.13 “Portanto o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento                        

Falta de entendimento é destruidor – O profeta Isaías é chamado de “Profeta Messiânico” pelo conteúdo da maioria das suas profecias e seu ministério. Como tal, o trabalho do Messias é inteiramente focado na redenção e isso pode ser visto em toda a Bíblia e figuradamente no Velho Testamento isso é mostrado como se fosse algo exclusivo ou mais ligado à nação israelita. Com o passar dos anos e o desenrolar dos fatos históricos, vai se descortinando cada vez mais que o propósito do Altíssimo tem à ver com a humanidade como um todo e que os hebreus deveriam ser os embaixadores dessas boas notícias e disseminar o evangelho da graça de Deus. Eles foram bairristas e enrolaram as promessas de Deus na bandeira nacional e evitaram que a bênção chegassem a todas as famílias da terra, como ficou acordado entre o Senhor Deus e seu amigo, o patriarca Abraão. Isaías aqui usa uma ilustração agrícola, contando uma história de uma vinha que Deus plantou, mas que deram frutos diferentes do esperado. Na verdade, uma minuta da história da criação e em como a sociedade humana veio a se tornar por causa do pecado. Entendendo as revelações que o apóstolo São Paulo teve de Cristo e da mensagem da salvação, ao escrever aos romanos, ele fala da igreja assumindo a história em substituição à nação hebraica, a árvore original, na qual a igreja, composta em sua maioria agora, de gentios fora enxertada para produzir frutos de qualidade, à partir da raiz e do tronco da árvore original. Hoje, temos que olhar com os olhos da fé e firmar nossa fé nas promessas de Deus, senão entramos em desespero e cairemos no erro que muitos já caíram, achando que não existe mais igreja, povo de Deus, nem esperança… Sempre existirá um remanescente fiel e puro, ainda que no subterrâneo, as escondidas, como nos tempos de Elias, quando ele mesmo concluiu que era ele “o último dos moicanos” e Deus disse que não, pois havia pelo menos sete mil que permaneciam firmes sem se contaminar com toda a idolatria estatal israelita. Nenhuma das promessas de Deus podem ser impedidas de se cumprirem, como ele mesmo deixou registrado no Livro de Jó: “Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido” (Jó 42.2). O conhecimento é uma ferramenta  muito útil, alguns até a julgam como uma arma poderosíssima, dizendo que quem tem conhecimento tem poder, isso não tem validade bíblica, mas tem peso real e aval de Deus para a vida e a história dos seu povo. Direito não sabido, não conhecido é direito não reivindicado, que se torna instrumento de manipulação pelo mal e mal intencionados. O próprio Senhor Jesus arrogou para si uma das mais fortes premissas sobre isso: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8.32). O poder libertador está na verdade, mas na verdade conhecida e apropriada. Nas palavras paulinas, “a letra mata,” mas com certeza a ignorância aleija e incapacita para sempre! O povo de Deus é destruído, ou levado cativo, não porque Deus não possa proteger ou livrar, não porque não haja poder ou recursos disponíveis, mas por falta de conhecimento, a ignorância da verdade, dos perigos alertados por Deus através da Palavra, do Espírito Santo, do aprendizado com a história e os erros já anteriormente cometidos e que não deveriam se repetir… A falta de conhecimento põe muito à perder.

Obrigado, Senhor, pela fidelidade das tuas promessas, que estão firmadas no teu caráter e na tua palavra, e não na nossa capacidade de fazer ou realizar as coisas e à tua vontade. Permita que a sabedoria do teu Santo Espírito nos conduza a uma vida de melhor qualidade na obediência e em sermos vencedores, pela fé e pela graça. Hoje, quando celebramos o natal, celebramos o milagre da esperança vinda a este mundo na figura de seu filho Jesus Cristo, nosso Senhor. Que a Redenção trazida por ele, seja colocada acessível a todos os homens pelo trabalho da igreja, no poder do Espírito Santo. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Empoderamento Feminino?

Meditação do dia 2

Meditação do dia 24/12/2016

Is 4.1 “E sete mulheres naquele dia lançarão mão de um homem, dizendo: Nós comeremos do nosso pão, e nos vestiremos do que é nosso; tão-somente queremos ser chamadas pelo teu nome; tira o nosso opróbrio.           

Empoderamento feminino? – Quando criança, sem nenhum conhecimento bíblico, vi muitas vezes pessoas mais velhas, geralmente homens falarem, “que no fim dos tempos haveria sete mulheres para cada homem…” claro, uns se divertiam, outros esconjuravam, mas depois descobri que existe essa citação na Bíblia e provavelmente seja dela a torção para uma versão popular do que se tornou um provérbio ou adágio. Sou casado e temos duas filhas, já adultas e com três mulheres em casa não é nada fácil, imagina com sete? Haja coração! Na atualidade, uma palavra e uma filosofia que vem se popularizando e ganhando força é o “empoderamento feminino;” que não vou nem discutir, nem entrar em méritos quer do significado, quer da ideologia; mas estou me valendo da expressão até de forma divertida, para pensar em uma verdade bíblica séria, real e profética. Esse capítulo quatro de Isaías com apenas seis versículos, trata de assuntos tão atuais e alguns ainda futuristas, que só mesmo alguém muito criativo de mente e coração para desenvolver um enredo de um filme cinematográfico do gênero futurista de final feliz com alta tecnologia e de um mundo pacífico e bem sucedido com justiça social, ambiental, com total equilíbrio e bom senso, mas claro, o governo teria que ser Cristocentrico. Os três primeiros versos mostram um mundo em estado de perplexidade e de caos social, onde a melhor solução, não é nada do que sugere as ideologias atuais humanistas, mas a velha fórmula das veredas antigas de Deus, que o núcleo familiar forte e seguro. Não existe estrutura mais próximo da indestrutibilidade do que uma célula e nem mais maleável e com condições de adaptabilidade; e todos sabemos que a família sem foi e sempre será a Célula Mater da sociedade. Como disse Salomão: “Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor diante dele. O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e Deus pede conta do que passou.” (Ec 3.14,15). Quando tudo desmorona, o caminho dos homens é voltar ao que já foi bom, estável e que funcionava… isso se chama família! Veja bem, isto está escrito, a mais de mil anos antes de Cristo e liberação feminina, direitos iguais e agora empoderamento feminino, são coisas do fim do século XX e início do XXI. Então Deus nunca teve problema com as mulheres trabalharem, terem independência financeira, dividir tarefas, liderarem e outras coisas mais, mas sempre dentro de princípios que resguardem e protejam a família, a estrutura humana de cada um, para maior produtividade e menor desgaste. Em tempos de guerras e com um contingente masculino maior e mais exposto, é natural que haja um desequilíbrio na proporção de homens e mulheres nessas sociedades, sendo que naturalmente já é maior o grupo feminino que o masculino. Nos três últimos versos do capítulo, aparece um mundo totalmente futurista em relação ao nosso presente e com um repeteco do sistema já adotado por Deus para proteger e preservar os israelitas quando da saída do Egito e da peregrinação no deserto, o uso da nuvem de dia e da coluna de fumaça e glória de noite, protegendo até dos efeitos atmosféricos nocivos à sobrevivência humana até a plena restauração de todas as coisas, como esboçado no plano de redenção. Estude isso, é interessante e edificante.

Obrigado Senhor Deus dos céus e da terra, porque em tempos de crises e catástrofes iminentes num mundo cada vez mais armado e hostil à paz e a boa convivência, a nossa confiança em ti é tudo de que precisamos e o suficiente para acalmar nossos corações, porque o Senhor é poderoso para guardar o nosso tesouro até o dia final. O Senhor continuará sendo o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na hora da angústia. Obrigado pelas tuas promessas que a seu tempo se hão de cumprir e aqueles que tem a ti serão recompensados com o bem e com a vida em Cristo Jesus, e é no nome dele que oramos e proclamamos, Maranata, ora vem, Senhor Jesus! Amém.

Pr Jason

 

Onde Foi Que Erramos?

Meditação do dia 23/12/2016

Is 3.4 “E será que em lugar de perfume haverá mau cheiro; e por cinto uma corda; e em lugar de encrespadura de cabelos, calvície; e em lugar de veste luxuosa, pano de saco; e queimadura em lugar de formosura.                        

Onde foi que erramos? – A humanidade tem algo de muito constante: A inconstância; como disse um desses filósofos de plantão, que a única permanente nos homens são as mudanças. Parece um eterno sobe e desce na gangorra da vida; quando atingem certos patamares de desenvolvimento, paz e prosperidade, imediatamente vem a decadência moral, a preguiça, o desperdício, a soberba, a violência e segue-se a dominação da força e da brutalidade e tudo começa de novo. Mesmo em se tratando de um povo nascido sob promessa de Deus, crescido sob proteção e cuidados especiais e sobrenaturais com leis boas e justas, juízos retos e preceitos muito equilibrados, com reis, sacerdotes e profetas e homens sábios, dotados de dons especiais e todos com status de “Ministros de Deus;” ainda temos que admitir – ainda eram humanos… e como tal…. Depois de tudo que a igreja viu e aprendeu da história e sofrimento do povo escolhido na Antiga Aliança, e agora, sob uma Nova Aliança, firmados em termos ainda mais claros, gravados no coração e não mais em tábuas de pedra; tendo como fiador o próprio Deus encarnado na pessoa de Jesus Cristo, com a presença real do Espírito Santo como penhor nos corações selados dos que voluntariamente receberam o plano e o propósito de Deus, através da graça no Evangelho… ainda somos imensamente carentes da misericórdia divina e as tendências para corrupção e degeneração estão presentes tal e qual anteriormente. Quanto Deus fala com Israel nas Escrituras, é praticamente literal cada aplicação da interpretação que se tenha a dar; pois a nossa Bíblia foi escrita no oriente, para povos do oriente com cultura, costumes e hábitos de seu lugar e a linguagem dela deve ser levada em conta isso; ainda que profeticamente Deus trata com todos os povos de todos os tempos, especialmente os da aliança, que agora são o Novo Povo de Deus, o Novo Israel, Filhos da promessa com o pai Abraão através de Jesus Cristo. Espiritualmente vivi grande parte da minha experiência cristã, numa igreja histórica, mas que valoriza muito “usos e costumes” como se fossem doutrinas, o que era muito comum nos anos setenta. Textos como esses eram pratos cheios para pregadores e doutrinadores se esbaldarem sobre o “pecado da vaidade” e o quanto Deus abominava beleza, enfeites, jóias, joias, adereços, maquiagens e etc. Como todo texto tirado do contexto, vira pretexto, esse não é diferente. Ao ler e estudar, meditar e pensar com cuidado e achar o “fio da meada,” digo, a linha de pensamento do profeta, falando em nome de Deus; não é difícil perceber que desde o começo do livro, Deus vem falando e tratando de posturas, comportamento, caráter e atitudes erradas das pessoas, da nação, das autoridades governamentais e isso incluía até o sistema de culto e adoração a Deus. Não tem como separar uma coisa da outra; na mordomia divina, não há separação entre sagrado e secular, vida pessoal e vida eclesiástica, vida em família e vida na membresia da comunidade de fé. Um afeta o outro, tanto para o bem quanto para o mal. Uma pessoa com problema de caráter, ela o é em casa, no trabalho, no lazer, na igreja, na carreira e nos círculos todos onde influencia e sobre influencias. Uma família doente, adoece os familiares e a igreja que frequenta, que por sua vez como comunidade adoece sua área de atuação e o círculo vai ficando cada vez maior. Deus não diz através de Isaías que esses pormenores de uso pessoal eram pecados e por isso o juízo iminente. O pecado era íntimo e pessoal, que se tornava cultura e prática coletiva e estilo de vida de todos as pessoas e cidades da nação. A beleza, os adereços e as características belas dadas como bênçãos, agora expressavam apenas o orgulho, a arrogância e a manipulação egoísta de todos contra todos e especialmente contra Deus e sua vontade. Tudo isso sem humildade, amor, piedade, justiça e integridade, não tem significado e não expressa a criatividade e nem os altos valores de Deus e sua multiforme graça. É só casca, só folhas, nada de conteúdo! Temos que pensar e repensar nossas formas de expressão da fé e da graça de Deus, mesmo na apresentação pessoal. O amor é lindo e cheira gostoso, o pecado fede e contamina tudo ao seu redor!

Pai, podemos ver em tudo que criaste o quanto o Senhor tem bom gosto e sabe combinar e ser criativo. Nós somos o mais perfeito exemplo de tudo que criaste em termos de perfeição e capacidades, afinal fomos formados à tua imagem e semelhança, embora vasos de barro, mas contendo um precioso interior que deve reflete a tua graça e o teu amor. Quando permitimos o pecado se aproximar e controlar a situação, tudo se transforma e a beleza, a formosura, a inteligência e todos os dons se tornam armadilhas para fins egoístas e nocivos. Em nome de Jesus, perdoa-nos pelo mau uso de tudo o que é teu e nos foi confiado. Que vivamos cada dia em verdadeira conversão e consagração a ti e aos teus santos propósitos. Purifica nossos corações e mantenha-nos limpos e puros na prática e nas intenções também, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

É Assim Que Deus Diz Que Será

Meditação do dia 22/12/2016

Is 2.4 “E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em enxadões e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear.                        

É assim que Deus diz que será – Em termos de entretenimento e lazer eu gosto de ver filmes e entre os gêneros de minha preferencia estão os futuristas e de ficção, científicos, espaciais e por aí…, mas uma marca muito presente em todos eles é a desolação em que ficará à terra. Em cada nova edição há uma nova razão, seja climática, catástrofe especial, como chuvas de meteoros, ou um só grande o bastante para fazer estragos terríveis; outros abordam as epidemias, umas naturais ou provocadas por pesquisas secretas que escapam do controle; Todos tem um final tétrico para a terra e a humanidade. Quando porém lemos as Escrituras, o cenário é bem diferente e é possível saber os acontecimentos, os sinais dos encaminhamentos e os desfechos. Já sabemos até o verdadeiro futuro da terra e o tempo necessário para restaurá-la do último grande combate entre forças opostas, o anticristo e suas hostes contra Cristo e suas miríades. Eu aposto minhas fichas na versão bíblica! O profeta Isaías trouxe mensagens muito autênticas dos planos divinos para todos e é muito bom saber que diferentemente do que as igrejas e a maioria das agencias missionárias valorizam e dão prioridade, que são indivíduos; porque talvez sejam muito favorável se vangloriar dos “nossos resultados” pois já estamos em “tantos países e vamos entram em mais….” e também, já temos tantos membros, já somos o grupo que mais…..; esse ano crescemos….. – O sistema que encontramos bases mostra que Deus escolheu um homem, fez dele uma família e através dela uma nação, para abençoar todas as nações. Jesus deu um ide para fazer discípulos de todas as nações. Hoje os povos estão seccionados em nações políticas, conforme a conveniência humana e acordos dos mais poderosos, sem levar em conta as etnias, as raças e as tribos que são muito valorizados por Deus e assim tratado nas Escrituras. Aqui, o profeta fala novamente que o Senhor julgará entre as nações, repreenderá a muitos povos, estes povos e nações se converterão ao estilo de vida e de governo de Deus e mudarão seus focos industriais, especialmente na metalurgia, que hoje é maciçamente bélica, pois atende os interesses de ambos os lados de todos os conflitos e até quem não tem conflitos se armam para prevenir ou deixar claro suas intenções caso alguém olhe para seu lado. As superpotências usam equipamentos de última geração e assim que ficam sucateados e ultrapassados, repassam para os seus aliados que por sua vez usam e depois repassam para níveis mais baixos ou são leiloados nos chamados mercados negros ou são mesmos roubados utilizados por grupos extremistas. Quem não se lembra dos famosos mísseis Scud do Iraque na guerra de Sadam Hussein, eram lançados, mas caiam como jacas ou quando iam mais longe não acertavam nada, ou eram facilmente abatidos pelos modernos Patriots americanos. No modelo de Deus essas industrias utilizarão seus potencias em mecanismos de cultivos e utilidade de produção de alimentos. Certamente o mundo precisa mais de comida do que de armas e balas. Com toda certeza, quem viver verá, e quem não estiver vivo, mas que viveu na fé, se levantará na ressurreição e verá o que o governo no modelo de Cristo é capaz de fazer, não só para um povo ou grupo, mas global e além de nossas atuais fronteiras espaciais. Eu vou participar, e você?

Pai celeste, que bom poder te chamar assim, pois um dia estaremos aí, e aprenderemos sobre o verdadeiro significado da palavra “céu e paraíso.” Cremos em Cristo, o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, mas que também é o Leão de Judá, aquele que regerá as nações com vara de ferro e submeterá a sim todos os poderes, principados e potestades sob um governo de amor, justiça e paz. Graças, por podermos antever parte de tudo isso, na comunhão dos santos e no seio da igreja, o teu corpo. Louvados seja e bem-vindo seja o teu reino. Amém.

Pr Jason