A Praga Das Rãs

Meditação do dia: 04/07/2022

“E se recusares deixá-lo ir, eis que ferirei com rãs todos os teus termos.” (Ex 8.2)

A Praga das Rãs – O “deus Nilo” estava sofrendo um ataque atrás do outro da parte do Deus dos hebreus. Se para faraó e os egípcios, as águas do rio Nilo eram sagradas e abençoadoras, eles estavam agora presenciando uma tragédia de proporções inimagináveis. Uma infestação de rãs no rio e nas águas do Egito já seriam suficientes para produzirem uma crise, mas por alguma razão esses animais não podiam ficar nas águas e invadiram a terra e as cidades em números absurdos, se fazendo presentes por toda parte, tornando impossível habitar e viver em boas condições. Os magos do Faraó também conseguiam produzir rãs com artes mágicas, mas a questão que importava, não era criar, mas desaparecer com elas e isso eles não conseguiam. Estamos presenciando a importância da liderança ser sensata e sábia para lidar com situações que contribuem para o bem de toda a comunidade, que também pode ser a família, a igreja, a cidade, estado ou nação. O desafio de superar a Deus e não lhe obedecer, custaria muito caro para o rei do Egito, mas as pessoas comuns também sofreriam com o impacto do confronto. Quando estamos em posição de liderança e autoridade, precisamos medir nossos atos e palavras, porque estamos representando muitas outras vidas e as nossas decisões causaram impactos nelas. Observamos que Deus propusera a só enviar a praga de rãs, se o rei não permitisse a saída dos filhos de Israel. O Egito teve escolha, o Faraó teve escolha e optou por fazer do seu jeito. Sempre haverá oportunidade de decidirmos e em nossas mãos estão as possibilidades de fazer do jeito que abençoa ou da forma que atrai sofrimento e dor. Lembrando que o povo de Deus está presente para abençoar e eles também precisam fazer escolhas de servir a Deus e contribuir para o bem e a paz ao seu redor. Pensemos bem sobre as escolhas que fazemos.

Senhor obrigado por nos chamar para fazermos parte de algo, de um reino, que é bem maior do que nós mesmos e muito mais firme, onde podemos servir e adorar ao Senhor, abençoando as vidas que estão ao nosso redor. Agradecemos a oportunidade de servir onde estamos e nas condições que se nos apresenta da tua parte. Te louvamos com gratidão, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixa Ir O Meu Povo

Meditação do dia: 03/07/2022

“Depois disse o SENHOR a Moisés: Vai a Faraó e dize-lhe: Assim diz o SENHOR: Deixa ir o meu povo, para que me sirva.” (Ex 8.1)

Deixa Ir O Meu Povo – Quando Deus nos dá uma revelação de sua vontade, espera-se que a obedeçamos na íntegra, de forma imediata e com prazer. Ao não seguir uma instrução divina, paralisamos um processo de ensino-aprendizagem que está em curso para nosso aperfeiçoamento. Enquanto não obedecemos não estamos aptos a ouvir ou receber novas instruções e geralmente é isso que acontece. Nos tempos do início do ministério do profeta Samuel algo foi registrado e que tem muito peso espiritual e não incorrer em semelhante erro. “E o jovem Samuel servia ao SENHOR perante Eli; e a palavra do SENHOR era de muita valia naqueles dias; não havia visão manifesta” (1 Sm 3.1). A Palavra de Deus era de muita valia exatamente por que estava escassa e não havia visão manifesta, ou seja, Deus não estava se revelando e as manifestações proféticas eram raras, não porque Deus estava distante ou incomunicável, mas os pecados de Israel e dos sacerdotes estavam bloqueando o caminho do relacionamento entre Deus e o seu povo. Até parece estratégia de mercado: A demanda regula a oferta. Quanto menos produto, mas se eleva os preços. A tendência humana é entender que Deus fica distante e por isso não se manifesta, em vez de reconhecer que os pecados e as escolhas contrárias aos seus propósitos nos afastam dele e suas revelações ficam mais restritas à indivíduos e menos à coletividade. Deus e propôs libertar a Israel do Egito, e Faraó estava no caminho se opondo e se recusando a aprender e ser também abençoado. A justiça e o caráter santo do Deus Criador, em sua generosidade, abençoaria e supriria tudo o que o Egito viesse a necessitar, por abrir mão de um contingente tão grande de pessoas que lhe servia e agora sairia para iniciar sua própria jornada como nação. Ambos os povos seriam abençoados e recompensados. O Egito num passado não tão distante havia sido regiamente abençoado por Deus através de José e depois de Jacó e seus filhos se estabelecendo ali. Podem estar certos, que sempre haverá uma generosa recompensa para quem se propõe a seguir as ordens de Deus. Isso está muito claro na história de Israel desde o início, começando com a promessa feita a Abraão: “E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12.3). Jesus estendeu essa promessa num contexto muito abrangente aos discípulos e à sua igreja: “Quem vos recebe, a mim me recebe; e quem me recebe a mim, recebe aquele que me enviou. Quem recebe um profeta em qualidade de profeta, receberá galardão de profeta; e quem recebe um justo na qualidade de justo, receberá galardão de justo. E qualquer que tiver dado só que seja um copo de água fria a um destes pequenos, em nome de discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão” (Mt 10.40-42). Podemos tomar a atitude do Faraó dos tempos de José ou dos tempos de Moisés! Figuradamente, toda pessoa em alguma circunstancia fica na posição de autoridade e tem poder de decisão; o que fará naquela hora, depende de sua fé, disposição de amar e servir a Deus, através de um coração puro e quebrantado. Mas dureza de coração não é privilégio só de Faraó e de reis poderosos; não deixe o poder subir na cabeça! O poder pertence a Deus! Quanto mais cedo obedecer, melhor será e mais abençoado será.

Senhor, digno és de governar, dirigir, ordenar e conduzir as nossas vidas em todo tempo e situação. Te reconhecemos como Senhor e que é justo te obedecer e caminhar pelos teus caminhos. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Poder Dos Magos do Egito

Meditação do dia: 02/07/2022

“Porém os magos do Egito também fizeram o mesmo com os seus encantamentos; de modo que o coração de Faraó se endureceu, e não os ouviu, como o Senhor tinha dito.” (Ex 7.22)

O Poder Dos Magos Do Egito – É algo que temos como ponto pacífico na vida espiritual é que enfrentamos uma batalha de cunho sobrenatural e de grande oposição das formas do mal. Todo novo convertido sabe ou aprende isso muito cedo na sua jornada de fé. “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais (Ef 6.11,12). A convocação é para estarmos revestidos com a armadura que Deus fornece para estarmos firmes contra as astutas ciladas do diabo. Só nesse verso, precisamos observar com atenção sobre a necessidade de revestimento correto e completo da armadura espiritual, para “com ela” ficarmos firmes contra as “astutas ciladas do diabo…” pensem comigo: cilada já indica algo difícil de se prever ou descobrir, senão não seria cilada. Uma cilada astuta é ainda mais perigosa de ser descoberta à tempo de evitar os danos. Uma astuta cilada armada pelo diabo… vejam que Deus está nos precavendo de situações que merecem atenção e vigilância. Uma excelente estratégia de ação em campo inimigo é se passar por imperceptível, invisível e melhor ainda se for inexistente. A falta de discernimento por parte de cristãos, de que o diabo não está agindo, ele não está nem aí com gente pequena ou o extremo de acreditar ou confessar que ele nem existe… isso facilita mais ainda as coisas para ele. Aqui, no texto de hoje, Moisés e Arão, servos de Deus e cheios de poder e autoridade, fizeram um sinal grande e sobrenatural diante de Faraó e seus servos, pelo poder de Deus. Os magos do rei fizeram o mesmo, ou seja, produziram também de forma sobrenatural o fenômeno de águas se transformarem em sangue. Faraó, agiu como se aquilo fosse apenas uma demonstração de magia, que pessoas pudessem produzir, talvez a surpresa dele fosse pelo fato de Moisés e Arão estarem produzindo esse tipo de coisa; no mais, ele apenas balançaria os ombros e diria: “Viram, não é tão difícil? 1 x 1 (um a um). A questão de feitos sobrenaturais executados por incrédulos, feiticeiros, mágicos, adivinhos & Cia. Intriga muitos cristãos; na verdade operar no mundo espiritual e do sobrenatural não é prerrogativa apenas de Deus e por delegação de poder e autoridade aos seus servos; o diabo é um usurpador de mão cheia e também tem um exército de seguidores, aos quais ele delega poderes para operarem e produzirem confusão e desacreditar Deus e atrair a atenção dos humanos curiosos para fenômenos além do conhecimento natural e assim muitas almas são presas e se perdem e ainda arrastam muitas outras. Mas como em tudo mais, o diabo NÃO É Todo-Poderoso, nem tem os mesmos atributos do caráter e da essência de Deus. Aqui está a graça de servir a Deus, os recursos dos homens e até do diabo falham, findam-se; os recursos de Deus não falham nunca, não esgotam nunca, e seu amor permeia tudo. Glórias sejam dadas a Ele, eternamente, amém.

Senhor, só tu és Deus e isso nos satisfaz sempre e eternamente, amém.

Pr Jason

Problemas de Ecologia no Velho Egito

Meditação do dia: 01/07/2022

“E os peixes, que estavam no rio, morreram, e o rio cheirou mal, e os egípcios não podiam beber a água do rio; e houve sangue por toda a terra do Egito.” (Ex 7.21)

Problemas de Ecologia no Velho Egito “Para não dizer que não falei das flores,” (Para as novas Gerações, é uma canção de Geraldo Vandré, que se tornou um hino de resistência nos tempos da ditadura militar no Brasil). Agora pode ser utilizada como uma frase que significa “mudando de assunto…” à partir dos anos 80 do século XX começamos a ser bombardeados com assuntos abordados sobre ecologia e proteção do planeta; aquilo que parecia ser alarmismos exagerados ou gritos de inconformados, agora se vê que tinham razão e estamos com sérias crises de cunho ecológicos, com problemas climáticos extremos de frio e calor, chuvas e secas, tempestades, vendavais, ciclones, tufões, derretimento de calotas polares, tsunamis e por aí vai… mas tudo isso não são privilégios da modernidade e pós-modernidade; são velhos problemas com roupagens mais contextualizadas e com o incremento das comunicações em tempo real, nos vemos dentro das situações quase que ao vivo. O que isso tem a ver com verdades espirituais e meditação na Palavra de Deus? Tudo, por como seres humanos fomos presenteados por Deus com início de tudo num paraíso e hoje já estamos caçando outros planetas para estragar também, não basta destruir só esse! Quando o apóstolo Paulo escreveu aos romanos, que naquela época eram os “donos” do pedaço, ele incluiu o seguinte: “Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora” (Rm 8.20-22). O pecado humano, corrompeu não apenas os seres humanos e quebrou não apenas a comunhão espiritual com Deus, o criador; também a natureza foi afetada e entrou em processo de corrupção e destruição que vem sendo agravada dia a dia. As grandes descobertas, as invenções, a alta tecnologia e as ciências cada vez mais exatas e profundas em suas análises e diagnósticos, não tem sido suficiente para frear o rolo compressor da degradação ambiental. Assim como temos lixo e resíduos jogados irresponsavelmente em fontes, mananciais, rios e mares, escavações destrutivas em minerações e extrações de produtos que da mina, até o consumo final e descarte são cadeias poluidoras e ninguém assume, assim também está o espaço sideral acima de nossas cabeças, infestado de lixo espacial do que já foi alta tecnologia a serviço do bem e agora não sabem como resolver porque recolher tudo aquilo é por demais dispendioso e quem fez isso? As mentes mais brilhantes e inventivas que temos aqui em baixo! Quem financia tudo isso? Governos e iniciativa privada dos grupos mais bem-sucedidos economicamente dos nossos sistemas! Amados, o homem precisa de um salvador, um redentor e não de benfeitores. Rejeitam a Cristo e o governo de Deus, mas eles não produzem auto salvação. Acabei de demonstrar toscamente que não por falta de cultura e conhecimento que os homens pecam e fazem coisas ruins, pois quanto mais a humanidade evoluiu, mais pecados cometem e mais destruição produzem. Se conhecimento fosse redentor, a turma da ciência seriam todos santos e sabemos que não o é. Se beneficência resolvesse, já estaríamos em boas condições pois o chamado terceiro setor tem feito muitos esforços e como disse Jesus, “a seara continua grande e os ‘searenses’ são poucos. Olha o que descreve o salmista: “Aqueles que confiam na sua fazenda, e se gloriam na multidão das suas riquezas, nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele. (Pois a redenção da sua alma é caríssima, e cessará para sempre), para que viva para sempre, e não veja corrupção” (Sl 49.6-9). Faraó e sua dureza de coração, provocou uma tragédia ecológica sem precedentes em todo o território egípcio com danos severos para todos, pessoas, animais, culturas agrícolas e comprometeu o abastecimento hídrico, sanitário, alimentar em todas as suas cadeias e extensões. Antes de criar o homem, o Criador preparou o ambiente adequado, necessário e suficientes com todos os recursos de uso imediato e de longo prazo, pois até hoje ainda estamos descobrindo fontes de utilização de produtos e minerais para o conforto, bem-estar e satisfação humana. A redenção vai restaurar tudo, tudo mesmo, não é àtoa que lemos no fim de tudo: “E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis” (Ap 21.5).

Pai amado, obrigado por começar bem a nossa história e terminar a narrativa da restauração de tudo aquilo que o homem estragou com sua atitude de rebeldia e independência. A tua promessa de restaurar todas as coisas é firme e verdadeira e começando pela conversão do coração humana, para primeiro se entregar a ti e depois aos teus propósitos, com certeza iremos experimentar a tua boa, agradável e perfeita vontade, porque em Cristo, somos novas criaturas e tudo se faz novo. Agradecemos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Diante Dos Olhos de Todos

Meditação do dia: 30/06/2022

“E Moisés e Arão fizeram assim como o Senhor tinha mandado; e Arão levantou a vara, e feriu as águas que estavam no rio, diante dos olhos de Faraó, e diante dos olhos de seus servos; e todas as águas do rio se tornaram em sangue” (Ex 7.20)


Diante dos Olhos de Todos
– Um dos títulos sugestivos que pensei em utilizar para essa meditação, seria “Dito e Feito!” Porque tal qual o Senhor falou a Moisés e Arão que faria na presença de Faraó, naquela manhã às margens do Nilo, assim ele o fez. Nenhuma novidade para nós que acreditamos na Palavra de Deus. Ele disse, está dito! Isso é um forte alento para todos nós, porque estamos do lado certo, desde o dia em que Jesus entrou em nossas vidas, como Senhor e Salvador pessoal. Saímos da condição de perdidos, desesperançados, para sermos agora mais do que vencedores por Cristo Jesus. Todas as Palavras de Deus são agora nossa fonte de alimento, inspiração, correção, ensino, prazer e estímulo na preparação para coisas maiores que ainda estão à nossa frente. Gosto de pensar na imparcialidade do Senhor, em desejar o melhor para todas as pessoas e todas as nações, mas são as escolhas das pessoas e dos povos, como nação que as levam para situações tão difíceis e também impõem aos outros experimentarem também sofrimentos até mesmo injustificáveis. A plateia que presenciava a transformação das águas do rio em sangue, ficara impressionada com a demonstração de poder e também serviam de testemunhas diante de Faraó, que o Deus dos hebreus tinha poder e estava disposto a confrontar todas as forças espirituais do Egito. De um lado estava os servos de Deus e do outro estavam os adversários, que se iludiam que detinham o poder e a autoridade. O agir do Senhor foi para todos o conhecerem. Também precisamos manter em mente que o conhecimento de Deus para o homem é fruto da revelação divina, é de sua expressa vontade e também é progressivo. Até a Bíblia é assim, ela vai revelando a grandeza de Deus à medida que maiores experiencias são alcançadas. Precisa-se de uma base inicial e depois se constrói sobre ela. Pro isso mesmo, nada na Bíblia é dito de uma vez e nem de uma vez por todas. Quando estudamos as doutrinas e ensinamentos, vamos colecionando fragmentos em diversos livros e autores, que viveram e tiveram experiencias diferentes e em épocas e situações completamente individualizadas. Observemos as experiencias ao nosso redor, sobre como cada um de nós foi alcançado pela salvação em Cristo; isso continua se repetindo aos milhares diariamente. Deus tem um plano para cada um e para todos, sem mesmo repetir o modo de agir. Algo muito sublime é irmos crescendo, mas não perdermos a simplicidade e a admiração, o entusiasmo pelo mover sobrenatural do Senhor. Não se permita acostumar e tornar tudo uma rotina costumeira. Aí, já estaremos andando para trás, regredindo no processo de crescer espiritualmente.

Pai, graças te rendemos por tua bondade para conosco, os teus filhos. Somos gratos por tudo que o Senhor faz e como faz. Queremos presenciar os teus grandes feitos e reverentemente nos alegrarmos na manifestação do teu poder. Agradecemos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

A Vara e a Mão Estendida

Meditação do dia: 29/06/2022

“Disse mais o Senhor a Moisés: Dize a Arão: Toma tua vara, e estende a tua mão sobre as águas do Egito, sobre as suas correntes, sobre os seus rios, e sobre os seus tanques, e sobre todo o ajuntamento das suas águas, para que se tornem em sangue; e haja sangue em toda a terra do Egito, assim nos vasos de madeira como nos de pedra.” (Ex 7.19)

A Vara e a Mão Estendida – Há vários ângulos para se ver feitos como esses que estão descritos no livro de Êxodo sobre os fatos que antecederam a libertação do povo de Deus. Há edificação em todos esses olhares e aprendizado enriquecedor para todo coração desejoso de aprender. Milagres e sinais extraordinários, de grandes proporções como esse que hoje nos serve de base, que alcançou um pais inteiro, com todos os seus rios, nascentes, fontes, açudes, tanques e poços e até as águas já recolhidas e armazenadas em vasos. Isso significa que foi uma tragédia muito grande e que atingiu a todos, indistintamente. Não era água cor de sangue, era sangue mesmo e isso agrava a situação porque ele atinge um estado de putrefação muito rápido. É difícil imaginar a crise provocada por essa praga, ou sinal do juízo do Deus dos hebreus sobre os deuses do Egito. Se olharmos, digamos do ponto de vista político partidário, diríamos que Faraó foi o responsável por tudo, devido a sua teimosia e rebeldia, levou toda a população do país a passar por dificuldades, sem que eles tivessem como se proteger ou se precaverem. Isso é um fato, mas não se pode dizer que a população inteira dos egípcios era inocente, pois eles eram idólatras e supersticiosos por conta própria, com ou sem o patrocínio do rei eles eram adeptos praticantes de práticas que ofendiam a santidade do Deus Criador. Eles apoiavam o rei porque também eram beneficiados pela cidadania egípcia e tiravam proveito dos escravos hebreus e certamente não estavam dispostos a oferecerem a liberdade que eles reivindicavam,  mui provavelmente reclamaram ao rei sobre a idéia de virem a ficar sem a mão de obra escrava. Olhando pelo lado de Moisés e Arão, eles eram interessados na libertação do povo, porque estavam nesta condição de escravos, reconheciam a promessa de Deus e agora estavam investidos de autoridade para enfrentarem o rei no processo de negociação. Talvez, o quanto antes Faraó cedesse, melhor seria para eles; mas também estavam comprometidos com Deus em disciplinar o rei e o Egito pelos seus pecados. Por esse ângulo de visão, é muito importante a mão estendida de Arão com aquela vara, porque Deus havia ordenado que fizessem assim e a posição de liderança de Moisés o levava a transmitir a verdade do Senhor com a voz de comando, mas Arão estava ali como um mensageiro que traduzia essa vontade para torna-la visível a Faraó e aos egípcios, tanto quanto para os israelitas. Por mais simples que fosse a ordem, era importante executá-la tal qual instruído,  porque ainda que eles não vissem no mundo espiritual, todavia eles estavam agindo e interagido nele, sob o comando de Deus. Para os servos de Deus, seguir em obediência, nos mínimos detalhes é importante porque em muitas vezes a graça de Deus e o sobrenatural se manifestaram através de um pequeno detalhe. Com Deus não há nada insignificante, tudo pode ser grande demais como pode ser pequeno demais, mas precisa ser do jeito dele.

Obrigado Senhor por cuidar de nós, nos mínimos detalhes, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Águas Que Se Transformam Em Sangue

Meditação do dia: 28/06/2022

“Assim diz o Senhor: Nisto saberás que eu sou o Senhor: Eis que eu com esta vara, que tenho em minha mão, ferirei as águas que estão no rio, e tornar-se-ão em sangue.” (Ex 7.17)

Águas Que Se Transformam Em Sangue – Nas épocas difíceis que a Igreja de Cristo passou no auge do comunismo, principalmente na União Soviética, (que muitos hoje nem sabem mais o que foi isso); a perseguição foi muito dura e as tentativas do estado de anular a fé e desacreditar a Bíblia foram muito fortes. Relata-se de evento estatal com convidados especiais para mostrar a uma plateia de cristãos e não cristãos que a Bíblia e seus relatos eram uma farsa; um dos convidados explicou que o milagre da transformação de água em vinho, não tinha nada de milagre, na verdade Jesus escondera nas mangas de suas vestes um pó químico especial que habilidosamente jogado na água “a transformava em vinho.” Ele, à frente da plateia sacudiu as mangas de suas vestes e deixou um pozinho cair numa jarra de água cristalina, que imediatamente ficou na cor de vinho tinto; após os aplausos calorosos, alguém da plateia pediu para ele beber do “vinho,” ao que ele se recusou dizendo que aquele pó não era saudável e não podia beber. Então ele recebeu a contra gosto, a verdade: Aquela água que Jesus transformou em vinho, todos da festa beberam e disseram que era o melhor vinho da festa! Para nós, aquele vinho ainda alegra as nossas festas e muitos casamentos até hoje; sem falar que Jesus não sacudiu nada em cima das jarras; ele nem sequer esteve perto delas, pois apenas ordenou aos servidores da festa que enchessem os vasos com água e depois que tirassem e levassem ao mestre-sala; ele sim, foi a primeira pessoa a provar e dizer que era vinho de excelente qualidade. “E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram. E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo, e disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho” (Jo 2.8-10). Deus não precisa se explicar e muito menos dar satisfações a ninguém sobre seus atos, porque todos eles são feitos em juízo e justiça. No Egito antigo, o que Deus propôs a Moisés demonstrar diante de Faraó, foi o inverso do que aconteceu em Caná da Galileia, pois aqui o processo foi transformar águas saudáveis do Rio Nilo em sangue. Um rio inteiro fluindo sangue, produzindo morte e mau cheiro, prejudicando o abastecimento humano e para os animais. O reverso da vida é a morte e era o que estava acontecendo ali diante dos olhos de Faraó. A idolatria e o misticismo egípcio infundira no povo a crença de que o Nilo era um deus e que suas águas produzia a fartura e a riqueza para os egípcios. O desafio de Moisés foi representar diante deles que o Deus dos hebreus era o único Deus verdadeiro e que ele podia mais e o suficiente para desmascarar a mentira de que o Nilo era um deus. O Nilo é obra das mãos criadoras de Deus que fez todas as coisas, é fato que suas águas abençoavam o Egito e todas as terras por onde ele percorria; mas isso era um favor, uma dádiva do Criador. Com dizemos hoje em dia: “Quem pode, pode, quem não pode, se sacode!” O Deus dos hebreus podia e pode, o “deus” do Nilo não podia e ainda não pode. Eis que bem-aventurado é o homem a quem Deus repreende; não desprezes, pois, a correção do Todo-Poderoso. Porque ele faz a chaga, e ele mesmo a liga; ele fere, e as suas mãos curam (Jo 5.17,18). Deus feriu o Rio Nilo e depois o sarou bem diante dos olhos do Faraó. Como disse Jó, é bem-aventurado o homem a quem Deus repreende; mas Faraó, não se emendou e não aprendeu com essa lição e insistiu em resistir e medir forças com o Deus dos hebreus e acabou perdendo bem mais do que sua moral, reputação e orgulho. Isso deve nos servir de lição, em muitas e todas as áreas de nossas vidas. Por que resistir a Deus e teimar em provar que pode mais que ele?

Senhor, agradecemos a oportunidade de aprendermos com o Senhor e com a tua Palavra, sem precisar oferecermos resistência, pois o temor do Senhor é o princípio da sabedoria. Somos gratos pelas correções e repreensões que recebemos de tua parte, porque és justo e santo em tudo que fazes; somos falhos e inexperientes, mas aprendemos pela fé a confiar em ti e no teu caráter santo. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Uma Vara X Um Cajado

Meditação do dia: 27/06/2022

“Assim diz o Senhor: Nisto saberás que eu sou o Senhor: Eis que eu com esta vara, que tenho em minha mão, ferirei as águas que estão no rio, e tornar-se-ão em sangue.” (Ex 7.17)

Uma Vara X Um Cetro – Estamos meditando sobre o embate de poderes para a libertação do povo de Deus da condição de escravidão e levar-lhes à terra de suas promessas e uma condição de vida digna e honrada prometida por Deus. Os poderes das trevas não travariam uma batalha tão grande se não houvesse por detrás de tudo aquilo que aparentemente era pouco valioso, algo que realmente fosse um prêmio de alto preço. Humanamente não sabemos tantas coisas sobre o que acontece por trás das cortinas do mundo espiritual, mas cremos firmemente numa revelação divina forte o suficiente para sustentar tudo isso. Ainda que tais poderes malignos sejam grandes, fortes, organizados e sabem de quão pouco sabemos, eles também sabem do poder da nossa fé e como ela opera por delegação de poderes. Deus, o Criador e o sustentador de todas as coisas, batalha cada uma das nossas pelejas e nos investiu de poder e autoridade suficientes para nos manter à salvos e ainda mais, empurrar as portas do inferno para trás e fazer valer a grandeza de Deus. “Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne.
Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo”
(2 Co 10.3-5). Naquela manhã ali nas margens do Nilo, se encontravam as autoridades dos dois lados da equação: O rei do Egito, com seu séquito, sua pompa, poder e arrogância. Uma ordem sua movia muita coisa. Aquele bastão simbólico que ele usava para impor autoridade e comando, era um símbolo de poder. Do outro lado estava um ex-Príncipe egípcio, ex-pastor de ovelhas em Midiã, agora apenas um homem ao lado de escravos – era isso que Faraó via. Moisés tinha nas mãos uma vara, ou cajado, que sua categoria de pessoas utilizava para auxiliar na lida diária com o rebanho ou na caminhada. Uma vara, desafiando um cetro! Quem leva a melhor? O poder humano, místico, fantasiado, supersticioso, contra o poder de Deus, apenas representado, porque aquela vara em si não tinha poder algum, Moisés com ou sem vara, era apenas um homem diante do poderoso Faraó. Isso é ainda muito mais desafiador do que o era Davi diante de Golias, anos mais tarde. Ainda hoje a nossa luta e a nossa causa permanece sendo um desafio de forças que aparentemente são desproporcionais. Mas não se iludam, Deus não se deixa escarnecer, a manifestação do seu poder é tremendo e podemos confiar de que aquele que está conosco é bem maior do que aquele que está no mundo. Nossas orações são dirigidas àquele que pode todas a coisas e além de adoração, louvor e gratidão, também oramos intercessoriamente para que a graça do Senhor alcance a salvação de vidas que se encontram em condições de prisão e escravidão nas garras do pecado e tudo o que mais tem por detrás desses cenários espirituais. Como dizia o nosso saudoso pastor Enéas Tognini: Muita oração, muito poder, pouca oração, pouco poder, nenhuma oração, nenhum poder. Não é uma vara ou um cetro, mas Deus é a nossa fonte de poder e graça.

Pai amado, damos graças por pertencermos a ti e fazermos parte do exército que peleja pela justiça e pela verdade. Buscamos estar próximos de ti para nos mantermos cheios de graça e sabedoria para servirmos em fé, com muitos frutos para tua glória. Te louvamos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Como Saber

Meditação do dia: 26/06/2022

“Assim diz o Senhor: Nisto saberás que eu sou o Senhor: Eis que eu com esta vara, que tenho em minha mão, ferirei as águas que estão no rio, e tornar-se-ão em sangue.” (Ex 7.17)

Como Saber – No plano físico, Moisés e Arão conversavam com o Faraó, solicitando em nome do Senhor Deus dos hebreus, que liberasse o povo para sair. No plano espiritual, havia mais coisas em vista; pois havia uma batalha de poderes espirituais, para exercer o domínio da situação. Deus, o Criador já é Senhor de tudo e de todos e com sua permissão todas as coisas acontecem aqui na terra, entre os homens e à medida que as coisas vão se sucedendo, os homens manipulados pelas forças espirituais do mal, acham que são independentes e que são eles que fazem as regras dos jogo, deixando de reconhecer a Deus. Também as hostes do mal, os levam a produzirem seus próprios deuses, que assim eles se manipulam reciprocamente, nem que os homens saibam quem de fato está mexendo as cordinhas das marionetes. “Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência” (Ef 2.2). encontramos muitos textos bíblicos que evidenciam isso e é necessário ter maturidade e discernimento do Espírito Santo para compreender coisas espirituais em níveis espirituais. “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” (Ef 6.12). A resistência de Faraó, não apenas uma questão de estado, de administração, de mão de obra barata. Os principados e potestades espirituais que operavam no Egito e no próprio rei, estavam desafiando ao Deus dos hebreus e medindo forças. O mal sabe que jamais vencerá a Deus, mas eles não desistem e na verdade, sabendo da justiça e da misericórdia divina para com os homens, eles tentam manipular as coisas para no mínimo, causar o maior estrago possível nos propósitos de Deus. Uma alma humana tem um valor muito grande para Deus, então se eles puderem desencaminhar e destruir quantas conseguirem, já será considerado uma vantagem. Uma palavra de Deus dada especificamente deve ser suficiente para ser obedecido e respeitado a sua vontade, porque ele é soberano absoluto, justo e bom, não teria porque ser desafiado; mas o Diabo faz as coisas parecerem uma intromissão de Deus na vida dos homens, que são instigados a pensar e agir como se estivessem no controle e alguém quer controla-los. Enganosamente, para evitarem que Deus os controlem, eles caem na mentira e manipulação de Satanás, que os controle por detrás e os encaminham para a destruição. Para nós, já iluminados com a verdade, precisamos obedecer a Palavra de Deus, e assim, chegarmos a exigir que Deus demonstre que de fato tem poder. Devemos aprender pela fé e obediência e não por demonstração de força e poder.

Pai, obrigado por nos conquistar com o teu amor e experimentamos a tua graça e bondade, vivendo pela fé naquilo que a redenção em Cristo nos proporciona. Oramos em fé em nome de Jesus, o nosso redentor forte. Amém

Pr Jason

Servir No Deserto

Meditação do dia: 25/06/2022

“E lhe dirás: O Senhor Deus dos hebreus me tem enviado a ti, dizendo: Deixa ir o meu povo, para que me sirva no deserto; porém eis que até agora não tens ouvido.” (Ex 7.16)

Servir No Deserto – Muitos de nós não temos experiencias vivenciais com desertos no sentido literal. No Brasil, embora haja alguns desertos em determinadas localidades, como no nordeste e me parece no Tocantins (Jalapão), mas estão mais para serem pontos de prazer e recreação, do que desafios a serem conquistados. Mesmo para quem já foi ao exterior e visitou um deserto como turista ou à trabalho, não é a mesma coisa que enfrentar as vicissitudes de um deserto com meio onde se vive, trabalha ou precisa ser atravessado. Figuradamente, o deserto é um período difícil, de provações, privações e extremos constantes como o calor escaldante do dia e o frio congelante da noite; perigos de  feras e armadilhas da natureza, impossibilidade de precisar a localização porque as dunas podem se mover em questões de horas e nem vamos pensar em assaltos por bandidos que ali vivem para saquear desavisados. Estamos certos de que o deserto não é um campo de recreio! No sentido bíblico, quando não é literal, se trata de um tempo de provação e dificuldades com um propósito de aprendizagem. Todos os grandes homens de Deus passaram por essa escola, literal e figuradamente. Até Paulo: “Nem tornei a Jerusalém, a ter com os que já antes de mim eram apóstolos, mas parti para a Arábia, e voltei outra vez a Damasco” (Gl 1.17). Não interessante Deus querer tirar seu povo do Egito para que o servissem no deserto? Entendemos que eles eram muitos, um grande povo, mas não tinham uma estrutura de governo, de exército e administração, pois viviam como escravos no Egito, um estado eficiente, bem organizado e consolidado. Digamos, que as responsabilidades de cada cidadão hebreu eram apenas com sua família e sem grandes preocupações. Mas o propósito para o qual eles existiam era muito maior do isso e do que eles mesmos podiam imaginar. Deus prometera a Abraão, que faria dele uma grande nação e que através dela abençoaria todas as famílias da terra. Convenhamos, uma grande nação e influenciadora para o mundo todo, é um desafio e tanto. Para transformar aquela matéria prima bruta em uma joia das nações, o processo seria duro, longo e exigiria muito esforço e consagração. Só Deus estava certo de tudo o que seria necessário. Nem Moisés, nem Arão e muito menos o povo. Vamos pensar nos planos de Deus para a igreja: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém (Mt 28.19,20). Achamos lindo, desafiador, mas na prática, a maioria da massa de membros de igrejas simplesmente não quer compromisso com “obra de Deus!” Querem bênçãos, isso sim! Até os próprios ministros, pastores e denominações – focam prioritariamente em seus próprios “reinos.” Por isso Deus está sempre levando a igreja para o deserto! Tem que aprender! Precisa aprender! Precisamos ser moldados! Servir a Deus quando tudo está fácil, nas mãos e sem grandes responsabilidades é muito fácil. Mas precisamos crescer e alcançar objetivos maiores e isso produz por si mesmo incômodos, e eles fazem parte do processo de crescimento. Servir mesmo em tempos de provações e dificuldades, dores e perseguições, quando tudo isso passar, já estaremos sob novos desafios. Ser provado, testado e tentado não é ruim, se for visto pelo ponto de vista certo, “Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma” (Tg 1.2-4).

Obrigado, Senhor, pelo desafio de nos libertar do pecado e do mundo, para nos levar ao deserto do aprendizado, da intimidade, onde a escassez de tudo, mas abundancia de graça e misericórdia. Onde a tua presença é sem igual e a tua mão poderosa opera em favor dos que confiam e se deixam ser tratados. Queremos crescer e ser bênçãos e fazer tudo aquilo para o qual acreditamos que fomos criados, chamados e treinados para ser. Oramos em fé e gratidão, no nome de Jesus, amém.

Pr Jason