Rapaz Formoso

Meditação do dia: 06/08/2020

E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de porte, e de semblante.(Gn 39.6)

Rapaz Formoso – A Bíblia é um livro com uma diversificação muito grande de temas e modos como são tratados. Ela tem uma história central, aquela linha ou fio vermelho que une o pecado de Adão até Cristo na redenção. Para os mais poéticos é uma ligação direta de Jardim à Jardim – do Éden ao Getsêmani. Mas com um bom enredo ela conta muitas outras histórias e vai desde o trivial até complexas questões existenciais e participações nos mistérios estelares e cósmicos, que nossas ciências mais avançadas ainda está apenas engatinhando nessa caminhada. Hoje, poderíamos dissertar sobre antropologia, ou mesmo sobre estética e falar da beleza humana, já que o texto chama a atenção para a pessoa de um jovem formoso e de bom porte. Os extremos são sempre perigosos, e há exageros em valorizar tanto o corpo como se ele fosse a essência da pessoa e do outro lado há os radicais que isso acaba sem um entrave para o bom desenvolvimento, porque o exterior não importa, e se deve buscar mesmo é a perfeição espiritual e a busca pelo crescimento interior. Vou tentar fugir dos extremos e permanecer coerente à minha busca pela bom senso e o equilíbrio. Observando a criação toda, ao nosso redor e através de bons estudos de observadores e especialistas, o cristão não tem nenhuma problema em se extasiar com a capacidade do Criador, o Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra, em suas variedades e com a utilidade de tudo o que ele criou e fez. Nada, nada mesmo é sem propósito ou utilidades. Se algo hoje não é aproveitado, ainda não é, mas adentrando em pesquisas e observações nada é inútil. A beleza, ainda que seja um conceito absolutamente sujeito a variações, mas cada um tem seu valor. Comparando culturas e  costumes dos povos, percebe-se que a valorização difere de povo para povo e que é cobiçado e valorizado em um certo grupo, é totalmente inadequado e impróprio para outro. Na antiga Babilônia, dos tempos do cativeiro judaico, no auge daquele império, Daniel e seus amigos chegaram ali como cativos, mas foram selecionados para bolsas de estudo e estágios na administração pública, você já olhou as exigências do edital? Jovens em quem não houvesse defeito algum, de boa aparência, e instruídos em toda a sabedoria, e doutos em ciência, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para assistirem no palácio do rei, e que lhes ensinassem as letras e a língua dos caldeus (Dn 1.4). Eu estaria fora de qualquer jeito! Conheço poucos que se encaixariam em exigências tão estreitas. Isso me faz lembrar um cartunista que em seus quadrinhos e crônicas dizia que “beleza é a inteligência que ficou por fora!” Daniel e os demais não eram apenas rostinhos bonitos, ou rapazes saradões e narcisistas exibidos. Eram bonitos, espirituais, inteligentes, dedicados, competentes e habilidosos em diferentes  áreas do conhecimento. Ester ganhou um concurso de mis, porque ela era linda, mas havia outros atributos que fez dela uma rainha notável. Absalão era lindão, mas ordinário no sentido pejorativo da palavra. Saul, o primeiro rei de Israel era um galã que arrancava suspiros da moçada, mas … Sara era tão linda que colocou Abraão em risco diversas vezes, e mesmo quando já amadurecida em idade ela ainda era show! Rebeca, Raquel e muitos outras pessoas descritas, e em várias ocasiões isso foi determinante para abençoar e servir ao povo de Deus. Paulo que viveu entre os povos de cultura da beleza como os gregos e os romanos, fazem citações de como valorizar o que é essencial sem de forma alguma condenar alguém só por ser bonita ou formosa. “…e exercita-te a ti mesmo em piedade; Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir (1 Tm 4.7,8). Malhação espiritual X Malhação física. Pedro, vai de encontro à mesma linha de pensamento, eles não incentivam trocar um pelo outro, abraçando um e rejeitando o outro, mas um equilíbrio onde valores eternos, sobreponham a efemeridade e superficialidade. Considerando a vossa vida casta, em temor. O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos; Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus (1 Pe 3.2,4). Acolha todos os seus dotes, traços e características, incluindo as físicas, como dons e dádivas de Deus e isso também deve glorifica-lo e cumprir os propósitos para os quais ele te presenteou. Você e eu somos muito especiais, amados e aceitos pelo que somos e não pelo que temos, sem desprezar isso.

Pai, obrigado por nos acolher em amor e verdade sem qualquer distinção ou discriminação. Somos todos filhos, criados para um propósito e como tal, viemos equipados com certos acessórios, que devem glorificar o Criador e servir para cumprir um papel na obra da redenção e ser para o louvor de tua glória. Permita que a sabedoria espiritual e a piedade nos guiem para os verdadeiros valores da vida e da importância do somos sobre o que temos ou fazemos. Nossa gratidão e reconhecimento pelas dádivas e presentes para esta vida. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Tudo Nas Mãos de José

Meditação do dia: 05/08/2020

E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de porte, e de semblante.(Gn 39.6)

Tudo Nas Mãos de José – Um motorista de carretas ao abastecer pediu a frentista para superfaturar a nota fiscal e teve o pedido negado. Aqui não fazemos isso, respondeu o atendente. Ele ficou bravo e pediu para falar com o gerente e teve a mesma negativa e não satisfeito foi até o dono do posto, que gentilmente lhe reafirmou o que ele já ouvira. Foi embora praguejando e muito revoltado, porque em “todo lugar” se fazia aquilo. Alguns anos posteriormente, um cliente após abastecer a sua carreta fez o mesmo pedido e ouviu a mesma resposta de sempre naquele posto. Ele perguntou se eles sempre agiam assim e recebeu a afirmativa; então perguntou se eles o reconheciam e disseram que não; ele então contou a sua história de anos atrás naquele mesmo posto e eles relembraram. Então ele os surpreendeu dizendo: Agora eu sou dono de uma frota, a à partir de agora, toda só abastecerá aqui com vocês. Conheço várias dessas histórias em graus e proporções diferentes, mas sempre com o mesmo enredo. Quando o estilingue se torna vidraça, tudo mudo de sentido. No mundo financeiro dos investimentos se trabalha com duas premissas que move esse mundo, a ganancia e o medo. Nós, como cristãos, temos um compromisso maior com a vida e com os propósitos dela, por isso nossa fé nos disciplina para uma vida comedida e responsável, partindo do princípio da responsabilidade em tudo que fazemos. A vida é mais do que os bens que se possui e também a fidelidade é uma virtude que trafega em mão dupla; ela abençoa quem faz e quem recebe. Ele serve para quem é dono, mas também para quem administra. Nossa base principal é que tudo pertence a Deus e somos mordomos e devemos ser responsáveis e estamos certos de que prestaremos contas. Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal (2 Co 5.10). Fomos ensinados por Jesus sobre o direito de promoção a postos maiores com base na meritocracia, tem que fazer por onde alcançar o favor. Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito. Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras? E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso? (Lc 16.10-12). José começou servindo com pouco, foi agregando valor a si atrás da qualidade e diligencia no servir e foi ampliando seu raio de ação e a bênção de Deus acompanhava seu progresso, de modo que a qualidade não declinou e ele não ficou sobrecarregado e nem esgotado de tanto trabalho. Quando uma pessoa trabalha dentro da sua área de vocação e motivação, ela é mais produtiva, feliz e com menor fator de estresse e desgaste. Quem tem pavor segunda-feira, provavelmente precisa rever sua motivação e vocação laboral. O trabalho é um instrumento de realização pessoal e satisfação; se está acontecendo o contrário, então há algo fora do eixo. Nosso modelo de fidelidade é Deus mesmo; Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo (2 Tm 2.13).

Deus de amor e misericórdia, obrigado por um novo dia e uma nova oportunidade de servir e experimentar a bênção de servir a um Senhor grande e generoso. Graças te rendemos pela maneira eficiente de nos manter motivados e realizados através do trabalho de cada dia. Reconhecemos o privilégio de sermos criados com habilidades e talentos que nos distingue e nos permite servir e ao mesmo tempo nos realizarmos como pessoas. Agradecemos também pelas outras pessoas ao nosso redor que enriquecem nossa experiencia pela diversidade e variedade de suas qualidades. Somos teus filhos e voluntariamente servos, por opção de gratidão em resposta ao teu amor demonstrado a nós através de Jesus e seu trabalho redentor. Em nome dele, o rei-servo, o Senhor dos senhores que se deu pelos seus servos. A Ele toda honra, glória e louvor. Amém.

Pr Jason

Na Casa e no Campo

Meditação do dia: 04/08/2020

E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do Senhor foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo.(Gn 39.4)

Na Casa e no Campo – O professor de ensino bíblico foi interrompido na sua fala sobre mordomia cristã, e o interlocutor perguntou-lhe: “Devemos entregar o dízimo sobre o bruto ou o líquido?” A resposta: “Você quer a bênção de Deus sobre o bruto ou sobre o líquido?” o Senhor Deus a quem servimos, é conhecido por seu o Criador de todas as coisas; referido por Abraão como o Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra. O El Shaddai, isto é, o Mais que suficiente; Jiré, o Provedor. Tudo isso e muito mais aponta para um Deus de amor e bondade que não tem problemas com limites, quantidade ou tamanho, Ele pode e tem prazer em fazer muito por seus filhos e adoradores; Deus é bom o tempo todo. Na promessa contida na Aliança estabelecida com Abraão, ele inclui provisões de bênçãos muito grandes. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gn 12.3). Todas as famílias da terra é muita gente! Quando Israel estava às portas para entrar na Terra Prometida, Moisés repetiu-lhe o pacto e ali se reafirmava o favor de Deus sobre eles e sobre nós pela condição da fé e da obediência. E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do Senhor teu Deus: Bendito serás na cidade, e bendito serás no campo. Bendito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e o fruto dos teus animais; e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas. Bendito o teu cesto e a tua amassadeira. Bendito serás ao entrares, e bendito serás ao saíres (Dt 28.2-6). O conjunto que compõe uma vida abençoada é completo; as bênçãos virão sobre ti e te alcançarão – é a bênção que corre atrás do abençoado! O contrário disso é muito cansativo e estressante. Haja campanha e unção com óleo! A pessoa será abençoada na cidade e no campo; os filhos, as propriedades, os animais do plantel; será abençoado os alimentos e o seu carrinho de compras saíra sempre cheio e fartura na mesa; saindo ou ficando, indo ou voltando as marcas do favor e da graça de Deus estará sobre sua vida. Escrevo isso porque tenho visto e convivido com muitas pessoas que vivem com “meia pensão,” isto é, alguns aspecto da vida delas é muito abençoada e frutífera, porém a outra metade é escassez e sofrimentos e elas se arrastam pela vida esperando a volta de Deus ou o dia de ir para o céu, porque as esperanças aqui não são animadoras. Não é isso que encontramos nos ensinos sagrados. Isso me parece uma situação em que o profeta fez uma acusação profética a Israel: Efraim é um bolo que não foi virado (Os 7.8). Nos tempos de fornos de pouca tecnologia, não assavam uniformemente e era necessário virar os lados para ficar todo bem assado. Efraim não foi virado. Não importa se foi por esquecimento, negligencia, rebeldia, excesso de tarefas simultâneas; Não virou, assou só um lado. Ilustra cristãos convertidos ou consagrados só de um lado; só uns aspectos da vida e os outros lados eles fazem do jeito deles mesmos. Alguns por falta de instrução, outros por dureza de coração, falta de fé, ou até serem estimulados a exercitarem a fé apenas em determinada direção. O favor de Deus na vida de José e em suas atividades alcançava tudo e todos; o seu senhor prosperava na sombra do seu servo e isso era é e sempre será muito bom. Por isso que oramos e abençoamos a nossa cidade, nosso estado e país; abençoamos fervorosamente onde trabalhamos e servimos. Se sua fonte de renda for próspera, isso é bom para você; se ela seca, o prejuízo também é seu, da sua igreja, sua família, sua igreja. A chave de Deus é esta: E procurai a paz da cidade, para onde vos fiz transportar em cativeiro, e orai por ela ao Senhor; porque na sua paz vós tereis paz (Jr 29.7).

Te adoramos Senhor Deus, Todo-Poderoso, te reconhecemos como aquele que concede-nos as tuas mais ricas bênçãos de generosidade e abundancia. Conhecer a tua vontade e vive-la é o caminho para a vida próspera e abençoada que todos esperam. Como adoradores, a tua face nos interessa muito, vê-la satisfeita e feliz com nossa devoção e serviço. As bênçãos e favores materiais representam a face externa da vida abundante que há no interior e nos verdadeiros valores cultivados por teus filhos. Agradecemos por todos que nos cercam e favorecem nossas vidas. Abençoamos nossas fontes de renda e riquezas, para na abundancia da produção delas, sejamos contemplados também. Oramos agradecidos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Tudo Abençoado

Meditação do dia: 03/08/2020

E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do Senhor foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo.(Gn 39.4)

Tudo Abençoado – Tudo quanto no passado foi escrito, serve para nosso aprendizado e produção de esperança, porquanto os princípios nos quais Deus firma suas ações são tão imutáveis quanto ele. Não há uma contradição entre o passado remoto dos tempos dos patriarcas ou da velha aliança, com os tempos de Jesus e início da igreja, com os atuais. Quem vive eternamente e é antes de todas as coisas, com perfeição absoluta, não precisa se reciclar e melhorar com o passar dos tempos à medida que vai ganhando prudência e acumulando experiencia. Deus é Deus e pronto! O escritor da Carta aos Hebreus, faz uma afirmação, baseado na coerência e bom senso dizendo, Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior (Hb 7.7). provavelmente essa tese se baseia nos princípios da matemática simples, que aprendemos no início da vida escolar, que na operação de subtração, o maior não pode ser tirado do menor. Estamos então vendo que os fatos na  casa do senhor de José apresentava uma aparência social evidente, mas tinha uma realidade espiritual subjacente. O dono do pedaço era Potifar, bem posicionado socialmente, rico materialmente e cheio de prestígios. José era um servo estrangeiro comprado no mercado de escravos, talvez por ser jovem, saudável e de boa aparência e que agregaria mais valor para o já prestigiado oficial de Faraó. Pessoas ricas tem suas manias de ostentação de seus produtos caros e importados do exterior, à serem exibidos em eventos sociais e Potifar e sua esposa não eram diferentes dos “potifares” atuais; O que se percebe e ele também percebeu, que a diferença entre o antes e depois da chegada de José, era o próprio José. O jovem tinha Deus em sua vida e essa presença era muito real e gerava interferência positiva na vida do jovem, mas também nos seus afazeres e em tudo que ficava sob sua responsabilidade. A conclusão quase obvia a que  chegamos, que o maior que abençoava o menor era José e não Potifar. Saber isso, não é difícil e detectar a causa também não exige tanto discernimento e esperteza. A lição está em estar ciente disso, e se manter humilde e saber que a bênção não pode ser usada como moeda de troca ou para satisfazer caprichos pessoais. José continuou sendo o mesmo; ele não tinha dificuldades com separar sua identidade com sua função. Ele era José, filho de Israel, herdeiro da bênção de Abraão e Deus lhe dera sonhos grandes e tinha seus caminhos pra leva-lo até lá. Ele não era escravo, ele estava escravo. A experiencia de servir ali, naquelas condições servia-lhe muito bem para aprender a lidar com níveis maiores e mais elevados das entranhas da sociedade, seus governantes e as classes sociais de onde poucas oportunidades de ascensão poderiam ser esperados. SE antes sua classe social era a casa do pai, fazendeiro e simples e os irmãos invejosos e medrosos de virem a submeter-se a um dos irmãos e as outras relações sociais eram com outros pequenos criadores e etc. Agora ele liderava uma casa da “hight Society” egípcia e ali sim, era um campo de prova que só os melhores passavam. José poderia ter se tornado um caçador de promoções pessoais e até exigir mais direitos e até participação nos lucros, afinal, era por sua causa que os empreendimentos do seu senhor prosperavam. Ele sabia o que poucos sabem: Eu me promovo ou Deus me promove e os resultados das duas operações são muito diferentes.

Obrigado Senhor, por proporcionar oportunidades de aprendizado em todo tempo e lugar, para quem tem sede de aprender. Graças podemos render ao Senhor por um sistema personalizado de tua didática que leva qualquer um dos teus filhos a aprender e prosperar dia a dia. Oramos para as preciosas lições da humildade e do reconhecimento do nosso lugar e nosso papel onde estamos colocados, para servir a um propósito bem maior do nós mesmos. Agradecemos de coração, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Tudo o Que se Tem

Meditação do dia: 02/08/2020

José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha.(Gn 39.4)

Tudo o Que se Tem – O Rei Salomão escreveu muita coisa, e parte disso está registrado como Bíblia, nos Salmos, Provérbios, Eclesiastes e Cantares ou Cântico dos Cânticos. Especificamente, falando de Eclesiastes, aceita-se como um material produzido como “resumo da ópera,” ou seja, as conclusões finais a que ele chegou depois de todos os experimentos, decisões investimentos e empreendimentos que a vida e os recursos lhe permitiram. Vaidade, é tudo vaidade, afirmou ele. Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade (Ec 1.2). Esse é o segundo versículo do seu livro; o penúltimo confirma a introdução: De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem (Ec 12.13). Jesus é um tanto quanto maior e mais relevante do que Salomão com toda a sua glória e ele afirmou algo que aqui sim, se firma um princípio de vida. E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui (Lc 12.15). Isso contradiz o que as pessoas dizem ao observar alguém com um carrão, uma mansão, avião próprio, casa na praia ou no campo e grana, muita grana, dizem “isso é que é vida!” Se para Jesus isso não é vida, então o que ele diz é que deve povoar o nosso coração e o nosso imaginário. O que Deus considera importante, merece uma corrida, uma busca e um investimento até sacrificial para conseguir. Se já está curioso para saber do que se trata a opinião de Deus, através de Jesus e da sua Palavra, você tem o belo desafio de temas para ler, estudar e meditar daqui para frente. Mas vou te dar uma palhinha, atualmente chamado de “spoiler.” “…eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância (Jo  10.10). também, E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste (17.3). Pensando como filhos de Deus, com mentalidade de mordomo de um Senhor tão poderoso e generoso, temos todas as coisas disponíveis a nós, e se pode possuir muito e se servir de todos os recursos que Deus criou e podem ser acessados. O que não pode acontecer é “das coisas e bens” possuir a pessoa. Podemos e devemos amar as pessoas e fazer uso das coisas, mas não pode haver inversão; usar as pessoas e amar as coisas e os bens. Como mordomos entendemos que tudo pertence a Deus e nós administramos e cuidamos conscientes do v valor, do preço, da utilidade, finalidade e prestação de contas no final jornada. O rei Davi, por exemplo, era muito rico e mesmo assim fez uma declaração notável: Digo ao Senhor: Tu és o meu Senhor; além de ti não tenho outro bem. (Sl 16.2 ARA). No caso de José, que assumiu o controle e a administração de TUDO que seu senhor tinha, estava muito bem definido que tudo era tudo e não incluía tudo, como a esposa; embora ela não tivesse esse mesmo entendimento, mas o problema era dela e não de José, que ficou na sua posição e se manteve firme sobre quem era quem e qual o lugar e autoridade de cada um. Tudo o que se possui está vinculado ao conceito de satisfação espiritual em Deus. Esse tesouro interior produz paz e satisfação com o que se tem e não gera infelicidade, pois a alegria não é ter tudo, mas estar satisfeito e grato em tudo e com tudo. O Deus provedor disponibiliza tudo o que precisamos, o que não significa obrigado de nos dar tudo o que queremos e ambicionamos. Também esse conceito e princípio não pode ser explorado para justificar acomodação e negligencia. A mordomia espiritual nos mantém visionários, diligentes e interessados o tempo todo e quanto mais produtivos (não ativismo), mais honramos a confiança e a expectativa do Senhor de as coisas. Fecho com a conclusão de Paulo, que precisa ser entendida dentro do contexto certo do que ele estava tratando: Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece(Fp 4.11-13).

Senhor, estamos apresentando a nossa gratidão e o nosso louvor a ti, por tudo que és para nós, como nosso maior tesouro e herança. Podemos aprender a servir a ti e ao próximo nos valendo dos meios e recursos que disponibiliza como Senhor e conhecedor da capacidade, operosidade e fidelidade de cada um de todos os teus filhos. Os recursos aparecem conforme a necessidade e a importância dos teus propósitos, para nós e para quem será beneficiado. Obrigado por fazer parte da tua equipe de mordomos e que haja fidelidade em todo tempo em nossas vidas e atitudes. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Sobre Sua Casa

Meditação do dia: 1º/08/2020

José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha.(Gn 39.4)

Sobre a Sua Casa – A casa do homem é o seu castelo! Não só é uma frase bonita e poética, como figuradamente é uma verdade importante. Excetuando-se ditaduras, regimes totalitários ou tempos de exceção, no mundo todo e em todas as culturas, a casa de uma pessoa é respeitada e o seu direito e domínio ali é sagrado. O dono, ou senhor da casa sabe disso, os familiares sabem e os servos ou empregados também conhecem seus limites e é assim que se constrói uma sociedade e relacionamentos saudáveis. A cultura bíblica judaico-cristã defende isso em seus ensinos e a antiga cultura hebraica preserva esses valores e até foram incorporados nas leis dadas a Israel. Um exemplo: Quando emprestares alguma coisa ao teu próximo, não entrarás em sua casa, para lhe tirar o penhor. Fora ficarás; e o homem, a quem emprestaste, te trará fora o penhor (Dt 24.10,11). Mesmo envolvendo todo um acordo comercial e financeiro, o respeito à propriedade do residência da pessoa ficava acima disso. Num de seus ensinamentos que aplicamos para evangelismo, batalha espiritual e ensino sobre famílias, Jesus fez uma citação que tem peso. Ninguém pode roubar os bens do valente, entrando-lhe em sua casa, se primeiro não maniatar o valente; e então roubará a sua casa (Mc 3.27). Tem que ser mais valente do que um valente para entrar na sua casa e pegar alguma coisa. O conceito divino sobre seu trabalho entre os homens é por vezes tratado como “Casa de Deus” e as pessoas que forem chamadas e comissionadas para lidar com esse sagrado, devem ter muita noção de seus direitos e deveres, o que pode e o que não pode. “E disse: Ouvi agora as minhas palavras; se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele. Não é assim com o meu servo Moisés que é fiel em toda a minha casa (Nm 12.6,7). Paulo, o Apóstolo exorta a Timóteo a fazer o certo no ministério, valendo-se desse conceito. Escrevo-te estas coisas, esperando ir ver-te bem depressa; Mas, se tardar, para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade (1 Tm 3.14,15).  Sabendo que o maior compromisso de Deus é com sua própria Palavra e ninguém em hipótese alguma tem “direitos adquiridos” e pode assenhorear-se daquilo sobre sua responsabilidade como se lhe pertencesse. Ligando a vida e o serviço de José, como um dos melhores exemplos de mordomia, o Senhor Jesus advertiu sobre a vigilância e fidelidade dos seus seguidores quanto à sua vinda e o cuidado com o serviço delegado a cada um. Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo? Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim. Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens (Mt 24.45-47). José foi colocado em pouco tempo sobre “toda a casa de Potifar,” devido à sua integridade e fidelidade. Observe esse verso acima que grifei a aplicação feita por  Jesus. Somos mordomos e podemos ser promovidos ou rebaixados, substituídos por outros conservos que atuam bem naquele pouco que lhe é confiado. Lição de hoje: Já pensou porque as coisas em suas mãos ou responsabilidade aumentam, prosperam ou diminuem, acabam ou morrem? Então pense! Já estou com minhas barbas de molho!

Senhor Deus e Pai, o dono de todas as coisas, Senhor de tudo e de todos, obrigado por nos permitir servir em tua casa, que pode ser minha família, meu emprego, meus relacionamentos, meu testemunho e até uma função ministerial de “menor importância” aos olhos humanos. Precisamos ser fiéis no pouco que iniciamos, para ainda sem merecimentos, servimos em outras posições conforme a tua sabedoria entende que podemos ser úteis e bênçãos ali. Hoje, obrigado pelas pessoas que nos servem todos os dias e abençoam as nossas vidas. Que elas sejam prósperas e progridam mais e mais e glorifiquem o teu santo nome. Oramos em nome de Jesus, o servo modelo, que deu sua vida por nós. Amém.

Pr Jason