Poder Nas Mãos

Meditação do dia: 31/08/2019

  Poder havia em minha mão para vos fazer mal, mas o Deus de vosso pai me falou ontem à noite, dizendo: Guarda-te, que não fales com Jacó nem bem nem mal. (Gn 31.26,29)

 Poder Nas Mãos – O poder e os dons são sinônimos de responsabilidade. Quem tem algum poder, tem uma responsabilidade. Quanto maior o poder, maior a responsabilidade. Isso em termos de cristianismo, não deve ser novidade para ninguém. Há relatos soberbos e abundantes sobre o tema nas Escrituras. Podemos começar pensando nas Palavra de Jesus: … E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá (Lc 12.48). Assim, os privilégios trazem os pesos das responsabilidades. Outra palavra interessante é de Paulo aos Romanos: “Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um (Rm 12.3). Aqui está uma brilhante exortação à moderação e evitar se superestimar, primando pela humildade com base na medida da fé. Sabemos o quanto o sistema de valorização ou avaliação pessoal pode ser manipulado ou distorcido; quando nos comparamos com alguém, nosso referencial pode se elevar muito ou mesmos diminuir bastante. Me lembro de uma conferencia que participei com um pregador e escritor americano, muito simpático e amável, que falou sobre valor pessoal. Ele citou que encontrou uma revista num voo doméstico nos States e continua um teste de avaliação de QI. Ele respondeu e pelo gabarito ele era muito inteligente, quase gênio, e ele ficou muito feliz. Dias depois, veio o mesmo teste no jornal que recebia em casa, e ele pediu que sua esposa fizesse o teste, e ela se saiu melhor que ele; claro, pintou um desconforto. À tarde quanto o filho chegou da escola, ele pediu que ele também fizesse o teste e para sua surpresa, o garoto se saiu melhor que os pais. Ele ficou muito frustrado, se sentindo o “burro da família.” Acontece, explicou ele, no avião, não havia com quem me comparar, então era o maioral; quando comparou com a esposa, agora tinha uma outra referencia, ele poderia ter ficado acima ou abaixo e até no mesmo nível que ela; e com a adição de um terceiro, ele despencou no seu próprio ranque. É isso que Paulo está pedindo para sermos moderados e exercitarmos nossa medida de fé. Tiago, faz uso disso no sentido de estarmos numa posição de mestres e ensinadores, pois isso, trás o peso de maior juízo, segundo ele. Meus irmãos, muitos de vós não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo. Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal é perfeito, e poderoso para também refrear todo o corpo” (Tg 3.1,2). Mas de todas essas verdades que me parecem pérolas espalhadas nas Escrituras para recolhermos e nos enriquecermos, considero, uma palavra escrita pelo rei Davi, em Salmos, que fecha o assunto em definitivo; ali, fica claro, que não foi apenas uma palavra recebida de Deus por ele, mas de uma correção de uma tendência errada que parece que insistia em não querer se corrigir e o Senhor foi lhe advertindo: Deus falou uma vez; duas vezes ouvi isto: que o poder pertence a Deus (Sl 62.11). Labão aparece na frente de Jacó, dizendo que tinha poder nas mãos para lhe fazer mal e só não o fez ou faria, porque na noite anterior Deus se revelou a ele em sonhos e disse, que não o fizesse. Ele tinha poder e condições de realizar seus intentos, mas Deus não só falou com ele, mas exerceu seu poder de convencimento e autoridade, o que é muito natural na soberania dele. Isso é para nosso conforto, consolo, confiança de que estando em aliança com o Senhor, pode haver poder humano ou institucional maior e movimentando-se contrariamente a nós, mas ainda terá que passar pelo crivo de Deus até chegar em nós. Hoje, é dia de confiar no Senhor e na força do seu poder.

Pai, obrigado por ser o Todo-Poderoso! O Poderoso de Jacó! Meu Deus e meu Pai! Só e tudo isso, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Fugindo Sem Avisar

Meditação do dia: 30/08/2019

  Então disse Labão a Jacó: Que fizeste, que me lograste e levaste as minhas filhas como cativas pela espada? Por que fugiste ocultamente, e lograste-me, e não me fizeste saber, para que eu te enviasse com alegria, e com cânticos, e com tamboril e com harpa? (Gn 31.26,27)

 Fugindo Sem Avisar – Alguém com um pouco mais de miolos do que o escritor diria que esse título é muito pobre, ou estou chovendo no molhado, pois quem em sã consciência pretende fugir e avisa antes? No meu legítimo direito de viajar nos pensamentos e também com as licenças poéticas para se escrever coisas que nem sempre fazem sentido, aqui, se trata mais de ironia, não do destino, mas de Labão mesmo. O camarada era enganador de mão cheia, especialista no assunto; até quem era artista em disfarce e trapaças em negociações, pelo menos o era nos tempos de juventude lá em Canaã, Jacó caiu nos enredos dele. Foi trapaceado no casamento com a amada, que foi substituída pela cunhada e deu muito trabalho para consertar, ou rearranjar as coisas. Nos direitos trabalhistas, foram inúmeras vezes que ele trocava o acordo firmado. Aconteceu agora que Jacó resolveu ir embora e já partiu imediatamente, sem aviso, sem dar ciência ao sogro e tio. A lição principal que me ocorre aqui, é que se trata de um estilo de vida bem organizado, ou sem pendencias a ser acertadas depois. Normalmente quando alguém resolve mudar, tem que fazer as contas, calcular em quanto tempo, fazer acertos, devolver coisas, pegar coisas que estavam com outras pessoas, pagar contas e compromissos e uma série de afazeres, até definitivamente poder se mover. Jacó, indica-nos aqui, que estava com a vida e as prioridades em absoluta ordem e em dia, de tal maneira que ele ao entrar em acordo com Raquel e Lia, naquela reunião no campo, quando expôs o desejo de seu coração de voltar e a permissão de Deus para tal, dali mesmo já partiu, enfileirando a boiada e desmontando as barracas e tendas, sem perda de tempo; assim como havia chegado sem aviso prévio, partiu também sem comunicado formal. Labão se sentiu enganado e veio cobrar satisfações e com disposição para até forçar alguma coisa, mas foi contido por Deus na noite anterior ao encontro; ele foi advertido por Deus que não era para falar nada e não tentar nada, nem bem e nem mal contra Jacó. Tendo  ele que transformar uma perseguição em uma visita de cortesia, mesmo à contra gosto, apareceu então com essas perguntas, que diríamos, sem pé e nem cabeça: “Porque me enganaste, levando minhas filhas como se fossem prisioneiras de guerra?” “Porque fugiste ocultamente?” “Por que não me avisou, eu queria fazer uma festa com muita alegria, musica etc. e tal?” Normalmente quem costuma enganar e trapacear, não gosta de ser enganado e trapaceado! Jacó fugiu porque sabia que receberia resistência; também porque não queria entrar em litigio e atrito por propriedades legítimas, que Labão e os filhos teriam dificuldades de reconhecer; fugiu mas não raptou ninguém, era suas esposas, legitimamente adquiridas conforme os costumes de pagamento de dotes, que ele trabalhou sete anos por cada uma; e elas reconheciam que o pai recebera e usara os recursos com ele mesmo. Tudo que Jacó levara agora, fora adquirido com trabalho e a bênção de Deus. Hora de partir, é hora de estar em condições de partir e Jacó estava e mordem e com a vida em ordem. Uma coisa muito importante na obediência a Deus e em cumprir suas instruções, é ter condições de fazer imediatamente, diligentemente, porque Deus não se adianta e não se atrasa. Quando ensino sobre mordomia financeira, uma tese que sempre levanto, é que muitas pessoas gostariam de serem usadas por Deus para abençoar pessoas, missionários, missões e projetos muito bons que lhes vem oportunamente; mas a maioria das pessoas da igreja vivem tão enroladas financeiramente, gastando tudo que lhes vem à mão, sem nem mesmo consultar a Deus porque Ele está dando algo à mais… normalmente os cartões de crédito, boletos e carnês já chegaram primeiro. Ficam apenas com o coração desejosos de ajudar, mas… no momento estão sem condições…. e fazem anos que é assim! Má mordomia! Infidelidade no administrar bens e riquezas! Resultado: Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito. Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras? E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso? (Lc 16.10-12).

Pai, o desejo do nosso coração é estar andando em dias e com a nossa vida totalmente em ordem e disponível para ser instrumento nas tuas mãos à qualquer momento que pedires ou exigires algo de nós. Não é o quanto temos ou ganhamos, mas o quanto somos fiéis em confiar e depender de ti que conta. Sempre será o Senhor que suprirá nossas necessidades; sempre será bênçãos da tua generosidade que fará a diferença em nossas vidas e ministérios. Tudo é teu e para ti, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Montanha de Gileade

Meditação do dia: 29/08/2019

  Alcançou, pois, Labão a Jacó, e armara Jacó a sua tenda naquela montanha; armou também Labão com os seus irmãos a sua, na montanha de Gileade. (Gn 31.25)

 Montanha de Gileade – Nomear lugares, acidentes geográficos ou regiões, tem quase sempre a origem em um episódio com alguém importante, ou um acontecido ali origina o nome. Quando lemos a nossa Bíblia, encontramos muitas origens desses nomes, que em grande parte permanece até hoje. Quando meditamos sobre a vida de Abraão, testemunhamos ele nomeando um local – E chamou Abraão o nome daquele lugar: o Senhor proverá; donde se diz até ao dia de hoje: No monte do Senhor se proverá (Gn 22.14). O nosso Jeová-Jirê. Isaque também passou por experiências que o levou a nomear lugares, “Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale, e acharam ali um poço de águas vivas. E os pastores de Gerar porfiaram com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso chamou aquele poço Eseque, porque contenderam com ele. Então cavaram outro poço, e também porfiaram sobre ele; por isso chamou-o Sitna. E partiu dali, e cavou outro poço, e não porfiaram sobre ele; por isso chamou-o Reobote, e disse: Porque agora nos alargou o Senhor, e crescemos nesta terra” (Gn 26.19-22). Jacó começou a sua jornada de experiência fé e isso o levou a nomear também aquele local do seu encontro com Deus – E chamou o nome daquele lugar Betel; o nome porém daquela cidade antes era Luz (Gn 28.19). o que acontece na verdade é o ato de nomear algo, significa que estamos marcando um espaço, um território, no sentido de celebrar algo de importante, que queremos que seja lembrado. São chamados também de “memoriais” e estão relacionados com a vida da pessoa ou comunidade. Pode ser que antes dessa experiência, aquilo tenha um outro nome, ou para outras pessoas ou povos tenha um significado diferente. Aqui, Labão estava em busca de alcançar a Jacó, que se dirigia para sua terra natal, e como suas jornadas eram marcadas pelo compasso do andar do gado e das crianças, acontecia paradas obrigatórias em lugares que ofereciam melhores condições de acampamento, com segurança e recursos para os viajantes. Numa dessas paradas, num território, que hoje ficaria situado na Jordania, ao lado dessa montanha, veio acontecer o encontro do perseguidor e do perseguido. Labão já estava advertido por Deus para não incomodar a Jacó, mas já que ele estava ali, então resolveu transformar o confronto numa visita social de despedida da família. A Montanha de Gileade ficou então com o significado de “Lugar de Testemunha” por ter presenciado esse encontro entre as duas partes. Gileade era também o nome daquelas terras ou região; adiantando o tempo uns quinze a dezessete anos, temos o relato bíblico da venda de José, por seus irmãos – Um relato conhecido no livro bíblico de Gênesis conta que José foi vendido por seus irmãos a uns comerciantes ismaelitas a caminho do Egito. A caravana vinha de Gileade, e os camelos transportavam bálsamo e outros itens para o Egito. (Gn 37:25) Esse breve relato indica que no Oriente Médio antigo o bálsamo de Gileade era muito valorizado por suas propriedades curativas especiais. No entanto, no sexto século A.C. o profeta Jeremias perguntou com tristeza: “Não há nenhum bálsamo em Gileade?” (Jr 8:22) O que levou Jeremias a fazer essa pergunta? Veremos isso em outra oportunidade. Mas Gileade ficou sendo importante na vida de Jacó e sua família, consequentemente para Israel e por que não, para a Redenção que abençoa a você e a mim ainda hoje.

Pai amado, lembramos com gratidão o teu cuidado e a proteção dada aos teus filhos que espiritualmente estão em peregrinação rumo à tuas promessas. Aqui não é o nosso lugar definitivo de descanso, pois tens conquistas maiores e mais importantes para todos nós. o Senhor continua sendo o nosso lugar de descanso e segurança. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O agir de Deus

Meditação do dia: 28/08/2019

  Veio, porém, Deus a Labão, o arameu, em sonhos, de noite, e disse-lhe: Guarda-te, que não fales com Jacó nem bem nem mal. (Gn 31.24)

 O Agir de Deus – Aos meus leitores mais assíduos, meditamos hoje sobre um versículo que gostamos do tema: quando há um agir de Deus em favor dos seus. Em momento algum duvidamos da presença e do poder do Senhor em cuidar de nós e manifestar-se poderosamente. Mas ao pensar nesse acontecimento aqui, posso ver os meus avanços e também o quanto ainda preciso crescer nessa graça de compreender o agir de Deus. De certo modo cultivamos (comigo acontece), uma certa prerrogativa de que o Senhor a quem servimos é quase que exclusivo nosso. Eu diria até uma arrogância evangélica de somente nós conhecemos de fato a Deus e somente nós somos capazes de perceber sua voz. Ainda que teoricamente saibamos e dizemos que não, mas pelo menos achamos que é assim mesmo. Vamos concordar que Labão, nos nossos padrões diríamos, não era uma pessoa piedosa, temente a Deus. Mas também não podemos descartar a influencia que ele tivera ou sua família ainda nos tempos que Abraão morara em Harã, antes de chegar em Canaã. Também agora com a presença de Jacó, por vários anos dentro de sua casa, casado com suas filhas, e ele viu o agir de Deus em lhe abençoar através de Jacó no cuidado dos rebanhos. Ele quando soube que Jacó fugira para voltar para Canaã, agiu com extrema rapidez e o volume de gente que levou atrás de Jacó, denunciava que suas intenções não eram amistosas. Foi num contexto assim, na noite anterior ao dia em que ele alcançaria a caravana de Jacó, que Deus se revelou a ele e falou-se instruindo-o a não provocar e nem prejudica-lo. Me desperta a atenção a repreensão divina para que ele não dirija a palavra em nenhum dos dois sentidos: Bem ou Mal! Não é admirável? Naturalmente, ele não estava inclinado e nem tinha em seu coração uma palavra de bênção e edificação para proferir a Jacó, à suas filhas ou mesmo aos netos. É muito provável que palavras amargas, ácidas e maldizentes ele teria aos montes para derramar e despejar todo o seu coração rancoroso sobre aquele família. Deus mesmo se encarrega de julgar e corrigir os seus filhos e ele tem um modo muito justo e especial de fazer isso; o ser humano, com suas emoções fora de controle, sob o domínio do pecado se torna facilmente um instrumento mais destrutivo do que corretivo e cuidador ao aplicar justiça e disciplina. Quando foi confrontado por Deus, com escolhas sobre a disciplina que viria inevitavelmente sobre ele e a nação pelo seu pecado, ele não teve dúvida de escolher ser corrigido e disciplinado por Deus, porque as suas misericórdias se manifestam poderosamente. Vai, e dize a Davi: Assim diz o Senhor: Três coisas te ofereço; escolhe uma delas, para que ta faça. Foi, pois, Gade a Davi, e fez-lho saber; e disse-lhe: Queres que sete anos de fome te venham à tua terra; ou que por três meses fujas de teus inimigos, e eles te persigam; ou que por três dias haja peste na tua terra? Delibera agora, e vê que resposta hei de dar ao que me enviou. Então disse Davi a Gade: Estou em grande angústia; porém caiamos nas mãos do Senhor, porque muitas são as suas misericórdias; mas nas mãos dos homens não caia eu (2 Sm 24.12-14). Deus é perfeitamente perfeito! Ele faz juízo e justiça em perfeito equilíbrio, de modo que um elemento não pesa mais que o outro. Labão tinha recebido muitas bênçãos de Deus por meio de Jacó, e havia tentado retribuir com trapaças e desonestidades, não se efetivando por intervenção divina em favor de Jacó e primariamente em favor do plano eterno de redenção e da aliança celebrada entre ele e Abraão, Isaque e o próprio Jacó. O que aprendo hoje é que sirvo a um Deus grande e misericordioso que me protege, indo adiante de mim, está sobre sim e cuida da retaguarda. Tem Labão vinda atrás de você? Permaneça fiel à aliança com o seu Deus e confie na provisão e na proteção dele. Labão não tem nenhuma palavra que abençoe a nossa vida e também Deus não permitirá que ele profira nenhuma maldade e nem maldição sobre nós.

Senhor, obrigado pela proteção contínua sobe nossas vidas. Estamos confiados em ti e é no Senhor que iremos descansar sempre. Não há ninguém capaz de cuidar de nós e daquilo que é nosso, além de ti. Nossa jornada continua até onde tens determinado, e assim, seguimos sob os teus olhos e sob o teu cuidado, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Ato de Fuga

Meditação do dia: 27/08/2019

  E Jacó logrou a Labão, o arameu, porque não lhe fez saber que fugia.
E fugiu ele com tudo o que tinha, e levantou-se e passou o rio; e se dirigiu para a montanha de Gileade.
 (Gn 31.20,21)

 Ato de Fuga – Podemos fazer diversas perguntas para chegar a conclusões sobre as reais causas que levam uma pessoa a empreender uma fuga. Quem foge, foge de alguma coisa, por alguma razão ou foge para algum lugar por algum motivo. Não se foge por fugir! Quando Jacó saiu da casa de seus pais, foi uma espécie de fuga, devido ao clima tenso que ficou entre ele e seu irmão, devido ao engano que ele fez com seu pai e com seu irmão, apoiado pela mãe. A razão dessa fuga. podemos dizer que foi para dar um tempo até que os ânimos se acalmassem e Rebeca conseguisse aplacar a fúria de Esaú e assim que sentissem que Jacó tivesse ambiente seguro, poderia então ser repatriado. Mas naquele encontro com Deus, em Betel, ele encontrou sua motivação maior para ir para Harã e ali constituiu uma família e ficar mais tempo do que o previsto, dando tempo para constituir também um patrimônio para sua família. Enquanto ele serviu a seu sogro, ele foi também sendo trabalhado por Deus e assim o seu caráter foi sendo refinado e adequando-se ao perfil de um verdadeiro homem de Deus. Nos últimos anos, ele sentiu a hostilidade dos irmãos de Raquel e Lia e até o próprio Labão estava com o semblante alterado para com ele. Eles estavam desgastados e enciumados por causa da bênção de Deus sobre a vida e as atividades de Jacó. Houve uma transferência de riquezas, que simultaneamente acrescia a Jacó e diminuía de Labão. As constantes trocas de contratos de salário, levou Jacó o desejar ardentemente voltar para casa em Canaã. Quando ele recebeu uma palavra de Deus ordenando-lhe que se levantasse e tomasse o caminho de casa, em acordo com a família ele decidiu que essa seria a melhor hora. Uma vez que na circunstancia Labão estava longe, cuidando de seus rebanhos, e no seu íntimo ele acreditava que não teria a permissão para sair e ir embora, o que seria muito mais trabalhoso e traumático, então fugir foi a escolha adotada. Jacó fugiu das terras do Oriente, em direção a Canaã, ao mesmo tempo que fugia da presença opressora e manipuladora do sogro e tio, que certamente possuía forças suficientes para impedir ou a menos forçar a interrupção da iniciativa de viagem de Jacó e sua família. Espiritualmente existem situações em que o cristão é exortado e recomendado a fugir e certamente as causas e suas consequências justificam empreender uma fuga; são ao menos três situações: 1. Fugir das paixões da mocidadeFoge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor (2 Tm 2.22). 2. Fugir da imoralidade sexual – Fugi da fornicação. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que fornica peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? (1 Co 6.18-20). 3. Fugir da idolatria – Portanto, meus amados, fugi da idolatria (1 Co 10.14). Tal qual Jacó e sua família, somos peregrinos em terra estranha e o senhor que domina e controla essas regiões não é amistoso e muito menos deseja nossa liberdade. A fuga é uma necessidade, e ao fazê-la, levamos tudo aquilo que foi conquistado com a bênção do Senhor.

Pai, graças te dou, por ser um peregrino e um abençoado em terra estranha. Sei que o Senhor planos maiores e melhores para todos os teus filhos. Queremos partir e estar em tua presença e no gozo da herança que tens reservado para nós. obrigado por nos fortalecer e nos direcionar para onde de fato podemos ser bem sucedidos. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Levar Tudo

Meditação do dia: 26/08/2019

 E levou todo o seu gado, e todos os seus bens, que havia adquirido, o gado que possuía, que alcançara em Padã-Arã, para ir a Isaque, seu pai, à terra de Canaã. (Gn 31.18)

 Levar Tudo – Plenitude é uma palavra muito bonita e seu significado diz muito na fé cristã. A idéia é de satisfação, estar saciado, cheio por completo e sem nada faltar. Quando utilizamos pensando em Plenitude do Espírito Santo nos referimos a alguém cheio do Espírito de Deus, com bom uso das virtudes que isso dá ou trás para a vida. Viver plenamente também é muito bom de se pensar, pois alude a satisfação e muita realização em todos os aspectos possíveis. Hoje, estou pensando nas muitas situações expostas pela Bíblia onde as pessoas tomaram decisões importantes de mudanças, sendo que algumas foram realmente mudar de residência, de cidade e até de uma nação para outra. Dentre os nossos patriarcas, eles viviam peregrinando, com características nômades, acompanhando os rebanhos que necessitavam de pastagens e águas e sendo assim, com a variação das estações do ano eles migravam constantemente. Hoje não entendemos isso tão bem na prática porque somos de estivo de vida mais sedentários. Normalmente nos estabelecemos e ali permanecemos por muitos anos. Eu, por exemplo, estou aqui à vinte e oito anos e muitos dos meus colegas pastores já estavam por aqui quando cheguei. Jacó fez sua vida em Padã-Harã, na Mesopotamia, hoje ali onde está o Iraque e proximidades; mas suas raízes eram de Canaã e para onde ele pretendia voltar, pois a aliança estabelecida entre Deus e ele e seus ancestrais lhe dava aquela terra em herança para sempre, sendo que eles não se apossariam dela inicialmente, até que se tornassem uma nação, com condições suficientes para controlar a posse dos territórios e explorá-los com segurança. Quando mudavam, levavam tudo, pois o estilo de vida lhes permitiam ou exigiam isso; por outro lado, para Jacó, se tratava de ir para não mais voltar e mesmo que houvesse fatores que o atraíssem de volta, ele teria que resistir e ficar dentro dos limites da sua herança. Basicamente é o que chamamos de “passar e queimar a ponte.” Não deve haver qualquer chance de retorno. Eliseu quando foi chamado por Deus para exercer o ministério profético em substituição ao profeta Elias, ele simbolicamente fez isso. “Voltou, pois, de o seguir, e tomou a junta de bois, e os matou, e com os aparelhos dos bois cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram; então se levantou e seguiu a Elias, e o servia” (I Rs 19.21). Ele arava terras com uma junta de bois, assim que recebeu o chamado, matou os bois, quebrou os apetrechos dos arados e fez um churrasco de despedida e foi seguir sua vocação. O que fez foi exatamente isso, juntou tudo que tinha, até as pessoas de serviço que quiseram segui-lo também tinha vaga. #partiu Canaã! Deixar coisas para trás, vai sempre atrair a atenção para o que ficou ou distrair em relação ao futuro. Os goianos da roça tem um ditado que afirma: “Dois sentidos não assa milho!”

Grande Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, graças te rendemos por tua bondade em providenciar os meios para os que teus filhos possam focar exclusivamente na tarefa que estão diante deles. Pedimos sabedoria para não sermos distraídos por fontes de preocupações com o que ficou no passado. Nossa jornada é diária e sempre em frente rumo ao ideal que tens planejado. Nos consagramos a ti e nos mantemos focados no Senhor, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Hora de Embarcar

Meditação do dia: 25/08/2019

  Então se levantou Jacó, pondo os seus filhos e as suas mulheres sobre os camelos; (Gn 31.17)

 Hora de embarcar – Viajar é muito bom! Tem até quem não goste, mas eu sou muito fã de viagens. Quando criança, ao ouvir as pessoas falarem de lugares lindos, importantes, eu ficava impressionado e sonhando que um dia eu poderia também viajar e conhecer muitos lugares. Quando estudava e as matérias descreviam lugares com suas atrações e características, aquilo mexia comigo; não à toa em sempre gostei muito de Geografia e História. Os anos se passaram e se encarregaram de me presentear com muitas oportunidades de realizar aqueles sonhos. Mas uma coisa ainda continua muito prazeroso e produz um sentimento gostoso, que a hora de partir para uma nova viagem, ainda que seja para um lugar já visitado antes. Quem é chegado em postar as aventuras nas redes sociais, já tem até uma linguagem própria: “#Partiu…” Jacó estava tendo uma conversa muito séria e produtiva com Raquel e Lia lá no campo, junto aos rebanhos, traçando planos e idealizando chegar a um consenso porque ele estava convicto de estava na hora de retornar para sua casa e seus origens. Acredito que isso produz sentimentos diversos naqueles membros da grande família, pois cada um vive um contexto e tem seus próprios desafios. Jacó tinha boas e más lembranças que ainda o assombrava, pois Esaú estava na outra ponta da estrada e  aquilo parecia um fio, ou cabo imaginário, na verdade, emocional, que mesmo com a distancia de muitos quilômetros de distancia e muitos anos passados, eles ainda permaneciam ligados. Isso tem a ver com um processo de cura interior que todos nós precisamos realizar em nossas vidas. Quando erros e pecados são cometidos, isso mantem as pessoas presas, conectadas umas as outras e isso até limita os movimentos. A cura e a libertação devem ser precedidas pelo arrependimento, confissão sincera e a reparação dos danos causados em ambos os lados. Quando não existe perdão entre pessoas feridas, elas ficam algemadas entre si. Só o perdão e a reconciliação plena são capazes de produzir verdadeira liberdade. Jacó sabia, que mais cedo ou mais tarde ele teria que encontrar face a face com Esaú, que fora ofendido e estava magoado e ferido e disposto a vingar-se, coisa que até fazia parte de um juramento. Veja bem, isso era real e dolorido, mas Deus estava levando Jacó de volta para casa e com promessa de bênção e proteção – mas dentro disso havia um processo de cura, perdão, reconciliação entre eles que era inevitável, isso era algo que Jacó teria que enfrentar. São as obrigações da nossa fé. Não temos escolhas se já escolhemos o Senhorio de Jesus em nossas vidas. O cristão não tem a opção de não perdoar, de não buscar reconciliação, não basta confessar uma teoria, Jesus foi bem claro e específico: “E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me (Lc 9.23). Para Raquel e Lia, aquela viagem era uma libertação de um estilo de vida já conhecida e não produtiva e ainda mais agora que conheciam a aliança de Deus com a qual elas poderiam ambicionar coisas muito maiores; também iriam seguir as pisadas de uma tia que fora para aquelas terras e prosperara muito. Para os filhos de Jacó, a aventura de viajar já era uma alegria em si, mas conhecer tudo aquilo que eles apenas ouvira do pai e terem a oportunidade de experimentar tudo do qual eram herdeiros, já tornava aquela viagem algo tão desejado, que deixar tudo que conheciam para trás parecia ser muito natural, eles também estavam retornando para as origens de seus destinos. Tudo isso, fala de mudanças da vida – de etapas, situações, lugares geográficos, propósitos e muito mais, mas em todas elas, a necessidade de encarar o passado que foi deixado para trás sem conserto e agora fazer o certo, para crescer até as promessas maiores.

Pai, obrigado por dar oportunidade de voltarmos mas sem retroceder. Retornaremos de onde partimos para consertar o que estragamos ou deixamos incompletos. Agora que crescemos e nos multiplicamos, chega também a hora de fazer acertos e reparos, para de fato atingirmos o auge do potencial que puseste em nós. Podemos todas as coisas em Cristo que nos fortalece. Em nome dele oramos, amém.

Pr Jason

Família Unida

Meditação do dia: 24/08/2019

  Porque toda a riqueza, que Deus tirou de nosso pai, é nossa e de nossos filhos; agora, pois, faze tudo o que Deus te mandou. (Gn 31.16)

 Família Unida – A união tem uma força poderosa e ninguém pode negar isso. Uma família então, não importa se ela é pequena ou grande, se tem muitos ou poucos recursos, o importante é o fator unidade; quando se propõem viver isso, as chances de alcançarem seus objetivos se multiplicam exponencialmente. Esse conceito é aplicado por Jesus, quando fala que um reino dividido não prevalece. Jacó iniciou sua família e seus planos originais era se casar com Raquel e formar uma família grande. Esses eram os seus planos, mas eles foram alterados e Lia veio a se tornar sua esposa e foi ela que gerou seus primeiros quatro filhos. Criou-se um clima de rivalidade entre as duas e a disputa pela preferencia e afeto do marido deu lugar a uma corrida desenfreada com algumas hostilidades e chantagens emocionais. Apareceram as concubinas e mesmo assim o clima era tenso; mas a família crescia muito, chegando a onze filhos e uma menina. Quando o coração de Jacó se inclinou para voltar as suas origens em Canaã, recebeu novas propostas de trabalho e ali eu viu a possibilidade de fazer algo em prol de sua família, adquirindo algum patrimônio. Tudo deu certo, quando tudo poderia ter dado errado; Deus interviu e mudou a sua sorte quando o tio e sogro planejava lhe passar a perna e deixa-lo sem nada. Pessoas com intenções dissimuladas, inclinadas ao mal, sempre irão desconfiar de que todos agem contra elas e tramam conspirações para usurpar-lhes os direitos; sendo na verdade exatamente o contrário. Labão prosperara e se tornara rico devido a bênção de Deus sobre a vida de Jacó e seu trabalho dedicado. Mas a versão da história para ele, era que Jacó seria uma ameaça e poderia tramar para ficar com parte da sua riqueza. O rei Davi citou um provérbio que descreve bem essa atitude de Labão e de todas pessoas que tem esse sistema de proceder: Como diz o provérbio dos antigos: Dos ímpios procede a impiedade; porém a minha mão não será contra ti(1 Sm 24.13). Nesse encontro no campo, Jacó pode experimentar que a sua família estava ao seu lado e unida, reconhecendo que não houvera uma atitude ruim da parte de Jacó, mas uma legítima transferência de riqueza, feita por Deus, ficando na verdade dentro da família, pois agora aquilo pertencia a elas e a seus filhos. Elas incentivaram a Jacó a decidir segundo a direção de Deus. As coisas convergiam para aquilo que estava dentro da Aliança de Deus. Mesmo quando nem todos tem a mesma visão, é possível confiar na direção daquele que está na liderança; elas agiram assim e é isso que Deus espera de todos nós.

Senhor, graças damos pela direção que tens para nossas vidas e nossas famílias. Elas tem propósitos elevados a serem alcançados e precisamos estar unidos em ti mas também unidos entre nós, para vencermos juntos. Precisamos conhecer o teu caráter santo e tuas propostas de paz para guiar nossos passos. Teus planos tem começo meio e fim e em todas as etapas, tu andarás conosco, porque tens uma aliança de bênçãos com os teus filhos. A cruz de Cristo nos aproxima e permite sermos os teus filhos e assim sermos guiados pelo teu Espírito Santo. Amém.

Pr Jason

Deus Não Esquece

Meditação do dia: 23/08/2019

  Eu sou o Deus de Betel, onde tens ungido uma coluna, onde me fizeste um voto; levanta-te agora, sai-te desta terra e torna-te à terra da tua parentela. (Gn 31.8,9)

 Deus Não Esquece – Os anjos apareceram em sonhos a Jacó e lhe falaram sobre a forma como Deus estava fazendo justiça a ele pela sua postura correta no seu trabalho e como Labão estava trabalhando para lhe prejudicar. O que os anjos disseram, em parte Jacó já sabia pela prática de pastoreio, pois ele via que os animais reproduziam conforme a troca de contrato salarial sofrida por Jacó. Mas a informação mais importante e preciosa, foi a confirmação de que Deus não o havia deixado só, desde aquele encontro em Betel. No sonho ele foi lembrado daquele encontro e das conversas que tivera em Betel, na primeira noite fora de casa à caminho de Harã. Deus o lembrou da coluna que ele erguera e ungira como coluna e feito o voto de ser fiel e dizimar e tornar aquele lugar em um santuário de adoração quando voltasse em paz e com os cuidados básicos garantidos por Deus. Agora vem a ordem para se levantar e sair daquela terra e tornar à casa dos seus pais. Fazer o caminho de volta sob a ordem e a bênção do Senhor é o sonho de qualquer um de nós. Quem foi enviado, ou ordenado a fazer algo para Deus, chega o dia em que aquela fase termina e então é necessário ter as instruções sobre como proceder à partir de agora. Alguém escrevendo sobre discipulado no modelo de Jesus, diz que quando recebemos uma ordem de serviço, precisamos perguntar como o senhor da tarefa espera ver o resultado final. O argumento é que sem essa diretriz, corre-se o risco de fazer algo e depois ao final, não era aquilo que se esperava e agora não tem mais tempo e nem recursos para corrigir ou refazer. Nesse sentido, por exemplo; quando Jesus voltar, como ele espera que eu e você tenhamos feito a missão de nossa vida? Não podemos nos iludir pelo fato de estarmos ocupados demais fazendo algo que chamamos de obra de Deus, se ele não está comprometido com aquilo, não enviou, não autorizou e por isso mesmo não supriu. Mas quando ele faz a sua comissão ele garante todos os recursos, mas é claro que ele espera por resultados satisfatórios. A próxima etapa do treinamento e do ministério de Jacó, seria em Canaã, para onde deveria se dirigir. Deus não esqueceu de Jacó, não esqueceu de você e nem de mim. É um tipo de pensamento que não pode ser acolhido e nem alimentado. NUNCA!

Senhor, obrigado por nunca se esquecer das alianças e promessas que tens para com os teus servos. Queremos realizar cada etapa da nossa tarefa, no tempo e no lugar que representa perfeitamente a tua vontade. Podemos estar aqui por algum espaço de tempo, para um propósito especial, mas em tudo e em todo tempo, queremos manter nosso elevado nível de comunhão e obediência a ti, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Salpicados ou Listrados?

Meditação do dia: 22/08/2019

  Quando ele dizia assim: Os salpicados serão o teu salário; então todos os rebanhos davam salpicados. E quando ele dizia assim: Os listrados serão o teu salário, então todos os rebanhos davam listrados. Assim Deus tirou o gado de vosso pai, e deu-o a mim. (Gn 31.8,9)

 Salpicados ou Listrados? – Temos o privilégio de sermos filhos de Deus e sermos guiados pelo Espírito Santo. Assim, podemos entender perfeitamente bem as verdades tanto do mundo físico e natural onde vivemos, como também as verdades espirituais, que só podem ser acessadas a nível de espírito. Estou dizendo, que o cristão é ambivalente, se saindo bem nas duas esferas da vida. Sobre isso temos as palavras do Apóstolo São Paulo que orienta os cristãos de Corinto a perceberem essa diferença e esse potencial. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido (1 Co 2.14,15). Um cristão cheio do Espírito Santo, pode ser um homem de ciências muito versado e isso faz com que um lado enriqueça o outro. Mas uma pessoa não nascida de novo, não pode operar no mundo espiritual; para ele as coisas serão sempre naturais e cientificamente comprovadas racionalmente. Melhor para nós! Jacó falando com Raquel e Lia, disse que sabia que havia atuações espirituais de Deus à seu favor no sentido de produzir riquezas, de forma que compensava as manobras engenhosas e enganosas de Labão. Ele afirma que sempre que seu sogro via sua prosperidade, dava um jeito de mudar o acordo salarial; mas ele percebeu que as palavras de Labão é que estavam determinando os resultados nos rebanhos. Quando ele dizia que apenas animais listrados seriam o salário de Jacó, todos os rebanhos passavam a criar apenas crias listradas. Novamente ele invertia o trato dizendo que seria apenas os salpicados e imediatamente todos os rebanhos produziam salpicados. Assim sendo, quer ele honrasse a sua palavra, quer ele a mudasse, Jacó continuaria prosperando. Deus é quem estava transferindo o gado de um para o outro. Por que Deus faria uma coisa dessas? Ara corrigir uma situação de injustiça e também porque ele tinha uma aliança com Jacó e ao andar nessa aliança, ele prosperara muito. Veja uma coisa interessante: Pessoas que não estão na aliança podem ser beneficiados pelos serviços de alguém da aliança. Na promessa feita à Abraão, ficou determinado que as contrapartidas valeriam para ele e seus descendentes, perpetuamente. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra(Gn 12.3). Enquanto Labão foi bênção na vida de Jacó, ele foi grandemente abençoado, ele mesmo testemunhou isso. Quando ele começou a trapacear e trabalhar para prejudicar o servo de Deus, ele começou a “andar para trás.” Se ele fosse bonzinho, generoso e leal com Jacó, ambos teriam prosperados enormemente. Mesmo quando Jacó fosse embora um dia, ele continuaria sendo abençoado, porque foi abençoador para com alguém amado de Deus. Podemos fazer uso desse potencial da bênção de Deus sobre nossas vidas, para prosperar as empresas que trabalham nossos irmãos na fé, os empreendimentos que ele iniciam e qualquer que seja o ramo ou caminho que tomemos, a bênção do Senhor andará conosco, e quem for bênção em nossas vidas serão abençoados continuamente.

Pai, obrigado por manter firme os benefícios da aliança de bênçãos com todos nós ainda nos dias de hoje, porque amamos ao Senhor, primamos por praticar a tua Palavra e somos abençoadores de todos ao nosso redor. Louvado seja aquele que é o legítimos dono e senhor de todas as coisas. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason