Meditação do dia 12/06/2015

Meditação do dia 12/06/2015

Nm 5.6,7 “Dize aos filhos de Israel: Quando homem ou mulher cometer algum dos pecados em que caem os homens, ofendendo ao SENHOR, tal pessoa é culpada. Confessará o pecado que cometer; e, pela culpa, fará plena restituição, e lhe acrescentará a sua quinta parte, e dará tudo àquele contra quem se fez culpado.

Confissão e restituição – Duas atitudes muito sérias e muito importantes na vida cristã. As duas fazem parte de um estilo de vida reconciliada e mantida em ordem constantemente. O pecado é uma realidade e seus efeitos são sempre desastrosos. Na experiência cristã, o pecado é como um acidente; ele acontece, mas não é normal e nem aceitável. Deus conhece e reconhece a nossa limitação e as possibilidades de nos mantermos longe dele. O critério do que é pecado e do que não é, está na Palavra e ela sim, é nossa regra confiável. A Bíblia, como Palavra de Deus valida a experiência pessoal; mas o contrário não é verdade, nossas experiências não servem para validar as Escrituras; portanto não se deve usar as experiências pessoais para interpretar ou afirmar verdades espirituais. Deus disse aos filhos de Israel que seus pecados, ainda que nas questões de relações sociais e pessoais, ofenderia a Ele e tornaria a pessoa culpada. Estamos lidando com o conceito de que a vida íntima e pessoal de cada um, faz parte de um complexo maior e mais abrangente que envolve outras conexões e todas elas estão ligadas ao relacionamento com Deus. Deus não é um ser religioso e não se agrada de rituais vazios que apresentam grandes feitos, mas não valorizam o que mais importa, que o relacionamento entre as pessoas e entre pessoas e Deus. O cristianismo não é uma religião, é um relacionamento! Relacionamentos precisam ser mantidos em bom nível e medidas saudáveis de lubrificação precisam ser mantidas em ordem. Todos os relacionamentos humanos, por si só, produzem atritos e desgastes, então surge a necessidade de meios que sirvam de lubrificantes de relacionamentos. A confissão e a restituição fazem parte destes mecanismos. Reconhecer os erros cometidos propositalmente ou não e apresentar o tratamento que Deus diz que seja o suficiente para eliminar a ofensa e suas consequências. Não basta apenas admitir no íntimo do coração que errou! Isso deve seguir de confissão e arrependimento e a disposição de fazer o tratamento adequado, onde entra a restituição. Restituição trata-se de uma operação de reparar os danos e prejuízos causados. Isso vai desde devolver objetos, valores, até palavras e bens e morais e espirituais que foram destruídos ou danificados pelo pecado. O Espírito Santo é um Cavalheiro muito especial e é capaz de guiar com extrema sensibilidade o nosso coração e a nossa vontade para fazer as coisas certas, do jeito certo e no tempo certo. Consulte-o.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s