O Culto de Abel

Meditação do dia 06/12/2017

Gn 4.4 – E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta.

 O culto de Abel – Neste último domingo, ensinando sobre “bem-aventurados os pobres de espírito” eu disse à igreja o seguinte: “No relacionamento com Deus, a atitude é muito importante. Não é uma questão de como parecemos ser, mas como somos realmente. Deus conhece o nosso coração.” Isso tem tudo a ver com o tema de hoje de nossa meditação, bem como sobre o que entendemos por cultuar e servir a Deus. É provável que haja pessoas que entendam ou hajam como se assim fosse, que é um privilégio de Deus receber qualquer coisa delas; então de todo jeito e de qualquer jeito que elas fizerem, está certo, está bom e será assim mesmo. Mas não servimos a Deus nos nossos termos! Definitivamente não! Logo de início tem que se considerar quem somos e quem ele é; quem é servo e quem é Senhor; quem é criatura e quem é criador. Nesse caso, saber e reconhecer quem somos, faz muita diferença. Abel fora instruído por seus pais, tal qual seu irmão; mas ambos acolheram de formas diferentes a idéia de culto e servir a Deus. Abel reconheceu-se um pecador e nessa condição, a primeira coisa a se fazer é tratar dos pecados mediante a redenção pela fé. Naquele tempo, já se fazia a remissão de pecados através do sacrifício de um animal inocente em substituição ao pecador arrependido. Depois de acertada a questão do pecado, então todas as ofertas e oferendas teriam seu lugar e sua aceitação. É um engano pensar que qualquer coisa, até coisa boa e cara, valiosa que for oferecido a Deus é aceito por ele, afinal é oferta e se é dado de coração tá bom demais. Não é verdade! As relações com Deus precisam estar em perfeitas condições, fora disso, é culto vão! Veja o que diz o Salmo 50, todo ele versa sobre culto e relacionamento com Deus – do jeito certo e do jeito errado, ali há muito o que aprendermos. Vou destacar apenas dois versos: “Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitar os meus estatutos, e em tomar a minha aliança na tua boca. Aquele que oferece o sacrifício de louvor me glorificará; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus” (Sl 50.16 e 23). Ímpio não é sinônimo de “não evangélico,” mas pessoa que pratica impiedade – seja evangélico ou não, cristão ou não, religioso ou não. Pratica impiedade é ímpio e pronto. Abel fez o certo. Ele é o primeiro da linhagem humana a entender e praticar corretamente o relacionamento com Deus. Assim, em termos de servir a Deus temos duas formas, duas linhagens: Abel e Caim. Somos uma ou outra; fazemos do jeito de Abel ou do jeito de Caim. Nem mais e nem menos!

 

Deus seja louvado e adorado eternamente e da forma verdadeira, pela fé através da sua própria graça. Somos o que somos, e pela sua misericórdia agora somos pecadores transformados, perdoados e aceitos, acolhidos na família do Pai. Em nome de Jesus, que nos amou e nos comprou com seu precioso sangue. Amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s