Pregoeiro da Justiça

Meditação do dia 01/02/2018

“E não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios.” (2 Pe 2.5).

Pregoeiro da Justiça – Noé foi um pregador, e a sua mensagem tinha a ver com a justiça. Até aí, nenhuma novidade. Mas a minha meditação hoje, vai propor uma discussão sobre a justiça. Num mundo como o que vivia Noé, o pecado grassava por todos os lados e isso levou Deus a decretar um juízo contra aquela geração e enquanto Noé construía a arca, também proclamava a justiça divina, que atribuiria perdão e salvação aos que cressem e ou juízo punitivo e destruidor sobre os que rejeitasse a oferta da sua graça. Olhando isso com a ótica apresentada por João no capítulo 3, onde ele apresentar Jesus como resposta do amor de Deus ao mundo, ele diz que: “Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito filho de Deus. O julgamento é este: Que a luz veio ao mundo e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más.” (Jo 3.18,19). A Salvação condenação está diretamente ligada as escolhas que as pessoas fazem. Como nascemos já caídos, em relação ao estado original de Adão e Eva, hoje, não escolher um lado, já é uma escolha de permanecer no lugar e no estado que se está e sem Cristo, a pessoa está do lado errado; portanto não escolher ou escolher o pecado é a mesma coisa e termina em condenação. Certa vez Jesus falou: “Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus” (Mt 5.20). Isso é muito profundo, uma fez que os escribas e fariseus eram especialistas em fazer e cumprir a lei e os mandamentos em suas minúcias. Alguns deles dizimavam até o cheiro verde que plantavam no vaso em casa. Outros iam a extremos, que para nossos padrões, são fanáticos. O Talmude, relata até a história de uma jumenta de um rabino que se recusava a comer trigo de um judeu não dizimista. Claro, soa como piada, e deve ser. Mas Jesus diz que precisamos cuidar bem em termos de justiça. Isso tem a ver com uma vida prática de retidão e justiça. Não é apenas gostar de falar de justiça, mas viver justiça, praticar justiça, evitar a injustiça, adotar isso como estilo de vida. Fico até certo ponto preocupado, porque vejo brasileiros de todos os seguimentos clamando e até se manifestado contra a corrupção na política e no estado; mas essas mesmas pessoas, sonegam, assaltam caminhão de carga que tombam perto deles; não devolvem troco que recebido à mais, burlam regras, fazem gatos de energia, água, tv à cabo; colam na escola e por aí vai! Não estou falando de pessoas não cristãs ou não evangélicas; estou falando de dentro de casa. Essa justiça tem começar em casa, com os relacionamentos familiares, depois com os demais círculos e fazer disso um estilo de vida. Parece que se leva em conta apenas as grandes ações que envolvem os tribunais, as delegacias e a polícia, esses tipos de injustiças é evitado, mas isso não é tudo. O cristão, por natureza, tem que viver acima da média, acima dos valores éticos e morais aceitos universalmente. Era o que Noé pregava, era o que João Batista, Jesus, os apóstolos e a igreja pregava e devemos pregar e viver.

Senhor obrigado, por ser a nossa justiça em Cristo Jesus. Amém

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s