Despedida e Abençoada

Meditação do dia 11/03/2019 

 E abençoaram a Rebeca, e disseram-lhe: Ó nossa irmã, sê tu a mãe de milhares de milhares, e que a tua descendência possua a porta de seus aborrecedores!”  (Gn 24.60)

 Despedida e Abençoada – Os antigos povos e suas culturas valorizavam muito o convívio familiar e como basicamente os povos ainda estavam em formação, eles abençoavam seus filhos e descendentes para que viessem a ser uma grande tribo ou até nação e nações. Contudo o mais importante, que está nas Escrituras e que precisa ser entendido e cultivado até hoje em nossos dias, é a boa prática de abençoar os filhos e honrar os pais e as pessoas mais velhas. Muitos desses aspectos ficou relegado a um plano religioso formal. Falar em profetizar sobre a vida dos filhos ou dos descendentes, vai soar muito estranho, pois profetizar está relacionado à vida religiosa da igreja e especialmente do exercício dos dons espirituais, que também já estão entrando para a  lista de extinção. A cultura industrial, trouxe a demanda de trabalho e mão de obra arrastando para as fábricas e balcões todos os indivíduos úteis; assim, pais, mães, filhos mas crescidinhos, todos precisaram colaborar com as crescentes demandas de gastos da vida moderna e assim surgiu a demanda opões de terceirização do cuidado familiar e educacional. Hoje é comum, crianças muito recém nascidas já irem para as creches e de lá para as escolinhas e ir se graduando até chegar ao nível universitário, e dentro desses quase vinte anos, toda a sua educação e formação ficou sob a tutela de “tias, babás e educadoras, cuidadoras, todas profissionais.” Os pais, avós, tios e outros parentes ou empregados domésticos se encarregaram de levar e buscar. Tanto é fato, que os pais ficam malucos nos períodos de férias, pois não sabem e não conseguem controlar ou lidar com as crianças. Os infantes não adquirem características familiares, pois o nível de convivência e transferência desses legados é muito baixo, quando não é zero. Enquanto encontramos explicações e justificamos tais necessidades, os princípios de vida saudável e as heranças geracionais são roubadas das gerações em formação. Posso afirmar com muito convicção que os maiores influenciadores e quem tem imprimido as maiores marcas relevantes nos nossos jovens, não são mais os pais ou familiares; são estranhos, professores, influenciadores e até mesmo de forma digital e não mais presencial. Então quando lemos que uma moça bonita e de família, está de malas prontas para seguir o caminho do seu projeto de vida, pelo qual ela havia orado e buscado em Deus e com o respaldo de sua família, dá esse passo e a família está ali presente para abençoar e impetrar uma bênção profética, é muito significativo. Rebeca não saiu de casa para ser independente, ou para se livrar dos pais e irmãos, mas foi formar a sua família, formada por Deus e revelada a ela e de modo tão esplêndido que todos ficaram maravilhados e sem ter como contestar. Rebeca foi abençoada com bênçãos de fertilidade para ser mãe de milhares de milhares e acompanhando a sua história, sabemos que isso se realizou, em meio a muitas lutas e provações, vencidas por batalhas em oração e fé. Na verdade ela só teve dois filhos, gêmeos, mas o poder da bênção e o que conhecemos como o poder da semente se multiplicar é exponencial e com esses dois filhos ela teve pelo menos vinte e quanto netos, que se tornaram tribos poderosas e vieram a ser nações, poucas gerações depois. A fé possibilita ver as coisas à frente de onde estamos e assim podemos preparar as bases para se construir aquilo que foi profetizado. O dom da paternidade/maternidade vem de Deus e está acompanhado de autoridade profética. É questão de fé e exercício.

 

Pai, obrigado por construir grandes coisas à partir de pequenas sementes. Graças podemos te render todos os dias, pelas muitas maravilhas disponíveis a nós e a nossos filhos. Queremos construir gerações tão bem sucedidas e abençoadas hoje quanto o foram no passado. Somos parte de um reino que permanecerá para sempre e cujo trono não será jamais ocupado por outra dinastia. Assim, podemos elevar os nossos corações ao que se assenta no trono e ao Cordeiro, dignos de louvor e adoração de geração em geração pelos séculos dos séculos, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s