Não Havia Água na Cova

Meditação do dia: 13/07/2020

 “E tomaram-no, e lançaram-no na cova; porém a cova estava vazia, não havia água nela.” (Gn 37.24)

Não Havia Água na Cova – Estamos falando de recursos vitais que não podem faltar e caso isso ameace acontecer, precisa-se providenciar alternativas, mas sem água não se vive. Essa aplicação é simples e vale para a vida física e espiritual igualmente. Os humanos só podem habitar e se fixar onde haja um mínimo necessário de água. Consigo ligar-me a uma situação proposta por Deus sobre as escolhas que o seu povo fez; Israel como nação é uma ilustração completa do que representa ser o povo de Deus no sentido mais amplo do entendimento. O profeta Jeremias foi o autor da profecia: “Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai verdadeiramente desolados, diz o Senhor. Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm águas” (Jr 2.12,’3). Quando dá destaque a uma causa ou expressão, isso deve chamar nossa atenção e de fato nos concentrar no que Ele está destacando. Aqui vemos uma exortação a ficarmos horrorizados, espantados, e não só nós, mas os céus, as criaturas e hostes celestiais, a ver o que está sendo feito. Deus é uma fonte transbordante de suficiência infinita e de qualidade inquestionável. Mas mesmo assim foi colocado de lado em função de buscarem recursos próprios, falíveis, esgotáveis e de qualidade muito inferior. Nos dias atuais, muitos povos e nações já estão sentindo na pele a importância e o valor de recursos hídricos. Singapura é uma cidade estado atual muito moderna, rica, desenvolvida e todos os atributos de bom lugar para se viver e especialmente no mundo dos negócios – mas não tem água – toda a água para consumo é comprada de fora. Nós brasileiros nem cogitamos o que significa isso, pois na maioria do nosso imenso território, qualquer um que cavar até no quintal de casa, vai chegar em lençol freático com produção suficiente para se abastecer. O Povo de Deus, preferiram cavar cisternas para si mesmos e suas cisternas era porosas, incapazes de reter água. Isso é a maneira humana de autossalvação; garantir a si mesmo e depender de si mesmo em questões espirituais. Isso nunca funciona, pois não temos capacidade gerar vida espiritual, suprimento e provisão. A sede e a fome de vingança e destruição dos filhos de Jacó, atentando contra a vida de José, não iria satisfazê-los porque a real necessidade deles não era o desaparecimento do irmão, mas o medo de serem obrigados a se submeter à sua possível ascensão ao poder sobre a tribo. A insatisfação deles não seria resolvida com o que eles planejavam. O pecado é atraente e desafia o pecador a cometer atrocidade ou fazer o mal, como mecanismo de se livrar de sentimentos ruins; depois ele descobre que agora está com dois problemas: O que ele já tinha e o novo, criado para resolver o primeiro. Normalmente o segundo é mais grave e devastador por ter sido concebido intencionalmente, dolosamente e egoisticamente. Jogar o irmão numa cova, não resolve nosso problema. Não supre nossas ansiedades e não abençoa ninguém ainda nem evita o futuro que tanto tememos. Na minha leitura diária de hoje, me deparei com o seguinte texto do profeta Zacarias: “Ainda quanto a ti, por causa do sangue da tua aliança, libertei os teus presos da cova em que não havia água” (Zc 9.11). Estar em aliança com Deus, selada a preço de sangue, nos protege até de nós mesmos e do que vier a querer nos aprisionar em cisternas ou covas em que não há água. Deus cuida de nós! Não troque um manancial abundante e transbordante por suas e minhas iniciativas furadas! Se o Senhor não nos salvar DA cova, certamente nos salvará na cova!

Senhor, obrigado! Tu és a minha fonte de tudo o que necessito e muito mais do que necessito, posso pedir ou pensar. Que a tua graça me acompanhe e aos meus irmãos e companheiros de jornada nessa vida. Oramos por suprimentos e sabedoria para nos mantermos firmes nas provas e a nossa confiança cada dia mais ousada em ti que jamais nos abandona e nem permites que sejamos apreendidos em condições que não possas nos alcançar e suprir. Receba nossa oração e adoração por tudo o que és e pelo que fazes a cada um de nós, todos os dias; em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s