Somos Mas Não Somos

Meditação do dia: 30/01/2021

Mas dissemos-lhe: Somos homens de retidão; não somos espias;(Gn 42.31)

Somos Mas Não Somos Já não bastasse o “Ser ou não ser, eis a questão!” Que até hoje não ficou resolvido e ainda continuam perguntando e respondendo sem responder. Agora temos a oportunidade de refletir sobre as possibilidades que os filhos de Jacó propuseram ao governador do Egito, e estão relatando ao pai, as coisas e os diálogos que produziram mudanças em suas vidas e ainda mudaria mais, por o governador, quer conhecer Benjamim, assim ele acha que suas dúvidas serão tiradas e lhes dará um “Green Card” para negociarem nas terras do Faraó. Acredito que meus três leitores mais assíduos das meditações que escrevo, também já pensaram muito sobre a postura dos rapazes, pois disseram ao governador que eram homens de retidão. Nós, até essa altura do campeonato, temos dúvidas se de fato são homens retos e de conduta ilibadas, ao bom estilo do humor brasileiro, “há controvérsias.” Se eles soubessem que na verdade estavam lidando com José, as coisas poderiam melhorar ou piorar, mas ainda precisariam de algum tempo e algumas ações para se consolidar uma trégua e adquirirem confiança plena uns nos outros. Se alguém vazasse a informação de o governador e o irmão desaparecido deles eram a mesma pessoa, eles à princípio ficariam mais temerosos, por que esperariam por medidas duras e severas da parte de José, como vingança ou retaliação. Mesmo sofrendo as consequências, provavelmente eles atribuiriam justo o direito de José puni-los. Afinal, eles não o queriam como autoridade, e agora ele era autoridade e com grande prestígio diante do Faraó, assim eles teriam que arcar com tudo que o irmão lhes infringisse. Por outro lado, José ainda não tinha elementos que corroboravam para uma boa avaliação do caráter deles naquela altura da vida. Eles de fato poderiam terem aprendido a lição e contado ao pai a verdade e estariam trabalhando por melhorar o ambiente na família, mesmo com a ausência daquele irmão que na imaturidade da idade, eles foram responsáveis pelo seu desaparecimento. Conhecendo e estudando o histórico humano ao longo das civilizações, as conclusões demonstram que justificar os atos e erros contra a própria espécie e as sucessivas intrigas por buscar o poder à qualquer custo, faz parte das ações do mal ser aceito, tolerado ou até aclamado como um mal necessário para se atingir um bem maior. Bem esse, que dificilmente alguém consegue ver ou desfrutar; é sempre mais do mesmo. Estamos em pleno século 21 e com todos os avanços e conquistas, ainda temos muitas nações e povos vivendo sob pesadas tiranias, governos totalitários, desrespeitos escancarados aos direitos básicos do ser humano, massacres, genocídios, guerras para limpeza étnica, e todos dizem que suas causas são justas e boas, que esses detalhes são apenas “efeitos colaterais toleráveis.” É assim que posso ver as expressões dos rapazes, somos gente boa, não somos do mal, só estamos num dia ruim! Precisamos repensar diante de Deus e em oração e piedade verdadeira, até pequenas ações nossas que para as pessoas sem forças e poder de reação, é mau e destrutivo. É injusto.

Senhor, reconhecemos que a única medida justa e padrão de retidão é o Senhor mesmo. Nossas medidas não são tão complacentes como pensamos e as ações dos nossos governos e entidades podem demonstrar aparência de cuidado, mas por trás há corrupção e más intenções. Deus é amor e em tudo que fazes está presente a sua graça e bondade de coração. Queremos ser e fazer o bem, com a motivação certa e alcançar quem realmente precisa e espera nossa intervenção como respostas de suas orações. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s