Encontro de Alta Patente

Meditação do dia 21/08/2015

Js 5.14E disse ele: Não, mas venho agora como príncipe do exército do SENHOR. Então Josué se prostrou com o seu rosto em terra e o adorou, e disse-lhe: Que diz meu senhor ao seu servo?

Encontro de Alta Patente – Deus como o Senhor dos Exércitos é um conceito bíblico largamente aceito. Deus não apenas tem um exército, como Ele é “O Senhor dos Exércitos.” Exército induz ao pensamento sobre batalhas, guerras, conquistas, domínios, vitórias, glórias, ao mesmo tempo que fala de disciplina, treinamento, organização, uniformidade, ordem e comando. Sabemos que Deus não é de confusão, mas de ordem e decência (I Co 14.33, 40). O Senhor é um Deus de Grandes conquistas. Desde muito tempo ele trava batalhas contra forças organizadas do mal, lideradas por Satanás, que caiu de sua posição de glória e tornou-se oposição a Deus e tudo que o representa. Ter Jesus Como Jeová-Sabbaoth, é certeza de vitória nas lutas, exercer domínio espiritual e conquistas de promessas e heranças possíveis na fé. Josué era o líder dos hebreus e comandava militarmente o exército, digamos, ele era um general e nesses dias de preparativos para entrar na posse da terra, ele recebeu a visita de um colega de patente; na verdade era o Senhor Jesus pré-encarnado. Todas as manifestações registradas nas Escrituras, como sendo Deus se revelando à alguém em alguma situação, trata-se da pessoa de Jesus. Ele é a expressão de Deus, a revelação especial de Deus. E nos seus dias, ele ensinou que Deus (o Pai) nunca foi visto por ninguém. Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou (Jo 1.18). Uma das evidencias de que realmente se trata da pessoa de Jesus, é o fato de Josué, se prostrar e adorá-lo e ele aceitar tal gesto. Nenhum anjo, recebe ou aceita ser adorado, e quando uma pessoa tentar fazer isso, eles não permitem, dizendo que só Deus pode ser adorado. (Ap 22.8,9). Nesse encontro ele se identificou como sendo “…príncipe do exército do SENHOR” – diria que ele era também um general, e normalmente um general não anda sozinho, ou, se ele está num campo de ação, suas tropas também estão ali. O fato de não vermos anjos o tempo todo, não significa que eles não estão agindo e trabalhando a serviço do povo de Deus. Veja alguns conceitos na Bíblia sobre Deus como Senhor dos Exércitos: 1.  Sl 103.20,21 – Bendizei-o anjos valorosos em poder que executais sua vontade. Todos os seus exércitos…. 2.  Sl 148 2 – Louvai-o todos os seus anjos.. todas as suas legiões celestes… 3.  I Sm 1.3 – Os Judeus adoravam a Deus como o Senhor dos Exércitos. 4. I Sm 17.26,45 – Davi desafiou Golias em Nome do Senhor dos Exércitos. 5. Ex 14.14 – No início do Exodo: O Senhor pelejará por vós… 6. Ex 15.3 – O senhor é homem de Guerra…. – Também encontramos nas Escrituras experiências e eventos com Deus como Senhor dos Exércitos: 1. Gn 32.1 – Jacó viu anjos em Maanaim – 2. Js 5.13-15 – Josué encontrou-se com um Príncipe do Exército de Deus. 3.  2 Sm 5.24 – Davi ouviu estrondo de marcha na copa das amoreiras. 4. 2 Rs 2.11 – Carros e cavalos de fogo levaram Elias ao céu… 5. 2 Rs 6.16-18 – Servidor de Eliseu viu carros e cavalos de fogo…. 6. 2 Rs 7.6 – Siros ouviram som de exércitos… 7. Dn 10.13,21 – O anjo falou a Daniel sobre Miguel, Príncipe do Exército de Deus… 8. Lc 2.13,14 – Pastores em Belém viram milícias celestiais… Realidades espirituais são mais comuns do que queiramos imaginar e com Deus elas são sempre para o bem. O Deus que servimos, tem meios e recursos para nos ajudar em nossas lutas e batalhas, todos os dias!

Pr Jason

Anúncios

O Significado das Pedras

Meditação do dia 19/08/2015

Js 4.6Para que isto seja por sinal entre vós; e quando vossos filhos no futuro perguntarem, dizendo: Que significam estas pedras?

O Significado das Pedras – Em todo lugar que vamos, certamente visitamos monumentos e nos interessamos pela sua história e significado. Eles existem para perpetuar uma feito, um acontecimento significativo. Uns se tornam tão famosos que  viram cartão de visitas e outros até ultrapassam fronteiras; sabemos por exemplo, que a estátua da Líberdade, em Nova Iorque, foi um presente francês à cidade; igualmente, o Rio de Janeiro foi presenteado pelos franceses com a estátua do Cristo Redentor, e ambas são símbolos de suas localidades. Quem vai à Paris, certamente quer ver a Torre Eiffel e o Arco do Triunfo e assim em muitos lugares do mundo e mesmo em pequenas cidades. Uma jornada de quarenta anos de peregrinação por um deserto escaldante, seria digna de celebração, quando chegasse ao fim; e foi exatamente isso que Deus ordenou a Josué que falasse ao povo e não apenas a uns poucos elementos da administração. Além da chegada à Terra Prometida, o modo como eles adentraram, foi uma apoteose, um “grand finale!” Atravessar o Rio Jordão, transbordando por todas as suas margens, de forma miraculosa, à pé e à pé enxuto, pois as águas abriram automaticamente, como todos haviam ouvido falar, que acontecera ao Mar Vermelho, no dia da saída deles do Egito. Será, que já não havia gente ali, pensando mais cientificamente, racionalizando, as histórias ouvidas, de que Deus abrira o Mar e permitido que passassem em seco? “Só acredito vendo!” Não entendo que Deus fez isso, “só para provar…” Ele não precisa se mostrar, dar garantias de sua força e poder. Deus não precisa se exibir e chamar atenção para si! Deus é Deus e se basta a si mesmo! Mas Deus sabe que os homens tem memória curta, e facilmente esquecem os grandes feitos e as verdades aprendidas, por isso estabelece marcas, que sirvam de testemunho, para lembrarmos daquilo que já sabemos. Anos mais tarde, uma família, faria turismo, ou em visita à cidade de Jericó, e ao visitar a margem do Jordão, ali próximo, as crianças iriam perguntar, porque esse monte de pedras, doze ao todo, empilhadas nesse lugar? Então os pais deveriam testemunhar a seus filhos, sobre a história de seu povo, como tudo aconteceu, como chegaram aqui. Quero me dirigir aos pais, meus leitores de hoje: Você tem algum memorial em casa? Algo que marca uma graça maravilhosa de Deus na sua família? Pode ser um atestado médico afirmando uma coisa e Deus mudou o quadro; por falar em quadro, porque não coloca-lo numa moldura e pendurar num lugar de honra da casa? Muita gente vai olhar curiosa e perguntar e você ter muitas oportunidades de agradecer e testemunhar o que recebeu. Um objeto, uma foto, alguma coisa que não te deixa esquecer e muito menos te deixa calado sobre a glória de Deus. Qual é o significado das suas pedras?

Pr Jason

Um Caminho Novo

Meditação do dia 19/08/2015

Js 3.4Haja contudo, entre vós e ela, uma distância de dois mil côvados; e não vos chegueis a ela, para que saibais o caminho pelo qual haveis de ir; porquanto por este caminho nunca passastes antes.

Um caminho novo – Fazer algo novo é um desafio empolgante para muitas pessoas e ao mesmo tempo é aterrorizante para outros tantos. Pessoas com perfil inovador, gostam de mudanças, gostam de coisas novas e não se sentem desgastados em fazer mudanças e iniciar projetos novos. Eu, Jason, tenho um perfil conservador; portanto não gosto muito de mudanças, especialmente se tudo parece estar indo bem. Mas ao mesmo tempo sou muito prático e com isso aceito desafios de fazer o que se precisa fazer para os resultados sejam melhores. Em se tratando de valores interiores pessoais, como o elemento fé e os relacionamentos com Deus, sua palavra e seus propósitos, eles são aferidos individualmente pelo padrão de perfil pessoal. A vida espiritual, ou as relações cristãos, do adorador com Deus, é dinâmica, muito dinâmica. Deus é muito criativo e tem meios e recursos inesgotáveis para revelar a nós. Quem anda com Deus em uma relação de comunhão e adoração mais estreita ou profunda, sabe bem do que estou dizendo. Esses hebreus, depois de quarenta anos andando no deserto sob os cuidados de Deus e experimentado milagres e provisões maravilhosas todos os dias, literalmente, todos os dias; sendo protegidos pela nuvem e pela luz que lhes acompanhavam; ouvindo as instruções divinas através de Moisés, e agora à poucos dias, por meio de Josué; Será que ainda haveria alguma novidade? Algo que exigisse atenção? Sim! Haveria e haverá sempre! Um religioso, casca dura, metódico, iria dizer que “não tem nada novo a ser aprendido ou revelado. Tudo que precisamos fazer já está revelado e isso já e bastante para praticar, imagine, buscar coisas novas?” Mas a mensagem de Deus para o dia especial deles, o dia que todos sonharam chegara: o dia de atravessar o Rio Jordão e entrar na terra prometida. Qual a mensagem para o dia especial? Mantenham certa distancia da arca, porque esse caminho, vocês nunca passaram por ele. Mas não é tudo igual? Caminhar é caminhar, é igual todos os dias e em todo lugar! Não, não é! Se Deus diz que é novo e que não passei por isso, então é melhor observar o que vai aparecer de novo ou de diferente. As promessas de Deus vão se cumprir na nossa vida, todas elas, e o dia da grande bênção, é um dia especial e precisamos estar prontos e preparados para ele. Alguém aí, já viu aguas de um rio caudaloso em tempo de cheia, parar de correr e abrir um espaço, porque a parte de baixo continuou correndo, e ficou parada até que todos passem? E não virou inundação, não se espalhou pelas margens! Isso não é novo? Te proponho um desafio de observação: Experimente observar como é diferente a maneira ou forma como Deus supre suas necessidades, cada vez que elas aparecem! Medite sobre as situações difíceis que passou e veja a variedade de formas de Deus agir para te abençoar. Deus tem sempre um caminho novo para seus filhos! Nunca sabemos tudo e que bom que isso é assim!

Pr Jason

Salvo por um Fio

Meditação do dia 18/08/2015

Js 2.18Eis que, quando nós entrarmos na terra, atarás este cordão de fio de escarlata à janela por onde nos fizeste descer; e recolherás em casa contigo a teu pai, e a tua mãe, e a teus irmãos e a toda a família de teu pai.

Salvo por um fio! A história de Raabe, é uma daquelas histórias fascinantes da vida. Tem todos os elementos da história básica de todos os homens; Minha vida, minha história, sua vida, sua história. Raabe é um símbolo clássico do homem pecador que encontra a salvação e não perde a oportunidade de mudar de vida. Vivendo na ignorância em relação à vontade e a verdade de Deus, ela tinha um padrão de vida, que a mantinha marginalizada da sociedade dos seus dias. Ela tinha um bom coração, era hospitaleira, generosa, demonstrou um grande afeto pelos seus familiares, soube fazer a leitura correta do iminente juízo que sobreviria sobre os habitantes da cidade Jericó. Eles seriam punidos pelos seus pecados e impiedade. Ela também, nas devidas proporções também tinha culpa no cartório e dava a sua contribuição para agravar a situação daquele povo aos olhos de Deus. Ela soube, que os hebreus estavam vindo para se apropriarem daquela terra, que eles tinham por promessa de Deus. Essa notícia mexeu com os ânimos de toda a população e nem mesmo o rei e o exército estavam tranquilos, ao contrário, tudo era uma questão de dias. Diante de uma tragédia anunciada, qualquer pessoa com um pouco de bom senso, se põe a fazer planos de como escapar e Raabe, teve a sua chance e ela não desperdiçou. Uma comitiva de espiões, fora enviada por Josué, para reconhecimento e eles ao andarem furtivamente pela periferia da cidade, evitando os guardas tiveram que entrar na casa dessa mulher, que ficava sobre a muralha da cidade. Ela lhes ofereceu abrigo, alimentos e proteção e facilitou para que voltassem em paz e ainda confirmou para eles o estado de ânimo da população, dados que seriam muito importantes na prestação de contas que fariam. Antes de despedi-los e descê-los pela muralha, ela apelou por misericórdia em seu favor e de sua família, como uma retribuição de seu esforço e risco de ser apanhada com um ato de traição. O favor de Deus lhe foi estendido por uma promessa dos espias, que eles garantiriam a sua proteção desde que ela e seus familiares estivessem dentro de casa, daquela casa, e que aquele mesmo fio vermelho (escarlata) deveria estar pendurado ali mesmo por onde eles mesmos desceram e escaparam das patrulhas que os procuravam. Isso tudo ilustra o amor de Deus sendo estendido a nós, através da fé em Jesus, que derramou o seu sangue, que faz a remissão dos nossos pecados. Somos perdidos e condenados no meio de uma massa maior e também condenada ao juízo e à destruição; mas Deus estende sua misericórdia, e nos salva por um fio, um fio vermelho do sangue de Jesus que representa todo o seu trabalho, sacrifício e obra redentora. Somos salvos por um fio, porque dependemos da fé em Cristo e não de nós mesmos; Não há qualquer outra coisa que possamos apegar que nos ajuda ou dá segurança, só Jesus, e Jesus só! E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. (At 4.12).

Pr Jason

Receita de Sucesso

Meditação do dia 17/08/2015

Js 1.8Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.

Receita de sucesso – As luzes do sucesso brilham e chamam muito à atenção, chegando até mesmo a seduzir as pessoas. Nos nossos dias, o que não faltam são consultores e palestrantes de motivação, todos com discursos afinados, e aplicações incríveis de como ter sucesso! Muitos deles, até fazem sucesso! No mercado da fé, também não faltam pessoas com boa retórica e “campanhas” para chegar ao sucesso. O que dizer dos testemunhos, mostrando em trinta segundos o antes e o depois, que a pessoa frequentou reunião X da igreja Y! Já escrevi antes, que não sou adepto da chamada “teologia da prosperidade” mas ao mesmo tempo, tenho aversão à “teologia da miséria.” A receita certa e equilibrada, foi dada por Deus a Josué, e não tem nada de misterioso ou “um preço à pagar.” É Bíblia pura e simples, várias vezes aos dia! Meditação Bíblica não é um processo como das meditações místicas e mentais que existem no mercado, divulgadas por gurus e adeptos de certas filosofias. O que conhecemos por Meditação bíblica é um processo espiritual e mental de se digerir a Palavra de Deus, de tal forma que os textos passam a fazer parte ativa na vida da pessoa. Meditar de dia e de noite, parece um tanto quanto exagerado, diria alguém. Mas se Deus disse que fazer desse jeito é bom e dá certo, Ele sabe o que diz. Mas levando para a experiência, quase todos os adultos, já se viram envolvidos em determinados problemas, crises, nos quais sua vida toda se viu mergulhada; por vezes, se pensava naquilo quase que 24 horas por dia, pois levantava e deitava, trabalhando naquilo, perdeu horário de refeições, e perdeu não apenas o horário, mas o apetite também; insônia e noites mal dormidas, só pensando e procurando soluções. Você concorda comigo, que numa situação dessas, você meditou “de dia e de noite?!” Sim! Foi isso que aconteceu. Agora imagine fazer isso voluntariamente, citando e recitando textos da palavra de Deus, que funcionam como sementes, para produzir o tipo de colheita que você precisa! Foi o que o Senhor Deus instruiu a Josué; meditar e procurar fazendo tudo conforme está escrito no livro, e assim ele prosperaria e seria bem sucedido. Você quer prosperar e ser bem sucedido? O caminho é esse! Eu aprendi bem e melhor a prática devocional e da meditação bíblica, quando me tornei seminarista, lá em Altonia, no Paraná. Se há uma marca que Betania imprimiu muito bem na minha vida, foi essa; e como a primeira impressão é a que fica, não só aprendi, como pratico até hoje e difundo amplamente em todo lugar e oportunidade que tenho. Na lida pastoral de aconselhamento, desconheço uma situação, de alguém que está cheio de problemas, desanimado, perdendo a fé e etc. que me diga que a vida devocional e prática da Palavra de Deus, está em nível satisfatório. O Sesi de São Paulo tem um programa chamado “alimente-se bem, por um real” – acho que vou criar uma versão cristã desse programa: “Alimente-se bem com um versículo por dia!” É barato, rápido, nutritivo e sem contra indicações e vale para todas as idades! Que tal?

Pr Jason

Uma Última Olhada

Meditação do dia 16/08/2015

Dt 34.1Então subiu Moisés das campinas de Moabe ao monte Nebo, ao cume de Pisga, que está em frente a Jericó e o SENHOR mostrou-lhe toda a terra desde Gileade até Dã;

Uma última olhada – Ao ler esse texto, não podemos deixar de pensar sobre o grau de maturidade que Moisés alcançara, no seu relacionamento com Deus. Sua última atividade foi um passeio com guia, uma escalada na verdade. Eles subiram o Monte Nebo e foram para o cume de Pisga, de onde se podia ter uma privilegiada vista da cidade de Jericó. Não sei quantos, e também a Bíblia não registra outros encontros  como esse, entre um homem e Deus em um lugar, para ver ou tratar de algum assunto. Posso me lembrar de Deus e Abraão, olhando para as campinas de Sodoma e Gomorra, quando Abraão soube dos planos de destruição para aquelas cidades perversas. Me recordo do Senhor conversando com Hagar quando fugia, e mostrou-lhe uma fonte de água, para que Ismael não morresse de sede. São essas as lembranças mais parecidas com essa de Moisés. O lado do bom de um passeio acompanhado de um bom guia, além das informações, as lembranças que teremos por anos, são muito marcantes; mas nesse caso, não haveria lembranças, Moisés não voltaria, ele no máximo fez alguns registros para que Josué e o povo continuassem suas vidas sem o grande líder. Quando penso em maturidade, penso na questão emocional também, pois o ser humano está sempre em ebolição emocional, quando se vai fazer uma coisa pela primeira vez, isso deixa as pessoas apreensivas, ansiosas, e cada um ter reações diferentes, para lidar com o novo. Moisés iria ter a Deus como guia turístico e realmente teve; o Senhor mostrou-lhe toda a extensão da terra prometida, falou com ele sobre os limites, os lugares das tribos e reafirmou que tudo aquilo era o que ele havia prometido a Abraão e aos demais patriarcas. Tudo o que Moisés tinha falado pela fé, por informação e conhecendo apenas em teoria, agora seus olhos viam, mas ele não iria entrar lá. A última viagem de Moisés foi para cima, para o cume de um monte, de onde poderia ter a mais bela e privilegiada vista da terra da promessa; estar ali, com companhia presencial de Deus, eram as últimas memórias de Moisés aqui na terra. Provavelmente também, a única pessoa que Morreu na presença real de Deus, foi velado e sepultado por Deus… não me pergunte detalhes, que não sei tudo…posso imaginar! Como seria, sair de casa, sabendo que essa será a última caminhada? Último passeio! O final de uma jornada de cento e vinte anos dos quais quarenta tentou ser alguém, quarenta tendo certeza de que não era ninguém e finalmente quarenta experimentando o que Deus pode fazer com a vida de alguém totalmente rendido a ele. A vida de Moisés é uma bela história humana, quando nasceu e quando morreu e no meio foi uma vida plena de experiências. A sua última viagem será para cima também?

Pr Jason

Cultura de Bênção

Meditação do dia 15/08/2015

Dt 33.1 “Esta é a bênção com que Moisés, homem de Deus, abençoou os filhos de Israel antes da sua morte.

Cultura de bênção – Abençoar é um ato da vontade de alguém. Deus é abençoador! Jesus é a bênção em pessoa! O Espírito Santo trás consigo a bênção da consolação! As Sagradas Escrituras são fontes de bênçãos e edificação. A nossa palavra “bênção” na Bíblia vem de uma palavra que dá o sentido de “autorizar para prosperar” – assim, receber uma bênção é receber uma autorização para prosperar, se dar bem e progredir. Dá para imaginar então, o contrário de bênção, que é maldição. Mas quero pensar com vocês sobre uma cultura de abençoar, que encontramos na Bíblia. Deus chamou um homem, chamado Abraão, para que fosse o pai de uma grande nação, e através dele, todas as famílias da terra fossem abençoadas. Deus derramaria sobre ele as suas bênçãos e ele iria multiplicar isso, através das gerações, física e geneticamente através de sua descendência natural, e espiritualmente atrás do testemunho que daria às demais pessoas que as receberiam pela fé. Genética e fisicamente ele produziu uma nação, que conhecemos hoje como Israel. Espiritualmente ele gerou uma nação ainda maior do que a natural, que conhecemos nas Escrituras, como “a Igreja.” Veja o que diz o apóstolo são Paulo: “Sabei, pois, que os que são da fé, esses são filhos de Abraão. Ora, a Escritura, prevendo que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou previamente a boa nova a Abraão, dizendo: Em ti serão abençoadas todas as nações. De modo que os que são da fé são abençoados com o crente Abraão.”  (Gl 3.7-9). Assim vemos em todo o desenrolar da história que homens de Deus sempre abençoavam outras pessoas, suas famílias e cidades e nações. Não apenas isso, mas essa nação nascida à partir de Abraão, desenvolveu uma cultura de bênção, de forma que a própria cultura e os costumes familiares e locais, conduziam as pessoas a serem abençoadas e quando não, pelo menos protegido da maldição. O estilo de vida familiar e as relações sociais familiares e extra-familiares, produziam um tipo de sistema protetor e abençoador. Chamaríamos isso de “mentalidade abençoadora.” Os pais inculcavam nos filhos e o fazem até hoje, a idéia de que ele deve ser diferente, deve progredir e se destacar na sua área. Já ouviu falar naquela atitude revelada ao ver um copo com água pela metade: O otimista dirá que o copo está meio “cheio” e o pessimista dirá que o copo está meio “vazio” – Claro que é uma questão de ponto de vista, mas que revela qual a atitude em relação à vida e às chances de sucesso e vitória. Muitos ao ler na Bíblia sobre a chamada de Abraão, se perguntam, porque Deus só chamou um homem, no meio de milhares que haviam? Por que formar “uma nação?” A verdade é que Deus não chamou UM homem em detrimento dos outros e não constituiu UMA nação em detrimento das demais – Ele chamou UM homem para ABENÇOAR todos os demais homens e famílias; Chamou UMA nação, para através dela ABENÇOAR todas as demais. Deus não abençoou Abraão e amaldiçoou os demais homens e nem abençoou a Israel e amaldiçoou os demais povos. Até hoje, eles tem essa cultura de bênção e agem dessa forma. A igreja é herdeira espiritual da bênção de Abraão e deve agir dessa forma. Ninguém deve buscar a bênção pela bênção e nem prosperar pela prosperidade. Tudo faz parte de algo maior, um grande propósito de Deus, que incluiu a cada um de nós. Preciso da bênção para completar e realizar o propósito para o qual fui criado, sustentado e chamado a realizar. Só de saber isso, você já foi abençoado hoje.

Pr Jason

Letra e Melodia do Céu

Meditação do dia 14/08/2015

Dt 32.7 “Ele é a Rocha, as suas obras são perfeitas, e todos os seus caminhos são justos. É Deus fiel, que não comete erros; justo e reto ele é.

Letra e melodia do céu – Este texto de Dt 32 é um daqueles famosos oriundos da “inspiração de Ditado Verbal” – ou seja, uma teoria de que a Bíblia toda fora inspirada por Deus, por ter sido produzida por ditado verbal, isto é, Deus ditou o texto e o escritor escrevia as palavras, como a professora faz na classe, ou fazia. Nesse caso, o instrumento humano, não precisava de inspiração, já que era apenas um secretário. Esse texto, é a letra de um cântico, que Deus ensinou a Moisés, para ele ensinasse o povo, para que cantassem e assim não esquecessem dos compromissos com Deus e sua vontade. Com certeza, seria muito edificante, se houvesse meios de resgatar a melodia original, como passado em primeira mão aos hebreus. Só como poesia, já é muito bonito e faz sentido, para os propósitos para os quais ela foi dada. Destaquei esse verso, por ser uma declaração sobre o caráter de Deus. Eu amo conhecer nas Escrituras textos que falam e revelam faces do caráter de Deus. Assim, quanto mais conheço, mais posso confiar e assim, a minha fé não fica vacilando ou insegura, porque ela se firma em bases muito sólida, como diz aqui: Ele é a Rocha…” Como todo cristão sabe, instruído pelo próprio Senhor Jesus, Rocha, é o lugar ideal para se construir, é o melhor alicerce; quem assim o faz, sua vida pode sofrer os ataques dos ventos, das chuvas, tempestades, das enchentes e toda intempérie – ela não se abala, porque está fundamentada na rocha. O caráter de Deus não permite dúvidas aos seus adoradores. Na sequencia o texto nos diz que “as suas obras são perfeitas” – perfeição em todos os sentidos; bonitas, lindas, deslumbrantes, perfeitas em detalhes, em utilidade; todas as obras de Deus são maravilhosas, incluindo a que ele está fazendo na minha vida. Continuando, “e todos os seus caminhos são justos.” Eu sei disso e me apego a isso, quando algo ou alguma situação quer me insinuar o contrário – eu sei que Deus é justo e todos os seus caminhos são justos também. Nada que aconteça a mim ou a alguém próximo de mim, é injusto da parte de Deus. Nossas escolhas tem consequências e algumas são desastrosas, mas não porque Deus está planejando aprontar comigo. Posso confiar no seu caráter justo. “É Deus fiel, que não comete erros” – Dizer isso é bem fácil, mas viver essa experiência, quando a dor e a perda bate na porta de sua vida, é outra coisa. Mas a verdade é que Deus e sua palavra estão certos, minha experiência não valida a verdade de Deus; ao contrário sim! “justo e reto ele é. Para um adorador amadurecido, íntimo de Deus, isso encerra tudo! Isso anula quaisquer argumentos contra a santidade e o amor de Deus para conosco. Suas intenções são justas e honestas! Cante isso para esquecer!

Pr Jason

Moisés e Josué

Meditação do dia 13/08/2015

Dt 31.7 “Chamou Moisés a Josué e lhe disse na presença de todo o Israel: Sê forte e corajoso; porque, com este povo, entrarás na terra que o SENHOR, sob juramento, prometeu dar a teus pais; e tu os farás herdá-la.

Moisés e Josué – Dois homens, grandes homens! Duas gerações de liderança, mas com apenas uma visão. Pensar na vida desses dois é um convite a reflexão sob liderança bem sucedida. Pensar em um, leva a pensar no outro, o sucesso de um tem tudo atrelado ao outro. Hoje, provavelmente vou desenvolver uma linha de raciocínio, pensando em liderança, mas algo bem mais do que entendo e tenho experimentado;  vou seguir princípios e não a minha experiência; estarei me baseando nas Escrituras e na sua infalível capacidade de guiar o leitor devoto, a uma experiência de intimidade com o melhor de Deus para cada um de nós, seres humanos, sendo destacado ou não, envolvido ou não, o propósito é maior que eu, do que nós e vai além do tempo do meu calendário e do meu relógio. Pode-se dizer que Moisés nasceu para liderar o povo hebreu, o seu povo, na libertação e peregrinação até sua terra prometida; isso é um fato. Contudo, o povo já existia antes de Moisés, isso também é fato. O ministério de Moisés esta ligado a cumprir uma profecia, uma promessa de Deus; então não era algo que ele teria que criar e regulamentar; Deus já tinha isso em mente e o papel deve seria receber a revelação e seguir o roteiro. Esse plano, então, era mais antigo ou anterior ao povo, pois veio de Deus e não por eu o povo tinha uma necessidade. Estou conectando isso a minha situação ministerial na atualidade. O que estou fazendo e com quem estou trabalhando, é antes de mim, é mais importante do que eu e minha carreira; isso também vai permanecer depois de mim, com ou sem arrebatamento imediato da igreja; ela é maior e mais importante que eu e meu ministério. Ela é permanente, eu sou passageiro, ela é eterna, é o corpo de Cristo; eu sou eterno, porque sou parte dela e fora dela, simplesmente desapareço. Tudo o que diz respeito a minha pessoa, vocação, preparo, dons e habilidades, existem em função de servir um propósito e realizar um trabalho. Moisés, foi o “grande legislador,” ninguém se atreve a se nivelar a ele, mas mesmo assim, ele passou, seu tempo venceu e o “bastão” teve que seguir o revezamento. Josué já estava ali, à postos. Nova geração, sangue novo, cabeça nova, metodologia nova, mas o povo, a nação e o propósito inicial era o mesmo. Entrar em Canaã era uma meta, mas não o fim! Agora vinha novas metas, novos alvos e novos desafios! No propósito eterno de Deus, excetuando a pessoa e a obra de Cristo, que são eternos, tudo o mais está ali para completar uma etapa. Sou Moisés ou Josué e você também! Tudo mais, é maior do nós!

Pr Jason

Sistema de Governo de Deus

Meditação do dia 12/08/2015

Dt 30.19 “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,

O Sistema de Governo de Deus – Vivemos, o que os políticos brasileiros chamam de “sistema democrático de governo” – Na prática a democracia funciona para eles e uma seleta elite que detém o poder. Cá em baixo, somos democraticamente obrigados a votar livremente sob pena de multas e perdas de direitos, em candidatos que eles escolhem antecipadamente. Quando eleitos, produzem o que estamos vivenciando, temos o congresso mais caro do mundo e o mais ineficiente do mundo também. Mudar isso? Veja o que eles estão chamando de reforma política! Mas, qual o modelo Deus propõe e dá garantias de funcionabilidade? Estudando o Velho Testamento, pode-se ver o que aconteceu com os hebreus, que saíram do Egito “sem eira e nem beira” e em pouco tempo era uma nação modelo. Ainda hoje, com muitos problemas modernos e com uma vida muito atribulada com guerras e guerrilhas, Israel é modelo de progresso, sustentabilidade, riqueza, tecnologia em diversas áreas. Mas, o que nos interessa, é que modelo bíblico, mostrado por Deus é funcional para um indivíduo, uma família, uma vila, cidade, estado e uma nação toda. O princípio é o mesmo, apenas se amplia nas devidas proporções. Assim como Deus tem um sistema de governo, o Diabo também tem e compete para ganhar a simpatia do coração dos homens, e não sendo possível, ele força a barra e impõe na marra seu modelo destruidor. Interessante, que essas duas super forças (Deus e o Diabo) trabalham e agem através de agentes humanos. De um lado, Deus é o criador e o sustentador de todas as coisas e do outro, um usurpador e enganador que tenta atingir a Deus, destruindo e arruinando tudo o que Deus ama, e o como o homem é a menina dos olhos de Deus, claro, é o alvo preferencial da oposição. O sistema de Deus é baseado na responsabilidade pessoal de fazer escolhas com consequências, nada é imposto e nem a pessoa fica sem opção. Deus revelou sua vontade, suas leis, estatutos, ordenanças e princípios e mostra como funciona e dá às pessoas o direito de escolher o que entenderem; mostrando-lhes também as consequências de suas escolhas. No texto de hoje, foi exposto leis e princípios que trariam vida, bênção, proteção e prosperidade e do outro lado, a quebra, ou rejeição, traria morte, maldição, vulnerabilidade e miséria extrema. Escolhendo uma, já é rejeição da outra. A vida de obediencia produz bênção enquanto a vida desregrada produz maldição. Na Nova Aliança, Deus enviou seu filho Jesus Cristo “para salvar, dar vida eterna, perdão, reconciliação, céu etc.” Adotar o estilo de vida proposto por Cristo é receber tudo isso, rejeitar ou negligenciar a Cristo, trás consigo o oposto do propósito da vinda de Cristo.  Lembra de Jo 3.16? Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Observe as frases sublinhadas: Jesus veio para que as pessoas “não pereçam” mas “tenham a vida eterna.” Uma das duas coisas vai valer para todos! Uma escolha é que determina isso. Ninguém irá para o céu por acidente ou sorte, como também ninguém irá perecer no inferno por acidente ou por azar! Alguém decide e sabemos que cada um dará conta de si mesmo perante Deus; então cada um faz suas escolhas e só para terminar, deixar de escolher já é um tipo de escolha e pior do escolher errado!

Pr Jason