Tempo de Restauração

Meditação do dia 21/03/2016

Ed 2.1 Estes são os filhos da província, que subiram do cativeiro, dentre os exilados, que Nabucodonosor, rei de babilônia, tinha transportado a babilônia, e tornaram a Jerusalém e a Judá, cada um para a sua cidade;”

Tempo de restauração – Um olhar superficial nesse capítulo, tudo o que vemos é uma lista de nomes e números, que mais parece um recenseamento de população. Uma relação de pessoas que viviam no exílio e estão retornando à sua terra natal. Por outro lado, estamos vendo pessoas, uma massa de quase cinquenta mil pessoas vivendo uma experiência de ver as promessas de Deus para elas e sua nação. Setenta anos antes, uma multidão saíra daqueles mesmos lugares, como prisioneiros, derrotados, envergonhados e formando uma grande procissão de lamentos e choros. Homens, mulheres, jovens e crianças, indo para o cativeiro, despojados de tudo, até mesmo a dignidade pessoal. A disciplina de Deus e o seu juízo justo parece implacável demais quando assistimos o cortejo de esfarrapados levantando poeira e virando lama nas faces cheias de lágrimas de dor e pesar. Estou escrevendo isso, com muito temor, porque aquilo estava acontecendo com o “povo de Deus, os eleitos, os que tinham a revelação de Deus…” A vergonha, a zombaria aliada aos maus tratos, lançando em rosto a fé e a confiança deles em seu Deus; é quando parece que o mal é mais forte do que o bem e a mentira e o engano prevalecem sobre a verdade e a justiça. Alguém que viveu aquela experiência registrou uma lembrança daquilo: “Junto aos rios da Babilônia, ali nos assentamos e choramos, quando nos lembramos de Sião. Sobre os salgueiros que há no meio dela, penduramos as nossas harpas. Pois lá aqueles que nos levaram cativos nos pediam uma canção; e os que nos destruíram, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos uma das canções de Sião. Como cantaremos a canção do Senhor em terra estranha?” (Sl 137.1-4). Agora, eles sabiam que diferença havia entre celebrar a Deus com louvor e pureza de coração e cantar para alegria de tiranos e carrascos se divertirem com as expressões da sua fé e cultura. Quando o povo de Deus, incluindo a nossa geração, troca os valores da fé e se tornam profanos e irrelevantes e irreverentes, acreditando que não há juízo divino, ou que a fé pode ser relativa e cada um fazer as escolhas que quiserem que no final, tudo vai dar certo, afinal, nós somos “o povo de Deus.” Agora, setenta anos depois de muito choro, sofrimento e experimentarem todo sorte de opressão e maldade, toda sorte de profanação e afronta, chegou o tempo de voltarem, como Deus havia dito. Agora era o tempo certo para iniciar a restauração. Mas antes de restabelecer um estado, as pessoas teriam que serem restauradas, na fé, no amor a Deus e no apego as palavras de Deus. Quando Deus fala, isso deve ser levado em consideração, porque suas palavras se cumprem de fato e de direito. O cativeiro é um tempo onde o juízo de Deus é aplicado integralmente, até que as lições sejam aprendidas e a justiça de Deus se satisfaça.

Senhor meu Deus, tu és justo e santo em tudo o que fazes e as tuas promessas são firmes e fiéis, quer sejam para bênção e prosperidade do teu povo, quer para juízo e castigo pelos pecados cometidos. A tua Palavra jamais volta vazia depois que o Senhor a profere, sendo assim, guia o nosso coração para os caminhos da benção e da obediencia a ti. Restaura o nosso coração para a confiança plena em ti e assim poderemos prevalecer e nos estabelecermos na terra que o Senhor nos deu. Como aquelas famílias voltando as suas terras e cidades para começar tudo de novo, assim queremos viver uma nova vida, agora restaurada por tua graça, depois de termos estrago muito daquilo que ganhamos de ti e não soubemos usar. Em Cristo, somos novas criaturas, tudo se faz novo e isso é o fim do nosso cativeiro ao pecado, ao mundo e ao mal. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Meditação do dia 20/03/2016

2 Cr 36.14 No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia (para que se cumprisse a palavra do SENHOR, pela boca de Jeremias), despertou o SENHOR o espírito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregão por todo o seu reino, como também por escrito, dizendo:”

O Senhor dos corações – Ao examinarmos as Escrituras, nos deparamos com certas passagens que parecem coisas tão corriqueiras, que nem merecem uma atenção mais apurada; ou então não conseguimos ver as coisas como elas realmente são, porque estamos focados apenas naquilo que é aparente, material e trivial, no sentido daquilo que encaixa no padrão de “normal.” Se, de fato agirmos, com base nisso, acabaremos por acreditar apenas no plausível e sem mais nenhuma intervenção divina, visando um plano maior. No livro de Provérbios, há uma citação, que gostamos muito de meditar e aplicar, quando estamos encrencados e uma autoridade superior está barrando os nossos interesses ou projetos, veja: Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o seu querer” (Pv 21.1). Por este texto entendemos perfeitamente bem que Deus pode colocar pensamentos, idéias, propósitos no coração de uma pessoa, para que ela realize a sua vontade. Todos os israelitas que estavam vivendo no cativeiro na Babilônia e ansiavam por retornar à sua terra natal e reconstruir seu pais e suas vidas novamente, viam a mão de Deus em tudo que foi decretado pelo rei Ciro, do império persa, que forma que todos fossem beneficiados com o repatriamento oficial e com a bênção do estado. Pois bem, Quando lemos também no livro do profeta Daniel que era contemporâneo e até ministro desse mesmo rei Ciro, lemos ele afirmar em palavra profética da parte de Deus o seguinte: Falou Daniel, dizendo: Seja bendito o nome de Deus de eternidade a eternidade, porque dele são a sabedoria e a força; E ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos. Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.” (Dn 2.20-22). Aqui também está muito bem claro que Deus pode estabelecer e destituir governos. Qual a novidade? Não há novidade, tão somente a constatação de que Deus, o nosso Deus ainda está no controle de todas as coisas, até mesmo de todos os governos, mesmo daqueles cujas pessoas e governantes não estão comprometidos em servir a Deus e viver a sua vontade. Mas quando uma situação envolve a vida do povo escolhido e os interesses do Reino de Deus e consequentemente a redenção humana, o Senhor intervem, sem tirar a autoridade de ninguém. Todos na verdade, lhe são servos e estão à sua disposição. Quando olhamos para o Brasil, nos dias atuais e a impressão é que estamos num beco sem saída, ou qualquer outra situação irremediável, tendemos a querer ver apenas aquilo que nós podemos fazer para ou não podemos, para que a situação mude. A oração, a intercessão acompanhados de louvor e adoração ainda é o caminho mais viável. A manjedoura está vazia, a cruz está vazia, o túmulo está vazio, mas o trono do Senhor está ocupado, tem alguém sentado nele. E como bem sabemos, “Ao que se assenta no trono e ao cordeiro, seja a honra, a glória, o louvor…..para todo sempre, amém. Jesus, ainda é e sempre será o Senhor do Brasil!

 

Senhor, eu oro abençoando a minha nação com toda sorte de bênçãos em Cristos Jesus. Nada acontece sem que o Senhor queira, e se precisamos como povo brasileiro, receber um juízo e uma disciplina, com toda certeza o Senhor nosso Deus tem toda ração e aplicar o seu justo juízo. Confessamos e admitimos a nossa culpa, por toda e tanta injustiça, mentiras, calunias, subornos para cegar a justiça e a verdade. Somos culpados da violência e do descaso com as vidas preciosas e amadas por ti, que estão jogadas aos montes nos hospitais, nas ruas e guetos de drogas e misérias das nossas cidades. Somos culpados da ganancia e extorsão financeira, do abuso financeiro e da injustiça dos juros e impostos que sobrecarregam os pessoas e famílias somos culpados. Somos culpados pela luxúria e depravação moral, do abuso infantil e dos idosos, da escravidão e exploração do trabalho alheio sem o justo pagamento. Somos culpados de não valorizarmos a tua Palavra e os teus mandamentos e escolhermos o que nos é mais fácil e mais agradável. Reconheço, peço perdão e me disponho a mudar os meus caminhos, para abraçar os teus termos e me render a ti e ao teu governo. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Sem Remédios

Meditação do dia 19/03/2016

2 Cr 36.14 “Eles zombavam dos mensageiros, desprezavam as palavras de Deus e mofavam dos seus profetas, até que subiu a ira do Senhor contra o seu povo, e não houve remédio algum.”

Sem remédios – Ficar numa condição de não ter recursos é muito ruim, é muito drástico. Quando vemos essas notícias de calamidades extremas, onde as pessoas ficam inacessíveis ao socorro e ajuda humanitária, até mesmo à distancia, nos desesperamos por elas. Mas quando vemos uma nação sofrendo o juízo divino de forma impiedosa por causa dos seus pecados e escolhas erradas, sentimos pena daquelas pessoas menos favorecidas que não tem muitas possibilidades também não necessariamente tinha culpa nos grandes pecados da nação. Olhando para esse texto e podemos notar que Deus leva em consideração à luz que esse povo tem, em termos de conhecimento de sua pessoa e da revelação de sua palavra a eles. Por muito tempo o Senhor vinha chamando a atenção desse povo, para que se arrependesse e mudasse de rumo. Ele fazia isso através dos seus servos os profetas, ou mensageiros enviados para mostrar-lhes a condição em que estavam vivendo e como era necessário uma mudança de posição. Mas ao invés de prestarem atenção na Palavra de Deus, e dar ouvidos aos mensageiros por ele enviados, eles e aqui, se trata de um estado depravado institucionalizado; aquilo virara cultura antagônica à verdade. Zombaria, escárnio, desprezo não só à verdade, mas a quem a sustentasse e a proclamasse. Virou mania nacional! Chegou a um tal ponto que Deus disse: “Basta: Não dá mais!” Então eles foram levados ao cativeiro, para aprenderem na prática a diferença entre a servidão à Deus e a servidão aos homens. Confesso que não me agrada um estágio desse nível. Apenas à nível de exercício mental, eu já refleti: Se o Brasil, tivesse que cair sob o domínio de uma potencia mundial, sob qual delas seria bom, ou menos ruim? Não gostei nada das conclusões que observei; pois desde os nossos patrícios portugueses que descobriram nossas terras e não deixaram saudades com seu tipo de governo e modo como nos tratavam como povo, não dá para querer repetir de novo. Nos livramos deles em 1822 e ao observar as outras colônias deles na África, como Angola, Monçambique, Guiné Bissau, etc, que só no século XX, nos anos 70 conseguiram sua liberdade, e os anos de dominação não lhes ajudaram muito e quanto saíram o estrago que deixaram foi muito grande. Mas os outros países que dominaram colônias, fizeram algo melhor em algum lugar do planeta? Os homens definitivamente não são o melhor caminho para ensinarem outros povos sobre obediência. Deus ainda é o melhor Senhor em todo e qualquer sentido. Suas leis são justas, seus caminhos são retos e tudo que Ele faz é revestido de amor e graça. Manter Deus distante da vida, nunca é sábio. Zombar das verdades de Deus é sinal de estupidez. Ser rebelde e contumaz, não trás progresso a ninguém. Quando Deus te advertir, procure agir prontamente em obediência e alegria. Você só tem a ganhar.

Pai, obrigado pelas lições que a vida pode nos ensinar, mas isso não substitui a obediência imediata à tua Palavra e à tua vontade. Sou grato, por todas as oportunidades que recebi para refazer meus caminhos e andar novamente nos trilhos do Senhor. Que a tua Palavra me conduza para mais perto de ti, a cada dia. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

De Que Lado Deus está?

Meditação do dia 18/03/2016

2 Cr 35.14 “Então, Neco lhe mandou mensageiros, dizendo: Que tenho eu contigo, rei de Judá? Não vou contra ti hoje, mas contra a casa que me faz  guerra; e disse Deus que me apressasse; cuida de não te opores a Deus, que é comigo, para que ele não te destrua.”

De que lado Deus está? – Perguntar de que lado Deus está numa disputa, parece uma ação de insana insensatez; mas pode não ser uma mera maneira de filosofar. Embora todo cristão saiba e creia que Deus é soberano sobre todas as coisas e infinitamente grande; além de imparcial, mas no fundo, no fundo mesmo eles acreditam que Deus seja cristão, e alguns até arriscam que Ele é Evangélico e uns mais ousados, que Deus é da sua própria denominação. Há pessoas que acreditam piamente que Deus separa uns como seus filhos e os outros é só o resto, e a grande batalha é nós e Deus contra o resto. O Rei Josias, foi uma pessoa maravilhosa, um bom rei e fez coisas que realmente agradaram a Deus; também foi um restaurador das saudáveis práticas da fé judaica e zeloso para com o culto e o templo. Mas em certa etapa da vida, ele resolveu interceptar o rei do Egito que estava de passagem para fazer guerra contra uma outra nação e Josias não era aliado de nenhuma das partes e não tinha nada com o conflito em questão, mas resolveu se intrometer mesmo assim. O rei do Egito mandou a ele uma mensagem, que o versículo do nosso tema hoje. O rei foi muito claro, ao dizer que não tinha questão com ele e o contrário também era verdade; mas que Josias ficasse em paz e sossegado em sua casa. Acredito que a presunção do coração de Josias, foi se sentir ofendido pelo fato de rei do Egito dizer que Deus havia falado com ele e lhe comunicado uma palavra de vitória contra um adversário. Então Josias imaginou que isso era impossível, afinal, Jeová era o Deus de Israel e que lutava por Israel e contra os inimigos de Israel, nunca seria favorável ao Egito ou a qualquer outro povo. Deus estava sendo um Deus exclusivo de um único povo e ninguém poderia arrogar para si esse direito de também ser abençoado por Deus. Quero dizer, aqui, que não há uma postura de minha parte sobre ecumenismo ou misturar tudo e vai dar no mesmo. Mas se a minha fé ensina que Deus criou todos os povos, que Ele ama todos os povos e que todo aquele que lhe invocar será abençoado; que Ele não faz acepção de qualquer espécie, então porque me assustar quando alguém fora do meu círculo de convivência diz algo sobre Deus? Missionários nossos que atuaram na amazonia, contam histórias como a do índio de certa tribo já bem evangelizada, mas ele próprio não se convertera e um dia ao voltar de uma pescaria sem bons resultados, e preocupado com a família já faminta na aldeia, teve um encontro com alguém que ele afirma ser o Jesus que os missionários pregavam, que lhe apareceu na selva e indicou um local onde pegaria bastante peixe e ele realmente foi lá e pegou muitos e bons peixes. Depois ele disse aos missionários que conhecia pessoalmente esse Jesus que vocês falam, pois ele me ajudou na pescaria. E aí? É história de pescador ou não detemos os direitos exclusivos sobre revelações de Deus?

Senhor, tu és soberano sobre todas as coisas e não temos todo o conhecimento que nos dá o direito de exclusividade. Somos amados, aceitos e guardados por ti, de forma muito amorosa e especial. Mas precisamos nos submeter à tua perfeita vontade e ao amor redentor que tens para com todos os povos. Oro ao Senhor com um coração desejoso de experiências novas a cada dia contigo e com tua Palavra. Obrigado pela pessoa maravilhosa do Espírito Santo que nos guia a toda a verdade. Que o teu amor alcance muitas vidas e não seja impedido pelo nosso orgulho ou vaidade. Jesus ama todos as pessoas igualmente ama a mim e aos meus. Permita que eu tenha discernimento para saber que o Senhor pode falar com qualquer um, desde que seja do teu propósito. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Encontraram Um Tesouro na Tesouraria

Pr Jason

Meditação do dia 17/03/2016

2 Cr 34.14 “Quando se tirava o dinheiro que se havia trazido “a casa do Senhor, Hilquias, o Sacerdote, achou o livro da Lei do Senhor, dada por intermédio de Moisés.”

Encontraram um tesouro na tesouraria – Certamente quando os tesoureiros do templo foram recolher as ofertas e contabilizar os valores, esperavam achar uma boa quantia, mas acabaram  por encontrar um tesouro de muito maior valor. Os últimos anos da história daquele povo tinha sido de muitos acontecimentos ruins para as coisas sagradas do templo. Sucessivamente os reis alternavam em bons, ruins e muito ruins. O templo construído por Salomão, que parecia ser o coração daquela nação, o centro da adoração e da vida espiritual do povo, fora violado várias vezes, abandonado e trancado suas portas e ficado sem manutenção adequada. Muitos dos vasos e utensílios sagrados utilizados nas cerimonias e rituais, foram perdidos, estragados  ou simplesmente abandonados. Provavelmente numa dessas investidas de profanação, algum dos sacerdotes, temendo o pior, tomou o livro sagrado, pode até ser uma das cópias originais autografadas, e escondeu dentro do gazofilácio, para que fosse preservado de destruição. A descoberta desse livro é uma boa notícia, mas revela que houve um período difícil em que a Palavra de Deus esteve oculta e inacessível ao povo. Em se tratando de um período de tempos difíceis, até entendemos, pois sob perseguição e correndo riscos, os amantes da Palavra de Deus guardariam com muito cuidado o livro, mas preservariam a mensagem viva em seus corações. Minha grande preocupação e quando em tempo de paz e em plenas condições, as pessoas que dizem amar a Deus e sua Palavra, mesmo tendo acesso e condições de ter em mãos e em suas casas quantas cópias desejarem, não se dão ao trabalho de ler, meditar e observar os preceitos divinos. Ler e estudar a Bíblia é um grande privilégio para todo cristão, afinal se trata da Palavra do seu Deus, contendo os planos e as revelações do seu querer para cada um de nós. A conversão a Cristo produz uma sede e um apetite muito grande pelo conhecimento da verdade sagrada. Estimulo e exorto as pessoas que estão sempre me ouvindo na igreja, que leiam, estudem, e se dediquem devocionalmente à Palavra de Deus. Em tempos de paz e tranquilidade, precisamos dedicar-nos a crescer em conhecimento e fortalecer nossa relação com Deus e sua Palavra, para que em períodos mais complicados, estejamos em condições de lutar e prevalecer. Lendo diariamente o equivalente a quatro capítulos, a pessoa lerá a Bíblia inteira em um ano, dedicando cerca de vinte a trinta minutos de leitura. Acredito que na face da terra não há nenhum investimento que produza maior e melhor resultado. Faço isso a quase quarenta anos e posso afirmar com convicção que vale muito mesmo fazer isso. Descubra o seu tesouro como o sacerdote Hilquias descobriu; ele foi em busca de um tesouro e achou outro que proporcionou um evento de avivamento de vida espiritual e transformação de uma nação inteira. O Brasil está também se convulsionando e aspirando mudanças para dias melhores. Sei que pela rumo da verdade de Deus, nossa nação será muito mais próspera e vitoriosa. Mas o Brasil como nação não pode ler a Bíblia e segui-la; mas você e eu, podemos, podemos e ainda colocar em ação um plano de oração para que ela produza em nós uma revelação da graça de Deus para ajudarmos de forma efetiva e permanente, a nossa nação. Um Brasil melhor, se constrói com e por pessoas melhores, que amam a Deus, sua Palavra e quer ver essas bênçãos chegando a outras pessoas para que a verdade prevaleça.

Senhor, a tua Palavra permanece para sempre a mesma, porque também o Senhor é o mesmo ontem, hoje e o será eternamente. Obrigado pelo ministério da tua mensagem, escrita a nós, para nosso ensino e correção, em que o teu  querer fica evidente a medida que te conhecemos mais e mais. Oro, pedindo sabedoria ao teu Espírito Santo, para guie os nossos corações a tua perfeita vontade. Agradeço, por tudo em nome de Jesus. Amém.

Pr Jason

 

Onde Foi Que Eu Errei?

Meditação do dia 16/03/2016

2 Cr 33.1 “Tinha Manassés doze anos de idade, quando começou a reinar, e cinqüenta e cinco anos reinou em Jerusalém.”

Onde foi que eu errei? – A história desse garoto que começou a reinar com doze anos de idade e ficou cinquenta e cinco anos no trono, é uma página à parte na história e em qualquer ciência do comportamento humano, dá um bom estudo de caso e vai servir de lição para todos que alimentam a idéia de dar um jeito de alterar o que Deus está fazendo. O pai dele, o rei Ezequias, foi muito piedoso, muito dinâmico e um homem de fé e de uma folha de serviços prestados ao reino, ao culto e a Deus, que se pode comparar com muito poucos dos bons reis de Israel. Ele removeu os cultos idólatras, os objetos desses cultos e arrastou o povo de volta para servir a Deus e celebrar as festas e rituais exatamente como recomendados na Lei de Moisés. Ele adoeceu e seria recolhido por Deus e ao ser notificado disso por um profeta, entrou em crise e usou sua fé e seu relacionamento de intima comunhão com Deus para reverter o quadro e ganhou a oportunidade de viver mais quinze anos. Isso qualquer um diria que foi uma grande bênção, um milagre e todos deveriam se alegrar e comemorar. Tudo bem, isso não acontece todo dia e nem com muitas pessoas, e quando é com uma boa pessoa, todos concordam que é bom. Acontece que três anos depois da bênção, nasce essa bênção, chamada Manassés – Não sei qual a razão, mas ele se tornou o herdeiro do trono e foi o rei que mais tempo reinou naquele país; mas também foi o pior de todos, ninguém conseguiu produzir tanta maldade por metro quadrado como ele. Tudo que o Pai dele havia trabalhado arduamente para remover do país, ele trouxe tudo de volta e ainda com mais intensidade. Até sacrificar seus próprios filhos lançando no fogo em culto a um deus pagão ele fez. É isso que me leva a perguntar em nome do rei Ezequias: “Onde foi que eu errei?” De onde esse moleque herdou isso, minha gente? Como um pai tão piedoso, gera um filho, depois de receber tamanha bênção, e o filho destrói tudo que seu pai construiu e restaurou? São perguntas retóricas, é claro. Cada um somos responsáveis pelas escolhas que fazemos e responderemos por elas. Mas do ponto de vista humano, se Ezequias tivesse deixado sua vida nas mãos de Deus e seguindo seu curso natural, esse garoto não teria nascido. Por outro lado, essa história não teria acontecido e as lições dela não poderiam ter chegado até nós. Eu acredito na bênção geracional de Deus para os seus filhos e nos propósitos eternos dele, e esses planos, claro me incluem e como tal, não sou uma ilha, em descendo de alguém e produzi uma descendência que seguirá depois de mim e assim sucessivamente. Uma das minhas responsabilidades nessa corrente, é lidar bem com o que herdei e transmitir uma cultura de bênção e preparar a minha próxima geração para desempenhar plenamente a sua parte na tarefa. A obra completa planejada por Deus é que é eterna e permanente, construída por muitas gerações, cada uma contribuindo em seu tempo e com seu potencial. Um dia, todos estaremos juntos e poderemos ver a peça inteira e assim nos regozijarmos pelo que construímos. Assumir uma postura de independência e pensar só em si, é uma atitude muito ruim e compromete o projeto inteiro. Claro que Deus está atento e sabe como corrigir eventuais dissonâncias pontuais. Fica para mim, e para você, o alerta de não lutarmos contra o plano original de Deus para nossas vidas, mas entender pela fé que o Todo Poderoso, sabe o que faz e merece a minha confiança. Tentar salvar a minha pele, pode levar a um grande prejuízo difícil de controlar no futuro, que não conheço.

Pai santo, obrigado por me tornar participante de teu grande plano e no qual minha participação pode abençoar vidas e gerações ao obedecer as tuas instruções e andar pelos teus caminhos. Guia o meu coração a uma obediencia saudável e temente a ti. Preciso reconhecer que minha visão e conhecimento é muito limitados para que eu possa optar por alterar o já estabelecido por ti. Que o teu Espírito Santo me console e conforte a cada dia, para que eu possa desempenhar bem o que é esperado de mim, nessa época da história. Graças, pai, pelos outros teus filhos que estão trabalhado ao meu lado, fazendo a parte deles, e assim juntos faremos acontecer coisas muito maiores do que nós mesmos. Tu és fiel, Senhor, em todo tempo tu és fiel e justo. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Muros & Armas

Meditação do dia 15/03/2016

2 Cr 32.5 “E ele se animou, e edificou todo o muro quebrado até às torres, e levantou o outro muro por fora; e fortificou a Milo na cidade de Davi, e fez armas e escudos em abundância.”

Muros & Armas – A Palavra chave para tudo o que essa idéia quer transmitir é “SEGURANÇA.” Em todos os tempos, as pessoas e as civilizações buscaram meios de garantir a segurança. Mas sabemos também que em todos os tempos a segurança sempre foi um desafio para os dois lados. Uns querendo torná-la inviolável e inexpugnável e por outro os que tentavam meios de burlar e minar qualquer resistência. As cidades desenvolveram todos os meios possíveis e imagináveis de proteção; indo desde uma cerca tosca de gravetos e espinhos, até fosso com água e crocodilos, a muros e muralhas, com torres, portões super reforçados e dispositivos de segredos, armadilhas mecânicas e até construções como a grande muralha da China. Sempre foram alvos de ataques e tentativas de assaltos, usando desde escadas de cordas, madeiras, catapultas, fogo, até suborno de guardas e ao lendário “Cavalo de Tróia.” Vieram os tempos modernos e pós-modernos e as invenções sofisticadas, com senhas e combinações alfa numéricas complexas, leitor digital, de impressão até retina e facial e os desde os espertos até os hackers, continuam fazendo a festa. Olhe o estrago que aquele ex- funcionário da CIA conseguiu fazer, e outros mais como a WikiLeaks…. O rei Ezequias viveu um bom tempo em paz e prosperidade com a nação, mas de repente aparece um inimigo feroz e muito mal intencionado. Medidas tiveram que ser tomadas, e a segurança passou a ser uma preocupação e uma necessidade. Um muro, à muito tempo quebrado e que não merecia atenção em tempos de paz, agora precisou se refeito e reforçado com torres e um outro muro externo de proteção foi feito. A área nobre onde ficava os palácios, chamado de Cidade de Davi, também recebeu atenção especial e armas e escudos de proteção foram fabricados em grande número. Para Ezequias e Israel, eram inimigos de estado, exércitos destruidores e saqueadores de riquezas, bens e pessoas para serem escravizados e nações submetidas a escravidão e a pesados impostos para se ter alguma autonomia. Isso também ilustra fatos da vida cristã, em termos de reino de Deus, que tem o seu sentido macro de governo, com Cristo como cabeça e um arqui-inimigo maligno e destruidor. O reino, claro é composto de famílias, indivíduos e igrejas, que juntam forças para prevalecer e ampliar espaço de influencia comunicando o amor de Deus através do Evangelho. Nossas famílias precisam de proteção, o tempo todo, mas em tempos de paz e prosperidade costuma-se relaxar um pouco e desguarnecer as cercas e muros, que se tratam de valores, ações e atitudes que precisam ser cultivadas e mantidas em boa ordem. As armas da nossa luta não são materiais, carnais, bélicas e muito menos meios sujos de combater o mal. “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo” (2 Co 10.4,5). Ezequias se armou, fez todos os preparativos e levou o povo para a presença de Deus, para buscar em oração e fé. Esse é o caminho para nós também. A vitória, contra um inimigo astuto e perigoso, depende muito da ação de Deus em resposta a nossa fé e nossas orações. Uma batalha que se enfrenta sempre em duas frentes: Preparo e equipamentos adequados e confiança e oração ao Senhor dos Exércitos. As estratégias são sempre dele.

Senhor Deus dos Exércitos de Israel, assim é que te conhecemos na Palavra; Grandes são as tuas obras em favor daqueles que confiam em ti, jamais serão envergonhados e confundidos. Lutamos pela nossa fé em ti, pelo avanço e expansão do teu reino e para que como adoradores te conheçamos mais e mais a cada dia. Oramos pelas nossas famílias em busca de socorro e proteção contra os ataques e armações do inimigo de nossas almas. Oramos por um despertar do teu povo, para que tua bênção e o teu favor esteja conosco em todo tempo. Oramos pelo Brasil, a nossa nação, que caminha por vias perigosas e que afrontam a tua santidade. Mas, há um povo que se chama pelo teu nome, que ainda está de joelhos diante de ti, não se curvarão diante das provas e planos impostos pelo mau. Reivindicamos a cobertura do sangue de Jesus sobre esse contingente de guerreiros do Senhor, até que a vitória se confirme. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Dia de Manifestações

Meditação do dia 14/03/2016

2 Cr 31.1 “E acabando tudo isto, todos os israelitas que ali se achavam saíram às cidades de Judá e quebraram as estátuas, cortaram os bosques, e derrubaram os altos e altares por toda Judá e Benjamim, como também em Efraim e Manassés, até que tudo destruíram; então tornaram todos os filhos de Israel, cada um para sua possessão, para as cidades deles.”

Um dia de manifestações – Há poucos dias estava vendo uma reportagem na TV sobre a influencia judaica na cultura brasileira, que é muito maior e mais entranhada do que a maioria de nós imaginamos. O repórter citou por exemplo o costume onde a maioria das família e donas de casa normalmente fazem uma faxina geral na sexta feira; é dia de limpar, arrumar e dar uma geral. Segundo a reportagem herdamos isso do hábito judaico de guardar o sábado, portanto, na sexta feira, eles antecipavam esse serviço; não deixa de ser interessante. As festas promovidas pelo rei Ezequias, celebrando a Páscoa e restaurando o templo e o culto e convocando a população para participarem, produziu um avivamento de fé e devoção a Deus e um desejo de fazer as coisas do jeito certo de agora em diante. Por muitos anos eles vinham convivendo com uma fé contaminada com outros cultos e os altares e lugares sagrados a toda sorte de ídolos e deuses se espalhavam pelo país inteiro. Alguns desses lugares sagrados, eram bosques plantados e cultivados em homenagem a certos cultos e as estátuas e lugares elevados onde se cultuavam ou construíam marcos eram vistos em abundancia, numa concorrência desleal ao que lhes fora ensinado na lei e nos mandamentos. Ao saírem no final da festa em Jerusalém, cheios de um zelo fervoroso e um desejo de livrar-se de vez da contaminação espiritual, eles fizeram uma verdadeira operação de limpeza contra o culto pagão em Israel. Quebraram e desfizeram de tudo o que não fazia parte do culto a Jeová e que constituía violação das leis de Deus. Fizeram isso em Jerusalém e Judá e foram pelo interior do país “botando pra quebrar!” Isso foi literal! Para nós, hoje, isso é simbólico na ação, mas deve ser literal na atitude do coração. Ninguém vai sair por aí quebrando nada e coisa alguma do culto de outras pessoas ou agredindo a crença e a manifestação que lhes é assegurado constitucionalmente. A questão é nossa, dentro de nossas próprias igrejas e denominações, mas ainda mais profundo, é dentro de cada um de nós, como pessoas, indivíduos. O culto à Deus é algo muito íntimo e pessoal, já que cada um terá que prestar contas de si, perante o tribunal de Deus. O tipo de avivamento que interessa e faz diferença, acontece quando a nossa devoção e o nosso compromisso é levado tão à sério que vasculhamos a nossa vida e destituímos todo e qualquer ídolo e objeto que esteja recebendo atenção que concorra com a espiritualidade que a Bíblia  exige daqueles que adoram a Deus em espírito e em verdade. Quebrar imagens de barro e de ferro ou de madeira é fácil, o duro é renunciar a si mesmo e dar a Deus o louvor e a honra que lhe é devido. Aparentar e externamente ser puritano, santarão é fácil e simples e até dá moral. Mas Deus vê o coração e ama a verdade no íntimo, como diz no Salmo 51.6. Promover um da de manifestação é bom, mas o nosso coração tem que estar já convertido e disposto a não praticar aquilo contra o que estamos protestando. Para varrer a idolatria do mapa, tem que começar com o meu mapa pessoal.

Senhor, Tu és o Deus que vê, foi assim que Agar, a serva de Abraão te conheceu e sei que tudo vês, tudo podes e nada escapa ao teu cuidado. Nada há escondido que um dia o Senhor não trará a plena luz. Graças te rendemos por podemos andar na luz e assim ter comunhão contigo e com todos os que amam a verdade e a justiça e se esforçam por andar na tua luz. Aviva, ó Senhor o nosso coração, com avivamento que transforma e liberta, sem legalismo e no leva a crucificação da carne e seus apetites exagerados. Santifica-nos através da tua Palavra. Em Nome de Jesus, Amém.

Pr Jason

Tempo de Sentir Vergonha

Meditação do dia 13/03/2016

2 Cr 30.15 “Então sacrificaram a páscoa no dia décimo quarto do segundo mês; e os sacerdotes e levitas se envergonharam e se santificaram e trouxeram holocaustos à casa do Senhor.”

O tempo de sentir vergonha – Me lembro muito bem que o pastor Ricardo Linder, nosso professor de Velho Testamento no seminário, dizia que “vergonha” é a perda de autoridade. Ficamos envergonhados quando somos apanhados em uma situação que nos deixa sem autoridade para explicar ou justificar o que está exposto. O nosso texto aponta uma grande convocação da parte do rei para que as pessoas se humilhassem e viessem celebrar a festa da páscoa, como determinado por Deus. Durante os últimos anos, havia sempre razões para que essa festa não fosse realizada e assim os anos foram se passando e a celebração ficando de lado. Quando as multidões começaram a chegar e as ofertas e sacrifícios demandaram mão de obra especializada, por parte dos sacerdotes, muitos deles não estavam em condições de se apresentarem. O ritual exigia um grau de consagração e santificação cerimonial e muita gente provavelmente deixou para o último dia, as últimas horas e acabou não dando tempo. O rei e os sacerdotes perceberam que o povo comum foram mais rápido em se purificaram e assim estarem prontos do que os sacerdotes, que eram as pessoas que deveriam liderar as ações. A idéia, parece ser, que eles não botaram fé, que as coisas realmente aconteceriam. Tiveram uma expectativa abaixo do esperado e acabaram por passarem vergonha. Não pretendo promover um cisma entre leigos e clérigos; na nova aliança, em Cristo não há diferença entre um e outro, pois todos são sacerdotes de Deus, para ministrar a ele e ao povo. Cristo sacrificou-se em favor de todos igualmente, não havendo qualquer tipo de separação, não há escolhidos e rejeitados, abençoados e malditos, mas Cristo é tudo em todos. Estamos aguardando a volta de Jesus para acontecer à qualquer momento e a ordem para todos foi que vigiassem e estivéssemos todos preparados, aguardando a hora bendita em que o nosso Senhor se manifestará. Quando não conseguimos nos comportar ou seguir instruções claras de Deus e de sua Palavra, claro, devemos nos envergonhar e nos propor a fazer os acertos e ajustes necessários. Somos o sal da terra e a luz do mundo, então de nós é esperado algo um pouco mais elevado do que dos demais habitantes da terra. Como tal, devemos sentir vergonha a ponto de corrigirmos os pontos falhos. Contando com a graça de Deus podemos mais e melhor e isso é esperado de nós.

Senhor, me coração e a minha alma se apegam a ti, tu és a fonte da minha alegria e da minha esperança. Somos os canais por onde o teu favor chega as vidas em necessidade e precisamos estar limpos e desimpedidos para que a tua provisão flua normalmente até essas vidas. Conceda-me a graça e o favor de andar em novidade de vida todos os meus dias e me portar de modo que seja uma boa testemunha do teu amor e propósitos para salvar e abençoar muitas vidas. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Quais São as Prioridades

Meditação do dia 12/03/2016

2 Cr 29.3 “Ele, no primeiro ano do seu reinado, no primeiro mês, abriu as portas da casa do Senhor, e as reparou.”

Quais são as prioridades – Todos nós temos prioridades na vida. O que determina uma prioridade é sem dúvida os valores da pessoa. Aquilo que é importante para ela, recebe um valor e assim vai determinando o que ocupa os espaços da vida da pessoa. Para muitos, ainda há o dilema entre um valor postulado e a prática não acompanha isso, então fica um valor em teoria. Por exemplo: se perguntarmos a qualquer cristão, qual é a importância da oração? Fatalmente ele vai atribuir a oração um valor e um conceito muito elevado e nobre e que deve compor o quadro entre as primeiras prioridades da pessoa. Então estreitamos mais a relação de valores e perguntamos, qual a carga de oração dessa pessoa;  não me surpreenderia, se até você  se constrangesse e afirmasse que realmente ora menos do precisa e menos ainda do que acredita que deveria. O mesmo se dá com a leitura e estudo da Bíblia, frequência à EBD, missões etc. Quando olhamos para as ações de governo da nossa cidade, estado ou nacional, sabemos o que eles declaram como valor e prioridade, mas também sabemos que a prática não afina com o discurso. O rei Ezequias, ao assumir o governo de Israel, sucedendo a seu pai o rei Acaz, que fora terrível e mau; o novo rei já entrou colocando as prioridades em seu devido lugar. No primeiro mês de governo, já começou a desfazer as obras de seu pai, e restaurar prioritariamente o culto verdadeiro, do verdadeiro Deus. A casa de Deus, ou o templo fora fechado e profanado, recebeu atenção imediata. Os sacerdotes e levitas, que eram as pessoas vocacionadas e que deveriam agir de fato e de direito nas questões de culto e de fé, ele já convocou. reuniu e distribuiu trabalhos para que o culto a Deus fosse restaurado de imediato. Para Ezequias, o culto era o centro da vida da nação e todas as demais coisas orbitavam em torno disso. Ele acertou em cheio e produziu um avivamento espiritual, onde as pessoas voltaram para Deus, se consagraram, se santificaram e vieram cultuar com adoração verdadeira e buscar a Deus. Quando alguém almeja uma vida bem sucedida e a bênção de Deus, ele precisa chegar a essa compreensão, como o próprio Senhor Jesus disse: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33). Igrejas em dificuldades, precisam voltar para esse caminho eterno. Prioridades são prioridades e quem abra as portas é Deus, quem muda corações e mentes é Deus, se tem alguém interessado em mudanças significativas e vidas salvas e abençoadas, é Deus; e se tem alguém pode fazer alguma coisa para mudar isso é Ele também. O homem pode criar mecanismos eficientes, meios atrativos, estratégias bem formuladas… mas só Deus pode produzir vida! Só Cristo Salva! Só o Espírito Santo produz novo nascimento e conversão genuína, o resto é construir sobre areia. Ninguém ama mais a obra de Deus do que Deus mesmo! Por isso, as prioridades dele são as boas e as certas. Quero fazer do Salmo 112 a minha oração hoje.

Louvai ao SENHOR. Bem-aventurado o homem que teme ao SENHOR, que em seus mandamentos tem grande prazer. A sua semente será poderosa na terra; a geração dos retos será abençoada. Prosperidade e riquezas haverá na sua casa, e a sua justiça permanece para sempre. Aos justos nasce luz nas trevas; ele é piedoso, misericordioso e justo. O homem bom se compadece, e empresta; disporá as suas coisas com juízo; Porque nunca será abalado; o justo estará em memória eterna. Não temerá maus rumores; o seu coração está firme, confiando no Senhor. O seu coração está bem confirmado, ele não temerá, até que veja o seu desejo sobre os seus inimigos. Ele espalhou, deu aos necessitados; a sua justiça permanece para sempre, e a sua força se exaltará em glória. O ímpio o verá, e se entristecerá; rangerá os dentes, e se consumirá; o desejo dos ímpios perecerá.

Pr Jason