O Que Fazer Quando Tudo Parece Dar Errado

Meditação do dia 21/05/2016

Jó 30.9 “Agora, porém, sou a sua canção, e lhes sirvo de provérbio.

 O que fazer quando tudo parece dar errado – Para escrever ou falar sobre um tema assim, tem que ser um bom teórico, que se propõe a falar de assuntos sobre os quais não tem experiencia e vai fornecer conselhos do tipo: “faça o que falo, mas não faça o que faço!” Por outro lado, um bom candidato a discorrer o tema é alguém com boas experiências de fracasso, quedas, erros e equívocos. Bom, sou quase perito nessa matéria! Não posso me afirmar um especialista, mas já amarguei algumas quedas e fracassos que deixaram cicatrizes que não me deixam esquecer. Também tenho um tanto de perseverança e acho que misturado com bastante teimosia. Meu pai, seu Arnaldo, grande filósofo popular dizia muito que “pobre vive de teimoso!” Então aprendi vivendo. Estar no topo e ser aplaudido é fácil e quase qualquer um consegue lidar com o sucesso e ascensão; mas complicado mesmo é quando se está indo na contramão do fluxo e por mais que se mova, ainda continua afundando ou ganhando velocidade em rota de colisão. Os cristãos sempre estão exposto a situações de provações e dificuldades e assim que tudo começa, vem logo aquele personagem, especialista em acusação e começa a martelar sobre a fé da pessoa, a confiança que ela depositou na oração, em uma confissão autêntica da Palavra de Deus e parece que tudo contradiz. Pessoas boas que são atingidas por males terríveis, crianças que morrem de formas traumáticas para a família, promessas e confidencias que não se sustentaram, prejuízos vindos de fontes dantes confiáveis e seguras. O que fazer nesses momentos e nesses situações? Receitas prontas, todos tem, mas o que se espera de alguém sensato, cristão comprometido com Deus, com o reino e com o testemunho de vida? Jó sempre fora respeitado, aplaudido, reverenciado por grandes e pequenos, ninguém em seu juízo perfeito iria se referir de forma jocosa de sua pessoa. Mas de repente, ele percebeu que agora o vento havia virado de direção; ao verem aquele outrora ricaço, poderoso senhor, respeitável, conselheiro e intocável cidadão, agora sentado num monturo de cinza, se raspando suas chagas com caco de telha, fedido, repugnante até para os mais chegados, todo mundo agora zoava dele e até já se ouvia musiquinhas maldosas. Como ele disse, de pessoas nefastas, sem credencial nenhuma, tão desclassificadas, que nem ele, sendo um homem piedoso, tinha condições de dar emprego ou alguma ocupação, agora até essa se achavam por cima e podiam fazer piadinhas dele. Por conhecermos de antemão todo o livro e a pessoa de Jó, sabemos que ele prevaleceu e saiu mais forte do que no início de toda a crise. Mas a questão não como ele ou eu e você sairemos, estamos pensando em quando ainda estamos dentro do olho do furacão; quando o circo ainda está pegando fogo e estamos ainda servindo de alvo para os atiradores de pedra ou flechas. Sugiro, manter o foco na fidelidade de Deus e sua santidade. Uso como âncora nesses situações o texto de Sl 145.17,18: “Justo é o Senhor em todos os seus caminhos, e santo em todas as suas obras. Perto está o Senhor de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade.” Eu me agarro nessas verdade e não largo e faço questão de dizer: “Daqui não saio, daqui ninguém me tira!” Deus é justo em todos os seus caminhos, então o que quer que seja que esteja acontecendo, não é mal, nem injusto e Ele não vai me deixar afundar! Posso não entender, mas sei que o Senhor tem razão, pois o Senhor é justo e santo em tudo que faz. Se algo ou alguém está errado, sou eu ou a situação, mas o meu Deus continua tendo a minha inteira confiança e o meu respeito. Vocês não sabem, o bem que isso me faz!

 

Senhor, graças de te dou por tua bondade, misericórdia e fidelidade para com os filhos dos homens. O próprio nosso Senhor Jesus disse que no mundo passaríamos por aflições, mas que mantivéssemos o bom ânimo, porque ele vencera o mundo e nós também venceríamos. Lutas, provas e tribulações fazem parte da rotina de crescimento, disciplina e treinamento do Senhor para com os teus filhos. Tiago, nos recomendou a termos toda alegria ao passarmos por várias tribulações, porque elas trabalham a nosso favor e não contra nós. Tudo o que precisamos é contar com a tua graça e a tua sabedoria e isso já está prometido por ti e confirmado em tua Palavra, portanto, obrigado, porque os dias difíceis e os tempos complicados vão passar, mas as tuas promessas são tão eternas quanto o Senhor mesmo. Graças, pela vitória de hoje e a de cada dia, até o dia final; em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Bons Tempos Aqueles

Meditação do dia 20/05/2016

Jó 29.2 “Ah! quem me dera ser como eu fui nos meses passados, como nos dias em que Deus me guardava!

 Bons tempos aqueles – É muito gostoso relembrar um passado que foi bom e deixou saudades. Nada de errado com o saudosismo. As lembranças da infância, dos amiguinhos, os anos de Escola, as férias para uns lá no sítio ou na fazenda com os avós, tios e primos; para outros na cidade grande, com suas luzes, barulho e trânsito e as muitas novidades. Os biscoitos da vovò ou da mamãe ou aquele cafezinho que até hoje dá para sentir o cheiro dele passando pelo coador. São memórias maravilhosas! Mas não era disso que Jó estava falando, e também não é desse tipo de lembranças e saudades que espiritualmente devemos nos desvencilhar. No livro de Eclesiastes, recomenda-se: “Nunca digas: Por que foram os dias passados melhores do que estes? Porque não provém da sabedoria esta pergunta” (Ec 7.10). Ao ver todo o repertório de argumentos que Jó apresenta, posso entender muito bem que era um passado digno e mui respeitável; qualquer cidadão ficaria satisfeito e orgulhoso com um curriculum como aquele. Em todas as áreas de atuação ele se mostrava competente e fazia com excelência, de tal modo que alcançava o respeito e a admiração de todos, ricos e pobres, nobres e plebeus. Era um patrão exemplar, um benemérito louvável, um juiz respeitável, ético e severo contra o mal e a injustiça; piedoso e caridoso, em resumo com palavras modernas, “ele era o cara!” Acontece, que fica evidente nas entrelinhas, que nosso amigo, fez tudo isso de boa fé e com o senso de dever moral e de legítima cidadania responsável. Contudo, no fundo do seu coração ele esperava dividendos capitalizados dessas ações, para promover sua justiça diante de Deus. Ele esperava que por essas e tantas outras coisas, ele ficaria livre de sofrimento, dores e reveses comuns aos mortais. Mas agora os dias passavam e ele não percebia nenhum crédito sendo depositado na sua conta, ao contrário, parecia que seu saldo era cada vez mais negativo diante de Deus. Hoje, ele nem mais sentia que era protegido por Deus e abençoado com favores especiais. Posso lhes afirmar com muita certeza, que Jó não foi e não é exemplo ímpar desse tipo de expectativa. Já me peguei frustrado, chateado e até com vontade de jogar tudo para cima e sair correndo, com a alegação mais do que humana: “De que adiantou tudo o que fiz?… Olha só o que recebo de volta?… Isso é o que se ganha por…..” Que bom que temos um companheiro chamado Espírito Santo, que assiste tudo calmamente e só quando as coisas acalmam é que ele entra de mansinho e começa a guiar o nosso coração e a nossa mente para a verdade verdadeira e nos mostra que havíamos tomado um caminho por conta própria e começamos a fazer as regras e só nós mesmos eram os beneficiários do nosso mundinho egoísta. Bendito Espírito Santo! Nossas justiças não são lá grandes coisas! Jó descobriu isso mais tarde! É muito fácil ser bom demais dependendo de com quem nos comparamos e assim, temos plena razão de achar que temos direitos e que estamos certos. Mas é Deus que vê tudo e vê de todos os ângulos possíveis e simultâneos. Graças a Deus, que a justiça de Cristo é suficiente para nos justificar diante do Pai, pela fé!

 

Graças de dou Senhor, criador e sustentador de todas as coisas! São felizes aqueles que podem colocar a sua confiança em ti e na obra perfeita que Jesus realizou lá na cruz. Somos homens e como tais, somos falhos e facilmente nos enganamos e nossas emoções nos pregam peças; mas temos a assistência bondosa do Espírito Santo que nos guia a toda a verdade e conduz de volta os nossos corações à sensatez e à sabedoria. Obrigado pelo passado e pelas lições preciosas que posso tirar de lá, mas não quero construir o meu futuro sobre os fundamentos do consegui produzir por mim mesmo, reconheço a Jesus como um fundamento melhor e mais confiável. Socorre-nos Senhor, quando colocamos nosso coração em nossas justiças próprias e assim afastamos os benefícios do teu sacrifício perfeito. Obrigado, no teu nome, amém.

 

Pr Jason

Falou Bonito e Certo

Meditação do dia 19/05/2016

Jó 28.28 “E disse ao homem: Eis que o temor do Senhor é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência.

 Falou bonito e certo – Um dos temas bíblicos que mais me fascinam é o da sabedoria, que arrasta consigo a inteligência e o conhecimento, eles formam uma tríade poderosa e de muita importância na vida de qualquer pessoa. Jó discursou nesse capítulo em sua defesa contra os argumentos piegas dos seus amigos, falando sobre a sabedoria e sobre o seu valor. Ele faz coro com Salmos e Provérbios que dizem que não há entre os tesouros humanos e entre os bens que universalmente são atribuídos altos valores, nenhum deles, e nem a combinação de todos eles juntos, se compara a ter sabedoria. É uma virtude tão preciosa, que a Palavra de Deus lhe atribui personalidade, como se fosse uma pessoa. “Não clama porventura a sabedoria, e a inteligência não faz ouvir a sua voz? A vós, ó homens, clamo; e a minha voz se dirige aos filhos dos homens. Ouvi, porque falarei coisas excelentes; os meus lábios se abrirão para a eqüidade.
Porque a minha boca proferirá a verdade, e os meus lábios abominam a impiedade. O Senhor me possuiu no princípio de seus caminhos, desde então, e antes de suas obras”
(Pv 8.1,4,6,7,22). Gosto muito de pensar na sabedoria como a habilidade de utilizar bem e corretamente todos os recursos disponíveis. Pensando na inteligência como a habilidade ou capacidade de se adquirir informações e conhecimento e o conhecimento é aquele fundo de proposições conhecidas, ou digamos, o estoque que temos. Sendo assim a sabedoria é a capacidade de aproveitar o melhor de tudo isso. É muito comum vermos pessoas muito inteligentes, verdadeiros gênios, mas que são explorados por outros e nem desfrutam bem de suas capacidades, justamente porque lhe falta a sabedoria para gerenciar suas capacidades. Também encontramos pessoas com muita bagagem de conhecimento, mas que também não vão longe. O sábio, pode necessariamente não ser tão inteligente ou ter tanto conhecimento, mas ele sabe utilizar como ninguém o que está disponível e fazer maravilhas. Nas anos 80 e 90 havia um seriado de TV para adolescentes e que cativava até marmanjos, chamado “Mcgyver” O personagem fazia milagres com quase qualquer coisa disponível na situação. No mundo dos negócios, quantos magnatas, são chucros e até “tapados,” mas tem inteligentes e especialistas competentes que fazem tudo por bons salários. Quantas pessoas você conhece com pouco estudo acadêmico, mas altamente competente no seu campo de atuação e respeitados por todos? Muitos! Já lhe ocorreu, porque Salomão pediu sabedoria quando Deus lhe deu a oportunidade de pedir o que quisesse? Não despreze o poder da sabedoria, ao contrário, invista em adquirir, pois está disponível a qualquer que desejar e se dispor a busca-la. Ele pode ser recebida como resposta de oração e vida de consagração e temor de Deus. Então, não é difícil e nem inacessível. É uma boa pedida!

 

Senhor, Deus da sabedoria, a ti levanto a minha oração, pedindo por sabedoria e graça para realizar a tua vontade. Pai, a sabedoria é um tesouro de muita utilidade e valor para os teus filhos e quem a ama, está escolhendo a vida, a bênção e favor de Deus. Graças te damos por disponibilizar sabedoria para nós, mesmo quando falhamos em fazer boas escolhas. Perdoa-nos e guia-nos por esses caminhos que são eternos e são os teus caminhos. Dá-me, hoje a porção de sabedoria que necessito para te servir com honra e glória. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Acha Que Sabe Muito

Meditação do dia 18/05/2016

Jó 27.11 “Ensinar-vos-ei acerca da mão de Deus, e não vos encobrirei o que está com o Todo-Poderoso.

Acha que sabe muito – Quando minhas filhas era pequenas fomos passar um dia numa fazendo onde amigos trabalhavam e elas e umas amiguinhas que foram coma gente iriam ter suas primeiras experiências de pescar. Chegamos na represa e comecei a ajeitar as varas de pesca para cada uma; dei a primeira para minha caçula, já com a isca no anzol ela jogou na água praticamente na boca de uma tilápia; Ela ficou entusiasmada e nisso a segunda vara foi entregue a uma amiguinha. Aqui apareceu a pérola do dia, pois chamou a menina e disse: “venha aqui, que vou te ensinar como é que se pesca!” Ela disse isso não com ares de zoar ou se vangloriar, mas com ares de quem era profissional e experiente. Cheguei a conclusão que pescador é tudo igual, não importa a idade ou qualquer outro fator; é só pegar uma vara e “o espirito de mentiroso já está baixando.” Mas fora as brincadeiras, isso é típico do ser humano, se dar por especialista em um assunto, do qual sabe tão pouco, basta achar alguém que sabe menos. Aqui está Jó, se propondo a ensinar aos seus amigos acerca do “Modus Operandi” de Deus. Ele até promete: Vou abrir o jogo, não vou encobrir nada sobre o que tem o Todo-Poderoso. Eu sei tudo, tudo, tudinho! Sabe nada, inocente! Veja o Deus disse através do Profeta Isaías: “Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento” (Is 40.28). Quer mais? Dá para meditar nisso cantando, é isso mesmo, cantando, a letra é do Apóstolo São Paulo, a melodia é do Espírito Santo, você terá que buscar uma revelação; mas existem versões já gravadas, muito bonitas por sinal. “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém” (Rm 11.33-16). Deus é Deus e ponto! É para ser adorado, louvado, servido, amado… não estudado, discutido, dissecado, categorizado e exposto em stand de feira de ciências! Me desculpe a ironia ou o exagero (é uma brincadeira), mas é muito divertido, ver um ser humano, recebendo de outros seres humanos um título de “Mestre e ou Doutor em divindade.” Acho que quando Deus entra em crise ou tem um problema que é difícil de resolver, ele chama o Mestre ou Doutor e pergunta: “E agora? Como eu saio dessa?!” Vamos baixar a bola e nos humilharmos diante da poderosa mão do Senhor e pedir graça e misericórdia em tempo oportuno. Já somos agraciados pela redenção em termos a mente de Cristo, a presença e a assistência do Espírito Santo e uma caixa de ferramentas espirituais chamada dons ou carismas, que facilitam muito o nosso servir. A cada dia, precisamos mais e mais da bondade dele e ela não tem faltado. Então como diz o profeta  Jeremias: “Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas, Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o Senhor, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor” (Jr 9.23,24).

 

Pai de amor, graça e misericórdia, perdoa a nossa ignorância e arrogância de intentarmos ser e falar de coisas que estão longe da nossa total capacidade de compreensão. Obrigado pelo gesto generoso de tratar-nos como filhos e assim, toleras e suportas a nossa infantilidade até que venha o crescimento e um pouco de maturidade. Obrigado por se revelar e nos permitir de conhecer como um Pai amoroso e fiel, sempre verdadeiro e imutável. Obrigado pelo suprimento diário e constante de bênçãos e provisões que torna a nossa vida uma dádiva maravilhosa e assim também podemos abençoar e incentivar outros a caminhar contigo, ao nosso lado. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

A Criação Revela Deus

Meditação do dia 17/05/2016

Jó 26.14 “Eis que isto são apenas as orlas dos seus caminhos; e quão pouco é o que temos ouvido dele! Quem, pois, entenderia o trovão do seu poder?

 A criação revela Deus – Conhecer a Deus implica num relacionamento com ele. Fora disso, não é conhecimento, é informação sobre Ele. O principal motivo de se conhecer a Deus é a redenção; o homem se encontra perdido nos seus pecados e numa condição ruim de rebeldia e tentativa de viver independente do criador e com isso sua história não é nada favorável a ter um final feliz. A iniciativa de melhorar as relações, não apenas melhorar, mas acertar definitivamente, restaurando-as, foi de Deus e continua sendo, através da vida, obra, morte e ressurreição de Jesus Cristo e agora aplicada pelo Espírito Santo em nossas vidas. Há duas formas básicas nas quais Deus se revela ao homem, ou seja, se permite conhecer e ser conhecido; as chamamos de revelação natural e revelação especial. A revelação natural acontece atrás da obra criada por Deus, a natureza, o mundo, os mundos, etc. A revelação especial se dá através das Escrituras Sagradas, que é a Palavra de Deus, revelada e transmitida à humanidade. O ápice da revelação especial é através de Jesus Cristo, que nada mais é do que a Palavra, o Verbo de Deus encarnado, como diz o próprio Evangelho de João: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (Jo 1.14). O propósito dessa revelação especial, é claro, é a salvação do homem mediante a obra redentora de Jesus na cruz. Mas o nosso tema de hoje, trata-se da revelação natural, muito bem descrita no discurso de Jó aos seus amigos. Lendo o capítulo todo, encontramos diversas alusões à obra da criação e até mesmo sobre suas leis e mecanismos de funcionamento. Pode-se perceber que Jó fala de fatos científicos, que só a pouco tempo, os instrumentos científicos vieram a determinar a veracidade dos fatos, que em muitos casos, ficaram ao sabor dos medos, crendices e mitos da imaginação da sociedade por muitos e muitos anos. Jó no verso final desse capítulo 26 fala que todos esses conhecimentos sobre a grandiosidade da criação e sobre o imenso poder que certamente Deus detém, para formar um conjunto tão vasto e diverso com uma harmonia que é difícil explicar; mas que segundo ele, tudo isso não passa de fragmentos, são as orlas do conhecimento de Deus. Ainda há muito para se saber e a mente e competência do homem está muito aquém de exaurir suas possibilidades. Mas, o que quero trabalhar aqui, é o fato de que o conhecimento de Deus através da revelação natural, apesar de muito bom, interessante e esclarecedor, ele não é um conhecimento redentivo, ou seja, ele não leva a pessoa à experiência de salvação. Por mais que os estudos e pesquisas científicas e da mera observação comprovem e sanem as dúvidas das pessoas, isso não os leva a um relacionamento pessoal que conduza a pessoa a remissão de seus pecados. Isso pode ser claramente visto, por exemplo na experiencia dos sábios que descobriram a estrela que indicava o nascimento de um “rei dos judeus” e que aparecera a eles guiando até Jerusalém, ao palácio de Herodes, que não gostou nada da notícia, mas procurou um jeito de tirar proveito dela. A Estrela desapareceu ao chegar em Jerusalém e eles foram procurar respostas e elas vieram através da revelação especial. Os mestres e rabinos encontraram textos e citações que confirmavam a descoberta dos sábios e precisavam Belém da Judéia como o local exato do nascimento do Messias. Quando os sábios munidos dessa revelação saíram da cidade em direção a Belém, a estrela apareceu novamente e guiou-os diretamente até a manjedoura onde se encontravam o casal e o menino recém-nascido. A humanidade pode até se aproximar de Deus pelos seus caminhos, mas para salvação, só há um, e é o de Deus. “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (Jo 14.6). Isso é o Evangelho, a boa noticia de Deus para todos nós.

 

Pai, graças te damos porque o Senhor se agradou de nós e revelaste a tua glória e os teus planos de salvação. Não há razão para não te conhecer, mas em Jesus está a bênção e a palavra da salvação. Reconhecemos nossa incapacidade de ajudar-nos a nós mesmos em termos de redenção e por isso aceitamos o teu plano e a obra completa e irretocável de Jesus lá na cruz. Confessamos o senhorio dele e sua entrega substitutiva em nosso lugar. Obrigado pelo perdão dos meus pecados e pela proteção que encontro hoje, no sangue de Jesus. No nome de quem oramos agradecidos. Amém!

 

Pr Jason

Como Ser Justo Diante de Deus?

Meditação do dia 16/05/2016

Jó 25.4 “Como, pois, seria justo o homem para com Deus, e como seria puro aquele que nasce de mulher?

 Como ser justo diante de Deus? – Esta é uma grande pergunta, e que também tem uma grande resposta. Na própria pergunta está a admissibilidade da culpa humana, nossa culpa; sabemos e muito bem que não somos um exemplo de justiça e retidão. Mas ao mesmo tempo, temos o anseio pela bênção e aprovação de Deus, exatamente como um filho anseia pela aprovação do pai, ainda que expresse isso ao reverso, através de atitudes de rebeldia e desobediência querendo chamar a atenção do pai. Espiritualmente, Deus não precisa que chamemos sua atenção, ele é Pai presente o tempo todo, aliás, Pai presente é para os fracos, Deus é Onipresente! Desde cedo, o caminho do homem o conduz à independência e ao distanciamento de Deus, sua origem e fonte de vida. Longe de Deus, a tendência é corrupção e depravação crescente, até chegar as extremos. Mas então como ser justo diante de Deus? O Manual do fabricante ajuda: “Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano” (Ssl 32.1,2). Então, começando por aqui, encontramos a realidade de que todos pecamos e feliz aquele cujas transgressões são perdoadas e os pecados são cobertos. Esse felizardo é alguém que fez uma decisão em sua vida, tomou uma atitude coerente com os ensinos das Sagradas Escrituras, constituindo alguém para substituí-lo e assumir a culpa pelos seus erros; em tempo, só existe uma única pessoa em todo o universo, que tem credenciais para assumir essa condição, trata-se de Jesus Cristo, o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, nas palavras de João Batista. É feliz a pessoa a quem Deus não imputa maldade e se não é imputado a ele, é porque foi imputado a alguém, que é necessariamente Jesus. Por esse caminho, nos encaminhamos a chegar a uma resposta satisfatória a grande pergunta. Aos Romanos, Paulo escreveu: “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo” (Rm 5.1). O homem é justificado, se torna justo diante de Deus através da sua fé em Jesus Cristo. Há uma verdade muito forte sobre isso e que não pode dispensada: “Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada” (Gl 2.16). A fé é o elemento chave, não nossas boas ações ou intenções. Fé!

 

Obrigado pai, porque pela graça somos salvos por meio da fé e isso não vem de nós é um presente do Senhor e não depende de nossas obras, para nos não deixar orgulhosos e reivindicando merecimentos e nos gloriando de nossos feitos. Podemos entrar em tua santa presença, por causa daquilo que teu filho Jesus fez lá na cruz em nosso benefício. Graças, Senhor, pela redenção que há em Cristo e nos permite ser chamados teus filhos. Revela, ó Senhor a profundidade disso aos corações que desejam muito estar em boas relações contigo. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Atitudes Suspeitas

Meditação do dia 15/05/2016

Jó 24.16 “Nas trevas minam as casas, que de dia se marcaram; não conhecem a luz.

 Atitudes suspeitas – Há pouco tempo se espalhou entre as redes sociais e também no boca-a-boca, uma iniciativa popular para evitar assaltos e roubos à residências, através de observar certos sinais ou símbolos que gangues faziam marcando assim as residências, com um espécie de código. Neles, informavam horários favoráveis, presença de idosos, crianças, deficientes ou ausência de pessoas no local. A idéia era que as pessoas observassem se sua própria casa estava marcada e assim poder evitar o incômodo. Isso acontecendo em pleno século 21, na era digital e de comunicação em tempo real; mas já descrito na bíblia, através de uma pessoa contemporânea de Abraão, que nasceu pouco tempo após o dilúvio. A idéia então é novíssima, muito atual. O que me despertou a interesse é o fato desse tipo de pessoa, aparecer de dia e observar o ambiente, se familiarizar e sinalizar o local de forma que possa voltar à noite e fazer um assalto ou arrombamento; cometer um crime. Esse princípio de se infiltrar de dia, à luz, em meio as pessoas de bem, conviver com elas, estudar seus hábitos e práticas com uma convivência pacífica e amistosa, que não desperta suspeitas e nem desconfianças, mas tudo não passa de uma estratégia maligna, para roubar, matar e destruir. Jó afirma que essas pessoas não conhecem a luz! É verdade! Eles não gostam da  luz e nem das coisas corretas e honestas; eles fingem, simulam gostar e se sentirem bem, mas apenas com a finalidade de obter as informações de seu interesse. “E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas” (Jo 3.19,20). Estamos saturados de ver essas notícias nos meios de comunicação. Pessoas que se passaram por boas, serviçais, sacrificaram-se em demonstração de generosidade e gentileza e ganharam a confiança de famílias e outras vezes nas questões públicas, no mundo dos negócios, em escolas, creches, asilos, orfanatos e abrigos. Nas igrejas também isso é recorrente, ainda mais quando não se tem muitos critérios para selecionar ministros e ministrantes, e quando não, o estrago já está feito. Eles não conhecem a luz – eles tiram proveito da simplicidade e boa fé das pessoas. Quem nunca ouviu falar dos “golpes da loteria premiada, do falso sequestro e etc.?” Os grandes problemas enfrentados pela cristandade no mundo, normalmente em sido problemas internos; doutrinas falsas partindo de verdades consagradas; pessoas boas e respeitáveis na aparência, mas sempre foram lobos disfarçados de ovelhas. Isso deve nos servir de alerta, para prestarmos mais atenção em que nos cerca e se aproxima da gente; ou de quem estamos nos aproximando; de quem tem sido exageradamente prestativos e solidários, o que tem por detrás? No mundo dos negócios eles tem um dizer que afirma: “Não existe almoço grátis!” Se alguém está dando, existe alguém que está pagando ou irá pagar, não se iluda. Para cada pessoa que recebe sem trabalhar, existe um ou mais trabalhando sem receber. Veja se sua casa não está marcada e se está o que marcaram, o que sinalizaram?

 

Deus é meu refúgio e fortaleza, socorro bem presente na hora da angústia; Em ti, senhor colocamos a nossa confiança e esperamos no mover do seu Espírito Santo para nos guiar em toda a verdade. Obrigado por nos permitir conhecer a tua Palavra e os teus princípios de vida, que nos dão sabedoria e entendimento. Hoje, pedimos proteção e segurança contras as investidas do mal que pretendem conviver de perto conosco para minar nossa confiança e promover destruição em nossas vidas. Pedimos por nossos filhos e familiares, que se encontram em situações de exposição pública e social, deixando-os vulneráveis aos ataques do mal. Guarde-os, Pai, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Cheio de Argumentos

Meditação do dia 14/05/2016

Jó 23.4 “Exporia ante ele a minha causa, e a minha boca encheria de argumentos.

 Cheio de argumentos – Ontem escrevi sob o título “está certo, mas tá errado” e hoje fui tentado a inverter a ordem: “Está errado, mas tá certo” – mas desisti do título, mas a linha de pensamento vai seguir a mesma. Seguindo os passos de Jó por esse livro e podendo ver passo a passo o desenvolvimento das narrativas, pode-se perceber que há uma variedade de planos ou quem sabe, até dimensões dos acontecimentos, mas para não complicar tanto, vou usar o termo “versão” dos acontecimentos. A primeira versão é no plano estratégico espiritual, lá em cima, onde Satanás e Deus lidam com questões e o “bicho” quer provar para Deus que “os homens são todos iguais” (Será que foi daí que as mulheres cunham essa expressão?); Para ele, os homens são adoram, servem, obedecem a Deus em troca de coisas e favores. Quando Deus mostrou para ele a vida e a pessoa Jó, com integridade, espiritualidade e retidão, sem estar pedindo nada em troca, o Diabo se estressou e acusou Deus de super proteção a Jó. Dá até pra imaginar o bicho com o dedão sujo apontando cá pra baixo e mostrando especificamente a Jó e dizendo: “Olha esse sujeito aqui, tô falando disso aqui – o cara é rico, saudável, filhos bonitos alegres, é o rei do gado e ninguém pode tocar em nada dele….Só faltou ele dizer: Assim, até eu!!!” Foi quanto ele recebeu permissão, primeiro para tirar bens e posses e não mudou nada, quando ele voltou à presença de Deus com aquela “”cara de tacho” e Deus lhe disse: “Não te falei?” Então ele apelou, “no fundo, no fundo, bem no fundo, o homem joga tudo prá cima, quando a vida dele corre risco, ele faz qualquer coisa para salvar sua pele, então se tocar nele, ele te despreza!” Foi quando o Senhor disse que poderia tocar nele, só não poderia  tirar a vida. Foi aí que as coisas pioraram cá em baixo e começou as agruras de Jó. Uma outra versão é a física e material, visível, palpável em que todos do plano físico tinham conhecimento. As causas ninguém sabia, mas as consequências estavam ali. Nesse plano é que os homens entram com seus argumentos e teorias; umas humanistas, outras espiritualistas demais, outras céticas e outras fatalistas ao extremo. Os amigos de Jó, vieram prestar solidariedade e dar apoio, mas queriam achar razões e motivos e para eles, Jó era culpado, ou no plano espiritual, por isso Deus o estava punindo, ou no plano humanístico, onde ele plantou e estava colhendo. Vejo uma terceira versão, que diria ser experimentada apenas por Jó, era uma versão digamos “holística,” Jó tinha plena consciência da realidade espiritual onde Deus atua com justiça e equidade e estava sensível à realidade física-material onde sua doença e seus males não era irreais, ele não estava psicologicamente abalado, ou esquizofrênico, não tinha distúrbios mentais, nem estava paranoico maníaco depressivo, sofrendo de alucinações. Para ele, tudo era tão real, quanto realmente o era, mas havia causas acima das simples compreensão humana. Nesse capítulo, ele disse que gostaria de ter uma audiência com Deus, assim, “cara a cara” e segundo, Deus sendo tudo o que é em termos de grandeza, soberania, justiça e tudo mais, o ouviria e lhe daria razão, por que sua causa era justa etc e tal… É ai que eu digo que “tá certo, mas tá errado!” Jó está certo ao atribuir tais qualidades a Deus e ter uma firme convicção de que alguém desse nível lhe daria razão… mas está errado, quando ele pensa saber tudo e ter os argumentos certos; certos do ponto de vista de quem? Dele? Nosso? Somos humanos e é claro que ficaremos do lado dele, emocionalmente já sabemos disso. Em qualquer disputa entre um grande e um pequeno, o forte contra o fraco, quem está de fora, torce sempre pelo menor, mais fraco etc. Mas há uma verdade bíblica que me sustenta nesse pensamento: “Não há sabedoria, nem inteligência, nem conselho contra o Senhor” (Pv 21.30).

Pai, graças pelo dia e pela vida; obrigado pelos amigos e irmãos na caminhada e também pela graça de ser chamado teu filho. Obrigado por seu tão grande, forte e sábio, a tal ponto que sabemos que não há armações humanas que possam suplantar a tua grandeza e assim estamos protegidos até contra nós mesmos. Obrigado pelas pessoas que estão em sofrimento e com o prolongar dos dias e dos tratamentos, eles têm oportunidade de te conhecer mais e melhor e assim confiarem na tua sabedoria e capacidade de cuidar deles, uma vez a vida e até o respirar deles pertencem a ti. Sabemos que não sabemos tudo e nem muito, então é sábio confiar em ti e descansar nas tuas promessas. Obrigado, por tudo, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Está Certo, Mas tá Errado!

Meditação do dia 13/05/2016

Jó 22.16 “Aceita, peço-te, a lei da sua boca, e põe as suas palavras no teu coração.

 Está certo, mas tá errado! – Ao meditar diariamente no livro de Jó e escrever uma resenha sobre um trecho de capítulo, está me proporcionando a possibilidade de separar os discursos e os pensamentos dos personagens principais, o próprio Jó, Elifaz, Bildade e Zofar, e mais para frente ainda aparecerá ainda Eliú e mais no final, o Senhor entra também nas argumentações. Hoje, a idéia principal do capítulo, discursado por Elifaz, aponta para um vertente da fé e do Evangelho que alguns seguimentos defendem e que poderíamos chamar de “Evangelho Social” com um pouco de mistura do que ficou conhecido no Brasil como “Teologia da Libertação.” Quero antes de mais nada fincar aqui uma estaca e amarrar nela a minha mulinha; porque em se tratando de Evangelho eu sou Paulino desde criança: Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema (Gl 1.8). Acredito no Evangelho para minha devoção, para minha salvação e para meu ministério; na declaração de visão da igreja local que pastoreio se afirma: “Pregar o Evangelho todo ao homem todo…” então acreditamos na necessidade cuidar da vida humana de forma integral. Sempre que um seguimento se afasta dos princípios básicos da boa hermenêutica, acabam criando distorções e às vezes verdadeiras arapucas ao enfatizarem um determinado ponto em detrimento do todo da verdade bíblica. É claro que as pessoas precisam de alimento, moradia, saneamento, saúde, trabalho, educação e cultura, proteção e dignidade etc. Também é verdade que o plano de Deus contempla todas essas coisas e muitas outras mais, que nem elas sabem, mas que em sua generosidade e misericórdia nos abençoa abundantemente. Não há preferencia por espíritos redimidos, com corpos doentes e almas sofridas, como também Deus não quer corpos sarados, malhados bronzeados com almas corruptas e espíritos separados da graça. A centralidade da mensagem da redenção aponta para Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus (I Co 6.20). Elifaz, está exortando a Jó que mecanicamente admita-se culpado, renuncie coisas e bens materiais incluindo riquezas e faça coisas boas, porque assim ele será aceito por Deus e suas obras farão sua justiça aparecer e resplandecer a ponto de até justificar a outras pessoas. A frase que ele usou, em conjunto com outras é muito bonita, é verdade bíblica, mas está dissociado da verdade verdadeira do Evangelho de Cristo e pregado pelos Apóstolos. É claro que devemos aceitar as palavras da boca de Deus e coloca-las no nosso coração; mas o conjunto da obra de Elifaz não merece o Oscar. O que Elifaz faz, não faz bem, ele desfaz!

 

Senhor, graças te damos pela verdade da tua Palavra, que para sempre permanece no céu e também nas nossas vidas. Sabemos pelo teu ensino que um pouco de fermento leveda toda a massa e o registro que permitistes acontecer das palavras de pessoas que querem induzir a uma moral aparente, mas sem piedade verdadeira, induz as almas ao erro e por fim, os levam a perdição eterna. Obrigado pelo discernimento espiritual de Jó que rejeitou tais meias verdades e se firmou em ti e não em sabedoria humana receber instrução e conforto. Verdadeiramente a Lei do Senhor é perfeita e refrigera a alma. Oro por essa sabedoria, por mim e meus colegas pastores e ministros que receberam de ti a comissão de comunicar a mensagem de salvação pela graça através da fé em Cristo, que sejamos fiéis a isso, todos os dias e em todas as circunstancias, pois essa é uma palavra da salvação. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

O Conselho dos Ímpios

Meditação do dia 12/05/2016

Jó 21.16 “Vede, porém, que a prosperidade não está nas mãos deles; esteja longe de mim o conselho dos ímpios!

 O Conselho dos ímpios – Essa expressão “conselho dos ímpios” de certa forma se popularizou entre os cristãos pela citação do Salmo primeiro que afirma: Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores (Sl 1.1). Mas é um conceito amplamente difundido nas Sagradas Escrituras, e isso trás o indício da importância do tema e de quão vasto é a sua ocorrência na vida humana. O andar com Deus implica em escolher um estilo de vida diferenciado do que é praticado pela maioria ou pelo menos aceito como normal entre os de pouco ou nenhum relacionamento com Deus. Aceitar o conselho dos ímpios está diretamente ligado a convivência e ao amoldar-se a um modo de vida que não é o nosso e nem poderemos concordar; mas a excessiva exposição a isso, leva a familiaridade e de repente já está se amoldando a um padrão abaixo do esperado e aprovado. O que Jesus espera de cada um de todos os seus seguidores é que produz influencia saudável e transformadora, como sal e luz para o mundo. O Apóstolo São Paulo afirma que “as más conversações corrompem os bons costumes” (I Co 15.33). Uma das mais notáveis experiências de cair numa situação dessas é descrita no Sl 73, onde Asafe, um dos ministros de louvor dos tempos do rei Davi e Salomão, descreve sua aventura; ao negligenciar sua vida devocional, ele colocou seus olhos e seu coração a observar a prosperidade das pessoas que não serviam a Deus e ele foi sendo emocionalmente arrastado para uma indisposição para com as coisas espirituais e colocar sua fé e confiança apenas em bens materiais, como o fazem os ímpios. Ele foi despertado à tempo e percebeu que “coisas” era tudo que eles tem e que a eternidade com Deus é muito superior a isso. Jó Estava num momento emocionalmente difícil e instável pelo seu estado de saúde, e por tantas adversidades, que não lhe sobrara praticamente nada, pois havia perdido os filhos, os empregados e servos, os animais e os bens e por fim também a saúde e os amigos o perturbavam tanto quanto seus próprios males. Em resposta as acusações recebidas ele ponderou que o grande tesouro dos ímpios eram coisas passageiras e triviais e ele jamais iria aceitar viver segundo o conselho desse tipo de pessoas. A comunhão e a intimidade com Deus, aliada à paz de espírito e uma vida de inteira dependência dos cuidados do Senhor, não podem ser medidos, avaliados ou comparados com quaisquer riquezas materiais humanas. Há pessoas tão pobres, que a única coisas que elas tem é dinheiro! Sabemos muito bem, que as melhores e mais valiosas coisas da vida, não se compra, adquire ou desfruta delas com dinheiro. A mordomia cristã ensina o melhor sistema de valor para qualquer pessoa, em qualquer lugar e circunstancia.

 

Pai, graças de damos por nas tuas palavras encontramos ensinamentos e lições que enriquecem a vida e nos tiram das dificuldades. Na multidão de conselhos há sabedoria e a tua Palavra é rica em bons conselhos. Obrigado por nos mostrar um sistema de valor acima da mediocridade e da sensação de que tudo que vale é o que vemos e podemos pegar, medir, sentir e usar. O Senhor é o nosso pastor e nada nos faltará e podemos ser guiados por abundantes recursos de tua provisão. O Senhor é a nossa suficiência e isso deve nos bastar e satisfazer. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason