Vaidade

Meditação do dia 11/07/2016

Sl 39.5 “…na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade.

Vaidade – Uma definição bem simples da palavra vaidade é: “Qualidade do que é vão, vazio, firmado sobre aparência ilusória.” Outra definição diz: “valorização que se atribui à própria aparência, ou quaisquer outras qualidades físicas ou intelectuais, fundamentada no desejo de que tais qualidades sejam reconhecidas ou admiradas pelos outros.” Em termos gerais, somando tudo, o resultado é nada! No sentido em que o texto bíblico retrata aqui, diz respeito a instabilidade da vida, ou sua brevidade em termos de duração e mais ainda, a imprecisão de sua durabilidade. Uma pessoa não nasce com prazo de validade estampada e nem tampouco pode medir com precisão sua duração com base nos antecedentes e parentesco. Nesse caso, a única certeza é realmente a incerteza. Isso produz linhas de filosofias que as pessoas podem adotar e assim nortear suas decisões. Por um lado, vem aqueles que defendem a irresponsabilidade como padrão; uma vez que se está aqui e não se sabe por quanto tempo então escolhem não se apegarem a quaisquer valores e simplesmente deixar acontecer; o dia que acabar, acabou. Isso, normalmente vai induzir a uma vida de busca apenas de prazeres temporais e gratificação físicas e poucos valores morais. Resumindo – uma existência vazia e sem significado, porta aberta para crises e transtornos de toda natureza. Na outra linha, há aqueles que vendo a vida numa perspectiva de não ter nas mãos o controle de tudo, e conscientes de que só passarão por ela uma vez, então escolhem fazer disso o melhor e mais produtivo possível. Não aceitam deixar a vida passar por eles, mas eles passam por ela plantando e edificando coisas que outros herdarão e desfrutarão. Escolhem crer que Deus está no controle e que todos hão de comparecer diante dele para prestar contas e nesse caso, o melhor é estar com a contabilidade em dia. A fé cristã oferece a opção de que a vida é uma dádiva divina e uma bênção com começo meio e fim apenas no plano físico, pois o pó vai voltar ao pó mas o espírito voltará a Deus que o deu. Nossa existência passa a ser o exercício de uma mordomia responsável e prazerosa, onde tudo que temos e nos cerca na verdade são instrumentos de serviço a Deus e ao próximo. Assim, a eternidade está dentro de nós, e trabalhos e servimos sem a preocupação de haver final ou interrupção, pois continuaremos ainda mais próximos do Pai e Criador. Assim, sendo esta “insustentável leveza do ser” deixa de ser um peso e se transforma num enorme potencial de desenvolvimento em direção a uma glória cada vez maior. “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito (Pv 4.18). Bem, continuamos sendo pura vaidade, mas vaidade com propósito, fazendo sentido e fazendo diferença, para melhor!

 

Pai da vida, graças rendemos por tudo que o Senhor disponibiliza para que a nossa existência seja verdadeiramente uma vida. Jesus Cristo, o teu amado filho é vida e vida com abundancia para todos que nele creem; ele é o Verbo da vida, nele estava a vida e a vida era a luz dos homens. Isso faz e dá sentido e dignidade ao que sou e ao que posso vir a ser, porque fui destinado para a grandeza e utilidade como mordomo de bens tão preciosos, colocados sob minha responsabilidade. Obrigado, de coração por viver isso e desfrutar da amizade e da comunhão com tantos outros teus filhos que faz a vida valer a pena. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s