Adoração

Meditação do dia 21/10/2016

Sl 141.2 “Suba à tua presença a minha oração, como incenso, e seja o erguer de minhas mãos como oferenda vespertina.

 Adoração – Há momentos que me ponho a repensar as coisas à minha volta e até mesmo as práticas que ocupam a minha atenção e intenção; confesso que nem sempre eu gosto das conclusões a que chego e essas percepções produzem inquietações no meu coração. Há coisas que seria necessário mudanças e nem sempre sei na hora o que mudar ou como fazer tais mudanças, pois o que sei e o que faço, veio de aprendizado quase que cultural ou de formas convencionais e todos praticamente fazem dessa mesma forma e não vemos muitas outras alternativas. Por outro lado, essas inquietações provocam o desejo de melhorar e lutar por aprimoramento constante e até mesmo se aventurar por novos caminhos, sem que se altere a essência do que já existe. Uma dessas coisas é a prática de culto a Deus. Tudo o que vi desde a infância vinha de uma cultura da prática brasileira, católica, ocidentalizada, já copiada pelos europeus e que enfiaram guela à baixo na colonização do Brasil. Quando me converti aos 17 anos, fui reprogramado para a prática evangélica, pentecostal, em muito uma cópia americanizada e abrasileirada com muitos usos e costumes e então ficou como sendo esta a forma de cultuar a Deus. Oração tem lá seus moldes, posições corporais e entonação de voz e palavreado rebuscado com termos bíblicos e outros próprios do universo denominacional. Assim, quando via ou vejo outra prática, como de outras culturas ou povos, tudo parece muito estranho e ficamos procurando sentido naqueles rituais, quando na verdade estou pergunto, se é assim mesmo, se Deus está nisso ou se ele realmente aceita tal coisa ou o quadradinho certo é o meu? Quando falamos de culto, certamente a oração é culto, uma parte integrante do culto a Deus e as orações tomam diversas formas para atender a devoção e a necessidade naquele momento. Podemos orar intercedendo por outros, ou necessidades que envolvem o reino de Deus e sua vontade. Podemos orar em forma de petições, quando apresentamos nossas necessidades e assim levar para Deus aquilo que precisamos de sua ajuda e intervenção para venha a acontecer. Podemos orar para louvor e adoração, quando focamos no relacionamento com Deus e estreitamos nossa comunhão. Todos esses aspectos apresentam muitas subdivisões de assuntos e temos, mas a essência é o culto e para o cristão, culto só se presta à Deus; como ensinado por Jesus em resposta ao Diabo na tentação que sofreu, “…está escrito: Ao Senhor, teu Deus adorarás e só a ele darás culto” (Mt 4.10). Fico muito feliz ao ver o progresso que cristãos piedosos alcançaram em suas vidas de adoração e contemplação, onde aprenderam o valor do silêncio, da meditação e de fazer sossegar a alma diante de Deus e desfrutarem da presença divina de uma forma que satisfaz o espírito e com o tempo vem os frutos desse estilo de vida. Em minha prática, nem mesmo o incenso é adotado, então posso imaginar como seria ver aquela fumaça aromatizada, subindo em movimentos suaves, que a fé daquele adorador entendia e cria como sendo aceita por Deus e então ele levantava suas mãos em rendição plena, as mãos para cima e o coração para baixo, a humildade autêntica esperando na misericórdia do Todo-Poderoso, uma vez que da sua parte não há merecimento algum. Todos os sias à tarde, lá pelas quinze horas, os sacerdotes faziam os rituais de sacrifícios e ofertas memoriais, com incenso, óleos e outras oblações, que eram obrigações de fé e de culto da nação. O desejo do meu coração é crescer nessas práticas e conhecer mais e mais como agradar a Deus. Oração não pode ser um peso ou uma obrigação, mas um privilégio!

Ao Deus Todo-Poderoso, autor da minha fé, me apresento diante de ti, com o coração desejoso de entender como servir e agradar aquele que tudo fez por mim. Tudo criaste perfeito e a cada povo e nação destes a eles aspectos muito peculiares, para que te adorassem de forma voluntária e espontânea com alegria e regozijo. Senhor, mais do que copiar alguém, queremos ser autênticos e desfrutar da tua presença. O Senhor é digno de todo o louvor e toda a adoração que o coração humana possa ofertar. Não reconhecemos ninguém além de ti como Deus verdadeiro e merecedor do nosso culto. Somos gratos por Jesus ter vencido lá na cruz e nos dado plenas condições de ter acesso à tua presença e entrar na sala do trono. Obrigado, Pai, por me aceitar como filho e perdoar os meus pecados e purificar-me de todo o mal e assim poder te servir em novidade de vida. Sacia, ó Senhor a inquietação da minha alma em querer te servir em espírito e em verdade, no poder do Espírito Santo. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Não Perca a Cabeça

Meditação do dia 20/10/2016

Sl 140.7 “Ó Senhor, força da minha salvação, tu me protegeste a cabeça no dia da batalha!

 Não perca a cabeça – A cabeça é por demais importante para perde-la sem maiores consequências, então, perder  a cabeça não é uma boa coisa, nem figuradamente e pior ainda literalmente. Além de ser uma peça decorativa, pois o rosto é visivelmente o cartão de apresentação pessoal mais popular entre os humanos; também é um “console” onde muitos componentes vitais ao funcionamento da pessoa como um todo está sediado ali, incluindo o “HD” principal. Quando o apóstolo São Paulo descreveu comparativamente o cristão em sua luta com um soldado romano da época, com seus trajes e equipamentos, ele fez aplicação de como cada equipamento da armadura militar, tem um comparativo similar com os aspectos da vida espiritual. O cristão enfrenta inimigos espirituais bem organizados e treinados e com anos de experiência na prática do mal. Com tamanha expertise destrutiva, cabe ao cristão se proteger e estar muito bem habilitado para sobreviver no combate e conquistar território para o reino de Deus, ou como alguns autores preferem, manter as conquistas que Cristo efetuou com seu sacrifício na cruz. Uma das peças da armadura descrita na carta aos Efésios no capítulo seis, é o capacete da salvação. Em várias outras citações bíblicas similares, essa parte do corpo é sempre citada em conexão com o ensinamento sobre a salvação. Isso é pertinente, porque em se tratando de vulnerabilidade física, um soldado em combate e ou uma pessoa, pode sobreviver e ainda viver com relativa qualidade se for ferida ou mesmo perder em parte ou total alguns de seus membros e órgãos. Porém, de nada vale salvar a pele e sair do combate sem um único arranhão ou marca em qualquer parte do corpo, mas sofrer um único golpe que leve à perda da cabeça. Perdeu a cabeça, perdeu tudo, a morte está decretada. A história da humanidade está repleta de casos em que pessoas perderam a sanidade mental e por consequecia, causou muito sofrimento e danos até irreparáveis, dependendo do grau de poder e influencia detido por tal pessoa. Imaginemos os muitos reis, imperadores, ditadores e comandantes insanos, loucos varridos ou doidos de propósito, à custa da vida e sacrifício alheio, que mancharam a história de povos e nações. Estamos perfeitamente conscientes do impacto que uma pessoa em liderança e influencia afetadas por “falta de cabeça;” ou mesmo o sofrimento que familiares e amigos padecem quando alguém transtornado por demência mental ou mero descontrole emocional, em um momento ou dia de fúria é capaz de provocar. Então, quanto o salmista escreve uma poesia e a canta em oração, pedindo a Deus que seja sua força ou a força de sua salvação e lhe proteja a cabeça no dia da batalha, podemos ver nisso, que não só o nosso culto religioso, mas a nossa vida como um todo precisa de atitudes corretas, tomadas em plena consciência e uma sanidade mental boa. Nunca deixo de pensar na senhora Herodias, aquela rainha, que induziu sua filha adolescente a pedir ao padrasto, o rei Herodes Antipas, a cabeça de João Batista numa bandeja e foi atendida, que a recebeu e repassou para sua mãe. João foi decapitado, mas quem certamente perdeu a cabeça foi a rainha, pois além de conviver com tal atitude e responder pelos danos e influencia provocada na filha, terá que enfrentar o mais justo juiz, num tribunal onde sua influencia não impera e arcar com suas responsabilidades. Mas, e quem não faz uma atrocidade tão grande, apenas umas “maldadezinhas inocentes” ou que apenas trama socialmente a queda ou a destruição da reputação ou imagem de outras pessoas? Constantemente veja gente boa, curtindo, compartilhando e fomentando coisas nas mídias sociais que são inadequadas, imorais, palavreado impróprio à moral cristã e até coisas falsas mesmas, inventadas ou fantasiosos, sem falar nas críticas ácidas a assuntos das quais são ignorantes ou simplesmente embarcam na onda dos outros….Cuidado! Não perca sua cabeça! Use-a nos momentos difíceis e controle-se diante de momentos de indignação! Sua cabeça tem tudo à ver com o seu testemunho cristão. Salve os dois!

Pai santo, obrigado por providenciar saúde e cura também para nossa alma e transformar nossa vida em algo de muita utilidade para o teu reino. Somos comprados por bom preço para glorifica-lo em todo tempo, com uma vida digna da vocação com que fomos chamados. Conceda-nos a graça de vivermos em conformidade com o que cremos e confessarmos exatamente o que abençoa a nós e a todos ao nosso redor. Peço para o dia hoje, uma atitude saudável em minhas ações e meus processos mentais e emocionais. Desejo viver de modo coerente com o modelo revelado nas Escrituras e na pessoa de Jesus. Também oramos e intercedemos pelas pessoas enfermas e atormentadas com quadros mentais de insanidade; pedimos graça e sabedoria para os familiares e profissionais que lidam nessa área para que não percam a esperança. Ministramos a benção da cura e da paz de Cristo, que excede a todo entendimento, para restaurar e trazer à normalidade a cada uma dessas pessoas em resposta às orações e ao amor de Jesus por elas. Em nome dele oramos, amém.

Pr Jason

Como Deus Me Fez

Meditação do dia 19/10/2016

Sl 139.14 “Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas oras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem;

 Como Deus me fez – Não é de hoje que sou fã desse salmo; a riqueza desse texto me deixa extasiado de alegria e minha fé confirma que as coisas são assim mesmo; o Deus a quem eu sirvo não só tem muito poder e capacidade, como sabe usá-los e criar projetos maravilhosos e funcionais. Certa vez falei no culto algo sobre esse texto e da maravilha que é o modo como Deus cria e faz com que sejamos tão especiais e preciosos. Um jovem que me assistiu, ficou fascinado com aquilo, e algum depois, ele ingressou na faculdade de medicina e ao retornar nas férias, ele veio me procurar e estava muito feliz e disse que ao iniciar as aulas de anatomia, aquilo se tornara algo ainda mais interessante, pois confirmava a sua fé e as verdades daquele salmo que ele agora podia presenciar como estudo. Ao contrário de outros jovens que são engolidos em sua fé ao adentrarem nas academias, ele se fortaleceu ainda mais. Hoje ele é residente de cardiologia e já é um excelente médico cristão. Mas voltemos ao assunto da nossa meditação de hoje; o ensino bíblico cristão sobre a criação humana, tal qual acreditamos. A Bíblia tem o testemunho da ciência que confirma a revelação bíblica de que o homem da terra é terreno. (I Co 15.47-49). Quando Deus criou o homem, a parte material foi formada à partir de material pré-existente, o pó da terra, enquanto a parte imaterial lhe foi outorgado pelo sopro divino. (Gn 2.7; 3.19). Não podemos deixar de ficar maravilhados diante da perfeição do corpo humano. (Sl 139.14). O mundo antigo celebrizou sete maravilhas, consideradas como monumentos do gênio humano. O cérebro humano em seu plano arquitetônico e incomparavelmente superior. Nele temos colunas, câmaras, galerias, pilares, cortinas rendilhadas, corredores, labirintos e vias misteriosas jamais percorridas pelo ser humano. O cérebro é o quartel-general do corpo, de onde partem as ordens que são executadas através de um magnífico sistema de comunicação chamado “sistema nervoso.” Com o auxílio do sistema nervoso podemos ver, ouvir, provar, cheirar, falar, respirar, digerir e assimilar o alimento. Nosso corpo possui o mais extraordinário laboratório químico, onde o alimento é transformado em ossos, músculos, cabelos, unhas, pele, tecidos, energia, etc. Temos uma bomba poderosíssima que faz o sangue circular – o coração. Nosso sistema de ventilação é perfeitamente controlado pelas narinas, pulmões e pele. – A única lente perfeita conhecida é a dos olhos. Um dos aparelhos mais sensíveis ao som é o ouvido. A íris do olho, funciona como mapa do corpo, registrando que lhe acontece. As vezes é preciso alguém com uma deficiência para nos mostrar o grande privilégio de se ter um corpo perfeito. Nosso corpo é a morada do nosso espírito e o nosso espírito é o templo do Espírito Santo. “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço. Agora pois, glorificai a Deus no vosso corpo” (I Co 6.19). Para que fomos comprados? Já que somos o templo do Espírito Santo, devemos cuidar bem dele, é propriedade de Deus. Somos filhos, servos e mordomos de Deus; evidentemente que precisamos de ter boas condições físicas para servir a Deus e realizar o ministério que nos deu. Um missionário jovem, no leito de morte falou ao seu amigo que o visitava: “Deus me deu um cavalo para cavalgar e uma mensagem para entregar; matei o cavalo e não posso entregar a mensagem!” Certamente Deus precisa de nós, fortes e saudáveis para servi-lo. Ver tudo isso, sabendo que foi Deus que o fez, isso nos dá dignidade e valor. Gosto muito da expressão salmista, no final do verso que escolhemos para hoje, onde ele afirma que a minha alma sabe muito bem de tudo isso, ou seja, de como Deus me fez, de quem eu realmente sou e do imenso valor que possuo. Realmente é justo dizer: Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas oras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem;

 

Pai amado, muito obrigado por ser eu  obra de tuas mãos; planejado e arquitetado para ser exatamente quem sou e como sou, com exceção ao pecado e ao que ele estragou na minha vida. Também graças de dou pelo perdão e purificação de todos os pecados, levados por Cristo lá na cruz; hoje sou uma nova criatura, criado em Cristo Jesus para as boas obras, nas quais posso e devo andar. Obrigado por ser saudável, competente e estar em condições de servir ao Senhor, servindo às pessoas e no ministério que o Senhor reservou para mim. Obrigado pela minha vida e saúde, condições físicas e sociais. Sou mais e tenho mais que realmente mereço, e reconheço ser isso, obra de tua graça e generosidade. Receba, Ó Deus trino, a minha gratidão e o meu reconhecimento. Em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Identidade e Conduta

Meditação do dia 18/10/2016

Sl 138.18 “O Senhor é excelso, contudo, atenta para os humildes; os soberbos, ele os conhece de longe.

 Identidade e conduta – Conciliar justiça e misericórdia não é tarefa fácil, para nós humanos. Já experimentou corrigir um filho numa situação que exige correção firme e justa? Então você sabe do que estou falando. Os pais são duramente desafiados em seu trato com a necessidade de separar a identidade do comportamento dos filhos. Na grande maioria, sem uma base cristã e bíblica de conduta e postura, eles ficam em cima do muro, divididos, se abençoam a identidade do filho sem afrouxar a correção da conduta. Em muitas outras, com medo de melindrar e recalcar a personalidade da criança, eles deixam de corrigir o mal comportamento. Ou na pior das situações eles amaldiçoam a identidade na tentativa de corrigir a conduta. Precisamos mesmo aprender com Deus, que faz juízo e justiça numa só ação; ele consegue ser misericordioso e justo ao mesmo tempo. Deus se mantem santo e puro ao mesmo tempo que executa juízo e justiça punitiva. Para quem ama a justiça, a verdade e clama por aprender o equilíbrio, Deus é uma fonte eterna de lição prática de como fazer o certo sem torcer o direito e sem conceder espaço ao erro. Os pregadores também circulam nas duas mãos sem conseguirem na prática expressar o caráter santo e justo de Deus; então, muitos em suas preleções apresentam um Deus tão severo, irado, justo e punitivo, que ninguém escapa de suas mãos, de seus olhos como chama de fogo e de sua ira implacável contra o pecado e fazem os pecadores verem que todos, indistintamente irão se acabar no mármore do inferno. Outros, vão para o outro lado da rodovia e mostram um Deus bonzinho, tão amoroso, tão gracioso que tolera tudo e ama tanto que o pecador está liberado para fazer o que quiser, pois Deus sabe sua fraqueza e não vai levar em conta, afinal estamos na graça e se o coração for de Jesus, o pulmão pode ser da Souza Cruz! Amados, a verdade é uma só – Jesus é a verdade! A Palavra de Deus é a verdade e Jesus é a Palavra de Deus encarnada. Só há um Deus único, santo, justo, salvador, justo juiz e pai misericordioso! O que ele falou, falou e tá falado, é verdade para todo o sempre e não será alterado nem para mais e nem para menos; suas promessas são fiéis e permanentes, quer para salvar e abençoar, quer para sentenciar e punir. O céu é real e o inferno também; pessoas irão para o céu e pessoas irão para o inferno. Uns serão felizes para sempre, e outros serão lançados no lago de fogo e enxofre e será um tormento eterno. Uma qualidade de Deus não anula a outra e o coração dele não é mole para uns e duro para outros; Deus não confunde as coisas e não misturas as bolas. Ele é excelso, tremendo em poder e majestade, mas isso não o impede e nem limita de atentar e ter comunhão com os humildes e contritos de coração. Ele ama a todos e deseja que todos sejam salvos e alcancem o conhecimento da sua graça, mas isso também não o torna inativo e tolerante para com a arrogância e altivez de espirito. Assim como conhece os bons de longe, também conhece os soberbos e os maus. Deus não precisar perguntar para saber a resposta, ele sabe e conhece tudo. Normalmente quando Deus faz uma pergunta, ele não espera uma resposta, mas sim, uma atitude! Deus te ama, Deus me ama, mas separa quem eu sou das minhas atitudes, condutas e comportamentos e vai continuar me amando, mas também vai continuar reprovando os meus erros e pecados. Não se iluda, pensando que tem como dar um jeitinho! De Deus não se zomba, pois tudo que o homem semear, certamente ceifará! (Gl 6.7)

Obrigado, por ser Deus, o meu Deus! Ser quem tu és e como és! Também sou grato por ser quem sou, um homem, falho, limitado, carente da graça e misericórdia, mas arrependido, aceito e amado por ti e comprado pelo sacrifício de Cristo na cruz. Isso é muito bom. Obrigado Pai. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Que Aprendemos Com Nossos Erros?

Meditação do dia 17/10/2016

Sl 137.18 “Às margens dos rios da Babilônia, nós nos assentávamos e chorávamos lembrando-nos de Sião.

 O que aprendemos com nossos erros? – Ao cantar a dor e a tristeza por tudo que passaram os sobreviventes de uma página triste da história do seu povo, essas pessoas também nos ensina a tirar lições dos erros que cometemos ou aprender com os erros da nossa história. Como cidadãos de uma cidade, estado e nação, como é o nosso sistema geopolítico, sofremos ou somos abençoados com erros e acertos de nossos líderes. Um bom prefeito com uma gestão eficiente e humana abençoa a toda população de seu município, como também uma má gestão ou as vezes uma decisão desfavorável, leva ao sofrimento muitas  pessoas que nem mesmo concordaram com tal decisão. A história recente do Brasil em termos de política e de governo ilustra muito bem o que estamos dizendo. Tão importante quando oferecermos nossa participação e colaboração para sairmos de tal momento difícil, também é aprendermos alguma coisa com isso e não permitir que isso se repita. Conhecendo o contexto todo não só do salmo, mas desse povo, sabemos que eles foram dominados e conquistados pelo império babilônico, naquelas guerras de conquistas e ampliações de territórios que os povos antigos faziam. Espiritualmente Israel havia sido advertido por Deus de que iriam ser disciplinados por sua rebeldia e desobediência contumaz, caso não se arrependessem e mudassem de atitude, o que não aconteceu e por isso o castigo veio e tiveram que amargar setenta anos de cativeiro, dor, sofrimento, humilhação até completar o tempo prometido e retornassem a sua terra e recomeçassem suas vidas. Seguindo a história na Bíblia, vemos tudo ao vivo e à cores. Daniel e seus amigos chegando na Babilônia e sendo levados para estudar e aprender a cultura dos caldeus para servirem no Palácio e vemos Daniel sendo um grande instrumento de Deus e vale à pena registrar que ele viveu e passou pelos setenta anos e orou fervorosamente intercedendo pela restauração do seu povo. O profeta Ezequiel também é contemporâneo desse cativeiro e trabalhou muito nessa causa, juntamente com Jeremias. Depois vemos a luta de Ester para Salvar o seu povo do extermínio, isso foi entre os exilados desse cativeiro. Esdras e Neemias, foram notávis no retorno e reconstrução da cidade de Jerusalém e da nação. Que lições eu e você temos aprendido com nossos erros, quer individuais, quer coletivos, como da igreja local, ou até mesmo de decisões tomadas no ministério, ou vida pessoa, com relacionamentos, em ações comerciais, e porque não, em pecados e erros de decisões? Deus está sempre pronto a andar conosco e nos trazer restauração e novas oportunidades, mas sem arrependimento e atitude de desejar mudanças, vamos continuar cantando sobre os “bons tempos!” Desejo fechar a meditação de hoje, com o conselho que Deus mandou dar aos cativos que não queriam se adaptar e negavam a ação de Deus naquele processo tão dolorido. “E procurai a paz da cidade, para a qual fiz que fôsseis levados cativos, e orai por ela ao Senhor: porque na sua paz vós tereis paz. (Jr 29.7). A moral da história parece ser: “Pare de reclamar e murmurar e admita seu erro, levante a cabeça e mãos à obra; sendo ou não sua responsabilidade, essa é a realidade atual e só sairemos dela, com trabalho, dedicação e unidos pelo bem de todos.”  Não desistamos, onde há necessidade, há oportunidades!

Graças te damos, ó Pai, por seu amor imenso, mesmo quando não compreendemos uma situação inteira, podemos confiar nos teus planos e em teus propósitos. Obrigado pelo perdão dos nossos pecados e pela graça de nos guiar por caminhos diferentes. Reconhecemos nossos erros e incapacidade de guiar-nos a mesmos, sem o teu cuidado. Hoje, pode ser o dia da mudança da nossa vida e uma nova história pode estar começando, ao reconhecer que situações difíceis surgem por decisões erradas de nossa parte ou de pessoas com autoridade sobre nós. Entendemos que abençoar vidas faz parte do propósito divino para nossas vidas e precisamos de tua ajuda para sabedoria e competência nas decisões que tomaremos hoje. Oramos por sabedoria do alto, de Deus, para acertarmos mais que errar; oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Sua Misericórdia Dura Para Sempre

Meditação do dia 16/10/2016

Sl 136.18 “Rendei graças ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre..

 Sua Misericórdia dura para sempre – Me ponho a imaginar como deveria ser lindo assistir ao vivo uma grande congregação cantando em coro e com diferentes vozes um cântico como esse. Uma canção de louvor e adoração a Deus, para ser entoado em celebrações coletivas nacionais e cuja letra vai traduzindo os diversos aspectos da fé daquele povo. A cada verso, uma citação importante sobre  um tema, que vai desde a confissão de fé no Deus único e criador, fazendo questão de pontificar itens da criação, reafirmando a autoria divina incontestável na teologia judaica. Mas não fica apenas nas questões de fé, culto e devoção, mas a própria história deles como nação, desde o surgimento e a grande façanha da identidade nacional, que foi a libertação do povo do sistema opressor que viviam no Egito. Para eles, ali está o soerguimento da nação com raízes na poderosa obra de Deus para confirma-los como um povo especial, aceito e predileto de Deus, coisa que eles fazem questão de cantar em versos e prosas desde então e até hoje e com certeza pela eternidade à frente. Cantar a Deus sobre Deus, firmando a sua existência e confirmando uma identidade muito forte, marcante e determinante de que ainda que eu seja uma pessoa só, um indivíduo, mas eu tenho uma história, pertenço a um povo, a um lugar, com um propósito e uma finalidade, torna a vida muito mais significativa e rica. Há um provérbio dito popularmente, mas com uma verdade central muito importante, afirmando que: “Quem não sabe para onde vai, não sabe se chegou!” Se um pessoa não tem um senso de direção de vida, de onde partiu, que direção tomar e onde necessita de correção de rota, é aceitável, que haja um nível elevado de confusão, frustração e desânimo, porque não há sentido nas ações e atitudes e muito menos realização presente ou futura que sirva de orientação e motivação. Enquanto muitos de nós tivemos um encontro transformador com Deus em uma etapa de nossa vida e dali em diante temos um propósito e um sentido de direção, imagine como é alguém que já nasce dentro de um contexto completo, com início, meio e fim para sua identidade pessoal, familiar, cultural, social, religiosa e espiritual com vista à eternidade? Quando cantam sobre gratidão ao Senhor porque Ele é bom e a sua misericórdia dura para sempre, não apenas palavras de uma canção religiosa, mas estão cantando suas vidas e sua identidade. O cristianismo, ainda é visto, pregado e crido em grande parte apenas como uma religião, até mesmo variante do judaísmo e muito pouco visto como um reino sendo implantado e com proporções eternas e abrangência muito além de ir em um templo e cantar alguma coisa e praticar certos rituais cerimonias descritos na Bíblia. Que a graça de Deus traga mais e mais iluminação sobre nossos corações e mentes, para experimentarmos de fato, as realidades que custaram tamanho sacrifício, como o de Cristo na cruz.

Senhor Deus e Pai, o idealizador de todas as coisas para todos os propósitos, que bom que podemos confiar em ti e descansarmos na capacidade do Senhor em sustentar a nossa vida e fazer com que a nossa história tenha sentido e significado. Sou grato pela identidade de filho e servo de um reino inabalável, acima das imaginações humanas, e que dará a cada de nós o sentido e a dignidade de fazer parte de algo muito maior do nós e muito além de nossa vida e existência. Obrigado pela revelação da tua misericórdia que dura para sempre e está presente em cada coração dos teus filhos. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

O Mal Latente da Idolatria

Meditação do dia 15/10/2016

Sl 135.18 “Como eles se tornam  os que os fazem, e todos os que neles confiam.

 O mal latente da idolatria – Nossa teologia cristã assevera a existência de um único Deus verdadeiro, o Criador de todas as coisas; que definimos, assim puder ser dito, como sendo um Espírito Pessoal perfeitamente bom, que em santo amor criou, sustenta, governa e dirige tudo. As Escrituras Sagradas do Cristianismo, que é também praticamente a mesma do Judaísmo, com exceção do Novo Testamento, que os Judeus não consideram. Ambos os grupos não reconhecem a existência de outro ou outros deuses, senão esses fictícios, obra da imaginação humana e que na antiguidade povoava a crendice dos povos e mantinha-os sob superstições e cultos bizarros até com sacrifício humano. No nosso Novo testamento, o apóstolo Paulo diz que deuses ou ídolos não existem de verdade, e os cultos e oferendas a eles dedicados, são na verdade encaminhados, ou melhor é desencaminhado para servir de culto ao Diabo, que é um excelente enganador. Na verdade, a idolatria se fundamenta no anseio da alma humana em adorar; o homem foi criado para adorar a Deus e servi-lo. Diante de uma atitude de rebeldia e afastamento da comunhão com o verdadeiro Deus, incapaz de discernimento e percepção espiritual, o ser humano em seu estado original decaído, procura satisfazer essa necessidade adorando qualquer coisa, desde si mesmo, até ídolos pessoais concretos e abstratos, que vão desde pessoas que admira, como familiares, esposa(o), filhos, artistas e famosos, ou outras formas, como o trabalho, a carreira, a fama, o dinheiro, a posição social, até entrar nos artigos religiosos, que vão de gurus, até espíritos e entidades, anjos, seres místicos e até deuses. O Salmo em apreço hoje, diz que as nações em torno de Israel, na época, tinham seus vários deuses, e todos com representações artísticas materiais como estátuas, santuários, altares e sacerdotes e seus rituais. Mas os deuses em si, eram aquilo mesmo, uma estátua inerte, com boca que não fala, nariz que não respira e nem cheira, mãos que não pegam e não fazem nada, pés que não andam e nem lhes dão firmeza e precisam ser servidos e carregados por seus adoradores. É vendo isso, com olhos espirituais iluminados pela revelação do Espírito Santo, que se percebe a fraude e o que na verdade acontece por trás dos bastidores. Tanto quem faz e fabrica, quanto quem serve e adora, se identificam pela comunhão espiritual e se tornam unidade. O adorador de Deus, do Deus verdadeiro, se torna um com ele, é isso que a Palavra ensina “Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele” (I Co 6.17). Da mesma forma, que serve e adora um ídolo vazio e incapaz, ao se identificar com ele também se torna como ele, incompetente, vazio, espiritualmente cego, surdo, mudo e inoperante. Porque será que o Diabo investiria tanto em manter as pessoas envolvidas até ao pescoço num culto falso, se isso não oferecesse qualquer risco para a alma e a eternidade dessa pessoa? Quanto mais longe uma alma puder ficar da luz de Deus, mais próximo ele se encontra de atingir seus objetivos de roubar, matar e destruir aquilo que Deus mais ama, a ponto de dar o seu único filho para morrer em substituição aos pecadores. Toda idolatria é perigosa! Seja cristã, pagã, espiritualista, animista, gospel e até tribal. Podem vir disfarçadas, brilhantes e reluzentes, mas ainda é idolatria.

Senhor, mantenha os nossos olhos espirituais abertos e sensíveis a luz do Evangelho de Cristo. Livra os nossos corações de serem assediados e conquistados por quaisquer que sejam as fontes de concorrência com o culto ao verdadeiro Deus. Reconhecemos a ti somente como único Deus verdadeiro, a quem amamos e a quem prestamos culto. Pedimos sabedoria espiritual ao Espírito Santo para nos guiar a toda a verdade e assim não nos desviarmos dos conceitos de culto e adoração e nem nos afastarmos de ti, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Bendizei ao Senhor

Meditação do dia 14/10/2016

Sl 134.1 “Bendizei ao Senhor, vós todos, servos do Senhor, que assistis na Casa do Senhor, nas horas da noite;

 Bendizei ao Senhor – Uma das formas de tirar melhor proveito da leitura e meditação bíblica, é a compreensão mais clara possível do sentido das palavras, termos e expressões. Familiarizamos com o linguajar evangélico, que faz muito uso de palavras e expressões, que significam muito, mas que na prática, são utilizados porque fazem parte de uma linguagem tribal, ou seja, todos os evangélicos, normalmente falam assim, então compreendemos, mas nem sempre entendemos. O idioma “crentês” fala muito e diz pouco, se não nos interessarmos de fato pela compreensão exata do que estamos lendo ou falando; também espero moderação nesse sentido, os extremos, todos são perigosos. Quando um autor sagrado usa um imperativo nos convocando para uma ação de adoração e louvor a Deus, ele espera que o façamos porque é culto a Deus, deve estar inserido no contexto da vida diária de cada adorador e não necessariamente, iremos fazer porque está sendo ordenado, requerido ou cobrado. Assim, hoje, aparece de início a expressão “bendizei ao Senhor” que não é uma novidade e nem tampouco é algo inédito, que precisaríamos de instruções mais minuciosas para praticar como é esperado. Só de olhar na grafia da palavra já vemos que é dizer bem, falar bem. Mas podemos ir mais profundo e simples do que essa simples observação gramatical. No português do dia a dia, fora dos círculos igrejeiros, pouco se usa tal expressão pois a maioria de nós se sente mais à vontade ao usar outra expressão: “Falar bem” – Por que falar bem de alguém? Por diversas razões, ou por uma razão que seja. Quando se trata de pessoas do nosso relacionamento, como familiares, amigos, vizinhos, irmãos na fé, colegas de escola ou de trabalho, chefes, líderes etc, é aconselhável não falar nada a respeito delas, do que falar mal; se não tem nada de bom para dizer, não digamos nada, assim evitamos o pecado da língua e da difamação ou no mínimo, não somos negativos. Mas quando estamos nos referindo a Deus, como é o convite do salmo, porque eu falaria bem de Deus? Por que você falaria bem de Deus? Agora sim, temos muitos e muitos motivos, razões e circunstancias que nos conduzem a uma devoção e gratidão a ponto de além de amá-lo, orar a Ele, cantar para Ele, em tudo e isso e muito mais, falar bem. Não consigo imaginar uma única situação em que justificaria não falar bem de Deus. Ele é santo, justo, fiel, abençoador, presente, generoso, perdoador, salvador, sabe tudo, pode tudo, gosta de mim, se importa comigo, fica do meu lado quando ninguém mais pode ou sabe o que fazer. Como não falar bem de uma pessoa assim? Poderíamos até dizer que Deus é TUDO para nós, mas esse TUDO, acaba não dizendo muito ou até mesmo NADA! A questão é, quais são as palavras elogiosas, bonitas e que expressam o que penso, sinto e acredito? Como escrevi no início, podemos orar e citar verdades e doutrinas que são ortodoxas, verdadeiras, porque estão na Bíblia, o pastor da igreja fala, os cristãos acreditam nisso, sempre ouvi isso, mas no fundo isso não é MEU, nem sei de verdade o isso significa. Assim tecer altos elogios a Deus, usar palavras difíceis, linguagem rebuscada, mas que não expressam minha verdadeira fé e meu verdadeiro relacionamento, isso não faz sentido. Os casais, após anos de vida comum, sabem o como expressar-se de forma que o outro entenda e se isso sair da linha, o outro já sabe que ou não foi ela que disse, ou há outras razões por trás, pois essa não é a maneira habitual dele(a) e não tem seus traços ali. Será que Deus não sabe também, qual a forma de cada um de seus filhos dizer de forma autêntica uma expressão de louvor, gratidão e reconhecimento a Ele? Claro que sabe, afinal, Ele sabe TUDO! Então, “Bendito seja Deus!” ou “Valeu, Paizão!”

Obrigado Pai, porque não existe ninguém comparável ao Senhor, em cima no céu, em baixo na terra e nem em qualquer outro lugar! O Senhor é simplesmente o melhor, o maior, antes de ti não houve, hoje não há e nunca haverá qualquer ser que se compare a ti. Eu te adoro, porque o Senhor é Deus, e independente das bênçãos e favores que tem dado a mim, continuas sendo Deus e digno de toda adoração e todo o louvor. Gosto da maneira como o Senhor faz as coisas e de como se importa com cada um de seus filhos, cuidando generosa e amorosamente de todos nós. Por tudo isso, muito obrigado. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

União, Unção, Orvalho e Bênção

Meditação do dia 13/10/2016

Sl 133.1 “O Senhor jurou a Davi, com firme juramento e dele não se apartará: Um rebento da tua carne farei subir para o teu trono.

 União, Unção, Orvalho e Bênção – O Salmo trinta e três é muito citado nos meios cristãos, pela expressão da importância da união entre a fraternidade cristã. Viver em união, certamente é um fator de progresso, produtividade e prosperidade. Fazer as coisas com o consenso é uma das coisas que torna possíveis os grandes desafios da vida. Entendemos e aceitamos muito bem, que nunca fomos a maioria, nem a unanimidade, ao contrário, mas esse é o nosso papel, o nosso lugar e o nosso legado. Israel, como povo de Deus jamais foi mais numeroso que a maioria de seus vizinhos, nações e reinos, com os quais teve que conviver e até medir forças; mas sempre prevaleceu. Impérios de poderio mundiais, como o Egípcio, o Assírio, o Babilonico, o Medo-Persa, o Grego, o Romano, Otomano, todos passaram e lá está o bichinho de Jacó, firme e forte; já prevaleceram modernamente contra os nazistas e superará o anticristo e seu governo maligno. A igreja, como novo Israel de Deus, já sofreu toda sorte de perseguição e massacre e as tentativas de extermínio foram incontáveis, mas as portas do inferno não prevalecerão contra ela, porque foi Cristo que a estabeleceu. Nossa vocação, segundo o próprio Senhor Jesus é ser sal e luz, e nenhum desses elementos precisam sobrepor materialmente ao seu ambiente, mas influenciarão sempre e prevalecerão. O chamado ao discipulado, foi dito pelo mestre, que seriam jogados como cordeiros ao meio de lobos e mesmo assim, os lobos dançam e os cordeiros seguem firme nas pisadas do autêntico “Cordeiro de Deus” que tira o pecado do mundo. Não precisamos ser a maior fatia, nem termos o apoio do mundo e o favor dos poderosos, precisamos sim, ser fieis àquele que nos chamou e fazer com excelência a missão que é nossa. Graça e suficiência necessárias nunca faltarão. Nossa união e unidade não está baseado em conceitos e valores mentais e intelectuais humanos, ou acordos e convenções, mas uma aliança eterna, cravada no coração, no mais íntimo do nosso ser, garantida pelo sacrifício de Cristo. Não precisamos e nem podemos entrar em unidade, pois, a verdade é que já nascemos nela, como disse o pastor Jonas Neves, na abertura da Assembléia Geral em Águas de Lindóia SP em 2013. Comparado a esse fator é a unção sacerdotal, que Moisés fez, ungindo a Arão, seu irmão, como o primeiro Sumo Sacerdote do culto judaico; Por herança ministerial, aquela unção passaria para suas gerações, para servirem a Deus. O poeta lembrou também que o orvalho vindo das bandas do Monte  Hermom, nas nevadas que se transformavam em correntes de águas límpidas e cristalinas que irrigavam os vales e os tornavam produtivos e ainda refrescava até no Monte Sião, na cidade santa de Jerusalém, onde para eles era o lugar da bênção e do favor de Deus. Ali era onde a vida e a bênção de Deus era ordenada, na concepção de fé deles. Todas essas coisas nos levam a meditar e desejar viver dentro dos limites da bênção e do favor de Deus e para isso precisamos nos esforçar por preservar a paz e a harmonia em todos os níveis de relacionamentos. A paz e a união começam no coração de cada um de todos nós.

Senhor, nos dependemos de ti para que os nossos corações se confirmem na graça e na paz do Senhor, que excede todo o entendimento. Queremos e precisamos viver a unidade que há no corpo de Cristo, pois nele fomos batizados e inseridos quando nascidos de novo pela obra de Cristo no Calvário. Ordena, ó Senhor a tua vida e a tua bênção sobre nós e sobre o povo do Senhor em toda a face da terra. Conceda-nos a graça do discernir o valor de pertencer ao Corpo de Cristo e assim experimentar o poder da união e da graça, para sermos tudo aquilo para o qual fomos alcançados para sermos. Cada um e todos juntos, sendo sal e luz, vida e paz disponíveis aos sedentos e famintos desta vida abundante, que ofereces. Oramos em Nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Uma Promessa

Meditação do dia 12/10/2016

Sl 132.11 “O Senhor jurou a Davi, com firme juramento e dele não se apartará: Um rebento da tua carne farei subir para o teu trono.

 Uma promessa – Sou muito interessando em tudo que a Bíblia diz sobre família, gerações, herança familiar, promessas e tudo que diz respeito a esses temas. Deus também valoriza esses assuntos, tanto é que na Bíblia há abundancia de citações e todas muito importantes. Nós somos muito limitados quanto ao tempo e ao espaço e a não ser pela fé, não conseguimos divisar muita coisa à nossa frente; não temos nem muitas garantias que estaremos aqui no dia de amanhã, por outro lado, também não temos garantias que não estaremos e a sabedoria divina  nos ensina a viver com produtividade e excelência cada um desses dias, prontos para comparecer ao “Escritório Central” e prestar contas. Mas há evidencias de coisas que ultrapassam esse senso comum, da finitude humana, como no caso desse texto nosso de hoje, onde se menciona uma promessa pessoal de Deus com juramento a Davi, sobre a posteridade dele, por tempos eternos. Entendemos que além de uma genealogia que se prolongaria por muitas gerações, também a mensagem profética, dizia respeito a um descendente em específico, que herdaria o trono sem passa-lo jamais para qualquer outra pessoa, pois ele é eterno e até mesmo declarado pelo profeta Isaías, como “Pai da Eternidade” (Is 9.6), que é ninguém mais e ninguém menos que Jesus Cristo. A expressão do verso de hoje, se refere a Jesus como “rebento de tua carne” – uma expressão emprestada, digamos da botânica, que significa um “Broto que nasce da árvore” e que tem capacidade de se tornar uma muda e uma nova planta da mesma espécie. Com isso também concorda Isaías no capítulo 53 quando se refere ao ministério e ao sofrimento do Messias: “Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo mas nenhuma beleza havia que nos agradasse” (Is 53.2). Esse mesmo Senhor Jesus é chamado de “raiz de Jessé” que era o pai do rei Davi. É muito maravilhoso um homem mortal, receber uma promessa de Deus sobre seus descendentes, para um tempo futuro muito longínquo e com garantias de cuidados para que tudo aconteça. Todos nós vivemos num contexto de gerações, somos a sequencia de gerações anteriores e a realidade presente de gerações que precisarão surgirem e se estabelecerem para tomarem posse e viver as promessas dadas aos antepassados. Assim como construímos sobre bases que nossos pais edificaram, precisamos estabilizar e dar condições viáveis para as próximas gerações. Quem não poder mais ter gerações biológicas, deve se engajar em projetos que permitam filhos espirituais e sociais que levem adiante as promessas de Deus para sua vida. Nas igrejas e na sociedade em geral, há muitos “órfãos e abandonados” e eles precisam serem adotados e amados por pessoas boas, centradas e com capacidade de dar ou devolver-lhes a capacidade criativa e produtiva para as quais eles foram criados e colocados aqui na vida e não por acaso, cruzaram o nosso caminho. Não ter filhos ou sobrinhos, primos e parentes biológicos não é desculpa para não investir em vidas com propósitos transformadores e abençoadores. Digamos que “cada um tem os filhos que Deus lhe dá!”

Obrigado, querido pai, pelo exemplo de doação sem precedentes que fizestes ao dar Jesus para vir a esse nosso mundo e dar sua vida por nós. Um preço de redenção altíssimo, mas que o teu amor faz valer a pena, a cada pecador que se arrepende e se converte aos teus propósitos. Obrigado, Senhor Jesus, por dar a sua vida para ter a nossa e assim somos integrados ao grande projeto de Deus e somos abençoados para abençoar outras vidas. Em teu nome, oramos, amém.

Pr Jason