Noé Era Homem Justo

Meditação do dia 22/12/2017

Gn 6.9 – “Eis a história de Noé. Noé era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos; Noé andava com Deus.”

Noé era homem justo – É sempre muito gratificante ver uma pessoa sendo elogiada por uma virtude cultivada em sua vida de forma a se tornar uma marca, uma característica dela. No linguajar cristão evangélico, justo é utilizado como sinônimo de pertencente a Deus, salvo, sem levar em consideração o cunho ético e moral; assim o mundo é composto de dois tipos de pessoas, os justos e os injustos, os que pertencem a Deus e os que não pertencem. Também, contrariando a doutrina da mordomia Cristã, se faz separação entre a vida pessoal e a vida espiritual (na verdade, religiosa), com isso pessoas dentro da igreja são justas enquanto dentro das quatro paredes do templo e nas suas funções eclesiásticas, mas em detrimento de um estilo bem diferente quando se trata de sua relações sociais fora do âmbito de igreja. Ministros piedosos e quebrantados e justos nos púlpitos mas ímpios e injustos no proceder assim que tira o paletó, até mesmo dentro de casa com os familiares. Temos que concordar com Tiago, que isso não é bom: Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa? Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos? Assim tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce (Tg 3.11,12). A vida de Noé era justa diante de Deus, mas também aos olhos dos seus contemporâneos e temos que levar em consideração que o povo da sua época, não era nada fácil, tanto é que foram destruídos pelas águas do dilúvio. Uma definição bastante simples e até simplória de justo, é reconhecer o que realmente se é ou tem, dando assim a cada um o que lhe é de direito. Essa virtude precisa ser trabalhada na vida, de forma que se incorpore na personalidade de tal forma que se funda e uma e outra coisa se tornam iguais. Tem muito a ver com escolhas, pois a cada momento nos deparamos com oportunidades de escolhermos como fazer, como participar e como nos portar e a nossa fé precisa ser levada em conta nessas horas. Um justo dificilmente será favorecido onde a demanda por injustiça e perversidade é privilegiada; sendo assim, os cristãos devem estar prontos para as oposições e rejeições que constantemente nos assediam. Quando um injusto tem que decidir entre um justo e um injusto, ele sempre vai preferir o parceiro de atitudes, pois escolher um justo, é certificar a si mesmo de estar errado e ninguém, com um vida egoísta, que atestar isso. Salomão fez uma recomendação interessante para orientar os justos: Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo?(Ec 7.16). Uma das minhas máximas preferidas é: “Tudo o que é demais, passa!” A tentativa de ser correto e perfeito, pode ser exagerado e ir para um outro extremo, tão perigoso e destrutivo quanto o de ser injusto. Pelo fato de só Deus ser perfeito em tudo, precisamos andar o mais próximo dele quanto nos for possível, para que nossas virtudes se mantenham verdadeiramente virtuosas e construtivas.

Pai, olhamos para ti, para andarmos de forma digna da nossa vocação como teus filhos e espelharmos o teu caráter e assim abençoar as pessoas ao nosso redor. Obrigado pela justiça de Cristo implantada em nós pela redenção. Em nome dele oramos, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s