Ninrode, o Início dos Mistérios da Babilônia

Meditação do dia 05/02/2018

No início o seu reino abran­gia Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinear. (Gn 10.10)

Ninrode, o O início dos Mistérios da Babilônia – Para não degenerar em idéias pessoas ou devaneios, vou transcrever lpis litteris o conteúdo extraído do livro de Abraão de Almeida, da editora CPAD, entitulado Babilonia, Ontem e Hoje. Que é vasto e rico instrutivamente. “Enquanto mantinha amizade e comunhão  com  o  Criador,  o  ser  humano  não   conhecia  outro  deus. Mas  veio  a  queda  e  a  separação  entre  Deus  e  o  homem.  E este, longe de Deus e não sabendo como encontrá-lo , voltou-se para a s forças vivas da natureza  e  divinizou-as. O sexo, por  ser  um  meio  de  reprodução  da  vida ,  desempenhou importantíssimo  papel  religioso,  particularmente  em Babilônia.  A  liturgia  nada  mais  era  do  que  a  descrição  de relações  sexuais  entre  o s  deuses,  mediante  as  quais, segundo os babilônios, todas as coisas vieram à existência. Dentro  do  sistema  babilônio,  o   sol,  a  lua ,  os  demais astros e a chuva recebiam culto. Também os fundadores de cidades  foram  por  estas  divinizados,  como  Assur,  pai  dos assírios,  e  Ninrode,  de  Babilônia.  Para  que  o s  deuses parecessem  reais,  faziam-lhes  imagens  que  os representassem, vindo depois as próprias imagens a serem adoradas  como  deuses.   É  o  que  registrou  Paulo  aos romanos:  “E  mudaram  a  glória  do  Deus  incorruptível  em semelhança  da  imagem  de  homem  corruptível,  bem  como de  aves,  quadrúpedes  e  répteis”  (Rm 1.23.  Deste  modo  o  homem precipitou-se  do  monoteísmo  original  nu m  abismo  de inumeráveis  cultos  idólatras  politeísticos,  alguns  deles indescritivelmente  vis  e  abomináveis,  como  a  prática nefanda de queimar vivos inocentes bebês. Em Israel,  o  Baal  introduzido  por  Acabe,  nos  dias  do   profeta Elias, foi o Melkart, da cidade fenícia de  Tiro. Marduque,  Melkart,  Kemosh  (deus  de   Moabe)  seriam apenas  algumas  das  várias  representações  pagãs  de  Ninrode.  Afirma-se  que  o  centauro,  deus grego  –  um  cavalo  com  uma  cabeça  de  homem  e  com  uma  arca  na  mão  –  era  adorado  e m  memória  de  Ninrode, que  foi  o  primeiro  caçador  e  o  primeiro  homem  a  usar  o  cavalo  para  a  caça  e  a  guerra.  O  famoso  rei de Babilônia, segundo a religião desta ímpia cidade, casou-se com Semíramis, a mesma As tarte, Astorete, Ísis, Isthar, Afrodite,  Vênus,  Diana  etc.  A  imagem  desta  última,  em Éfeso,  com  sua  coroa  de  torres  na  cabeça,  representava  a mesma mulher e era adorada como a deusa da fortificação, por ter sido ela a primeira a fortificar Babilônia com muros e torres. “Astarte é   a  Isthar  de  Babilônia,  a  deusa  da  estrela matutina,  a  Vênus  da  guerra  e  do   a mor.  Deusa  do  amor, Astarte patrocinava a volúpia e a  fecundidade. Foi dotada de  uma  personalidade  tão  rica  que  muitas  outras  deusas acabaram fundindo-se nela, de tal modo que pode a Bíblia falar  de   Astartes  no  plural  para  designar  todas  as divindades  femininas  locais.  Contudo,  a  Escritura  não desconhece  que  Astarte  foi  a  deusa-tipo,  a  rainha  do  céu, exercendo  em  todos  os  tempos  seu  poder  sedutor sobre o temperamento feminino.” Na Bíblia, ela é citada em diversas passagens. (Is 47; Jz 2.13; 10.6; I Sm 7.3,4; 12.10; 31:10; II Rs 23.13).

Senhor Meu Deus, único e soberano sobre tudo e todos , a ti o meu louvor e reconhecimento para todo sempre e sempre.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s