Tudo no Seu Devido Tempo

Meditação do dia 09/04/2018

E a quarta geração tornará para cá; porque a medida da injustiça dos amorreus não está ainda cheia.”  (Gn 15.16)

Tudo no seu devido tempo – Gostamos de tudo no seu tempo mais hábil possível. A ansiedade e a precipitação aparecerem se algo parece demorar, na nossa concepção de tempo e realização. Deus está acima desse fatores e não é limitado pelo tempo e nem sofre seus efeitos e não entendemos nada disso, mas continuamos apressados. Esse sentimento de urgência priva a maioria das pessoas de desfrutarem melhor das possibilidades que lhes aparecem. O senso do urgente trabalha contra o que é importante e bom. A psicologia financeira revela que entre o pouco agora e o muito no futuro, leva os investidores a preferir o agora, eles se sentem seguros com o que materialmente podem ter em mãos. Daí, os pacientes e perseverantes se darem melhor na vida e nos negócios. Pessoas que enriquecem com o trabalho e administração eficientes tendem a permanecerem ricos e aumentarem seus bens; enquanto quem enriquece instantaneamente, como nos prémios de loterias e assemelhados, tendem a voltar ao estado anterior e não raro, ficarem mais pobres do que antes. Abrão estava crescendo no relacionamento com Deus e aprendendo o valor das coisas. Umas delas se realizam agora, outras em breve e muitas são para futuro distante, longe do alcance das nossas possibilidades momentâneas. Tudo o que precisamos fazer é trabalhar para construir as bases e as ligações para que quando o tempo apropriado chegar, essas conexões estejam preparadas. Abrão era um homem só; como possuir um território útil para acolher uma nação inteira? Na sua atualidade, muitos povos estavam espalhados ali, então seria insano pensar em apropriar-se de tudo em nome de “a promessa é minha!” Lembrando que a promessa era para ele e para os seus descendentes… então estava tudo dentro dos planos e do cronograma divino. Só daqui a quatro gerações é que vocês voltarão para cá, disse-lhe o Senhor. Isso é desanimador, animador, nem uma coisa e nem outra? Admito que sendo humano e falível, me sentiria muito confortável com uma promessa dessa. Eu sei que não tenho garantias ou uma previsão de quanto tempo vou viver, e nem como será o futuro de meus descendentes, e no caso de Abrão, nem descendente ele tinha até então – Mas Deus, que conhece o futuro, diz a ele que não só ele terá descendente, como serão muitos e que na quarta geração, a promessa se materializa. Uma garantia de futuro que poucos mortais ganham. Outra razão para a “demora” era que a medida de maldade ou o tempo certo de exercer juízo e justiça nos moradores nativos ainda não estava no tempo certo. Eles eram maus e ao que tudo indica, ficariam piores à ponto de receberem um juízo divino de extermínio. A verdade, é que esse tempo também é útil e necessário para que o evangelho seja proclamado e as pessoas tenham oportunidade de se arrependerem. O caráter de Deus é imutável e sempre foi assim e sempre será. Ele não tem prazer na morte e na destruição de vidas humanas, suas criaturas. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se (2 Pe 3.9). Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que razão morrereis, ó casa de Israel? (Ez 33.11). Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos (At 17.30,31). O Evangelho sempre foi boas novas de salvação pela graça através da fé. Mais do que encher os templos de pessoas, evitar que pereçam e encham o inferno, deve ser uma preocupação legítima da igreja de Cristo hoje.

 

Pai, obrigado pela graça salvadora e pela justiça verdadeira que será aplicada a todos indistintamente e assim, todos precisam ouvir as boas novas do teu amor e do que fizeste por eles em Cristo. Que a igreja tenha os olhos abertos para as almas que estão caminhando para a destruição eterna e muitas dessas pessoas, bem perto de nós. Misericórdia, Senhor!

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s