Pensando errado

Meditação do dia 17/05/2018

Abraão respondeu: “Eu disse a mim mes­mo: Certamente ninguém teme a Deus neste lugar, e irão matar-me por causa da minha mulher.”  (Gn 20.1,2)

Pensando errado – Não deve ser sem razão que os ensinamentos bíblicos proíbem ao ser humano julgar o próximo. A possibilidade de errar é muito grande. A capacidade de fazer conclusões sem amparo de fatos e evidencias, baseados apenas em sensibilidade e percepção, sempre leva a juízos errôneos. Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça (Jo 7.24). Abraão chegou numa terra nova, onde tinha familiaridade com as pessoas, costumes e nem muitas informações, pensou consigo mesmo e chegou a conclusões e simplesmente agiu como se as suas conclusões fossem fatos concretos. Fica a lição para nós de que mesmo andando dentro da vontade de Deus, e em direção à nosso real vocação, ainda somos humanos e ainda estamos sujeitos à falhas e erros. A melhor maneira de diminuir isso e até evita-los é aplicar os que conhecemos; Orar a Deus – consultar ao Senhor – Pedir orientação – agir com sabedoria. Abrão estava na terra da promessa, estava peregrinando para conhece-la em toda a sua extensão, tudo exatamente como fora instruído pelo Senhor. Mesmo assim, incorreu em erros como os que cometera no passado, quando ainda não era experiente em questões de andar com Deus e dar bom testemunho. Erros não estão associados somente a estar fora da vontade de Deus no contexto geral da vida. Sentir-se maduro e experiente o suficiente para já saber o que fazer, pode levar qualquer pessoa a incorrer em pecados e erros, que podem até comprometer o que até então fora construído. Quando lidamos com aconselhamento pastoral, nos atendimentos é muito comum, pessoas admitirem que “pensou” algo e “Concluiu que…” e já partiu para a ação, tomando decisões e fazendo coisas concretas, simplesmente baseadas em suposições pessoais, quando na verdade aquilo não era fato. Abraão falou consigo mesmo, que provavelmente as pessoas daquele lugar não eram tementes a Deus e consequentemente eram más e predispostas à violência e assim ele seria alvo delas; e se ele dissesse que sua esposa Sara, era apenas sua irmã, ele poderia evitar um possível conflito de interesses e assim salvar a sua pele. Quem garante que, só porque alguém não professa a mesma fé que a minha, ela seja má e ímpia e vai querer me prejudicar? Isso pode estar baseado na presunção de que somos os únicos que conhecemos a Deus e temos relacionamento com ele. Todos estão errados e podem nos perseguir e assim a melhor defesa é o ataque, e lá vamos nós, atirando para tudo que é lado. Assim como Deus se revelou a nós e usou de misericórdia, ele pode muito bem ter feito isso com outras pessoas também! A minha conclusão pode ser um grande engano e pessoas boas podem ser prejudicadas pela minha falsa conclusão.

 

Senhor, tenha misericórdia de nós, e permita que em nossa jornada por essa vida, deixemos marcas boas e construamos relacionamentos saudáveis por onde passarmos. Uma das razões de estarmos aqui, é justamente representar a ti e revelar a tua grandeza aos povos ao nosso redor. Queremos dar um bom testemunho, sempre. Oramos em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s