Abraão Plantou um Bosque

Meditação do dia 29/05/2018

E plantou um bosque em Berseba, e invocou lá o nome do Senhor, Deus eterno.”  (Gn 21.33)

Abraão Plantou um Bosque – Dizemos que para uma pessoa realmente ter vivido e deixado uma marca sua pessoal ele precisa fazer três coisas: Gerar um filho, plantar uma árvore e escrever um livro. É perto que por trás das coisas há uma idéia de perpetuação e legado, bem como um investimento em algo que vá muito além da própria pessoa. A irmã Daphne Kirk, uma inglesa com um ministério muito atuante em reconexão de gerações, fala num de seus livros sobre uma conversa que teve com um homem que estava preocupado com sua plantação de determinada espécie de árvore, porque os coelhos poderiam comer os brotos novos e exterminar com a plantação. Ele informou que levaria cerca de 30 anos para colher. Ele estava plantando para o filho dele, como se pai fizera para ele e o avó fizera para o pai. Isso é trabalhar para um bem maior e além de si próprio, pois nós continuamos a existir através das nossas gerações. Pensar apenas no aqui e agora quebra o elo da corrente da bênção ser passada de geração em geração. Voltando para Abraão e o fato de ter plantado um bosque, e invocar a Deus ali, tem mais a ver com a adoração e atitude de fé em ver as promessas se cumprindo e saber que um dia seus descendentes desfrutariam daquilo que foi fruto do trabalho do patriarca, que fez intencionalmente para bênção e prazer das próximas gerações. Em épocas futuras, os israelitas, tiveram que agir rigorosamente contra certos tipos de cultos pagãos idólatras que se valiam de realizar suas práticas em bosques e assim, bosques dedicados a ídolos foram destruídos. “E aconteceu naquela mesma noite, que o Senhor lhe disse: Toma o boi que pertence a teu pai, a saber, o segundo boi de sete anos, e derruba o altar de Baal, que é de teu pai; e corta o bosque que está ao pé dele” (Jz 6.25). “Também tirou da casa do Senhor o ídolo do bosque levando-o para fora de Jerusalém até ao ribeiro de Cedrom, e o queimou junto ao ribeiro de Cedrom, e o desfez em pó, e lançou o seu pó sobre as sepulturas dos filhos do povo” (2 Rs 23.6). Ao escolher servir a Deus e andar nos seus caminhos, o glorificamos com todas as nossas ações e atitudes. Isso está representado naquilo que construímos, edificamos ou adotamos como permanentes para nossa família e sociedade. Valores são plantados pelos pais e cultivados e recomendado que se passe para as próximas gerações. No Brasil vemos muitas festividades, religiosas e seculares ou misturadas, que se repetem todos os anos, algumas delas centenárias e que os participantes sentem orgulho de estar passando à frente algo que receberam de seus antepassados. Algumas dessas coisas são abraçadas pela cultura e entra até no sistema educacional. O povo de Deus precisa ter memoriais que se perpetuem e sejam passados para as próximas gerações. É muito triste ver pessoas que se converteram, se casaram e tiveram filhos, que já na segunda geração estão fora dos caminhos do Senhor; a bênção nem passou de uma geração!!! Pensando como Abraão: O que você está plantando que só seus descendentes vão colher ou desfrutar?

Obrigado, Senhor por trabalhar com princípios que perduram muito além do nosso limitado tempo de vida. Permita que tenhamos uma consciência mais geracional e investirmos em realidades além do nosso próprio ciclo de vida terrena. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s