A Circuncisão de Isaque

Meditação do dia 23/11/2018

 E Abraão circuncidou o seu filho Isaque, quando era da idade de oito dias, como Deus lhe tinha ordenado.”  (Gn 21.4)

 A Circuncisão de Isaque – Depois de tantos anos passados, é até fácil para nós, ocidentais, pensar que para Abraão circuncidar seu filho Isaque não era algo de tão grande importancia, era até corriqueiro para aqueles tempos. Para mim, não é assim. Ainda que circuncisão fosse algo já usual entre aqueles povos, para Abraão aquilo tinha uma conotação espiritual mais profunda; Deus mesmo, pessoalmente falara com ele sobre aquilo a uns catorze anos atrás e naquela oportunidade, ele próprio fora circuncidado e seu filho Ismael e outros homens de convivência. Agora, se tratava de circuncidar o primeiro bebê nascido sob aquela aliança e daquela promessa. Essa era a primeira circuncisão que tinha o significado de transmissão da promessa de geração em geração. Um pai orgulhoso de seu filho recém nascido, trazendo-o à presença de Deus para uma cerimonia que inaugurava uma nova ordem na humanidade. Isaque era o primeiro descendente de Abrão, o primeiro de uma linhagem que perduraria para sempre, e que através dele, todas as promessas se cumpririam. Para mim, isso não parece algo insignificante, não mesmo. É comum, arrazoarmos os eventos espirituais do povo de Deus e até da igreja, comparando sua utilidade com os valores sociais de hoje, quando na verdade hoje, nada tem valor permanente. Nada é durável, além de poucos dias. Enquanto alguns veem na circuncisão apenas uma cirurgia num lugar um tanto incômodo e apenas uma coisa para homens, Paulo, o Apóstolo, diz algo um tanto mais profundo: Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne” (Fp 3.3). Tudo aquilo lá no Velho Testamento era simbólico e temporal; a realidade e a espiritualidade estava reservada para o tempo da igreja, o tempo da graça, ou o nosso tempo; quando Cristo manifestou sua obra redentora na cruz e as coisas passaram a ter uma perspectiva mais interior, do coração, do espírito mesmo e o sentido é totalmente espiritual. Literalmente para Isaque trazer as marcas de que era legítimo descendente de Abraão, ele precisa ter na carne, as cicatrizes de uma cirurgia, que revelava obediência e disposição de seguir instruções. Para nós, a fé tem o papel principal e a atitude do coração transformado pelo poder do Espírito Santo, revela a graça de Deus aceita e operante na vida da nova criatura. Ao invés de nossas próprias marcas e cicatrizes, na vida espiritual o que vale são as marcas de Cristo. Desde agora ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus” (Gl 6.17).

Senhor, por todas as marcas que os homens deixaram em ser corpo, trazemos a nossa gratidão e o nosso reconhecimento, porque essas pisaduras, por essas marcas e cicatrizes nós podemos ter aceso ao perdão, a cura, a proteção e a redenção completa. Nosso coração agora é circuncidado, porque nos convertemos a ti e estamos comprometidos contigo e com teu estilo de vida. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s