Isaque e o Madeiro

Meditação do dia 05/12/2018

 “E tomou Abraão a lenha do holocausto, e pô-la sobre Isaque seu filho; e ele tomou o fogo e o cutelo na sua mão, e foram ambos juntos.”  (Gn 22.6)

 Isaque e o Madeiro – Quando olho este texto sobre a declaração de que Abraão tomou a lenha do holocausto e a pôs sobre Isaque se filho, para mim não tem como dissociar esse texto e essa verdade daquela descrita profeticamente por Isaías e também descrita durante os acontecimentos nos evangelho e depois na carta pastoral de Pedro. O profeta Isaias profetizou: Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido” (Is 53.4). Podemos ver isso literalmente acontecendo nas agruras à caminho do Calvário. E, levando ele às costas a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota” (Jo 19.17). Pedro seguiu o mesmo tema que Isaias, ao dizer para os seus leitores: Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados” (I Pe 2.24). Figuradamente Isaque levou sobre seus ombros a lenha para um holocausto que até então ele não tinha conhecimento de que seria ele a vítima. Aquilo prefigurava a pessoa de Cristo, santo e inocente, mas recebendo judicialmente toda a culpa de crimes e pecados que certamente não eram seus, sendo sentenciado a morte por crucificação, cabendo ao condenado carregar o instrumento de sua morte. A outra figura importante que aparece na experiência de Isaque, é que foi seu Pai amado, profundamente amoroso, colocando sobre os ombros do filho aquela lenha para ele a carregar até onde ela seria utilizada para consumi-lo, numa oferta totalmente queimada (o significado de holocausto). Por mais que a nossa humanidade egocêntrica teima em reivindicar uma separação entre o amor e o sacrifício, como expressão do amor de Deus, tudo é verdade, a mais pura verdade. Por amor, por seu amor a todos nós, Deus deu seu filho para ser sacrificado, para que pudesse salvar todos os demais pelo exercício da fé na redenção oferecida por Deus. Recebemos pela graça a bênção da salvação, sem nenhum custo para nós; mas houve um preço pago por Deus na vida do seu filho e por Jesus em dar-se a si mesmo em resgate por todos. Para nós que recebemos, é de graça, mas para Deus que a disponibiliza houve um custo valiosíssimo. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). Nas Palavra do Apóstolo São Paulo, Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus” (I Co 6.20). Compreender a experiência de Isaque à luz da redenção é muito enriquecedor para nós.

 

Obrigado, Pai amado, por oferecer alternativa para os nossos pecados que nos separavam de ti. Uma vida é por demais preciosa aos teus olhos, sendo aceito apenas o preço de outra vida, e Jesus ofereceu-se a si mesmo em resgate das nossas vidas e somos agradecidos e o reconhecemos como o nosso redentor forte, único que pode fazer isso e assim, digo de toda a nossa adoração, honra e louvor. Amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s