Tem Pai Que é Cego

Meditação do dia 06/02/2019 

 E foi ele a seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui; quem és tu, meu filho?”  (Gn 27.18)

 Tem Pai Que é Cego – Estou lançando mão de uma expressão oriunda do humorismo brasileiro de alguns anos atrás. Vamos refletir sobre as relações familiares cristãs e as medidas necessárias para se construir uma família de fato cristã. Os termos hoje em dia estão ficando cada vez mais complicados tanto quanto as próprias relações. Olhando para o caso específico de Isaque e sua casa, encontramos farto material para estudo e meditação. Não estamos interessados em discutir as relações; muito menos quero meter o bedelho na vida e família alheia. Proponho ter uma vida bíblica, e para isso preciso conhecer a Bíblia e aplicar bem os conceitos para chegar aos resultados que ela aponta como sendo bons e saudáveis para todos nós. Literalmente, Isaque estava lidando numa situação, onde ele pensava estar tratando apenas entre ele e o filho primogênito, Esaú; era questão simples e fácil. Mas além das vistas, lhe faltava também outros predicados que ao longo dos anos veio crescendo e assumindo proporções enormes dentro de casa e ele não via, não sabia ou queria não saber. Não se tratava de crianças, os meninos agora já tinham mais de quarenta anos de idade; Esaú já estava casado e com mais uma esposa e as noras não eram cordiais e do agrado de todos. Já ouviu falar do “elefante na sala de estar?” Ele incomoda todo mundo, e ocupa muito espaço, tem que se esquivar e fazer manobras arriscadas no entorno dele para não ser pisoteado ou açoitado pelo rabo ou orelha; a tromba está fuçando em tudo ao alcance… um caos, mas ninguém faz nada. Isso vai perdurar até alguém se incomodar TANTO, à ponto de fazer alguma coisa e botar o paquiderme para fora, custe o que custar. A anedota, ilustra os problemas, pecados e coisas erradas que incomodam toda a família, igreja e comunidade e todos ficam mudos, inertes e ninguém nem toca no assunto. Até quando? Até alguém se ver tão incomodado e reivindicar para si a responsabilidade e agir. Isaque e Esaú de um lado, Jacó e Rebeca do outro! Todos agindo e ninguém sabendo. Rebeca ainda convencia a Jacó, que a trapaça era por uma boa causa, nobreza, espiritual e para fazer a vontade de Deus prevalecer. Grande parte dos pecados e desgraças tolerados nos meios cristãos tem uma aura de “coisa boa” ou razão que justifica tais condutas. Adão e Eva usaram esse artificio, Abraão e Isaque também, ao dizerem sobre suas “irmãs;” Arão ao justificar a confecção do bezerro de ouro; Acã, Saul, Davi, eu e você e a lista vai longe. Isso é antigo!!!! Jacó anuncia-se ao pai, e ele pergunta: “… E ele disse: Eis-me aqui; quem és tu, meu filho?”  Ele não via nada mesmo! E nós?

Senhor, estenda a tua misericórdia sobre nós e permita que aceitemos as nossas responsabilidades e as instruções que o teu Santo Espírito revela. Estamos num projeto muito especial e os resultados farão a diferença no devido tempo. Abra os nossos olhos e nossos corações, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s