O Retorno

Meditação do dia 25/02/2019 

 E Jacó veio a seu pai Isaque, a Manre, a Quiriate-Arba (que é Hebrom), onde peregrinaram Abraão e Isaque.”  (Gn 35.27)

 O Retorno – Finalmente o dia tão esperado por pai e filho acontece. Não foram poucos, nem fáceis, mas a bondade do Senhor Deus de Abraão, acompanhara a vida de Isaque e se revelava fiel também a Jacó. Agora são oitenta anos depois daquele banquete difícil de digerir em família e que acabou numa situação de dispersão da família, pois Esaú assumiu sua vida longe dos pais e Jacó estava alongado em Hará, na família de Rebeca, tanto para fazer sua vida, como para fugir da ira do irmão, que pretendia lhe matar. Numa crise em família, dificilmente alguém sai ganhando, pois uma unidade tão forte sendo bombardeada por intrigas internas, sempre haverá dores e perdas para todos os participantes. Rebeca que armara o teatro junto com Jacó, foi favorável ao exilio voluntário do filho, com a intenção de repatria-lo em oportunidade mais favorável, acabou por morrer sem ver seu querido filho e seus netos. Jacó passou por duras provas em terras estrangeiras e teve que lidar com um parente ganancioso e hostil; mas também foi a escola de seu crescimento e a oportunidade de firmar sua própria aliança com o Deus de seus pais. Voltou para casa, já nos momentos finais da vida de seu pai, e pelo favor de Deus, reconciliado com Esaú, mas já com seus próprios problemas familiares para cuidar. Isaque viveu por oitenta anos de sua velhice, em comunhão com Deus e dentro da aliança de bênção como prometido, mas sem a presença dos filhos e netos. A grande lição que aprendemos e tiramos disso tudo é que mesmo dentro de um quadro de circunstancias nas quais cometemos erros e colhemos consequências de nossas escolhas, ainda assim, a fidelidade de Deus não nos abandona. Ao orar e abençoar seu filho e enviar para crescer e construir sua história, Isaque abriu mão de ser o mentor de seu filho e de seus netos, mas na fé de que seria o caminho por onde o Deus de Abraão e seu Deus, andaria com Jacó e faria dele o homem com a coragem e as decisões de carregar a bandeira do compromisso da herança eterna, de fazer deles uma grande nação. Diferentemente dos dias de hoje, quando os filhos precisam ir fazer suas vidas no exterior, os pais ficam e podem assistir e até se comunicar via mídias sociais e tecnologias de comunicação em tempo real, e assim ver os filhos e netos e acompanhar todo o seu desenvolvimento, muito próximo da realidade presencial. Isaque e Jacó não dispunham desses recursos, mas o coração do velho patriarca, certamente se alegrou ao ver chegar não apenas o filho, mas uma tribo grande, já uma nação em forma embrionária. Os tempos mudaram, mas os princípios permanecem e a fidelidade de Deus também. Ainda somos o povo da aliança e estamos comprometidos em levar avante a formosa herança espiritual e a semente capaz de produzir um reino, que consertará a história dos povos, nações de todos os tempos.

 

Obrigado Senhor, por trazer de volta os sonhos e as novas realidades ao coração dos teus filhos que creem que as tuas promessas duram para sempre e tens os meios para não deixar cair por terra. Nossos filhos são nossas sementes, que produzirão os frutos da redenção e milhares de gerações ou até a eternidade planejada por ti, em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s