O Testemunho do Servo de Abraão

Meditação do dia 19/04/2019 

 “E o SENHOR abençoou muito o meu senhor, de maneira que foi engrandecido, e deu-lhe ovelhas e vacas, e prata e ouro, e servos e servas, e camelos e jumentos.” (Gn 24.35)

 O Testemunho do Servo de Abraão – Para ajudar as pessoas a refletirem sobre suas próprias vidas e feitos, há uma dinâmica muito interessante, que já fiz uso em treinamentos e ensino que faz a seguinte pergunta: “O que as pessoas escreverão na sua lápide?” Querendo ou não isso exige reflexão para chegar a uma resposta razoavelmente honesta. Eu como só bem humorado, me divirto com todas as possibilidades que poderão surgir; mas como “todo morto foi gente boa” as pessoas se tornam generosas na última homenagem. Mas aqui estamos vendo uma pessoa muito longe de casa, dos olhos do patrão, cansado de uma longa jornada, dando um tremendo testemunho não só de quem era o seu senhor, mas especialmente, do que Deus fizera na vida dele. Como um discípulo de Abraão, o mordomo entendia e falava abertamente, que todo o que seu senhor se tornara, fora na verdade por causa das promessas de Deus nas alianças firmadas e pela firmeza do patriarca em viver nos termos de tais alianças. Quero comparar com vocês, o texto da meditação de hoje, com um outro texto, que trata da chamada de Abraão, fazendo uma espécie de “o antes e o depois” como fazemos com imagens e fotos de pessoas ou paisagens para efeito de comparação sobre o efeito do tempo ou de algum acontecimento transformador. Olhemos: “E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12.2,3). Agora coloquemos lado a lado as palavras de Eliézer aos familiares de Rebeca, em Harã, quando Abrão já estava nos seus cento e quarenta anos; digamos, mais de cinquenta anos depois: “E o SENHOR abençoou muito o meu senhor, de maneira que foi engrandecido, e deu-lhe ovelhas e vacas, e prata e ouro, e servos e servas, e camelos e jumentos” (Gn 24.35). Em resumo: DITO E FEITO! Olhando do ponto de vista da fé no poder e capacidade de Deus cumprir suas promessas, não nenhuma novidade nisso. Todos sabemos que isso iria acontecer, afinal foi o Altíssimo que prometeu e Ele é fiel, muito fiel. Mas estamos vendo isso do ponto de vista de um servo, um empregado, cuja vida e direitos pertencia a outra pessoa e o único direito que tinha era de não ter direito algum. Mas, não era assim que ele via as coisas e a sua vida; ela tinha sentido, tinha propósito e era muito bem administrada, com fidelidade e compromisso. Ao servir um homem amigo de Deus, fiel adorador, ele entendia que isso o colocava em condição privilegiada e as muitas bênçãos na vida do seu senhor não desperta ciúmes, inveja ou revolta; muito pelo contrário. Ele agira com Rebeca lá perto do poço, com uma grande generosidade, atenção e respeito, que seria muito apropriado como feito do próprio Abraão. Exercício perfeito da mordomia. Já escrevi diversas vezes sobre o cuidado que precisamos ter com o poder em nossas mãos. Os goianos tem um dizer popular que alude a isso, num gesto próprio do caipira, ao dizer que “o garnizé sobe em um sabugo e já canta de galo.” A versão bíblica mais próxima disso foi dito por Paulo à Timóteo sobre os critérios para a escolha e ordenação de líderes e obreiros para o ministério da igreja. Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo (I Tm 3.6). Podemos imaginar o pai de Rebeca, que ouvira tantas vezes do seu pai, sobre o tio que a muitos anos fora para Canaã com uma promessa no coração, que Deus o abençoaria muito, e agora recebendo em casa uma comitiva grande, representando um senhor importante e rico, generoso e grande pessoa em Canaã, que agora voltava para buscar uma consorte para o seu filho. Eles eram agora também testemunhas da grandeza do Altíssimo, o Possuidor dos Céus e da Terra, que havia chamado Abraão ainda em Ur dos Caldeus e feito promessas acima da compreensão humana, que só poderiam ser alcançadas pela fé; e agora o seu parente famoso, era o que até hoje ficou estabelecido como “O Pai da Fé.” Servir a Deus é de fato, a mais fascinante jornada da vida!

 

Senhor, quão grandes são os teus sinais e quão poderosas as tuas maravilhas, que nossa alma o sabe muito bem, pois as coisas que os olhos não viram, os nossos ouvidos não ouviram e nem passaram pela imaginação do nosso coração, estão reservadas para aqueles que te amam e são amados por ti; e nos são reveladas pelo teu Espírito Santo ao nosso espírito. A Ti, a honra e a glória, para todo o sempre, de geração em geração, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s