Tornavam a Colocar a Pedra

Meditação do dia: 02/07/2019

 E ajuntavam ali todos os rebanhos, e removiam a pedra de sobre a boca do poço, e davam de beber às ovelhas; e tornavam a pôr a pedra sobre a boca do poço, no seu lugar.(Gn 29.3 )

Tornavam a Colocar a Pedra – Para os três leitores assíduos destas meditações do dia, não é novidade alguma que eu estudei em um seminário em regime de internado no início dos anos 80, lá em Altonia no oeste do Paraná. A instituição era administrada por missionários americanos, que aqui chegaram nos anos 60; então alguns já tinham vinte anos de Brasil e já se familiarizavam com os aspectos da nossa cultura e o mais internacionalmente conhecido é o famoso “jeitinho brasileiro,” para quem domina o inglês é o “enrolation!” Como seminaristas não são flor que se cheire, tinha muito com que nos divertir, culturalmente falando. Criamos a versão tupiniquim de uma máxima dos gringos; para eles, “não se deixar para amanhã o que se pode fazer hoje.” Para nós, era: “O que tem que ser feito hoje, deixe para amanhã, quem sabe não será preciso fazer!” (Só para constar, em termos de provas e trabalhos escolares, nunca funcionava com os professores). Essa saudosa lembrança, me ocorreu ao ler o texto da meditação e parar na parte em que os pastores avistados por Jacó, ao redor daquele poço no meio do campo, com suas ovelhas, depois de todo aquele trabalhão e espera até todos estarem reunidos para remover a pedra e dar água aos rebanhos, ainda tinham que recolocar a pedra na boca do poço. Todos os dias era aquele ritual de tira a pedra, põe a pedra, tira a pedra, põe a pedra… como eu, acredito que muita gente ao ler e meditar nessa passagem, já se viu pensando num guindaste para facilitar o trabalho, ou até mesmo trilhos para rolar mais facilmente, quem sabe roldanas ou qualquer apetrecho com melhor tecnologia do que a força bruta dos braços. Aqui podemos pensar ao invés de facilidades, em responsabilidades; pois, ali estava o único poço em cerca de quilômetros de distancia; cuidar pela segurança dele, para não ser destruído ou poluído e lembrando que anos mais tarde quando Israel recebeu a lei, havia citações desse tipo de cuidado.  Se alguém abrir uma cova, ou se alguém cavar uma cova, e não a cobrir, e nela cair um boi ou um jumento, o dono da cova o pagará; pagará em dinheiro ao seu dono, mas o animal morto será seu (Ex 21.33,34). Jesus também falou sobre a possibilidade de animais caírem em poços ou covas e isso demandaria mão de obra para salvar o animal, ainda que viesse a acontecer no dia de sábado (Mt 12.11; Lc 14.5). Então o trabalho daqueles pastores, embora repetitivo e nos parece enfadonho, precisa ser visto sob uma ótica de quem previne acidentes, quem cuida daquilo que lhe é precioso, e especialmente de onde vem a sua bênção. Em nossas vidas, à coisas que parecem simples, ou não tão agradáveis, mas é dali que parte do favor divino está fluindo sobre nós e será dali que daremos os passos para grandes realizações.

Pai, obrigado por termos fontes de onde vem a nossa provisão. Podemos estar agindo sem gratidão e reconhecimento. Obrigado por trabalhos simples, oportunidades pequenas e atividades não tão honrosas aos olhos dos outros, mas tem sido dali que as provisões tem chegado à mesa e será sendo fiel ali, que novas portas se abrirão e aquilo para o qual fomos destinados começará a acontecer. Agradecemos em nome de Jesus, amém.

 

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s