Zebulom

Meditação do dia: 03/08/2019

  E Lia concebeu outra vez, e deu a Jacó um sexto filho. E disse Lia: Deus me deu uma boa dádiva; desta vez morará o meu marido comigo, porque lhe tenho dado seis filhos. E chamou-lhe Zebulom. (Gn 30.19,20)

 Zebulom – O décimo filho de Jacó, o sexto com Lia. Ela continuava insistindo em prevalecer contra a irmã, pelo número de filhos, fato que na concepção dela lhe daria o direito de atenção plena do marido e assim, ela seria de fato reconhecida como “A” esposa de Jacó. mui provavelmente nos nossos dias, Lia seria levada a acompanhamento psicológico e terapias de aconselhamentos para mudar o seu foco. Com seis filhos naturais, ela ainda permanecia carente de afeição e atenção do marido. Não sei se tenho o direito de dar esse tipo de pitaco, mas apenas como exercício mental, e não como crítica a qualquer dos personagens envolvidos, pois de fato os amamos muito e respeitamos pela sua história e construção do projeto que lhes foram entregues; mas olhando pela janela dos olhos de quem está de fora da trama, temos a seguinte definição opcional de enredo: Jacó amava Raquel e queria se casar com ela e somente com ela. Lia veio ser esposa de Jacó, por uma manobra trapaceira do pai dela. Mesmo sendo enganado pelo sogro/tio e pela própria Lia, Jacó honrou seu compromisso e permaneceu casado com ela. Casou-se posteriormente com Raquel, e ambos se amavam e lutaram para pertencerem um ao outro. Posso ver nesse embrólio todo que os três se esforçaram para manter a honra e a dignidade. Lia, no fundo sabia de sua condição e claro, isso não tirava o direito dela lutar por ser amada e reconhecida, pois uma esposa com filhos seria apreciada conforme os costumes de época. Raquel, entrou para ser quem de fato deveria desde o princípio estar ao lado de Jacó, por amor e afinidade, considerando assim legitima esposa, por vias legítimas. Estando tudo isso acertado, ficamos com a impressão, que com exceção a Jacó, o foco das duas era gerar filhos para conquistar o coração do marido, sendo que na verdade Raquel não precisava disso, mas veio a precisar quando se viu impossibilitada de ter filhos. Assim, as duas queriam filhos para ganhar uma da outra e Jacó queria filhos para ter uma grande família e assim estar certo de que a promessa de Deus estava firme e sua parte bem feita na aliança. Ao final, se nenhuma das duas tivesse ou as duas alcançassem seus objetivos, Jacó estaria plenamente satisfeito; ele só tinha a ganhar. Hoje, reconheço que a maturidade faz algumas mudanças muito significativas em nossas vidas, pois os objetivos mudam com o tempo e com as etapas já alcançadas. Os valores vão se acomodando e tomando lugares mais definidos nas prioridades das pessoas. Primeiro elas querem se estabelecer e em seguida constituir família, (entenda-se: Casar, depois os filhos); então vem dar condições a essa família, depois a educação e formação dos filhos; seguindo, vem encaminhar profissionalmente cada um deles, e querer a formação de famílias pelos filhos e o processo se repete e o papel de pai, cede espaço para o de avós e lá vamos nós… Se a pessoa não se aperceber do valor de cada uma dessas fases ou se uma delas se atrasar ou falhar, é necessário entender o processo e redirecionar a atenção e os esforços, para não ficar sofrendo e insistindo em algo que já está vencido e a atenção precisa ser redirecionada. Lia se viu como ganhadora de um excelente dote, ou presente, mas para ela ainda faltava Jacó vir morar exclusivamente com ela. Se por um lado a sua luta a mantinha focada e determinada, por outro lado a mantinha insatisfeita e incompleta, o que torna a pessoa propensa a amargura e ressentimentos. Essa era a saga de Lia! Mas e a minha? E a sua? Em que etapa da vida estamos? Já não é hora de mudar o foco e louvar a Deus pelas conquistas adquiridas até aqui, e ser grato pelo que somos e ainda poderemos fazer? Se gastarmos toda a nossa energia e recursos fora de ordem, poderá faltar para as etapas subsequentes. Li uma frase interessante a pouco tempo: Crie e eduque os filhos e depois curta os netos. Se curtir e mimar os filhos, provavelmente terá que criar os netos. É duro, mas é verdade!

Senhor, graças damos por vivermos para tua glória e honra; para isso precisamos cumprir as etapas propostas na vida. Como disse Salomão: “Há tempo para todas as coisas…” assim pedimos sabedoria e discernimento do teu Espírito Santo, para não falharmos ou alterar os tempos e as etapas que nos dás. Oramos para que a tua perfeita vontade se cumpra plenamente em nossas vidas e assim, mais do as nossas palavras, as nossas vidas preguem o teu reino, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s