Sob os Cuidados de José

Meditação do dia: 22/08/2020

E o capitão da guarda pô-los a cargo de José, para que os servisse; e estiveram muitos dias na prisão.(Gn 40.4)

Sob os Cuidados de José – “Gente fina é outra coisa!” Tenho um amigo que gosta muito de jogar futebol com os irmãos e com certeza ele é melhor na profissão que exerce do que como jogador de futebol. Mas valendo-se de seu porte físico avantajado e sendo daqueles que assim que a bola rola e o sangue esquenta, saia da frente! Ele só bate na canela! Mas para ele, do queijo para baixo, tudo é canela. Quando pediam para ele aliviar, afinal é uma brincadeira e entre irmãos, ele levava na boa e dizia: “perco um amigo mas não perco uma dividida.” Mas é gente muito boa! Estou lançando mão dessa narrativa para lembrar de pessoas que não perdem a pose por nada. Não abrem mão de ostentar até aquilo que não é e não tem, mas as aparências para eles importam muito e mesmo quando estão em baixa, não se rendem! Ao olhar o texto de hoje, logo de pronto, vi oportunidade de entrar em várias possibilidades de temas que podemos ver em nossas vidas e relacionamentos sociais, bem como dentro da comunidade de fé. Situações que precisam ser corrigidas é claro, pois predispõem para prevalecer na base da “carteirada,” como aquele ilustre desembargador na Baixada Santista, aqui em São Paulo. José já estava a bom tempo servindo na prisão, sob os cuidados do capitão da guarda e alcançado seu favor e já liderava os trabalhos e colocado a casa em ordem, de maneira que ali, não tinha mais um aspecto de prisão, nem aquele clima sinistro e cabuloso típico desses ambientes. É então que aparecem dois novos presos – não deve ter sido difícil identificar cada um deles, pois exceto estarem presos e aguardando veredito do Faraó, seriam iguais a todos os demais daquele lugar. Mas para quem já trabalhou no sistema carcerário e penitenciário, mesmo nos dias modernos, sabe que ali, não há nada de humildade e submissão, ou mesmo reconhecimento que se está sob a tutela do estado e numa condição pouco privilegiada. Ali existe um exercício de poder, autoridade, classes e padrões de comportamento que o “sistema” cria, mantém e todos “são iguais” mas há uns mais iguais que outros, (igualzinho cá fora!) Já ouviu dizer que “o sol nasce para todos, mas a sombra, só para alguns privilegiados?”  Esses novos ingressantes, por alguma razão, já chegaram chegando e o capitão da guarda, responsável pelo sistema, apresentou os dois e os colocou sob os cuidados de José para serem servidos por ele. Ao invés deles servirem e se enquadrarem no sistema da casa, já chegaram por cima, afinal um era o mago da cozinha real, fazia os mais deliciosos e apetitosos produtos da panificação de todo o Egito, por isso servia pessoalmente a Faraó. O outro era o copeiro chefe de sua majestade. Uma função ultra importante e de confiança, pois além servir e se aproximar fisicamente muito perto de Faraó, ainda provava e experimentava tudo ante do monarca, tanto por questão de paladar, sabores, quando por risco de vida por envenenamento. Quem conhece o conto moral da “Espada de Dâmocles,” sobe muito bem que essas pessoas vivem com a vida por um fio, diante desses reis e poderosos. Muitos de nós, ficaríamos indignados e dispostos a retaliar ou reagir; afinal José estava a um bom tempo ali, preso injustamente, era de bom comportamento, servia com fidelidade e até o capitão da guarda se beneficiava de seus préstimos e todos ali estavam bem e abençoados POR CAUSA DE JOSÉ. E retribuem dessa forma? Não reconhecem nada? Nenhuma gratidão? Nenhuma consideração!!! Queridos, servos não tem direitos, nem o direito de ter direitos! A mentalidade de ser reconhecido, ser bajulado, elogiado e apresentado como “esse é o cara que tem nos proporcionado tudo isso!” Não é mentalidade de Reino de Deus; não é próprio de “servos de Deus.” Quem faz ministério ou serve na igreja e na obra de Deus em troca de elogios, promoções e reconhecimentos está fora da lista de galardões divinos, já receberam sua parte. Além de se amargurarem e rebelarem quando não são lembrados e elogiados em público. A linha de pensamento de servir no Reino de Deus, é demarcada pelas pisadas do próprio Rei. Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal; E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo; Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos (Mt 20.26-28). Outra marca do chefe é: Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. Na verdade, na verdade vos digo que não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou. Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes(Jo 13.13-17).

Pai, obrigado por ser Senhor e nos aceitar como servos, e na maioria das vezes e do tempo, “servos inúteis,” para dizer o mínimo. Mas a graça, maravilhosa graça tem sido o fator nivelador e nos permitido continuar diante de ti e no posto de serviço designado. Reconhecemos que não merecemos, mas agradecemos o favor. Permita que nossos corações sejam iluminados pelo teu Santo Espírito e por tua Palavra, e assim aprendamos uma porção a cada dia e possamos crescer. Confessamos e admitimos a nossa carne não melhora, não ajuda, precisa de fato, ser crucificada e morrer na cruz com Cristo, para renascermos para uma nova vida, todos os dias. Pela fé buscamos ajuda, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s