Juntos no Cárcere

Meditação do dia: 31/08/2020

Então perguntou aos oficiais de Faraó, que com ele estavam no cárcere da casa de seu senhor, dizendo: Por que estão hoje tristes os vossos semblantes?(Gn 40.7)

Juntos no Cárcere – O Elefante ao ser domado, desde pequeno, ele é acorrentado em uma estrutura apropriada que suas forças não são capazes de romper. Assim, ele vai tentar inúmeras vezes até desistir. Por ser um animal que possui uma memória privilegiada, que o faz lembrar para sempre de coisas que aprende; ele é então traído por sua própria memória, pois assim que ele aprende que jamais irá romper a estrutura que o prende, ele não mais força para se libertar. Assim, ele cresce, fica muito forte, mas os seus senhores o amarram  com uma corrente relativamente fraca e em qualquer poste ou haste e ele fica. Lanço mão dessa metáfora para comparações da vida, em muitas de suas instancias, as pessoas se veem presas e acorrentadas em prisões que não seriam suficientes para de fato mantê-las em escravidão ou viver tão limitadas. Elas acostumam com a condição, e insistem que não há saída e nem como se livrarem. Olhando o quadro atual da vida de José, embora houvessem muitos outros presos, a cena foca em José e nos dois oficiais de Faraó. Estavam juntos no cárcere de seu senhor. Colegas de cela, de destino e suas vidas estavam nas mãos da mesma pessoa? Claro que não! Não mesmo! Assim como o cristão hoje, na Nova Aliança é consciente de que é cidadão de dois reinos distintos, o terreno, e o celestial. Tem senhor aqui e Senhor no Céu. A convivência é pacífica e sem maiores conflitos até o “sem noção” daqui de baixo achar  que pode mais do que efetivamente  pode e quando o cristão tem que decidir a obediência suprema, não resta nenhuma dúvida de que a cidadania do Reino de Deus prevalece. Arca-se com as responsabilidades da desobediência ou violação das leis e regras humanas, mas não abre mão da eternidade. José também sabia que era servo do Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra e que o direito de Faraó sobre ele e sua vida, estava mais nas mãos de Jeová do o Faraó imaginava e que a palavra final, ficaria com o Senhor Todo Poderoso. Os outros dois colegas, eram prisioneiros no mesmo cárcere, mas interiormente eram mais escravos dos seus pecados do que de Faraó. A esperança dele era a clemencia do soberano do Nilo, mas José só estava hospedado no cárcere, pois ele não era prisioneiro de nada e de ninguém. Um dos oficiais sairia dali para servir vinho e comida ao Faraó e considerava isso o máximo da generosidade do perdão que um servo podia receber. José sairia dali, para fazer e realizar o seu propósito de vida e ditar até para Faraó o que fazer. Foi o próprio chefe quem disse: Só no trono eu serei maior do que você! Olhe o exemplo bíblico dos amigos de Daniel, presos, sentenciados e a pena executada imediatamente. Entraram três, mas tinha era quatro e eles saíram intactos. Falou Nabucodonosor, dizendo: Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abednego, que enviou o seu anjo, e livrou os seus servos, que confiaram nele, pois violaram a palavra do rei, preferindo entregar os seus corpos, para que não servissem nem adorassem algum outro deus, senão o seu Deus (Dn 3.28). Depois eles só prosperaram. Olhemos o próprio profeta Daniel. Armaram cilada para ele, foi preso, condenado e jogado na cova dos leões. Então o rei muito se alegrou em si mesmo, e mandou tirar a Daniel da cova. Assim foi tirado Daniel da cova, e nenhum dano se achou nele, porque crera no seu Deus (Dn 6.23). Depois disso, Daniel prosperou mais ainda. Olha o caso de Paulo e Silas, presos em Filipos, por libertar uma jovem de espíritos adivinhos. Presos, trancados no tronco e bem guardados. E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. E de repente sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos (At 16;25, 26). Presos para não pregar o Evangelho e naquela mesma madrugada já estavam batizando gente que se convertera. Foram soltos com pedidos de desculpas ainda. Olha a verdade bíblica sobre ser servo ou livre: Porque o que é chamado pelo Senhor, sendo servo, é liberto do Senhor; e da mesma maneira também o que é chamado sendo livre, servo é de Cristo. Fostes comprados por bom preço; não vos façais servos dos homens (I Co 7.22,23). José era colega de cárcere, mas não era prisioneiro de Faraó, nem dele mesmo. E eu? E você? O que te prende, ou limita? Se já se libertou, você está prosperando?

Senhor, é fato que há uma diferença entre servir aos homens e servir ao Senhor. Estamos comprometidos em servir ao Senhor em resposta ao teu amor e a obra que fizeste em nosso favor através de Jesus. Somos servos por opção, porque fomos comprados e libertos por Jesus que afirmou que se o filho vós libertar, verdadeiramente sereis livres, e o somos. Graças te rendemos e adoramos o nosso Deus, por tudo que é e faz por nós como filhos, amados, aceitos e acolhidos na Redenção que há em Cristo Jesus. No nome dele, oramos agradecidos, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s