A Casa de José

Meditação do dia: 15/02/2021

Vendo, pois, José a Benjamim com eles, disse ao que estava sobre a sua casa: Leva estes homens à casa, e mata reses, e prepara tudo; porque estes homens comerão comigo ao meio-dia.(Gn 43.16)

A Casa de José – A casa de um homem é o seu castelo. No caso de José, poderá ser aplicado literalmente, afinal estamos falando do segundo homem mais poderoso do Egito naquele tempo, abaixo apenas do próprio Faraó. Em todos os tempos, a casa de uma pessoa sempre foi um símbolo ou representação da própria pessoa e sua condição. Vendo a casa da pessoa, mede-se os seus valores, seu apreço por arte, cultura, poder aquisitivo, influencia e autoridade. Nossa fé cristã, alude várias vezes sobre o termo como modo de falar da vida como um todo ou em específico. Um dos que mais admiro, está nos escritos de Paulo, justamente por tratar de pontos chaves da minha fé e esperança. Na sua segunda carta aos Coríntios, ele fala sobre valores efêmeros e permanentes, terrestre e celestial, presente e futuro, dentro de uma metáfora simples: Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus (2 Co 5.1). Tudo o que temos visto nessa vida, ao nosso redor é muito breve, e a mortalidade humana, antecipa o fim de tantos projetos e sonhos, que acaba levando os homens a uma utopia de superar a morte e perpetuar a vida por meios próprios, artificiais, ou mesmo  aos devaneios poéticos de encontraram o “Elixir da Vida,” ou quem sabe “A Fonte da Juventude.” Já os mais tecnológicos e viajantes no tempo, falam de encontrar uma passagem no tempo, entrando numa dimensão onde esse atual fator tempo não interfere, mais. Desde os primórdios há os sonhadores com alguma chave mágica ou elemento que lhes conceda a possibilidade de viver para sempre, sem deixar de fora nem mesmo a versão bíblica da Arca Perdida, ou o Santo Graal. Isso me leva a um outro lado, menos glamuroso do ser humano, mas muito real e presente em todos os tempos. É a busca por satisfação de um bem colocado à disposição por Deus, dentro de um padrão de justiça e santidade ou conquista por viver as verdades que são promessas seguras; mas os homens preferem criar sua própria variável, e com seus próprios esforços reinventar a roda. Adão, como diria nossos queridos mineiros, foi criado já com a faca e o queijo na mão, mas desperdiçou a oportunidade. A obra da redenção é o caminho estreito, mas seguro e garantido para a vida eterna e paraíso; acessível pela fé em Cristo, o fiador da Nova Aliança. Mas não é que preferem o caminho da incredulidade e abrem mão da graça pela fé, para tentarem pelas obras e justiça própria? A casa de José, era a primeira parada dos irmãos dele nessa segunda visita ao Egito, numa tentativa de resgatar a própria credibilidade e salvar a vida de um irmão, sem perder o outro. José, o dono da casa, o senhor das provisões e aquele que detinha o poder maior, não estava sendo impiedoso, se divertindo com a tragédia alheia. Além de suas exigências serem legais e justas, era para o próprio bem deles, a oportunidade do encontro com a verdade, o que já fazia muitos anos que isso não acontecia em suas vidas. As intenções de José era conceder-lhes o que eles mais precisavam, mas não pelos caminhos deles, que não eram caminhos de justiça e retidão. Como alguém que mente, engana e oculta a verdade do próprio pai, pode tornar-se patriarca e esteio de uma nação que abençoará de verdade, todas as famílias da terra.  Antes de sermos bênçãos para os outros, precisamos de encontro conosco mesmo, um tipo de compromisso com a verdade e a justiça, como aquela exigida pelo Deus Altíssimo, como os patriarcas anteriores. Cada um, a seu modo e a seu tempo, tiveram um encontro com Deus e revelou-se o interior de si próprios como incapazes de qualquer coisa, sem a graça e o favor divino. A casa de José é um catalisador para um encontro com a verdade, que ao surgir se firmará para sempre, de geração em geração, do maior ao menor, desde  o quase inocente Benjamim, ao terrível Simeão, ou mesmo Rubem, também iludido, forçado a concordar com  o erro, mas igualmente errado. Todo pecador tem uma história para contar e um acerto para fazer; qualquer que for a versão, ela sucumbe diante da verdade de Deus, a quem teremos que prestar contas. Chegar na casa de José, não é tão ruim, embora muito do que acontecerá ali não nos seja agradável, mas é necessário. É o caminho da bênção e da promessa.

Senhor, obrigado pelas experiencias que precisamos passar até que a verdade se torne um valor do qual não mais abriremos mão. Nas palavras do próprio Senhor Jesus, “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” Ele sabia e sabe o poder que a verdade tem, porque ele é a verdade, sempre foi e sempre será. Todas as tentativas humanos de cobrir a verdade eterna e criar a sua própria, não prevalecerá, por determinação e graça do próprio Senhor nosso Deus. Por isso te amamos e concordamos com tuas justas reivindicações e nos arrependemos e clamamos pelo nome que pode nos salvar – O poderoso nome de Jesus, em nome de quem oramos, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s