José e Benjamim

Meditação do dia: 14/02/2021

Vendo, pois, José a Benjamim com eles, disse ao que estava sobre a sua casa: Leva estes homens à casa, e mata reses, e prepara tudo; porque estes homens comerão comigo ao meio-dia.(Gn 43.16)

José e Benjamim – À uma primeira vista, José e Benjamim são apenas dois irmãos; dois dos doze filhos de Jacó; os dois filhos de Raquel; os caçulas do patriarca e ainda poderíamos listar uma boa quantidade de qualificativos para descreve-los. Mas também precisamos olhar com o coração e ainda mais profundo, com o espírito, iluminado pelo Espírito Santo de Deus para vermos muito mais do que aparece na superfície. Confesso que gostaria muito de ser um daqueles escritores habilidosos que fazem descrições tão nítidas, que arrebata-nos naqueles pormenores de detalhes, que iluminam a cena e a nossa imaginação acompanha aqueles raios de sol que irradia pela janela envidraçada e permite ver até a mancha no pequeno tapete ou a falta de esquadro entre o pé da mesa de centro e o alinhamento do piso de madeira. Quando percebemos, já embarcamos na criativa imaginação do autor e testemunhamos tudo aquilo. Assim é, que gosto de imaginar, como se estivesse escondido ou vendo desapercebido pelos presentes ali no escritório daquele deposito e venda de cereais no velho Egito; vendo José realizar suas tarefas e cuidar da administração, mas percebendo nitidamente que sua mente e emoções estão comprometidas na possível chegada ali, à qualquer momento de dez homens cansados de uma longa jornada, mas esperançosos por chegarem e poderem ser atendidos, e terem permissão de ver o govenador. Como será que interiormente ele trabalhava a questão de como reagiria ao vê-los? Mas entre todos, um era especial e era o que de fato importava, como será que ficou Benjamim, depois de adulto, como ele espera ser recebido, e se ele o reconhecesse? Poderia antecipar o que José reservava para eles? Poucos encontros foram tão cercados de expectativas, daquelas que inquietam a alma e fica em desassossego completo. Aqueles irmãos foram separados um do outro de uma forma muito dolorosa, porque José saiu de casa para cumprir uma ordem do pai, para ver os irmãos e retornar com notícias. José nunca mais foi visto pelo pai e por Benjamim e a informação do possível desaparecimento do irmão foi trazido para casa pelos próprios filhos, que só relataram que encontraram a capa colorida de José, e a trouxeram para o pai, para que a identificasse. Uma história que criou ramificações, criando a história de José, a dos dez irmãos de José e a de Jacó e Benjamim. Percebemos aqui, que duas meias verdades não constituem uma verdade completa, antes pode ser uma grande mentira. A verdade que o pai e Benjamim sabiam, não era uma verdade completa, pois só o desaparecimento era verdadeiro. A verdade criada e sustentada pelos irmãos, não era verdade nem para eles mesmos, pois venderam o irmão e forjaram a prova da pseudo morte por ataque de feras. Mesmo depois de tantos anos, eles queriam acreditar que de fato José já estivesse morto, mas não tinham como sustentar isso. A verdade que José sabia era autentica apenas a parte que ele sabia, pois perderam o contato e não tinha como saber o que fora comunicado ao pai e à família. Ele agora queria juntar todas essas pontas, e a chegada de Benjamim poderia ser uma forma de checar o outro lado da história. Vendo isso do ponto de vista da inspiração das Sagradas Escrituras, fica muito claro que as ações dos homens e suas fraquezas produzem relatos fiéis e autênticos, com inspiração divina, contudo, sem ocultar a verdade dos fatos acontecidos. As fraquezas, enganos e pecados são tratados e expostos como tal; o erro humano faz parte do registro veraz da Palavra de Deus. Em nenhum momento, com todos os vacilos e desvios dos personagens, a integridade dos propósitos divinos fora ameaçado. Essa é a história da redenção; por isso precisamos de um Cristo verdadeiro, colocado como substituto perfeito de pessoas imperfeitas. O justo pelos injustos; o santo pelos pecadores. Por isso precisamos de arrependimento e confissão de nossa condição diante de Deus.

Senhor, nos aproximamos de ti em inteira certeza de fé, sabendo que encontraremos perdão e justificação para nossos muitos pecados e fraquezas. Obrigado por nos dar um redentor forte e poderoso, capaz de sustentar suas promessas e se colocar na condição de nos representar pagando o preço pelos nossos pecados e nos trazendo plena redenção. Agradecemos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s