Hospitalidade

Meditação do dia: 28/02/2021

Depois levou os homens à casa de José, e deu-lhes água, e lavaram os seus pés; também deu pasto aos seus jumentos.(Gn 43.24)

Hospitalidade – Minha terra natal entre suas peculiaridades boas, está a hospitalidade. Via de regra o povo brasileiro em geral é muito hospitaleiro, mas os nativos das regiões mais centrais, desenvolveram uma cultura própria e se tornaram excelentes em recepcionar os visitantes. Antes do desenvolvimento do sistema comercial de hospedagem, e mesmo no decurso disso, s pessoas viajavam e quase sempre se hospedavam em casas de famílias, fossem parentes, amigos ou conhecidos. O dom e a arte da hospitalidade se tornaram Business (negócio), e nos tempos mais recentes, muitas pessoas tem voltado à prática da hospitalidade em suas casas, sendo remuneradas por isso, através das plataformas de hospedagem. No Oriente bíblico antigo, a hospitalidade era levado muito à sério, com obrigações informais muito rígidas para garantir a proteção de quem estivesse sendo acolhido. Lembremos de Eliézer, mordomo de Abraão, quando foi procurar por uma esposa para Isaque. E disse: Entra, bendito do Senhor; por que estás fora? pois eu já preparei a casa, e o lugar para os camelos. Então veio aquele homem à casa, e desataram os camelos, e deram palha e pasto aos camelos, e água para lavar os pés dele, e os pés dos homens que estavam com ele. Depois puseram comida diante dele. Ele, porém, disse: Não comerei, até que tenha dito as minhas palavras. E ele disse: Fala (Gn 24.31-33). Nos tempos da Nova Aliança, isso ainda era praticado com especial cuidado e recomendação dos líderes da igreja. Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos (Hb 13.2). Abraão recepcionou anjos, Ló também foi agraciado e muitos outros dos amados dos tempos bíblicos. Entre os perigos da prática da fé crista destituída de boas ações legitimadas pelo amor, Jesus incluiu pesadas sentenças futuras e eternas pela falta de cuidado que inclui a hospitalidade. E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim (Mt 25.40,45). José, lá no Egito antigo, fez exatamente isso pelos peregrinos, estrangeiros, cansados e necessitados irmãos. Era característica que ele trouxera de berço, deve ter visto isso muitas vezes em casa de seu pai. Na sua vida adulta, ele serviu debaixo de jugo e escravidão até a bênção chegar em sua vida, no sentido de recuperar seus direitos e dignidade, pois em todas todo tempo e situação José sempre teve a bênção de Deus em sua vida. Não só tinha, como reconhecia e demonstrava estar ciente da mão de Deus o acompanhando em tudo, porque ele tinha uma aliança com o Deus de seus pais. Você é hospitaleiro? Tem prazer em receber e acolher pessoas?

Senhor, o nosso maior exemplo de hospitalidade e acolhimento é o Senhor mesmo. Não só nos recebe, como providencia alimento, proteção, distribui presentes e dons maravilhosos. Jesus veio a este nosso mundo e nem foi tão bem recebido e acolhido, mas ainda assim, deu sua vida por nós e voltou para preparar lugar para muitos que aceitarem o convite do seu generoso amor. “Na casa do Pai, há muitas moradas,” disse ele. Obrigado por tão grande amor e modo de cuidar de todos nós. Em nome de Jesus, agradecemos, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s