O Copo de Prata

Meditação do dia: 22/03/2021

E o meu copo, o copo de prata, porás na boca do saco do mais novo, com o dinheiro do seu trigo. E fez conforme a palavra que José tinha dito.(Gn 44.2)

O Copo de Prata – Gostamos de olimpíadas, quase toda pessoa que gosta de esportes, aprecia os jogos olímpicos pela intensidade das competições e a rapidez com que se define os vencedores. Todos os atletas correndo atrás do ouro olímpico, preferencialmente, mas caso ele não venha, a medalha de prata já é muito bem vinda; enquanto a medalha de bronze em certas modalidades parece mais um prémio de consolação para os perdedores. Essa é uma maneira de se ver, mas levando em consideração o quanto cada um daqueles milhares de atletas se esforçam e se dedicam para chegar ao seleto grupo que alcançou o índice necessário para competir, só estar lá já é ser um vencedor. Por outro lado, alguns carregam um peso enorme de responsabilidade por representar altos investimentos e representar possibilidades reais de atingir o máximo de desempenho, sendo inaceitável não pontuar. Para alguns não conseguir uma medalha não é uma opção, enquanto outros são francos atiradores, não tendo nada a perder, mas estão ali para beliscar qualquer oportunidade que lhe ocorra até por um pequeno detalhe desfavorável dos favoritos. Então, ouro, prata e bronze, passam a ter uma representatividade muito grande. Na linguagem comercial e financeira de mercado, esses metais fazem parte das chamadas “Commodities,” e tem valore regulados levando em conta sua preciosidade, quantidade, utilidade e a facilidade ou não de mineração. O ouro é altamente reciclável e pode ser reaproveitado quase infinitamente. A prata existe em menor quantidade nas reservas minerais e de aplicações em muitas áreas, incluindo a farmacêutica, medicina e tem a tendência a ficar cada vez mais escassa no mundo, o que fará dela uma verdadeira preciosidade nos próximos anos. Na época do rei Salomão, que ostentava riquezas incalculáveis e explorava riquezas minerais em outras partes do mundo, a prata chegou a praticamente não ter valor algum no seu reino. Também todas as taças do rei Salomão eram de ouro, e todos os vasos da casa do bosque do Líbano, de ouro puro; a prata reputava-se por nada nos dias de Salomão. Também o rei fez que houvesse prata em Jerusalém como pedras, e cedros em tanta abundância como as figueiras bravas que há pelas campinas” (2 Cr 9.20,27). Mas voltando a nossa atenção para o final daquele almoço especial na casa do governador do Egito, com seus onze convidados especiais, ali, José pediu e especificou ao seu servo que colocasse o seu copo, O COPO DE PRATA, junto com o trigo no saco que pertencia a Benjamim. Usando minha criatividade imaginativa, é muito provável que durante a refeição e os inúmeros brindes, aquele bendito copo fora exibido e ostentado deliberadamente por José e mais diretamente com Benjamim, e quem sabe até deixado ele propositalmente em alguns momentos perto do irmão, para que assim pudesse criar um álibi perfeito, para uma futura ação que ele maquinava. Claro, sabemos que Benjamim não agiu de forma desonesta ou descuidada, apropriando-se de qualquer propriedade do anfitrião; também sabemos que José era honesto e generoso e que não estava criando uma situação que perderia o controle e ao invés de resolver um problema, criasse outros e assim poria seus irmãos em risco perante a justiça egípcia e o enredo tivesse outro tipo de final. Então, para todos efeitos, pensamos que todo aquele barulho provocado por José pelo copo que desapareceu, era apenas retórica, discurso inflamado, mas com um objetivo específico de gerar reação impactante em todos eles, porque o problema agora recairia sobre Benjamim, o filho recomendado pro Jacó, para que voltasse são e salvo. José mexeu intencionalmente no tesouro deles e isso todos sabemos o que acontece com qualquer pessoa em qualquer época: Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração” (Mt 6.21).

Deus de amor e graça, podemos te agradecer pelo maior tesouro que compartilhastes conosco nesse mundo e nessa vida, que tem a possibilidade de transformar nossas vidas e destinos por toda a eternidade. Somos o teu tesouro particular, e comprados por um alto preço, a vida do teu único filho, sacrificado por nós lá na cruz do Calvário. Deste um tesouro para ter todos os tesouros que criaste e se perderam. A ti, seja a honra, a gloria, o poder e as riquezas, de eternidade em eternidade, para todo o sempre, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s