Perdão em Família

Meditação do dia: 22/08/2021

“Portanto mandaram dizer a José: Teu pai ordenou, antes da sua morte, dizendo:
Assim direis a José: Perdoa, rogo-te, a transgressão de teus irmãos, e o seu pecado, porque te fizeram mal; agora, pois, rogamos-te que perdoes a transgressão dos servos do Deus de teu pai. E José chorou quando eles lhe falavam.”
(Gn 50.16,17)

Perdão em Família – Em família estão os laços mais fortes e mais próximos de uma pessoa. Ali acontecem os maiores e principais acontecimentos da vida, desde o nascimento até o funeral. Nas lápides dos cemitérios de culturas próximas ao cristianismo, sempre se pode ver uma estrela e uma data; ao lado, ou abaixo, uma cruz e uma data – esse conjunto identifica o dia do nascimento e o dia da morte da pessoa; começo e fim. O que há no meio, as vezes representado por um hífen (-) é o que chamamos de vida, o conjunto de experiencias, lutas, vitórias, derrotas, alegrias e tristezas, conquistas grandes e outras nem tanto. Nesse famoso intervalo, muitos relacionamentos acontecem, podem ser fortes e duradouros, ou podem ser quebrados e intermitentes, como foi o caso de José e sua família. Ele perdeu à mãe, ainda muito cedo na vida, quando do nascimento de seu irmão Benjamim. Ainda bem cedo, começou a sofrer pressão dos irmãos por ser considerado excessivamente protegido e preferido pelo pai. Seus problemas se agravaram quando ele começou a ter sonhos nos quais inferiam que ele exerceria um posição de domínio e autoridade sobre todos da família, incluindo os pais e os irmãos. No mais, todos já temos acompanhado a sua saga de onde houve uma ruptura completa e unilateral por parte de seus irmãos. Uma pergunta que me vem à mente, e se vem à mim, provavelmente já veio a muitos outros cristãos e leitores da Palavra de Deus: Entre aquele primeiro encontro dos dez irmãos com o governador do Egito, onde José se fez de desconhecido e criou uma situação de sondagem da vida deles, até agora, ao voltarem do sepultamento do pai, em Canaã, será que eles (os dez) não haviam pedido perdão a José? Pessoalmente acredito que tenham sim. Lá mesmo na casa de José, depois que ele revelou sua verdadeira identidade. Também posso acreditar que na chegada de Jacó com toda a família, eles devem ter conversado e quando José contou a versão oficial, do seu ponto de vista e de sua experiencia, desmontando toda a farsa dos irmãos, eles devem ter trabalhado nessa questão. Há muitas possibilidades, por isso, também muitas combinações de acertos. Mas quero sair da narrativa deles lá e trazer isso para o campo das nossas experiencias pessoais e familiares. Temos muitos irmãos magoados e feridos nos relacionamentos entre família. Assuntos que ficaram pendentes e nunca mais se voltou a eles e alguns nem se falam mais desde então. Outros seguem numa condição de “rebeldia muda,” onde não se fala, não toca e não se expressa nada, mas a inclinação é de distanciamento. Outro mal, perigoso é o de valorizar o orgulho e valer-se da intimidade familiar para não admitir os erros. Voltaram a se falar, frequentam socialmente os mesmos lugares e até compartilham de festas e confraternizações, fazem e prestam serviços e ajudas mutuamente, mas se toca mais naquilo. Nesse sentido acho construtiva a atitude dos irmãos de José, talvez falando mesmo a verdade sobre uma última recomendação do pai, para que eles passassem à limpo aquela história do passado. Então eles procuraram José para conversar. Não importa para nós, qual era a verdadeira motivação deles, a questão é que o acerto precisa existir e o perdão dado e recebido. A maturidade deve nos levar a buscar o caminho da paz e das boas relações. Muitos erros e pecados cometidos por nós no passado, foram feitos num contexto de maturidade ou imaturidade e que hoje não seriam provavelmente cometidos. Então, entendendo e aceitando a condição e o tempo das pessoas, vamos construir pontes e restabelecer laços quebrados e ralações estremecidas, para o bem de todos e felicidade geral da nação.

Pai, obrigado por cuidar de nós em todo tempo e situação. Nada esteve fora de teu olhar de bondade e misericórdia; também admitimos que erramos e tomamos atitudes que quebraram a confiança e os relacionamentos com pessoas que nos eram e são ainda muito queridas e queremos restabelecer tudo isso ao normal e aceitável para quem é filho de Deus. Agradecemos a ajuda do Espírito Santo para conduzir os nossos corações a uma atitude certa e boa, em perdão, amor e humildade para dar e receber perdão. Oramos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s