Sustento Garantido

Meditação do dia: 28/08/2021

“Agora, pois, não temais; eu vos sustentarei a vós e a vossos filhos. Assim os consolou, e falou segundo o coração deles.” (Gn 50.21)

Sustento Garantido – Qual a primeira idéia vem à sua mente quando houve a expressão “sustento?” Quanto mais prolixo a pessoa for, maior será a quantidade e diversidade de acepções de respostas. Com nossas mentes afiadas em meditação bíblica, não vamos nos ater de pronto só com o sentido e a aplicação espiritual da palavra em si, mas sempre consideração os contextos do próprio texto, do assunto ou tema e histórica, levando em conta o tempo, local, povo e cultura onde foi dito e ouvido ou escrito tal palavra. Vamos isso quase que automaticamente, que só mesmo quando alguém nos chama a atenção para um detalhe ou nova acepção, que voltamos e procuramos lançar nova e mais luz para uma verdadeira compreensão. Podemos assegurar que lendo o texto eu sei que se trata de provisão alimentar e os cuidados básicos de vida, como moradia, vestimenta, trabalho, segurança e saúde. Como servos e mordomos dos bens de Deus, como prescinde a nossa fé, trabalhar e prover o próprio sustento e de sua família é parte natural das obrigações de qualquer pessoa. O trabalho nunca foi um castigo ou efeito do pecado e da maldição que veio sobre a terra e a criação pelo pecado humano. Povo de Deus sempre foi trabalhador, criativo, empreendedor e dado a fazer tudo com excelência, pois tudo isso deriva da natureza de nossa origem – que é Deus! A noção de provisão abundante e suficiente está até implícita no nome pelo qual o Altíssimo se revelara a Abraão desde o começo das alianças de bênçãos. “Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o SENHOR a Abrão, e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-Poderoso, anda em minha presença e sê perfeito” (Gn 17.1). Todo-Poderoso, nessa tradução em português veio de “El-Shaddai” que em linguagem simples podemos dizer que é “Aquele que é mais do que suficiente.” Pensando especificamente no quadro proposto pelo texto, José era um homem adulto, trabalhador,  com recursos em todos os sentidos prover para sua esposa e dois filhos e ainda mais que isso sem prejuízo algum. Seus irmãos, que também eram adultos e exceto Benjamim, todos eram mais velhos que José, sendo todos saudáveis, trabalhadores, com bens e propriedades suficientes para suas provisões familiares e todos, herdeiros das mesmas bênçãos e promessas contidas nas alianças entre Deus e os patriarcas, levando em conta que eles acabaram de ascender à condição de patriarcas com o falecimento de Jacó. Então porque José estava assumindo essa responsabilidade sozinho. Vamos por partes: José não estava tirando a autonomia e nem a responsabilidade de nenhum de seus irmãos, nem sendo paternalista, muito menos querendo se ostentar e depois “jogar cara deles” que viveram às suas custas. Representando o estado egípcio, José providenciava condições de trabalho, alimento e segurança e o que mais fosse necessário, mas eles trabalhavam e cuidavam de suas vidas e famílias. A bênção recebida de alguma fonte não isenta e nem anula a condição primária de responsabilidade de ninguém. Não se deve cultivar a mentalidade de que se trabalha porque a boca exige; o dia que não precisar mais, nunca mais vai trabalhar. A razão primária do trabalho é a expressão dos dons e talentos, a ocupação produtiva e responsável do tempo e capacidades e glorificar a multiforme sabedoria de Deus que ao criar cada um, diversificou com excelência a individualidade das pessoas para que empreendessem de forma que abençoariam uns aos outros para a vida em comunidade. Quem cultiva uma mentalidade contrária a isso, ou seja, trabalha porque precisa, na verdade não conheceu ou entendeu como expressar a imagem e semelhança do seu Criador e como glorifica-lo com sua vida. Veja uma expressão de Jesus: “E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também” (Jo 5.17). Já te passou pela cabeça por que Deus, o Criador, ainda trabalha? Por que Jesus também trabalha? Será que é por necessidade? Ou por amor e expressão de sua glória e abençoar quem eles amam? Vou parar por aqui, mas não antes de deixar uma indagação: Por que você trabalha?

Senhor Deus meu e Rei meu! Glorificado seja o teu santo e poderoso nome! Com uma palavra podes criar tudo e qualquer coisa, mesmo não tendo necessidades, porque tu és bastante e suficiente par si próprio, ainda assim trabalha para nosso bem e nossa provisão abundante e contínua. Obrigado, por ensinar pelo exemplo e pratica em compartilhar tua vida conosco através de Jesus Cristo, por obra e graça do Espírito Santo. Te adoramos, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s