Subir Desta Terra

Meditação do dia: 03/09/2021

“E disse José a seus irmãos: Eu morro; mas Deus certamente vos visitará, e vos fará subir desta terra à terra que jurou a Abraão, a Isaque e a Jacó.” (Gn 50.24)

Subir Desta Terra – Numa viagem de férias para aquela aconchegante costa sul da Bahia, mais precisamente para Alcobaça, um dos pontos mais antigos em termos de Brasil, fiquei pensando durante o trajeto, porque quando o percurso é longo, os recursos de entretenimento e distração para passar o tempo vão se esvaindo. Foram novecentos quilômetros até BH e quase outros até lá. Em dado momento, me vi pergunto retoricamente: Tudo isso de estrada, para chegar num único lugar e por quantas praias mais perto de casa já passamos? Em se comparando aquele destino final, todas as demais praias do sul baiano até as do norte de Santa Catarina estariam mais perto, partindo de Guararapes. Claro, tem os raciocínios lógicos, comportamentais, preferencias, oportunidades e sem dúvida, as escolhas. Assim sendo, todo lugar não é igual e não nos pertence ou nos apetece. Nem todos os homens são apátridas. Eu diria que a maioria de nós somos muito apegados ao nosso quinhão de terra, que pode ser nossa cidade, estado ou pais. Muitos escolhem viver em outras terras ou pátrias e alguns até fazem dali o seu lugar preferido. Outros tantos, forçados pela vida, sofrem, choram e sonham em um dia retornar ao que ele chama de lar; isso é tão forte nas pessoas que alguns até deixam como último desejo, que ele seja levado e sepultado na sua terra natal ou adotada, caso não consiga voltar em vida. Nos tempos antigos, como quando essas histórias dos patriarcas bíblicos estavam acontecendo, eram os primórdios da civilização humana que ainda se espalhavam procurando melhores condições e podendo colonizar e se perpetuarem num local específico. Os sírios, libaneses, egípcios, muitos povos africanos e do Oriente médio e Ásia, partes da Europa, estão desde esses tempos antigos nos seus lugares. Um pedaço de terra ali fora prometido por Deus a seu amigo Abraão e devido a isso até hoje se conhece como a “Terra Prometida.” “Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12.1-3). José era bisneto de Abraão e era na sua geração o primeiro grande desdobramento quantitativo de pessoas herdeiros da promessa original. Abraão teve o filho Isaque, que teve Jacó, o pai de José e eram doze irmãos, que se tornaram setenta e cinco pessoas quando desceram de Canaã para irem habitar no Egito à convite do próprio José, que lá já estava. Destes todos, partindo de Abraão, só Isaque, Jacó e Benjamim, o filho mais novo de Jacó, nasceram na Terra Prometida; já todos os filhos dos onze patriarcas foram nascidos lá, excetuando então os filhos do próprio José, que nasceram no Egito. Todos eram criam, viviam e morriam convictos de coração e alma de que tinham uma pátria prometida por Deus e aquilo seria sua herança, e não abririam mão disso sob hipótese alguma. Foi assim, olhando para a frente, para a firmeza da Palavra de Deus, que eles se consolavam e construíam suas vidas. José reforçou a seus irmãos e parentes que Deus iria leva-los de volta à sua terra, como a mesma fidelidade com que tratara todos eles até ali, preservando-os em meio aos perigos e ameaças, sem conduto serem jamais vencidos. Nossa jornada hoje, na Nova Aliança, não mais física, geográfica e territorial, mas de outra natureza, mas tão real quanto o foi a deles. “Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo” (Rm 14.117). Olhemos o que o Senhor Jesus disse: “E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o reino de Deus, respondeu-lhes, e disse: O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui, ou: Ei-lo ali; porque eis que o reino de Deus está entre vós” (Lc 17.20,21). Paulo fez questão de enfatizar: “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas” (Fp 3.20). Veja que dependemos de nossa fé tanto quanto eles para tomar posse da nossa herança quando chegar o tempo determinado. Até lá, vamos ficar firmes e apoiar uns aos outros, para que ninguém se perca ou se distraia com algo inferior ao que nos está prometido.

Obrigado, Senhor, por nos prometer e sustentar a tua promessa até que o tempo e o modo estejam alinhados com a tua perfeita vontade. Seremos firmes e resilientes até o dia glorioso em que tudo se transformará de fato naquilo que já tomamos como nosso, pela fé em Cristo. Agradecemos pela redenção no sangue de Jesus que nos garante provisão completa e suficiente para a salvação plena. Oramos com louvor e gratidão, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s