Azenate, a Esposa de José

Meditação do dia: 22/09/2021

“E Faraó chamou a José de Zafenate-Panéia, e deu-lhe por mulher a Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e saiu José por toda a terra do Egito.” (Gn 41.45)

Azenate, a Esposa de José – Estamos caminhando em meditações baseadas em personagens femininas da Bíblia, cujas origens necessariamente não eram da linhagem do povo escolhido. Por algumas razões elas vieram a fazer parte de alguma família entre os hebreus e se destacaram de forma brilhante e maravilhosa, ficando seu registro para a história e formação do povo de Deus, algumas até entrando para a linhagem de famílias na linha sucessória do futuro Messias, ou Jesus Cristo. Hoje, estaremos vendo sobre a pessoa de Azenate, que entrou para o seleto grupo ao ser dada por Faraó como esposa para José, no dia da sua ascensão pessoal. Ele fora tirado do cárcere naquela manhã para ajudar na interpretação dos sonhos do Faraó e não mais voltou parar a condição de escravo e prisioneiro. Ganhou vestes novas, anel real, um desfile de apresentação pública, foi nomeado governador do Egito, sendo a segunda pessoa em autoridade no reino e ganhou também uma esposa, a Azenate, filha de um sacerdote dos muitos deuses que eram cultuados Egito. O nome Asenate ou Azenate significa “sagrada de Anath” ou “devotada a deusa Neith.” Começamos aqui o nosso aprendizado que é muito significativo na caminhada espiritual. Gostamos tanto da expressão utilizada pelo apóstolo São Paulo, onde ele afirma “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8.28). Ao nos depararmos com nossa própria limitação, escolhemos o caminho da obediência o mais literal possível dos ensinos bíblicos e do que entendemos ser a vontade de Deus, deixando pouquíssimas margens para a flexibilidade. Até dizemos que “toda regra tem suas exceções, mas seguimos as regras e não as exceções.” No curso comum e normal da vida e do padrão de povo escolhido é muito razoável pensarmos que dificilmente José se casaria com Azenate por escolha pessoal. Seu pai e sua história apontavam na direção de evitar moças estrangeiras e alheias ao culto ao Deus Altíssimo. Mas agora já familiarizados com os propósitos divinos para a vida e o treinamento especial que José precisaria receber, todas as coisas que lhe aconteceram tinham propósitos maiores e passavam pelo controle de qualidade de Deus. Nada lhe aconteceu por acaso ou acidente de percurso! Até o Casamento. Não temos nos registros bíblicas maiores detalhes ou informações sobre a vida dessa mulher e de suas ações, senão que era filha de um sacerdote que fazia parte da elite e nobreza, mui provavelmente diretamente ligado ao Faraó. Sou levado a crer que era uma boa moça e admirada e protegida do rei, porque quando ele ficou deslumbrado com José e escolheu ser generoso e lhe favorecer com as maiores honrarias possíveis, foi essa a moça que ele escolheu. Por não sabermos muito, podemos deduzir com base nas referencias da vida e do caráter de José, que por mais preparada que ela fosse na fé e cultos egípcios, ela passou a conhecer um homem extraordinário, de uma fé inabalável e uma sabedoria ímpar, que não haveria outras alternativas senão ver e abraçar a sua fé e servir ao mesmo Deus. Digo isso, porque Potifar, nem o sistema prisional do Egito e a dura escravidão ou mesmo o Faraó, dobraram José em relação à sua fé e o culto ao seu Deus. É bem provável, que nem o próprio sogro de José ousaria desafiá-lo, porque contra fatos não há argumentos. Azenate gerou dois filhos cujos nomes contam a historia e a fé de José: “E nasceram a José dois filhos (antes que viesse um ano de fome), que lhe deu Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om. E chamou José ao primogênito Manassés, porque disse: Deus me fez esquecer de todo o meu trabalho, e de toda a casa de meu pai. E ao segundo chamou Efraim; porque disse: Deus me fez crescer na terra da minha aflição” (Gn 41.50-52).  Deus me fez esquecer e Deus me fez crescer – Os filhos eram memoriais de sua fé e do testemunho de que Deus cuidou de tudo. Para José crescer ele precisou esquecer o seu passado de sofrimento e da casa de seu pai para dedicar-se inteiramente a uma causa importante. Quando os irmãos de José apareceram pela primeira vez no Egito e José reconheceu-os, certamente isso chegou ao conhecimento de Azenate, que agora teria razões para saber mais da história e das origens de seu esposo e também a presença deles, mexeu com José e deve ter sido dias tensos até quando eles vieram como convidados para uma refeição com o governador e sua família. Ela deve ter dado um apoio e suporte emocional muito grande até que tudo fosse esclarecido e finalmente pudessem se revelar, ele como o irmão desaparecido, ela como cunhada e os dois filhos como sobrinhos e poderem ter notícias legítimas dos demais hebreus que estavam em Canaã, especialmente Israel, o patriarca. Azenate entrou para o povo de Deus, como uma estrangeira, egípcia de uma fé totalmente oposta ao que se esperaria, mas tem o seu papel de importância e grandeza. Conhecendo o coração de Jacó/Israel, apaixonado pelo filho José, poder reencontrá-lo depois de ser dado como morto de forma trágica, e casado com uma mulher muito especial, da nobreza do maior império do seu tempo e ter netos para paparicar e transmitir mais da herança espiritual e das alianças com o Deus Altíssimo; é certo que Jacó ficou orgulhoso e feliz com a nora que cuidara tão bem de seu filho. Concluo esse meu raciocínio, ao observar que a influencia da família de Azenate, a posição social dela e os privilégios que seus filhos tinham, nada disso foi suficiente para atraí-los tanto quanto fazerem parte do povo de Deus e comporem as doze tribos, porque ambos foram adotados por Israel e nomeados entre seus doze filhos. Aplicando: Azenate tinha origem e destino para ser e atender as demandas da fé e cultos egípcios e seguir uma linhagem sacerdotal e quem sabe, até se tornar uma sacerdotisa egípcia. Mas teve a oportunidade de conhecer e servir ao Deus verdadeiro através de José e abriu mão de sua vida anterior fez parte dos propósitos eternos do povo de Deus. O significado do nome de uma pessoa, pode ser forte, mas não o suficiente para anular a graça de Deus com a sua conversão e decisão de seguir uma fé verdadeira. Você e eu podemos fazer a nossa história e mudar o nosso destino, através da fé em Cristo. Na história do povo de Deus, entraram estrangeiras, servas, livres, nobres e a fé nivelou o ministério de todas elas.

Senhor agradecemos pela vida de mulheres corajosas e decididas que se entregam de coração e alma para edificarem seus lares e construírem um legado de fé preciosa e forte na vida de suas famílias. Obrigado por abençoar todas as pessoas, sem distinção alguma e acolher em amor servos e livres, nobres e plebeus, transformando em filhos e herdeiros através de Jesus Cristo e sua obra redentora. Somos gratos pela vida de José e sua família, porque uma homem como aquele precisava de uma esposa à altura, até mesmo para ajuda-lo nas lidas da vida sofisticada os palácios e da alta administração, para onde José fora levado para cumprir o seu propósito. Agradecemos por vidas maravilhosas que ainda fazem a diferença para glória de Deus e crescimento do reino. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s