Faraó Quer A Morte De Moisés

Meditação do dia: 22/11/2021

“Ouvindo, pois, Faraó este caso, procurou matar a Moisés; mas Moisés fugiu de diante da face de Faraó, e habitou na terra de Midiã, e assentou-se junto a um poço.” (Êx 2.15)

Faraó Quer A Morte de Moisés –Vida e morte são temas estudados, discutidos e escrutinados desde que o mundo é mundo e até ontem ainda não haviam esgotado ou resolvidos alguns dos principais dilemas. Renomados homens de mentes brilhantes tem trabalhado muito para descobrir a origem da vida e outros tantos em como dar um fim na morte. Por enquanto estamos nos campos das teses e antíteses. Para quem crer nas verdades bíblicas, de forma ortodoxa e fundamentalista, é bem mais simples aceitar os relatos bíblicos, cridos como divinamente inspirados e facultar as ciências o investigar e validar aquilo que já temos como certo e seguro. Preciso me posicionar aqui, para não deixar uma lacuna, ou dizer que estou em cima do muro. Acredito na Bíblia como Palavra de Deus, inspirada, infalível e inerrável, eterna, viva e poderosa hoje tanto quanto quando foi recebida e escrita. Acredito que não há nenhuma discrepância entre as verdades bíblicas e as ciências. Toda a sabedoria e conhecimento humano são no princípio uma dádiva da graça divina. “Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento” (Pv 2;6). “…ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos…” (Dn 2.21). Em nossa meditação e nos estudos da Palavra de Deus, Faraó representa o poder constituído, dominante, reinante no momento das ações em questão. Tanto figuradamente, quando na prática diária ao lidarmos com autoridades e poderes maiores e acima de nós. Esse “poder reinante” pode agir em função do bem, como também pode agir em função do mal. No caso em vista, esse poder encontrou uma brecha legal e sua reação foi imediata e agressiva – o Faraó queria a morte de Moisés. Esse não foi o primeiro e nem o único ou último caso de conflitos entre poderes governantes e líderes levantados por Deus. A história está repleta de muitos exemplos. Uma das maneiras de lidar com isso é a fuga temporária ou definitiva, dependendo de caso para caso, mas nem sempre é esse o caminho. No caso de Moisés, isso estava dentro do projeto de Deus para leva-lo a um outro nível de treinamento e preparo. Ainda que ele mesmo não soubesse e não fora avisado por Deus, aquilo estava indo na direção certa. “Por que estamos nós também a toda a hora em perigo?
Eu protesto que cada dia morro, gloriando-me em vós, irmãos, por Cristo Jesus nosso Senhor”
(1 Co 15.30,31). A vida tem significados maiores e mais profundos para quem anda com Deus e o serve, tendo-o como Senhor. Viver ou morrer toma outro significado, como Paulo afirmou sobre si e suas condições em determinados dias de sua vida. “Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho. Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher” (Fp 1.20-22).  Nossa vida de todas as formas, estão nas mãos de Deus e sem a sua vontade operar, não há nada que mude o curso do  projeto.

Senhor, agradecemos a vida e a recebemos como um presente e uma oportunidade de construir algo significativo com ela. Agradecemos os dons e os recursos disponibilizados para operarmos com eficiência e excelência para o louvor de tua glória. Estamos agradecidos por tudo, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s