Deus de Alianças

Meditação do dia: 11/12/2021

E ouviu Deus o seu gemido, e lembrou-se Deus da sua aliança com Abraão, com Isaque, e com Jacó;(Êx 2.24)

Deus de Alianças – Alianças são pactos, não contratos! Contratos permitem distratos! Alianças são celebradas para durarem para sempre e não podem serem rompidas sem consequências graves para a parte infratora. Normalmente nos contratos se pressupõe garantias e obrigatoriedades de ambas as partes. Nas alianças o mais usual é haver símbolos e memoriais que mantenham sempre vivas os termos celebrados. A Bíblia se revela mais para alianças do que para contratos. Deus celebrou diversas alianças com pessoas e até com nações; alguns estudiosos que conveniaram catalogar as ações de Deus com a humanidade em termos de dispensações, numa totalização de sete, que é o número que simboliza a totalidade, completude; tudo o que é completo, pronto e finalizado, pode ser representado pelo número sete. Assim, incluíram também as alianças celebradas desde o início e agora vivemos nos tempos da Nova Aliança, celebrada por Cristo e na oficialização, ele a celebrou junto com a sua última ceia de páscoa na noite em que foi preso. Ali naquele jantar com seus discípulos ele instituiu a Ceia do Senhor como memorial da Nova Aliança, celebrada com base na sua morte expiatória na Cruz, com o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Naquela ocasião ele disse as seguintes palavras: “Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. A seguir, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados” (Mt 26.26-28 ARA). Quando o nosso texto da meditação de hoje aponta que Deus ouviu o gemido e lembrou-se da aliança, é uma forma de linguagem humana, que descreve a condição difícil em que se encontravam os hebreus naquela escravidão no Egito. Deus sempre ouve, ouve tudo, pois sendo onisciente, não se espera que algo se lhe escape. Vamos dizer, que não ouvir para Deus é equivalente a “não dar ouvidos, não dar atenção” quando por exemplo as orações são egoístas e as petições são meros caprichos ou exercícios religiosos formais e não um diálogo de fé e comunhão. Assim, Deus não ouve e não responde. Lembrar-se também vem na mesma linha de interpretação, pois Deus não tem problemas de memória e possa esquecer alguma coisa. Em sua infinita sabedoria e administração, ele contemplara o tempo necessário para a maturação dos planos da formação da nação e sem uma pressão opressora da parte dos egípcios, seria muito apropriado que ele se acomodassem e se estabelecessem por ali mesmo, vivendo como súditos de Faraó e nem pensassem em assumir as responsabilidades de se tornarem uma nação. Como esteve próximo de acontecer na época do cativeiro babilônico. “No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número dos anos, de que falara o Senhor ao profeta Jeremias, em que haviam de cumprir-se as desolações de Jerusalém, era de setenta anos” (Dn 9.2). O despertar de Daniel para oração e jejum pela retorno de seu povo para a Terra Prometida, era como o relembrar de Deus da aliança com Abraão nos dias de Moisés. Era hora de agir e as coisas precisavam serem sacudidas para o povo se mexer. Em tempo algum nós, ou qualquer dos filhos é esquecido por Deus e ele jamais também deixa de lembrar dos termos da sua aliança celebrada conosco, garantida a redenção pelo sacrifício de Jesus. Não temos méritos, pois somos salvos pela graça através da fé em Jesus; mas os benefícios da aliança estão disponíveis a todos nós e podemos reivindica-los ousadamente em oração e fé.

Senhor, agradecemos de todo o nosso coração o alto investimento que fizestes em nossas vidas, resgatando-nos dos nossos próprios pecados que nos escravizavam e nos punham sob o jugo opressor do mundo, da carne e do Diabo; mas Jesus veio para desfazer tudo isso e rasgar o escrito de dívida que pesava contra nós. agora somos novas criaturas e nos alegramos nos teus feitos e queremos servir como forma de resposta de gratidão pelo teu amor. Oramos agradecidos em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s