Folhas, Flores e Frutos

Meditação do dia 24/06/2015

Nm 17.8 “Sucedeu, pois, que no dia seguinte Moisés entrou na tenda do Testemunho, e eis que a vara de Arão, pela casa de Levi, florescia; porque produzira flores, e brotara renovos, e dera amêndoas.

Folhas, flores e frutos – a melhor maneira de demonstrar a qualidade de uma vida, são os frutos. Palavras podem ser muito eloquentes, fervorosas, convincentes, mas ainda são palavras, e nada supera a experiência. Um aspecto muito lindo da vida e ministério de Jesus Cristo, é que havia um perfeito equilíbrio entre suas palavras e suas ações. Suas palavras eram poderosas e penetrantes, mas as evidencias de sinais, curas, milagres, amor prático, atenção, toque físico, faziam muita diferença. Dava autoridade ao que ele ensinava e até o distinguia dos demais mestres de seus dias. Maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas. (Mc 1.2). Essa foi também a ferramenta que Deus escolheu usar para fazer cessar as murmurações e reclamações entre os hebreus no deserto. A tribo de Levi havia sido escolhida para servir a toda a nação, cuidando do sacerdócio e da vida espiritual de todos. Muitos questionavam e murmuravam e provocavam descontentamento entre o povo. Para resolver definitivamente, Moisés recebeu ordem de propor uma demonstração. Cada líder tribal, traria uma vara de amendoeira e gravaria nela o nome de sua tribo e o nome de Arão, o Sumo Sacerdote estaria na vara que representava a tribo de Levi. A vara que florescesse, seria a tribo escolhida por Deus e isso serviria de testemunho definitivo para essa questão. Todas as doze varas foram trazidas à tarde e Moisés as colocou diante do Senhor na tenda da congregação e na manhã seguinte, elas foram trazidas à presença de todos os líderes e a vara com o nome de Arão, havia brotado, produzira flores e já havia frutos, amêndoas, tudo isso em uma noite. Assim cada líder levou de volta sua vara para sua tribo e a de Arão, foi guardada na Arca da Aliança, como um testemunho eterno. A obra de Deus, feita da maneira de Deus, sempre terá a ajuda de Deus! Ninguém tem mais amor e zelo por sua obra, do que o próprio Deus, pois custou a vida de seu filho Jesus, lá na cruz. O sacerdócio, ou as funções ministeriais pertencem a Deus e em sua misericórdia chama, vocaciona e capacita homens falíveis para servirem a Ele, a Deus, enquanto serve o povo de Deus. Transformar a eclesiologia em um mecanismo de poder e controle, até com manipulação, em nome de uma santidade ministerial é um erro. Nossa autoridade, é delegada por Deus e o seu exercício está diretamente ligado ao nosso andar com Deus e o representar bem. Deus jamais, jamais, pactuará com a corrupção, o erro, o pecado, o autoritarismo. Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo? (Am 3.3) A resposta é NÃO! Deus é luz e não há nele treva alguma (I Jo 1.5). Permita que Deus seja sua defesa e faça justiça e cuide das coisas para você. Coloque a vara diante de Deus até ela frutificar e todos verem – não existe briga santa, nem guerra santa!

Pr Jason

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s