Sensatez insensata

Meditação do dia 22/02/2016

2 Cr 10.5 “E ele lhes disse: Daqui a três dias voltai a mim. Então o povo se foi.”

Sensatez insensata – Aprendemos muito com erros cometidos; poderíamos apenas aprender com os erros que outros cometem perto da gente, mas parece que gostamos de fazer os nossos próprios erros e sofrermos consequências que plantamos com as nossos próprias mãos. O pior erro que uma pessoa comete é aquele do qual ele nada aprende. Esse jovem, prestes a ser coroado rei de Israel, era filho do homem mais sábio que o mundo já vira até então, e não teria outro semelhante a ele dali pra frente. Só isso já deveria ser um bom motivo para ele ser sábio e sensato, afinal, seu deve ter lhe dado instruções para quando assumisse o trono. Só por observação, já teria aprendido muito e com certeza ele tinha o direito de tomar algumas decisões diferente das que seu tomara ou tomaria se estivesse naquela situação. A reunião solene para a coroação e posse, por alguma razão não fora marcada para o palácio real em Jerusalém, mas numa cidade chamada Siquem, e ali estava reunido multidões de pessoas com liderança, posições de governo e elementos chaves da administração real, também representantes de classes que além de prestigiar a cerimonia, também queriam apresentar reivindicações ao rei. A primeira atitude de Roboão, o novo rei, foi muito sensata e equilibrada. As pessoas solicitaram a ele, que concedesse alívio tributário e de serviços obrigatórios, que vinha consumindo todo o poder e condições deles; afinal para mante toda a glória e a pompa da administração do rei Salomão, fora necessário o sacrifício da população por quarenta anos. O jovem rei, agiu com muita habilidade, pois era um assunto de estado e do qual ele não tinha nenhum conhecimento, pois como príncipe, ele vivia no palácio, com todas as mordomias e regalias e nunca precisara pensar em quanto custa qualquer coisa. Ele pediu três dias para consultar o ministério da fazenda, o ministério do planejamento e o banco central. Após ter em mãos os relatórios e estar ciente dos verdadeiros fatos ele se viu numa condição de ter que tomar uma decisão importante com consequências boas ou ruins e então convocou dois conselhos de estado; um formado por anciãos experientes e sábios, com conhecimento e como respeito do rei Salmão, que acabara de falecer. O outro conselho, formado no momento, por jovens colegas de estudos e amigos de festas e baladas da vida, que na verdade eram os “puxa-sacos” do príncipe, com a intenção de ganharem prestígio e acesso fácil quando ele se sentasse no trono. Os dois conselhos deram pareceres bem opostos e com propósitos bem distintos. Os anciãos optaram pelo caminho de servir o povo e abençoá-los, e assim manter a unidade do país e o carinho e admiração dos súditos. O conselho dos jovens, veio na contramão do sistema, incentivando o rei a inflar o seu ego e megalomania e se declarar abertamente um opressor e tirano sem misericórdia, se colocando acima e muito acima do fora seu pai. Ele pediu três dias, tempo suficiente para se informar, orar, consultar e tomar a decisão que marcaria o seu governo. Em três dias, dá para se fazer muita coisa e até mesmo, mudar o destino de uma nação inteira. Tres dias! Por que ele não continuou sensato? Porque depois de três dias de oportunidades de fazer o bem e o certo, ele deixou o seu coração ser enganado, dando a si mesmo o que ele não era e não podia ser. Ele não era Salomão, era filho de Salomão! Ele não era sábio e sim filho de um homem sábio! Ele não soube ser grato por ser que era e ter o que tinha e ser abençoado com a oportunidade de suceder alguém tão bem sucedido e servir ao povo de uma grande nação. Ele quis ser o cara! Entrou para a história pelo modo negativo! Já começou destruindo o que outros trabalharam duro para edificar! Quem sou eu de fato? Quem é você de fato? Merecemos o temos e onde estamos? Não será que estamos muito além das nossas possibilidades, por obra e graça misericordiosa de Deus e bondade de pessoas queridas que nos amam e nos sustentam, mesmo sabendo o que realmente somos? Sensatez é bom!

Pai celestial, estamos vivendo por graça e bondade tua, não merecemos nada além do que já somos agraciados por tua generosidade. Por mim mesmo eu clamo por tua ajuda, para manter o meu coração sensível e a minha inteligência disponível e acessível ao teu Espírito, para que a sensatez me permita o equilíbrio nas decisões. Abençoa os meus amados, para que em suas lides diárias, vejam a tua graça e bondade e juntos sirvamos ao teu povo, como servindo a ti. Dê-nos Senhor, corações humildes e quebrantados, todos os dias. Em nome de Jesus. Amém.

Pr Jason

Siga também através do blog: https://wordpress.com/post/meditacaododia.net

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s